You are on page 1of 90

Apocalipse 17 ouvir E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar

-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição. E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.

E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição. E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a besta. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta, são povos, e multidões, e nações, e línguas. E os dez chifres que viste na besta são os que odiarão a prostituta, e a colocarão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo. Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma ideia, e que deem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus. E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra. Lançando as Sementes do Governo Global: A Busca do Vaticano por uma Autoridade Política Mundial Autor: Carl Teichrib Forcing Change, Volume 3, Edição 8. Setembro de 2009. "A maioria de nós não é competidor... Somos os prêmios. A competição é sobre quem estabelecerá o primeiro sistema de governo mundial... Ninguém conseguirá ficar isento de seus efeitos. Nenhum setor de nossas vidas deixará de ser afetado." [1; Malachi Martin]. Em 1990, um ex-integrante do Vaticano alegou que uma luta titânica estava sendo travada para produzir um sistema político mundial. Essa disputa, o agora falecido jesuíta explicou, era originalmente entre três

competidores: o leninismo internacional, as elites empresariais transnacionais e a mão do Vaticano. Quase vinte anos se passaram desde que Malachi Martin chamou a atenção para essa busca de três vias. Naquela época, suas declarações pareceram ultrajantes. Claro, a ideia de um governo mundial por meio do comunismo não era nova, pois as décadas da Guerra Fria ainda estavam frescas em nossas mentes. E a escrita estava na parede a respeito do crescente poder das elites internacionais empresariais e financeiras, exemplificada por tipos como David Rockefeller e pela Comissão Trilateral. Mas, e o Vaticano? Para muitos, a crença de que a Santa Sé estava perseguindo uma visão de governo mundial era simplesmente exagerada. Afinal, esse antigo centro do catolicismo romano tinha a reputação — principalmente entre os jovens agnósticos da Europa — de ser uma instituição de homens velhos, mergulhada em tradições, procissões e cerimoniais. E isto, apesar de a história do continente quase sempre girar em torno da força política do Vaticano. No verão de 2009, as cartas políticas da Santa Sé foram reveladas em um importante documento papal. Voltando à declaração de Malachi Martin sobre o governo mundial, o cargo religioso mais poderoso do planeta propôs uma autoridade política mundial para administrar a economia global. A segurança alimentar, o desarmamento e a paz viriam em seguida. Uma economia global sólida e a paz mundial são objetivos que soam bastante nobres. Mas, o perigo se esconde no fato que as sementes da tirania muitas vezes são enterradas no solo das boas intenções. Em 7 de julho, o papa Bento XVI lançou sua nova encíclica intitulada Caritas in Veritate, ou Caridade na Verdade. Após dois anos em elaboração, esse documento foi divulgado na véspera do Encontro de Cúpula do G-8 na Itália e da reunião do papa com o presidente dos EUA Barack Obama. Com cerca de 30.000 palavras, a encíclica descreveu as preocupações do papa a respeito da globalização e da economia, ética empresarial e o papel da Igreja Católica na promoção da doutrina social.

Comentando a encíclica, o jornal The New York Times observou que "às vezes, Bento soa como um socialista europeu da velha escola..." [2] e o San Francisco Chronicle explicou que: "Caridade na Verdade aborda questões muito modernas, como a globalização, a economia de mercado, os fundos de hedge, terceirização e energia alternativa, convocando as pessoas a deixarem de lado a ganância e permitir que suas consciências as orientem nas decisões econômicas e ambientais. Muitas das ideias apresentadas provavelmente poderão irritar os conservadores..." [3]. E. J. Dionne, colunista do The Washington Post, escreveu que Bento XVI está "bem à esquerda de Obama na economia". [4]. Embora a perspectiva do papa Bento sobre a economia global seja uma combinação desconcertante de livre mercado e ideais de bem estar social, o que causou surpresa foram seus pensamentos sobre a política internacional. Na seção 67 de Caridade na Verdade, o papa soltou uma bomba ideológica — uma autoridade mundial para "administrar a economia", realizar o "oportuno desarmamento" e garantir a "segurança alimentar e a paz". Aqui está a maior parte da seção 67. A referência a uma "autoridade política mundial" está muito clara e o papa Bento explica que deve ser dado a esse organismo internacional o poder de imposição, de se fazer obedecer, isto é, força real. 67. Perante o crescimento incessante da interdependência mundial, sente-se imenso — mesmo no meio de uma recessão igualmente mundial — a urgência de uma reforma quer da Organização das Nações Unidas quer da arquitetura econômica e financeira internacional, para que seja possível uma real concretização do conceito de família de nações. De igual modo sente-se a urgência de encontrar formas inovadoras para atuar o princípio da responsabilidade de proteger e para atribuir também às nações mais pobres uma voz eficaz nas decisões comuns. Isto revela-se necessário precisamente no âmbito de um ordenamento

político, jurídico e econômico que incremente e guie a colaboração internacional para o desenvolvimento solidário de todos os povos. Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequência maiores desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de uma verdadeira Autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o Beato João XXIII. A referida Autoridade deverá regular-se pelo direito, ater-se coerentemente aos princípios de subsidiariedade e solidariedade, estar orientada para a consecução do bem comum, comprometer-se na realização de um autêntico desenvolvimento humano integral inspirado nos valores da caridade na verdade. Além disso, uma tal Autoridade deverá ser reconhecida por todos, gozar de poder efetivo para garantir a cada um a segurança, a observância da justiça, o respeito dos direitos. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as próprias decisões, bem como as medidas coordenadas e adotadas nos diversos fóruns internacionais. [Fonte: http://wiki.cancaonova.com/index.php/Enc%C3%ADclica_Carida de_na_Verdade]. Uma controvérsia imediata cercou este parágrafo, com alguns católicos rapidamente tentando afastar a ideia que a Santa Sé apoiava o governo mundial. Hierarquia de Poder John-Henry Westen, escrevendo para o LifeSiteNews, afirmou inequivocamente que o papa estava falando "diretamente contra um governo mundial". A justificativa dele para essa posição foi a chamada do papa para uma "autoridade política dispersa", no parágrafo 41 — uma referencia ao papel dos Estados no sistema internacional. Westen também apresenta o uso do termo "subsidiariedade" na seção 57 como um ataque ao governo mundial.

Este é um ponto importante: Subsidiariedade é o ensino social católico de que as questões devem ser tratadas ao nível mais baixo possível. Em muitos aspectos, ele se baseia no tema da autodeterminação e, neste sentido, se mostra contrário a uma autoridade mundial. A Seção 57 da Caridade na Verdade diz: "Para não se gerar um perigoso poder universal de tipo monocrático, o governo da globalização deve ser de tipo subsidiário, articulado segundo vários e diferenciados níveis que colaborem reciprocamente. A globalização tem necessidade, sem dúvida, de autoridade, enquanto põe o problema de um bem comum global a alcançar; mas tal autoridade deverá ser organizada de modo subsidiário e poliárquico, seja para não lesar a liberdade, seja para resultar concretamente eficaz." O Sr. Westen, que afirma que o uso da subsidiariedade de Bento se opõe ao governo mundial, diagnosticou incorretamente esta seção. O papa não está falando contra o governo mundial ao evocar a subsidiariedade, ao contrário, está oferecendo um modelo hierárquico sobre o qual uma autoridade mundial deve ser construída. Essencialmente, onde as questões possam ser tratadas no nível local ou nacional, que sejam tratadas nesses domínios. E onde as questões são globais e não podem ser tratadas adequadamente em um nível inferior, então uma autoridade mundial é necessária. O papa Bento também sugeriu que a subsidiariedade possa ser um valor de segurança que serve como contrapeso para um governo universal não assumir características tirânicas. Mas, propor que a subsidiariedade seja um modo de se contrapor à tirania não é convincente — ela não pode nem mesmo conter a expansão do grande governo de hoje. John Laughland, autor de The Tainted Source: The Undemocratic Origins of the European Idea (As Origens Antidemocráticas do Pensamento Europeu), observou que: "... a Constituição Alemã tornou-se cada vez mais centralizada como resultado de sua cláusula de subsidiariedade." A União Europeia também incorpora esse conceito; todavia, isso não a impediu de centralizar poder político e acumular uma burocracia inchada. Subsidiariedade, de acordo com Laughland, é um modelo que

assume uma "hierarquia piramidal unitária de funções executivas" com uma doutrina decididamente corporativista. [6]. A subsidiariedade pode ser encontrada até no sistema da ONU. O professor Robert Araújo explica que: "o princípio da subsidiariedade é reconhecido como um princípio fundamental da Organização das Nações Unidas". [7] Aqui, o conceito está centrado na autodeterminação no Artigo 1, Parágrafo 2 da Carta da ONU. No entanto, isso não impede a ONU de buscar jurisdição internacional autorizada sob a bandeira de "reforma". É importante observar que a subsidiariedade permite tomada de decisão e autodireção em nível da população, mas isto dentro do contexto de uma perspectiva mais abrangente. O professor Araújo explica que é um "conceito que sintetiza os interesses do indivíduo com os da comunidade". Portanto, não é difícil ver como esse princípio pode se aliar com uma autoridade mundial — você pode exercer controle político local, mas onde o envolvimento local termina, os outros níveis de governo intervêm em prol do "bem comum". Dizer que o papa Bento se opõe ao governo mundial porque evocou a subsidiariedade não é a questão: a subsidiariedade desempenha um papel funcional na hierarquia dos poderes políticos crescentes. O que o Parágrafo 57 demonstra não é uma aversão ao governo mundial, mas a ordem da tomada de decisão em que Bento acredita que esse governo deve se basear. Reforma e Autoridade Mundial O Parágrafo 67 da Caridade na Verdade é abertamente político por natureza. Aqui está uma análise de alguns pontos-chave: "Reforma das Nações Unidas" — A reforma das Nações Unidas está centrada em mais do que apenas "alterações na votação" ou "transparência". Pelo contrário, a reforma está conectada com uma tributação mundial, um componente de imposição das leis internacionais e a criação de um parlamento internacional. Uma pequena montanha de relatórios e documentos que suportam essa versão de reforma, já existe,

apoiada pelas Nações Unidas, pelos governos nacionais e grupos próONU, como o Movimento Federalista Mundial e o Clube de Roma. [8] De fato, essa plataforma de tributação internacional, imposição das leis e um Parlamento Mundial foram os pontos principais de discussão no Foro do Milênio da ONU — particularmente durante as reuniões organizadas pelo grupo de trabalho sobre "Fortalecimento e Democratização das Nações Unidas". [9]. Cliff Kincaid, editor do site Accuracy in Media, observou as ligações entre a reforma e o governo mundial na Seção 67 do texto papal: "... a "reforma" da ONU tem o objetivo de fortalecê-la. Por esta razão, a ONU está claramente destinada, do ponto de vista do Vaticano, a se tornar a Autoridade Política Mundial." [10]. A reforma da ONU vai muito além de trocar a mobília dos escritórios. "Responsabilidade de proteger" — Conhecido como R2P, este é um ideal federalista mundial que daria à ONU um mandato para intervir internamente quando um país cometer uma violação aos direitos humanos. Aparentemente, parece ser uma boa ideia, mas os críticos — e até mesmo alguns defensores — percebem que esse mandato poderá abrir a Caixa de Pandora. José E. Alvarez, presidente da Sociedade Americana de Direito Internacional, reconheceu esta situação, ao discursar em uma conferência sobre Direito Internacional, em Haia, em 2007. O R2P, sugeriu ele, poderá ser usado como um pretexto para o envolvimento em todos os tipos de ações intervencionistas questionáveis. [11]. Ninguém em sã consciência deseja que um grupo de pessoas sofra genocídio ou injustiças graves. O R2P, no entanto, é um conceito seriamente defeituoso que tem potencial para graves abusos. A partir de uma perspectiva de gestão mundial, o direito de proteger se torna a justificativa legal para uma autoridade política mundial agir militarmente. O perigo se enconde no fato que as sementes da tirania são muitas vezes enterradas no solo das boas intenções.

Para saber mais sobre o conceito R2P, veja o Volume 2, Número 7 de Forcing Change (http://www.forcingchange.org) — Kosovo and the International Community: Just Another Pawn in the Game ("Kosovo e a Comunidade Internacional: Apenas outro Peão no Jogo"). "Para governar a economia global" — Isto já está sendo discutido na comunidade internacional, e está parecendo que a nova ordem financeira mundial será uma estrutura de poder hierárquica que fortalecerá muito as instituições globais existentes: O Banco de Compensações Internacionais — será o regulador bancário global. O BIS (do inglês Bank for International Settlements) está se posicionando rapidamente como o gerente do sistema bancário internacional, um órgão que irá supervisionar os bancos e o sistema financeiro de todo o mundo, incluindo a regulação do capital internacional. Uma entidade deste tipo seria o equivalente para os banqueiros de "O Rei do Pedaço". [NT: Para saber mais sobre o BIS, leia "O Sistema Financeiro Internacional — Parte 3: O Banco de Compensações Internacionais".] O Los Angeles Times escreveu no ano passado que: "... Esse sistema forçaria os países a abrirem mão de certa medida de sua soberania nacional para os bancos que operam dentro de seus territórios. Isto também poderá levar burocratas internacionais a tentarem moldar a política financeira e, possivelmente, tomarem medidas punitivas." Fundo Monetário Internacional — Será o banco da moeda de reserva mundial. Neste esquema, o FMI estará encarregado de regular uma nova moeda global a ser utilizada no comércio internacional, incluindo o setor de energia. Colaborando com o Banco Mundial, o FMI usará, do mesmo modo, essa nova unidade monetária para realizar empréstimos internacionais e cobrar as obrigações da dívida. As moedas nacionais e regionais ainda existirão, pelo menos provisoriamente, mas os valores reagirão e se ajustarão de acordo com os novos critérios e parâmetros globais. [NT: Para saber mais sobre o FMI, leia "O Sistema Financeiro Internacional — Parte 1: O Fundo Monetário Internacional (FMI)".]

Organização Mundial do Comércio — Está se tornando a reguladora do comércio global. A OMC estabelecerá as regras para a comercialização de bens e serviços por meio de um conjunto de padrões organizados de forma global, um processo que atualmente está em negociação. As políticas comerciais nacionais se alinharão depois às práticas mundiais aprovadas. Tudo isto já está acontecendo, mas há outra ligação entre o livre comércio global e um novo sistema financeiro internacional. Richard Cooper, embora defendendo uma única moeda de reserva global, observou o seguinte em uma conferência, em 1984, patrocinada pelo Banco da Reserva Federal de Boston: "Seria lógico se o livre comércio (mundial) seguisse esse regime de moeda única. Isso também seria condizente com o espírito político colaborativo necessário para estabelecer o regime de moeda única. O livre comércio asseguraria um mercado de bens e de instrumentos financeiros." [12]. Organização das Nações Unidas — Está rapidamente se tornando a ética global e agência de governança. A ONU oferecerá contribuição moral e orientação política para a recém-gerenciada economia mundial. Essencialmente, esse órgão se tornará a "consciência planetária", definindo as atitudes, valores e comportamentos políticos e do consumidor. Isto também já está acontecendo. No fim de junho, a ONU organizou uma conferência que delineou uma norma social aceita para a economia global: uma cosmovisão centrada no planeta Terra, socialismo internacional e uma visão de Nova Era da evolução planetária. Lembre-se, a autoridade política mundial de Bento XVI deverá gerenciar a economia global. Como acontecerá a execução desse mandato? A autoridade mundial irá funcionar como um guarda-chuva para os grupos acima mencionados? A Organização das Nações Unidas poderá se reformar ao ponto de se tornar esse gerente da economia global? A encíclica Caridade na Verdade nos dá um vislumbre das diretrizes da autoridade mundial, mas não fornece os detalhes operacionais. A Santa Sé fez o detalhamento, descrevendo o processo em um documento interno de operação? Em caso afirmativo, seria uma leitura muito

interessante! Ou, oferecendo somente generalidades, o Vaticano espera que outros atores importantes — como as Nações Unidas ou o Movimento Federalista Mundial — elaborem os detalhes? Em caso afirmativo, qual é a função do Vaticano neste sistema de governo mundial? Observador? Consultor? Supervisor? Muitas perguntas intrigantes surgem, e assim elas devem ser. Nota: Para informações e análises sobre a conferência citada acima, confira o relatório da Forcing Change(http://www.forcingchange.org) — intitulado Building a New Common Future: Twisting Faith and Finance in a Global Order ("Construindo um Novo Futuro Comum: Torcendo a Fé e as Finanças em uma Ordem Global" (julho de 2009). Para mais informações sobre a mudança para uma moeda única global, consulte os artigos da Forcing Change One World, One Money ("Um Mundo, Uma Moeda") (Volume 1, Edição 12) e The Joseph Principle and Crisis Economics ("O Princípio de José e a Crise Econômica") (Volume 2, Edição 9). "Uma autoridade... regulada por lei" — Os governos de todo mundo são regulados por leis internas e exigências de prestação de contas; contudo, isso não impede que os abusos, a corrupção e a tirania entrem em cena. A ideia de que uma autoridade mundial possa ser mantida em xeque por um sistema de leis mundiais não se sustenta. "Verdadeira autoridade politica mundial" — Este não é um ideal moral ou espiritual propagado pela Santa Sé, mas é a visão de um governo mundial real. Isto está evidente no contexto geral da Seção 67 e com as próprias palavras: "uma autoridade política mundial". Sem dúvida, o ofício papal deseja ver um padrão espiritual incorporado a essa entidade política, baseado em grande parte nos ensinos sociais da Igreja Católica. No entanto, isso não garante de forma alguma que uma autoridade mundial agirá de boa vontade. Como a história confirma, o próprio Vaticano está longe de ser imune nesse aspecto, e "os detentores do poder" tendem a acumular mais e mais poder.

Lembre-se das palavras de Lord Acton, um historiador católico que escreveu o seguinte em resposta à autoridade inquestionável do Vaticano: "O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente." [13]. Seguindo uma Tradição A promoção de um governo mundial do Papa Bento XVI não ocorreu por acaso. Desde 1950 a Santa Sé tem agido constantemente para apoiar uma ONU fortalecida e uma autoridade política mundial. Papa Pio XII: Em 6 de abril de 1951, Pio XII teve um encontro no Vaticano com o Movimento Mundial para um Governo Federal Mundial — um precursor do Movimento Federalista Mundial. Durante esse encontro, Pio XII incentivou sua audiência pró-governo mundial a continuarem nessa busca. "Seu movimento, senhores, tem a tarefa de criar uma organização política eficaz do mundo. Não há nada mais de acordo com as doutrinas tradicionais da Igreja ou melhor adaptada a seus ensinos sobre guerra justa ou injusta, especialmente na presente situação mundial. Uma organização desta natureza deve, portanto, ser criada..." O papa então explicou, com razão, que os "germes mortais do totalitarismo mecânico" podem infectar essa "organização política mundial". No entanto, ao observar essa possibilidade, ele instruiu os participantes a seguirem uma abordagem mundial federalista moralmente firme. Encerrando o encontro, o papa encorajou seus ouvintes a seguirem essa grande ideia. "... Vocês têm a coragem de se entregar a esta causa. Nós os parabenizamos. Gostaríamos de expressar-lhes nossos votos de total sucesso e de todo nosso coração rezaremos para que Deus lhes conceda Sua sabedoria e ajuda no desempenho de sua tarefa." [14]. Papa João XXIII: Em sua encíclica de 1963, Pacem in Terris, João XXIII propôs uma autoridade pública internacional com uma "esfera de atividade mundial" para lidar com os problemas globais. Essa autoridade

seria "equipada com poder mundial e meios adequados para realizar o bem comum universal", embora não possa se estabelecer pela força, "ela deve ser criada com o consentimento de todas as nações." Ao considerar como este sistema funcionaria, João XXIII recorreu ao princípio da subsidiariedade, dizendo que este deve ser aplicado "às relações entre a autoridade pública da comunidade mundial e as autoridades públicas de cada comunidade política". Subsidiariedade aqui, como o uso de Bento do termo, não nega uma autoridade mundial — simplesmente impõe uma estrutura hierárquica que reconhece cada nível, de baixo para cima, como uma chave para o processo. [15]. Papa Paulo VI: Ao falar na Organização das Nações Unidas em 1965, a adulação vinda do papa foi agradável. Em seu discurso, ele elogiou o sistema da ONU como "o caminho obrigatório da civilização moderna e da paz mundial". "O edifício que vocês construíram nunca deve cair; ele precisa ser aperfeiçoado e deixado à altura das necessidades que a história mundial irá apresentar. Vocês marcam uma etapa no desenvolvimento da humanidade, em que o recuo nunca deve ser admitido... Avancem sempre!... Que a confiança unânime nesta instituição cresça, que sua autoridade aumente." Infelizmente, o papa Paulo VI defendeu um governo mundial. "Há alguém que não veja a necessidade de chegar, assim, progressivamente ao estabelecimento de uma autoridade mundial, apta para agir eficazmente nos níveis jurídico e político?" [16]. Papa João Paulo II: Em seu discurso na ONU em 1995, João Paulo refletiu sobre as ligações históricas entre o Vaticano e o organismo internacional. "A Santa Sé, em virtude de sua missão especificamente espiritual, que a torna interessada no bem integral de cada ser humano, tem apoiado os ideais e metas da Organização das Nações Unidas desde o início. Embora

seus respectivos objetivos e abordagens práticas sejam obviamente diferentes, a Igreja e as Nações Unidas constantemente encontram áreas extensas de cooperação com base em sua preocupação comum pela família humana." [17]. Embora o papa João Paulo II tenha batido de frente com as Nações Unidas nas questões sobre família, ele depositou enorme importância na obtenção de sistemas políticos de lei internacional. Em 1985, ele discursou para os juízes do Tribunal Internacional de Justiça, dizendolhes que: "A Santa Sé atribui grande importância à colaboração com a Organização das Nações Unidas e com os diversos organismos que são uma parte vital de seu trabalho. O interesse da Igreja no Tribunal Internacional de Justiça remonta aos primórdios deste Tribunal e aos eventos que estiveram ligados à sua criação..." "A Igreja tem constantemente apoiado o desenvolvimento de uma administração internacional da justiça e arbitragem como um caminho de paz que resolva completamente os conflitos e como parte da evolução de um sistema jurídico mundial..." "Estritamente falando, o Tribunal presente não é mais — mas também não é menos — que um passo inicial para o que esperamos que um dia seja uma autoridade judicial totalmente eficaz em um mundo pacífico." [18] (Itálico no original) Em outros discursos e escritos, como em sua encíclica Sollicitudo rei Socialis, João Paulo defendeu um fortalecimento da lei mundial e um "grau superior de ordenação internacional". [19]. Nada disso tem a mesma evidência que a recomendação do papa Bento de uma "autoridade política mundial", mas isto segue um tema político comum — o governo global ampliado e melhorado. A ideia do papa Bento de uma "autoridade política mundial" não surgiu do nada. Pelo contrário, ao longo de sucessivos pontificados, remontando a pelo menos Pio XII, a Santa Sé tem nutrido visões de uma política internacional.

