You are on page 1of 9

Pequeno Manual de Consulta Médica

Pequeno Manual de Consulta Médica
Dr. Márcio Funghi de Salles Barbosa 

INTRODUÇÃO
A idéia do presente trabalho é criar um conselheiro que ensine as pessoas a obterem uma consulta bem aproveitada, com respostas precisas e claras às suas dúvidas. Inúmeras são as pessoas que, após a consulta, apresentam dúvidas sobre o diagnóstico, principalmente o que significa, se é mesmo aquele que foi dado pelo médico atendente, o que significa aquele resultado de exame, se o tratamento está certo, se a doença é grave e se tem cura. Isto faz com que repensemos melhorar a qualidade destas consultas. A Lei de Defesa do Consumidor nos ensina, que é responsabilidade do prestador de serviços, esclarecer ao cliente todos os aspectos do trabalho a ser prestado, ocorrendo-lhe penalidades graves, caso ocorram insatisfações, ou prejuízos não alertados, quando do início daquela prestação. Da mesma forma, o Código de Ética Médica, o Código Civil e o Código Penal reforçam esta lei. Médicos e clientes precisam compreender que: "Sedar a dor é um ato divino" e "O trabalho médico só deve beneficiar a quem o pratica e a quem o recebe". Assim preconizava Hipócrates, que viveu cerca de 400 anos antes de Cristo e ele estava certo! Este manual, tentará fazer com que clientes compreendam o que é e como se faz uma boa consulta. Como entender o método de diagnóstico e tratamento. Tentará ainda mais, ensinar às pessoas a serem cidadãos, buscando seus direitos e auxiliando seu parceiro, o médico, a chegar a um diagnóstico mais preciso. Assim esperamos.

"dor de cabeça". sobre seus primeiros desenvolvimentos. ou qualquer outro tipo de atuação. o médico e o cliente irão falar sobre os outros sintomas. do seu estado emocional. ou dos sinais da doença atual. Aqui o médico quererá saber. "dor pra urinar". como pescarias. ou horas antes dos sintomas. que possam trazer informações úteis para a compreensão do quadro clínico. emocionais. HISTÓRIA DA DOENÇA ATUAL Aqui. se fez exames. como o cliente sentiu-se em relação às medidas tomadas e os resultados. também. tonturas. qual o motivo principal que o trouxe à consulta. O médico irá complementar estas informações. "quebradeira". Isto é muito importante. Quanto mais detalhada a história mais dados terá o médico para entender a doença. repouso. mas o que é informado aqui. o que ele sente de mais incomodante. ou seja. acontecimentos trágicos. de alegria. do seu modo de vida. o médico irá falar sobre a gravidez e o parto do cliente. o que conseguiu com esta ajuda. falarão sobre todas os acontecimentos da vida do cliente. com outras perguntas. se a doença atual teve algum surto (acontecimento) anterior. usos de produtos ou substâncias diferentes. se sofreu outras cirurgias e tratamentos. Durante a consulta. ANTECEDENTES PESSOAIS Neste ponto.Pequeno Manual de Consulta Médica  A HISTÓRIA MÉDICA QUEIXA PRINCIPAL O ponto de partida para conseguir uma boa história médica é a queixa principal. se buscou ajuda. se teve diarréias. ou psicossomática. "intestinos soltos". o médico quererá saber a ordem como as coisas aconteceram. Conta aqui. é: o que o cliente sente de mais importante. é de fundo emocional. que medidas foram tomadas: como e o que fez o cliente. passeios fora de sua cidade. desde um chá caseiro. se teve outras doenças importantes. pode trazer dados sobre se a doença que está tendo. dores. A seguir. como e em quanto tempo evoluíram. uns dias. . São exemplos: "grosseiro no corpo". "soluços sem fim". e o cliente deve lhe relatar. como é chamada. É importante também que o cliente conte fatos associados ao aparecimento dos sintomas. vômitos. se levou quedas. O cliente deve procurar se lembrar de todos os ocorridos que ajudem a entender o processo da doença. enfim. de que tipo foi a ajuda. Quais os problemas iniciais que surgiram. podem fazer surgir problemas. pois às vezes. "dor de garganta". alimentação diferente da comum. Uma avaliação do gênio do cliente. massagem. Relatar se fez viagens. até uma benzeção. tomou medicamentos.

