You are on page 1of 14

APRENDENDO COM AS CRIANÇAS Paul Welter O processo de renovação Era um dia quente de verão e eu estava sentado na escada da sacada

da frente, cansado depois de uma longa viagem. David, meu neto, com dois anos na época, brincava no jardim da frente. Minha esposa, Lillian, instalou a mangueira e o irrigador automático para regar a grama. David passou correndo por uma parte da área que estava sendo regada e chamou todo entusiasmado: "Vovô, tire os sapatos!" Eu disse, "Não, obrigado, David. Vou só ficar sentado aqui olhando." Pouco mais tarde, Lillian começou a correr com ele pela água. David me chamou outra vez. Finalmente tirei os sapatos e as meias, arregacei a barra da calça e lentamente comecei minha penosa caminhada. David segurou minhas mãos e passamos, os três, correndo pela água. Senti a alegria chegando. Começamos a saltar e gritar enquanto corríamos. Comecei a sentir-me mais jovem. Duas crianças vizinhas nos observavam, esperando ser convidadas. Fiz sinal para que viessem e passamos a ser cinco pulando e brincando - uma fila de "dançarinos"! Uma criança me ensinara a pular outra vez e senti a pura alegria que acompanhava os saltos. Comecei a sentir-me triste pelas crianças deficientes do mundo que não podem pular, e aí fiquei triste por todos os adultos do mundo (inclusive eu) que poderiam pular, mas não o fazem! Crianças: nossos professores espirituais As crianças têm muito a nos ensinar com suas perguntas, suas respostas e suas vidas. Como podemos usá-las como recurso humano em nosso crescimento espiritual? Esta é a pergunta que procuraremos responder. O primeiro passo no sentido de ver as crianças como mestres é nos abaixarmos ao nível de seus olhos, ou até mesmo mais baixo ainda, de forma a olharmos para elas de baixo para cima, vendo-as como exemplos a serem seguidos. O próximo passo é fazer algo com elas. No final de um longo dia de leitura em voz alta, Lillian disse com voz rouca: "Minha voz está tão cansada que acho que não consigo ler mais." David, já com quase três anos, e ainda acordado às onze da noite, partilhava do mesmo sentimento. Ele disse: "Minha voz está tão cansada que só consigo dizer `Eu te amo!'". Jesus não apenas falou a respeito de uma criança para seus discípulos, Ele trouxe uma para o Seu círculo. Isso indica que se é para aprendermos com as crianças, a presença delas é importante. Histórias: uma forma de aprender sem tentar Contaremos muitas histórias de como os adultos aprenderam com as crianças. Contar história é um método válido de ensinar e aprender. Com uma história podemos aprender sem notar. Como os adultos aprendem com as crianças. Ao ler as histórias que se seguem, você observará algumas dicas que mostram como os adultos aprenderam. 1. A criança cria um clímax emocional que expande a visão do adulto, possibilitando-lhe ver o mundo de uma forma mais profunda, ampla e rica. 2. O adulto fica espantado ou surpreso com a criança, e com isso passa a considerar uma nova verdade. 3. Uma criança serve como exemplo para os adultos seguirem em algumas áreas específicas, tais como a honestidade, a espontaneidade, ou exprimir amor. 4. A criança persuade um adulto a brincar e este encontra alegria e começa a aprender uma nova maneira de viver. 5. Um adulto sente-se amado por uma criança e descobre que alguém se importa com ele e que ele tem valor. As histórias destacam as características positivas das crianças. Estou bem consciente do fato de que elas têm características negativas, mas há livros que baste referindo-se às crianças como problemas, e não preciso acrescentar mais um à esta lista sempre crescente. Jesus também estava obviamente falando das características positivas das criancinhas quando disse que deveríamos nos tornar como elas. Nasceram livres. Criancinhas possuem as características que Jesus disse serem necessárias para se entrar no Reino dos Céus. Elas nascem livres das restrições culturais e preconceitos que nos são transmitidos bem cedo na vida. Por exemplo, no mundo somos ensinados a nos compararmos com os outros, a não sermos muito honestos e a sermos negativos. Na verdade logo ficamos "adulto-erados." Quando as crianças começam

As crianças não se sentem inibidas de ir até às pessoas e falar com elas. Quando ficam um pouco mais velhas.de humildade e de outras qualidades que se pode ver na vida de uma criança.como observadora em uma sala de aula . Se os adultos pudessem ser tão abertos e amigáveis como as crianças! *** Uma professora estagiária fala: "Na minha primeira experiência de campo . As sugestões acima são apenas diretrizes incompletas. dias. tão repentinamente quanto havia desaparecido. Foi essa perda que levou o psicólogo Max Wertheimer a definir um adulto como uma "criança degenerada". Recentemente me pediu para ir com ela vender biscoitinhos das Bandeirantes aos vizinhos no nosso quarteirão.espontâneas. E então. Elas apenas gostam de você do jeito que você é. porque. Estar com criancinhas e aprender com elas. Surpreendi-me ao ver que ela conhecia todas as famílias que moravam na nossa quadra. criado numa fazenda em Kansas. corajosas e criativas! O potencial para tornarmos este tipo de história em realidade está ao dispor de cada um nós. Ele colocava o metro na horizontal em cima da minha cabeça e fazia uma marca em um velho armário. amorosas. ou com um amigo. Mas o fato de me esticar fazia com que fosse mais difícil ser apenas eu mesmo. de forma que passamos a vida sem nem conhecer as pessoas que moram na esquina. Cada história que você ler será como uma volta do caleidoscópio que lhe dará uma visão renovada de alguns padrões . da próxima vez que fosse ser medido. anos ou por uma vida inteira. As crianças são extremamente vulneráveis. As crianças à nossa volta que nos ensinam a ter fé Livres de comparações. Nosso sonho de ter um lugar para nos afastarmos de tudo havia se transformado num pesadelo. adultos.vi um garoto que sabia exatamente o que dizer e como agir para fazer uma pessoa se sentir bem. com um irmão ou uma irmã mais velha. Resistir à tentação de nos compararmos com os outros. recentemente. é porque as suas crianças brincam juntas. Conheço três pessoas na casa dos noventa que são infantis . Mas. e o mesmo acontecia com nosso menino." As crianças não julgam você. Jesus deu um exemplo disso confirmando a presença delas. começam a se comparar. sendo que eu nem conhecia os vizinhos do lado. gostava quando meu pai me media periodicamente. o encontramos. Eu nunca relaxava quando era medido. 2. ainda que ser vulnerável seja novidade para nós e nos assuste. era divertido ser medido de vez em quando. para apresentar crescimento desde a última vez. me abraçou e disse: `Eu te amo'. pensei na tensão que seria ficar naquela posição por horas. O fato das crianças serem livres e espontâneas não significa que essas qualidades sejam duradouras. e outras jamais perdem essas características. risonhas. sempre temos receio do que os outros vão pensar. Saber que seu filho de quatro anos está perdido nas montanhas é terrivelmente assustador. Outras conservam algumas de suas principais qualidades infantis até o fim da infância e adolescência. São os adultos que lhes ensinam a criticar as pessoas. tal como eu. Lembro-me de que sempre esticava a coluna para ficar o mais alto possível! Eu queria alcançar meu irmão mais velho.de infinita variedade . Quando criança. amigáveis.mais. ao passo que nós. se possível. E foi aí que vi que é exatamente isso o que estava fazendo nos meus cinqüenta e quatro anos de vida! As crianças pequenas vivem a liberdade de não ficarem se comparando. Era a segunda vez que íamos à nossa casa na montanha desde que havia sido terminada. 3. de maneira que não conhecíamos bem os arredores. Depois que as . teria que voltar a me esticar . depois usava o metro para medir a distância do chão até a marca. Confiar no poder do Espírito Santo. Abrirmo-nos às pessoas ao nosso redor. otimistas. O que envolve o processo de se tornar como uma criancinha? 1. Na verdade.a perder sua infantilidade? Acho que algumas começam no segundo ano de vida. Algo dentro de nós quer recuperar essa liberdade. Recuperando a confiança Uma criança ajudou seu pai a definir o que é confiança: Estávamos procurando há quase uma hora e estávamos apavorados. Eu estava lá há apenas uma hora quando ele veio. Uma universitária disse o seguinte sobre sua irmãzinha: "Minha irmã tem sete anos de idade. Se conhecem. 4.

