You are on page 1of 16

A consagração do cristão inicia no lar Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor!

Nesta oportunidade nós estaremos meditando na Palavra de Deus que se encontra no Salmo 127.1-5

1 – Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.

2 – Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono. 3 – Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre, o seu galardão.

4 – Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade.

5 – Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta.

O salmista não está necessariamente falando sobre a casa física, material, como paredes, telhados, portas, mas está se referindo as pessoas que formam a constituição da família e atributos necessários para que a mesma se mantenha. Ele fala do desperdício de esforços, caso o Senhor não esteja presente.

Vemos claramente a diferença de que é dependente Dele e quem não é

A. Deus da segurança. a. Edifica a casa b. Guarda a Casa

B . Deus da prosperidade. a. Provê finanças/ A renda é dada por Ele. b. Mantém a Casa/ Sustenta a família. c. Concede o sono/ Benção de Deus.

C. Deus da fecundidade a. Acrescenta filhos. b. Acrescenta felicidade. c. Sendo o maior tesouro que podemos ter.

O apóstolo Paulo, usado por Deus e em resposta ao carcereiro de Filipos, (At 16.31) deixou uma mensagem explícita não apenas para aquele homem, mas para toda a humanidade: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa”.

Esta é uma promessa que se estende a toda a casa daquele que crê, numa clara indicação de que Deus tem interesse em abençoar a família e não somente o indivíduo.

No entanto, o que temos visto são filhos e filhas de crentes entregues aos prazeres mundanos e carnais, entre os quais, o vício das drogas, da lascívia

e da prostituição, sem temor e sem reverência à santidade de Deus, deixando os pais angustiados e preocupados com o que lhes possa acontecer

Para termos famílias consagradas, onde a operação divina é tão atuante e poderosa a ponto de nos livrar das maldições que o pecado traz a nossas famílias, os pais – principais líderes e responsáveis na condução de uma família a Deus – necessitam colocar o Senhor no centro de seus corações, de suas atitudes e de seu lar.

I.

A teologia do salmos 127

O nome atual do LIVRO DOS SALMOS, ou simplesmente SALMOS, está diretamente ligado à mais antiga designação utilizada para esta coleção de poemas ou cânticos religiosos. O nome português deriva da palavra grega "Psalmoi" e esta é já utilizada na antiga tradução grega, chamada dos Setenta, para traduzir o termo hebraico "mizmorôt", (cânticos). Este parece ter sido o seu nome hebraico mais antigo. Por isso, quando o Novo Testamento lhe chama "biblos psalmôn", está a usar uma designação carreta e formal. No entanto, já nos textos de Qumrân e em alguns autores cristãos antigos aparece o nome que atualmente lhe é dado na Bíblia Hebraica: "Sepher Tehillim", "Livro dos louvores".

Este salmo é denominado “Salmo didático”. Tal é o título que se dá aos SALMOS que ajudam a refletir sobre temas, acontecimentos e valores importantes. Podem subdividir-se em "Salmos sapienciais" ou de meditação, o que é o caso do SALMOS 127.

Sistematizar o pensamento que nos é oferecido no LIVRO DOS SALMOS tem muito a ver com tudo o que anteriormente se disse da sua leitura. Não é verdadeiramente um livro, nem foi feito de uma só vez; não tem, portanto, uma doutrina uniforme e explícita. A sua verdadeira unidade é a da atitude de oração que em todos eles se exprime.

Mesmo assim, há idéias que são expressas com mais ou menos intensidade. A utilização que tiveram fez deles a expressão literária das verdades religiosas fundamentais. É o caso das expectativas messiânicas, facilmente associadas aos Salmos de temática real. Mas o que eles traduzem mais explicitamente é, sobretudo a concepção de Deus e de todos os elementos decisivos da experiência religiosa: um Deus que governa o mundo, a vida e a História, que é acolhedor e próximo, disposto a atender os pedidos de socorro, os gritos de desespero e os anseios de esperança, tanto de cada indivíduo como de toda a comunidade.

Especificamente o Salmo 127, trás a temática da constituição do clã. Da casa quanto a família, dos integrantes desta família. E a noção de que a presença de Javé na “casa” faz toda a diferença. De que todo esforço humano independente da provisão divina torna-se fútil.

II . EDIFICADOS POR DEUS

“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”; (Sl 127.1a)

Para que a família seja, de fato consagrada, não pode estar apoiada em valores sociais ou morais por melhores que eles sejam, mas unicamente em Deus, o autor da família, e em seus princípios, que tem todos os atributos necessários para torná-la uma bênção, além de ser Ele mesmo o maior interessado em ser o Senhor de nossos lares (Ef 3:20). “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.” (Fp. 2.13)

1. Através da Santificação

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” (Hb 12.14)

O primeiro passo que devemos dar para que nossos lares sejam, de fato, consagrados a Deus é a santificação. O ambiente de paz, tranqüilidade, amor e sabedoria que desejamos para nossas famílias só se manifestarão com a presença constante de Deus em nossas casas previamente consagradas a Ele, em plena santificação de nossas vidas.

