You are on page 1of 7

DOI: 10.4025/actascitechnol.v33i2.

9919

Utilização de resíduos agroindustriais em processo biotecnológico para produção de -galactosidase de Kluyveromyces marxianus CCT 7082
Ana Paula Manera1, Joana da Costa Ores2, Vanessa Amaral Ribeiro2, Maria Isabel Rodrigues1, Susana Juliano Kalil2 e Francisco Maugeri Filho1*
Departamento de Engenharia de Alimentos, Faculdade de Engenharia de Alimentos, Universidade Estadual de Campinas, 2 Cidade Universitária Zeferino Vaz, s/n, 13083-862, Campinas, São Paulo, Brasil. Escola de Química e Alimentos, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. *Autor para correspondência. E-mail: maugeri@fea.unicamp.br
1

RESUMO. O objetivo deste trabalho foi avaliar a composição do meio de cultura para a produção da enzima -galactosidase de Kluyveromyces marxianus CCT 7082 utilizando a técnica de delineamento experimental. A produção da enzima foi realizada em meio composto por soro de queijo, água de maceração de milho (AMM) e hidrolisado de levedura Prodex-lac® e sais. Foi realizado um planejamento experimental fracionário (25-1) para determinar as variáveis significativas na produção da enzima. Foram testadas diferentes concentrações de lactose presente no soro de queijo (10 a 70 g L-1), AMM (10 a 100 g L-1), Prodex-lac (4 a 20 g L-1), (NH4)2SO4 (0 a 10 g L-1) e o pH (5 a 7). As variáveis concentração de lactose, AMM e o pH apresentaram efeito estatisticamente significativo na atividade enzimática dentro das faixas estudadas, sendo estas variáveis empregadas num delineamento composto central rotacional para otimizar a produção da enzima. As faixas testadas foram: concentração de lactose de 40 a 100 g L-1, AMM de 10 a 120 g L-1 e pH de 3,5 a 6,5. As condições que resultaram em maior atividade enzimática (1400 U g-1) foram 70 g L-1 de lactose, 65 g L-1 de AMM, 4 g L-1 de Prodex-lac e pH 5, obtendo uma produtividade de 61 U L-1 h-1.
Palavras-chave: delineamento experimental, soro de queijo, água de maceração de milho, Prodex-lac.

ABSTRACT. Use of agroindustrial residues in biotechnological process by betagalactosidase production from Kluyveromyces marxianus CCT 7082. The objective of this work was to evaluate the composition of the culture medium for the production of the enzyme -galactosidase from Kluyveromyces marxianus CCT 7082 using an experimental design. Enzyme production was carried out in a medium consisting of cheese whey, corn steep liquor (CSL) and Prodex-lac® yeast hydrolyzate. A factorial fractional design (25-1) was performed to determine the significant variables in the production of the enzyme. Different concentrations of lactose present in whey (10-70 g L-1), CSL (10-100 g L-1), Prodex-lac (4020 g L-1), (NH4)2SO4 (0-10 g L-1) and pH (5-7) were tested. Lactose concentration, CSL and pH were the variables that showed a statistically significant effect on enzyme activity within the ranges studied, and these variables were used in a central composite rotatable design to optimize production of the enzyme. The ranges used were: lactose concentration 40-100 g L-1, CSL 10-120 g L-1, and pH 3.5-6.5. The conditions that resulted in higher enzyme activity (1400 U g-1) were 70 g L-1 lactose, 65 g L-1 CSL, 4 g L-1 Prodex-lac and pH 5, yielding 61 U L-1 h-1.
Keywords: experimental design, cheese whey, corn steep liquor, Prodex-lac.

Introdução O estudo de meios industriais de fermentação para obtenção de produtos biotecnológicos tem recebido grande atenção nos últimos anos. Diversos coprodutos e matérias-primas da indústria de alimentos e da agroindústria têm sido empregados para obtenção de produtos biotecnológicos, pela alta disponibilidade e por representarem fonte alternativa de baixo valor comercial (SILVA et al., 2009; ERNANDES et al., 2010).
