You are on page 1of 9

-FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE

CURSO DE FARMÁCIA 1º SEMESTRE BIOLOGIA GERAL

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

EXTRAÇÃO DE DNA VEGETAL E TIPAGENS SANGUÍNEAS

VITÓRIA DA CONQUISTA- BA 26 de Abril de 2012

FAINOR-FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO DE FARMÁCIA 1º SEMESTRE XXXXXXXXXXXXXXXXX EXTRAÇÃO DE DNA VEGETAL E TIPAGENS SANGUÍNEAS VITÓRIA DA CONQUISTA-BA 26 de Abril de 2012 .

tendo o objetivo de conhecer os princípios básicos da extração de material genético utilizando uma cebola ( Allium cepa ).Resumo Este relatório refere-se as aulas práticas de extração de DNA vegetal. .

colocando o copo no gelo por 5 minutos. Resfriou a mistura. . PROCEDIMENTO Colocou-se em um copo 20 ml de água. Juntou a cebola picada no copo com a solução de lise e levou ao banho-maria a 60°c por exatamente 15 minutos.1 Materias        Meio copo de cebola picada ( 50g) 1 faca (ou bisturi ) 2 copos de 250 ml 2 copos medidores (ou proveta de 50 ml) 1 bastão de vidro 1 espátula Funil de coar café  Banho-maria a 60°c 1. uma pitada de sal (1 colher de café ) e misturou-se bem. 10 ml de detergente.2 Reagentes     Água filtrada (ou destilada) Detergente de conzinha transparente Sal de conzinha (ou NaCl ) Álcool etílico comercial gelado ( ou etanol 95% )  Gelo 2.1. Esta foi uma solução de lise. mexendo periodicamente não fazendo movimentos muito bruscos. MATERIAS E REAGENTES 1.

Esperou alguns minutos. recolhendo o filtrado em um copo limpo. atua nas membranas das células que são formados por fosfolipídios. Os fios esbranquiçados e grudentos formados são aglomerados de muitas moléculas de DNA e ficarão presos na ponta do bastão de vidro. RESULTADOS O detergente emulsiona as gorduras. as enzimas são desnaturadas inclusive o DNA ases. Mergulhou o bastão de vidro no copo fazendo movimentos circulares cuidadosos sem mexer bruscamente para não quebrar as moléculas de DNA. esses íons interagem com os fosfatos da molécula de DNA tornando-as estabilizadas. cerca de 20 ml de álcool etílico comercial gelado. Adicionou bem lentamente e pela borda do copo. menos solúveis na água. 3. contendo apenas o DNA.Filtrou a mistura no filtro de café. em seguida o gelo diminui a frequência de quebra da molécula. uma superior alcoólica e uma inferior aquosa. E por fim o álcool etílico desidrata as moléculas de DNA. desnaturando-as. ou seja. a extração de material genético foi feita para ser visto como é exatamente uma molécula de DNA. A filtragem retira os restos celulares. NaCl dissocia em solução Na+ com Cl-. Formaram-se duas fases. . retirando-as de solução 4. CONCLUSÃO Portanto. A temperatura ajuda degradar a parede celular e lisa a célula.

