You are on page 1of 31

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

Silvio César Machado-dos-Santos Patrícia Campanha Barcelos Graziany Leite Moreira

II Congresso Consad de Gestão Pública – Painel 38: Tendências atuais na gestão da saúde

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
Silvio César Machado-dos-Santos Patrícia Campanha Barcelos Graziany Leite Moreira

RESUMO

O Espírito Santo elaborou sua Política Farmacêutica em 2007, publicada por meio do Decreto no 1956-R. O grande desafio dessa Política é garantir o acesso a fármacos com qualidade, promovendo o seu uso racional e proporcionando a humanização no atendimento prestado aos seus usuários, em especial por meio do atendimento farmacêutico especializado e farmácias com estruturas modernas e confortáveis. Assim, contempla aspectos inovadores como: formulação e implantação do Projeto Farmácia Cidadã; elaboração da Relação Estadual de Medicamentos Essenciais e Excepcionais (REMEME); organização da Assistência Farmacêutica na Atenção Primária, com a estruturação do Sistema Estadual de Registro de Preços (SERP) e viabilização de mais recursos financeiros para aquisição de medicamentos na atenção básica. O Projeto Farmácia Cidadã surgiu da necessidade de aprimorar a qualidade dos serviços ofertados aos mais de 46 mil usuários de medicamentos excepcionais do estado, pois as condições das farmácias eram deficientes. Trouxe como benefícios estrutura física ampla, climatizada e moderna, atendimento farmacêutico especializado e humanizado, informatização, agilidade, contratação e capacitação de RH e a melhoria do sistema de comunicação com os usuários, por meio de torpedos e Internet e alto grau de satisfação dos usuários. No âmbito da atenção primária foram implementadas várias ações no sentido da melhoria e ampliação do acesso aos medicamentos, por meio de: a) Ampliação do elenco de medicamentos essenciais de 72 para 209 itens; b) Aumento do repasse estadual aos municípios para aquisição dos medicamentos pelo princípio da eqüidade de R$ 7,10, para R$ 10 por hab/ano; c) Estruturação do Sistema Estadual de Registro de Preços – SERP, com o objetivo de agilizar o processo de aquisição e otimizar a aplicação de recursos, com estimativa de economia de custos em até 30%; d) Incentivo de R$150.000,00 para a construção de uma Central de Abastecimento Farmacêutico por Microrregião, para garantia das boas práticas de armazenagem e conservação dos medicamentos; d) Incentivo de R$ 20 mil por farmácia cidadã municipal. No âmbito dos medicamentos excepcionais, o número de medicamentos disponibilizados passou de 133 para 179 itens, com aumento da disponibilidade em estoque de 75%, em 2005, para 98%, em 2008. Além disso, houve incremento no número de atendimentos realizados, que passou de 147 mil, em 2005, para 308 mil, em 2008. Para o alcance desses resultados, houve substancial melhoria e inovação na gestão, acompanhada de incremento nos recursos financeiros destinados a essa área, que saltaram de R$ 45 milhões para R$ 95milhões nesse período.

SUMÁRIO

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO...................................................................................................... 03 PROJETO FARMÁCIA CIDADÃ................................................................................ 07 Objetivos do projeto................................................................................................... 09 Ações desenvolvidas................................................................................................. 09 Investimento............................................................................................................... 12 Dificuldades encontradas para a implantação do projeto.......................................... 12 Práticas inovadoras de gestão desenvolvidas por meio do projeto........................... 14 Parcerias estabelecidas............................................................................................. 16 Resultados alcançados.............................................................................................. 16 Possibilidade de multiplicação................................................................................... 20 ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE.................. 22 AMPLIAÇÃO DO ACESSO AOS MEDICAMENTOS EXCEPCIONAIS..................... 25 CONCLUSÃO.............................................................................................................29

Viabilizar mecanismos eficientes de prover o acesso aos medicamentos com regularidade e de maneira descentralizada. Garantir mecanismos adequados e sustentáveis de financiamento tripartite para o acesso aos medicamentos e também aos cuidados farmacêuticos especializados e de qualidade. em todos os níveis de atenção à saúde. regulatórias e gerenciais. Suas principais diretrizes são: Promover a eqüidade e integralidade no acesso aos medicamentos essenciais e excepcionais. Contribuir para a melhoria da resolutividade do Sistema de Atenção à Saúde. publicada em 2007 por meio do Decreto no 1956-R. Promover o uso de ferramentas modernas e eficientes de gestão. necessárias à garantia da qualidade dos medicamentos disponibilizados na rede pública estadual e municipal. cuidando de promover o seu uso racional e a humanização do atendimento prestado aos seus usuários. . Promover o uso racional dos medicamentos. Implementar ações articuladas e integradas entre a área da Assistência Farmacêutica e da Vigilância Sanitária. pelo princípio da eficiência e da economicidade. da prevenção de agravos e da promoção da saúde. Fomentar a organização e estruturação de todas as atividades do Ciclo da Assistência Farmacêutica no âmbito municipal e estadual. orientados pelo interesse da coletividade. em conformidade com o perfil epidemiológico e com as melhores evidências científicas disponíveis. Apresenta como objetivos específicos: Proporcionar o acesso aos medicamentos. otimizando a aplicação dos escassos recursos públicos. é garantir à população capixaba o acesso equânime a medicamentos essenciais e excepcionais de qualidade. de maneira articulada e integrada entre as três esferas de governo.3 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO O propósito maior da Política Farmacêutica do Estado do Espírito Santo. pelo interesse público. por meio de ações educativas.