Acta Scientiarum. Technology

Entre esses produtos biotecnológicos destaca-se a produção de enzimas, a qual é frequentemente limitada pelos custos dos substratos utilizados para o cultivo dos micro-organismos. Estima-se que aproximadamente 30-40% do custo envolvido na produção de enzimas é devido ao meio de cultura utilizado para o crescimento dos microorganismos, portanto sua otimização é de grande importância para a redução de custos (JOO; CHANG, 2005).
Maringá, v. 33, n. 2, p. 155-161, 2011

4 g L-1. PANESAR. em seguida. açúcares funcionais que trazem diversos efeitos benéficos à saúde de seus consumidores. obtendo. passou por um tratamento termoácido para desproteinização. Prodex-lac. 2011 . O microorganismo foi mantido em tubos com tampa de rosca contendo caldo YM com glicerol 10% (v v-1) e congelados em freezer a –18ºC. foi centrifugada para retirada do material insolúvel. 180 rpm (LUKONDEH et al. OTIENO. como fonte de nitrogênio e vitaminas. (NH4)2SO4 e o pH inicial do meio variaram de acordo com o delineamento experimental (Tabela 1).32% de cloreto de sódio em sua composição. OH. Prodex-lac. com 44% de proteínas e 0. sais minerais e vitaminas. 15. água de maceração de milho (AMM). A enzima -galactosidase foi produzida por fermentação submersa. Maringá. O hidrolisado de levedura Prodex-lac® em pó foi Acta Scientiarum. O Prodex-lac e os demais reagentes foram preparados com água destilada e esterilizados em autoclave a 121°C por 15 min. Como alternativa para suplementação do soro. após dissolução em água destilada para atingir a concentração desejada de lactose. Um dos principais coprodutos agroindustriais empregados na produção da enzima -galactosidase como fonte de carbono é o soro de queijo (SANTIAGO et al. sendo necessária a sua suplementação com fontes de nitrogênio. 33. adquirida da Coleção de Culturas Tropicais (CCT) da Fundação André Tosello–Pesquisa e Tecnologia– Campinas. A enzima -galactosidase (EC 3. 2003) e a solução de soro de queijo esterilizada por filtração com membrana de 0. p.. assim. foi empregada para produção da enzima -galactosidase. e a água de maceração de milho (AMM).). 2.5% de sais minerais. Estado do Rio Grande do Sul. em frascos Erlenmeyers de 500 mL contendo 150 mL de meio de cultura a 30ºC.. como fonte de nitrogênio e sais minerais em substituição à peptona e o Prodex-lac. 2003). nitrogênio e vitaminas para produção da enzima -galactosidase por Kluyveromyces marxianus CCT 7082 utilizando a técnica de delineamento experimental. tornando-os ideais a consumidores intolerantes a este açúcar (HUSAIN. 12% de proteínas e 8% de sais minerais e vitaminas. RIVAS. Antes de ser empregado nas fermentações. Delineamento experimental Os substratos agroindustriais utilizados foram: soro de queijo em pó cedido pela Cosulati–Pelotas. alimentos com baixos teores de lactose.7H2O foram fixadas em 5 e 0. Technology Os efeitos das variáveis na concentração de lactose presente no soro de queijo. água de maceração de milho. e o pH na produção da -galactosidase foram avaliados usando um delineamento experimental fracionário 25-1 com a adição de três ensaios no ponto central. As faixas estudadas foram selecionadas de acordo com a literatura e estão apresentadas na Tabela 1. o soro de queijo.1.2 m. o qual