Não é por acaso que o autor da epístola aos Hebreus associou a santificação à paz, uma vez que o coração consagrado não abre espaços para brigas e contendas, posto que essas são obras da carne, incompatíveis com um lar santificado. Isso significa dizer que um lar essencialmente cristão e separado para Deus produz marido, esposa e filhos pacíficos e equilibrados.

O lar santificado não se associa com as obras da carne (Gl 5.19-21), mas pratica o fruto que o Espírito Santo produz (Gl 5.22).

2. Através da Obediência

“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.”(Dt 6.6-7)

Deus deu ordens aos israelitas a respeito da sua Palavra. Ela deveria ser ensinada aos filhos em todas as ocasiões do dia em que surgisse a oportunidade: assentado em casa, andando pelo caminho, ao levantar e ao deitar.

Se cada pai e mãe se dispuserem, no seu coração, a obedecer a esse mandamento bíblico, seremos abençoados com uma geração de crianças, jovens e adultos comprometidos com a Palavra de Deus e tudo que dela implica, seja a renúncia ao pecado e aos hábitos mundanos, seja dedicação total a Deus.

Mas é importante notar que Deus diz que a sua Palavra deverá estar, primeiramente, no coração dos pais. Não na mente, no raciocínio, na consciência, apenas, mas no coração, o lugar da devoção e da obediência, o que os capacitará a ser bons exemplos a seguir.

3. Através da Oração

“…A oração do justo pode muito em seus efeitos.”(Dt 6.6-7) Não há como termos um lar consagrado a Deus se nele não houver a presença diária da oração. O próprio Senhor Jesus orava noites inteiras e sempre ordenavanos à oração (Mt 14.23; 26.41) Através da oração, os pais podem e devem rogar a Deus pelos filhos desde o ventre da mãe para que os torne servos

fiéis e obedientes do Senhor. Por ela, podemos interceder pelos cônjuges para salvação, transformação e edificação. Devemos, também, suplicar ao Altíssimo a nossa santificação e aperfeiçoamento na fé

Em Atos 10 e 11, temos um bom exemplo do Centurião Cornélio, que salvou a sua família através da oração. Quando em resposta às orações daquele homem Deus enviou Pedro para lhe pregar a respeito da Salvação, toda a família foi salva e cheia do Espírito Santo.

IV. GUARDADOS POR DEUS

“…se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” (Sl 127.1b)

1. Segurança Física

“E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados”(Mt 10.30)

Atualmente, uma das indústrias que mais crescem no Brasil e no mundo é da área de segurança pessoal. Pagam-se elevadas somas de dinheiro para a contratação de serviços de vigilância, mas, apesar de todo esse cuidado e de todo o aparato envolvido, vez ou outra, temos notícias de alguém que foi seqüestrado e/ ou morto, numa demonstração de que, sem a guarda de Deus, todos os métodos humanos são falíveis.

Para os salvos, no entanto, a Bíblia diz que “o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra”. (Sl 34.7).

O Salmo 91 é uma das mais belas promessas de Deus para quem nele confia de que, quando surgirem as pestes, mortandades e assolações, o Senhor estará nos guardando. Rm 8.28 nos faz lembrar que “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus…”.

2. Segurança Emocional

“E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais…” (Ml 4.6)

Há, no mundo de hoje, uma terrível tendência para o egocentrismo, a busca dos próprios interesses, as divisões e separações dentro dos lares.

Filhos há que, revoltados, nada ouvem das palavras dos pais.

Maridos e mulheres já não reconhecem como autoridade sobre suas vidas as palavras de Jesus contra o divórcio e posterior casamento (Mt 19.9) e desobedecem a esse mandamento. A cada um desses eventos, as pessoas demonstram a falta de consagração ao Senhor, posto que estão com o coração endurecido.

Mas Deus, ao planejar o primeiro casamento e a primeira família, no Éden, criou homem e mulher para serem um e não mais dois. As pesquisas mostram que filhos de pais que nunca se separaram, tampouco, têm intenção para isso, são mais equilibrados e melhores pessoas.