Influenciando os Príncipes e os Destituídos O fato de um líder religioso propor uma autoridade mundial é interessante em si mesmo, mas, como isso emana do ofício papal, uma medida extra de atenção é necessária. Não podemos negligenciar a influência exercida pela Santa Sé. O papa é muito diferente em relação às outras figuras religiosas quando se trata de importância mundial. É verdade que alguns líderes protestantes e evangélicos são consultados pelas elites políticas, e membros dos governos muitas vezes procuram líderes de outras religiões, como o Dalai Lama. Mas tudo isso é pequeno em comparação com os poderes históricos e contemporâneos do ofício papal. Durante séculos, a Santa Sé tem sido a peça central dos assuntos políticos europeus. Sua história está repleta de intrigas geopolíticas, guerras papais, ascensão e queda de potências nacionais. Os membros das famílias reais de todas as partes do continente viajavam a Roma e solicitavam audiência com o papa, na esperança de obter seu favor. Além disso, o Vaticano tem sido um centro concentrador para os interesses bancários, espionagem e negociações empresariais transnacionais. [21] Além disso, exatamente como no passado, presidentes e primeiros-ministros curvam-se hoje diante do papa, buscando seu conselho e discutindo particularmente as questões de grande importância política, econômica e social. Eric Frattini, o autor de The Entity: Five Centuries of Secret Vatican Espionage ("A Entidade: Cinco Séculos de Espionagem Secreta do Vaticano"), nos dá uma visão desse mundo geopolítico: "O papado, a autoridade suprema na liderança da Igreja Católica, é a instituição mais antiga estabelecida no mundo. Foi a única instituição a prosperar durante a Idade Média, um ator influente no Renascimento, um protagonista nas batalhas da Reforma, da Contra-Reforma, na Revolução Francesa, na Era Industrial e na ascensão e queda do comunismo. Durante séculos, fazendo pleno uso de sua famosa 'infalibilidade', os papas fizeram seu poder centralizado influenciar os resultados sociais dos desdobramentos dos acontecimentos históricos..."

"... Ao longo da história, o papado sempre apresentou duas faces: a da liderança mundial da Igreja Católica e a de uma das melhores organizações politicas do mundo. Enquanto os papas, por um lado, abençoavam seus fiéis, por outro, recebiam embaixadores estrangeiros e chefes de Estado e despachavam emissários e núncios em missões especiais." [22]. Além disso, por trás do papa, está uma massa de católicos devotos, que não devem concordar com o governo mundial, mas que estão, apesar disso, comprometidos com a Igreja Católica Romana — e, assim, apoiam o pontífice. Avro Manhattan, um crítico da Santa Sé, corretamente fez a correlação entre o poder do Vaticano e seus fiéis: "O que dá ao Vaticano seu tremendo poder não é sua diplomacia como tal, mas o fato de que por trás de sua diplomacia está a Igreja, com todas as suas múltiplas atividades abraçando o mundo..." "... A diplomacia do Vaticano é tão influente e pode exercer um poder tão grande no campo diplomático-político porque tem ao seu dispor a tremenda máquina de uma organização espiritual que tem ramificações por todos os países do mundo. Em outras palavras, o Vaticano, como poder político, emprega a Igreja Católica como uma instituição religiosa para auxiliar na obtenção de seus objetivos. Esses objetivos, por sua vez, são procurados principalmente para promover os interesses espirituais da Igreja Católica." "... a hierarquia católica automaticamente reage de acordo com inúmeras organizações religiosas, culturais, sociais e, finalmente políticas, conectadas com a Igreja Católica, que, embora vinculadas com a Igreja principalmente por motivos religiosos, podem em determinados momentos ser usadas direta ou indiretamente para atingir fins políticos." [23]. A questão é a seguinte: Nenhum outro líder religioso no mundo detém tanta influência política e econômica dentro de uma estrutura religiosa. Considere apenas o número de adeptos que compõe a espinha dorsal da Igreja de Roma: Nos EUA, os católicos constituem aproximadamente 22% da população, e 17% do total mundial — ou cerca de 1,14 bilhão de

pessoas. [24] É por isto que o pedido do papa Bento de uma "autoridade política mundial" é tão significativo; o que ele fala influencia centenas de milhões de líderes e leigos. Se um pastor batista ou um pregador menonita, com uma congregação de algumas dezenas ou poucas centenas, fizesse o apelo para a criação de uma "autoridade política mundial" no estilo da ONU — isto não teria muita repercussão além dos bancos dessa igreja em particular. Os fiéis poderiam animar o pastor ou então questionar suas suposições. Mas, falando em termos gerais, isto não causaria uma reverberação para além da comunidade local. No entanto, quando o "Santo Padre" — um título católico que denota mais que apenas um "líder" — faz essa recomendação e tem o apoio dos apelos dos papas anteriores, as ondas da influência repercutem por todo o mundo. Conclusões Há pelo menos seis décadas que a Santa Sé tem apoiado a busca por uma estrutura política global. O papa Bento, por meio de sua encíclica recente, apoiou explicitamente a ideia de uma autoridade política mundial; e esse governo mundial deve ser projetado para incorporar o princípio da subsidiariedade. Outro ponto: Que a subsidiariedade em uma estrutura política universal seria semelhante ao chavão: "Pense globalmente, aja localmente." A influência da Santa Sé sobre a comunidade internacional é substancial e o papado tem o suporte e o apoio geral de centenas de milhões em todo o mundo, acrescentando o apoio "local-para-global" para as visões geopolíticas do Vaticano. Os defensores do governo mundial — como o Movimento Federalista Mundial — pegarão as recomendações do papa Bento e as usarão para promover a ideia de gestão mundial. Muitos católicos romanos e organizações católicas, subsequentemente, irão endossar a proposta de uma autoridade política mundial e, consequentemente apoiarão vários movimentos pró-governança global.

Indivíduos e organizações dentro e fora da Igreja Católica defenderão a encíclica papal, procurando espiritualizar ou moralizar o texto, tentando desse modo amenizar a controvérsia. No entanto, o intento do papa de uma autoridade política mundial permanece. Uma minoria de católicos irá se opor veementemente ao chamado do papa para o fortalecimento da ONU e do governo internacional (muitos mais serão indiferentes). A ridicularização e a zombaria poderão ocorrer para aqueles que falarem publicamente contra os ideais políticos de Bento XVI. Espere uma cisão entre aqueles que se opõem e aqueles que defendem o governo global. Grupos religiosos não-católicos apoiarão a encíclica do papa Bento. Um documento de resposta evangélico já foi produzido por um grupo de professores e líderes nacionais evangélicos. Intitulado Praticando a Verdade em Amor, o texto reconhece que as novas formas de autoridade global são necessárias, mas que elas "devem garantir a participação crescente, a transparência e a responsabilidade, e ajudar a fortalecer o estado da nação em relação ao poder financeiro global". [25] Esta é uma visão mais utópica do que prática, pois poucos incentivos reais levariam um governo mundial a operar assim abertamente. Novas alianças e redes serão formadas para aumentar a pressão política e social em apoio à gestão global; essas redes irão incorporar grupos católicos e do Vaticano, organizações não-governamentais (ONGs) e elementos das Nações Unidas. Quando a Santa Sé erguer o cetro do governo mundial, isto deverá sacudir tanto os católicos quanto os não católicos. Mesmo se uma autoridade política mundial não se concretizar, essa defesa é impressionante. Aqui temos o ofício religioso mais influente de todo o mundo — ele mesmo politicamente estruturado como uma autoridade hierárquica de cima para baixo — promovendo um sistema também hierárquico de cima para baixo de gestão internacional. A percepção por si só é profundamente preocupante. Além disso, se uma autoridade política mundial realmente aparecer, o que a impedirá de se transformar em um regime autoritário? Até nisto,

estamos admitindo que a autoridade global será introduzida como um governo limitado. A contradição máxima, é claro, é uma autoridade mundial sem força. Sem ter a capacidade de imposição, de se fazer obedecer, ela seria pouco mais que um conselho consultivo. Portanto, para ser eficaz, ela precisa ser um poder centralista com influência; qualquer coisa menor do que isto não faria sentido. Mas é isto que o mundo precisa para garantir a ordem mundial? Considere por um momento os últimos cem anos, um século repleto de exemplos de governos centralistas "bem-intencionados" — eles sempre foram bem-intencionados para alguém. Em nome da "paz e segurança" esses regimes esmagaram os opositores internos, muitas vezes liquidando seus próprios apoiadores nesse processo. Do Chile à China, o lema não-oficial "Paz é a destruição de toda a oposição" foi colocado em prática. No caso da Alemanha nazista, o governo chegou ao poder pela via do processo democrático. Infelizmente, em alguns casos o próprio Vaticano esteve de mãos dadas com aqueles que cometeram esses crimes, como na Croácia durante os anos 1940. [26] Será que tudo isto significa que a Santa Sé apoia um regime ditatorial mundial? Não segundo a encíclica do papa Bento, onde ele abertamente reconheceu a possibilidade perigosa de um "poder universal de natureza tirânica". Sua esperança, como descrito emCaridade na Verdade, é uma autoridade política mundial colocada em xeque por limites legais para não "violar a liberdade". Os excessos do governo seriam compensados por medidas de prestação de contas e de responsabilização. Este é um ótimo conceito na teoria, mas que se apoia em uma suposição fraca: Que a autoridade política mundial estará satisfeita em permanecer dentro de limitações determinadas, satisfeita em operar dentro de rígidas restrições sociais, econômicas e políticas. Aqui está o empecilho: nossas avançadas nações democráticas — e até mesmo o Vaticano — não têm vivido e não conseguem viver de acordo com essa norma fundamental. Enquanto o papa Bento tenta sutilmente persuadir os católicos e os líderes nacionais a aceitarem a ideia de governo mundial, as sóbrias

palavras de Lord Acton ecoam de um passado quase esquecido: "O poder corrompe...

A falência moral de nossa sociedade está bem comprovada. Poucas pessoas compreendem por que falimos moralmente. No entanto, quando olhamos para a sociedade com os olhos de Deus, por meio da Bíblia, podemos facilmente compreender a razão de estarmos enfrentando problemas sem precedentes hoje. O estudo da nossa sociedade por meio dos olhos de Deus é o que sempre tentaremos fazer aqui; fique conosco para aprender algumas verdades esclarecedoras. Desde que iniciamos nossos programas radiofônicos The Cutting Edge, temos consistentemente tentado mostrar as cenas atuais da vida em nosso país às quais a maior parte das pessoas provavelmente ainda não atentou. Essas cenas envolvem alguns dos mais perniciosos pecados e alguns dos valores mais anticristãos imagináveis. Logicamente, fazemos mais do que apenas informar o que está acontecendo, ou ameaçando acontecer; também mostramos as razões. Mostramos que a força motriz que está por trás da maioria desses pecados hediondos no nosso país hoje é a Nova Ordem Mundial, o reino do Anticristo. Para que esse reino possa tomar o poder, a civilização ocidental original, baseada nos valores da cultura judaico-cristã, precisa ser destruída. Essa destruição está aparentemente chegando ao seu objetivo desejado, conforme evidenciado pelo presidente Bush e outros líderes mundiais ao anunciarem, no fim de 1990, que o mundo estava entrando na Nova Ordem Mundial. Esses pronunciamentos repetidos não teriam sido feitos se a liderança mundial não estivesse convencida que era hora de iniciar a fase final do estabelecimento da Nova Ordem Mundial. Assim, estamos no momento mais crítico da história mundial. A liderança ocultista das nações atuais está tentando com todas as forças derrubar o sistema de nações independentes e soberanas, instituído por Deus, e estabelecer sua desejada Nova Ordem Mundial. Os cristãos estão tentando resistir,

percebendo o tipo de batalha em que estamos envolvidos. Na época da história, essa hora é simplesmente um retrato, um instantâneo; a Velha Ordem ainda não caiu, embora esteja sob intenso bombardeio sob todos os ângulos. A Nova Ordem Mundial está lutando, aguardando para avançar e erradicar o odiado inimigo e estabelecer seu reino e valores sobre todo o mundo. A questão fundamental do momento é simplesmente esta: O Deus Soberano permitirá essa imposição da Nova Ordem Mundial satânica com o resultante aparecimento do Cristo da Nova Era, chamado de Maitréia? Ou, Deus intervirá novamente na história mundial para impedir esse acontecimento, como fez durante a construção da Torre de Babel? Essa pergunta poderia ser feita de outra forma: No calendário de Deus, estamos no fim dos tempos agora, ou entraremos somente em alguma data futura? Este é o foco da mensagem hoje. Vamos olhar esse específicoinstantâneo da história mundial em que estamos vivendo, para tentar determinar se existem evidências suficientes que confirmem uma conclusão ou a outra. Lembre-se do instantâneo que estamos examinando. A Velha Ordem, baseada nos valores da cultura e da crença judaico-cristã, está sob ataque das forças da Nova Ordem Mundial, mas ainda não caiu. As forças da Nova Ordem Mundial, baseada nos valores satânicos, estão forçando as amarras, para avançar e erradicar o inimigo e estabelecer seu próprio sistema de valores, assim que tiverem essa oportunidade. Este é o instantâneo do momento que examinaremos hoje. Vamos examinar as profecias bíblicas relevantes ao iniciarmos nosso estudo. Esse exame apresentará a estrutura para o estudo. Iniciemos com as palavras de Jesus Cristo, em Mateus 24, onde Ele fala sobre o retrato da história mundial, a chegada do fim dos tempos. Nos versos 431, o Senhor Jesus anuncia aos discípulos os vários eventos proféticos que marcarão a chegada do fim dos tempos. Depois, nos versos 32-36, Jesus diz: "Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas."

Essas escrituras dizem que todos os sinais precisam estar ocorrendo juntos para que possam ser qualificados como o cumprimento dessas profecias. "Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas." Aqui, o Senhor Jesus está nos dizendo várias coisas pertinentes: 1. Diz para prestarmos atenção para o momento na história quando todos os eventos a respeito dos quais ele acabou de falar estiverem ocorrendo juntos. Esses eventos são de natureza natural e sobrenatural. O homem poderia manipular alguns eventos, como as guerras, rumores de guerras e as perseguições. No entanto, somente Deus pode provocar os eventos sobrenaturais, como os terremotos e as fomes. 2. Jesus está nos dizendo que os cristãos que estiverem prestando atenção, saberão, com certeza, que o tempo geral está se aproximando e que o fim dos tempos ocorrerá. Apesar de o Senhor Jesus ter acrescentado, no verso 36, que ninguém, exceto o Pai sabe a hora exata, ele também afirmou, em Lucas 21:28: "Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." Temos reafirmado repetidamente durante este programa de rádio nossa crença que podemos saber que o Senhor Jesus está às portas por que vemos todas suas profecias em Mateus 24 ocorrerem ao mesmo tempo. Estamos naquele momento da história mundial em que o fim dos tempos está praticamente aqui e as forças de Satanás estão praticamente prontas para tomar o controle temporário do mundo da Velha Ordem estabelecia sobre os fundamentos do cristianismo. O apóstolo Paulo também falou sobre este momento histórico. Em 2 Tessalonicenses, Paulo fala sobre o aparecimento do Anticristo, que sabemos que ocorrerá bem no início da transição entre a Velha Ordem para a Nova Ordem. No capítulo 2:3, Paulo diz: "Ninguém de maneira

alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição." Paulo acabou de descrever o Anticristo, aquele que liderará o mundo como ditador durante o período de sete anos da Tribulação. Paulo continua, descrevendo os muitos atributos do Anticristo no verso 4. Depois, nos versos 6 e 7, ele nos dá um grande esclarecimento, quando diz: "E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado" [ênfase adicionada]. Assim, Paulo usa os verbos deter/resistir em dois versículos. Antes de prosseguirmos, precisamos examinar o significado e a implicação desse verbo. Consulte o significado de "deter" no dicionário e encontrará as definições: "Não deixar ir por diante; impedir de avançar; reter; reprimir; conter; adiar; delongar; determinar a detenção ou prisão provisória; guardar em prisão ou em custódia". Esses significados estão totalmente coerentes com a situação atual com as forças da Nova Ordem Mundial; eles estão tentando forçar e impor seus valores sobre a sociedade, mas estão sendo impedidos de avançar além de certo limite. O Novo Dicionário Aurélio define "deter" como "o ato de impedir de avançar". Imagine um cão furioso preso por uma corrente. A corrente o impede de avançar sobre as pessoas. Estamos chegando bem próximos da verdade: Os planos da Nova Ordem Mundial de usar quaisquer meios, especialmente a força, para derrubar a Velha Ordem e estabelecer a Nova. Essas forças são como cães furiosos, que forçam suas correntes, esperando que as coleiras sejam abertas para que possam avançar. O Dicionário Aurélio também define "deter" como "reprimir, restringir, adiar". Alguma força está retendo as forças da Nova Ordem Mundial, para que elas ainda não ataquem com fúria total. Que força é essa? A Bíblia ensina que o Espírito Santo restringe o mal para que não atinja um nível fora da permissão de Deus. Esse poder de restrição do Espírito Santo opera tanto no indivíduo quanto no nível nacional. Desde o Pentecoste, o Espírito Santo opera principalmente por meio dos crentes, por meio do corpo de crentes, a igreja cristã. Em todo o mundo ocidental,

a igreja cristã exerceu uma tremenda influência sobre o povo e as instituições, para restringir o mal. No entanto, desde a Primeira Guerra Mundial, a influência da igreja tem declinado continuamente, chegando ao ponto em que muitas pessoas concluem que a igreja não tem mais nenhuma influência. Hoje, daremos uma rápida olhada na sociedade americana atual, para determinar se as forças do mal estão forçando furiosamente as correntes, ansiosas para destruir o antigo sistema para poderem instituir sua Nova Ordem Mundial. Este é o retrato da sociedade no mundo ocidental: 1. Valor da vida humana. A Bíblia ensina enfaticamente que Deus atribuiu sobre a humanidade um valor muito especial, que deve ser respeitado por todos os outros homens em todas as épocas. Somente o homem tem esse valor; nenhum animal, peixe ou réptil recebeu de Deus esse valor tão grande. Por que o homem tem esse valor especial? A resposta está em Gênesis 1:26-27: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança... E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou." Portanto, Deus especificou regras muito especiais e detalhadas para regular a convivência entre os homens. Os homens não devem mentir uns para os outros, não devem furtar e especialmente, não devem matar uns aos outros. O homem foi criado à imagem de Deus. Mas, essa não é a única razão por que Deus exige que atribuamos um alto valor à vida humana. Como somente Deus pode criar a vida, Ele exige que somente Ele possa tirá-la. Existem somente duas exceções: durante a guerra e após um procedimento judicial nos casos que envolvem crimes para os quais o próprio Deus exige a pena de morte. Em todas as outras circunstâncias, Deus exige que Ele somente determine quando e como cada pessoa morrerá. Vemos as forças do mal forçando as correntes, tentando derrubar esse ideal? Certamente, e elas são de um poder sem precedentes.