ele está com Deus. por experiência. quando seus amigos chegaram ele ainda tinha que fazer o seu trabalho. Duas semanas atrás. um garoto me perguntou: "O que quer dizer isso?" Antes que eu pudesse responder um outro falou. Ela colocou um chiclete no bolso de seu pai e disse: "Até mais". às vezes. no dia seguinte. No sábado passado ele fez um ótimo trabalho limpando a sala de estar. (Na época ela tinha 55 anos!) Uma professora da quarta série escreve: Semana passada. Dizer o que não se diz . O seguinte episódio mostra como aprendi isto da maneira difícil: Tinha apenas dois alunos na primeira série. estávamos no enterro e sua mãe a ergueu para ver o corpo.. Isso realmente abriu meus olhos para o sarcasmo." Cinco minutos depois o menino lhe deu um lenço de papel em branco. Acabei ficando zangada com ele. terceira e quarta séries. Uma garotinha tinha escrito a sua resposta no quadro. Estava zangada com ele e falei que teria que ficar fora de casa até que eu terminasse de pintar o quarto do bebê e limpar a casa. "e o que o jornal diz?" O menino replicou: "Às vezes. meu irmão morreu ontem à noite. Eu imediatamente apaguei. eles mesmos. não. com as crianças. principalmente a respeitar o trabalho dos alunos mesmo que não estivesse correto. A regra número 6 é "Controle as suas mãos e pés. eu gosto de você e." Dois adultos ganharam. Ele queria saber se eu estava dizendo aquilo por estar zangada ou se era realmente o que eu pensava. *** Muito aprendi durante meu primeiro ano como professora. "Aprendi." Após ler esta regra. Quando ela veio para a escola. no sábado. agora só quero ler o jornal e mais nada.voltar a ser franco Aprendi com as crianças que é importante falar as coisas como são! Aprendi simplesmente ouvindoas. eu lhe disse. "É uma maneira educada de dizer: `Não briguem. sem dúvida alguma. elogiei-o. estava explicando o plano de disciplina que uso e explicando as regras da sala de aula com meus alunos. Seu filho de cinco anos lhe pediu para brincar e ele respondeu: "Não. e foi pintar. trocando de roupa. A tarefa que eles fazem é uma extensão deles próprios e deve ser respeitado. e muito feliz". mas minha sobrinha de quatro anos a aumentou. Um garotinho ofereceu-se para fazer um servicinho para sua avó e lhe disse: "Quero fazer isso porque a senhora não tem muitos anos pela frente!" Ele. Como um exemplo de uma criança falando as coisas como são. quis pegá-la e chorar com ela. mas estava errada. Mas ela simplesmente disse: "Professora. ainda que o professor não o considere de alta qualidade. SOC! A garotinha fechou a mão e me acertou um soco no estômago. Eu destruíra algo do qual se orgulhava! Ela foi humilhada! Depois disso aprendi a deixar os alunos apagarem seu próprio trabalho e escrever. chegou-se ao alto da escada e me perguntou se eu estava falando aquilo de "raiva". Então. Quando estava no andar de cima. lembro-me de um incidente. Fez sua tarefa pela metade na sala de estar e ficava cada vez mais zangado quando eu lhe dizia o que mais precisava ser feito." *** . De repente. e quando me virei ouvi o primeiro garoto perguntar ao colega: "Por que ela simplesmente não diz isso?" O segundo respondeu com a voz da experiência. mas sua visão infantil da morte e fé me fez pensar e reavaliar meus sentimentos com relação à morte e à fé. Os da primeira série aprenderam a escrever respostas no quadro negro. e o filho respondeu: "Vamos fazer de conta que é um jornal. Passara boa parte do tempo assistindo desenhos e. falou o que achava. no primeiro dia de aula. que os adultos raramente falam o que querem dizer!" Quis correr. pois ensinava em uma escola rural." "Muito bem. Depois eu brinco. Sarcasticamente lhe disse que havia feito um belo serviço me ajudando com a limpeza. riscar a regra número 6 e escrever "NÃO BRIGUEM. Perguntei-lhe o que ele queria dizer. ele tinha que cumprir com suas obrigações na casa antes de sair. as respostas certas! *** O pai chegou cansado do trabalho e não queria fazer nada a não ser descansar em sua poltrona e ler o jornal." *** Aprendi com meu filho que não deveria usar de sarcasmo com as crianças.emoções ficaram mais sob controle. fé na Ressurreição: Eu achava que tinha fé.'" Concordei. mas ele foi para o Céu. Seu pai morreu subitamente. Os outros estavam na segunda. Neste outono o irmão de uma de minhas alunas morreu atropelado por um trem. Talvez ela não compreendesse que seu irmão se fora para sempre. Você não ficou com medo?" Ao que ele respondeu: "Não tive muito medo porque sabia que vocês estavam me procurando. O pai quis saber para o que era." disse o pai.. "Quase morri do coração.