centros de pesquisa. Modernizar e melhorar a eficiência na organização e gestão das atividades do Ciclo da Assistência Farmacêutica na rede estadual e municipal de saúde: seleção. distribuição. Fomentar a descentralização. sociedades científicas. conservação e dispensação de medicamentos. . Implementar ações estratégicas de fomento à construção e qualificação de Centrais de Abastecimento Farmacêutico – CAF e de Farmácias públicas. programação. Implantar um sistema de regulação da prescrição de medicamentos e promoção do uso racional de medicamentos. Promover a interação entre o setor público e a iniciativa privada. Fomentar a implantação de um sistema de monitoramento e avaliação permanente da Assistência Farmacêutica no âmbito municipal e estadual. prescrição e dispensação de medicamentos. instituições de ensino superior. incorporando um conceito moderno. humanizado e em conformidade com as boas práticas de armazenamento. entidades de classe. Garantir o efetivo controle e participação social na formulação e implementação dessa Política. por meio da estruturação de Centros de Referência em áreas estratégicas e da Comissão Estadual de Regulação em Farmacologia e Terapêutica. A Política possui como eixos estratégicos: Elaboração e atualização permanente da Relação Estadual de Medicamentos Essenciais e Excepcionais – REMEME. aquisição. armazenamento. Promover o desenvolvimento de todos os recursos humanos envolvidos com a área da Assistência Farmacêutica. em conformidade com a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais – RENAME e com os Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas.4 Promover a humanização no atendimento prestado aos usuários de medicamentos no Sistema Único de Saúde – SUS. regionalização e desburocratização das diversas ações de Assistência Farmacêutica no Estado. representações da sociedade civil na área da Assistência Farmacêutica.

da Secretaria de Estado da Saúde. econômicos e de assistência a serem construídos. que constitui um novo conceito em farmácia pública. de maneira articulada e integrada entre as três esferas de governo. do controle social e dos Secretários Municipais de Saúde. da área hospitalar e do componente dos medicamentos de dispensação excepcional. Assessoria e acompanhamento permanente pelo gestor estadual de todas as atividades e ações implementadas pelos gestores municipais na área da Assistência Farmacêutica. contemplando as peculiaridades da Atenção Primária e Secundária em Saúde. A formalização da Política Farmacêutica no âmbito do Estado do Espírito Santo. . Estabelecer políticas para áreas específicas da Assistência Farmacêutica. Promover o fortalecimento e a implementação do Projeto Farmácia Cidadã. Definição de critérios. explicita a necessidade de um processo contínuo de monitoramento e avaliação de sua implementação.5 Estabelecer mecanismos e estratégias de articulação e pactuação permanentes com os diversos atores sociais relacionados com a área da Assistência Farmacêutica. por meio de: Constituição do Fórum Intersetorial Permanente de Assistência Farmacêutica. humanização e qualidade no atendimento prestado aos usuários de medicamentos no SUS. parâmetros. utilizando-se indicadores gerenciais. do Poder Judiciário. assim como na implantação e atualização permanente de algum sistema ou ferramenta instituído para essa finalidade. O acompanhamento. do Ministério Público. modernização da gestão. controle e avaliação se darão por meio da Gerência Estadual nas áreas da Assistência Farmacêutica e Auditoria. indicadores e métodos voltados à alimentação permanente do sistema de monitoramento e avaliação dessa política. regionalização. formado por membros do Governo do Estado. na rede estadual e municipal de saúde. fundamentado nos princípios norteadores da descentralização.

prestando orientações e correções necessárias. um cronograma de supervisão. . é possível o acesso a: Relação Estadual de Medicamentos Essenciais e Excepcionais – REMEME. ao clicar em farmácia cidadã. Diagnóstico da Assistência Farmacêutica e Política Farmacêutica do Estado do Espírito Santo. www. critérios. No sítio da SESA. Indicadores assistenciais da área da Assistência Farmacêutica. para avaliação da execução das ações pelos municípios.saude.br. entre outros. podendo inclusive realizar auditorias referentes aos projetos que tenham recebido recursos estaduais. Acompanhamento do processo individual e do histórico farmacoterapêutico de cada usuário (acessível somente com senhas individuais) fornecidas no ato da abertura de cada processo.6 A SESA estabelecerá em seu âmbito. Orientação e formulário para abertura de processo e solicitação de dietas e suplementos alimentares. documentos e exames necessários para receber cada medicamento excepcional constante da REMEME. Orientações e formulários aos médicos e usuários sobre o passo-apasso.gov. com visitas in loco.es.

Até agosto de 2007. hipotireoidismo congênito. havia somente 05 (cinco) farmacêuticos para realização de todas as atividades relacionadas com o atendimento a mais de 400 usuários diariamente à época. o ambiente não possuía climatização. o que caracterizava mais um aspecto da ambiência inadequada e desumanizada existente à época. fibrose cística. A dispensação dos medicamentos não era realizada por farmacêutico e ocorria por meio de uma pequena abertura na divisória. São diversos os problemas de saúde atendidos com esses medicamentos. São Mateus. como artrite reumatóide. tendo antes que passar por barreiras como a escada retratada na Figura 4. . esquizofrenia refratária. Colatina. o atendimento era realizado de maneira manual. Nas antigas instalações físicas não havia assentos suficientes para os usuários aguardarem o atendimento sentados (Figura 2). entre outras deficiências. localizadas em Cachoeiro de Itapemirim. o usuário ainda se dirigia até o setor da dispensação dos medicamentos. localizada no Centro de Vitória até agosto do referido ano. sem um sistema informatizado eficiente e com um sistema de organização dos arquivos absolutamente arcaico e desorganizado (Figura 3). Em 2007 existiam cinco Farmácias estaduais que dispensavam esses medicamentos. o mobiliário era inadequado. osteoporose. após receber a autorização no processo. Os medicamentos excepcionais integram um Programa de Saúde na área da Assistência Farmacêutica e são destinados ao tratamento de doenças raras e/ou de elevado custo. o que representava uma barreira e inviabilizava a orientação ao paciente sobre o modo correto de utilizar seus medicamentos.7 PROJETO FARMÁCIA CIDADÃ Esse Projeto surgiu da necessidade de ampliar o acesso aos medicamentos e de aprimorar a qualidade dos serviços ofertados aos mais de 46 mil usuários de medicamentos excepcionais (alto custo) do estado. Vila Velha e Vitória (Metropolitana). que impedia o acesso aos portadores de necessidades especiais. doença de Crohn. Os usuários aguardavam entre 4 a 6 horas para receber seu medicamento. asma grave. Especificamente no caso da antiga Farmácia Metropolitana (Figura 1). pois as condições das farmácias eram antigas e deficientes. os medicamentos excepcionais eram fornecidos à população sob condições extremamente deficientes em todas as cinco Farmácias. Além da longa espera. hepatites virais. entre outros. doença de Alzheimer.. paredes e piso ruins. doença de Parkinson.