consistiu em ajustar o pH para 4.6 com acido acético e posterior aquecimento (90ºC por 15 min. 2004. As concentrações de KH2PO4 e de MgSO4. Estado de São Paulo. cujo resultado é a melhora da solubilidade e da digestibilidade de leites e derivados lácteos. desenvolveu-se o presente trabalho para avaliar fontes alternativas de carboidrato. tais como redução de metabólitos tóxicos. cedida pela Corn Products–Mogi Guaçu.. contendo somente soro de queijo. Micro-organismo e condições de cultivo A levedura Kluyveromyces marxianus CCT 7082. Estado de São Paulo.2 m (RAJOKA et al. e visando o reaproveitamento de outros coprodutos.156 Manera et al. 2008). e. v. é praticamente desprezível. de acordo com Manera et al. respectivamente. porém de acordo com Vasiljevic e Jelen (2001). As concentrações de lactose presente no soro de queijo. e esterilizada por filtração com membrana de 0. após ser diluída na concentração desejada. 2010). OBEROI et al. (NH4)2SO4. pode-se empregar a água de maceração de milho. composta por 53% de matéria seca. Recentemente. 2005). aumento da tolerância à lactose e da absorção de cálcio com consequente redução dos riscos de osteoporose (MARTINS. PARK. Material e métodos Substratos agroindustriais adquirido da Indústria Prodesa–Mogi Mirim. 155-161. (2008). A água de maceração de milho. As fermentações iniciaram com 10% (v v-1) de inóculo (NOR et al. n.23) encontra-se entre as enzimas de grande interesse industrial empregada na hidrólise da lactose de leites e soro de queijo.. Estado de São Paulo. um produto comercial com composição similar do extrato de levedura. prevenção do câncer de cólon. têm sido empregada na produção de galactooligossacarídeos (GOS) (MANERA et al. previamente selecionada por Manera et al. o crescimento do microorganismo e a produção da enzima em meio. as proteínas precipitadas foram retiradas por filtração a vácuo (MATHEUS. 2010). 43% de proteínas bruta. BURKERT. composto por 45% de lactose. 2001). 2009. 2010. 2010). Considerando que o Brasil gera quantidades expressivas de soro de queijo e água de maceração de milho. 2008.2. (2008).

5 913. SUNGUR. A solução foi mantida a 37ºC por 5 min. 2008).5 792.6 de células equivalente a 2.2 1334. lactose (g L-1).3 1317. concentração de AMM e o pH.3 65 97. 155-161. sob as condições do ensaio. (2009). Níveis -1 0 +1 -1. foram obtidas nos ensaios 4 e 12. X2.0 1249.1 mM pH 6. As células do caldo foram coletadas por centrifugação a 6. Uma unidade de Acta Scientiarum. Prodexlac (g L-1).1 1280. 6 axiais e 3 no ponto central) As variáveis independentes avaliadas foram concentração de lactose. 33.7 939. Y é a atividade enzimática máxima (U g-1) e t é o tempo (h). em 48h de fermentação. realizou-se um delineamento composto central rotacional (DCCR) de acordo com Rodrigues e Iemma. respectivamente. n. Matriz do delineamento experimental fracionário 25-1. Para ruptura da parede celular adicionou-se 1. p. O sobrenadante foi separado por centrifugação a 6. Os níveis das variáveis estão apresentados na Tabela 1. Níveis codificados e concentrações das variáveis estudadas nos delineamentos experimentais.7 e 1718.4 1323. 