* Considere o aborto, a matança de bebês ainda no útero materno. Presentemente, a maioria dos estados norte-americanos permite que o aborto ocorra até o nono mês de gravidez. Estamos agora matando 1.6 milhão de bebês nascituros todos os anos. Isso significa que três bebês estão morrendo por minuto nos EUA. Desde a decisão da Suprema Corte envolvendo o caso Roe x Wade em 1973, matamos mais de 30 milhões de bebês nascituros. Adolf Hitler matou aproximadamente 18 milhões de pessoas em seu holocausto. Esta nação "cristã" não apenas superou as "realizações" de Hitler, como foi muito além. Por mais horríveis que sejam essas estatísticas, não representam os objetivos finais das pessoas que promovem o estabelecimento de uma Nova Ordem Mundial. O objetivo final delas é a eliminação de dois terços da humanidade para que uma população "sustentável" permanente de somente 2 bilhões de pessoas seja mantida. Após o atingimento desse objetivo, o aborto continuará a ser praticado por todo o período de dois mil anos que a Nova Ordem Mundial planeja durar. Portanto, planeja-se que o aborto seja utilizado para matar bilhões de bebês ainda não-nascidos. Por enquanto, estamos apenas arranhando a superfície. Quais forças se opõem ao aborto? A igreja cristã sob muitos estandartes diferentes, mais milhões de cristãos nascidos de novo que não marcham ativamente contra ele, mas que oram diariamente sobre o assunto. A atitude daqueles que defendem o direito ao aborto é tão entusiástica, que parece uma convicção religiosa. É uma convicção religiosa — uma força satânica. Se a igreja cristã e outras organizações cristãs forem subitamente removidas, as forças pró-aborto imediatamente agirão para tomar o controle da questão. * Considere o infanticídio, a matança de bebês recém-nascidos. Como essa prática hedionda é envolta em segredos, não sabemos quantos bebês estão sendo mortos dessa maneira; no entanto, os números são sérios o suficiente para que o ex-ministro da Saúde dos Estados Unidos, C. Everett Koop tenha abordado o assunto em seu livro Whatever

Happened to the Human Race? [O Que Aconteceu com a Raça Humana?] Koop diz claramente que o infanticídio é praticado regularmente nos Estados Unidos. E qual é o motivo da matança desses bebês após o nascimento? Pelas mesmas razões que eles são mortos antes do nascimento. Novamente, se a igreja cristã for removida subitamente, as forças que promovem esse mal poderão avançar, não somente para intensificar seus esforços, mas também para tirar essa prática do segredo e trazê-la ao conhecimento público. * Considere o movimento para convencer as pessoas a se matar. O livro Final Exit, que fez grande sucesso, está nas livrarias há menos de um ano. Muitas pessoas seguiram suas instruções simples sobre como cometer suicídio. Atualmente, a ênfase é naquelas pessoas que estão em estado terminal, sofrendo de alguma doença incurável, ou aos muito idosos. Mas, em breve, as pessoas que tiverem alguma deficiência física, na opinião da sociedade, serão o alvo. De acordo com o sobrevivente do Holocausto, Dr. Wolf Wofensberger, certos hospitais e asilos nos Estados Unidos estão matando as pessoas de forma disfarçada clinicamente. O último povo que praticou sistematicamente esse tipo de morte clínica foi o alemão, que iniciou isso em seus hospitais e asilos mais ou menos dez anos antes da ascensão de Hitler. Quando Hitler planejou o Holocausto, ele selecionou os médicos que secretamente estavam matando pacientes para administrar os campos de extermínio. O Dr. Lifton, que escreveu um livro intitulado The Nazi Doctors, diz que os campos de extermínio de Hitler não teriam conseguido matar tantas pessoas tão depressa se não fosse pelo processo de condicionamento do público em geral obtido pela prática da eutanásia. Os EUA estão trilhando exatamente o mesmo caminho, mas não devemos nos surpreender, pois a Nova Ordem Mundial é simplesmente nazismo com uma nova roupagem. No entanto, o Dr. Wofensberger diz que as instituições médicas norteamericanas estão matando mais pessoas por ano que os nazistas mataram de 1939-1945. Ele também diz que a situação se deteriorou tanto que qualquer família que ponha um ente querido em uma

instituição médica, deve se preparar para colocar um parente de guarda no mesmo quarto. * Considere a doação de órgãos. No nosso seminário, usamos o pertinente artigo da revista Omni, de setembro/1987. O artigo principal dessa proeminente revista de Nova Era foi "Redefining Death: Last Rights" Esse artigo revelador abordou o assunto da indústria do transplante de órgãos. Quando li esse material, lembrei-me de Romanos 6:23 que diz "O salário do pecado é a morte." Lembre-se, o homem ocidental recebeu o ensino da Teoria da Evolução de Darwin há mais de cem anos, que afirma que não há um Deus criador e que o homem simplesmente evoluiu de formas de vida animal ao longo de um período de milhões de anos. Um corolário natural dessa bobagem é que o homem não é muito melhor que os animais, que sua vida não tem um valor especial que precisa ser profundamente respeitado. A vida de um ser humano não tem maior valor intrínseco que a vida de uma vaca. O artigo descreve a doação de órgãos em detalhes vívidos. Por exemplo, descreve como as pessoas que são envolvidas em acidentes de carro e que sofrem dano cerebral são candidatos para a remoção de todos seus órgãos transplantáveis, um procedimento chamado "Coleta de Órgãos". Esse assassinato ocorre mais provavelmente se a vítima do acidente não tiver parentes que possam ser localizados rapidamente. Além disso, se você tem uma carteira de doador de órgãos, é também um candidato para a coleta de órgãos. Logicamente, a causa da morte será listada como algo totalmente clínica, uma conseqüência do acidente de carro. O grande problema que a indústria do transplante de órgãos enfrenta é que há uma demanda muito grande e pouco suprimento, especialmente um suprimento de qualidade de pessoas que não abusaram de seus próprios corpos. Para tentar uma solução, os médicos têm continuamente revisado sua definição de quando a morte ocorre. A definição judaico-cristã é que a morte ocorre quando o coração pára de bater, uma condição simples que os médicos podem determinar facilmente. No entanto, nos últimos vinte anos, os médicos conseguiram

convencer o público de uma definição incorreta de morte. Primeiro, a morte foi redefinida como morte cerebral; mais tarde, a morte foi redefinida como resposta aos estímulos, consciência, para que as pessoas que estivessem em coma vegetativo pudessem ser declaradas como mortas. Essas pessoas são valorizadas pela indústria de transplante de órgãos, pois seus órgãos estão perfeitamente saudáveis. O autor do artigo afirma ousadamente que, em breve, uma indústria será criada para manter artificialmente essas pessoas em coma, até a hora de coletar seus órgãos. O mercado financeiro, continua o autor, estaria disposto a injetar milhões de dólares nesse empreendimento, pois reconheceria o potencial de lucro. A única razão por que essas informações não são divulgadas mais amplamente é que o público ainda não está totalmente preparado para ouvi-las. Além disso, a igreja cristã reagiria contra ela pelas mesmas razões por que combate o aborto. Mas, os cães estão forçando, tentando romper as correntes, aguardando o momento exato de avançar e estabelecer sua nova indústria, suas novas definições de morte e seus valores. * Considere a pesquisa sobre "tecidos fetais". A pesquisa médica descobriu que o tecido de bebês nascituros contém altos níveis de certos produtos químicos que desaparecem quando a criança cresce. Acreditase que esses produtos sejam úteis no tratamento de doenças como o Mal de Parkinson e o Mal de Alzheimer. Se os tecidos de um bebê nascituro fossem removidos e transplantados para o corpo de um adulto que sofre com uma dessas doenças, o paciente poderia ser curado ou ter uma grande melhora. Logicamente, os pesquisadores deixam bem claro que eles não matam bebês nascituros para recolher esse tecido, mas que utilizam os cadáveres de bebês abortados. Mesmo se isso fosse verdade, se a ciência médica descobrisse mais usos para o tecido dos bebês, haveria maior demanda por bebês abortados, para o propósito expresso de coletar os tecidos no momento certo. Wall Street, o mercado financeiro, estaria muito interessado nessa nova indústria. Posso ver os cães usar toda a força, tentando romper as correntes.

2. Os valores cristãos estão sob ataque como nunca antes. As pessoas que ainda mantêm esses valores são ridicularizadas e humilhadas. A mídia desenvolveu uma técnica de fazer perguntas de forma a humilhar, com certo olhar e uma tonalidade de voz, que instantaneamente humilha a pessoa sob ataque. Considere apenas alguns exemplos de valores cristãos que estão sob ataque. * Deus revelou que é um Deus imutável, que escreveu um documento imutável chamado Bíblia Sagrada. Jesus disse que, mesmo que o céu e a terra passem, Suas palavras nunca passarão. Essa crença gerou o conceito que os valores e mandamentos de Deus são eternos e que devem ser obedecidos por todas as gerações. Hoje, no entanto, o Movimento de Nova Era conseguiu ensinar que não existem valores absolutos, nada é absolutamente certo ou errado. Ao contrário, o que é certo ou errado depende da situação em que a pessoa se encontra, ou depende das pessoas envolvidas. Isso é chamado de "ética situacional" e, creia-me, é totalmente satânica. Deus fala sobre essa questão em Isaías 5:20-21, "Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!" Isso é exatamente o que o Movimento de Nova Era fez, redefinindo todos os valores tradicionais, para preparar o cenário para o reinado do Anticristo. Hoje, nossa sociedade está experimentando grandes aflições e crimes por que muitas pessoas acreditam nessa mentira. Considere alguns dos problemas: * Assassinato — esse tipo de crime não somente é resultado direto de não seguir o mandamento de Deus, é um crime que reflete o ódio que Satanás tem em relação ao homem que foi criado à imagem de Deus. Estou convencido que o objetivo final de Satanás é a eliminação total da raça humana. Parece que Jesus falou sobre esse assunto em Mateus 24:22, quando disse que se Ele não voltasse na data planejada, nenhuma carne se salvaria.

No entanto, por pior que esteja a situação da criminalidade atualmente, o objetivo final da Nova Ordem Mundial não foi atingido. Podemos ver esse objetivo em seus escritos. O Movimento de Nova Era ensina que não há morte permanente; após a morte física, a alma de cada pessoa entra em um ciclo de reencarnação, aguardando a encarnação física em outro corpo, mediante o processo de nascimento. Um corolário dessa mentira é que a reencarnação anula qualquer conceito de assassinato. Não pode existir assassinato, se tudo o que você está fazendo é liberar a alma daquela vítima ao ciclo de reencarnação um pouco mais cedo do que o esperado. Essa é uma das doutrinas cardeais do Movimento de Nova Era e das sociedades secretas. Qualquer pessoa que conheça a história sentirá um frio na espinha, pois se lembrará que era exatamente esse o ensino dos nazistas durante o Holocausto. O nazismo ensinava a reencarnação. Portanto, os judeus, por exemplo, não estavam sendo assassinados; em vez disso, estavam apenas experimentando, como uma raça inteira, seu carma acumulado, para que quando suas almas voltassem à encarnação por meio do ciclo de reencarnação, pudessem vir como arianos. É por esse motivo que os nazistas viam a "ação de limpeza" como algo benéfico para a Terra e para as próprias vítimas. Esse é exatamente o objetivo da Nova Ordem Mundial, como pode ser claramente visto em seus escritos. Eles prevêem a necessidade de eliminar em torno de 4 bilhões de pessoas da face da Terra. Os cães estão usando toda a força, tentando romper as correntes, restringidos apenas pela percepção que as forças oponentes ainda são muito fortes para que eles possam implementar totalmente essa visão. * Considere a atividade sexual. Deus a permite apenas dentro do matrimônio. No entanto, desde o fim dos anos 60, as pessoas estão seguindo o lema: "Se é bom, então faça." A atividade sexual entre homens e mulheres fora dos laços do matrimônio tornou-se lugar comum. Os valores cristãos de fidelidade ao cônjuge estão sendo sufocados e o número de divórcios cresce a cada dia. As famílias foram desunidas aos milhões, e as crianças sofrem com problemas emocionais e psicológicos.

O sexo livre e aberto acarretou o crescimento da ocorrência das doenças sexualmente transmissíveis, a mais terrível das quais é a AIDS. O exministro da Saúde Koop advertiu, antes de deixar o cargo, que a atual geração de adolescentes poderá ser a primeira geração na história a ser eliminada pela doença. No entanto, mesmo sendo esta a situação, a mídia e a indústria do entretenimento continuam a promover ativamente as atitudes e comportamentos que criaram o monstro que acabamos de descrever. Todavia, o objetivo da Nova Ordem Mundial ainda não foi atingido: a destruição completa e permanente da família como uma instituição. A visão deles é que a procriação será realizada como um programa do Estado Ditatorial. Após o nascimento, os pais entregarão a criança para o Estado cuidar em creches, para que possam retornar ao trabalho. O Estado criará, educará e transmitirá valores à criança. O comunismo obteve um sucesso apenas parcial em sua tentativa de atingir esse objetivo, mas a Nova Ordem Mundial será mais implacável na tentativa de erradicar a família criada por Deus. Os cães estão usando toda a força para tentar romper as correntes. A família também está sob ataque de outra origem: a até aqui bem sucedida tentativa de retratar o estilo de vida homossexual e o lesbianismo como normais, saudáveis e válidos, como a heterossexualidade. Esse processo avançou tanto que muitos estados norte-americanos criaram legislação especial para dar aos homossexuais direitos especiais que o restante da população não tem. A mídia de entretenimento escreve roteiros para filmes e novelas que validam a homossexualidade. O currículo das escolas públicas está sendo reescrito para que a homossexualidade seja ensinada como normal e válida. No entanto, o objetivo final da Nova Ordem Mundial ainda não foi atingido: usar essa questão para finalmente nocautear a instituição da família e trazer a homossexualidade para o primeiro plano, para que seja completamente aceita publicamente, sem qualquer restrição. Não é segredo que um dos maiores objetivos do movimento homossexual é eliminar da legislação as leis que proíbem essa atividade sexual entre pessoas de qualquer idade e em qualquer local.

Os cães estão usando toda a força para tentar romper as correntes. A Bíblia diz que o Falso Profeta, atuando em nome do Anticristo, forçará a todos os habitantes do mundo a receber uma marca física na mão direita ou na fronte, sem a qual ninguém poderá comprar ou vender coisa alguma. Os estudiosos da Bíblia sempre compreenderam que essa situação só poderia ocorrer se as economias do mundo deixassem de usar o papel-moeda. Antes do advento dos computadores, ninguém tinha idéia de como essa situação seria possível. Agora compreendemos. Os computadores estão registrando as vendas no mercado por meio dos cartões de crédito e de conta corrente/poupança. Os escritos da Nova Ordem Mundial desde o início dos anos 60 falam que o objetivo final é a total eliminação do dinheiro. Já estamos próximos desse objetivo. A cada dia, mais e mais pessoas são condicionadas ao conceito de comprar e vender sem o uso do papel-moeda. No entanto, como a Nova Ordem Mundial do Anticristo está planejada para ser a ditadura mais eficiente e sofisticada que o mundo já viu, não devemos nos surpreender com a descoberta que esse avanço em direção a uma sociedade onde o papel-moeda não é utilizado também permitirá que o governo controle a população de uma forma muito sofisticada. As ações de cada pessoa serão registradas eletronicamente todos os dias. Ninguém poderá fazer nem uma transação comercial sem que a atividade seja registrada permanentemente. A maior ditadura de todos os tempos estará criada. Os cães estão usando toda a força para tentar romper as correntes. Existem muitos outros exemplos em que as forças da Nova Ordem Mundial estão tentando romper as correntes de forma sem precedentes. Basta que o Espírito Santo remova seu poder de restrição e essas forças avançarão em todas as frentes simultaneamente. Neste ponto, o mundo mergulhará nas trevas espirituais e físicas mencionadas pelas profecias bíblicas sobre a Tribulação. Acreditamos que essa remoção final da ação de restrição do Espírito Santo ocorrerá com o arrebatamento da igreja. O simples fato de vermos o mal crescer e lutar contra as amarras colocadas por Deus em tantas áreas diferentes é mais um indicador que

o arrebatamento da igreja está iminente. Quando a igreja for tirada do mundo, os cães serão libertados de suas correntes e a Tribulação começará. mos mais alguns exemplos em que as forças do mal estão lutando contra as correntes restritoras: 1. O condicionamento das crianças continua sem igual. Vemos esse condicionamento nas escolas públicas, que estão ensinando valores anticristãos mais descaradamente do que nunca antes. Os livros-texto contêm valores não-cristãos, com alguns temas tendo entonação satânica. Compartilhamos com vocês vários meses atrás que o livro-texto "Impressions", utilizado nas escolas primárias, reescreveu o conto "Os Doze Dias de Natal" em um formato de feitiçaria que é assustador para uma criança pequena e que pode ser influenciada com facilidade. Os livros-texto atuais também ensinam temas da Nova Ordem Mundial, especialmente em Estudos Sociais, História e Geografia. As seguintes mentiras estão sendo ensinadas às crianças: * A evolução ainda é ensinada, mas a ênfase mudou. A evolução segundo a Teoria de Darwin tradicional está sob ataque a partir de muitas frentes científicas, pois já foi demonstrado que é matematicamente impossível que esse mundo incrivelmente complexo tenha vindo à existência por acidente, por um processo de pura sorte, mesmo que seja em um período de bilhões de anos. Portanto, as escolas estão ensinando que "Antigos Astronautas" visitaram a Terra milhares de anos atrás para efetuar testes genéticos em primitivas criaturas similares aos macacos que encontraram aqui. Essas experiências genéticas criaram o homem moderno. Quem são esses "Astronautas Antigos"? Isso não é especificado claramente às crianças em idade escolar. No entanto, os escritos da Nova Era deixam bem claro que essas criaturas eram "E. T.", ou extraterrestres. Esses escritos declaram enfaticamente que esses extraterrestres do espaço sideral levarão o mundo à Nova Ordem Mundial. Observe as revistas e jornais que condicionam a população a crer na existência de extraterrestres.

Acredito que sejam um bom termômetro de quão perto estamos do aparecimento do Anticristo. As crianças também estão sendo levadas a acreditar na mentira que o mundo está diante de um desastre ambiental. Lembra-se da afirmação feita em um livro escrito em meados do século 18 sobre como a Nova Ordem Mundial seria alcançada? Esse livro fazia a seguinte afirmação, "Quando chegarmos ao nosso reino (a Nova Ordem Mundial), nossos oradores exporão os grandes problemas que viraram a humanidade de cabeça para baixo, de modo a colocá-la sob nosso domínio beneficente." Essa é exatamente a situação de hoje. Como o mundo está na iminência de entrar na Nova Ordem Mundial, é hora de expor os grandes problemas que viraram a humanidade de cabeça para baixo. Esses grandes problemas precisam ser globais em natureza, para que as pessoas aceitem que a solução seja a criação de um governo global. Portanto, ouvimos agora que o mundo poderá ser destruído pelo aquecimento global, pelo resfriamento global, pelo desaparecimento da camada de ozônio, pela poluição, pela destruição das florestas, etc., embora exista pouca ou nenhuma evidência que comprovem essas afirmações. E nossas preciosas crianças estão aprendendo essas mentiras nas escolas públicas como se fossem verdade científica. Lembre-se na infame máxima de Adolf Hitler, "A verdade não é o que é; a verdade é aquilo que as pessoas acham que ela é". Hitler também dizia que, se você vai contar uma mentira, que seja então a mentira maior possível, pois é mais provável que as pessoas creiam em uma grande mentira do que em uma mentira pequena. Esse movimento neonazista chamado Nova Ordem Mundial está simplesmente emprestando uma página do livrotexto de Hitler. A moralidade da Nova Ordem Mundial também está sendo ensinada às crianças nas aulas de Saúde, meditação de Nova Era em Educação Física e em aulas sobre relaxamento, e Ética Situacional da Nova Era. O sistema público de educação está prejudicando espiritualmente nossas crianças como nunca antes.