Portanto é fundamental a caracterização dos grupos sanguíneos artes dos procedimentos de transfusão. Já os do grupo AB expressam ambos os antígenos na superfície das hemácias e os do grupo O não expressam nenhum dos dois. Por exemplo. é o mais importante sistema de tipagem sanguínea e rege as transfusões de sangue até os dias atuais. indivíduos do tipo A expressam somente antígenos A na superfície das sua hemácias. Por exemplo. glicoproteínas e alguns desses antígenos de membrana formam. descoberto no início do século xx. é a caracterização do sangue baseada na presença ou ausência de substâncias antigênicas herdáveis presentes na membrana das células vermelhas. Assim. carboidratos. Essas bactérias estimulam a formação de anticorpos contra células. O sistema ABO. Estes antígenos da membrana das hemácias podem ser proteínas. indivíduos do grupo AB que possui antígenos A e B nas suas hemácias não desenvolvem anticorpos anti-A ou anti-B. A reação de aglutinação causada pelos anticorpos contra esses antígenos é chamada hemaglutinação. permitindo que as células se aglutinem quando sofrem reação cruzada com anticorpos. Bactérias do trato gastrintestinal possui em suas membranas antígenos similares ou idênticos aqueles do sistema ABO. enquanto os do tipo B expressam somente antígenos B. Os antígenos do sistema ABO são produtos dos genes ABO localizados no cromossomo 9 de humanos. Já os indivíduos do grupo O que não apresentam antígenos na superfície das hemácias desenvolvem anticorpos anti-A e antiB Quando um indivíduo recebe sangue de um grupo diferente do seu isso pode desencadear respostas imunológicas que podem levar a destruição das células vermelhas do sangue. os anticorpos anti-A presentes no sangue do doador reagem contra os antígenos da superfície da célula vermelha do receptor provocando hemaglutinação. o que chamamos de sistema de grupo sanguíneo. também chamado de grupo sanguíneo. se um indivíduo do grupo A (receptor) recebe sangue do grupo B (doador). Sua descoberta ocorreu quando cientistas observaram a ocorrência de aglutinação de hemácias devido a fixação de anticorpos e antígenos específicos presentes na membrana dessas células.1. INTRODUÇÃO Um tipo sanguíneo. . Os antígenos de grupo sanguíneo estão organizados em múltiplas cópias na superfície da hemácia. coletivamente. formação de coágulos e destruição em massa das hemácias do receptor levando à morte.

sendo R dominante sobre r.(negativas). o sangue é do grupo B. Essas pessoas são Rh+ (positivas). lado a lado. o sangue é do grupo AB. c) Se houver aglutinação somente com o soro anti-A.2. 2. uma gota de soro anti-A e outra de soro anti-B. 15% das pessoas não possuem nas hemácias o fator Rh e são Rh. estando por isso sensibilizado.2 Sobre cada gota de soro coloca-se uma gota do sangue a ser identificado. Fator Rh (Rhesus) ou Fator D – 85% das pessoas possuem nas hemácias um antígeno chamado fator Rh. Mecanismo genético . GENÓTIPOS RR Rr rr FENÓTIPOS Rh+ Rh+ Rh- Transfusões – O único caso em que há problemas ocorre quando o doador é Rh+ e o receptor é Rh-. . Observando-se o resultado. PROCEDIMENTOS 2. tendo o último já recebido anteriormente uma transfusão de sangue Rh+ . d) Se aglutinar somente com o grupo B. temos: a) Se não houver aglutinação em nenhum dos lados. o sangue é do grupo A. b) Se houver aglutinação nos dois lados.O fator Rh é determinado por um par de alelos. R e r: R determinando a formação do fator Rh e r determinando a sua não formação.1 Coloca-se numa lâmina de microscopia. o sangue em exame é do grupo O.

. Testando sangue humano com anticorpos anti-Rh cientistas verificaram que em 85% do sangue humano testado ocorria aglutinação (Figura 1) . Indivíduos que apresentam o antígeno Rh D na superfície das suas hemácias são denominadas de Rh positivos (Rh+) e os que não possuem o antígeno Rh D são chamados de Rh negativos (Rh-). e) sendo o antígeno Rh D o mais imunogênico. D. c.3. CONCLUSÃO Portanto. concluímos que o sistema Rhesus é o segundo mais importante sistema de tipagem e classificação sanguínea. ou seja . Foram descritos cinto antígenos Rh diferentes (C. Dessa constatação os cientistas concluíram que na membrana das hemácias do macaco do Rhesus havia um antígeno de membrana que foi denominado fator Rh (de Rhesus ). o termo fator Rh refere-se somente ao antígeno Rh D. Foi descoberto na década de 40 cientistas perceberam que ao ejetar-se sangue do macaco do gênero Rhesus em cobaias. E. os anticorpos anti-Rh reconheciam o antígeno Rh na superfície das hemácias humanas. havia a produção de anticorpos para combater as hemácias introduzidas. Portanto.

.RESUMO Este relatório refere-se as aulas práticas de tipagens sanguíneas. sendo uma reação causada pelos anticorpos. este sendo como um processo de manuseio onde podemos conhecer os grupos sanguíneos através da hemaglutinação.