Sempre me ensinaram que as crianças mais jovens têm pouca capacidade de concentração. vestir-se. Fomos especialmente cuidadosos na compra de sua camisola e seu . luvas. Uma das melhores horas é quando ele acorda de manhã e sobe no meu colo. pus mãos à obra enquanto minha filhinha de quatro anos continuava atrás de mim: "Mamãe. de forma que procuram esticar esse tempo o máximo possível. Ele respondeu: "Não. Finalmente. e seu tio estavam trabalhando no telhado." Scott foi capaz de desafiar seus temores quando na presença de alguém em quem confiava. quando estava aplicando um teste individual de inteligência a um menino da primeira série.". apressado. As crianças à nossa volta que nos ensinam a ter esperança Recuperando o Otimismo Nossa caçula tem três anos e meio. enquanto aspirava o pó. Curtimos simplesmente a companhia um do outro. mas acho que o que os mantém interessados na mesma coisa por tanto tempo é porque vêem aquilo como "tempo com a mamãe". Minha filha Sue explica: Aprendi que os livros e professores de psicologia infantil e pedagogia estavam todos errados no que se refere à capacidade de uma criança fixar atenção em algo. Não sei. E fez o seguinte comentário sobre ela: "Ela se lembra de que lhe disseram para crescer. como fazê-las? O segredo é juntá-las quando possível. Passamos muito tempo quase que sem falar. chapéu e boneca . mas entusiasmada com o fato de estar comigo sem a sua irmã e irmão. Então. mamãe!" Meu dia começou "lindo" e sei que fui uma pessoa mais agradável de se ter por perto porque era um "lindo" dia! Uma pessoa me contou sobre sua amiga que possuía qualidades infantis como a de estar sempre brincando. Não devo deixar para amanhã as alegrias que posso ter agora mesmo. alegre. Mais tarde. perguntei-lhe: "O que significa "bravura"? Sua resposta foi: "É quando você está morrendo de medo mas vai em frente de qualquer jeito. simplesmente nos amando. "Que dia lindo. O tio teve que descer para pegar mais ferramentas e esqueceu seu sobrinho por uns quinze minutos. Ao sairmos de casa. tal como terminar um livro ou um jogo." Acredito que uma razão pela qual Jesus disse que devemos nos tornar como criancinhas é que. encontrou Scott chorando. ela exasperada. olhou para o céu e disse. olhoume nos olhos e disse com firmeza: "Mamãe.tudo ali me encarando. As crianças à nossa volta que nos ensinam a amar Relacionamentos são mais importantes que trabalhos As crianças sabem disso. etc." "Depois. a mãe de Scott disse que ele nunca havia subido numa escada daquelas nem num telhado antes e que ele tinha medo de altura. *** A primeira vez que minha filha mais velha teve que ser internada num hospital foi um momento muito importante para mim. Ficamos sentados nos balançando e fazendo carinho. encontrar seu casaco. Quando chegou. vamos fazer uns biscoitinhos. descubro que o interesse deles no que estamos fazendo é muito mais duradouro do que o meu. mais tarde é agora mesmo!" Isso me acertou em cheio. Mas persiste o fato de que as coisas têm que ser feitas. quando o livro acabar não vou ficar mais com eles." Scott. otimista e ter um espírito feliz. lavar roupa. Provavelmente sabem que. . vi que tinha inumeráveis e tediosas tarefas por fazer. mas não deu a menor bola!" Encontrar coragem desafiando nossos temores Certa vez. mas me senti sozinho. No meu frenesi costumeiro." Minhas respostas eram: "Mais tarde. Ler o mesmo livro várias vezes seguidas me cansa. depois de uma dessas manhãs movimentadas. querida. ser criativa.em meio a outras quatro pessoas fazendo suas próprias coisas. de cinco anos de idade. ela parou no degrau. Mas quando leio ou brinco com meus meninos. ao invés de apenas uma tarefa. de forma que a tarefa sirva para aprofundar o relacionamento. Ela estava apreensiva com o hospital e a cirurgia. tomar café. O tio perguntou-lhe se estava com medo. em minha casa. Lavar a louça. tirar o pó. elas têm suas prioridades na ordem certa: Relacionamentos primeiro e trabalhos depois. Um pai escreve: "Fiquei desempregado este ano e me vi em casa o dia inteiro com meu filho de cinco anos.Certa tarde. Três vezes por semana ela tem que se levantar às sete. meu bem. nesse aspecto. Quando essa pessoa se foi ele não pode mais desafiar aqueles temores.

Quantas vezes penso em demonstrar meu amor a outros? Agradeci ao Senhor pela lição e até hoje ainda Lhe agradeço! As criancinhas muitas vezes tomam a iniciativa de expressar amor: Quando cheguei à escola. Quero lhe dizer uma coisa. Tivemos uma noite divertida só nós duas. Finalmente. os seres indefesos do mundo. Falamos sobre o assunto por um tempo. olhava para mim. No começou eu não sabia se deveria encorajar. uma menininha chegou-se a mim e disse: "Você está bonita. Expressando amor Meu sobrinho eu estávamos ocupados andando pela casa procurando as canetas hidrocor. . Este ano tenho duas menininhas na minha turma de jardim de infância que são extremamente afetuosas. quer eu aprendesse ou não como usar o computador." De certa forma redescobri esta importante verdade. Brincamos. Às vezes me pergunto se talvez não inveje aquela garotinha por tê-lo tratado de maneira tão aberta e amorosa e por ele ter reagido de uma forma tão linda. Naquela noite eu e minha filha nos tornamos amigas e também mãe e filha. Mais tarde pensei no que ele me havia dito. Ele me parou. (Afinal de contas. Elas compreendem o que significa ser indefeso e estar à mercê dos outros. Demonstrar interesse Uma criança percebeu o medo de sua mãe por computadores e reagiu demonstrando que se importava por ela: Meu filho ganhou um computador e lhe pedi que me ensinasse como usá-lo. mais autosuficientes. Preocupação Pelos Outros. Ele fez com que eu me sentisse bem em relação a "mim"." Sentei-me e ele permaneceu em pé diante de mim. tive a oportunidade de vê-lo brincar com uma menininha de dois anos. parou para me dizer que me amava e que queria demonstrar esse amor. estarei aqui para eles. atarefado. Ele falou com a voz mais suave e gentil que pode. Escrevo no quadro. desencorajar ou ignorar aquilo. Fomos comer em seu lugar favorito e me permitiram passar a noite com ela antes da cirurgia. O instrutor-mirim de computador não havia ainda perdido esta verdade. O que mais chamou a minha atenção foi o fato de ela ser tão sincera. me tomou pela mão e disse: "Espere um minuto. com uma criança. chateada da vida depois de uma discussão em casa. Fitou-me com seus olhos azuis e falou: "Eu te amo tanto! Quero mostrar o quanto te amo!" Pude sentir seu coraçãozinho apertado . no meu primeiro dia de aula com cada turma na faculdade. nos abraçamos e choramos juntos. Minha cachorrinha tinha acabado de ser medicada nos olhos e estava doente. alguns dos outros seguem o exemplo. bebês e. Notei que uma das qualidades de uma professora primária bem sucedida é a capacidade de receber amor." Aquilo me ensinou como precisamos dar e receber amor e apreço. crianças menores. Então. Se quiserem me abraçar e beijar. decidi apenas deixar a coisa ser espontânea. Jamais o havia considerado uma pessoa muito emotiva e amorosa. Um garoto de oito anos. Aqui está a história de uma vizinha que importou-se o suficiente ao ponto de se envolver: Aprendi. A garotinha do outro lado da rua veio e perguntou como ela se chamava. Minha resposta foi que ela estava doente e acabara de ser medicada. conversamos e lemos livros juntas. Mostrou qualidades "humanas" que eu nunca vira nele. Ele foi tão amoroso e aberto. pela primeira vez. sinceridade. me tocava após cada fase da explicação. Uma mulher relembra como uma criancinha abriu e transformou o coração de seu pai diante de seus olhos: Através de uma criança aprendi que a maneira como eu via meu pai não era a mesma que todos o viam. e ganhei o desejo de aprender as coisas. Todas as crianças parecem partilhar da preocupação dessa menina pelos animais. principalmente animais pequenos. *** Aprendi afeto espontâneo com as crianças. Desde então sinto-me diferente em relação a ele. Eu tinha acabado de voltar do veterinário que me dissera que a cachorrinha tinha trinta por cento de chances de viver. em geral. À medida que nos tornamos mais velhos. Sempre me abraçam e beijam ao sair. eu te amo.robe.pronto para explodir com o amor que queria dar. Eu a tinha levado para a grama. essa empatia e consideração podem diminuir. e os outros também. por que seus olhos estavam verdes e porquê ela não se levantava. sou humana). espontaneidade. Recentemente. assim como de ser amorosa. a seguinte frase: "AS PESSOAS NESTA SALA SÃO MAIS IMPORTANTES DO QUE O CURSO.

