You are on page 1of 27

Rugosidade

Prof. Hélio Padilha

Rugosidade

As superfícies de peças apresentam irregularidades quando observadas em detalhes. Estas irregularidades são provocadas por sulcos ou marcas deixadas pela ferramenta que atuou sobre a superfície da peça. A importância do estudo do acabamento superficial aumenta na medida em que cresce a precisão de ajuste entre as peças a serem acopladas, onde somente a precisão dimensional, de forma e de posição não é suficiente para garantir a funcionabilidade do par acoplado.

etc. micrômetros. os conceitos de rugosidade superficial são definidos pela norma ABNT NBR 6405-1985. . transmissão de calor. atrito. corrosão.). paquímetros. aparência. O acabamento superficial é medido através da rugosidade superficial. escoamento de fluidos e superfícies de medição (blocos-padrão.Rugosidade   O acabamento superficial é fundamental onde houver desgaste. a qual é expresso em mícrons (mm). No Brasil. propriedades óticas. resistência à fadiga.

a laser ou eletromecânicos. . pode-se distinguir os seguintes erros: ◦ Erros macro-geométricos ou erros de forma: Podem ser medidos com instrumentos de medição convencionais (relógio comparador). Estes instrumentos podem ser óticos. ◦ Erros micro-geométricos: Podem ser medidos somente com instrumentos especiais tais como rugosímetros. de projeto). perfilógrafos.Erros geométricos  Na análise dos desvios da superfície real em relação à superfície geométrica (ideal.

Rugosímetro eletromecânico .

. o instrumento mostrará o perfil da peça composto da rugosidade e da ondulação. ◦ Ondulações ou textura secundária: É o conjunto das irregularidades repetidas em ondas de comprimento bem maior que sua amplitude. Quando se mede a rugosidade. A freqüência destas ondas é pequena. sejam eles macro ou micro-geométricos. ◦ Rugosidade superficial ou textura primária: É o conjunto das irregularidades repetidas em ondas de comprimento semelhantes à sua amplitude.Rugosidade e ondulações   As superfícies reais distinguem-se das superfícies geométricas (teóricas ou ideais) através dos erros de forma. A freqüência destas ondas são bastantes elevadas.

Esta freqüência pré-determinada é chamada de "cut-off". Sinais com freqüências inferiores à freqüência de "cut-off"são eliminados. .Rugosidade e ondulações Os rugosímetros utilizam filtros passa-alta: somente freqüências maiores que um valor pré-determinado são analisadas.

. Inglaterra. os EUA. Além do Brasil. A Alemanha e Itália adotam o sistema E. Japão e Rússia adotam o sistema M. A França adota ambos os sistemas.  O sistema da linha média é o mais utilizado. A norma ABNT NBR 6405-1985 adota no Brasil o sistema M.Sistema de medição de rugosidade  Existem basicamente dois sistemas de medição de rugosidade: ◦ O sistema da linha média M e ◦ O sistema da envolvente E.

a linha média. de tal modo que a soma das áreas superiores. A1+A2 = A3.Sistema da linha média . Linha Média: É definida como uma linha disposta paralelamente à direção geral do perfil. ou sistema M. compreendida entre ela e o perfil efetivo seja igual à soma das áreas inferiores. . dentro do percurso de medição.M   No sistema da linha Média. todas as grandezas são definidas a partir de uma linha de referência.

Percursos de medição  Durante o processo de medição da rugosidade. . o rugosímetro apalpa a superfície a ser medida. Pode-se definir vários percursos e/ou comprimentos neste processo de medição .

 Ra na Inglaterra ⇒ CLA: Center Line Average.  .  Ra nos EUA ⇒ AA: Aritmetical Average. em relação à linha média. dentro do percurso de medição lm.Parâmetros de avaliação de rugosidade Rugosidade Média (Ra): É a média aritmética dos valores absolutos das ordenadas dos afastamentos dos pontos do perfil de rugosidade. Ambas em μin.