8 Figura 1 – Entrada da Antiga Farmácia Metropolitana Figura 2 – Recepção Figura 3 – Arquivo Figura 4 – Dispensação Há que se ressaltar que. situação importante nessa fase piloto. então. replicar para as demais farmácias. o Projeto denominado Farmácia Cidadã. esse acesso público representa a única alternativa de tratamento para a imensa maioria desses cidadãos. Nesse caso. assim como a ampliação da cobertura e do acesso dos cidadãos aos medicamentos excepcionais. além de estar localizada geograficamente mais próxima do nível central. os seus usuários dificilmente teriam acesso a esses produtos por meios próprios/particulares. . após sua efetivação. optamos por realizar esse piloto na Farmácia Metropolitana. por ser a unidade responsável por cerca de 45% de todos os atendimentos. pelo perfil dos medicamentos disponibilizados nessas farmácias. de maneira a garantir-se melhoria da qualidade e da humanização no atendimento prestado aos usuários dessas farmácias. proporcionaria um impacto significativo. Nesse contexto. Formulou-se. apresentado e aprovado como uma das prioridades da Secretaria de Estado da Saúde .SESA. ou seja. identificou-se a urgente necessidade de mudanças significativas no modelo de farmácia pública existente na rede estadual de saúde. ou seja. adotamos a estratégia de estruturarmos primeiramente uma Farmácia-Piloto e. Para a sua implantação.

agilidade e qualidade no atendimento aos usuários dos medicamentos excepcionais da Região Metropolitana e também do interior. estrutura física adequada. apresentando-o ao Exmº Secretário de Estado da Saúde. Vila Velha. a duplicação do número de farmácias cidadãs estaduais. ambiente climatizado. além de ampliar o acesso a esses tratamentos.9 Objetivos do projeto O Projeto Farmácia Cidadã vem trazer ao estado um conceito moderno em farmácia pública com maior disponibilidade de medicamentos. atendimento farmacêutico especializado. saltando de cinco para dez até 2009. o projeto prevê a implantação desse novo conceito nas outras quatro farmácias já existentes e. Como estratégia. após a conclusão e ajustes das diversas etapas. São Mateus. além da disponibilização de serviços pela internet. Guaçuí (nova) e Nova Venécia (nova) e Fundão (nova). elaboramos o Projeto denominado “Farmácia Cidadã: um conceito moderno em saúde”. central de tele-atendimento e comunicação via torpedo. assim como para as novas unidades a serem inauguradas. Após a aprovação do referido projeto. replicar para as outras Farmácias já existentes. Linhares (nova). a fim de cobrir geograficamente todas as microrregiões do estado. Objetivando a descentralização e interiorização dos atendimentos. em conformidade com o seguinte cronograma: 2008: Farmácias Cidadãs Metropolitana (piloto). . pretendemos proporcionar melhoria da humanização. Ações desenvolvidas A partir do diagnóstico da situação-problema. Venda Nova do Imigrante (nova). como já citado. informatização e desburocratização. também. iniciamos a implantação das diferentes ações necessárias à sua concretização. Com isso. Cachoeiro de Itapemirim. Ressalte-se que a replicação desse modelo de Farmácia para as demais já se encontra em processo de implementação. 2009: Farmácias Cidadãs Colatina. optou-se por iniciar sua implantação em uma Farmácia-piloto e.

para facilitar o acesso dos usuários a todas as informações e obter as orientações necessárias à abertura dos processos de solicitação dos medicamentos. aquisição dos equipamentos de informática. adequação da rede lógica e rede elétrica. além de novos digitadores e auxiliares de dispensação. . de 24/08/2007. Aquisição de um novo imóvel. do sistema de agendamento com dias e horários marcados e do atendimento preferencial aos usuários idosos e gestantes. Disponibilização de senhas individuais para que cada usuário possa monitorar. por meio de torpedos (SMS). departamentalização dos setores em função dos diferentes fluxos e processos de trabalho. entre outras.10 Assim. sobre a chegada de algum medicamento que estava em falta. por meio da implantação do sistema de atendimento por senhas eletrônicas. climatização e humanização do ambiente. treinamento da equipe. pela Internet. para transferência do Centro Regional de Especialidades. Informatização: desenvolvimento e implantação de um software. para a implantação do piloto. Reforma e adequação da área física destinada à Farmácia. em substituição ao antigo prédio do IAPI (localizado no centro de Vitória). em Jardim América. por meio da Portaria SESA/GAB Nº 056-R. além da aquisição de novo mobiliário. o andamento do seu processo. sobre a necessidade de viabilização de algum exame complementar. assim como monitorar todos os registros referentes ao seu histórico farmacoterapêutico na Farmácia. Disponibilização de um link direto no site da Secretaria para o Projeto Farmácia Cidadã. Contratação e treinamento de 08 (oito) novos farmacêuticos. com 525 m2. enviando mensagens informando-os sobre aspectos específicos do seu respectivo processo. foram desenvolvidas as seguintes ações: Oficialização do Projeto. Organização do atendimento diário aos usuários. Disponibilização de serviço de comunicação ativa com os usuários.