mas uma verificação básica. ajuda o cliente. segundo a Organização Mundial da Saúde. EXAME FÍSICO GERAL E ESPECIALIZADO A esta altura da história. doenças cardíacas e respiratórias. como o estresse. . indícios de outras doenças. alterações da alimentação. ou o deixa aflito. ou se nega a perceber. é imprescindível. de todas as especialidades. angustiados. do funcionamento das diversas glândulas. na família? A família é calma. a depressão. problemas (sintomas) orgânicos. como postura. ou mesmo a relacionar com as queixas. afobado? Existem muitas doenças familiares e hereditárias que tendem a aparecer com freqüência. manifestações orgânicas de um transtorno psicológico. deprimidos. uma escuta (ausculta) do coração. Aqui é o momento para se descobrir isto. e uma verificação de dados básicos. se faleceram e de que causa. permite uma busca preventiva de outras doenças. se eram estressados. que um oftalmologista. de doenças alimentares. O mesmo vale para os irmãos e parentes próximos. algum sinal particular. como pressão alta. ou não consegue ver. não irá fazer um exame ginecológico. como indicado acima. ANTECEDENTES FAMILIARES OU HISTÓRIA FAMILIAR A esta altura. O médico deverá fazer uma tomada de pressão arterial. Como são os pais. Estas queixas psicológicas causam. antes de se passar ao exame especializado. além das informações sobre o estado geral do cliente. que possam ajudar a compreender a doença atual. dentre inúmeras outras. importa ao médico saber se existem informações familiares. quase sempre. a ansiedade e certos problemas reais. compreensiva. Descrever com detalhes o gênio dos pais. Está claro. são na verdade. como infecções. Em seguida é feito o exame específico que mostrará ao médico como andam os órgãos envolvidos nas queixas do cliente. Isto. Os avós eram doentes? O que tinham? Houve casos parecidos com o do cliente. do ponto de vista da saúde física e psicológica. uma avaliação da respiração. por exemplo.Pequeno Manual de Consulta Médica Muitas consultas médicas. o cliente já forneceu dados importantes que irão orientar o exame físico a ser feito. que o cliente.

ao prestar o compromisso de trabalhar pela cura de uma doença. Quando não existiam todos os exames de que dispomos. explorados. Não se tenta aqui. de forma difamatória. . Para isto existem os Conselhos Regionais e Federal de Medicina. com muitas chances de ser um problema definido. como a matemática. seu estado físico anterior à doença atual. como a capacidade de reação do paciente. E a não ser que se trate de algo muito evidente. o diagnóstico bem feito. O médico só deverá pedir exames. Entretanto. portanto desnecessário. Se não entendermos esta verdade. é que o médico. É preciso que os clientes aprendam um conceito: O diagnóstico médico é sempre de probabilidade. por não compreenderem estas verdades. deverá o médico procurar fazer exames complementares que o ajudem. ao tentarem se julgar infalíveis e os clientes. para este fim. os PROCONS. com esta fala. nem por isto o índice de cura era proporcionalmente muito mais baixo. muitas pessoas com posses ou usuárias de um convênio de atendimento médico crêem que devem fazer muitos exames. do que é hoje. e os Códigos Civil e Penal. "a usar dos meios que conhece. muito saudáveis). Tolice! Encarece a mensalidade dos convênios e a história médica é muito mais importante que qualquer exame. isto é. dizer que a má prática da medicina não deva ser denunciada e apurada. a medicação administrada com precaução e habilidade. Isto acontece. o exame é um encarecimento da consulta. EXAMES COMPLEMENTARES Aqui as expectativas de médicos e clientes deveriam ser iguais. Outro dado importante a ser acrescentado. Explorados pela imprensa sensacionalista (não nos referimos à imprensa de informação e de vigilância. a física ou a engenharia. médicos se frustrarão. que só serve para "complementar" um diagnóstico. se pretende confirmar ou afastar uma suspeita de diagnóstico(nome da doença). somando os dados obtidos. o médico já é capaz de formular as hipóteses de diagnóstico. traídos. a sua sensibilidade ou rejeição ao medicamento. Se já entendeu o que se passa. se não lograrem êxito imediato. segundo a lei. isto é. se compromete. A cura é uma conseqüência de diversos fatos. pelo fato de não ser a medicina uma ciência exata. clientes têm sido levados a protestar.Pequeno Manual de Consulta Médica  DIAGNÓSTICO PROVÁVEL Neste ponto. possivelmente se trata daquela doença conhecida. sem que o médico negligencie o cuidado ao cliente.