4 g L-1 de Prodex-lac. AMM (g L-1).25 mM. em banho agitado. X5 são.7 1484. Extração da enzima atividade enzimática (U) é definida como 1 mol de o-nitrophenol produzido por minuto.0 para o ensaio 12. a reação foi paralisada adicionando 0. (NH4)2SO4 (g L-1) e pH. X2.68 -1 0 +1 +1. em seguida determinou-se a absorbância a 420 nm. e calculou-se a atividade enzimática. A suspensão foi submetida a um tratamento com ondas ultrassônicas.1 t 48 48 48 48 48 48 72 48 48 48 24 48 24 24 48 48 48 48 48 A enzima -galactosidase é uma enzima intracelular. em que X1. respectivamente. Prodex-lac (g L-1). 2.0 1459. As condições destes ensaios foram 70 g L-1 de lactose. Tabela 2. a 4ºC e utilizado para determinação da atividade enzimática (MANERA et al. 2004). e o tempo de fermentação necessário para atingir estes valores de atividade variaram de 24 a 72h. Foram realizados 17 ensaios (8 fatoriais. respectivamente. X5 são.000 × g por 10 min. foram adicionados 50 L da solução enzimática.8 1528.4H2O 0.1 70 87.2 1733. X3. As atividades enzimáticas máximas obtidas neste delineamento variaram de 790.Utilização de resíduos agroindustriais Tabela 1.7 120 X4 0 5 10 X5 5 6 7 3. 2011 . lactose (g L-1). em que X1.6 1210.64 cm2 mol-1. A análise dos dados dos delineamentos experimentais foi realizada utilizando o programa STATISTICA versão 5.5 1291.62 mg de células secas (NUMANOGLU.1 5 5. Resultados e discussão As condições experimentais testadas no delineamento experimental fracionário 25-1 estão apresentadas na Tabela 2. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 X1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 0 0 0 X2 -1 -1 1 1 -1 -1 1 1 -1 -1 1 1 -1 -1 1 1 0 0 0 X3 -1 -1 -1 -1 1 1 1 1 -1 -1 -1 -1 1 1 1 1 0 0 0 X4 -1 -1 -1 -1 -1 -1 -1 -1 1 1 1 1 1 1 1 1 0 0 0 X5 1 -1 -1 1 -1 1 1 -1 -1 1 1 -1 1 -1 -1 1 0 0 0 Y 898.9 6. Technology As maiores atividades. preparado em tampão KH2PO4 50 mM com MnCl2. A concentração celular foi estimada por leitura da absorbância a 620 nm e convertida para peso seco conforme curva-padrão.4H2O 0. Determinações analíticas A atividade enzimática foi determinada usando o-nitrofenil--D-galactopiranosideo (ONPG) como substrato..7 U g-1. AMM (g L-1). Em tubo de ensaio contendo 2 mL de ONPG 1.0.1 g de pérolas de vidro (R < 0. Para a curva-padrão as células foram secas a 90ºC até peso constante (LONGHI et al.5 157 Baseados nos resultados obtidos no delineamento fracionário. a concentração de sulfato de amônio foi 0 e 10 g L-1.5 939. respectivamente e o pH inicial da fermentação foi 7.1 mM pH 6.4 1423. Um mililitro de célula em suspensão foi obtido por ressuspensão em tampão KH2PO4 50 mM com MnCl2. lavadas duas vezes com água destilada e ressuspendidas com água para leitura da absorbância. para ambos os ensaios. 2004).0 U g-1 até 1733.9 100 X2 X3 Delineamento fracionário 10 4 55 12 100 20 DCCR 10 32. O coeficiente de extinção molar do o-nitrophenol determinado experimentalmente nestas condições foi 4. X4.0 para o ensaio 4 e 5.. Maringá. 10 min.000 × g. 100 g L-1 de AMM. a 4°C. para os ensaios 4 e 12. (NH4)2SO4 (g L-1) e pH.5 U g-1.5 4.4 mm) para cada mL de célula em suspensão. v. X3.0 1718. segundo metodologia descrita por Inchaurrondo et al.6. por 10 min. X4. 1733. (1994).68 X1 10 40 70 40 52.5 mL de carbonato de sódio 1 M.5 1430.. bem como as respostas para a atividade enzimática máxima de cada ensaio e o tempo de fermentação em que ocorreu a máxima atividade.