Dei uma passadinha no seu quarto depois que ele já havia se deitado. pelo fato de serem tão dependentes podem.Quando somos bem compreendidos por outra pessoa. e eu não pudesse caminhar. Era me reconhecer como um ser humano. e só sorríamos uma para a outra e nos divertimos muito. entretanto. Minha companheira de quarto tirou uma foto nossa e eu guardei aquela foto no meu quadro de avisos para me alegrar. elas cuidavam uma da outra. O relacionamento delas ia de mal a pior. Desde então entendi como as pessoas que me perguntam a meu respeito são importantes para mim. Tive uma experiência semelhante quando meu próprio filho. Brincavam juntas o dia inteiro com alegria e felicidade. Tenho uma amiga. com o tornozelo elevado. Então coloquei nossos cobertores na grama e fui acordar a família inteira. Maravilhando-se juntos Maravilhar-se juntos é algo que edifica um relacionamento. Aquelas duas menininhas eram as melhores amigas. e depois seguir os seus exemplos nessas coisas ." Consideração. Ela olhou para mim. então ela finalmente concordou em deixar Kelly comigo. tragédias ou aventuras.. Bill. desejei que nós. no verão. Desde então tenho tentado perguntar às pessoas sobre elas mesmas. ainda que estivesse confinada a uma cama. adultos. Depois de explicar o que acontecera. Momentos assim vendo como a pessoa é são raros e muito esclarecedores. e um ano machuquei o tornozelo. Parecem determinadas a não perderem a oportunidade de se divertirem e de desfrutar a amizade que podem ter só por causa de dois adultos e suas brigas mesquinhas. sentindo-me mal por estar fora dos jogos e de todas as outras coisas que estavam acontecendo no campus. ou quando entendemos alguém a fundo. Aquele Natal era apenas mais uma vez quando todos teríamos que aturar aquele relacionamento tenso. Kelly me ensinou que. ser plenos participantes em uma amizade. simplesmente por ela ser uma pessoa. Ela não queria deixá-la comigo por eu estar machucada. Era Natal. Eles disseram: `Mas. Algo que aprendi de criança é a demonstrar interesse pelos outros e querer saber o que se passa na vida deles. Deve haver muitas maneiras de aprender a demonstrar interesse com as crianças. O primeiro passo é nos abrirmos para experimentarmos o interesse que elas têm por nós. Uma de minhas irmãs e sua cunhada não se dão bem de jeito nenhum. Fiquei de cama. porque. Pergunto-me quem está agindo com mais "maturidade". A sua consideração me fez sentir que alguém se importava comigo. poderia fazer coisas importantes. Minha treinadora veio me ver e mencionou que tinha que ir para algum lugar por um tempo e precisava de uma babá. É ótimo quando outros perguntam a seu respeito . No domingo passado vim para casa com o olho esquerdo roxo e terrivelmente inchado. de seis anos. mesmo que meu tornozelo estivesse inchado. uma verdadeira criança. Renovando a amizade A amizade é recíproca. houve uma chuva de meteoros espetacular. o dobro do seu tamanho normal. Uma vez antes de um feriado eu estava perguntando às crianças da minha sala o que iam fazer. Calculava-se que seria às duas da manhã.dando. segurou minha mão e sabia exatamente o que eu queria dizer. minha filha de sete anos disse: "Isso vai lhe ensinar a não jogar basquete!" Depois de pensar um pouco repliquei: "Duvido". não fazia diferença. vivenciamos uma experiência profunda. Ao observá-las aquele dia." Amizades podem surgir no meio de uma tempestade. É o mesmo com partilhar de alegrias. mas lhe disse que eu realmente queria ficar com ela. Não podia fazer nada e me sentia inútil.. que me contou sobre quando levantou a família no meio da noite para ver uma chuva de meteoros: "Dois anos atrás. na faculdade e quando adulta. O homem que relata a história seguinte teve uma experiência impressionante: Aos trinta e cinco ainda não me considerei velho demais para participar do time de basquete da cidade. era criança. . disse: "O que o senhor vai fazer?" Compreendo quanta consideração aquela criança tem pelos outros. de quatro meses de idade. Fiquei deitada e Kelly deitou-se de bruços em cima da minha barriga ou do meu peito. Ele respondeu e perguntou como tinha sido o meu dia. Ela descreve um tempo especial com um de seus amigos: Quando estava na faculdade jogava vôlei. Minha filha Sue teve amigos que eram crianças até quando ela já estava no segundo grau. Não é amizade quando apenas uma pessoa dá e a outra só recebe. Kelly também não podia caminhar. pudéssemos ter aquela atitude amorosa e de aceitação para com a outra pessoa. Uma das minhas alunas. Elas não refletem as atitudes de suas mães. Bebês e crianças pequenas. Foi um tempo muito agradável. Fiz-lhe um carinho nas costas e perguntei como tinha sido seu dia. As duas tinham filhas de três anos. que talvez não pareçam ser os que se dão. Disse-lhe que olharia Kelly.é bom saber que alguém se importa e se interessa por você.

recebia das garotas abraços apertados. quando bebês.que triste. mesmo que gritem com elas e lhes expliquem os motivos. no acampamento. O que acontece quando temos uma dieta regular de contato físico e isso cessa? Experimentamos privação e fome sensorial. mesmo que não aceitasse o seu comportamento. Mary Sue pegou a vovó em flagrante. entrei em estado de choque . Certa manhã estava me preparando para sair de casa para dar aula às oito horas. O tapinha era importante. deve-se sempre pedir desculpas depois. Ela tem dois anos e fala tudo e com clareza. fizeram a transição para um mundo onde não há contato. Foi um momento especial para nós. com meninas de 9 a onze anos." Aquele abraço me ajudou a começar o meu dia de trabalho com uma serenidade que há muito eu não tinha. Com dois anos de idade ela sabe diferenciar entre a pessoa e o problema e transmitir essa compreensão! Causando riso . depois. as pessoas gritam com elas não com o intuito de punir ou condenar. Acho que será algo do qual sempre nos lembraremos . na boca. aprendi sobre um nutriente diário que nosso corpo precisa e que freqüentemente negligenciamos. no fim do verão. portanto. desculpe ter que gritar com você desse jeito!" Aí. A maioria das crianças passam por essa privação. alimentação. são menos tocadas. Ela disse: "Vovó. Ela ouve constantemente que não deve colocar coisas. mas em questão de segundos.mãe. temos mesmo que nos levantar?' e respondi: `Sim. continuam recebendo bastante contato físico. muitas vezes. chamando-a. empurrando-se uns aos outros) para suprir a sua necessidade de contato físico. uma criança precisa de amor.nossa família. e disse: "Vovó. Por alguma razão estava furioso com o mundo inteiro. tire esse palito da boca .sentindo falta de meus abraços diários. As crianças também podem satisfazer essas carências necessárias à sobrevivência dos adultos. aconchego). portanto. Tenho uma sobrinha chamada Mary Sue. Mary Sue deu um tapinha na perna de minha mãe. E. Quando chegam no ginásio. em vez de "aprontar". e quero que vocês vejam uma!' Saímos. pois não aconteceu imediatamente. Quando criancinhas ainda são bem atraentes para os adultos e.. Quando ficam maiores. Dissemos a ele que nos procure para ganhar um abraço sempre que achar que precisa de um. muitos adolescentes dependem de um comportamento agressivo (dando um tapa nas costas de um amigo.que FEIO!" Minha mãe ficou segurando o riso. ela me disse: "Eu te amo. Um homem escreveu: Um momento importante que tive com uma criança foi quando minha neta de três anos de idade tomou minha mão e disse: "Vamos sair e olhar o mundo" (nosso quintal). Um dia minha mãe estava assando um bolo e colocou um palito na boca quando. Conheço um menino com problemas de comportamento. Eu nunca vi uma chuva de meteoros. Dei um beijo automático de despedida na minha mulher. inclusive (e principalmente) comigo mesmo. mas ela alcançou-me na porta e disse: "Acho que você precisa de um abraço. Mary Sue usou isso para mostrar que aceitava a avó. Mas com esse pequeno incidente aprendi que algumas crianças percebem que. Depois de deixar as montanhas. Cada dia. Depois de termos olhado o mundo. vocês têm que ver isto. Está funcionando.algo que o ajuda a levar a vida Minha própria experiência me ensinou que o contato físico me ajuda a agüentar as coisas da vida. Depois. Elas têm contato físico constante quando estão no ventre. como palitos. e olhando.. Um adulto falou deste tipo de problema de conseguir entrar de novo no mundo: Enquanto trabalhei em um acampamento de verão no Colorado. tanto a mãe quanto a avó tiveram que rir. de repente. *** Para vencer. talvez não sejam mais tão atraentes para os adultos e. Todos sabem que adultos não devem se abraçar . Mas as estrelas estavam lindas e finalmente a chuva de meteoros começou e foi simplesmente fantástica. vovô!" As crianças à nossa volta que nos ensinam o processo de cura Contato físico ." Para se maravilhar junto com uma criança não precisa ser algo que sempre ocupe muito tempo. são tocadas regularmente (troca de fraldas. Os adultos podem sentir esse tipo de perda se já estiveram em reuniões ou conferências onde havia muito contato físico e abraços e. Até mesmo um tapinha pode ajudar a se recuperar a intimidade perdida em um relacionamento. sentamos nas cobertas e ficamos olhando. mas para ajudá-las a melhorar.