Implantação de um sistema permanente para avaliação do grau de satisfação dos usuários da Farmácia Cidadã. orientando os usuários e os médicos sobre os documentos e exames necessários para a abertura de processos e solicitação de medicamentos excepcionais. facilitando o acesso dos cidadãos e dos médicos às informações. .gov.es. proporcionando maior comodidade aos usuários. ainda em fase de licitação. Disponibilização de sacolas plásticas oxibiodegradáveis personalizadas aos usuários. na medida em que eles não precisarão mais se dirigir à Farmácia todos os meses.br). proporcionando aos usuários o gelo necessário à garantia das condições de temperatura adequadas para o transporte dos medicamentos termosensíveis até seu domicílio. Disponibilização de máquina de gelo na Farmácia. Essa dispensação trimestral foi possível para 110 medicamentos (segundo os critérios dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas). evitando-se falhas documentais e deslocamentos desnecessários.11 Inclusão de um link para a Farmácia Cidadã na página inicial do site da saúde (www. tanto dos usuários como da população em geral sobre o funcionamento desse serviço. orientações passo-a-passo e formulários para abertura de processos e solicitação dos medicamentos. Elaboração e distribuição de folderes informativos. originando um indicador para o monitoramento e aprimoramento dos serviços ofertados. para proporcionar maior comodidade e segurança no transporte dos medicamentos até seu domicílio. para orientar e esclarecer as dúvidas da população por telefone. Implantação do sistema de dispensação de medicamentos em quantidade suficiente para três meses de tratamento.saude. Contratação de serviço de tele-atendimento gratuito (call center).

era justamente a Dispensação dos medicamentos. há que se ressaltar que elas estão sendo estruturadas em parceria com os municípios. por meio da SESA. Essa Gerência constitui o lugar institucional responsável pela gestão de todas as atividades do Ciclo da Assistência Farmacêutica. responsabiliza-se pelo custeio de uma parcela dos recursos humanos e de todos os medicamentos disponibilizados aos usuários. por meio de convênios. Dificuldades encontradas para a implantação do projeto Para a viabilização e implantação do Projeto Farmácia Cidadã. a gestão do Ciclo da Assistência Farmacêutica passou a ser integral. com responsabilidades e contrapartidas definidas para cada esfera de governo. também instituiu que a gestão dessas Farmácias passaria a ser assumida paulatinamente pela Gerência Estadual de Assistência Farmacêutica (SESA/GEAF). melhores condições para a efetiva implantação do Projeto Farmácia Cidadã. Aquisição. proporcionando maior governança sobre essas atividades e. por conseqüência. que representam mais de 99% de todos os gastos estimados. Os municípios responsabilizam-se pelo investimento na estruturação e montagem da área física – estimada em R$ 30 mil. O Estado. quais sejam: Seleção de medicamentos.12 Investimento Em relação às novas Farmácias Cidadãs. assim como com o custeio com a manutenção e de parte dos recursos humanos. a única atividade do Ciclo que ainda não estava incorporada a essa gestão. Programação de compras. que acontece na Farmácia. Armazenamento e Distribuição. Esse investimento significativo e continuado nos tem possibilitado a ampliação e melhoria dos serviços ofertados na área da Assistência Farmacêutica. Por meio da Portaria SESA/GAB Nº 056-R. que formalizou a aprovação desse Projeto. Dessa forma. Em 2008 foram gastos 95 milhões de reais. com exceção da Dispensação de medicamentos. na medida em que estão acompanhados de melhoria e inovação na gestão implementada. foram identificados e solucionados os seguintes nós críticos: a) Modelo de gestão existente até agosto de 2007: as Farmácias encontravam-se vinculadas administrativamente às Superintendências e não possuíam coordenação local. Com esse ajuste. em média por Farmácia –. .

voltados para um comprometimento absoluto com a humanização e qualidade dos serviços ofertados: preparação de curso de capacitação em Farmacoterapêutica Racional e Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas para farmacêuticos. adequação da rede elétrica. as vagas pleiteadas foram aprovadas e o processo seletivo específico foi realizado. os candidatos foram submetidos a uma segunda avaliação. identificou-se a necessidade de criação de 15 novas vagas para Farmacêutico. inserindo . estruturação do datacenter na Prodest. tendo sido selecionado os quinze primeiros. qualificando as orientações sobre o modo correto de utilizar e conservar os medicamentos. assim como a reforma e adequação dos diferentes setores internos. d) Viabilização e adequação da área física para a primeira Farmácia (piloto). foram encaminhados e negociados com a Secretaria de Gestão (SEGER) e com o Gabinete do Governo. cadastro dos usuários no novo sistema. c) Sensibilização e capacitação dos recursos humanos. em função da estimativa de 500 usuários atendidos diariamente. juntamente com o Projeto. Assim. Dessa forma. com performance para operacionalização do sistema pela Internet. para a implantação das dez Farmácias Cidadãs e considerando-se o quadro existente. Objetivando-se a seleção de profissionais com perfil adequado ao trabalho a ser desenvolvido. e) Informatização: desenvolvimento de software específico e “100% web”. Após. os trinta candidatos com melhor classificação realizaram um Curso de 20h oferecido pela SESA. aplicou-se prova objetiva de caráter classificatório e eliminatório. estruturação da rede lógica. realizou-se o processo seletivo em duas etapas. parametrização do sistema.13 b) Viabilização de Farmacêuticos: foi realizado um dimensionamento do quadro. Após esse curso. com conteúdos específicos e relacionados com as atividades a serem desenvolvidas. viabilização do sistema de conectividade. inserindo-se todas as regras definidas pelos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. Na segunda etapa. que deveria ser superior a 500 m2. elaborou-se uma justificativa técnica que. Na primeira. para atendimento e gerenciamento de todos os diferentes fluxos e processos de trabalho inerentes às Farmácias de dispensação dos medicamentos excepcionais. treinamento de todos os profissionais. de maneira que a dispensação dos medicamentos passasse a ser realizada exclusivamente por Farmacêuticos. Após negociação com a Direção do novo Centro Regional de Especialidades (CRE) Metropolitano. além de cursos voltados para a qualidade no atendimento para a equipe de nível médio. foi possível disponibilizar uma área com 525m2.