De acordo com Panesar (2008). Sabe-se que leveduras crescem melhor em pH ácido. ou seja. a água de maceração de milho e o Prodexlac forneceram a quantidade de nitrogênio necessária para o crescimento do micro-organismo e produção da enzima. O mesmo comportamento foi observado nos trabalhos de Rao e Dutta (1977) e Sonawat et al. Matheus e Rivas (2003) determinaram como ótimo o pHde 4. observa-se a menor produção da enzima.68 (pH = 3. indicando que neste pH o micro-organismo não conseguiu se adaptar. Prodexlac.68 0 0 0 0 0 0 0 X2 -1 -1 1 1 -1 -1 1 1 0 0 -1. Y é a atividade enzimática máxima (U g-1) e t é o tempo (h). marxianus. ao passar do nível -1 para o nível +1.2 982. As variáveis concentração de lactose e de água de maceração de milho e o pH apresentaram efeito estatisticamente significativo a 90% de confiança. As concentrações de Prodex-lac e (NH4)2SO4 foram mantidas no nível -1. No ensaio 13 em que o pH estava no nível -1. a concentração de lactose e de AMM apresentaram um efeito positivo. porém ficou evidente que para a levedura empregada neste trabalho. tendo como consequência uma maior fase lag (fase de adaptação ao meio). 2. X5 são. n. houve diminuição da atividade. ao fermentar K. o funcionamento de suas enzimas e o transporte de nutrientes na célula. as concentrações de lactose e de água de maceração de milho e o pH foram selecionadas para serem estudadas em um DCCR. logo. As concentrações de Prodex-lac e (NH4)2SO4 não apresentaram efeito estatisticamente significativo dentro das faixas estudadas. obteve maiores atividades enzimáticas em pH 5. em que X1. quando o soro foi suplementado com fontes orgânicas de nitrogênio a atividade enzimática aumentou consideravelmente. isto provavelmente ocorreu pois o micro-organismo necessitou de um tempo maior para se adaptar ao meio ácido. já o pH apresentou efeito negativo. pH menores de 4.8 1550.0 1358.8 1015.5).68 1.9 1208. A partir dos resultados apresentados na Tabela 3.5 33 904. p. ou seja. O efeito de cada variável na atividade enzimática pode ser observado na Figura 1. ao passar do nível -1 (menor concentração) para o nível +1 (maior concentração). porém pelos resultados obtidos. lactose (g L-1). 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 X1 -1 1 -1 1 -1 1 -1 1 -1. em que se aumentou as concentrações de lactose e de AMM e diminuiu-se os valores de pH. Em função dos resultados obtidos neste delineamento.4 1403. Tabela 3. (1981) em que a produção da -galactosidase foi pouco influenciada quando o soro de queijo foi suplementado com fontes inorgânicas de nitrogênio. (NH4)2SO4 e o pH para o delineamento experimental fracionário (25-1). houve incremento na atividade enzimática.5. v.4 679. 33 U g-1 em 96h de fermentação. a produção da enzima foi muito baixa. água de maceração de milho. 2011 . 155-161.68 1.68 0 0 0 Y 844.0. 33. X2. ao passo que Acta Scientiarum. o pH de um sistema afeta pelo menos dois aspectos das células microbianas.9 874. e Panesar (2008). Estimativa dos efeitos para as concentrações de lactose presente no soro de queijo. AMM (g L-1) e pH.158 Manera et al.1 prejudicam o crescimento celular e a obtenção da enzima.68 1. O sulfato de amônio foi empregado como fonte inorgânica de nitrogênio.9 1071. não sendo necessária sua adição no meio de cultivo.1) foram os ensaios que necessitaram de maior tempo de fermentação para atingir a máxima atividade enzimática. Technology A literatura apresenta alguns estudos sobre a influência da variação do pH na obtenção de -galactosidases produzidas por leveduras em meio à base de soro de queijo.68 0 0 0 0 0 X5 -1 -1 -1 -1 1 1 1 1 0 0 0 0 -1. Matriz do DCCR.5 835.1 707. observa-se que os ensaios 1 a 4 em que o pH estava no nível -1 (pH = 4. respectivamente. Bales e Castillo (1979) obtiveram máxima produção enzimática empregando Candida pseudotropicalis quando o pH inicial do meio foi ajustado para 3.5 t 48 144 72 168 24 24 48 24 72 24 48 24 96 48 24 24 24 Figura 1.6 1108.68 para a produção da enzima de Kluyveromyces lactis.3 1498.4 989. Maringá. 4 g L-1 de hidrolisado de levedura e o sulfato de amônio foi retirado do meio já que tinha sido estudado de 0 a 10 g L-1. ou seja.

