You are on page 1of 2

Sugestões para o Trânsito de Macaé

Econ. Jayme Lopes do Couto, consultor em Mobilidade Urbana Iniciou-se o novo Governo Municipal, e algumas providências já estão sendo tomadas. A expectativa é grande, mas também há que reconhecer, foi necessário dar um tempo para que alguns resultados apareçam; a quantidade de problemas que o novo Prefeito tem pela frente é grande. A área de nossa especialidade, Mobilidade Urbana, envolve grandes dificuldades. Por isso, por acreditar que todos devemos auxiliar o Prefeito na governança do Município, quero apresentar-lhe algumas ideias, em função de experiência acumulada em vinte anos de atuação na área, no Brasil e, nos últimos 8 anos, em Macaé. Inicio com três sugestões de ação no trânsito. Imagino e espero que o Secretário de Mobilidade Urbana já tenha um Plano de Ação Imediata, outro de Curto Prazo e ainda outro de Longo Prazo, perfeitamente ajustados e sincronizados para melhor planejar a Mobilidade Urbana do Município de Macaé. Isto é, já saiba por onde começar, já tenha definido as políticas públicas – que devem ter a inclusão social no bem comum da Mobilidade Urbana – principal fundamento de sua ação – e tenha seus objetivos claramente definidos. O que se fez ou não se fez até agora não é mais importante que o de, aproveitando o que de bom foi realizado, aproveitar para responder ao povo o que ele quer saber: o que será feito para melhorar a Mobilidade Urbana de Macaé? Estou à disposição para debater o assunto. TRÊS MEDIDAS DE TRÂNSITO 1ª: Reduzir o tempo de viagem na Rodovia Amaral Peixoto no trecho entre o Trevo da Petrobrás e o limite com Rio das Ostras. Essa ação compõe-se de canalizações adequadas para melhorar os fluxos de acesso à Rodovia, em que parte já pode ser considerada como da malha urbana; organização do trânsito nos acessos mediante ação operacional dos agentes de trânsito nos horários de pico. Verifiquei, com satisfação que essa primeira sugestão já está sendo tratada e devo elogiar o que está sendo realizado. A menos de algumas providências que devem ser tomadas (as canalizações e as sinalizações) as operações com agentes de trânsito me parecem estão reduzindo o tempo de viagem no trecho. 2ª: Aumentar a fluidez do tráfego no trecho entre o Trevo da Petrobras e Terminal Lagoa Essa ação dependerá de dois pré-requisitos: (a) revisão do Convênio entre o Governo do Estado e o Município (que deve ter objetivos mais amplos), já pensando em ações

futuras quanto à revisão da Municipalização do Trânsito e (b) entendimentos com a Secretaria Municipal de Obras para projetos de intervenções físicas de maior porte. Note-se que esse trecho da Rodovia Amaral Peixoto, em minha opinião, já está incorporado à malha urbana. Portanto, não cabem as sinalizações existentes, o acostamento e os redutores de velocidade nele inseridos, mas uma reformulação que incluem medidas de longo prazo como um projeto de duplicação da via com duas pistas de duas faixas por sentido. Interessas o Governo do Estado é importante, pois acho que valeria o esforço de um financiamento em organismo financeiro internacional, e incluir a duplicação do trecho entre o Terminal Lagoa e o limite com Rio das Ostras. Contudo, dependendo da complexidade do segundo trecho, sugiro manter somente o primeiro trecho, porque o segundo poderá ser adiado considerando a via alternativa em fase de conclusão e uma atuação operacional com agentes de trânsito (ver acima). 3ª: Binário Rua Télio Barreto e Rua Tenente-Coronel Amado Essa sugestão exige estudos mais detalhados para concluir-se por sua viabilidade técnico-econômica, inclusive porque inclui mais uma passagem de nível na via férrea. Certamente, também, alguns moradores do início (fim?) da Rua Tenente-Coronel Amado e frequentadores da Igreja S. Paulo Apóstolo reclamarão das consequências da obra e da falta de locais para estacionamento de seus veículos, o que deve ser avaliado contra os benefícios porventura a serem obtidos. Importante, em reação às medidas sugeridas, acompanhá-las de pesquisas volumétrica e direcionais para essas vias, que devem estender-se para o trecho entre a Ponte Ivan Mondin e Cabiúnas para que as analisem outras medidas complementares para um planejamento mais consistente. Deve-se alertar ainda que Macaé não faz uma revisão em seus semáforos pelo menos há cinco anos. Durante esse período o número de veículos licenciados em Macaé cresceu 100%. Observe-se que os veículos que trafegam com placas de outras cidades, na verdade passam o ano inteiro rodando em Macaé (principalmente os de Curitiba e Cachoeiro de Itapemirim), porque querem aproveitar o IPVA mais barato nesses locais. O cálculo de semáforos e as pesquisas direcionais muito ajudarão e melhorar as mãos das ruas e o uso mais adequado das vias. Uma última observação. Até esta data não houve concurso público para agentes de trânsito. A Secretaria se tem valido de guardas municipais e de contratados como auxiliares de trânsito sem poder de polícia. Um concurso se torna necessário. Tenho verificado que muitos agentes de trânsito fardados continuam com o péssimo costume de usarem o fardamento incompleto (sem cobertura) caracterizando um grupo, no mimo, indisciplinado.<Fim>