Cópia não autorizada

DEZ 1986

NBR 9690

Mantas de polímeros para impermeabilização (PVC)
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210 -3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

Especificação Origem: 22:004.04-001/1988 CB-22 - Comitê Brasileiro de Isolação Térmica CE-22:004.04 - Comissão de Estudo de Materiais Elastoméricos e Termoplásticos NBR 9690 - Polymer (PVC) blankets for waterproofing - Specification Descriptor: Waterproofing Palavra-chave: Impermeabilização 2 páginas

Copyright © 1990, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

SUMÁRIO
1 Objetivo 2 Documentos complementares 3 Definições 4 Condições gerais 5 Condições específicas 6 Inspeção 7 Aceitação e rejeição

ASTM D 2240 - Rubber property - durometer hardness, test for DIN 53370 - Testing of plastic films; determination of the thickness by mechanical feeling

3 Definições
Os termos técnicos utilizados nesta Norma estão definidos na NBR 8083.

1 Objetivo
Esta Norma fixa as condições exigíveis às mantas de polímeros calandradas ou extrudadas, destinadas à execução de impermeabilização, para serem aplicadas sem contato com materiais asfálticos. Como polímero, para efeito desta especificação, entende-se o policloreto de vinila (PVC).

4 Condições gerais
4.1 As mantas devem ser planas e de bordas paralelas com espessura uniforme. 4.2 Devem ser impermeáveis, resistentes à umidade e não modificar seu volume em contato com água. Devem resistir ao envelhecimento, ao ataque de microorganismos, aos álcalis e ácidos eventualmente presentes em águas pluviais, às águas agressivas do subsolo e resistir a perfurações por grãos de areia. 4.3 Não devem modificar suas características físicas quando sujeitas a temperaturas na faixa compreendida de 0°C a 70°C. Não devem apresentar bolhas, rachaduras e devem manter sua uniformidade. 4.4 As emendas das mantas de PVC, serão feitas de forma a garantir soldagem perfeita, sem danificar as mantas. As faixas de superposição das mantas nas emendas deverão ter no mínimo 4 cm.

2 Documentos complementares
Na aplicação desta Norma é necessário consultar: NBR 6565 - Elastômero vulcanizado - Determinação do envelhecimento acelerado em estufa - Método de ensaio NBR 7462 - Elastômero vulcanizado - Determinação da resistência à tração - Método de ensaio NBR 8083 - Materiais e sistemas utilizados em impermeabilização - Terminologia ASTM D 792 - Specific gravity and density of plastics by displacement, tests for

f) alongamento na ruptura à tração: . . Devem vir em rolos firmemente bobinados e bem acondicionados num invólucro adequado. .12 MPa. c) durante a aplicação da manta.longitudinal . não deve ser menor do que 90% do valor nominal. .168 h.4 Para tanto devem ser obedecidas as condições indicadas nas seções 6. A amostra deve ser de no mínino 1 m² de modo que contenha uma emenda executada nos depósitos e/ou na obra. A estocagem dos rolos na obra deve ser indicada pelo fabricante e em local protegido da incidência dos raios solares.5. .80 ± 5.2 A espessura da manta.transversal . devem ser livres de defeitos visíveis.1.longitudinal . d) identificação do polímero (infravermelho)PVC. das bordas das mantas.Cópia não autorizada 2 NBR 9690/1986 5 Condições específicas As mantas devem apresentar as seguintes características: a) espessura da manta .máx.7 Imediatamente após a extração.mín. . deve ser retirada uma amostra e realizado a série de ensaios mencionados no Capítulo 5. que não prejudiquem as características dos rolos das quais forem extraídas. no sentido do comprimento. beiras serrilhadas ou de corte não reto e devem satisfazer aos Capítulos 4 e 5. 6.8 As amostras são submetidas aos seguintes ensaios constantes da Tabela. e).6 e 6.6 As amostras são extraídas.mín.Ensaios Espessura Densidade Dureza Shore A Identificação do polímero Tensão de ruptura.250%. 6.0 mm. .1. NBR 6565 Até que se publique norma brasileira sobre o assunto.60 N. . .mín. de tal modo. 6. como por exemplo.transversal . preferencialmente.5 Para cada 1000 m² de manta. e f) não devem sofrer alterações superiores a 20% em relação ao valor inicial. h) envelhecimento por exposição em estufa .mín. 6.mín. Em caso contrário todo o lote será rejeitado. . 6.7. em qualquer ponto.1 As mantas quando recebidas na obra. rasgos. Nota:As características mecânicas do material após envelhecimento constante nas alíneas c). 6. com circulação forçada de ar a 70°C. Tabela . na ordem em que se realizar a extração e devidamente identificadas com o lote ao qual pertencem.mín. 6. g) carga de ruptura à tração na emenda (corpo-de-prova tipo I da NBR 7462) . b) massa específica relativa .12 MPa. b) nos depósitos da obra. estas amostras são numeradas. c) dureza Shore A . alongamento na ruptura e carga de ruptura à tração Envelhecimento em estufa (A) DIN 53370(A) ASTM D 792 . 6. furos.Método A-1(A) ASTM D 2240/64 T(A) Infravermelho NBR 7462 6 Inspeção 6. e) tensão de ruptura à tração: . . 7 Aceitação e rejeição As amostras representativas de um determinado lote devem obedecer às condições gerais e específicas mencionadas nos Capítulos 4 e 5.250%.40 kg/cm3.3 As amostras para efeito de ensaios podem ser extraídas: a) nos depósitos do fabricante.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful