FAMÍLIA E ESCOLA: UMA RELAÇÃO DE PARCERIAS E ADVERSIDADES MARÍLIA PERPÉTUA DIAS FOSSALUZZA ORIENTADOR: PROF.DR.

PAULO FERNANDO DEL DUCA CENTRO UNIVERSITÁRIO BARÃO DE MAUÁ APRESENTAÇÃO A instituição familiar está em constante transformação, influenciada por diversos fatores sociais, econômicos, políticos, religiosos que fazem com que suas funções e papéis se modifiquem dentro da sociedade. Um dos fatores de grande mudança na família foi a entrada da mulher para o mercado de trabalho Dessa forma, ela transferiu sua função de educar para a escola, mas a escola não pode assumir esse papel sozinha. A relação entre a família e a escola tem sido discutida há décadas, buscando maneiras de trazer a família mais perto da escola, porém essa aproximação tem sido cercada de conflitos nos quais cada uma não entende seu papel, vivendo um jogo de empurrar as responsabilidades uma para a outra: a escola acusa os pais de não dar limites e os pais acusam a escola de não impor a disciplina. Nesse meio a criança fica sem referência. A relação da família e da escola poderá ser melhor quando cada uma entender o seu papel na educação da criança.

DESENVOLVIMENTO O trabalho está sendo realizado por meio de pesquisas bibliográficas e está estruturado em dois capítulos. No primeiro capítulo, discorreremos sobre as mudanças sofridas na estrutura familiar. Durante a época medieval, a família não tinha qualquer afeição em relação à criança, sua função era a de dar a vida, os bens e o nome, não havia noções de infância. A criança era vista como um adulto em miniatura e nada se fazia de especial por elas. Com a idade de sete a nove anos, a criança era enviada a algum lugar desconhecido e lá aprendia as boas maneiras e trabalhava para os donos da casa, a educação se dava de forma prática com a participação da criança na vida dos adultos. “A família era uma realidade moral e social, mais do que sentimental”1. Os sentimentos entre pais e filhos eram frágeis, os pais não se apegavam à criança, pois ela, muito cedo, ia viver com outra família e muitas vezes não voltava. Para a sociedade medieval, a criança apenas significava o estabelecimento da família, a prosperidade de seu patrimônio e a honra do seu nome.

____________________________________________________________ 1

ÁRIES,Philippe. História social da criança e da família. 2.ed.Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos,1978.

São Paulo em Perspectiva14(2). a família moderna está em crise. A família precisa compartilhar dos mesmos objetivos da escola de formar cidadãos de respeito. por outro ela só chama a família para reuniões de entrega de boletins ou para festas. de valores. Porém se. Mendes. a família transformou-se profundamente e as relações internas com a criança se modificaram. o ódio. excluíram-se os criados. e assumiu uma função moral e espiritual. afrouxaram-se os costumes. o amor. História social da criança e da família. conversas? Não é preciso esperar que algo aconteça. L. palestras. a mulher começou a trabalhar fora de casa.Philippe. que ela se sentisse bem.Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos. A noção de infância começou a ser entendida e as crianças despertaram emoções dentro das famílias. é dentro da família que ela recebe a primeira educação. sendo que. 1 2 ÁRIES. a família se tornou mais liberal. discreta e isolada. A mudança mais considerável foi a introdução da escola como meio de aprendizagem e de educação das crianças. Atualmente.” 1. e esse processo de mudança trouxe para a contemporaneidade os novos arranjos familiares. passando a formar os corpos e a alma. pois entraria em atrito com a família. e até se aprende a lidar com esses sentimentos no dia-a-dia. quando se tem o que fazer.Começaram a existir fortes sentimentos entre pais e filhos. XVIII. com o início da sociedade moderna. Apesar de a escola ter um papel fundamental na educação da criança. No segundo capítulo. a família divorciada etc. Durante o séc. XV. cada vez mais envolvida no mercado de trabalho e deixando de lado sua função primordial de cuidados com os filhos e com a casa. iremos tratar da família e da escola na educação da criança. a uma administradora do lar. a família moderna começou a manter certa distância da sociedade. qualquer tentativa da escola de educar seria difícil. a família homossexual. “A família deixou de ser apenas uma instituição do direito privado para a transmissão dos bens do nome. FARIA FILHO.1978. . a criança precisa viver num ambiente de total apoio e dedicação. como a família experimental. é no seio familiar que os sentimentos aparecem. do contrário. após a Revolução Industrial. os servidores e amigos.2000. A educação dos filhos tem sido uma tarefa difícil para os pais.Para entender a relação escola-família:uma contribuição da história da educação. nela aprende as regras e os valores que compõem a sociedade em que está inserida. a solidariedade. não é mais garantia da moral. e passou então. antes destinada apenas para os clérigos. a família de união-livre. Logo se tornou um perfil profissional. Por que não chamar a família para um debate com especialistas se for o caso. a família queria o bem estar físico e mental da criança. por um lado a escola diz que a família não está sabendo educar. para seu pleno desenvolvimento. os valores desapareceram. a se tornar mais íntima. 2. muitas vezes a família não consegue atender às expectativas da escola sobre sua participação na educação escolar. os clientes. nasceu assim a família moderna centrada na criança e na base escolar.ed.1 A partir do séc. transformando-se em um núcleo formado por pais e filhos. Porém. pois a mulher dessas novas famílias deixou sua função de educar para a escola e a escola não estava preparada para essa mudança. tornou-se a instituição que iria preparar a criança para a vida adulta. de simples dona de casa que cuidava dos filhos. amada e protegida.

Mendes.” 2. agradável ou ameaçadora.ed. Essas duas instituições precisam entrar num acordo que não deve demorar mais pra acontecer.2 É preciso olhar a família sem preconceitos. FARIA FILHO.Philippe. CONCLUSÃO Na relação famíla-escola é preciso haver um momento de comunicação em que um fala e o outro escuta e vice-versa. 2. História social da criança e da família. L.Para entender a relação escola-família:uma contribuição da história da educação. ou onipresente ou discreta.Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos.1978. A escola deve completar a educação da casa. . 1 2 ÁRIES. quando o aluno encontra na escola a continuidade da sua cultura familiar. ela mudou e deve ser respeitada na sua maneira de ser e não ser rotulada como “desestruturada” ou ser encarada como o único motivo de a criança apresentar certos comportamentos.2000. pois as duas têm a função de educar e de “de uma maneira ou de outra. o ensino flui melhor. São Paulo em Perspectiva14(2). a escola faz parte da vida cotidiana de cada família.