You are on page 1of 3

GLICÍDIOS Glicídios Os glicídios são moléculas orgânicas constituídas fundamentalmente por átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio.

são também conhecidos como açúcares, sacarídios (do grego sakkharon, açúcar), carboidratos ou hidratos de carbono. Classificação dos glicídios Monossacarídios Os glicídios mais simples são os monossacarídios, que apresentam fórmula geral (cH2O)~. O valor de n pode variar de 3 a 7, e, de acordo com ele, os monossacarídios são chamados respectivamente de trioses, tetroses, pentoses, hexoses e heptoses. Exempíos de monossacarídios são glicose, frutose, galactose, ribose e desoxirribose. Dissacarídios Dissacarídios são moléculas formadas pela união de dois monossacarídios. A reação de formação de um dissacaridio é uma síntese por desidratação: um dos monossacarídios perde um hidrogênio (- H) e o outro perde uma hidroxila (OH); os dois monossacarídios se unem, e o hidrogênio e a hidroxila liberados formam uma molécula de água. A sacarose - o açúcar de cana - é um dissacarídio formado pela união de uma molécula de glicose e urna de frutose.. Outro exemplo de dissacarídio é a lactose - o açúcar do leite -, constituído por uma glicose ligada a uma galactose. Polissacarídios Polissacarídios são moléculas grandes, formaadas de centenas-ou milhares de motiossacarídios. Exemplos de polissacarídios são amido, glicogênio, celulose, quitina, entre outros. As moléculas de glicose fabricadas na fotossíntese e unidas de uma

determinada maneira transformam-se em am.ido, que é armazenado.nas células das paantas Quando a célul~ necessita de energia, o amido é quebrado po ~ hidrólise, transformando-se novamente en moléculas de glicose. (} amido .constitui;~as sim, a principal substânçia de reserva das plan .~tas-e-de muitas algas. Em nosso organismo também ocorre armazenamento de polissacarídios. Depois de uma refciç~, as células do fígado absorvem moléculas dc glicose do sangue, unindo-as de maneira a forw o polissacarídiog~ico-o. Quando a taxa dc ~licose no sangue abaixa nos períodos entre as refeições, as células do fígado quebram o glicogêmo reconvertendo-o em mol&ulas de glicose que 510 lançadas no sangue. (Fig. 4.16) kcelulose, substincia que constitui a paredê~c~ula£ vegetaiú,~é tambéni;um;.poiissàcarfdio formado a partir de m9léÇ311a~deg~i~Qse. A •cclul~~s~é a 5ubst~iÇiaQrganJça mais abundante cm nosso pla»e.ta. Estimase que as algas e as plantas terrestres produzam 10 milhões de toneladas de celulose diariamente. Ao contrrrio do amido e do glicogêrio, a celulose é muito resistente à digestlo; apenas algumas espécies de fungos, bactérias e protozoários s10 capazes de digeri4a. Esses microorganismos produzem a celulase, uma e~1ma~que queb.r~as ligaçõe~ - Qs resíduos de glicoses, liberando -as para se ~utihzaaas como ~iimento. (Fig. 4.17> A importância dos glicídios para os seres vivos A energia necessária para formar toda a matéria orgânica existente na Terra é proveniente does-paço exterior, nazis precisamente do Sol. A energia luminosa do Sol é captada pelas algas e plantas, que a utilizam para fabricar moléculas de glicose. Este açúcar conserva, na forma de energia química. boa parte da energia que foi gasta em sua fabricaç10. Glicose e fotossíritese A energia luminosa do Sol é transformada em energia química através da fotossíntese, um conjunto de reações químicas atravês das quais moléculas de gás carbônico e de água silo convertida~ em moléculas de glicose e de gás oxig~nio. 6C02 + 6H20 c6H2Q + 602 ( c~Srnc0) (~gua) (LUZ) (glico~> (0~~.~~111)

Uma vez que plant4's,algas e a1gunias~bac-térias sâo os unicos seres vivos que conseguem captar energia luminosa do Sol, a sobrevivên ~ direta OU indiretamente, desses seres fotossin tetizante~. Um animal herbívoro obtém a energia ne cessána à sua vida comendo plantas. Já um car nívoro, ao usar herbívoros como alimento, ob tém, indiretamente, a energia originária da gli cose produzida na fotossíntese. A dependência que os animais têm da: plantas nos dá uma medida da importância do: seres fotossintetizantes e dos glicídios para