Para tal aprendizagem é preciso uma criança expressiva e um adulto humilde. Tratamos os ferimentos superficiais dos motoristas. Estão girando e girando. humor era um nutriente essencial. os carros bateram um contra o outro. começam a sorrir. Às vezes melhor dizendo. quando o ouvi cantando algo que havia inventado: "Meus sentimentos estão todos misturados. o prato principal. Brincar torna tudo mais divertido. a senhora deveria deixar o Jeremy em paz. Ela. O escritor Norman Cousins chama uma boa gargalhada deste tipo de "estímulo interior". Quero recuperar o deslumbre com o qual uma criança vê a vida. Esta agradável combinação faz as coisas acontecerem nesta história: Era o primeiro dia de aula de Jeremy na pré-escola. Schweitzer contou para sua equipe que. provavelmente.' eles jamais conseguiriam visualizar a casa. Eles então exclamariam: `Que casa linda!'. no jantar do dia de Ações de Graças. Recuperando a sensibilidade Passei algum tempo confuso com o fato de alguns adultos aprenderem com as crianças e outros não." Em Lambarene. brincar de faz-de-conta. gargalhadas eram. As crianças devem sempre demonstrar grande tolerância para com as pessoas crescidas. Numa refeição. "Foi uma surpresa para mim". tivera seis pintinhos. como adulto. filho. Eis um exemplo: Meu marido estava num centro para tratamento de alcoolismo. por exemplo. um adulto-criança. muitos adultos imediatamente ficam mais alegres. Muitas vezes me sinto levada e o tempo passa sem eu perceber. "como todos sabem. Nem sei se teria conseguido expressar-me com tanta clareza como ele. A criança. pôs-se de pé ao seu lado e disse: "Professora. a brincar e a rir juntos. Às vezes as crianças. As crianças e os adultos são sensíveis a coisas diferentes. Sua família mudara-se para uma nova cidade um ano depois da escola já estar em funcionamento. Outra criança. Não se pode culpá-los. o Dr. É um fato bem conhecido que. trabalho. aprendeu a ser mais sensível. em um hospital em Lambarene (África): Na hora do jantar. Será que os adultos são por natureza amantes da diversão? Algumas crianças se preocupam com isso: Minha filha de cinco anos e eu falamos muito sobre crescer e isso me fez questionar que tipo de imagem eu. a galinha que fizera seu ninho perto da doca.Em minha família. O escritor Norman Cousins nos conta de sua visita a Schweitzer. O dr. cada um sentado à mesa tem a sua vez de dizer aquilo pelo que está agradecido. porque é o seu primeiro dia de aula e ele precisa de mais tempo para ser tímido. três anos e meio de idade. A professora esperou. Elas realmente parecem dedicar-se totalmente ao que estão fazendo e ao que acontece ao seu redor. como uma adulta humilde e aberta." ." Na noite seguinte ele anunciou que Edna.. foi até Jeremy.sinto ter perdido uma boa dose disso. Sentiu-se apavorado e perdeu a fala quando a professora lhe pediu para falar durante uma atividade em que a criança teria que "mostrar e contar". ela disse estar agradecida por não ser o peru. Muitos adultos já me disseram que aprenderam a ser sensíveis ao que outros precisam porque uma criança entendeu o que eles sentiam. "eu nem sabia que ela fazia essas coisas. Se me esforçar posso lembrar como era sonhar acordada.. Estava no carro com meu filho de três anos sentado no banco de trás." Estava de tal forma enrolada em minha própria luta que não havia passado nada para ele nem perguntado-lhe como ele se sentia." E o pequeno príncipe diz mais sobre os adultos: "Eles são assim. Quem tiver interesse por máquinas pode tratar dos carros. Minha vida está atarefada cuidando de marido. Albert Schweitzer era. o inevitável aconteceu. ou os adultos. Esta tarde. calado. Este é um dos temas do livro "O Pequeno Príncipe": "Se você tivesse que dizer aos adultos: `Vi uma linda casa feita com tijolos cor-de-rosa. ver formas nas nuvens e tentar pegar um pássaro colocando sal na sua cauda. há apenas dois automóveis a cem quilômetros do hospital. Talvez o que mais admire nas crianças é a habilidade de abordar as coisas sem reservas. com vinte pares de olhos fixos nele. Eu estava um caco e não conseguia controlar todas as emoções que sentia. Ela expressou não querer crescer porque tem medo de que não vá mais se divertir. Quando minha irmã pequena tinha quatro anos. Você teria que lhes dizer: `Vi uma casa que custa 20 mil dólares. com gerânios nas janelas e pombinhas no telhado. disse em tom grave. da mesma idade." A professora conta que pensou sobre isso e concluiu que ele tinha razão. aparentemente. e passou para a criança seguinte. como professora dela. com bastante freqüência . Todas essas coisas eram diversões maravilhosas. Lá estava ele: de pé. quando uma criancinha entra num ambiente. Uma razão pela qual as crianças têm esse efeito é que elas próprias são otimistas. escola e eu mesma. levantou-se. foi sensível ao que Jeremy precisava (e também teve coragem de defendê-lo). estou transmitindo. alegres e festivas.