na dispensação de medicamentos realizada exclusivamente por Farmacêuticos. que se encontra em fase de licitação. foram realizadas negociações para a identificação e definição de quais seriam os municípios-sede. Especificamente no tocante à viabilização e implantação das novas Farmácias Cidadãs em parceria com os municípios. na implantação de um sistema de avaliação permanente do grau de satisfação dos usuários em relação aos serviços ofertados. na comunicação ativa com todos os usuários por meio do envio de torpedos pelo celular. como: envio de mensagens automáticas por meio de torpedos (sistema SMS). além da disponibilização de um serviço de tele-atendimento (call center) gratuito. Especificamente em relação à comunicação via torpedo (SMS). possibilidade de agendamento. em geral. possibilidade de acompanhamento dos usuários pela Internet. Depois. em função do critério geográfico. ampliando-se a cobertura geográfica desse serviço para todas as Microrregiões do Estado. A partir desse consenso. o Estado do Espírito Santo passa a ser pioneiro e um dos melhores modelos do País. identificou-se e solucionou-se o seguinte nó crítico: f) Articulação de parceria e formalização de convênio com as Prefeituras: realizou-se reunião com os Secretários Municipais de Saúde. entre outras. customização e desenvolvimento de funcionalidades no novo software. e da Farmácia Cidadã Metropolitana. onde foi apresentado o Projeto e a possibilidade de implantação das novas Farmácias. os pacientes recebem uma mensagem informando se o seu processo foi autorizado ou não e solicitando o comparecimento à farmácia para receber o medicamento ou para . no conceito formulado. Inovamos na estrutura física de acolhimento ao cidadão. na informatização que permite que os usuários acompanhem seus processos e seu histórico de utilização dos serviços pela Internet. Com esse conceito de Farmácia pública. em particular.14 todos os dados necessários. encaminhou-se a formalização dos processos para realização dos convênios. por meio de senhas individuais. Práticas inovadoras de gestão desenvolvidas por meio do projeto A modernização representa uma grande evolução no processo de gestão na área da Assistência Farmacêutica da SESA.

Em outras palavras. por conseqüência. que veio trazer agilidade e comodidade aos pacientes. centrado no paciente. A implantação do sistema informatizado e de comunicação. Dessa forma. Outra ação diferenciada. já que o modelo tradicionalmente adotado nas Farmácias públicos do País dispensa todos os medicamentos para trinta dias de tratamento. reduziu de trinta para cinco dias o tempo máximo para análise e possível aprovação do processo do paciente e.15 resolver eventuais pendências. a população tem acesso a várias informações importantes sobre a assistência farmacêutica no estado. passaram a ter mais comodidade.gov. pois estão se deslocando menos para receber os medicamentos. que representam 45% do total.es. é a dispensação de medicamentos realizada exclusivamente por profissionais farmacêuticos. já que a grande maioria da população possui aparelho celular e pela permanente portabilidade do aparelho. que merece destaque. . O atendimento por farmacêutico tem como objetivo promover o uso racional de medicamentos e garantir uma terapia segura e efetiva.saude. Ainda no tocante à melhoria da comunicação com os usuários. foi reduzido de quatro horas para quarenta e cinco minutos. O tempo médio de espera dos usuários para receber o medicamento. além de fazer o agendamento de dia e horário para o recebimento do medicamento. sem ônus para o paciente. no site da Secretaria (www. informar sobre a disponibilidade de medicamentos e esclarecer outras dúvidas com um farmacêutico. no link da Farmácia Cidadã. foi a dispensação de 110 medicamentos em quantidade para três meses de tratamento. o estado apresenta um novo modelo de farmácia. Isso representa um grande benefício para os 46 mil cidadãos capixabas que utilizam o serviço. entendemos que se trata do meio de comunicação mais eficaz que implantamos. Em virtude da grande capilaridade que esse mecanismo de comunicação possui na atualidade. entre outros benefícios. Outro diferencial importante da Farmácia Cidadã. Em relação à central de tele-atendimento.br). esse serviço possibilitará. os usuários desses itens. podendo reduzir possíveis problemas relacionados com a farmacoterapia e alcançar resultados definidos que melhorem a qualidade do processo de utilização de medicamento e qualidade de vida dos pacientes. do acesso aos medicamentos. sobre quais medicamentos são disponibilizados e como conseguí-los.

Venda Nova do Imigrante. A Farmácia Cidadã Metropolitana já conta com uma estrutura física adequada. a fim de garantir a cobertura em todas as microrregiões do estado. com 6 guichês de dispensação de medicamentos realizada exclusivamente por farmacêuticos.16 Parcerias estabelecidas Com o intuito de facilitar e qualificar o acesso aos medicamentos excepcionais para os moradores do interior do estado. Nova Venécia. a SESA propôs parceria com os municípios de Linhares. no centro de Vitória. Apresenta atendimento informatizado e qualificado. piloto do projeto em Cariacica. para a Farmácia Cidadã Metropolitana. Fundão e Guaçuí para estruturação de 5 novas Farmácias Cidadãs. como pode ser observado nas figuras 8 a 14. Figura 8 – Entrada do CRE Metropolitano . O critério de seleção dos municípios foi a localização geográfica. aproximadamente 45% dos usuários do estado já estão se beneficiando com a mudança da antiga farmácia do IAPI. Resultados alcançados No âmbito dos medicamentos excepcionais. As parcerias foram realizadas mediante convênio de cooperação técnica e financeira contendo as competências da SESA e do município e o plano de trabalho para implantar a Farmácia Cidadã. climatizada e humanizada. Foi disponibilizado ainda o “Manual de Procedimentos para Formalização de Convênios da Secretaria de Estado da Saúde” com esclarecimentos com relação à liberação de recursos executados pela SESA.

17 Figura 9 – Transporte prioritário do CRE Metropolitano Figura 10 – Recepção da Farmácia Cidadã Metropolitana Figura 11 – Dispensação .

18 Figura 12 – Atendimento Farmacêutico Figura 13 – medicamentos Setor de Estoque e Conservação de Figura 14 – Setor de Arquivo .