A música Rock também está avançando nos corações e mentes da juventude. A música Rock de meados dos anos 70, que parecia tão repugnante e ofensiva agora tornou-se lugar-comum. É apresentada como se fosse normal e natural. Assim, ainda mais crianças caem vítimas dos valores satânicos. Logicamente, a música Rock atual é tão perniciosa quanto suas predecessoras. O álcool e o uso de drogas também são outros problemas que afetam as crianças e adolescentes. Eles estão literalmente destruindo suas mentes e seus corpos. Finalmente, os adolescentes de hoje são a geração mais sexualmente ativa na história mundial. O ex-ministro da Saúde C. Everett Koop advertiu, em 1988, que esta atual geração poderá ser a primeira na história mundial que será completamente destruída pelas doenças sexualmente transmissíveis. Mas, mesmo diante dessas evidências, os adultos ímpios que controlam nossos sistemas educacionais e escrevem os livros-texto, encorajam essa atividade sexual. Eles ensinam a mentira que o sexo fora do casamento é normal e saudável, e que o preservativo evita a propagação do vírus da AIDS. É claro que o preservativo não é a solução para o problema da AIDS, pois o vírus é tão pequeno que atravessa o material de que o preservativo é fabricado. As adolescentes estão sendo aconselhadas nas clínicas de saúde dentro das escolas de Segundo Grau a fazerem abortos, se sua atividade sexual resultar em gravidez. Em muitos casos, os conselheiros encaminham as adolescentes ao procedimento do aborto sem o conhecimento e consentimento dos pais. É a maior ironia da história, os pais precisam dar sua aprovação para que seus filhos possam receber qualquer tipo de medicamento na escola, mas não precisam ser notificados se a filha foi encaminhada para fazer um aborto. Os cães na educação pública estão forçando, tentando romper a corrente restritora como nunca antes. 2. O condicionamento dos adultos também continua em um nível muito alto. Os adultos estão sendo levados por estratagemas como o apego ao materialismo, que a mídia de massa promove em alto e bom som. Eles estão se deixando consumir pelas drogas, pelo alcoolismo, pelos desvios

sexuais, somente para citar alguns poucos. Os adultos estão também sob a maior pressão econômica que já existiu. Na maioria das famílias, o pai e a mãe precisam trabalhar para propiciar um padrão de vida decente, colocando assim ainda mais pressão sobre a família. Muitas crianças estão literalmente crescendo sem receber orientação materna. 3. Os avanços tecnológicos continuam em um ritmo que, uma vez que são implementados, cumprirão muitas profecias bíblicas referentes ao fim dos tempos. Fizemos alusão a isso no programa da semana passada, mas agora precisamos examinar isso em maiores detalhes. Satanás sempre quis controlar o mundo, mas sempre foi restringido por Deus. No entanto, Deus disse que permitirá que Satanás controle o mundo por um período curto de tempo durante a Grande Tribulação. As profecias bíblicas dizem algumas coisas muito específicas sobre o reino do Anticristo. Como Satanás receberá permissão para controlar o mundo por um tempo curto, ele terá de fazer isso de um modo que cumpra as profecias de Deus. Para cumprir essas profecias, ele precisará fazer uso da tecnologia moderna; Satanás não poderia agir de forma a cumprir as profecias bíblicas com o nível de tecnologia que existia no início do século 20. Por exemplo, Deus disse que a economia do mundo seria global, e que o Anticristo controlaria a população do mundo de uma forma tão completa que forçará todas as pessoas a receberem certa marca, ou na testa ou na mão direita, sem o que ninguém poderá comprar ou vender na economia do Anticristo. Satanás precisava da tecnologia moderna, e ele a tem agora, e somente agora. Vamos começar com o Plano da Nova Ordem Mundial, pois podemos facilmente ver a onipotência de Deus quando examinamos essa parte do plano deles. O autor Bill Cooper delineia o plano para instituir a economia do Anticristo em seu livro Behold a Pale Horse (leia a resenha). Veja quais serão as quatro etapas desse plano brilhante: "Eventualmente todo elemento individual da estrutura [econômica] ficará sob o controle de computadores por meio do conhecimento das preferências pessoais, como o conhecimento obtido pela associação do computador com as preferências do consumidor (Código Universal do Produto, também conhecido como código de barras) que os

consumidores identificados pela associação com o uso de um cartão de crédito e, mais tarde, com um número que será tatuado permanentemente no corpo e invisível sob iluminação ambiente normal..." (pág. 44). É incrível, mas esse plano está perto de se cumprido. Considere a implementação de todas as etapas relacionadas por Cooper no parágrafo anterior:

Etapa 1, as preferências pessoais do consumidor já são conhecidas em toda nossa economia, com os fabricantes sabendo, em detalhe, nossas preferências em carros, roupas, perfumes, cosméticos, e muitos outros produtos. Como esses fabricantes conhecem nossas preferências? A maioria das compras foi rastreada minuciosamente utilizando-se os códigos de barra para registrar a venda. Trataremos esse assunto em maiores detalhes em instantes. Etapa 2, o controle de todas as compras que passam pelo sistema por meio do código de barras agora está completo. Os Correios dos EUA, a UPS, a Federal Express e outras empresas, usam o código de barras na classificação dos pacotes e das cartas. As pessoas estão completamente condicionadas a aceitar a marcação do código de barras nos pacotes. Etapa 3, o controle dos consumidores por cartões de crédito e de débito está completo agora. Lembre-se, a Nova Ordem Mundial será a ditadura mais eficiente que o mundo verá. Todas as ditaduras precisam controlar seus cidadãos o tempo todo, com o melhor da tecnologia. O mundo está neste ponto, em que toda compra, por toda pessoa, pode ser registrada por algum computador. O horário e o local da transação comercial são registrados pelo computador, permitindo que cada pessoa que participe na economia do mundo seja rastreada a cada minuto e em todos os locais em que estiver.

Antes de passarmos para a próxima etapa, precisamos informar que a tecnologia que faz o código de barras visível funcionar é a mesma

utilizada para as barras dos cartões de crédito. Na verdade, quando você examina o código de barras no verso de um cartão de crédito em um microscópio potente, verá uma série de ranhuras que funcionam sob a mesma premissa que os códigos de barra. Assim, a mesma tecnologia que é utilizada para o código de barras visível também é usada para o código de barras magnético do cartão de crédito.

Etapa 4, a etapa final, é um "número tatuado permanentemente no corpo, invisível sob iluminação normal". Quando essa etapa for cumprida, a profecia bíblica de Apocalipse 13:16-18 será cumprida. A tecnologia já existe hoje, para que todos sejam marcados para o propósito de comprar e vender. Como mostramos no seminário, essa tecnologia opera com base em um 666 numérico.

Os cães das forças do Anticristo estão forçando, tentando romper as correntes. Neste ponto, precisamos destacar um desenvolvimento muito interessante referente à marcação da população do mundo. Muitas traduções da Bíblia dizem em Apocalipse 13:16 diz que a marca do Anticristo será colocada sobre a mão direita ou sobre a fronte de todos os habitantes do mundo. No entanto, a tradução inglesa autorizada pelo Rei Jaime, diz que a marca será colocada na mão direita ou na fronte. Muitos escritos do Movimento de Nova Era mencionam o plano de marcar todos para o propósito de comprar e vender, mas os autores não especificam exatamente como isso será feito. No entanto, existe agora uma tecnologia que permite que essa marcação seja feita sob a pele, na região subcutânea. Os veterinários aperfeiçoaram a tecnologia para implantar um circuito integrado programável sob o pelo dos cães e gatos para o propósito de localizá-los, no caso de eles se perderem. Esses circuitos integrados, chamados Transponders de Identificação Eletrônica, são projetados para identificar animais, substituindo as etiquetas ou coleiras com nome e endereço. Esses transponders são agora encapsulados em minúsculos tubos de vidro e têm o tamanho aproximado de um grão de arroz. Os veterinários estão usando agulhas hipodérmicas especiais para implantar esses dispositivos; no entanto, à

medida que a tecnologia avançar e mais transponders forem produzidos, o tamanho e o custo serão reduzidos ainda mais. Os proponentes desses novos transponders destacam suas várias vantagens inerentes:

Eles contêm informações específicas sobre o animal no qual foram implantados. Essas informações específicas podem ser atualizadas toda vez que alguma nova ação for feita com o animal, como a aplicação de vacinas, ou quando for feito um diagnóstico, seguido por todas as informações médicas de acompanhamento pertinentes. Como esses transponders tornam-se uma parte do corpo do animal, não podem ser perdidos. Essa última vantagem é a de maior interesse, pois provavelmente será o argumento usado pelo Anticristo. Afinal, como o dispositivo do Anticristo é parcialmente econômico em seu plano, já que ninguém poderá efetuar nenhuma transação comercial ou financeira sem ele e o problema do furto, perda ou clonagem dos cartões magnéticos é muito sério.

O uso desse dispositivo transponder está se espalhando por todo o mundo, com o setor da pecuária e da produção animal liderando o uso dessa interessante tecnologia. Os cães estão usando toda a força para tentar romper as correntes. Vamos agora retornar ao assunto do controle social da população. A alta tecnologia também está tornando possível para uma futura ditadura controlar a população em um grau não contemplado em nenhuma era anterior. Mas, não devemos estar surpresos, pois esse tipo de controle sem precedentes é mencionado na passagem em Apocalipse 13:16-18, que acabamos de estudar. Essa passagem diz que o Falso Profeta, atuando em nome do Anticristo, fará com que todos os habitantes do mundo recebam a marca, sem a qual ninguém poderá comprar ou vender. Somente uma ditadura absoluta, exercendo um controle sem precedentes sobre a população do mundo poderia fazer essa imposição.

Pense no tipo de controle sobre a população que será necessário:

O governo precisará controlar o local de trabalho e de residência de cada pessoa. O governo precisará controlar os hábitos alimentares e de consumo da sua população. Um governo que possa exercer esse tipo de controle poderia ter seu povo na palma da mão. O governo precisará saber todos os movimentos de seus cidadãos. Ele precisará conhecer os movimentos daquelas pessoas que podem representar um risco a sua ditadura, e a história mostra que as ditaduras desenvolvem uma condição de paranóia e todos os cidadãos passam a ser considerados suspeitos de traição. Portanto, os governos ditatoriais sempre priorizam o fortalecimento da força policial interna, cuja única função é vigiar os cidadãos e as organizações civis. A mais famosa polícia política do século 20 foi a KGB, na União Soviética.

Podemos imaginar que o governo do Anticristo também criará uma força de segurança interna, mas suas capacidades serão muito mais sofisticadas que suas predecessoras, pois terá à disposição toda a tecnologia dos computadores e das telecomunicações, que permitirá ao Anticristo estabelecer um controle sem precedentes na história. Esse nível de controle é uma parte indispensável da razão para forçar a todos no mundo, ricos e pobres, grandes e pequenos, a receber a marca, sem a qual ninguém poderá comprar ou vender. Você vê essas tecnologias disponíveis hoje? É claro que sim. Considere a seguinte história publicada no USA Weekend, de 28/8/1992, intitulada "They're Watching You" (Eles Estão Observando Você"). O autor diz: "Graças aos computadores, até mesmo as informações mais pessoais sobre sua vida tornaram-se mais uma commodity, uma mercadoria, comprada e vendida com facilidade." Ele mostra vários exemplos. Vejamos apenas alguns, que comprovam o que queremos dizer:

* A atriz Rebecca Schaeffer foi assassinada por um fã furioso quando abriu a porta de sua casa para atender a campainha. A investigação feita pela polícia revelou que o assassino a tinha rastreado usando seu computador em seu apartamento, a centenas de quilômetros de distância. "Ele a espionou vasculhando bancos de dados, que revelaram onde ela morava, seu número de telefone, para quem ela telefonava, que carro possuía e onde fazia suas compras." Além disso, ele acessou arquivos de crédito e viu que a atriz tinha jantado em um restaurante da moda em Beverly Hills e imaginou, em sua mente doentia, que tinha estado com ela e que tinham passado uma noite romântica juntos. A maioria das pessoas não tem idéia que essas informações privadas podem ser facilmente acessadas por qualquer pessoa que saiba como invadir computadores, como os ciberpiratas, ou hackers. O autor lista muitas outras informações privadas que podem ser obtidas facilmente por meio de um computador:
         

Dossiês de crédito Informações sobre multas e infrações de trânsito Histórico profissional Detalhes financeiros Formação da família Gostos pessoais e padrões de compra Relatórios sobre nossa saúde, incluindo a medicação que tomamos Registros hospitalares e clínicos Resultados de exames laboratoriais, inclusive teste de AIDS "Toda vez que um cidadão norte-americano preenche um formulário de mudança de endereço no Correio, ele é imediatamente vendido para 23 empresas de bancos de dados, que depois revendem as informações para marketing direto, investigadores e quem mais quiser compilar os dados do cidadão... Existem mais de 5 bilhões de registros referentes a todos os

detalhes de cada americano e as informações sobre cada pessoa passam de um computador para o outro em uma média de cinco vezes por dia. Estima-se que seja impossível para os cidadãos saber onde existem arquivos a seu respeito." É isto, pessoal. Informações detalhadas sobre a maioria dos cidadãos adultos dos Estados Unidos já existem em arquivos de computador e são acessíveis para qualquer pessoa que possua um computador, um modem, e saiba como invadir computadores servidores. Você pode imaginar as informações que estão disponíveis nos computadores sofisticados do governo? Somente hoje, como nossos sistemas computacionais implantados em grande parte dos países, é possível controlar todas as pessoas no mundo tão completamente que ninguém poderá comprar ou vender se não tiver a marca religiosa/econômica em sua mão direita ou na fronte. Você vê os cães usando toda a força para tentar romper as correntes? Também vemos o engano espiritual sobrenatural ocorrendo em um nível inacreditável. As pessoas estão sendo enganadas de muitas maneiras. Hoje não teremos tempo de abordar essa questão, mas na próxima semana examinaremos esse importante assunto em detalhes. Fale sobre este tópico com um amigo que ainda não recebeu a Jesus Cristo como seu Salvador, para que ele também sintonize o rádio no próximo sábado. Talvez não haja assunto mais importante para ele, pois sua alma eterna está em risco. Lembre-se, a principal característica da Nova Ordem Mundial/Tribulação é o engano. Esse engano será tão sofisticado que até os eleitos de Deus seriam enganados se não fosse pela intervenção sobrenatural do Espírito Santo. a campanha para convencer a grande maioria da população que a homossexualidade e o lesbianismo são normais, saudáveis e tão válidos quanto a heterossexualidade. A capa e a matéria principal da revista Newsweek, de 14 de setembro de 1992 foi sobre esse assunto. A capa dizia "Gays Under Fire — What America Thinks. A Newsweek Poll" ('Os gays sob fogo — O que a América acha. Uma pesquisa da Newsweek'). Os resultados foram esclarecedores e desanimadores.

A pesquisa da Newsweek fez duas perguntas muito importantes: 1. A homossexualidade é um estilo de estilo de vida aceitável? Incrivelmente, 41% dos respondentes concordaram que a homossexualidade é tão aceitável quanto a heterossexualidade ordenada por Deus. Em outras palavras, quase metade dos respondentes agora crêem que a homossexualidade é normal e saudável. Este é um dos maiores exemplos que o Plano de Seis Etapas para a Mudança de Atitudes com relação à homossexualidade foi bem sucedido. Lembra-se do Plano das Seis Etapas Mudança de Atitudes? Dedicamos um tempo considerável a esse assusto devastador no seminário e criamos um longo artigo sobre ele, N1055. Você se lembra que a chave é a criação do conflito contínuo entre dois lados opostos? Logicamente, o conflito contínuo é amplamente oferecido neste caso pela mídia de massa, que apóia grandemente a homossexualidade e que deseja ver mudança nas atitudes da população. O artigo da Newsweek, mais a maioria dos outros vistos em revistas, jornais e TV, são escritos de tal forma a apresentar o movimento pró-homossexual como razoável, normal e elegante, enquanto o lado oposto é ridicularizado, não recebe o mesmo espaço, e é retrato como preconceituoso e obtuso. 2. Em seguida, foi feita a pergunta: "Homossexuais devem ser contratados para trabalhar em cada uma destas profissões?"
  

83% concordaram que os gays podem ser vendedores. 59% concordaram que os gays podem servir nas forças armadas. 54% concordaram que os gays devem podem ser professores de escolas de Segundo Grau, e 51% concordaram que podem ser professores da Escola Primária. Essa resposta deve causar preocupação aos pais cristãos, pois os professores sempre foram modelos para muitos alunos. Constantemente, advertimos nossos ouvintes que as escolas públicas hoje são perigosas para as almas das nossas crianças, por causa dos valores anticristãos que agora são ensinados. Agora, a pressão ficará ainda maior, pois

homossexuais e lésbicas serão contratados como professores no sistema de escola pública.

48% dos respondentes concordaram que os gays podem ser ministros religiosos. Não consigo acreditar nisso. O povo desta antiga grande nação cristã foi persuadido que os ministros que servem em nossas igrejas podem ser homossexuais e/ou lésbicas. Tremo ao contemplar o futuro julgamento diante de um Deus onipotente e imutável. Lembro que Deus reservou um julgamento especial para os sacerdotes que foram infiéis em seu ministério nos dias antes de levantar Nabucodonosor, rei de Babilônia, como a espada de julgamento contra o pecaminoso e rebelde Israel. Não se engane querido ouvinte: nosso país é culpado dos mesmos pecados e sofrerá o mesmo destino. Verdadeiramente, este é o fruto final de todos os muitos anos no século 20 de ensino de falsa doutrina e do ensino da sabedoria do homem.

