You are on page 1of 1

Influência do volume vesical na diminuição da dose recebida na bexiga e no PTV em doen tes com tumor de recto tratados com

belly-board Carina Marques Coelho, Ana Cravo Sá, Clara Gomes, Daniela Ribeiro, Fátima Monsanto e Joana Barbosa Instituição: Centro Hospitalar Barreiro Montijo e Escola Superior de Tecnologia da S aúde de Lisboa Resumo: Introdução: O cancro retal continua a ser um dos principais problemas de saúde a nível mundial, sendo a toxicidade gastro-intestinal e génito-urinária os efeitos ta rdios da radioterapia mais reportados. A utilização da Belly-Board para minimizar es sa toxicidade, reduzindo o volume de bexiga e intestino delgado irradiados é recom endada. No entanto, o protocolo mais adequado para o volume vesical nestes doent es é ainda tema de controvérsia. Objetivo: Avaliar a influência do volume vesical na dose recebida na bexiga e no P TV, em doentes com tumor de reto, posicionados em decúbito ventral, com belly-boar d. Materiais e Métodos: 38 doentes com tumor de reto tratados no CHBM, agrupados em d ois grupos: o 1º grupo, com 19 doentes que realizaram tratamento com bexiga cheia e o 2º grupo, com 19 doentes que realizaram tratamento com bexiga vazia. Os dados foram obtidos através dos HDV s e foram comparadas as doses máximas no PTV e a percent agem de volume de bexiga que recebe 50Gy. Foi utilizado o teste estatístico U-Mann Whitney com um nível de significância de 0,05. A hipótese de pesquisa deste estudo pr opõe que os dois grupos diferem significativamente entre si e a hipótese nula propõe q ue os dois grupos não diferem significativamente entre si, para ambas as variáveis. Resultados: Não se observaram diferenças estatisticamente significativas entre os gr upos no que diz respeito à dose máxima no PTV. No que se refere à percentagem de volum e de bexiga que recebe 50Gy verificaram-se diferenças estatisticamente significati vas, tendo o grupo de doentes que realizaram tratamento com bexiga cheia apresen tado valores mais baixos. Conclusões: Este estudo demonstrou o benefício da utilização do protocolo de bexiga chei a em doentes com tumor de reto tratados com belly-board, na diminuição da percentage m de volume de bexiga que recebe 50Gy. Palavras-Chave: Tumor do reto, radioterapia, belly-board, bexiga cheia, bexiga v azia