You are on page 1of 7

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ CURSO: LETRAS HAB. EM LÍNGUA PORTUGUESA.

ARTIGO CIENTÍFICO LEITURA E O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA ATUALIDADE Shirley Ramos Teixeira¹

RESUMO Esse artigo tem como objetivo analisar a forma de ensino da língua portuguesa, e o ensino e prática de leitura. Identificando as suas deficiências e vantagens. E apontando, a medida do possível, formas de melhores para esse ensino. De início foi feita uma breve abordagem sobre os Parâmetros Curriculares Nacionais- PCN’s e como os mesmos organizam-se. Depois falou-se sobre a metodologia aplicada na pesquisa. E por fim, foi discorrido sobre uma análise dos fatos inferidos através dessa, salientado os principais objetivos das Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional- LDBEN em relação ao aprendizado e capacitação do educando. PALAVRAS- CHAVE Leitura. Ensino. Dificuldades. Aluno.

1. INTRODUÇÃO Esse trabalho nasceu da necessidade de conhecer um pouco mais sobre como, realmente, se dá o ensino de língua portuguesa dentro da sala de aula. Os objetivos e metas que são seguidos e como são passados os conteúdos pragmáticos para os alunos, e se são passados da melhor forma. O ensino de língua portuguesa passou por muitas e importantes mudanças, com o objetivo de tornar o ensino e a aprendizagem mais qualificados e satisfatórios, para assim, formar o desenvolvimento intelectual do aluno e construir no mesmo um pensamento crítico. Mudanças como essa só foram viáveis a partir da implantação dos pcn’s- Parâmetros Curriculares Nacionais, que foram elaboras em 1995 e só foram concluídos em 1997, tendo como Ministro da Educação Paulo Renato Souza (de Barros, 2012).

¹ Acadêmica do curso de Letras- hab. em língua portuguesa da Universidade Estadual Vale do Acaraú do 5º período da disciplina de Aquisição da Linguagem do turno da noite.

Porém. (Portal Mec.1. mesmo com a consolidação dos pcn’s ainda existem muitas dificuldades ao ensinar língua portuguesa. Ciências Naturais. essas dificuldades não se resultam apenas ao ensino da gramática e literatura. Os respectivos questionários foram respondidos por três professores de língua portuguesa. é indispensável para que haja a compreensão da gramática e da literatura. as dificuldades para o ensino da leitura estão sempre presentes. Um documento Introdução. desde o próprio português até a matemática. que por sua. os de Meio Ambiente e Saúde”. sendo que os três lecionam em uma escola de ensino fundamental e . leitura.2. 1. 2. pois influencia em todas as disciplinas curriculares. É através da leitura que o aluno irá interagir e compreender o meio no qual está inserido. que justifica e fundamenta as opções feitas para a elaboração dos documentos de áreas e Temas Transversais. 1. Matemática. que explica e justifica a proposta de integrar questões sociais como temas transversais e o documento Ética. abordando o tema sobre o ensino de língua portuguesa. o que causa grandes discussões e preocupações sobre o assunto. História. dentro e fora da sala de aula. Para a realização dessa pesquisa foi elaborado um questionário. Três volumes com seis documentos referentes aos temas transversais: o primeiro volume traz o documento de apresentação destes temas. Mas para aqueles que estão em plenas atividades de aprendizagem ela é mais importante ainda. e no terceiro volume.2 Os PCN’s abrangem todas as séries e fases do período escolar e se organizam da seguinte forma: 1.3. METODOLOGIA Esse trabalho foi realizado através de uma pesquisa de campo. Arte e Educação Física. contendo uma pergunta objetiva e seis perguntas subjetivas. no segundo volume. Porém. encontram-se os documentos de Pluralidade Cultural e Orientação Sexual. crescer e agir de forma ativa e crítica na sociedade. mas principalmente ao ensino de leitura. A leitura exerce grande importância para todos. consequentemente. Geografia.). Seis documentos referentes às áreas de conhecimento: Língua Portuguesa. e suas dificuldades.