Você vê os cães forçando, tentando romper as correntes? Informamos em um artigo anterior, que o Plano da Nova Ordem Mundial prevê que as pessoas sejam marcadas com uma marca invisível, sem a qual ninguém poderá comprar ou vender. Mencionamos um documento de Nova Era que diz que as pessoas devem ser condicionadas em um processo de três etapas. Primeiro, as preferências pessoais da população serão rastreadas por meio do registro eletrônico das vendas. Isso será obtido por meio do sistema de código de barras. Obviamente, já passamos por essa etapa. Segundo, as pessoas serão condicionadas à marcação dos pacotes com o código de barras. Este objetivo também já foi atingido. Finalmente, os consumidores serão identificados por meio de cartões de crédito e de débito. Estamos neste ponto agora. Após o público ter sido suficientemente condicionado por meio dessas etapas, o passo final a ser tomado é marcar toda a população mundial com uma marca invisível a olho nu, sem a qual ninguém poderá comprar nem vender. Há muito tempo que os estudiosos da Bíblia, baseados na leitura de Apocalipse 13:16-18, sustentam que esse passo final não

poderá ser dado sem que o papel-moeda e os cheques sejam retirados de circulação. Creio que eles estejam corretos, pois a literatura de Nova Era está agora divulgando a necessidade de entrarmos em uma sociedade onde não haja a circulação de dinheiro, apenas transações virtuais em computadores. A maioria dos produtos vendidos no varejo já tem o código de barras. Devemos estar muito próximos da eliminação total do papel-moeda. No entanto, acredito que estamos testemunhando a mais recente e última etapa para a eliminação do dinheiro: a colocação do código de barras nas próprias notas. As novas notas de 100 e de 50 dólares agora têm um código de barras impresso. Como os códigos de barra usam código de computador '666' para funcionar, esse desenvolvimento significa que, pela primeira vez na história, o homem colocou '666' no dinheiro. A marca numérica do Anticristo está agora no nosso dinheiro. Você vê os cães forçando, tentando romper as correntes? O Movimento Feminista radical nos EUA agora alcançou um sucesso sem precedentes em sua habilidade de enquadrar o debate nacional sobre muitas questões e em sua influência sobre a política governamental. Muitos líderes cristãos afirmam que a National Organization for Women (NOW, Organização Nacional das Mulheres) não pode ser levada tão a sério, pois representa as idéias de uma pequena minoria das mulheres norte-americanas. Embora numericamente isso seja correto, negligencia o perigo representado por essas feministas radicais. O Feminismo Radical é a locomotiva que movimenta o trem. Seu ativismo fornece o conflito necessário para implementar o Plano de Seis Etapas para a Mudança do Comportamento. O Feminismo Radical tem um representante na Casa Branca, a primeira-dama americana, a senhora Hillary Clinton. Ela suporta toda a pauta feminista, especialmente a destruição da família tradicional. Acho extremamente interessante que ela apóie o direito das crianças de processar seus próprios pais, apesar das instruções de Deus serem de os pais disciplinarem os filhos com a vara, se necessário, para treiná-los no

caminho em que devem andar; Deus até diz que essa disciplina livrará a alma da criança da perdição no inferno. No entanto, o Movimento Feminista radical também quer destruir a família tradicional de outras formas: * Iniciando um conflito entre os dois sexos, o que resultará em menos casamentos heterossexuais e assim, no nascimento de menos crianças. Portanto, as feministas também suportam o aborto por qualquer motivo e a qualquer momento durante a gravidez, sem qualquer restrição. Os maridos que se opuserem ao aborto e quiserem salvar a vida do bebê não têm direito algum nessa matéria. Assim, os maridos e as mulheres são colocados um contra o outro. O ativista cristão pelos deficientes, Dr. Wolf Wofensberger, da Universidade Siracusa, observa esse triste fenômeno em seu livro The New Genocide of Handicapped and Afflicted People. No entanto, existem outros modos em que os homens e mulheres estão sendo colocados uns contra os outros. A entrada das mulheres no mercado de trabalho, competindo com os homens pelos melhores cargos também criou grande estresse sobre o relacionamento entre homens e mulheres. As atitudes do Feminismo Radical são estridentes e combativas, com algumas questões sendo legítimas e outras ilegítimas. O melhor exemplo de uma questão ilegítima é a discriminação sexual, conforme exemplificado pelo fiasco Anita Hill/Clarence Thomas. A questão não é que a discriminação e o assédio sexuais devam ser tolerados; é lógico que precisam ser combatidos. O problema aqui com Anita Hill é que ela não ofereceu nenhuma prova concreta para confirmar suas afirmações; no entanto, quase conseguiu impedir que o juiz Clarence Thomas fosse confirmado como membro da Suprema Corte, e teria arruinado sua vida e sua carreira se tivesse conseguido evitar a nomeação. Eu já trabalhei no ramo de varejo por vinte anos e posso garantir que a maioria dos homens ergue uma enorme barreira entre eles e suas funcionárias mulheres, para evitar qualquer acusação, a qualquer custo. As feministas radicais ainda insistem que deveríamos ter acreditado em Anita Hill com base em sua acusação somente. Senti que o episódio abalou a vida empresarial dos EUA.

A mídia de massa também está criando filmes que mostram o relacionamento homem/mulher em outras formas que não a heterossexual. A família tradicional é o alvo para a destruição. Muitas feministas radicais são mulheres lésbicas e o movimento certamente apóia esse estilo de vida, bem como o dos homossexuais. Elas certamente promovem a homossexualidade e classificam qualquer pessoa ou organização que discorde delas com aquela palavra terrivelmente ofensiva: "homofóbico". Não se engane sobre o dano que as Feministas Radicais estão infligindo sobre o tecido da sociedade atual. Esses cães estão realmente forçando, tentando romper as correntes. Vamos agora mudar de assunto e abordar a questão do jogo de poder no Oriente Médio. A Bíblia diz que, nos últimos dias, o Oriente Médio, e Jerusalém, especificamente, será o centro das preocupações mundiais, e isso está acontecendo à medida que nos aproximamos mais do início da Tribulação. Em Zacarias 12:2-3, temos: "Eis que eu farei de Jerusalém um copo de tremor para todos os povos em redor... E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a carregarem certamente serão despedaçados; e ajuntar-se-ão contra ela todo o povo da terra." O contexto dessa passagem é o fim dos tempos, e a história moderna confirma essas palavras. Desde a criação no novo estado de Israel, em 1948, todos os países árabes se uniram no propósito de destruí-lo. Os árabes atacaram Israel com grande superioridade numérica em quatro guerras; no entanto, Deus miraculosamente livrou Israel todas as vezes. No entanto, Deus permitirá que Satanás acenda o fogo no Oriente Médio novamente. Lembre-se, no passado Satanás tentou várias vezes destruir os judeus, simplesmente por serem o povo escolhido por Deus. As forças de Satanás estão se posicionando para mais uma vez tentar destruir Israel completamente. Quando a antiga União Soviética foi desmembrada anos atrás, um número não determinado de ogivas nucleares foi adquirido por vários países, especialmente Estados árabes.

Essas ogivas aparentemente foram enviadas para dois grandes inimigos de Israel: o Irã e a Síria. Essa ação significa que, pela primeira vez desde que Israel tornou-se uma nação novamente, em 1948, seus inimigos têm armas nucleares. No entanto, eles ainda precisavam de um sistema de transporte eficiente para suas ogivas nucleares. As defesas antiaéreas israelenses são tão eficientes que nenhum bombardeiro que esteja sobrevoando um país vizinho pode ter a pretensão de querer entrar no território aéreo de Israel. Assim, somente mísseis desenvolvidos especificamente para as operações no teatro local poderiam transportar essas ogivas. Testemunhamos a ineficiência dos mísseis Scud iraquianos durante a guerra do Golfo Pérsico, mas você sabia que aqueles eram mísseis Scud de primeira geração? A Rússia simplesmente vendeu mísseis obsoletos aos iraquianos. A tecnologia russa atual é muito mais eficiente, e está incorporada no míssil Scud C. Esse míssil é muito eficiente e não pode ser interceptado nem pelos mísseis norte-americanos Patriot, nem pelos mísseis defensivos Arrow, de Israel. Os planejadores da Nova Ordem Mundial garantiram que o Irã e a Síria receberiam os foguetes capazes de transportar as ogivas nucleares. No início de abril, as agências norte-americanas de inteligência informaram a mídia mundial que tinham detectado a partida de um navio cargueiro de um porto na Coréia do Norte com uma carga de mísseis Scud C avançados. Os altos oficiais norte-americanos repetidamente afirmaram que a Marinha dos EUA acompanharia esse navio e não permitiria que ele aportasse. Esses mísseis, diziam, poderiam alterar drasticamente o "equilíbrio de poder" no Oriente Médio. Por aproximadamente duas semanas, a impressa nos manteve informados sobre a posição do navio cargueiro, até que o ponto foi atingido em que ele entrou no Golfo Pérsico, perto do porto iraniano que era seu destino. Os oficiais norteamericanos declararam que, se o cargueiro não retrocedesse, a Marinha americana o pararia e tomaria no dia seguinte. Esse dia chegou sem que qualquer ação fosse tomada pela Marinha americana. Os oficiais declararam que a Marinha tinha "perdido" o cargueiro. O artigo de um jornal citou o comentário de um almirante

reformado que disse ser impossível "perder" o contato com um navio no Golfo Pérsico; talvez o contato pudesse ser perdido em um grande oceano, mas não na "banheira" que é o Golfo Pérsico. Sua conclusão foi que alguém muito importante tomou a consciente decisão de permitir que o navio cargueiro passasse. O jornal anunciou que, embora o cargueiro tivesse atracado em um porto iraniano, a maior parte da carga destinava-se à Síria. Essa conclusão faz sentido militarmente, pois é a Síria, não o Irã, que tem fronteira com Israel. Agora a Síria possui ogivas nucleares e um míssil efetivo para transportá-las. Durante a Guerra do Golfo Pérsico, os especialistas militares deixaram bem claro que a Síria representava uma ameaça muito maior para Israel do que o Iraque, simplesmente porque suas forças armadas são muito mais fortes. O cenário para guerra nuclear no Oriente Médio já está armado. No entanto, as nações árabes sempre estiveram em xeque, sabendo do que os EUA são um grande aliado de Israel. Os EUA sempre socorreram Israel durante todas as suas guerras, chegando até a colocar suas forças nucleares em alerta. A última vez em que isso ocorreu foi na guerra do Yom Kippur, em 1973, na qual Israel quase foi derrotado. Essa guerra esgotou tão rapidamente o estoque de munições de Israel e seus equipamentos pesados que a derrota parecia ser apenas uma questão de horas. O presidente Nixon reagiu enérgica e decisivamente. Ele colocou as forças armadas norte-americanas em alerta total, incluindo o braço nuclear, e ordenou um transporte aéreo ininterrupto de estoques de munição e de tanques das forças americanas estacionadas na Europa. Os aviões cargueiros norte-americanos voaram sem parar, transportando as munições desesperadamente necessárias para que Israel pudesse conquistar a vitória. Por que os EUA apoiaram Israel dessa forma, especialmente considerando-se que nossa liderança apóia consistentemente a satânica Nova Ordem Mundial? A resposta não pode ser por causa do poderoso lobby judaico em Washington, simplesmente porque os judeus neste país não são tão numerosos para ter toda essa influência. Os líderes judeus, nos EUA e em Israel reconhecem que o apoio americano tem sido tão firme unicamente devido ao fervoroso apoio dos cristãos

fundamentalistas. Os cristãos nascidos de novo não têm apenas o amor de Jesus Cristo em seus corações, mas também têm o amor a Israel e aos judeus, a quem ainda consideram a nação escolhida por Deus. No entanto, esse apoio tradicional está se enfraquecendo com o tempo. Israel não pode contar mais com o apoio perpétuo dos EUA. Na verdade, existem evidências que o Congresso americano está armando o cenário para a derrota de Israel. Um artigo publicado no Providence-Journal Bulletin, em 24/8/92, informou que os especialistas em armamentos americanos e israelenses tinham desenvolvido uma arma prática que poderia destruir os avançados mísseis Scud; no entanto, o gabinete do senador democrata Inouye emitiu uma "diretiva para interrupção dos trabalhos" em abril sobre esse novo sistema defensivo. Quando o Pentágono ignorou essa diretiva, a liderança democrata do Congresso propôs o corte de todos os fundos do orçamento de 1993. O autor do artigo concluía que somente ação do Senado poderia evitar esse corte nos fundos. Se esse sistema de armas fosse interrompido, as cidades israelenses ficariam vulneráveis ao ataque de mísseis. E o Congresso americano tomou a ação para armar o cenário. Os cães estão forçando, tentando romper a corrente, prevendo ansiosamente o momento em que poderão atacar e devorar Israel. Se o arrebatamento remover subitamente a igreja cristã, Israel descobrirá bem depressa que perdeu seu melhor amigo no mundo. Acreditamos que as forças de Satanás atacarão quase que instantaneamente. Israel enfrentará forças mortais provenientes de muitas direções, armadas com armas nucleares avançadas. Sua derrota parecerá inevitável, pelo menos aos olhos humanos. No entanto, Deus prometeu que, após Israel renascer como nação, nunca mais será expulso de sua terra novamente. Em Amós 9:11-15, Deus promete várias coisas a Israel nestes últimos dias: 1. Promete "levantar o tabernáculo caído de Davi" e "restaurá-lo como nos dias da antiguidade" (verso 11). 2. Promete expandir o território de Israel (verso 12).

3. Promete tornar Israel produtivo e próspero, tanto material quanto espiritualmente (versos 13-14). 4. Finalmente, promete que Israel "não será jamais arrancado da sua terra". Se isso é verdade, como Deus protegerá Israel quando seu único aliado confiável o abandonar? A resposta é bem simples. O próprio Deus intervirá para proteger Israel. Vemos este cenário mais claramente em Daniel 12:1, em que Deus diz que durante a Grande Tribulação, os eventos ficarão tão terríveis para Israel que Miguel, o grande arcanjo de Deus, se levantará para defender Israel pessoalmente. Deus intervirá para que esses avançados mísseis Scud C não funcionem direito ou que sejam destruídos em um brilhante primeiro ataque, ou que as ogivas não disparem. No entanto, essa guerra terá sido possível porque Deus removeu a influência restritora, possivelmente removendo a igreja cristã no Arrebatamento. Ao mesmo tempo, os cães de Satanás estarão realmente forçando, tentando romper as correntes. De muitas formas sem precedentes, e vindo de muitas direções não imaginadas antes, as forças de Satanás parecem posicionadas para avançar e tomar o controle deste mundo. A única razão pela qual isso ainda não aconteceu é por que o Espírito Santo ainda está restringindo Satanás. Depois que a restrição for removida, como a Bíblia diz, as forças satânicas tomarão o controle imediatamente. O simples fato de vermos tantas forças satânicas se organizando parece ser outro sinal que o arrebatamento da igreja está muito próximo. Como Jesus Cristo disse em Lucas 21:28: "Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima."

a reunificação da Europa Ocidental em uma supernação. Desde o Império Romano original, a Europa não esteve tão perto de se transformar em uma única nação. Os estudiosos em profecias bíblicas sempre entenderam que o Anticristo viria de uma supernação que é o Império Romano Restaurado. Como eu disse em muitas ocasiões, este é um tempo muito interessante para se viver, pois os eventos mundiais estão ocorrendo exatamente como previsto por aqueles estudiosos que insistiram em interpretar a Bíblia literalmente. Os eventos mundiais nos últimos vinte anos reforçaram ainda mais a convicção que a Bíblia precisa ser interpretada literalmente. Quando pesquisei os escritos dos líderes da Nova Ordem Mundial, observei que os escritores sempre demonstram uma intensa emoção quando falam sobre a reunificação da Europa. A emoção que demonstram pode até ser comparada com um fervor religioso. Adolf Hitler, o primeiro que defendeu publicamente a idéia da Nova Ordem Mundial, acreditava que tinha sido escolhido pelos deuses para finalmente unir a Europa. Após a Segunda Guerra Mundial, o ocultista Foster Bailey escreveu que a tentativa de Hitler falhara e que a reunificação seria obtida por meios econômicos e pacíficos. Esse plano é coerente com as profecias bíblicas, que dizem que o reino do Anticristo será acompanhado por um plano de paz. Esse plano começou em 1954, quando a sociedade secreta euroamericana conhecida como Bilderbergers, foi formada com o propósito expresso de unir a Europa. O plano especificava que a unificação começaria exclusivamente com a economia. O economista Martin Mayer, escreveu um artigo para o jornal Boston Globe em 20/9/1992, em que afirmou que sabia, desde 1959 que a reunificação européia era inevitável. Como ele sabia que era inevitável? Porque "os fabricantes franceses e alemães estavam se reunindo para normatizar o tamanho das chaves de fenda... Esse tipo de coisa", escreveu ele, "seria irreversível". Mayer estava absolutamente correto. De forma gradual, parte por parte, acordo após acordo, as nações da Europa foram se integrando. Finalmente, no início dos anos 1980, o progresso obtido permitiu a

criação de uma Zona de Livre Comércio gigante, maior que os EUA. Os acordos foram eliminando gradualmente todas as áreas de protecionismo que existiam em muitos países europeus, e foi fixado um calendário para a eliminação total das barreiras tarifárias. O Tratado de Maastricht, assinado em 1992, levou os países da Europa muito mais para perto de um único estado federado, com uma única moeda, um Banco Central, e uma política externa comum. Com a aprovação do Tratado de Maastricht, a Nação Número 2 foi criada. Que Nação Número 2, você pergunta? O Plano da Nova Ordem Mundial prevê que, imediatamente após as Nações Unidas tomarem o controle formal das questões mundiais, seu primeiro ato oficial será reorganizar as mais de 170 nações soberanas do mundo em dez supernações. Esse plano, quando executado, cumprirá diversas profecias bíblicas, mas notavelmente os dez dedos da estátua descrita em Daniel 2:20-45, e os dez chifres, no capítulo 7:1-28. Vejamos por um momento a profecia dos dez dedos para que possamos compreender mais claramente o drama que está se desenrolando diante dos nossos olhos. No capítulo 2:20-45, Daniel identifica a grande figura de um homem no sonho do rei Nabucodonosor. Essa figura representava os quatro reinos gentios que Deus permitiria durante o período chamado Tempo dos Gentios.

A cabeça e os ombros da estátua eram de puro ouro e representavam o reino babilônio. Babilônia recebeu controle sobre todo o mundo conhecido. O peito e os braços da estátua eram de prata. Como essa parte do corpo consiste de duas partes, assim esse reino teria duas partes: os medos e os persas, unidos para formar o império Medo-Persa. Esse império exerceu controle sobre o mundo conhecido. O ventre e os quadris da estátua eram de bronze. A nação representada aqui pode ser identificada como a Grécia, que conquistou o reino persa e passou a exercer o controle sobre todo o mundo.

O quarto reino era representado pelas pernas de ferro e pés, que eram parte de ferro e parte de barro. Esse reino é Roma, que controlou todo o mundo conhecido. Roma conquistou a Grécia e seu domínio durou por aproximadamente 1200 anos. No entanto, o império romano se desintegrou e Roma caiu. Todavia, nossas instituições educacionais, o sistema judiciário e de administração pública vieram do modelo romano. As instituições romanas sempre estiveram influenciando o mundo ocidental.

Agora, precisamos considerar os dedos da estátua. Eles são identificados como sendo parte do quarto e final reino romano nos últimos dias, um reino que controlará novamente o mundo conhecido, que desta vez é todo o globo terrestre. Quando os estudiosos em profecias bíblicas consideravam essa parte da profecia, mais Daniel 9:27, afirmavam que a Bíblia previa a restauração do Império Romano nos últimos dias. A parte mais interessante da reunificação européia é que a formação geográfica da Comunidade Econômica Européia engloba quase que precisamente as fronteiras do antigo Império Romano e isso inclui a GrãBretanha. Em 1972, foi publicado um livro chamado Mankind at the Turning Point, que incluía um plano para reorganizar as nações do mundo em dez supernações. São elas: 1. América do Norte 2. Europa Ocidental 3. Japão 4. Austrália, África do Sul e o resto da economia de mercado do mundo desenvolvido 5. Europa Oriental, incluindo a Rússia 6. América Latina 7. Norte da África e o Oriente Médio 8. África Tropical