v.7(pH)2 + + 140 (lactose x pH) As condições que resultaram nas maiores atividades enzimáticas foram as condições dos pontos centrais. 2011 . 65 g L-1 de água de maceração de milho e pH 5. obteve-se a equação do modelo codificado (Equação 1) que foi validada pela análise de variância (Tabela 4) em que o coeficiente de correlação obtido foi de 0.84 e o F calculado foi 4. ou seja.7(pH) – (1) – 340. Por meio da análise estatística dos resultados. p. 155-161. Superfícies de respostas para a atividade de -galactosidase em função: (a) concentração AMM e de lactose. Acta Scientiarum.6 – 102. (b) concentração de pH e AMM. 70 g L-1 de lactose.Utilização de resíduos agroindustriais 159 Atividade(U g-1) = 1464. 33. n. Atividade (U g-1) (g L-1) (b) AMM Lactose (g L-1) AMM (g L-1) Lactose (g L-1) Atividade (U g-1) AMM (g L-1) (c) pH AMM (g L-1) pH Atividade (U g-1) pH Lactose (g L-1) pH Lactose (g L-1) Figura 2. (c) pH e concentração de lactose.88 vezes maior que o valor tabelado. 2.9(lactose)2 – – 130.5(AMM)2 +148. Technology Maringá. (a) A partir da equação foi possível gerar as superfícies de resposta (Figura 2) para analisar as melhores condições de concentração de lactose. de AMM e pH para produção da -galactosidase que conduzem a um maior valor de atividade enzimática.

56 326428 2103275 Graus de liberdade 5 11 16 Média quadrática 355369. CHANG. M. O emprego de soro de queijo. Influência da composição do meio para a produção de Zimomonas mobilis. Manera et al. entidade do governo brasileiro voltada para a formação de recursos humanos.. G. p. p. MERKLE. (1981) observaram que o emprego de água de maceração de milho influenciou positivamente na produção da enzima -galactosidase. p. 32. um coproduto da indústria de extração do amido. Formulation of a lactose-free. utilizando um meio de cultura composto por coprodutos industriais. Critical Reviews in Biotechnology. 2010. S. Acta Scientiarum. R. H.. em que houve aumento de aproximadamente 28% na atividade enzimática usando soro suplementado com água de maceração de milho. O maior valor de atividade enzimática obtido no DCCR foi inferior ao máximo obtido no delineamento fracionário. HUSAIN. H. p. pelo apoio financeiro.. como substrato para fermentação tem o intuito de reduzir custos e propiciar uma enzima com alta atividade enzimática. LUVIZETTO. A. J. YANTORNO O.7. Process Biochemistry. v.. Furlan et al. p 21-26. F5.. a partir de um meio de cultura com melaço de cana-deaçúcar. S. Production of protease from a new alkalophilic Bacillus sp. F. 7. 2010. 70 g L-1 de lactose. Maringá. 1. Process Biochemistry. v. o mesmo comportamento foi observado no trabalho de Rao e Dutta (1977). E. água de maceração de milho.6 propiciam altos valores de atividade enzimática. CASTILLO. 2. em que se obteve nos ensaios 4 e 12 uma atividade por volta de 1700 U g-1. Comparando esse resultado com os obtidos neste trabalho pode-se verificar o aumento de 75% na produção da enzima -galactosidase. Agradecimentos À Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-Capes. J. n. 33. Z. D. 32. JOO.. A. CRUZ. Pela Figura 2(c) observa-se que as maiores atividades são obtidas ao empregar concentração de lactose entre 60 e 90 g L-1 e pH entre 4. n. L. Referências BALES. 