isto é: sendo ele o único médico capaz de tratar aquela doença. a avaliação das possíveis complicações e marcas deixadas pela doença. Isto é importante. Medicina. que será devolvido pelo cliente. grave ou mau. com todos os detalhes. possibilidades de tratamento (se fácil. quando do retorno dos exames pelo médico. favorável. reações secundárias do tratamento e avaliação da evolução. a não ser que deseje estudá-los em profundidade. deverá fornecer um recibo pelo empréstimo dos mesmos. complicado ou impossível). de mau prognóstico). sob pena de ser processado por negligência. sobre certa doença. moderado. Os manuais ensinam também. para que o médico. Isto não significa insegurança ou incompetência médica. tempo de duração do tratamento. dependendo de como avalia o médico os fatores que acabamos de citar. O tratamento tem que ser indicado e observado de perto pelo médico. significa medir as chances de cura e de recuperação perfeita. que alertar ao cliente e aos seus familiares. PROGNÓSTICO E TRATAMENTO O julgamento médico do diagnóstico. não é uma área matemática da ciência. para que previna surpresas inesperadas. o prognóstico daquele cliente. tem o dever de arranjar outro colega para fazê-lo. exames de clientes. tendo o médico. repito. Assim. Resumidamente. avaliação de reação do cliente. É proibido ao médico conservar em seu poder. uma proteção ao cliente. . levados ao médico que anotará os resultados e devolverá os mesmos ao cliente. pode ser bom. Se resolver deixar de atender alguém. sem exageros. formam o que chamamos de prognóstico. Esconder o prognóstico de uma doença revela insegurança médica. Isto faz parte de uma regulamentação do Conselho Federal de Medicina e deve ser respeitado pelo médico. ou em casos de doenças irreversíveis (graves. Mas nesses casos. mas nem sempre os sinais e sintomas permitem concluir o diagnóstico preciso. quando a doença corresponde ao descrito nos manuais de medicina. que o diagnóstico é provável. quando então. as formas variantes conhecidas para as doenças. diga o que pode ser esperado. desde que não omita socorro. deve atender o cliente.Pequeno Manual de Consulta Médica Os exames devem ser realizados. parcialmente curável ou incurável. É permitido ao médico negar se a tratar determinado cliente. conhecimento se aquela doença é curável. com franqueza. DIAGNÓSTICO DEFINITIVO OU DE PROBABILIDADE Como foi dito linhas atrás. os familiares têm que ser advertidos e informados. o diagnóstico(nome da doença) definitivo é feito na maioria dos casos.

a fornecer os medicamentos. abandonam a orientação médica ou partem para tratamentos alternativos. no tratamento.U. achando que isto magoará o profissional competente e seguro do que faz. ou em casos de doenças de longa duração. sentindo-se sem condições financeiras para prosseguirem determinado tratamento. deve recorrer à Promotoria Pública. pela Constituição Brasileira. ou justificar. O médico. por vergonha ou indiferença.. e tenha um pedido de tratamento negado pelo S. busque aconselhar-se com o médico assistente.U. Em caso de dúvidas. AVALIAÇÃO FINAL OU ACOMPANHAMENTO PROGRAMADO É dever do médico e direito do cliente ser avaliado após terminado o tratamento.S.Pequeno Manual de Consulta Médica Um fato importante.S. o cliente tem o direito de ouvir opiniões de outros médicos e não precisa se preocupar. devem ser relatados ao médico assistente. caso o cliente não seja capaz de pagar pelos seus medicamentos. deverá procurar fornecer receita de medicamento existente para aquela doença. onde as modificações de medicamentos e orientações de tratamentos ajudem na melhora ou recuperação do cliente. ou encaminhar o cliente para outro colega que o atenda de forma satisfatória. Esta é uma forma de se conseguir que o médico continue responsável pelo tratamento. com bases racionais o porquê de estar fazendo a indicação de outro medicamento. Todos os problemas decorrentes ou que surjam durante o tratamento. Se quiser. ou de cura não conhecida. se for o caso. que de pronto. . quando deveriam discutir o assunto com seu médico e pedir que o oriente.. Assim. que determinará os retornos que o cliente deve fazer para acompanhamento. mesmo que farmacêuticos. se obriga a dar assistência à saúde de todos. dentro dos remédios básicos do S. Incluir ou seguir opiniões de amigos e outras pessoas. e de estar desviando a responsabilidade para quem não entende do assunto. poderá estudar um atendimento com remuneração parcelada. sobre o que fazer. o médico. Muitas pessoas. ser traçado um esquema de acompanhamento médico. desconhecido pela maioria dos clientes é que o Estado. Deixar de seguir estes acompanhamentos é retirar do médico a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso do tratamento. obrigará aquele Órgão. EVOLUÇÃO A evolução da doença tem que ser muito bem seguida e documentada pelo médico. se puder. é sinal de ignorância. Entretanto.