9. Sul e Sudeste Asiático 10.China. Essa reorganização em dez nações é planejada como uma nova superestrutura, construída sobre a estrutura existente das nações soberanas atuais. O Plano cuidadosamente permite que as nações soberanas continuem a existir sem qualquer plano aparente de mudança. No entanto, os livros contam uma história diferente. Eles certamente planejam abolir as nações soberanas, mas somente depois que as pessoas estiverem habituadas a serem cidadãos da supernação na qual estão vivendo. No entanto, a Comunidade Européia é apenas uma das supernações desse plano. Neste ponto, precisamos fazer uma pausa para discutir outra interpretação dos dez dedos da estátua de Daniel 2, pois muitas pessoas estão acostumados com essa interpretação. Essa interpretação dos dez dedos é que o Império Romano Restaurado seria formado por dez nações. O fato é que atualmente ele consiste de mais do que isso. De acordo com essa teoria, algumas nações precisarão ser desligadas da União Européia. No entanto, essa interpretação viola um princípio básico da interpretação bíblica, o princípio do contexto. Os estudiosos da Bíblia sabem que, na interpretação do significado de qualquer Escritura em particular, precisamos ter o cuidado de examinar o contexto. Esse princípio é muito importante, pois muitas seitas usam as Escritura fora do contexto para distorcer e perverter o significado verdadeiro do texto. Essa interpretação que a nação de dez dedos no fim dos tempos é uma Comunidade Européia formada por dez nações viola esse princípio básico, pois tira a interpretação do contexto original. Qual é o contexto original? Podemos vê-lo facilmente no capítulo 2:39: "E depois de ti se levantará outro reino, inferior ao teu; e um terceiro reino, de bronze, o qual dominará sobre toda a terra." Cada um dessas nações gentias recebeu controle temporário sobre todo o mundo conhecido de então. Portanto, o contexto dessa profecia das dez nações é o controle sobre todo o mundo conhecido, que hoje é todo o globo

terrestre. Esta é a abrangência do plano contido dentro do livro mencionado anteriormente. Todo o mundo será reorganizado em dez supernações e estamos vendo isso ocorrer diante dos nossos olhos!! Antes de prosseguirmos, quero mencionar mais uma coisa sobre o número 10. Os ocultistas crêem que o número 10 é sagrado. Evidentemente, Deus fez os ocultistas crerem nessa bobagem sobre a natureza sagrada do número 10 para que a profecia dos Dez Dedos se cumpra. Apesar das nossas interpretações de que os Dez Dedos representam todo o mundo, ainda poderemos ver Satanás deixar a Comunidade Européia com dez nações; no entanto, isso ainda não seria o cumprimento da Profecia dos Dez Dedos. O plano de reorganizar as nações do mundo em dez supernações será o cumprimento. Achamos que a Comunidade Européia poderá ter a configuração final de dez nações somente porque compreendemos como esse número é sagrado para os ocultistas e para Satanás. Os ocultistas parecem preocupados com o número 10. Vemos isso em seus escritos constantemente. O exemplo mais prático de seu uso são os EUA. Você sabia que o presidente Nixon, em 10 de fevereiro de 1972, reorganizou os EUA em dez regiões para o caso de uma emergência nacional? Não somente ele escolheu o número dez como o número de regiões em seu plano, mas também escolheu o décimo dia de fevereiro para assinar a Ordem Executiva. Dez é um número considerado sagrado pelos ocultistas. Quando olhamos para o Plano de Reorganização em Dez Nações, vemos que os EUA estão incluídos na Nação Número 1, chamada América do Norte. A Zona de Livre Comércio da América do Norte, chamada NAFTA, proposta pelo presidente Bush, foi aprovada no Congresso e no Senado e já é uma realidade. Ela engloba o Canadá, os EUA e o México. A Nação 3 — Japão, a Nação 6 — América Latina, e a Nação 10 — China, já existem ou estão sendo formadas. Um fato interessante é que a Nação 5 foi listada no livro publicado em 1972 como "Europa Oriental, incluindo a Rússia". Isso é totalmente incrível e demonstra novamente a existência de um plano conspiratório muito bem planejado, pois em 1972, a Rússia fazia parte da superpotência chamada União Soviética, ou URSS. O autor ocultista desse livro conhecia o plano da Nova Ordem Mundial de dividir

a URSS em suas partes componentes e, assim, chamou sua reorganização nacional da forma apropriada. A Nação 7 — Norte da África e Oriente Médio está sendo formada atualmente com as conversações de "paz" entre Israel e Síria. Essas conversações estão mostrando grande progresso e, provavelmente, resultarão em uma temporária regionalização do Oriente Médio, conforme implicado no título para a Nação 7. Finalmente, as Nações 4, 8 e 9 são simplesmente países do Terceiro Mundo que não têm poder algum e farão aquilo que as Nações Unidas mandarem fazer. A criação dessas nações poderá ocorrer de uma hora para outra, por decisão da ONU. Os cães estão forçando, tentando romper as correntes, aguardando a remoção final das restrições e, então, reorganizarão o mundo de acordo com o Plano das Dez Nações. Finalmente, os eventos atuais possivelmente nos deram a resposta à profecia problemática em Apocalipse 17:1-3, que diz que a besta do Anticristo terá sete cabeças e dez chifres. Obviamente, várias das cabeças precisarão ter mais de um chifre. Os estudiosos sempre tiveram dificuldade em explicar essa profecia. No entanto, considere que o plano para a criação da Nova Ordem Mundial do Anticristo está sendo encabeçado por duas forças:

A organização econômica chamada "Grupo dos 7", ou simplesmente "G-7". Os líderes do G-7 são sempre representados pelos chefes de Estado, que se chamam "as cabeças" da organização. O G-7 é formado pelos Estados Unidos, Canadá, GrãBretanha, França, Itália, Alemanha e Japão. O Plano de Reorganização em Dez Supernações.

E então temos as sete cabeças e os dez chifres. Hoje, como nunca antes, estamos testemunhando o mundo mudar de todas as formas que foram profetizadas na Bíblia referente aos últimos dias. Não se engane: Satanás está reunindo suas tropas de muitas

formas diferentes e de todas as direções, esperando somente o dia em que essas restrições finais serão removidas. Então, ele atacará para derrubar a Velha Ordem instituída com base nos valores do judaísmo e do cristianismo, estabelecendo a Nova Ordem Mundial, baseada no paganismo.

Profecia Bíblica Misteriosa: Apocalipse 13:1: "E eu pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia." Durante vários séculos os estudiosos da Bíblia não conseguiram entender o significado exato das sete cabeças e dos dez chifres dessa besta, chamada Anticristo, apesar de concordarem em muitos pontos dessa Escritura. Concordância Entre os Estudiosos 1) Esta Escritura está em paralelo com aquela encontrada em Apocalipse 12:3-4: "E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho." Essa Escritura mostra a batalha que ocorreu nos céus quando Satanás se rebelou contra a autoridade de Deus. (veja Isaías 14:12-14) Satanás conseguiu persuadir um terço das hostes angelicais a segui-lo nessa rebelião. A última parte desse verso é claramente identificado como o tempo em que Jesus Cristo nasceu, com Satanás pronto para destruí-lo. No entanto, o dragão (Satanás) que é chamado de "grande dragão vermelho" é retratado com sete cabeças e dez diademas no tempo em que ele se rebelou originalmente, um evento que possivelmente ocorreu bem antes de Jesus Cristo criar o universo. Portanto, a figura do Anticristo que

aparece em Apocalipse 13:1 com sete cabeças e dez chifres é simplesmente uma recriação do reino de Satanás muito tempo atrás, antes da criação do mundo; 2) Apocalipse 13:1 é uma figura do aparecimento do Anticristo. Como o "mar" na Bíblia quase sempre se refere às nações gentílicas, o Anticristo deverá vir das nações gentílicas da terra. Posteriormente, no verso 11, Deus diz que o Falso Profeta, um falso cristão, emergirá da "terra". Como a "terra" na profecia bíblica quase sempre se refere a Israel, podemos assumir que o Falso Profeta deverá vir de Israel. A segunda sentença no verso 11 ilustra o Falso Profeta como um falso cristão, isto é, "possuía dois chifres como um cordeiro, mas falava como dragão". Logicamente, os "dois chifres como um cordeiro" é uma referência a Jesus Cristo, o "cordeiro que tira o pecado do mundo". No entanto, o coração do Falso Profeta é totalmente satânico ("mas falava como dragão"); 3) O Anticristo e seu reino são retratados como uma besta com sete cabeças de dez chifres. O termo "chifres" muito possivelmente se refere a líderes, ou reis, uma entidade política. No entanto, esse agrupamento político de dez chifres parece depender do suporte e da vida das sete cabeças. Em Daniel 2:41-44 e 8:23-24, vemos que o Anticristo aparecerá após os dez reinos estarem estabelecidos; 4) Finalmente, em Apocalipse 17:12-17, vemos que os dez reis não precedem o Anticristo, mas que estarão mancomunados em uma conspiração global para conquistar todo o poder político do mundo para si mesmos com o propósito expresso de entregá-lo depois ao Anticristo! Assim, os estudiosos da Bíblia concordam que os dez chifres dessa profecia representam uma reorganização das nações do mundo em dez supernações, cada uma delas liderada por um rei. No entanto, eles não conseguiam entender o significado das sete cabeças que estarão suportando os dez chifres. No entanto, os desenvolvimentos que ocorreram nas duas últimas décadas aparentemente cumprem essa misteriosa profecia. Considere as notícias:

As Sete Cabeças Já Estabelecidas Resumo da Notícia: "G-7 Pressiona os Grandes Bancos a Oferecer a Renegociação da Dívida", Michale M. Phillips e Bob Davies, e Pamela Druckerman, The Wall Street Journal, 2/nov/98, pág. A27. "As sete principais potências econômicas do mundo estão pressionando os bancos privados e os investidores a aceitar uma renegociação da dívida em nível internacional, incluindo o resgate que está sendo agora preparado para o Brasil. Em declarações nesta sexta feira, o Grupo dos Sete países mais industrializados apoiou a criação de uma linha de crédito pré-aprovada para os países que estão sob o perigo de serem atingidos por pânico dos investidores... Os líderes do G-7, os ministros da economia e presidentes dos bancos centrais enfatizaram que o setor privado precisa colaborar com o Fundo Monetário Internacional, com o Banco Mundial, e com as nações ricas para o financiamento do plano... 'o setor privado'... precisa estar apropriadamente envolvido na administração e na solução da crise', disseram os ministros da economia e presidentes dos bancos centrais do G-7." O G-7 inclui os sete países mais industrializados do mundo: Grã-Bretanha, Itália, Canadá, Estados Unidos, França, Alemanha e Japão. Desde o início, o objetivo da organização foi planejar uma transição tranqüila das economias individuais dos países para uma economia global e um governo mundial. Muitas vezes desde então, o G-7 é referenciado como os "sete países mais ricos do mundo". Certamente, quando as nações que detêm 75% do Produto Nacional Bruto decidem apoiar algum objetivo e colocam seu peso econômico em uso, você pode ter certeza que o sucesso é muito mais provável que o fracasso. De 1994-1997, a Rússia participa no grupo nas discussões políticas, o que deu origem ao termo G-8; no entanto, os russos não participam nas discussões econômicas. No encontro de 1998, em Birmingham, a Rússia passou a participar do grupo, supostamente como um membro pleno. No entanto, o grupo G-7 original continuou a se reunir como uma entidade separada e a tomar todas as decisões. Com o fracasso da Rússia de se converter para uma Economia do Livre Mercado e sua subseqüente

decretação de moratória nos pagamentos da dívida externa, ela está definitivamente "fora do clube" com relação às decisões econômicas. O G7 foi fundado originalmente por razões econômicas e não faz sentido permitir que um país que atravessa sérias dificuldades econômicas participe como membro. Como dissemos anteriormente, o G-7 tem o objetivo de preparar a transição para a economia da Nova Ordem Mundial. Jesus falou mais sobre dinheiro e a forma correta de lidar com ele do que qualquer outro assunto, provando que o homem tende naturalmente à cobiça e à avareza. Como o mundo está sendo levado a esse sistema global, os líderes da Nova Ordem Mundial descobriram que as pessoas amam seu dinheiro tanto quanto amam seu país. Verdadeiramente Jesus estava certo quando disse: "Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." [Mateus 6:21]. Lenta, silenciosa e gradualmente, o consórcio G-7 dos países mais ricos do mundo está levando o mundo para o Reino do Anticristo. O G-7 fornece a liderança principal para o estabelecimento desse vindouro Reino. O objetivo final é estabelecer a economia e o governo globais para que o Anticristo possa emergir para tomar o controle dele, exatamente como previsto na profecia bíblica. Portanto, as sete cabeças de Apocalipse 13:1, provavelmente é o G-7. Mas, e os dez reis, que estarão sobre as sete cabeças? Felizmente, já identificamos esse fenômeno. Reorganização das Nações do Mundo em Dez Supernações: 1. América do Norte (NAFTA); 2. Europa Ocidental; 3. Japão; 4. Austrália, África do Sul e o restante da economia de mercado do mundo desenvolvido; 5. Europa Oriental, incluindo a Rússia; 6. América Latina;

7. Norte da África e Oriente Médio; 8. África Tropical; 9. Sul e Sudeste Asiático; 10.China. O propósito dessa reorganização é especificamente facilitar a transição entre as muitas nações individuais do mundo hoje, para o governo global do Anticristo. A razão pela qual o número dez foi escolhido é por que Deus assim determinou na profecia desde o tempo de Daniel, e Satanás não tem alternativa senão cumpri-la à risca.

Entenda Apocalipse17:1-10 Igreja Católica até sair o Papa Publicado em 18/02/2013 às 05h07

post anterior | próximo post

APOCALIPSE 17

"E VEIO um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; PROSTITUTA : áquela que se vende, pelo dinheiro não consegue firmar um pacto de fidelidade. Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição. As nações acabaram envolvendo-se, os governos e poderes se relacionaram com ela , com dinheiro, tiveram e criaram prazer nesta relação, relação prostituída. A grande Prostituta oferecia o prazer eterno, a vida eterna, o perdão eterno em troca de valores, por quantias liberadas e as pessoas

comprometidas espiritualmente por interesse pessoal, relacionavam-se desta maneira, para satisfação de seus desejos. Deixando assim de viver uma vida íntegra e posicionada para alcançar as coisas de Deus, mas aderindo a prostituição para alcançar os objetivos, que na verdade são espirituais. Desde a idade média, vendia-se salvações e libertações, as conhecidas indulgências, chegou-se a apregoar que ““Cada vez que a moeda cai na bolsa do frade, uma alma sai do purgatório”. Pagava-se para batizar um ente querido, paga-se por missas, paga-se por casamentos, paga-se pelo alcance de bênçãos, o povo contaminado em seus pecados diante da facilidade de alcançar o reino, sem exigências de renúncia, transformação ou verdadeira conversão aderiram facilmente a este método e se lambuzaram ou se alegraram com um relacionamento religioso, uma relação de prostituição. E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. A mulher tipifica a igreja que esta fundamentada sobre uma base demoníaca com aparência de amor e vida, (escarlate é a cor do coração e do sangue humano), porém é contrária a Deus, contrária a seus princípios, apregoa palavras que insultam a Deus, anunciam outros Mediadores entre Deus e o homem, outra Advogada, outros meios de achegar-se a Deus e não proclamam o único e verdadeiro meio estabelecido pelo próprio Deus. "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem." I Timóteo 2:5 "MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo." I João 2:1 Perceba a cidade do Vaticano tornou-se realidade a partir do Concílio de Latão em 1929, somente a partir daí ela recebeu autonomia como um

estado, uma nação independente, e os cabeças a partir deste momento foram 7 Papas, estes desde então governaram a Cidade do Vaticano: 1 - Pio XI, 2 – Pio XII; 3 – João XXIII; 4 – Paulo VI; 5 – João Paulo I; 6 – João Paulo II. 7 – Bento XVI

Os 10 chifres apontam para o G10 a organização internacional que reúne as onze economias desenvolvidas, fundado em 1962, estes mantem o denominação de 10 governos centrais que interferem e posicionam-se com relação a assuntos de todo o mundo:
        

Alemanha Bélgica Canadá Estados Unidos França Itália Japão Países Baixos Reino Unido

 

Suécia Suíça

E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; Primeiro a besta estava vestida de escarlate, mas agora vemos que a própria mulher que é o tipo da Igreja também esta ornamentada com as cores escarlata e púrpura, descrevendo claramente as vestes de seus bispos e cardeais vermelhas e púrpuras, e a veste do papa é adornada com fios de ouro e pedras preciosas.

Sobre o poder da igreja católica, tem realmente ouro, riqueza, isso tipifica o cálice de ouro que está nas mãos da mulher, só o Banco do Vaticano movimenta bilhões provenientes das doações para caridade e boas obras de todo o mundo, assim a igreja tem uma riqueza adquirida com suas abominações e vendas de ritualismo religiosos ou adoração ás imagens e relíquias, logo aumenta-se o lucro praticando-se abominação á Deus, E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra. A Igreja traz sobre si esta marca, a mãe da comercialização da fé, e incentivadora da abominação pelo incentivo á veneração e desvio da pura Palavra de Deus.Carrega sobre si a responsabilidade por cada alma perdida e desviada pelo ritualismo e tradicionalismo que ela criou. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração. A Igreja é acusada de beber em grande quantidade o sangue dos santos e das testemunhas de Jesus, sabemos que no tempo da Inquisição milhares e milhares foram mortos, acusados de hereges, simplesmente porque lendo

a bíblia se apercebiam que estavam distantes do verdadeiro Evangelho e buscavam afastar-se daquela apostasia gerada pelo romanismo. Milhares foram torturados, perseguidos e mortos até negarem seu caminho ou interpretação, segue parte do descritivo da Inquisição, feito pelo Pr Airton Evangelista da Costa: “ Em 1198 o Papa Inocêncio III liderou uma cruzada contra os "ALBIGENSES" (hereges do sul da França), com execuções em massa; Em 1229, no Concílio de Tolouse, foi oficialmente criada a Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício, sob a liderança do Papa Gregório IX; Em 1252, o Papa Inocêncio IV publicou o documento intitulado "AD EXSTIRPANDA", em que vociferou: "os hereges devem ser esmagados como serpentes venenosas". Este documento foi fundamental na execução do diabólico plano de exterminar os hereges. As autoridades civis, sob a ameaça de excomunhão no caso de recusa, eram ordenadas a queimar os hereges. O "AD EXSTIRPANDA" foi renovado ou reforçado por vários papas, nos anos seguintes: Alexandre IV (1254-1261); Clemente IV (12651268), Nicolau IV (1288-1292); Bonifácio VIII (1294-1303) e outros. Inocêncio IV autorizou o uso da tortura. Com a promessa de irem diretamente para o Céu, sem passagem pelo purgatório, muitos homens eram exortados pelos inquisidores para guerrearem contra os hereges. No ano de 1209, em Beziers (França), 60 mil foram martirizados; dois anos depois, em Lauvau (França), o governador foi enforcado, sua mulher apedrejada e 400 pessoas queimadas vivas. A carnificina se espalhou por outras cidades e milhares foram mortos. Conta-se que num só dia 100.000 hereges foram vitimados. Depois de acusados, os hereges tinham pouca chance de sobrevivência. Geralmente as vítimas não conheciam seus acusadores, que podiam ser homens, mulheres e até crianças. O processo era sumário. Ou seja: rápido, sem formalidades, sem direito de defesa. Ao réu a única alternativa era confessar e retratar-se, renunciar sua fé e aceitar o domínio e a autoridade da Igreja Católica Romana. Os direitos de liberdade e de livre escolha não

eram respeitados. A Igreja de Roma, sob o pretexto de que detinha as chaves dos céus e do inferno e poderes para livrar as almas do purgatório e perdoar pecados, pretendia ser UNIVERSAL, dominar as nações mediante pressão sob seus governantes e estabelecer seus domínios por todo o Planeta. CRUELDADE E MATANÇA A seguir, um relato sucinto do extermínio de hereges. A matança dos valdenses - Um dos primeiros grupos organizados a serem atormentados foram os valdenses. Valdenses eram chamados "os membros da seita, também chamada Pobres de Lião, fundada pelo mercador Pedro Valdo por volta de 1170, na França. Inspirada na pobreza evangélica, repudiava a riqueza da Igreja Católica". O grupo organizado por Pedro Valdo, um rico comerciante, cria que todos os homens tinham o direito de possuir a Bíblia traduzida na sua própria língua. Acreditavam, também, que a Bíblia era a autoridade final para a fé e para a vida. Os valdenses se vestiam com simplicidade - contrapondo-se à luxúria dos sacerdotes católicos - , ministravam a Ceia do Senhor e o Batismo, e ordenavam leigos para a pregação e ministração dos sacramentos. "O grupo tinha seu próprio clero, com bispos, sacerdotes e diáconos". Tal liberdade não era admitida pela Igreja Católica porque não havia submissão ao Papa e aos seus ensinos. Os valdenses possuíam a Bíblia traduzida na sua língua materna, o que facilitou a pregação da Palavra. Outros grupos sucumbiram diante das ameaças e castigos impostos pelos romanistas. Os valdenses, todavia, resistiram. Na escuridão das cavernas, cada versículo era copiado, lido e ensinado. Na Bíblia encontraram a Luz uma luz forte que inunda corpo, alma e espírito... uma luz chamada Jesus. Os valdenses foram, certamente, os primeiros a se organizarem como igreja, formar seu próprio clero e enviar missionários para outras regiões na França e Itália. Tudo com muito sacrifício e sob implacável perseguição. Essa liberdade de ação motivou os líderes romanos a adotarem medidas duras contra a "seita". Uma bula papal classificou os valdenses como hereges e, como tal, condenados à morte. A única acusação contra eles