O projeto Farmácia Cidadã vem proporcionando mais comodidade. Disponibilidade do medicamento Tempo de espera no atendimento Orientações recebidas pelo farmacêutico Atendimento na dispensação Atendimento na recepção Limpeza e organização do ambiente Branco/nulo Insatisfeito 6% 0% 81% 13% 18% 15% 64% 4% 4% 2% 2% 6% 6% 93% 75% 13% 91% 0% 0% 9% 5% 2% 4% Indiferente Muito Satisfeito + Satisfeito 89% Gráfico 1 – Grau de satisfação dos usuários da Farmácia Cidadã Metropolitana .19 Além dos resultados alcançados na estrutura física da Farmácia e seus conseqüentes benefícios já percebidos pela população usuária. Há atendimento diferenciado para idosos com agendamento de dia e horário certo. agilizando ainda mais o processo de comunicação. recebem informação sobre a autorização do seu processo por meio de torpedos no celular. Os pacientes podem obter informações. outros resultados também podem ser destacados. demonstrado por meio do Gráfico 1. com senhas individuais. com redução no número de deslocamentos e no tempo de espera/permanência dos usuários na farmácia. humanização e qualidade no atendimento aos cidadãos. além de agilizar e organizar o tempo de espera por medicamentos de alto custo. principalmente em relação à qualidade da cobertura em medicamentos e ao padrão bem mais moderno e qualificado dos serviços ofertados. O atendimento informatizado trouxe mais agilidade. Esses benefícios já podem ser percebidos pelo elevado grau de satisfação dos usuários. Ainda. baixar formulários e acompanhar o andamento do seu processo pela internet. comodidade e desburocratização no atendimento.

Figura 15 – Localização das Farmácias Cidadãs de Medicamentos Excepcionais Possibilidade de multiplicação Esse projeto piloto. prevê a adequação das outras quatro farmácias existentes a esse conceito implantado. pois todas as microrregiões passarão a ter pelo menos uma Farmácia Cidadã para a dispensação de medicamentos excepcionais (Figura 15). com a estruturação de cinco novas Farmácias Cidadãs até 2009. com previsão para iniciar no primeiro semestre de 2009. O segundo importante resultado. facilitando o acesso a esses medicamentos para toda a população capixaba. com um conceito moderno em Farmácia Pública. descentralizando o atendimento para todas as microrregiões do estado e facilitando o acesso a esses medicamentos. conforme já referido. . diz respeito à interiorização desse serviço. O primeiro refere-se ao serviço de teleatendimento gratuito que se encontra em fase de licitação.20 Outros dois resultados importantes ainda serão alcançados com a continuidade da implantação desse Projeto. assim como a abertura de outras cinco novas farmácias até dezembro de 2009.

objetivando a sua possível replicação. um Incentivo à implantações de Farmácias Cidadãs Municipais. Até abril de 2009 havia 18 municípios com processos em andamento para estruturar as suas Farmácias Cidadãs Municipais. o Estado do Espírito Santo. por meio da SESA. instituiu em abril de 2008. com os projetos e convênios tramitando para que o repasse dos recursos seja efetivado. . que aconteceu em julho de 2008. o conceito moderno de Farmácia Pública formulado no Projeto Farmácia Cidadã. assim como em um Seminário sobre Assistência Farmacêutica promovido pela Fundação Oswaldo Cruz. de maneira que seja implantada uma Farmácia Cidadã municipal em cada um dos 78 municípios capixabas nesse período. o “Manual de Procedimentos para Formalização de Convênios da Secretaria de Estado da Saúde” e um modelo do Termo de Adesão ao Projeto. até um limite de vinte projetos anuais. no período de 2008 a 2011. Para orientar os municípios interessados em implantar o projeto. em um Simpósio realizado em Goiânia também em junho de 2008. Além disso. realizada em junho de 2008 em Brasília.21 Esse Projeto já foi apresentado a outros Gestores Estaduais em três oportunidades: na reunião da Câmara Técnica do Conselho de Secretários Estaduais de Saúde – CONASS. no Rio de Janeiro. dois outros Estados da Federação já manifestaram interesse em conhecer mais detalhadamente o projeto. de maneira a se garantir melhorias também no atendimento aos usuários de medicamentos da atenção básica. O incentivo prevê o repasse de R$ 20 mil para cada projeto apresentado e aprovado. apresenta possibilidades reais de adequação e implantação em todos os municípios do estado. Nesse sentido. A partir dessa interação. na atenção primária. para a dispensação de medicamentos aos usuários nessa esfera de atendimento. a SESA disponibilizou na sua página na internet o documento “Parâmetros e orientações gerais para implantação de farmácia cidadã municipal”.

Um comprimido que sai a R$ 0. o SERP reserva outras vantagens: os municípios não precisam dispor de uma grande área para estoque porque a aquisição da mercadoria pode ser feita de acordo com a demanda. foram implementadas várias ações no sentido da melhoria e ampliação do acesso da população aos medicamentos da atenção básica. com aquisição a preços menores em função da economia de escala. . Foi elaborada com base na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais. As informações são enviadas à SESA e todos os itens comuns aos municípios são reunidos em um único processo licitatório. Trata-se de uma ferramenta que permite que os gestores municipais estabeleçam a quantidade e os tipos de medicamentos que estão previstos para serem utilizados no período de 12 meses. adaptadas às peculiaridades epidemiológicas locais. Os medicamentos da REMEME foram selecionados segundo critérios de relevância em saúde pública. A estimativa é que haja uma economia total de até 30% do preço médio dos produtos. o elenco de medicamentos essenciais foi ampliado.03 pode sair a R$ 0. saltando de 74 para 209 itens.01 com o Sistema Estadual de Registro de Preços. A partir da Relação Estadual de Medicamentos Essenciais e Medicamentos Excepcionais – REMEME. A iniciativa permite reduzir a burocracia local e promover a conseqüente melhoria da disponibilização de medicamentos pelas prefeituras municipais com maior agilidade e ainda otimizar a aplicação de recursos. evidências de eficácia e segurança e estudos comparativos de custo-efetividade. Além disso.22 ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE A partir da Política Farmacêutica do ES. o que pode representar até R$ 10 milhões em recursos a serem otimizados e reaplicados na ampliação do número de atendimento e na melhoria do acesso aos medicamentos da atenção básica. A lista de medicamentos essenciais da REMEME deve ser norteadora para as Relações Municipais de Medicamentos Essenciais. A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) está estruturando o Sistema Estadual de Registro de Preços – SERP. pois a lista anterior não cobria o tratamento de todas as doenças e agravos no campo da Atenção Primária em Saúde.