2011 . BOSCOLO. C. G.160 Tabela 4. 2005. v. A Figura 2(b) indica que concentrações de AMM entre 30 e 100 g L-1 e pH na faixa de 4. 37.. 1994. CARVALHO-JONAS.. 589-593. 2000. 65 g L-1 de água de maceração de milho e pH 5.8 a 5.. v. para obtenção de uma atividade enzimática por volta de 1400 U g-1. low-cost culture medium for the production of -D-galactosidase by Kluyveromyces marxianus. ou seja. LONGHI. R. estes ensaios resultaram em uma produtividade média de 61 U g-1 h-1. VOGET. FURLAN. Yeast growth and -galactosidase production during aerobic batch cultures in lactoselimited synthetic medium. a máxima atividade enzimática obtida foi 800 U g-1. SECCHI. A partir dos resultados. Technology biotecnológico promissor. Journal of Industrial Microbiology and Biotechnology. SCHNEIDER. 40. ERNANDES. Applied and Environmental Microbiology. P. ASHBOLT. n. 6. v. A growth kinetic model of Kluyveromyces marxianus cultures on cheese whey as substrate. L. C. n. A. 30. p. INCHAURRONDO.1= 2. 41-62.. v. 35-40. A.0. R2=84. A. e a substituição do extrato de levedura por Prodex-lac... porém a produtividade nesses ensaios foi aproximadamente 35 U g-1 h-1. p. Fed-batch fermentation for production of Kluyveromyces marxianus FII 510700 cultivated on a lactose-based medium. ROGERS.8 e 5. N. 7. v. Fonte de variação Regressão Resíduo Total Soma dos quadrados 1776847. é um processo Acta Scientiarum. 1. 1. L. v. M. Biotechnology Letters. Production of lactase by Candida pseudotropicalis grown in whey. 29. 1263-1270. G. 284-288. 2005. 2004. 31. 155-161. A máxima produção da enzima foi obtida quando o meio foi suplementado com 100 g L-1 de água de maceração de milho. FERREIRA.. Conclusão A produção de -galactosidase de Kluyveromyces marxianus CCT 7082. AYUB. Com o emprego de metodologia de delineamento experimental e análise de superfície de resposta foi possível obter uma produção enzimática de aproximadamente 1400 U g-1 em 24h de fermentação. Q. J. F. C. S. v. RECH. (2008) otimizou a produção da enzima -galactosidase de Kluyveromyces marxianus CCT 7082 empregando um meio sintético composto por lactose. β-galactosidase and their potential applications: a review. M. 47-54. n. n. n. A. M. V. extrato de levedura e sais. M. P.11. S. um subproduto dos laticínios.45. (2000) estudaram a produção da -galactosidase empregando Kluyveromyces marxianus. S. p. R. pode-se empregar as condições dos pontos centrais. S. L..98 Manera et al. S.. n..5%. 22. p. Análise de variância para o delineamento composto central rotacional. Pode-se observar na Figura 2(a) que as concentrações de AMM entre 30 e 100 g L-1 e lactose entre 50 e 90 g L-1 conduzem a valores de atividade enzimática superiores a 1400 U g-1. Journal of Industrial Microbiology and Biotechnology. JONAS. I-312 grown on soybean meal: optimization and some properties. 3-4. Technology.5 29675 F calculado 11. 1. 1979. LUKONDEH. 1201-1205. n. R. T.. Sonawat et al. F.