cujo principal é “fazer com que os alunos dominem os conhecimentos de que necessitam para crescer como cidadãos plenamente reconhecidos e conscientes de seu papel na sociedade”. Essa pesquisa teve.Letras e pós-graduados na respectiva área profissional. Reis (2010). os alunos tornemse capazes de compreender e produzir vários textos dos mais diversificados gêneros. e o terceiro leciona tanto no ensino fundamental dois. PCN’s: Língua Portuguesa (1997. Com isso. além dos questionários realizados nas escolas de Itapajé. 3. quanto no médio. há 18 anos. Esquecendo-se de que o motivo para essas dificuldades são muito abrangentes e dependem tanto do aluno como principalmente do professor. tendo 5 anos de experiência.4). dissociados do significado. os três no munício de Itapajé. para que assim. um deles trabalhando apenas com o nível médio. mas sim desenvolver competências e habilidades de leitura e escrita. das experiências do dia a dia do aluno. outro leciona apenas no ensino fundamental dois. Por outro lado. ao se depararem com a pergunta “O que é ensinar língua portuguesa?” as respostas foram bem variadas. . Todos os entrevistados são formados em licenciatura. ANÁLISES E DISCUSSÕES 3.3 médio. Freitas (1969). ainda existem muitas dificuldades ao ensiná-la” (questionário). com 14 anos de experiência. Jolibert (1994). 2001). Em um dos questionários o professor relatou apenas que “apesar de a língua materna. Por esses questionários aplicados foi possível perceber que o maior objetivo do professor de língua portuguesa é trabalhar a compreensão e eficácia das competências e habilidades de leitura e escrita. Durante o questionário realizado com os professores. outro professor relatou em seu questionário que “o ensino da língua portuguesa não se resume a ensinar. como subsídio teórico Barros (2012). e esse ensinoaprendizagem sofre muitas influências do meio social ao qual o aluno está inserido. é possível inferir que os professores seguem mesmo os objetivos dos PCN’s.1. De acordo com PCN’s (1997. a compreender e produzir qualquer gênero de texto que o mesmo tenha em seu meio social e estimular a capacidade discursiva do mesmo” (questionário). meramente. p. a decodificação dos sinais gráficos e regras gramaticais. Lencastre (2003). E além de tudo.

Os PCN’s são ainda mais abrangentes declarando que: A leitura é um processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de construção do significado do texto. literários ou não. 15) “ler é atribuir diretamente um sentido a algo escrito. ou discurso”. basicamente. e também das imagens. ou seja.. e por tanto. leitura é a compreensão e interpretação que o indivíduo tem em relação a todo o meio no qual o mesmo está inserido. o que está inserido nas entrelinhas do texto. compreensão na qual os sentidos começam a ser constituídos antes da leitura propriamente dita. sem ensiná-la corretamente. 2001..3. compreender e dar sentido aos signos e as mais diversas situações as quais os leitores estão inseridos”. e objetivam organizar as informações do texto. dos movimentos”. p. ou seja. Segundo Joliet (1994. palavra por palavra. não se trata simplesmente de extrair informações da escrita. 3.4 3. Ao abordar. a partir dos seus objetivos. de tudo o que sabe sobre a língua: características do gênero. de acordo com a função e estrutura para facilitar a comunicação. A segunda pergunta contida no questionário é referente ao significado de leitura para o professor. Apenas um dos professores que responderam o respectivo questionário relatou que a leitura “é a compreensão e interpretação da palavra. o portador. (questionário). a leitura “é um ato fundamental que precisa ser aperfeiçoado para se entender o que não foi declarado. textos específicos.2. Ou seja. do seu conhecimento sobre o assunto. do sistema de escrita. decodificando-a letra por letra. p. dos sons. onde foi relatado por um que leitura é apenas “a habilidade de perceber. ou ainda que. necessariamente. que os gêneros textuais . o que são gêneros textuais e quais os educadores trabalham nas aulas de língua portuguesa as informações fornecidas foram convenientes afirmando que os gêneros são.] é questionar algo escrito como tal a partir de uma expectativa real (necessidadeprazer) numa verdadeira situação de vida". etc. [. seja ela falada ou escrita. sobre o autor. é viável inferir que os professores ensinam simplesmente o que está escrito nos livros didáticos sem preocuparem-se com o verdadeiro significado de leitura. Trata-se de uma atividade que implica. no questionário. (PCN’s: Língua Portuguesa. 53). Tendo em vista tais respostas.