Eu não a deixei tê-lo por alguns minutos. à alegria." digo para mim mesma. falei-lhes da alegria e felicidade que deveríamos sentir com o fato de alguém morrer. que estava tudo bem. especial. sinto uma necessidade de reter o meu perdão para lhe ensinar uma lição.como chorar Um adulto passou. como o adulto mencionado acima. esperando ansiosamente ouvir: "Tudo bem. porque me sentia sozinha e deprimida. Ele então me disse algo que jamais esquecerei: "Mas mamãe. se é para ficarmos tão felizes pela Vovó. tocar e ser tocado. Há três anos..coma ajuda de uma criança. As crianças são boas em lembrar aos adultos do óbvio. às vezes. logo depois de ter decidido nunca exteriorizar meus sentimentos coléricos outra vez. que a consola). toda sorridente e pronta para brincar outra vez. Aprendi que as crianças são excelentes consoladoras e que aceitam a morte com grande facilidade. Você consegue se lembrar. chorou porque queria o seu cobertor (aquele. Ele então falou: "Por que você está triste? Eu amo você. Quando lhes explicamos o que era a morte e o que acontecera à Vovó. Mas. Alguém bateu à porta. As crianças são hábeis consoladoras e ser consolado é algo que nos ajuda nos momentos de tristeza. O medicino no meu colo perguntou-me: "Qual é o problema?" "Estou triste.O pequeno príncipe viu na casa uma beleza especial que os adultos não viram. Daquele dia em diante entrei no espírito do Natal." Abracei-o e me pus a chorar. Mas quem promove perdão instantâneo. imediatamente peço perdão à minha filha. se eu mesma faço isso. em questão de minutos. mas eu não estava a fim de nada. O que ocasionou a mudança? A intervenção de uma criança: Sempre penso na época que meu noivo estava trabalhando fora. foi e lhe trouxe o cobertor. triste e com lágrimas nos olhos. e confiar em Deus. "ela precisa perceber a seriedade de ficar derramando o leite. Perdoar Este pai tinha um verdadeiro mestre: Quando a irmã mais velha foi corrigida por machucar a menor. Vivemos num mundo de café instantâneo. fazer com que os outros se sintam bem. Minha mãe diz que eu pulei do seu colo. mas ficar com ela. que tinha acabado de apanhar da maior. Perguntou-me: "Por que você está chorando. Tanto o Natal quanto meu aniversário se aproximavam. quando minha avó morreu. meu filho mais velho tinha dez anos e o mais novo era bebê." Que Deus nos ajude a perdoar como temos sido perdoados! Descobrir . ao pedir a meus filhos que vivam uma vida de confiança em Deus. Estava sentada com uma criança no colo. e as crianças. lanches rápidos e regimes de intensivos. Tudo correu bem até que um dia meu filho de nove anos entrou e me encontrou chorando. mamãe. "Afinal.. de um estado de pesar ou dor. Diz que entrei chorando dizendo que minha amiguinha tinha batido em mim. Minha amiga queria brincar. mamãe?" Disse-lhe que estava pensando na Vovó e que não se preocupasse. para que chorar?" Claro que expliquei-lhe que às vezes choramos mais por nós mesmos do que pelos que morreram. reconciliação rápida e um método intensivo para eliminar rancores? O Senhor. Queremos tudo já." Entretanto. Ele estava longe há um mês. foram meus filhos que me consolaram em vez de eu a eles. Um adulto conta como aprendeu com sua própria infância acerca de perdão instantâneo: Os adultos deveriam aprender a perdoar e esquecer tão facilmente quanto as crianças. E é para o óbvio que precisamos de lembretes: a necessidade de expressarmos amor. Encontrando ajuda nos momentos de dor Aqui está um jovem conselheiro em potencial: . Mamãe me consolou e falou para eu não ir mais lá para fora. então a menor. cantar e brincar. se ela pede perdão rápido demais depois de uma ofensa repetida." respondi. Foi uma linda experiência! As crianças lembram os adultos a confiar no Senhor: Quando minha mãe morreu. Minha mãe me conta uma história de quando eu era pequeno. Trabalho com crianças de um ano e meio a três anos de idade. Eles estavam certos de que a Vovó estava com Jesus e que Deus tinha as coisas sob controle. muitas vezes penso. de uma vez quando o perdão veio rápido e nem mesmo precisou de um pedido de desculpas? Quando dou lugar à raiva. Eu não teria aceitado esta certeza nem teria me sentido tão fortalecida se um adulto estivesse tentando de me animar.

Um pai se comoveu pela habilidade de sua filha de fingir: Num domingo antes do Natal contei a uma turma com crianças entre três anos e meio e quatro anos e meio a história dos Reis Magos que levaram presentes para o Menino Jesus. saltar e dançar entusiasticamente lá nos fundos do auditório. abraçou-me e disse: "Mamãe.É o presente. Muitos de nós nos unimos a elas experimentando. A admoestação de Jesus para nos tornarmos como criancinhas estava inconfundivelmente estampada em sua alegre celebração de louvor. Eu me diverti mais descendo pelo escorregador. Certa ocasião.O trabalho de outra pessoa.A diversão de outra pessoa. e descobriu que era muito agradável. brincar e cantar novamente Dance comigo! Quando o convite parte de uma criança. e talvez para o adulto também. Eu acabara de perder a minha mãe . As crianças. quando num dia ventoso em Kansas. Ele quer lhe dizer que está cuidando bem da Nana. Foi uma experiência muito emocionante para mim principalmente porque nossas festas de fim de ano são sempre cheias de presentes materiais.na minha opinião ainda jovem. Trabalho e Brincadeira Quais são as diferenças? TRABALHO . a alegria pura de louvarmos ao Senhor sem inibições. quando ela tinha três anos de idade. Criar Havia um menina de quatro anos que vinha para a minha creche todos os dias às oito da manhã. A reação imediata delas às canções de louvor foi bater palmas. Toda nossa família saiu numa busca . Brincar pode ser tão benéfico para adultos como para crianças: Neste verão diverti-me muito tentando ajudar minha filha a superar seu medo de pular na piscina e de descer pelo escorregador nas aulas de natação. Minha filha me viu chorando. Começamos em um metro e fomos até dois metros e meio. ela decidiu experimentar também.Concentra-se no processo. Sue levantava um de cada vez e deixava o vento arrancá-los de sua mãozinha." Pela janela da cozinha vi lenços de papel voando por toda a vizinhança. Um pai veio até à porta pegar sua filha no final da sessão e ela lhe entregou o seu presente e disse: "Papai. Apesar de ter certeza de que ela estava na presença de Deus. não conseguia ver nada. É por isso que é tão poderoso. A caixa estava cheia de amor para aquela menina de quatro anos. Passamos o resto do dia rindo e descendo juntas pelo escorregador.Concentra-se no produto. e disse: "Daniel. As crianças à nossa volta que nos ensinam que crescer é um modo de vida Aprendendo a se mexer. alguns de nós permanecíamos tradicionalmente inibidos durante os cultos. alguém quer falar com você ao telefone (entregando-me seu telefone de brinquedo). BRINCADEIRA . É Jesus. onde ele estava. Freqüentei uma escola bíblica que encorajava os estudantes a serem expressivos em sua adoração. a creche estava fechada e os pais levaram os filhos para o culto. é claro. Ao entrar ela me disse: "Professora. o sol não está funcionando hoje?" Fingir. no entanto. como alguns universitários "inibidos" descobriram. veio até mim. Criando Beleza. ela tinha apenas cinqüenta e seis anos. Certa ocasião ouvi uma música que me tocou profundamente.É para o futuro. Fomos à piscina e fizemos tudo juntas." Naquele momento acredito que meu coração foi curado. trazem realidade ao seu mundo de faz-de-conta. isto é para você. você quer me falar do seu problema?" Uma menina de três anos ajudou sua mãe em um momento de dor: Aprendi com minha filha um significado mais profundo do cuidado que Deus nos dispensa. ou menos. pela primeira vez.O importante é a percurso. está cheio de amor!" Ele a beijou. Certa manhã sua mãe teve que ir trabalhar às sete e a trouxe às 6h45m.O importante é o destino BRINCADEIRA . TRABALHO . Entrou no quarto ao lado. é claro. BRINCADEIRA . Passamos então para o escorregador. Nossa caçula tinha provavelmente dois anos. descobriu um jogo emocionante chamado "O Lenço de Papel Voador." Ele abriu e. Ela exclamou: "Papai.Um menininho de dois anos e quatro meses ouviu seu irmão de um ano e dois meses chorando. Embrulhamos umas caixas com papel de presente e as enchemos com amor. BRINCADEIRA . é muito difícil resistir. TRABALHO . TRABALHO . Ao me ver rir e desfrutar de tudo. sentia uma tremenda angústia e alimentava um terrível sentimento de perda. Examinando mais de perto descobri de onde vinham.