3. Segurança Espiritual

“E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.”(Mt 10.28)

Quando as nossas famílias estão consagradas a Deus, podemos ter a alegria de ver pai, mãe e filhos, em todas as fases de suas vidas, seguindo a Deus com todo vigor e alegria, sabendo que maior é o que está conosco do que o que está no mundo (I Jo 4.4) e que nós temos todas as condições de permanecermos com toda a família nos caminhos do Senhor

Ainda que o diabo ataque o nosso lar, há uma receita precisa e eficaz de Deus para nós: “sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós”. (Tg 4.7)

V. SUPRIDOS POR DEUS

1. O Pão de cada dia

“Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.”(Sl 127.2)

Quando estamos com o nosso lar voltado para a vontade de Deus, devemos confiar que Ele é capaz de suprir todas as nossas necessidades. O salmista dizia: “fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão”. (Sl 37.25)

Uma vez que Deus tem suprido as necessidades das nossas famílias, e continuará a fazê-lo, é importante, para os pais e para os filhos, equilibrar a dedicação ao trabalho secular com a dedicação ao cônjuge e aos filhos, e, principalmente, a Deus, uma vez que muitos há que, de tanto trabalhar terminam negligenciando tanto a família quanto a Deus

2. O Poder contra o inimigo

“Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.” (Sl 127.5)

A família unida por Deus tem todas as condições para vencer o maligno e a todos os seus adversários com mais facilidade.

Quando permitirmos e buscarmos para nossos lares, um ambiente de amor e harmonia vindo de Deus seremos como Lv 26.8: “cinco de vós perseguirão a um cento deles, e cem de vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós”.

Não é sem motivo que o diabo tem investido tanto para popularizar o divórcio e ridicularizar o casamento, até mesmo entre os crentes, pois ele sabe que o crente separado é crente derrotado e isolado, tornando-se presa fácil para suas armadilhas. Sabe ele, também, que filhos separados de um ou de outro dos pais é filho instável, inseguro e sofrido, portanto, sujeito às suas artimanhas. Mas quando consagramos nosso lar e nossas vidas a Deus, temos poder para vencer o maligno

VI. O PROPÓSITO DE DEUS PARA A FAMÍLIA

 Deus nos criou e designou o casamento e a família como a mais fundamental das relações humanas. Em nosso mundo de hoje em dia, vemos famílias atormentadas pelo conflito e arrasadas pela negligência e o abuso. O divórcio tornou-se uma palavra comum, significando miséria e dureza para os múltiplos milhões de suas vítimas. Muitos homens jamais aprenderam a serem esposos e pais devotados. Muitas mulheres estão fugindo de seus papéis dados por Deus. Pais que não têm nenhuma idéia de como preparar seus filhos estão assim perturbados pelo conflito com seus rebentos rebeldes. Outros simplesmente abandonam seu dever, deixando filhos sem qualquer preparação ou provisão. Para muitas pessoas, hoje em dia, a frase familiar e confortadora "Lar, Doce Lar" não é mais do que uma ilusão vazia. Não há nada doce ou seguro num lar onde há o abuso, a traição e o abandono. Haver uma solução? Poderemos evitar tais tragédias em nossas famílias? Poderão os casais jovens manter o brilho do amor e do otimismo décadas depois de fazerem os votos no casamento? Haverá esperança de recuperação dos terríveis erros do passado? A resposta para todas estas perguntas é SIM! As soluções raramente são fáceis. A construção de lares sólidos não acontece por pura sorte. Somente pelo retorno ao padrão de Deus para nossas famílias poderemos começar a entender as grandes bênçãos que ele preparou para nós em lares construídos sobre a rocha sólida da sua palavra. Consideremos brevemente alguns princípios básicos ensinados na Bíblia sobre a família.

 O Propósito Básico de Deus para a Família

Quando temos dificuldade com a geladeira, entendemos que o fabricante, que escreveu o manual do usuário, sabe mais sobre o aparelho do que nós. Lemos o manual para resolver o problema. Quando vemos tantos problemas nas famílias de hoje, só faz sentido que nosso Criador, que escreveu o "manual do usuário", sabe mais a respeito da família do que nós. Precisamos ler o manual para achar como construir e manter bons lares. Encontramos estas instruções na Bíblia. Ela nos guia em cada aspecto do serviço a ele, incluindo a realização de nossos papéis na família.

 Casamento

A família começa com o casamento. Quando Deus criou Adão e Eva, ele revelou seu plano básico para o casamento: "Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne" (Gn 2:24). Este plano é claro. Um homem ligado a uma mulher. Milhares de anos mais tarde, Jesus afirmou que este ainda é o plano de Deus. Ele citou este versículo e acrescentou: "Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" (Mt 19:6). Este casamento é uma relação para toda a vida. Somente a morte deveria cortar este laço (Rm 7:1-3). Deus aprovou as relações sexuais somente dentro do casamento. Não há

nada de mal ou impuro sobre as relações sexuais dentro de um casamento aprovado por Deus (Hb 13:4). Esposos e esposas têm a responsabilidade de satisfazer os desejos sexuais (dados por Deus) aos seus companheiros (1 Co 7:1-5). Todas as outras relações sexuais são sempre e absolutamente erradas. Relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são absolutamente proibidas por Deus (Rm 1:24-27; 1 Co 6:9-11). Deus não criou Adão e João. Ele fez uma mulher, Eva, como uma parceira apropriada para Adão. As relações sexuais antes do casamento, mesmo entre pessoas que pretendem se casar, são condenadas por Deus (1 Co 7:1-2, 8-9; Gl 5:19). As relações sexuais extra-conjugais são também claramente proibidas (Hb 13:4).