por exemplo.5 são grupos de textos com as mesmas características. como visão geral da ação à qual o texto se articula. esta. mas os principais relacionam-se ao próprio domínio da leitura e escrita. “Tente mover o mundo. Concluindo que a maior dificuldade não é de caráter educacional. e a indisciplina do mesmo em relação ao tratamento interpessoal e os valores. hipoteticamente. alegaram seguir as sugestões do núcleo gestor das respectivas escolas nas quais lecionam. A última pergunta contida no questionário indagava sobre os desafios encarados pelos professores da língua materna hoje. tendo como principais a falta de compromisso do aluno com os propósitos estudantis. da diversidade de informações “inverídicas” as quais os mesmos têm acesso. 3. esforço e objetivo em sua vida estudantil. 2001. embora heterogêneas. esses profissionais permitiram aos estudos inferir que apenas reconhecem os problemas. E em relação aos gêneros abordados em sala de aula. vindas de conhecimentos populares e internet. 3. mas sim de caráter social. grau de literariedade. que resultam da pouca prática discursiva do aluno. dando exemplos poucos e restritos.o primeiro passo será mover a si mesmo” (Platão). E principalmente a falta de acompanhamento e perspectivas da família. que causam no aluno.5. os jovens tratam-se uns aos outros de forma vulgar e presunçosa. Assim como afirma (PCN’s: Língua Portuguesa. os professores declaram que são muitas as dificuldades e nomearam-nas. a falta de prática de leitura causada pela falta de um ambiente familiar tendencioso a esse ato.4. causada pela falta de uma boa estrutura familiar e um nível de conhecimento científico bem abaixo da média. Porém. p. tipo de suporte comunicativo. Sobre as dificuldades relacionadas à leitura e de quê resultam. ou seja. mas não fazem muito para modificar a realidade vivenciada. extensão. diretamente ligado ao meio no qual estão inseridos. . 26): Pode-se ainda afirmar que a noção de gêneros refere-se a “famílias” de textos que compartilham algumas características comuns. a falta de estímulo. Pode-se perceber que são muitos esses desafios. tornando-o completamente desinteressado em adquirir novos conhecimentos. existindo em número quase ilimitado.

além da vontade do aluno. ou seja. 35): I.394/96 (Art. seja no aspecto escolar ou no profissional. Nesta análise salienta-se a importante necessidade de ter a leitura como objeto de prazer e conhecimento de mundo. incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico. Assim como rege os objetivos para o ensino médio das Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional-LDBEN de acordo com a lei nº 9. possibilitando o prosseguimento dos estudos. utilizando-se para análise questionário com o objetivo de compreender o ensino da mesma e reconhecer os aspectos positivos e negativos dessa forma de ensino. uma grande participação da família do mesmo. tenta formar cidadãos. Porém. Consolidação e aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental. procuram cumprir com os objetivos de educar e capacitar o aluno para o que lhe espera no futuro. Os desafios a serem superados são muitos e variam de acordo com cada aluno e sua realidade. de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores. sozinhos esse alcance é praticamente impossível. possam modificar essa realidade e construir uma nova forma de . das mais diversificadas formas que lhe pareçam mais convenientes. Todos os professores. III. CONSIDERAÇÕES FINAIS O presente trabalho procura evidenciar a importância da leitura no ensino da língua portuguesa na atualidade. mais precisamente no inciso III.6 4. Como é possível identificar na presente lei. Aprimoramento do educando como pessoa humana. É necessária. para viverem de forma sociável. E acima de tudo a necessidade de formar verdadeiros jovens homens e mulheres. para alcançar tais objetivos. II. para que assim. Nesta pesquisa foi comprovada que ainda falta muito a ser conquistado em relação ao ensino. juntos. Preparação básica para o trabalho e para a cidadania do educando. mas que já houve uma mudança significativa. muitas vezes em vão. mas os educadores esforçam-se diariamente. apesar de enfrentarem muitas dificuldades e exercerem um esforço exaustivo. para continuar aprendendo. Nesta pesquisa também foi notável a importância da participação ativa por parte da família do aluno para se conquistar a prática de leitura e uma disposição maior nos conhecimentos a serem adquiridos.

Josette. FREITAS. Macapá.7 ensino. 1ed. Fundação Calouste Gulbenkian ed. JOLIBERT. H.S. aprimorando os conhecimentos já existentes e adquirindo muitos outros novos. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa/ Secretaria de Educação Fundamental. Leonor. Rio de Janeiro: Rumo. LENCASTRE. M. Brasília. 2010.. 1969. Disponível em: <http//www. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS FREITAS. Formando Crianças Leitoras. 1994. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa/ Ministério da Educação Fundamental.br>. 2010. Brasília. A importância da leitura e suas dificuldades em sala de aula. Leitura: A compreensão de textos. REIS.gov. 5 fls. (Artigo Científico) Universidade Estadual Vale do AcaraúUVA.portal.mec. . 1997. J. 3 ed. 2003. Beatriz Soares. Porto Alegre: Artmed. 2001. Fundação Para a Ciência E A Tecnologia. 2012. Acesso em: 17 jun. Leitura Dinâmica: Uma necessidade atual.