tem todo o direito de ser impaciente e de exigir paciência do médico. receitas suplementares até a data do retorno à consulta. o cliente tem o direito de ser bem atendido. ou ainda ao Conselho Regional. Entretanto. pois é preciso que se retire este "carimbo" de quem precisa do serviço médico. muito menos. Médicos. podem afirmar que o cliente não tem um problema ligado à sua área. Lembre-se a dúvida mata mais que muitas doenças. estas dúvidas relacionadas ao diagnóstico. a . ou ao acompanhamento.Não é necessário saber medicina. ou Federal. 2 . médicos que dizem que todos os problemas têm origem psíquica. o cliente que procura entender como será sua consulta e o que esperar dela. ou prontuários médicos. 3 . são direitos do cliente. achamos conveniente acrescentar: 1 .Resultados de exames. isto é. estão dizendo que só viram uma parte dos órgãos e não compreendem o cliente.Todo ser humano tem o seu corpo comandado por um cérebro. CONCLUSÃO Além do que foi dito. é uma consulta incompleta. Assim uma consulta que só analise o sistema nervoso. ou só um órgão.Pequeno Manual de Consulta Médica  ORIENTAÇÕES COMPLEMENTARES AO CLIENTE E AOS SEUS FAMILIARES Se o cliente e/ou familiares tiverem dúvidas que não foram esclarecidas pelo médico assistente. Quando muito. dependendo de como fora atendido. que após examinarem seus clientes. ou aparelho. o melhor que a medicina possa lhe oferecer. cobrados novamente.Na redação deste trabalho. examinar. que também é parte deste corpo. ou à Associação da especialidade a que pertence o médico. dizem que ele nada tem. É Importante ficar bem claro: qualquer que seja a retribuição pelo trabalho médico (um obrigado. sairá convencido ou não. estão exagerando. tratamento ou prognóstico devem ser encaminhadas à Associação Médica Local. cópias ou resumos de laudos. para se submeter a uma boa consulta. Da mesma forma. 4 . evitamos usar a palavra paciente e usamos cliente. informar o que significa aquela doença e o tratamento correspondente. ou Federal de Medicina. que não devem e nem podem ser negados. É preciso ressaltar um fato conhecido da maioria dos médicos e alertado pela Organização Mundial de Saúde: a maioria das consultas que passam pelas especialidades médicas são consultas psicossomáticas. entendido e retribuído com um tratamento. Estadual. por exemplo). atestados sobre seu estado. como um ser físico e psíquico. é obrigação do médico saber indagar. traçar o diagnóstico.

 PENSE NISTO    . Por isto. ou seja. seu meio social. Entretanto. Estes profissionais. deve ser a máxima repetida por todos: médicos e clientes. o médico sensato. consegue fazer um diagnóstico só visualizando uma mancha. A medicina se apóia em levantamentos e estudos de casos (estatísticas) e num raciocínio de avaliações do que deu certo e do que deu errado naqueles casos. ótimo! Senão é capaz que seja dito a seu respeito: "Também. que guardamos de nossos antepassados. um certo medo e respeito exagerado ao papel do médico. diz sempre: "Vamos tentar resolver este problema. Todos os dias. que se chama medicina holística. que quase nada sei!". pouco importa se somos médicos ou não.Muitos de nós guardamos em nosso íntimo. conselheiros." Crer que somos infalíveis. senhores da vida e da morte.Pequeno Manual de Consulta Médica contecem em pessoas que apresentam sintomas e sinais de causa psicológica. mas não é matemática. Esta é a maior retribuição. No fundo são restos do pensamento mágico. usa da razão. o medir a pressão arterial. para complementarem o estudo das queixas apresentadas. dentro do trabalho médico. 6 . que se pode pretender. como uma necessidade essencial para a cura. seus hábitos. "médicos da família". Se conseguir que o medicamento dê certo e cure o problema. boca. chegam ao grau máximo na confiança do cliente e se tornam amigos." São os ossos do ofício. Por isto.Muitos médicos sabem da necessidade de se conhecer bem o cliente.. Muitos clientes enxergam os exames. que os médicos têm que compreender e tentar modificar. por exemplo. cabeça. ao lidarem com os "pajés" das tribos. um dermatologista. Fazem com isto uma medicina completa. explorando seu misticismo e temor à morte. examinar os olhos. é racional. suas crenças e sua família.. suas atividades profissionais. O cliente que atribui poderes incríveis ao médico. é o caminho mais fácil para nos transformarmos em incompetentes exibidos e mentirosos. 5 . nem me colocou a mão!. inclusive alimentares. "Só sei. a exemplo de seus colegas do passado. ver os reflexos. O médico que se julga com poderes incríveis é um imprudente.. que decidiam sobre o indivíduo. é um ingênuo. exata..

Psicoterapeuta. Sexólogo e Consultor de Relações Humanas em Empresas E-mail: drmarcio@siteplanet. Solicita-se a sua divulgação gratuita.Pequeno Manual de Consulta Médica ________________________________________________ Contatos com: Companhia dos Amigos da Arte de Viver Dr.br  URL: http://www.com.br/~drmarcio ________________________________________________ Este trabalho foi cedido para orientação da população. .com.siteplanet. Márcio Funghi de Salles Barbosa Psiquiatra.