Parâmetros de avaliação de rugosidade  Rugosidade Média (Rz): É a média aritmética dos 5 valores da rugosidade parcial Zi. . este valor representa a altura entre os pontos máximo e mínimo do perfil. Graficamente. A rugosidade parcial Zi é definida como a soma dos valores absolutos das ordenadas dos pontos de maiores afastamentos (acima e abaixo da linha média) existentes dentro de um comprimento de amostragem le. dentro do comprimento de amostragem le.

dentro do comprimento de avaliação.  A norma DIN 4762 (de 1984) indica um parâmetro semelhante ao Rmáx para medição de rugosidade superficial na Alemanha e é designada por Ry. que se apresenta no percurso de medição lm.  .Parâmetros de avaliação de rugosidade Rugosidade máxima (Rmáx): É o maior valor das rugosidades parciais Zi. Ry é a máxima distância pico-vale.

◦ Superfície porosa: É mais conveniente o uso de Ra ou Rq. Pontos isolados individuais podem provocar permeabilidade com o uso de Ra. já que este último parâmetro indica um valor médio da rugosidade.Seleção do parâmetro de rugosidade A norma ABNT recomenda o uso do parâmetro Ra.  A escolha de um ou outro parâmetro para caracterizar a rugosidade de uma peça deve ser adaptada à sua função:  ◦ Peças de vedação: É mais lógico o uso de Rmáx. .

  Para a maioria das superfícies o valor da rugosidade neste parâmetro está de acordo com a curva de Gauss que caracteriza a distribuição de amplitude. não alteram substancialmente o seu valor.Vantagens do parâmetro Ra  É o parâmetro de medição mais utilizado em todo o mundo e aplicável à maioria dos processos de fabricação Os riscos superficiais inerentes ao processo. .

se um pico ou vale não típico aparecer na superfície. como é o caso dos sinterizados. ocultando tal defeito.  Nenhuma distinção é feita ente picos e vales. o valor da média não sofrerá grande alteração.  Para alguns processos de fabricação onde há uma freqüência muito alta de vales ou picos. por isso.  O valor de Ra não define a forma das irregularidades do perfil. dessa forma poderemos ter um mesmo valor de Ra para superfícies originadas por processos de usinagem diferentes.  . já que a distorção provocada pelo filtro eleva o erro até níveis inaceitáveis. o parâmetro não é adequado.Desvantagens do parâmetro Ra O valor de Ra em um percurso de amostragem representa a média da rugosidade.

eixos e furos para engrenagens e cabeças de pistão Superfícies usinadas em geral.01 Ra = 0. chavetas de precisão. superfícies de referência.. náilon. superfícies de medida em micrômetros e calibres de precisão Agulhas de rolamentos. réguas triangulares de alta precisão Aparelhos de precisão. cones de cubos sincronizadores de caixas de câmbio de automóveis Assentos de rolamentos em eixos com carga pequena.08 Exemplos de Aplicação Blocos padrão.02 Ra =0.5 Ra = 2 Ra = 3 . etc.04 Ra = 0. Ra = 0.Exemplos de aplicação Valor de Ra (µm) Ra = 0. etc. alojamentos de rolamentos Superfícies usinadas em geral. de apoio.2 Ra = 1. eixos. colos de virabrequim Mancais de bronze. super acabamento da camisa de bloco de motor Agulhas de rolamentos de grandes dimensões.

Determinação do “cut-off ” Existem duas situações diferentes na seleção do valor de cut-off necessário para efetuar uma medição de rugosidade:  Quando o perfil da peça é periódico e quando é aperiódico.  .

Para perfil periódico  Quando o perfil é periódico o valor de cut-off depende da distância entre os sulcos deixados pelo avanço da ferramenta no processo de usinagem. .

. fresagens de contorno e frontal sem inclinação. deformação. retificação.Para perfil aperiódico  Quando o perfil é aperiódico o valor de cut-off tem relação com o grau de rugosidade média Ra a ser avaliado. etc. Estes perfis são normalmente resultantes de esmerilhamento. alargamento.

.NBR 8404 fixa os símbolos e indicações complementares para a identificação do estado de superfície em desenhos técnicos.Simbologia e indicação  A Norma ABNT .

Classes de rugosidade .

Simbologia e indicação .

◦ a = valor da rugosidade Ra. tratamento ou revestimento ◦ c = comprimento de amostra. em milímetro ◦ f = outros parâmetros de rugosidade (entre parênteses) . em milímetro (cut off) ◦ d = direção de estrias ◦ e = sobremetal para usinagem. em mm.Simbologia e indicação  Cada uma das indicações do estado de superfície é disposta em relação ao símbolo. ou classe de rugosidade N1 até N12 ◦ b = método de fabricação.

Simbologia e indicação .

Simbologia e indicação .

Exemplos .