mas não queria passar por cima porque sabia que não seria Cindy quem a consertaria. dei-lhe um grande abraço e lhe perguntei como tinha sido seu dia. prestamos atenção e nos esforçamos para entender. e depois de uns cinco ou dez minutos. lá estava a bicicleta de novo. Pensar Fazer Perguntas. ela. na realidade." "Bem." De repente. vejo a minha bicicleta na entrada do carro. então. agora estava pronto para concluir. através de suas perguntas. este é o melhor lugar que temos para brincar. Querer um é mais divertido". eu sabia onde iríamos caminhar. Dava para ver quão divertido era para ela . acho que uso uns 15 segundos de manhã e talvez 15 segundos à noite. Ela fitou-me com seus olhinhos e me perguntou: "Papai. Então. como o papai se sente sobre isso?" "O papai não gosta nada disso. Preste atenção nas excelentes perguntas com "que" e "como". parou e olhou. passei um tempinho com minha esposa e depois fui ver Cindy. sabe quanto eu uso essa entrada e quanto os meus amigos usam essa entrada?" Vacilei outra vez. ao passo que tudo que pude fazer foi falar com eles sobre isso. "Não tenho uma entrada para o carro.. mas. dois garotinhos brigavam por causa de um homenzinho de plástico.. com o verde do jardim de nossos vizinhos e o azul do céu como fundo. Cindy.semelhante a soprar bolhas de sabão." "É. pensei. Perguntei-lhe: "O que você está vendo. se eu me comportar muito bem. que Victor faz a Cindy. Estava verdadeiramente orgulhoso de mim mesmo. Por que nós. Victor Cottrell contava sobre uma conversa que tivera anos atrás com sua filha de seis anos. a coisa ficou finalmente clara para mim. quanto você usa essa entrada?" Bem. não gosto que vocês brinquem na rua. Ele não apenas lhe diz seu ponto de vista e seus sentimentos." e vacilei um pouco. Saímos pela porta da frente. Passei o mais perto que pude. Uma professora tentava arbitrar uma daquelas discussões que ocorrem." Claro. E disse: "Bem. o meu carro também está lá. deu a um dos meninos o seu brinquedo de plástico e tudo ficou arrumado. disse: "Querida.por três ou quatro quarteirões. Uma criança surgiu com uma alternativa bastante criativa para um animalzinho de estimação: Minha filha de oito anos vivia pedindo um bichinho de estimação desde que sua irmã ganhou um hamster. Eu tinha dado uma aula sobre comunicação naquele dia na faculdade e decidi que iria tentar praticar o que ensinara. ou como criar uma série de esculturas mutantes cor-de-rosa. como não podia deixar de ser. podemos ver o mundo ao nosso redor dez vezes mais claramente do que já o vimos alguma vez. descrevendo o seu uso. Não está. cheguei de carro. juntando tantos quanto podíamos pegar. Uma outra criança se aproximou." "Bem. E. repetidamente. Tomei-a nos braços. adultos. Ela então prosseguiu como uma pergunta: "Papai. querida?" Sabe como é: a boa estratégia de fazê-los descrever. o senhor poderia ter passado por cima dela." "E então. tenho um lugar onde as crianças brincam! E. sabe como é. não acho que os vizinhos tenham apreciado a espetacular beleza do evento! Alternativas Criativas. Que sujeito mais esperto. o que acha de darmos um passeiozinho?" Ela disse: "Tudo bem." "Não. Fui lá e tentei falar com eles sobre compartilhar. "Nós a usamos o dia inteiro. Entrei. deveríamos ter essa idéia estranha de que devemos chamar aquela coisa que passa ao lado da casa de "entrada para o carro"? Essa é a mentalidade do adulto. O Dr. numa sala de aula: Certa manhã. não é? O que poderia ter acontecido àquela bicicleta?" "Ah. pela entrada do carro. Aquele menininho pôde demonstrar o dar. A . Uma noite ela me disse: "Não me dê um bichinho. talvez possa convencer minha filha a me deixar passar pela sua área de lazer de vez em quando!" Quando vemos o mundo como uma criança o vê. Passamos um tempo agradável. Entretanto. Uma das coisas que você me ensinou é que não gosta que brinquemos na rua. já tendo lhe pedido várias vezes que por favor tirasse seus brinquedos do caminho. certa noite. a ajuda a descobrir essas coisas: Cindy sempre deixava os brinquedos na entrada do carro. e como você se sente a esse respeito?" Estava tentando definir o meu direito de propriedade sobre a entrada da casa. Ela disse: "Bem.