Grupo 2 – para os 29 municípios com escore MQS-ESF de 23 a 25. aumentar em 50% o repasse estadual anual per capita de R$1.00. O Estado faz a administração virtual da ata do registro de preço e preserva a autonomia dos municípios. para garantia das boas práticas de armazenagem e conservação dos medicamentos. triplicar repasse estadual anual por habitante de R$1. ao fornecedor que.23 O SERP representa uma modernização no gerenciamento na medida em que o gestor estadual não se envolve na logística de armazenamento e distribuição dos itens.000.500. de forma complementar.00 para R$2. A ampliação do repasse estadual aos municípios foi pensada com base no princípio da eqüidade (discriminação positiva). as prefeituras fazem o pagamento. de maneira a chegar ao valor de R$10.00 para R$3. O município que tiver interesse em aderir ao aumento de repasse estadual também deverá aumentar o repasse municipal para aquisição de medicamentos básicos. de R$1. 3 na Região Metropolitana. duplicar repasse estadual anual por habitante. Outra ação da SESA para fortalecer Assistência Farmacêutica na Atenção Primária foi instituir um incentivo de R$150. aumentar o repasse estadual anual por habitante. totalizando . Outra ação prevista pelo Estado foi o aumento do repasse estadual aos municípios para aquisição dos medicamentos pelo princípio da eqüidade de R$ 7.50.00 de investimento.10 para R$ 10 por hab/ano. a fim de melhorar o acesso e a cobertura em medicamentos da atenção primaria à saúde.00 para R$1. A proposta contempla a estruturação de 7 CAFs no interior e R$1.00 por habitante/ano.50. como segue: Grupo 1 – para os 32 municípios com escore MQS-ESF de 26 a 30 (com maior necessidade). em conformidade com a REMEME. Por outro lado.00 para R$2. Grupo 4 – para os 5 municípios com escore MQS-ESF de 13 a 18.00 para a construção de uma Central de Abastecimento Farmacêutico . Além disso. sem intermediários.CAF por Microrregião. deverá ampliar o elenco de medicamentos da Relação Municipal de Medicamentos Essenciais .000. por sua vez.REMUME. Grupo 3 – para os 12 municípios com escore MQS-ESF de 19 a 22.00. e no critério da Avaliação da Melhoria da Qualidade na Estratégia de Saúde da Família (AMQ-ESF). também entrega a mercadoria diretamente às prefeituras municipais. de R$1.

áreas específicas para dispensação. que precisa conter. por meio de dois cursos de capacitação em Farmacoterapia Racional. custeio e gerenciamento das CAF’s.24 Para a efetivação das CAFs. atendimento farmacêutico especializado e humanizado. além do cumprimento da legislação vigente. com estrutura adequada. no tocante às Boas Práticas de Controle e Armazenagem. para garantir uma Assistência Farmacêutica humanizada e de qualidade. para a montagem. a SESA também criou incentivo de R$ 20 mil para a estruturação de Farmácia Cidadã Municipal. . a Política Farmacêutica do Estado prevê educação permanente em Assistência Farmacêutica na Atenção Básica. os municípios deverão realizar consórcios entre si para elaboração do projeto. Para receber este incentivo. atendimento farmacêutico e estocagem. Com o objetivo de promover a melhoria das condições de atendimento aos usuários de medicamentos nas farmácias municipais. com ênfase nos elenco de medicamentos essenciais da REMEME e Planejamento e Gestão em Assistência Farmacêutica. minimamente. Além disso. além da disponibilização de farmacêutico em tempo integral. por conseqüência. Este projeto vem garantir a qualidade dos medicamentos e. dos resultados terapêuticos dos tratamentos. o município deverá apresentar projeto arquitetônico de uma farmácia. assim como para o gerenciamento das obras.

ou caso o diagnóstico ou estabelecimento de conduta terapêutica para o agravo estejam inseridos na atenção especializada. Artrite reumatóide. déficit de atenção. como: Osteoporose.25 AMPLIAÇÃO DO ACESSO AOS MEDICAMENTOS EXCEPCIONAIS Além da melhoria na estrutura física e funcional promovida pelo projeto Farmácia Cidadã. Esses medicamentos são utilizados para tratar doenças que podem acarretar sérios danos. Esquizofrenia refratária. Hepatites B e C. Como exemplos dessas doenças ou disfunções. glaucoma. diz respeito ao nível de acesso dos usuários aos medicamentos excepcionais. Os medicamentos excepcionais são aqueles de uso ambulatorial. também foi possível com esse projeto melhorar ainda mais os índices de disponibilidade permanente em estoque. incapacitação para o trabalho. doenças para as quais os seus portadores não encontravam nenhuma alternativa de tratamento na rede pública estadual. Há que se ressaltar ainda que. considerando-se o número de itens disponibilizados e o índice de cobertura mantido. ou seja. entre outras. podemos citar a hipertensão pulmonar. . refratariedade ou evolução para quadro clínico de maior gravidade. perda de qualidade de vida. Asma grave. eram disponibilizados 133 medicamentos excepcionais até novembro de 2007. Após a elaboração da Relação Estadual de Medicamentos Essenciais e Excepcionais – REMEME foram inseridos na lista 46 novos itens e o número de medicamentos excepcionais disponibilizados passou para 179 itens. outro aspecto que merece destaque. Essa realidade acarretava a existência de vazios assistenciais. pela cronicidade do tratamento. conforme apresentado no gráfico 2. entre outras. que passou de 76% em 2006 para 98% em 2008. em geral de elevado custo unitário ou que. os medicamentos serão destinados caso haja tratamento previsto para o agravo no nível da atenção básica. doença pulmonar obstrutivo crônica (DPOC). ao qual o paciente apresentou necessariamente intolerância. além do aumento no número de medicamentos disponibilizados. Distonias. Neste segundo caso. redução da expectativa de vida e óbitos. Eles são destinados ao tratamento de doenças raras ou de baixa prevalência ou até mesmo de doenças prevalentes. tornam-se muito onerosos para serem adquiridos pela população. Doença de Parkinson. No Estado do Espírito Santo. Espasticidade.