era a de que "tinham uma aparência de piedade e santidade que seduzia as ovelhas do verdadeiro aprisco". Uma cruzada foi organizada contra esse povo santo. Como incentivo, a Igreja prometia perdão de todos os pecados aos que matassem um herege, "anulava todos os contratos feitos em favor deles (dos valdenses), proibia a toda a pessoa dar-lhe qualquer auxílio, e era permitido se apossar de suas propriedades por meio de violência". Não se sabe quantos valdenses morreram nas Cruzadas. Sabemos, portanto, que esses obstinados cristãos fincaram os alicerces da Reforma que viria séculos depois. O MASSACRE DE SÃO BARTOLOMEU - Os católicos franceses apelidavam de "huguenotes" os protestantes. Uma designação depreciativa. Já fomos tratados de huguenotes, hereges, heréticos, protestantes, cristãos novos, irmãos separados, crentes, evangélicos, etc. Mas o Pai nos chama de FILHOS. O massacre de São Bartolomeu ou a Noite de São Bartolomeu ficou conhecido como "a mais horrível entre as ações diabólicas de todos os séculos". Com a concordância do Papa Gregório XIII, o rei da França, Carlos IX, eliminou em poucos dias milhares de huguenotes. A matança iniciou-se na noite de 24.08.1572, em Paris, e se estendeu a todas as cidades onde se encontravam protestantes. Segundo Ellen G. Write, em seu Livro "O GRANDE CONFLITO", foram martirizados cerca de setenta mil nesse massacre. "Quando a notícia do massacre chegou a Roma, a alegria do clero não teve limites. O cardeal de Lorena recompensou o mensageiro com mil coroas; o canhão de Santo Ângelo reboou em alegre salva; os sinos dobraram em todos os campanários; e o Papa Gregório XIII, acompanhado dos cardeais e outros dignitários eclesiásticos, foi, em longa procissão, à igreja de S.Luís, onde o cardeal de Lorena cantou o Te Deum. Um sacerdote falou "daquele dia tão cheio de felicidade e regozijo, em que o santíssimo padre recebeu a notícia e foi em aparato solene dar graças a Deus e a S.Luís". Para comemorar e perpetuar na memória dos povos esse horrendo massacre, por ordem do Papa Gregório XIII foi cunhada uma moeda, onde

se via a figura de um anjo com a espada numa mão e, na outra, uma cruz, diante de um grupo de horrorizados huguenotes. Nessa moeda comemorativa lia-se a seguinte inscrição: "UGONOTTORUM STANGES, 1572" ("A MATANÇA DOS HUGUENOTES, 1572"). Em seu livro "OS PIORES ASSASSINOS E HEREGES DA HISTÓRIA", o historiador e pesquisador cearense Jeovah Mendes, à pág. 238, assim registra a fatídica Noite de S.Bartolomeu: "Papa Gregório XIII (Ugo Buoncompagni) (1502-1585) - Em irreprimível ritmo acelerado recrudescia o ódio contra os protestantes em rumo de um trágico desfecho. O cardeal de Lorena, com a aprovação e bênção pontifícia de Gregório XIII, engendrou o mais horrível banho de sangue por motivos religiosos em toda a História da França ou de qualquer nação do mundo. Consumou-se o projeto assassino aos 24 de agosto de 1572, a inqualificável NOITE DE S.BARTOLOMEU, sendo nesse macabro festival de sangue, morto o impetérrito Coligny, mártir do Evangelho e honra de sua Pátria. Como troféu da bárbara carnificina, a cabeça de Coligny fora remetida ao "sumo pontífice" Gregório XIII (Maurício Lachatre, História dos Papas, vol. IV, pg. 68)". O MASSACRE DOS ALBIGENSES - Albigenses eram os nascidos na cidade de Albi, sul da França. Em 1198, por iniciativa do Papa Inocêncio III, foram instituídos "Os Inquisidores da Fé contra os Albigenses". Esses franceses foram considerados "hereges" porque seus ensinos doutrinários não se alinhavam com os da Igreja de Roma. O extermínio começou no ano de 1209 e se estendeu por 20 anos, quando milhares de albigenses pereceram. Fala-se em mais de 20.000 mortos, entre homens, mulheres e crianças. O MASSACRE DA ESPANHA - Tomás de Torquemada (1420-1498), espanhol, padre dominicano, nomeado para cargo de grande-inquisidor pelo Papa Sisto IV, dirigiu as operações do Tribunal do Santo Ofício durante 14 anos. "Celebrizou-se por seu fanatismo religioso e crueldade". De mãos dadas com os reis católicos, promoveu a expulsão dos judeus da Espanha por édito real de 31.03.1492, tendo estes o prazo reduzido de

quatro meses para se retirarem do país sem levar dinheiro, ouro ou prata. É acusado de haver condenado à fogueira 10.220 pessoas, e cerca de 100.000 foram encarceradas, banidas ou perderam haveres e fazendas. Tudo em nome da fé católica e da honra de Jesus Cristo. O MASSACRE DOS ANABATISTAS - Grupo religioso iniciado na Inglaterra no século XVI, que defendia o batismo somente de pessoa adulta. Por autorização do Papa Pio V (1566-1572), cem mil foram exterminados. O MASSACRE EM PORTUGAL - Diante dos insistentes pedidos de D. João III, o Papa Paulo III introduziu, por bula de 1536, o Tribunal do Santo Ofício em Portugal. As perseguições foram de tal ordem que o comércio e a indústria na Espanha e em Portugal ficaram praticamente paralisados. "As execuções públicas eram conhecidas como autos-de-fé. No começo, funcionaram tribunais da Inquisição nas diversas dioceses de Portugal, mas no século XVI ficaram apenas os de Lisboa, Coimbra e Évora. Depois, somente o da capital do reino, presidido pelo inquisidor-geral. Até 1732, em Portugal, o número de sentenciados atingiu 23.068, dos quais 1.554 condenados à morte. Na torre do Tombo, em Lisboa, estão registrados mais de 36.000 processos". Daí porque os 4.500 processos constantes dos arquivos de terror do Vaticano - Os Arquivos do Santo Ofício recentemente liberados aos pesquisadores, não contam toda a história da desumana Inquisição. REFERÊNCIAS GERAIS SOBRE A INQUISIÇÃO A INQUISIÇÃO EM CUBA - Não havia parte nenhuma no mundo onde os protestantes ou hereges estivessem livres para o exercício de sua fé. Partindo da Europa, muitos procuraram refúgio nas Américas do Sul e Central, o "Novo Mundo". Mas para cá também vieram os inquisidores. A inquisição em Cuba iniciou-se em 1516 sob o comando de dom Juan de Quevedo, bispo de Cuba, que, com requintes de maldade, eliminou setenta e cinco "hereges". A INQUISIÇÃO NO BRASIL - O padre Antônio Vieira (1608-1697), pregador

missionário e diplomata, defensor dos indígenas, considerado a maior figura intelectual luso-brasileira do séc. 17 foi condenado por heresia pelo Santo Ofício, e mantido em prisão por cerca de dois anos. O brasileiro Antônio José da Silva, poeta e comediólogo, foi um dos supliciados em autos-da-fé. A Inquisição se instalou no Brasil em três ocasiões: Em 09.06.1591, na Bahia, por três anos; em Pernambuco, de 1593 a 1595; e novamente na Bahia, em 1618. Há notícia de que no século XVIII Inquisição atuou no Brasil. Segundo o jornal "Mensageiro da Paz", número 1334, de maio/1998, "cento e trinta e nove "pessoas foram queimadas vivas, no Brasil, entre os anos de 1721 e 1777. Todos os que confessavam não crer nos dogmas católicos eram sentenciados. De acordo com os dados históricos, quase todos os cristãos-novos presos no Brasil pela Inquisição, durante o século 18, eram brasileiros natos e pertenciam a todas as camadas sociais. Praticamente a metade dos prisioneiros brasileiros cristãos-novos no século 18 era mulheres. Na Paraíba, Guiomar Nunes foi condenada à morte na fogueira em um processo julgado em Lisboa. A Inquisição interferiu profundamente na vida colonial brasileira durante mais de dois séculos. Um dos exemplos dessa interferência era a perseguição aos descendentes de judeus. Os que estavam nessa condição podiam ser punidos com a morte, confisco dos bens e na melhor das hipóteses ficavam impedidos de assumir cargos públicos". A matéria do Mensageiro da Paz foi assinada por Regina Coeli. Do livro "OS PIORES ASSASSINOS E HEREGES DA HISTÓRIA, DE CAIM A SADDAM HUSSEIN, do cearense Jeovah Mendes, edição 1997, págs 249250. "Em toda a sua calamitosa história, a Igreja Católica nada mais tem feito que perseguir o homem, sob o sofisma de agir em nome de Deus. Vejamos os morticínios que ela levou a efeito: As cruzadas à Terra Santa custaram à humanidade o sacrifício de dois milhões de vítimas; de Leão X a Clemente IX (papas) os sanguinários agentes do catolicismo, que dominavam a França, a Holanda, a Alemanha, a Flandes e a Inglaterra, realizaram a tenebrosa São Bartolomeu, de que já falamos, degolando, massacrando,

queimando mais de dois milhões de infiéis, enquanto a Companhia de Jesus, obra do abominável Inácio de Loyola, cometia as maiores atrocidades, chegando mesmo a envenenar o Papa Clemente XIV. O seu agente S. Francisco Xavier, em missão no Japão, imolava cerca de quatrocentos mil nipônicos; as cruzadas levadas a efeito entre os indígenas da América, segundo Las Casas, bispo espanhol e testemunha ocular de perseguição e autos-de-fé, sacrificaram doze milhões de seres em holocausto ao seu Deus; a guerra religiosa que se seguiu ao suplício do Padre João Huss e Jerônimo de Praga, contou mais de cento e cinqüenta mil vidas imoladas à Igreja Romana; no século XIV, o grande Cisma do Ocidente cobriu a Europa de cadáveres, dado que nada menos de cinqüenta mil vidas foram o preço cobrado pela ira papal; as cruzadas levadas a efeito a partir de Gregório VII (papa), roubaram à Europa cerca de trezentos mil homens, assassinados com requintes de selvageria; nas terras do Báltico, os frades cavaleiros, além de uma devastação e pilhagem completa, ainda sacrificaram mais de cem mil vidas; a imperatriz Teodora, dando cumprimento a uma penitência imposta pelo seu confessor, fez massacrar cento e vinte mil maniqueus, no ano de 845; as disputas religiosas entre iconoclastas e iconólatras devastaram muitas províncias, resultando ainda no sacrifício de mais de sessenta mil cristãos degolados e queimados. A Santa Inquisição, na sua longa e tenebrosa jornada, levou aos mais horrorosos suplícios, inclusive às fogueiras, algumas centenas de milhares de pobres desgraçados; segundo o Barão d´Holbach, a Igreja Católica Romana, pelos seus papas, bispos e padres, é a responsável pelo sacrifício de cerca de dez milhões de vidas. Que mais é preciso dizer"?

E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. O mensageiro do Senhor então explica de forma clara quem é esta mulher simbolicamente, aquela que deveria a esposa de Cristo, a noiva, tornou-se uma prostituta, pois pelo comércio desviou-se da vontade de Deus, e assim sendo prostituta, ao invés de ser guiada e dirigida pelo Noivo, Esposo e Deus Único é guiada e dirigida por Satanás “a besta a traz”, satanás pelo

seus meios , atrás de homens , ou 7 Papas (Líderes espirituais) que são colocados como cabeça, pensadores que proporiam objetivos e alvos para10 (líderes políticos, governamentais) hoje conhecido com o o G10, que são colocados como chifres, ou seja os responsáveis por atingir e fazer as coisas acontecerem, e alcançar o proposto. Sabemos que os Papas em todas as eras interferiram direta e indiretamente sob a política do mundo, inclusive recentemente o Papa Bento XVI propõe que seja criado uma moeda única a fim de amenizar as crises financeiras no mundo, mas também em Concílio propôs que fosse levantado uma Autoridade Política Mundial com poder sobre as nações, a fim de trazer pacificação, isto claramente aponta para o Anti-Cristo, que conforme a bíblia diz, virá falando de Paz, Paz e Paz mas depois de 3 anos e meio, tirará sua máscara e com autoritarismo e austeridade governará o mundo inteiro, veja as prescrições da CARTA ENCÍCLICA ou CARITAS IN VERITATE Do SUMO PONTÍFICE BENTO XVI Aos Bispos, aos Presbíteros e Diáconos,às Pessoas Consagradas, aos Fiéis Leigos e a todos os Homens de Boa Vontade sobre o DESENVOLVIMENTO HUMANO INTEGRAL NA CARIDADE E NA VERDADE: Leia a Encíclica 67, e se atenha aos meus negritos sublinhados: 67. Perante o crescimento incessante da interdependência mundial, sentese imenso — mesmo no meio de uma recessão igualmente mundial — a urgência de uma reforma quer da Organização das Nações Unidas quer da arquitectura económica e financeira internacional, para que seja possível uma real concretização do conceito de família de nações.(...) Isto revela-se necessário precisamente no âmbito de um ordenamento político, jurídico e económico que incremente e guie a colaboração internacional para o desenvolvimento solidário de todos os povos. Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequência maiores desequilíbrios, pararealizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de umaverdadeira Autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o Beato João XXIII.(...) Além disso, uma tal Autoridade deverá

ser reconhecida por todos, gozar de poder efectivo para garantir a cada um a segurança, a observância da justiça, o respeito dos direitos[148]. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as próprias decisões, bem como as medidas coordenadas e adoptadas nos diversos fóruns internacionais.(...) Perceba que de forma clara Papa Bento XVI clama pelo Levantar de um Líder Mundial que tenha total autoridade sobre os povos e nações para fazer cumprir sua vontade, e realize o desarmamento, acabe com a fome e traga a paz ao mundo, descrições claras e clamor certo pelo Anti- Cristo. Extraído do site do Vaticano:

A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. A Besta que o Apóstolo João vê é Satanás, que um dia foi invencível no âmbito humano, mas já não é mais , desde que Cristo o destronou, vituperou e despojou no inferno, porém embora ele comande esta estrutura religiosa, através dos seus cabeças e chifres, agora o Livro da Revelação deixa claro que ele subirá do abismo, e por um período de tempo irá reinar livremente nesta Terra, aqueles que não são salvos e conhecedores da Palavra, se espantarão com aquele que um dia foi, mas agora nada é, porém virá e se manifestará ao mundo e aos que não são de Deus para dominá-los, por permissão:, Deus havia declarado no Livro de Ezequiel que Satanás haveria de voltar diante dos homens da Terra e estes iriam se espantar:

"Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.

Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá." Ezequiel 28:17-19

Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. As sete cabeças além de ser 7 reis , ou Papas apontam também para os 7 montes que fazem parte desta Igreja, Roma é a cidade que tem as 7 colinas ou montes foi fundada em 753 a.C. sobre uma das Sete Colinas: 1) Capitólio,2) Quirinale, 3) Viminale, 4) Esquilino, 5) Célio, 6) Aventino e 7) Palatino Embora a Catedral de São Pedro não fique em cima das 7 colinas, a Igreja Apostólica Romana teve uma igreja mãe, que esta sobre os montes A Basílica de São João de Latrão, localizada em Roma, é a Catedral do Bispo de Roma: o Papa e é considerada a "mãe" de todas as igrejas do mundo. Como catedral da Diocese de Roma, contém o trono papal (Cathedra Romana), o que a coloca acima de todas as igrejas do mundo, inclusive da Basílica de São Pedro. Tem o título honorífico de Omnium Urbis et Orbis Ecclesiarum Mater et Caput (Mãe e Cabeça de todas as Igrejas de Roma e do Mundo). A Basílica de São João de Latrão é propriedade do Vaticano, embora fique situada fora dos limites da cidade-estado. O Vaticano é um Estado independente, de regime monárquico, governado peloSumo Pontífice da Igreja Católica Romana. De acordo com o Tratado de Latrão, certas propriedades da Santa Sé, apesar de não fazerem parte do território da Cidade Estado do Vaticano (Status Civitatis Vaticanæ), gozam do privilégio da extraterritorialidade.

Extraído : Wikipedia.com

E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo. Além de ser 7 montes as 7 cabeças como já disse anteriormente, são 7 reis ou seja 7 Papas que reinariam sobre ela, a Cidade do Vaticano passou a existir a partir de 1929, pelo Tratado de Latrão A Cidade do Vaticano é um Estado eclesiástico ou sacerdotalmonárquico, governado pelo bispo de Roma, o Papa. Desde que foi oficialmente reconhecida como Estado do Vaticano por este Tratado assinado por Benito Mussolini e o Papa Pio XI em 11 de Fevereiro de 1929, 7 Papas reinaram ali, quando o Apóstolo João teve essa Revelação ele teve uma visão até o Papa João Paulo II, já que cinco Papas já haviam morridos: Cinco já tinham caído: 1 - Pio XI - Milão, papa de 1922 a 1939 2 - Pio XII - Roma, papa de 1939 a 1958 3 -João XXIII - Sotto II Monte, papa de 1958 a 1963 4 -Paulo VI - Concesio, papa de 1963 a 1978 5 - João Paulo I - Belluno, papa de 1978 a 1978 Um existia, pela visão do apóstolo quem estava reinando era João Paulo II ainda e pela revelação do Apocalipse escrito por volta do ano 95 d.C, o próximo Papa nem pensava em ser escolhido, já que o Reino de João Paulo II durou muito tempo, ele reinou 27 anos entretanto na revelação já fora predito que quando o próximo Papa viesse duraria pouco tempo: 6 -João Paulo II - Polônia, papa de 1978 a 2005 Então sabemos que o sucessor de João Paulo II, depois do longo tempo reinando foi: 7 -Bento XVI - Alemanha 2005 a 2013 e o seu reino durou 3 vezes menos que o reino deJoão Paulo II, o que já fora determinado.

Entenda Apocalipse17:1-10 Igreja Católica até sair o Papa Publicado em 18/02/2013 às 05h07

post anterior | próximo post APOCALIPSE 17

"E VEIO um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas; PROSTITUTA : áquela que se vende, pelo dinheiro não consegue firmar um pacto de fidelidade. Com a qual se prostituíram os reis da terra; e os que habitam na terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição. As nações acabaram envolvendo-se, os governos e poderes se relacionaram com ela , com dinheiro, tiveram e criaram prazer nesta relação, relação prostituída. A grande Prostituta oferecia o prazer eterno, a vida eterna, o perdão eterno em troca de valores, por quantias liberadas e as pessoas comprometidas espiritualmente por interesse pessoal, relacionavam-se desta maneira, para satisfação de seus desejos. Deixando assim de viver uma vida íntegra e posicionada para alcançar as coisas de Deus, mas aderindo a prostituição para alcançar os objetivos, que na verdade são espirituais. Desde a idade média, vendia-se salvações e libertações, as conhecidas indulgências, chegou-se a apregoar que ““Cada vez que a moeda cai na bolsa do frade, uma alma sai do purgatório”. Pagava-se para batizar um ente querido, paga-se por missas, paga-se por casamentos, paga-se pelo alcance de bênçãos, o povo contaminado em seus pecados diante da facilidade de alcançar o reino, sem exigências de renúncia, transformação ou verdadeira conversão aderiram facilmente a este método e se lambuzaram ou se alegraram com um relacionamento religioso, uma relação de prostituição.

E levou-me em espírito a um deserto, e vi uma mulher assentada sobre uma besta de cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e tinha sete cabeças e dez chifres. A mulher tipifica a igreja que esta fundamentada sobre uma base demoníaca com aparência de amor e vida, (escarlate é a cor do coração e do sangue humano), porém é contrária a Deus, contrária a seus princípios, apregoa palavras que insultam a Deus, anunciam outros Mediadores entre Deus e o homem, outra Advogada, outros meios de achegar-se a Deus e não proclamam o único e verdadeiro meio estabelecido pelo próprio Deus. "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem." I Timóteo 2:5 "MEUS filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo." I João 2:1 Perceba a cidade do Vaticano tornou-se realidade a partir do Concílio de Latão em 1929, somente a partir daí ela recebeu autonomia como um estado, uma nação independente, e os cabeças a partir deste momento foram 7 Papas, estes desde então governaram a Cidade do Vaticano: 1 - Pio XI, 2 – Pio XII; 3 – João XXIII; 4 – Paulo VI; 5 – João Paulo I; 6 – João Paulo II. 7 – Bento XVI

Os 10 chifres apontam para o G10 a organização internacional que reúne as onze economias desenvolvidas, fundado em 1962, estes mantem o denominação de 10 governos centrais que interferem e posicionam-se com relação a assuntos de todo o mundo:

          

Alemanha Bélgica Canadá Estados Unidos França Itália Japão Países Baixos Reino Unido Suécia Suíça E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; Primeiro a besta estava vestida de escarlate, mas agora vemos que a própria mulher que é o tipo da Igreja também esta ornamentada com as cores escarlata e púrpura, descrevendo claramente as vestes de seus bispos e cardeais vermelhas e púrpuras, e a veste do papa é adornada com fios de ouro e pedras preciosas.