 Os filhos

Casais assim unidos diante de Deus pelo casamento gozam o privilégio de terem filhos. Deus ordenou a Adão e Eva e aos filhos de Noé que tivessem filhos (Gn 1:28; 9:1). Ainda que nem todas as pessoas tenham que se casar, e que nem todas terão filhos, é ainda o plano básico de Deus que os filhos nasçam dentro de famílias, completas com pai e mãe (1 Tm 5:14). Em lugar nenhum da Bíblia encontramos autorização para uma mulher ter relações sexuais para conceber um filho, antes ou sem casamento. A paternidade solteira, que está se tornando moda em nossa sociedade moderna é um afastamento do plano de Deus que terá sérias conseqüências para as gerações vindouras. Papéis Dados por Deus Dentro da Família Dentro desta estrutura do propósito Divino, consideremos os papéis que Deus atribuiu aos homens, mulheres e filhos.

 Homens: Esposos e Pais

A responsabilidade dos esposos é bem resumida em Efésios 5:25: "Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela". O esposo tem que colocar as necessidades de sua esposa acima das suas próprias, mostrando devoção desprendida aos melhores interesses da "parte mais frágil" que necessita da sua proteção. Ele tem que trabalhar honestamente para prover as necessidades da família (2 Ts 3:10-11; 1 Tm 5:8). Os pais são especialmente instruídos por Deus para preparar seus filhos na instrução e na disciplina do Senhor (Ef 6:4). Este é um trabalho sério e, às vezes, difícil, mas com resultados eternos! Os espíritos de seus filhos existirão eternamente, ou na presença de Deus ou separados dele. A maior meta de um pai para seus filhos deveria sempre ser a salvação eterna deles.

 Mulheres: Esposas e Mães

Uma esposa tem um papel muito desafiador no plano de Deus. Ela tem que complementar seu esposo como uma auxiliar submissa, que partilha com ele as experiências da vida. As pressões da sociedade moderna para rejeitar a autoridade masculina não obstante, a mulher devota aceita seu papel como aquela que é cuidadosamente submissa ao seu esposo (Ef 5:22-24; 1 Pe 3:1-2).

As mulheres de hoje em dia que rejeitam este papel dado por Deus estão na realidade difamando a palavra dele (Tt 2:5). Deus instrui as mulheres para mostrarem terna afeição aos seus esposos e filhos, e a serem honestas e fiéis donas de casa (Tt 2:4-5). Apesar dos esforços de algumas pessoas para desvalorizar o papel das mulheres que são dedicadas as suas famílias, Deus tem em alta estima a mulher que é uma boa dona de casa e uma amorosa esposa e mãe. Tais mulheres devotas são também dignas de respeito e apreciação de seus esposos e filhos (Pv 31:11-12,28).

 Filhos: Seguidores Obedientes

Deus também definiu o papel dos filhos. Paulo revelou em Efésios 6:1-2 que os filhos deverão: 1. Obedecer a seus pais. Deus colocou os pais nesta posição de autoridade e os filhos têm que respeitá-los. Muitas pessoas consideram a rebeldia de uma criança como uma parte comum e esperada do "crescimento", mas Deus coloca-a na lista com outros terríveis pecados contra ele (2 Tm 3:2-5). 2. Honrar seus pais. Os pais que sustentam, instruem e preparam seus filhos devem ser honrados. Jesus mostrou que esta honra inclui prover as necessidades dos pais idosos (Mt 15:3-6).

 Lares Piedosos Nestes Dias?

É, freqüentemente, muito difícil corrigir anos ou mesmo gerações de erros. Mas está claro que o único modo pelo qual podemos esperar ter boas famílias construídas nos princípios divinos é voltar ao plano que Deus tem revelado. Temos que estudar a Bíblia, aprender estes princípios, aplicá-los em nossas vidas, e ensiná-los aos nossos filhos e aos outros. Lembrem-se, os benefícios serão eternos!

Deus está no centro da sua família? Há dependência ou independência de Deus na sua casa?

Que Deus nos abençoe e nos guarde em nome de Jesus, amém!