Ressalte-se que esse índice é verificado e atualizado semanalmente. A referida ampliação do acesso. Inovamos na disponibilização do maior elenco de medicamentos excepcionais do País.26 Cobertura 90 76 133 itens 93 98 179 itens 2005 2006 2007 2008 Gráfico 2 – Índice de Cobertura em medicamentos excepcionais no estado de 2005 a 2008 Com o aprimoramento da gestão da logística de suprimento desses medicamentos. eliminando vazios assistenciais que ainda persistem em vários estados da federação. Observase um incremento significativo. garantiu-se um índice de cobertura sempre superior a 97% em 2008. Em diversas semanas. saltando de 107 mil em 2003 para 308 mil em 2008 (Gráfico 3). . em termos do aumento do número de medicamentos e das doenças tratadas pela rede pública também vem sendo acompanhada pelo número de atendimentos realizados pelas Farmácias. e na gestão da logística. possibilitando a garantia de índices de excelência e a imediata adoção de providências quando esse índice atingir níveis abaixo da meta mobilizadora de um mínimo de 95%. sempre crescente nos últimos seis anos. esse índice vem sendo 100%. proporcionando índices de excelência na cobertura em medicamentos.

que saltaram de R$ 22 milhões para R$ 95milhões nesse período. houve substancial melhoria e inovação na gestão. A aplicação de recursos financeiros na área da Assistência Farmacêutica pelo atual Governo do Estado do Espírito Santo demonstra uma priorização dessa área. 95 70 65 80 70 60 50 40 30 20 10 0 45 30 14 2002 22 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Gráfico 4 – Gastos (em R$ milhões) com medicamentos na Sesa de 2002 a 2008 . acompanhada de incremento nos recursos financeiros destinados a essa área. conforme apresentado nos gráficos abaixo.27 308 245 147 107 69 2002 2003 2005 2007 2008 Gráfico 3 – Número de atendimentos (em milhares) nas farmácias de medicamentos excepcionais no estado de 2003 a 2008 Para o alcance desses resultados.

se não fosse por meio do Estado. pela impossibilidade das pessoas obterem esses tratamentos por meio próprio/particular. seja pela gravidade das situações tratadas.28 24 20 13 9 7 4 2002 2004 2006 2008(projeção) 21 2002 2004 2006 2008 Gráfico 5 – Gastos por habitante (em R$) com medicamentos na Sesa de 2002 a 2008 Ressalte-se que esses tratamentos abrangem o atendimento a todos os cidadãos que precisam desses medicamentos. Some-se isso ao fato de que a grande maioria das pessoas não conseguiria ter acesso. a ampliação e melhoria do acesso pela população a esses serviços. Dessa forma. apresenta-se extremamente relevante sob o aspecto sócio-econômico. tanto aqueles oriundos da rede SUS como aqueles provenientes da rede particular. seja pelo elevado número de usuários e/ou pelo elevado montante de recursos públicos aplicados. . visto que alguns desses tratamentos chegam a custar mais de R$ 30 mil mensalmente.

Sem margem a dúvidas. amparado na burocracia para “Serviço ao Público”. . tanto da rede estadual como municipal de saúde. dependerá. Enfim. por certo. preliminarmente. também. Trata-se do desafio de mudança de paradigma: de “Serviço Público”. a saúde deve ser compreendida como um direito natural. em certa medida. selecionados à luz das melhores evidências científicas. Com isso. a promoção do uso racional dos fármacos e a melhoria da qualidade e das condições no atendimento realizado aos usuários nas Farmácias. Assim. relacionado com a própria noção de cidadania. é viabilizar o acesso a fármacos com qualidade. Assim. São marcantes os ganhos proporcionados quanto à esperança e qualidade de vida das pessoas. principalmente àqueles cidadãos menos favorecidos. em especial por meio do atendimento farmacêutico especializado e Farmácias com estruturas modernas e confortáveis. no sentido amplo. é o maior responsável pela formulação e adoção de políticas que tenham o intuito de promover esse acesso. fundamentado na qualidade. proporcionada pela atual política. agora o maior desafio dessa Política passa a ser a melhoria do acesso aos medicamentos essenciais na rede municipal de saúde. com a garantia do acesso a medicamentos eficazes e seguros. do grau de legitimação e apropriação social que essas mudanças em processo obterão. conseguimos superar. de muitas variáveis e desdobramentos. Estará na dependência.29 CONCLUSÃO Conceber um Sistema de Atenção à Saúde pressupõe. de uma missão em permanente construção. o grande desafio dessa Política Farmacêutica em implantação. com mais de 308 mil atendimentos e garantindo um índice de cobertura em medicamentos acima de 95%. Inserido nesse contexto do direito à saúde. o alcance de uma efetiva e sustentável melhoria da Assistência Farmacêutica em nosso Estado. encontra-se a Assistência Farmacêutica. Esse movimento representa um primeiro e importante passo. No caso do nosso Estado. promovendo o seu uso racional e proporcionando a humanização no atendimento prestado aos seus usuários. considerar a própria percepção sobre a saúde e seus princípios fundamentais. o Estado. celeridade e resolutividade dos atendimentos. o desafio da acessibilidade aos medicamentos excepcionais.

es. Especialista em Análises Clínicas pela EMESCAM.es. Graduado em Economia.br Patrícia Campanha Barcelos – Graduada em Farmácia e Bioquímica e especialista em Farmacologia Básica e Clínica pela Universidade Federal do Espírito Santo.IMS/UERJ.br Graziany Leite Moreira – Graduada em Farmácia e Bioquímica pela Escola Superior São Francisco de Assis .br . Endereço eletrônico: geaf@saude. Endereço eletrônico: geaf@saude.30 ___________________________________________________________________ AUTORIA Silvio César Machado-dos-Santos – Graduado em Farmácia e Bioquímica.gov.. Gerente de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo.gov. Mestre em Saúde Pública. Diretor e pesquisador do Instituto Salutaris.ESFA. Especialista em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde. Mestranda em Gestão de Tecnologias em Saúde no Instituto de Medicina Social . Professor Universitário (EMESCAM e UNIVIX). Endereço eletrônico: geaf@saude.es.gov. Atua na Farmácia Cidadã Metropolitana da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo. Atua na Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo na área de Monitoramento e Avaliação.