traz uma grande quantidade de estatísticas que evidenciam esse conceito.educáveis e não educáveis Nem todos os adultos são educáveis." Um livro intitulado "As Crianças não Aprendem com Pessoas das quais não Gostam". chega a perturbar naquelas horas em que se tem milhões de coisas para fazer. ela me ajudou a explorar a grama. Mudou a minha maneira de ver aqueles brinquedos lá. de seis anos. entretanto. Essas coisas simples possuíam qualidades tão especiais que deram um novo brilho à minha vida. depois da aula. Anne me pegou na entrada e não me deixava fazer nada. ao chegarem do trabalho ou da escola. não me senti mais frustrado. pensei. e. para ser franco. lhe pedi para sair e não me incomodar mais.. Gentileza é adotar o seguinte ponto de vista: "Pegue-os sendo bons.. colocou a cabeça na porta e disse: "A gente ainda se ama. depois de uns vinte minutos. eu estava uma hora atrasado e com a sensibilidade meio gasta. Uma criança de oito anos disse: "Tentei ensinar a minha mãe e o meu pai a apagarem a luz do banheiro. Nem todos os adultos fazem o mesmo. né. Victor deu ouvidos. Senti-me terrível depois. me pediram para passar a tarde com uma criança de três anos." Também foi preciso explicar-lhe bem porque Harvey ia acabar morrendo na gaveta e que precisaria ficar lá fora com seus parentes. não se conseguia ensinar nada: Minhas notas eram baixas. e isso mudou tremendamente a minha atitude. hã. Harvey. Lá estava uma cobra preta. mas precisamos entender o mundo no qual a outra pessoa vive e estar abertos para mudar nossa maneira de encará-lo.partir daquele dia comecei a pensar em nossa entrada para o carro como nossa área de lazer." Todos conhecemos a sensação de sermos pegos fazendo algo errado. meu emprego era monótono e eu nunca pensava em ninguém. Um adulto se torna mais fácil de se ensinar quando está com uma criança de quem gosta e com a qual esteja envolvido. com sua sabedoria de seis anos de idade: "Eu falei para você que estava guardando Harvey na gaveta da cômoda e você disse que estava bem. Ela poderia distrair-se sozinha. a sentar e pedir ao Senhor para assumir o controle. Meu filho entendeu e transferimos Harvey para uma cesta na varanda. Por causa de sua inteligência e energia. Alguns de nós talvez sejamos como a seguinte mãe: Meu filho. às vezes. Meu filho sentiu saudades da cobra por vários dias e depois esqueceu. principalmente minha família. Decidi levá-la para o parque. Não é maravilhoso? Aprendendo Gentileza. Isso vale para adultos também e funciona no sentido contrário. Comunicação é algo que nos muda. Greg?" A isso eu chamo amor incondicional. Os enormes problemas não pareciam tão importantes nem deprimentes. Por sorte. Greg expressa isso através de um problema: Minha prima tem uma filha muito amorosa e inteligente chamada Anne. mas eles ainda a deixam acesa. Ouvir com atenção pode ser o primeiro passo para se obter conhecimento e sabedoria! Tornar-se infantil Adultos ." Como podemos fazer a transição de adultos a quem não se pode ensinar nada para adultos a quem se pode ensinar? Um dos primeiros passos nessa transição parece ser desenvolver uma maior percepção do mundo à sua volta: "Estou tentando pôr em prática algo que minha filha de um ano e meio me ensinou várias vezes. mas somente atentei para esse fato certa noite. Aprendi a encontrar o sentido da vida quando o mundo me faz correr e me desgasta. anteriormente. E pensar que aprendi isto com uma criança. estudar as simples linhas da calçada e admirar as lindas flores no jardim. Mas eu não! Ganhei uns seis fios de cabelo branco. Uma busca minuciosa de nada valeu. olhando para mim! Dei um berro e joguei roupa para tudo quanto era lado. Certa manhã. você está fazendo . Ocupada." Isso certamente me ensinou a prestar mais atenção antes de dizer "Hã. "Só falta essa!". não prestei muita atenção até o dia em que estava guardando suas cuecas limpas. com olhos amarelos. Ele entrou calmamente e disse. falou comigo sobre seu novo mascote. "Ei. Felizmente. Anne é uma menininha preciosa com muito para me ensinar. certo? Chegando lá. Quando foi de manhã Harvey havia desaparecido. mas ela voltou em alguns minutos. Ela me fez sentir tão importante! Vou criar o hábito de fazer com que cada pessoa que entre por minha porta se sinta importante. Mas quantos de nós pode se lembrar de ser pego fazendo algo bom? É um dos pontos altos na vida. Finalmente. Aqui está a história de uma criança que ensinou algo a um adolescente a quem. Quando cheguei em casa. ser pego nessas circunstâncias. já havia passado o prazo de entrega de todos os trabalhos que tinha de fazer. e sorrindo correu de braços abertos até mim. ela me recebeu à porta toda alegre.

estamos com outras pessoas infantis que nos inspiram e influenciam . porque não é verdade. Mas minha filhinha saltou e gritou para o cachorro: "Não!". A coisa mais impressionante de tudo é que minha filha também tem medo de cachorro.estamos com nossos filhos . Ele cata minhocas quando o pai está colhendo batatas e também coleciona e dá nome às lagartas.somos criativos . vinha pela calçada para nos visitar. Envergonho-me de dizer que tive vontade de rir. Por exemplo: "Como é que os bebês podem crescer se não podemos vê-los para lhes dar comida?" "Como é que os bebês podem se mexer e chutar se nem nasceram ainda?" A estagiária disse que nunca havia percebido quão inocentes e abertas as crianças são e como têm curiosidade e interesse em aprender. Uma professora de terceira série contou a seguinte história: A estagiária na minha sala de aula está grávida e os alunos começaram a notar as mudanças em seu corpo. Ele será feito depois de qualquer maneira. Pessoas ativas tendem a ser mais infantis. A infantilidade pode ser liberada quando adultos que nos inibem não estão presentes. Pude ver que isso assustou muito a garotinha de seis anos. Siga o exemplo de uma criança ou de um adulto infantil. maior que ela. de seis anos. mas sempre achei que tinha de cuidar de meu trabalho primeiro e depois me divertir. Sugestões Específicas Para se Tornar Infantil Aqui estão algumas idéias: Decida se quer ser infantil ou não. ainda que não me parecesse justificável. Arrisque-se a fazer coisas infantis. ele teve medo de me perguntar algo que eu não soubesse responder. pois tratava-se de um cachorro tão pequenininho. São criativas por estarem em constante movimento e "fazendo" coisas. Gentileza é encontrar a coragem para consolar e proteger outra pessoa: Uma vez minha filha de dois anos e eu estávamos sentadas na varanda quando a garotinha da vizinha. colocando seus braços ao redor da menina. e que fosse me deixar sem jeito na frente de toda a classe! O adulto infantil Na qualidade de adultos às vezes temos que reaprender como desfrutar o presente: Quando conversei com meu marido sobre o que havia aprendido recentemente com um de nossos filhos. Um outro adulto disse algo semelhante sobre aprender a se divertir: Estou vendo que preciso reorganizar meu tempo e reavaliar minhas prioridades. não importa o que esteja fazendo. Seja divertido.um bom trabalho!" ou. Cante e dance! Ame e seja amoroso através de toques. Um dia tivemos uma conversa sobre bebês. colocando seus próprios temores em segundo plano para poupar uma outra pessoa da dor que vem com o medo. que correu e saltou para a nossa varanda. Com isso aprendi como é importante e bom ter consideração pelos sentimentos alheios. O entusiasmo de nosso filho em relação ao mundo ensinou seu pai a relaxar. Exatamente naquele momento um pequeno poodle veio a toda velocidade pelo lado da casa e. Mantenha seus sentidos alerta aos estímulos. Foi fascinante observar a expressão dos alunos enquanto lhe faziam perguntas sobre bebês que ainda estavam por nascer. Mantenha contato com crianças. Não vou dizer que não me divirto na vida. Nosso filho de seis anos se diverte. Podemos trabalhar melhor nesse sentido quando: . Como eu não estava grávida. No final da discussão um garotinho pediu desculpas por não me incluir na conversa. "Quero que saiba que estou orgulhoso de você!" são coisas que fortalecem as pessoas que amamos.estamos felizes com nós mesmos e não estamos sob pressão *** . agora de uma coisa estou certo: meu trabalho estará me esperando quando eu voltar de "cheirar flores". abraços e beijos. Bem. se alguma vez voltasse a ver uma criança com medo. ele disse que aprendera a se divertir. e deu-lhe tapinhas nas costas. começou a latir alto e nervosamente. Entendi que minha filha de dois anos havia demonstrado um grau de moralidade maior do que eu tinha sentido dentro de mim e decidi que. aparentemente assustado com a garota. a consolaria e não riria. faça movimentos alegres e dê gargalhadas. Também aprendi que uma criança de dois anos pode demonstrar um comportamento altruísta.

permanece E sempre lá está. John Oxenham *** Prefiro ser mãe Do que todo o resto Criar uma criança ou duas Nascidas em berço modesto Prefiro. Perdoa . Prefiro lavar um rosto sujinho Com olhinhos redondos e brilhantes Do que pintar o esplendor da fama. Esteja aberto e preste atenção a elas. Ou estar entre as figuras mais importantes. E enquanto vive. veja-as como mestres.O importante. Meredith Gray Copyright © 2001 por A Família . quando passamos tempo com as crianças. Com as mãos abertas. dar e dar. sã e salva uma criancinha a dormir botar Do que no meu tolo pescoço Ter um precioso colar. Ele dá. mas participarmos. e a aprendizagem virá automaticamente! *** O Amor sempre dá. Pois é a prerrogativa do Amor Dar. é não só observarmos.