VASILJEVIC. v. C. S. Production of -galactosidase from Kluyveromyces fragilis grown on whey. Archivos Latinoamericanos de Nutrición. 1. S. L. MARTINS. BURKERT. n. 2004. p. p. v. 2011 ... 4. v. R. NOR. D. N. article 4. M. P. 8. O. n. RIBEIRO. 567-572. Production of -galactosidase for lactose hydrolysis in milk and dairy products using thermophilic lactic acid bactéria. 845-849. V. 1499-1504. n. M. D. p.. p. n. C. MEHRVAR.. n.. 1977. p. p. SCHARER. p. J.. v. M. G. SILVA. I. v. 705-711. DUTTA. Galacto-oligosaccharide production using microbial β-galactosidase: current state 161 and perspectives. E. M. n.. Synthesis of β-galactooligosaccharides from lactose using microbial β-galactosidase. 2008.Utilização de resíduos agroindustriais MANERA. International Journal of Food Engineering. G. 33. 1. E. 5. p. SHAHID. L.. TAMER. 43. 23. 2. v. S. 66-72. S. Galactooligossacarídeos (GOS) e seus efeitos prebióticos e bifidogênicos. S.. ed. Planejamento de experimentos e otimização de processos. D. Applied and Environmental Microbiology. v. R. Kinetics and regulation studies of the production of -galactosidase from Kluyveromyces marxianus grown on different substrates. A. Folia Microbiologica. S. T. n. 3. A. 5. F. n.. OH. 194-201. 2. v... M.. 2003. RIBEIRO. A. 2. M.. MANERA. E.. J. J. 2008. Production of -galactosidase from Streptococcus thermophilus grown in whey. M. n. A. Process Biochemistry. 370-376. 26. 39. v. 12.. v. 3. C. S. Ciência e Tecnologia de Alimentos. IEMMA A. 1279-1286. S. S. 2. n. n. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial. Received on April 8. p. M. H. AGRAWAL. A. Research Journal of Microbiology.. 41. v. 6. distribution. R. which permits unrestricted use. ORES. Food Technology and Biotechnology. CARDOSO. JELEN. S. CORTES. 2010. BURKERT. 1. M. 85. n. Applied Microbiology and Biotechnology. SUNGUR. 2010.. 2. Innovative Food Science and Emerging Technology. V. A. J. DHILLON. OBEROI. S. J. E. M. MATHEUS. A. RAJOKA. Food Technology and Biotechnology.. p. J. R. Enhanced -galactosidase production by supplementing whey with cauliflower waste.. NUMANOGLU. 155-161.. S.. Campinas: Casa do Pão Editora.. PANESAR.. BANSAL. 6. 1981. RAO.. p. P.. and reproduction in any medium. I. M. p. RIVAS. W. K. A. 11. 2001. KHAN. PARK. v. DUTTA. 2001. 2009. Accepted on September 1. A. 4. 471–482. 53. RODRIGUES. A. 6. v.. n. OTIENO.. P. n. Biotechnology Letters. MOO-YOUNG. R. I. 2008. V. MARTINS. 3. L. License information: This is an open-access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License. ALMEIDA. P. H. 2010. M. S. V. p. p. A. MAUGERI FILHO. Production of -D-galactosidase from whey using Kluyveromyces marxianus. 2010. 2009. 34. β-galactosidase from Kluyveromyces lactis cell disruption and enzyme immobilization using a cellulose-gelatin carrier system. Z.. Technology Maringá. A. v. n.. A. 2. V. v. Brazilian Journal of Food Technology. Estudo da produção de -galactosidase por fermentação de soro de queijo com Kluyveromyces marxianus. 230-240. 24-29. Optimization of the culture medium for the production of -galactosidase from Kluyveromyces marxianus CCT 7082. n. International Journal of Food Science and Technology. Comprehensive Reviews in Food Science and Food Safety. Produção e caracterização de protease obtida por Gliocladium verticilloides através da fermentação em estado sólido de subprodutos agroindustriais.. Galactooligosaccharides production using permeabilized cells of Kluyveromyces marxianus. Y. SONAWAT.. SANTIAGO. n. F. COSTA. KALIL. p. 9. 2010. P. 28-41. 315-320. p. KALIL. 185-188. 46. Improvement of intracellular -galactosidase production on fed-batch culture of Kluyveromyces fragilis. v. 2009. MARQUEZ. M. 75-85. 24. 2003. RODRIGUES. I. 2004. Produción y caracterización parcial de -galactosidase de Kluyveromyces lactis propagada en suero de leche desproteinizado. v. JERVIS. B. provided the original work is properly cited Acta Scientiarum. 5. F.