Sobre o poder da igreja católica, tem realmente ouro, riqueza, isso tipifica o cálice de ouro que está nas mãos da mulher, só o Banco do Vaticano movimenta bilhões provenientes das doações para caridade e boas obras de todo o mundo, assim a igreja tem uma riqueza adquirida com suas abominações e vendas de ritualismo religiosos ou adoração ás imagens e relíquias, logo aumenta-se o lucro praticando-se abominação á Deus, E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra. A Igreja traz sobre si esta marca, a mãe da comercialização da fé, e incentivadora da abominação pelo incentivo á veneração e desvio da pura Palavra de Deus.Carrega sobre si a responsabilidade por cada alma perdida e desviada pelo ritualismo e tradicionalismo que ela criou. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos, e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração.

A Igreja é acusada de beber em grande quantidade o sangue dos santos e das testemunhas de Jesus, sabemos que no tempo da Inquisição milhares e milhares foram mortos, acusados de hereges, simplesmente porque lendo a bíblia se apercebiam que estavam distantes do verdadeiro Evangelho e buscavam afastar-se daquela apostasia gerada pelo romanismo. Milhares foram torturados, perseguidos e mortos até negarem seu caminho ou interpretação, segue parte do descritivo da Inquisição, feito pelo Pr Airton Evangelista da Costa: “ Em 1198 o Papa Inocêncio III liderou uma cruzada contra os "ALBIGENSES" (hereges do sul da França), com execuções em massa; Em 1229, no Concílio de Tolouse, foi oficialmente criada a Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício, sob a liderança do Papa Gregório IX; Em 1252, o Papa Inocêncio IV publicou o documento intitulado "AD EXSTIRPANDA", em que vociferou: "os hereges devem ser esmagados como serpentes venenosas". Este documento foi fundamental na execução do diabólico plano de exterminar os hereges. As autoridades civis, sob a ameaça de excomunhão no caso de recusa, eram ordenadas a queimar os hereges. O "AD EXSTIRPANDA" foi renovado ou reforçado por vários papas, nos anos seguintes: Alexandre IV (1254-1261); Clemente IV (1265-1268), Nicolau IV (1288-1292); Bonifácio VIII (1294-1303) e outros. Inocêncio IV autorizou o uso da tortura. Com a promessa de irem diretamente para o Céu, sem passagem pelo purgatório, muitos homens eram exortados pelos inquisidores para guerrearem contra os hereges. No ano de 1209, em Beziers (França), 60 mil foram martirizados; dois anos depois, em Lauvau (França), o governador foi enforcado, sua mulher apedrejada e 400 pessoas queimadas vivas. A carnificina se espalhou por outras cidades e milhares foram mortos. Conta-se que num só dia 100.000 hereges foram vitimados. Depois de acusados, os hereges tinham pouca chance de sobrevivência. Geralmente as vítimas não conheciam seus acusadores, que podiam ser homens, mulheres e até crianças. O processo era sumário. Ou seja: rápido, sem formalidades, sem direito de defesa. Ao réu a única alternativa era confessar e retratar-se, renunciar sua fé e aceitar o domínio e a autoridade da Igreja Católica Romana. Os direitos de liberdade e de livre escolha não eram respeitados. A Igreja de Roma, sob

o pretexto de que detinha as chaves dos céus e do inferno e poderes para livrar as almas do purgatório e perdoar pecados, pretendia ser UNIVERSAL, dominar as nações mediante pressão sob seus governantes e estabelecer seus domínios por todo o Planeta. CRUELDADE E MATANÇA A seguir, um relato sucinto do extermínio de hereges. A matança dos valdenses - Um dos primeiros grupos organizados a serem atormentados foram os valdenses. Valdenses eram chamados "os membros da seita, também chamada Pobres de Lião, fundada pelo mercador Pedro Valdo por volta de 1170, na França. Inspirada na pobreza evangélica, repudiava a riqueza da Igreja Católica". O grupo organizado por Pedro Valdo, um rico comerciante, cria que todos os homens tinham o direito de possuir a Bíblia traduzida na sua própria língua. Acreditavam, também, que a Bíblia era a autoridade final para a fé e para a vida. Os valdenses se vestiam com simplicidade contrapondo-se à luxúria dos sacerdotes católicos - , ministravam a Ceia do Senhor e o Batismo, e ordenavam leigos para a pregação e ministração dos sacramentos. "O grupo tinha seu próprio clero, com bispos, sacerdotes e diáconos". Tal liberdade não era admitida pela Igreja Católica porque não havia submissão ao Papa e aos seus ensinos. Os valdenses possuíam a Bíblia traduzida na sua língua materna, o que facilitou a pregação da Palavra. Outros grupos sucumbiram diante das ameaças e castigos impostos pelos romanistas. Os valdenses, todavia, resistiram. Na escuridão das cavernas, cada versículo era copiado, lido e ensinado. Na Bíblia encontraram a Luz - uma luz forte que inunda corpo, alma e espírito... uma luz chamada Jesus. Os valdenses foram, certamente, os primeiros a se organizarem como igreja, formar seu próprio clero e enviar missionários para outras regiões na França e Itália. Tudo com muito sacrifício e sob implacável perseguição. Essa liberdade de ação motivou os líderes romanos a adotarem medidas duras contra a "seita". Uma bula papal classificou os valdenses como hereges e, como tal, condenados à morte. A única acusação contra eles era a de que "tinham uma aparência de piedade e santidade que seduzia as ovelhas do verdadeiro aprisco". Uma cruzada foi organizada contra esse povo santo. Como incentivo, a Igreja prometia perdão de todos os pecados aos que matassem um herege, "anulava todos os contratos feitos em favor deles (dos valdenses), proibia a toda a pessoa dar-lhe

qualquer auxílio, e era permitido se apossar de suas propriedades por meio de violência". Não se sabe quantos valdenses morreram nas Cruzadas. Sabemos, portanto, que esses obstinados cristãos fincaram os alicerces da Reforma que viria séculos depois. O MASSACRE DE SÃO BARTOLOMEU - Os católicos franceses apelidavam de "huguenotes" os protestantes. Uma designação depreciativa. Já fomos tratados de huguenotes, hereges, heréticos, protestantes, cristãos novos, irmãos separados, crentes, evangélicos, etc. Mas o Pai nos chama de FILHOS. O massacre de São Bartolomeu ou a Noite de São Bartolomeu ficou conhecido como "a mais horrível entre as ações diabólicas de todos os séculos". Com a concordância do Papa Gregório XIII, o rei da França, Carlos IX, eliminou em poucos dias milhares de huguenotes. A matança iniciou-se na noite de 24.08.1572, em Paris, e se estendeu a todas as cidades onde se encontravam protestantes. Segundo Ellen G. Write, em seu Livro "O GRANDE CONFLITO", foram martirizados cerca de setenta mil nesse massacre. "Quando a notícia do massacre chegou a Roma, a alegria do clero não teve limites. O cardeal de Lorena recompensou o mensageiro com mil coroas; o canhão de Santo Ângelo reboou em alegre salva; os sinos dobraram em todos os campanários; e o Papa Gregório XIII, acompanhado dos cardeais e outros dignitários eclesiásticos, foi, em longa procissão, à igreja de S.Luís, onde o cardeal de Lorena cantou o Te Deum. Um sacerdote falou "daquele dia tão cheio de felicidade e regozijo, em que o santíssimo padre recebeu a notícia e foi em aparato solene dar graças a Deus e a S.Luís". Para comemorar e perpetuar na memória dos povos esse horrendo massacre, por ordem do Papa Gregório XIII foi cunhada uma moeda, onde se via a figura de um anjo com a espada numa mão e, na outra, uma cruz, diante de um grupo de horrorizados huguenotes. Nessa moeda comemorativa lia-se a seguinte inscrição: "UGONOTTORUM STANGES, 1572" ("A MATANÇA DOS HUGUENOTES, 1572"). Em seu livro "OS PIORES ASSASSINOS E HEREGES DA HISTÓRIA", o historiador e pesquisador cearense Jeovah Mendes, à pág. 238, assim registra a fatídica Noite de S.Bartolomeu: "Papa Gregório XIII (Ugo Buoncompagni) (1502-1585) - Em irreprimível ritmo acelerado recrudescia o ódio contra os protestantes em rumo de um trágico

desfecho. O cardeal de Lorena, com a aprovação e bênção pontifícia de Gregório XIII, engendrou o mais horrível banho de sangue por motivos religiosos em toda a História da França ou de qualquer nação do mundo. Consumou-se o projeto assassino aos 24 de agosto de 1572, a inqualificável NOITE DE S.BARTOLOMEU, sendo nesse macabro festival de sangue, morto o impetérrito Coligny, mártir do Evangelho e honra de sua Pátria. Como troféu da bárbara carnificina, a cabeça de Coligny fora remetida ao "sumo pontífice" Gregório XIII (Maurício Lachatre, História dos Papas, vol. IV, pg. 68)". O MASSACRE DOS ALBIGENSES - Albigenses eram os nascidos na cidade de Albi, sul da França. Em 1198, por iniciativa do Papa Inocêncio III, foram instituídos "Os Inquisidores da Fé contra os Albigenses". Esses franceses foram considerados "hereges" porque seus ensinos doutrinários não se alinhavam com os da Igreja de Roma. O extermínio começou no ano de 1209 e se estendeu por 20 anos, quando milhares de albigenses pereceram. Fala-se em mais de 20.000 mortos, entre homens, mulheres e crianças. O MASSACRE DA ESPANHA - Tomás de Torquemada (1420-1498), espanhol, padre dominicano, nomeado para cargo de grande-inquisidor pelo Papa Sisto IV, dirigiu as operações do Tribunal do Santo Ofício durante 14 anos. "Celebrizou-se por seu fanatismo religioso e crueldade". De mãos dadas com os reis católicos, promoveu a expulsão dos judeus da Espanha por édito real de 31.03.1492, tendo estes o prazo reduzido de quatro meses para se retirarem do país sem levar dinheiro, ouro ou prata. É acusado de haver condenado à fogueira 10.220 pessoas, e cerca de 100.000 foram encarceradas, banidas ou perderam haveres e fazendas. Tudo em nome da fé católica e da honra de Jesus Cristo. O MASSACRE DOS ANABATISTAS - Grupo religioso iniciado na Inglaterra no século XVI, que defendia o batismo somente de pessoa adulta. Por autorização do Papa Pio V (1566-1572), cem mil foram exterminados. O MASSACRE EM PORTUGAL - Diante dos insistentes pedidos de D. João III, o Papa Paulo III introduziu, por bula de 1536, o Tribunal do Santo Ofício em Portugal. As perseguições foram de tal ordem que o comércio e a indústria na Espanha e em Portugal ficaram praticamente paralisados. "As execuções públicas eram conhecidas como autos-de-fé. No começo, funcionaram tribunais da Inquisição nas diversas dioceses de Portugal,

mas no século XVI ficaram apenas os de Lisboa, Coimbra e Évora. Depois, somente o da capital do reino, presidido pelo inquisidor-geral. Até 1732, em Portugal, o número de sentenciados atingiu 23.068, dos quais 1.554 condenados à morte. Na torre do Tombo, em Lisboa, estão registrados mais de 36.000 processos". Daí porque os 4.500 processos constantes dos arquivos de terror do Vaticano - Os Arquivos do Santo Ofício recentemente liberados aos pesquisadores, não contam toda a história da desumana Inquisição. REFERÊNCIAS GERAIS SOBRE A INQUISIÇÃO A INQUISIÇÃO EM CUBA - Não havia parte nenhuma no mundo onde os protestantes ou hereges estivessem livres para o exercício de sua fé. Partindo da Europa, muitos procuraram refúgio nas Américas do Sul e Central, o "Novo Mundo". Mas para cá também vieram os inquisidores. A inquisição em Cuba iniciou-se em 1516 sob o comando de dom Juan de Quevedo, bispo de Cuba, que, com requintes de maldade, eliminou setenta e cinco "hereges". A INQUISIÇÃO NO BRASIL - O padre Antônio Vieira (1608-1697), pregador missionário e diplomata, defensor dos indígenas, considerado a maior figura intelectual luso-brasileira do séc. 17 foi condenado por heresia pelo Santo Ofício, e mantido em prisão por cerca de dois anos. O brasileiro Antônio José da Silva, poeta e comediólogo, foi um dos supliciados em autos-da-fé. A Inquisição se instalou no Brasil em três ocasiões: Em 09.06.1591, na Bahia, por três anos; em Pernambuco, de 1593 a 1595; e novamente na Bahia, em 1618. Há notícia de que no século XVIII Inquisição atuou no Brasil. Segundo o jornal "Mensageiro da Paz", número 1334, de maio/1998, "cento e trinta e nove "pessoas foram queimadas vivas, no Brasil, entre os anos de 1721 e 1777. Todos os que confessavam não crer nos dogmas católicos eram sentenciados. De acordo com os dados históricos, quase todos os cristãos-novos presos no Brasil pela Inquisição, durante o século 18, eram brasileiros natos e pertenciam a todas as camadas sociais. Praticamente a metade dos prisioneiros brasileiros cristãos-novos no século 18 era mulheres. Na Paraíba, Guiomar Nunes foi condenada à morte na fogueira em um processo julgado em Lisboa. A Inquisição interferiu profundamente na vida colonial brasileira durante mais de dois séculos. Um dos exemplos dessa interferência era a

perseguição aos descendentes de judeus. Os que estavam nessa condição podiam ser punidos com a morte, confisco dos bens e na melhor das hipóteses ficavam impedidos de assumir cargos públicos". A matéria do Mensageiro da Paz foi assinada por Regina Coeli. Do livro "OS PIORES ASSASSINOS E HEREGES DA HISTÓRIA, DE CAIM A SADDAM HUSSEIN, do cearense Jeovah Mendes, edição 1997, págs 249250. "Em toda a sua calamitosa história, a Igreja Católica nada mais tem feito que perseguir o homem, sob o sofisma de agir em nome de Deus. Vejamos os morticínios que ela levou a efeito: As cruzadas à Terra Santa custaram à humanidade o sacrifício de dois milhões de vítimas; de Leão X a Clemente IX (papas) os sanguinários agentes do catolicismo, que dominavam a França, a Holanda, a Alemanha, a Flandes e a Inglaterra, realizaram a tenebrosa São Bartolomeu, de que já falamos, degolando, massacrando, queimando mais de dois milhões de infiéis, enquanto a Companhia de Jesus, obra do abominável Inácio de Loyola, cometia as maiores atrocidades, chegando mesmo a envenenar o Papa Clemente XIV. O seu agente S. Francisco Xavier, em missão no Japão, imolava cerca de quatrocentos mil nipônicos; as cruzadas levadas a efeito entre os indígenas da América, segundo Las Casas, bispo espanhol e testemunha ocular de perseguição e autos-de-fé, sacrificaram doze milhões de seres em holocausto ao seu Deus; a guerra religiosa que se seguiu ao suplício do Padre João Huss e Jerônimo de Praga, contou mais de cento e cinqüenta mil vidas imoladas à Igreja Romana; no século XIV, o grande Cisma do Ocidente cobriu a Europa de cadáveres, dado que nada menos de cinqüenta mil vidas foram o preço cobrado pela ira papal; as cruzadas levadas a efeito a partir de Gregório VII (papa), roubaram à Europa cerca de trezentos mil homens, assassinados com requintes de selvageria; nas terras do Báltico, os frades cavaleiros, além de uma devastação e pilhagem completa, ainda sacrificaram mais de cem mil vidas; a imperatriz Teodora, dando cumprimento a uma penitência imposta pelo seu confessor, fez massacrar cento e vinte mil maniqueus, no ano de 845; as disputas religiosas entre iconoclastas e iconólatras devastaram muitas províncias, resultando ainda no sacrifício de mais de sessenta mil cristãos degolados e queimados. A Santa Inquisição, na sua longa e tenebrosa jornada, levou aos mais horrorosos suplícios, inclusive às fogueiras, algumas centenas de milhares de pobres desgraçados; segundo o Barão d´Holbach, a Igreja Católica Romana, pelos seus papas, bispos e padres, é

a responsável pelo sacrifício de cerca de dez milhões de vidas. Que mais é preciso dizer"?

E o anjo me disse: Por que te admiras? Eu te direi o mistério da mulher, e da besta que a traz, a qual tem sete cabeças e dez chifres. O mensageiro do Senhor então explica de forma clara quem é esta mulher simbolicamente, aquela que deveria a esposa de Cristo, a noiva, tornou-se uma prostituta, pois pelo comércio desviou-se da vontade de Deus, e assim sendo prostituta, ao invés de ser guiada e dirigida pelo Noivo, Esposo e Deus Único é guiada e dirigida por Satanás “a besta a traz”, satanás pelo seus meios , atrás de homens , ou 7 Papas (Líderes espirituais) que são colocados como cabeça, pensadores que proporiam objetivos e alvos para10 (líderes políticos, governamentais) hoje conhecido com o o G10, que são colocados como chifres, ou seja os responsáveis por atingir e fazer as coisas acontecerem, e alcançar o proposto. Sabemos que os Papas em todas as eras interferiram direta e indiretamente sob a política do mundo, inclusive recentemente o Papa Bento XVI propõe que seja criado uma moeda única a fim de amenizar as crises financeiras no mundo, mas também em Concílio propôs que fosse levantado uma Autoridade Política Mundial com poder sobre as nações, a fim de trazer pacificação, isto claramente aponta para o Anti-Cristo, que conforme a bíblia diz, virá falando de Paz, Paz e Paz mas depois de 3 anos e meio, tirará sua máscara e com autoritarismo e austeridade governará o mundo inteiro, veja as prescrições da CARTA ENCÍCLICA ou CARITAS IN VERITATE Do SUMO PONTÍFICE BENTO XVI Aos Bispos, aos Presbíteros e Diáconos,às Pessoas Consagradas, aos Fiéis Leigos e a todos os Homens de Boa Vontade sobre o DESENVOLVIMENTO HUMANO INTEGRAL NA CARIDADE E NA VERDADE: Leia a Encíclica 67, e se atenha aos meus negritos sublinhados: 67. Perante o crescimento incessante da interdependência mundial, sente-se imenso — mesmo no meio de uma recessão igualmente mundial — a urgência de uma reforma quer da Organização das Nações Unidas quer da arquitectura económica e financeira internacional, para que seja possível uma real concretização do conceito de família de nações.(...) Isto revela-se necessário precisamente no âmbito de um ordenamento político, jurídico e económico que incremente e guie a colaboração internacional para o desenvolvimento solidário de todos os

povos. Para o governo da economia mundial, para sanar as economias atingidas pela crise de modo a prevenir o agravamento da mesma e em consequência maiores desequilíbrios, para realizar um oportuno e integral desarmamento, a segurança alimentar e a paz, para garantir a salvaguarda do ambiente e para regulamentar os fluxos migratórios urge a presença de uma verdadeira Autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o Beato João XXIII.(...) Além disso, uma tal Autoridade deverá ser reconhecida por todos, gozar de poder efectivo para garantir a cada um a segurança, a observância da justiça, o respeito dos direitos[148]. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as próprias decisões, bem como as medidas coordenadas e adoptadas nos diversos fóruns internacionais.(...) Perceba que de forma clara Papa Bento XVI clama pelo Levantar de um Líder Mundial que tenha total autoridade sobre os povos e nações para fazer cumprir sua vontade, e realize o desarmamento, acabe com a fome e traga a paz ao mundo, descrições claras e clamor certo pelo AntiCristo.

A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição; e os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá. A Besta que o Apóstolo João vê é Satanás, que um dia foi invencível no âmbito humano, mas já não é mais , desde que Cristo o destronou, vituperou e despojou no inferno, porém embora ele comande esta estrutura religiosa, através dos seus cabeças e chifres, agora o Livro da Revelação deixa claro que ele subirá do abismo, e por um período de tempo irá reinar livremente nesta Terra, aqueles que não são salvos e conhecedores da Palavra, se espantarão com aquele que um dia foi, mas agora nada é, porém virá e se manifestará ao mundo e aos que não são de Deus para dominá-los, por permissão:, Deus havia declarado no Livro de Ezequiel que Satanás haveria de voltar diante dos homens da Terra e estes iriam se espantar:

"Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá." Ezequiel 28:17-19 Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. As sete cabeças além de ser 7 reis , ou Papas apontam também para os 7 montes que fazem parte desta Igreja, Roma é a cidade que tem as 7 colinas ou montes foi fundada em 753 a.C. sobre uma das Sete Colinas: 1) Capitólio,2) Quirinale, 3) Viminale, 4) Esquilino, 5) Célio, 6) Aventino e 7) Palatino Embora a Catedral de São Pedro não fique em cima das 7 colinas, a Igreja Apostólica Romana teve uma igreja mãe, que esta sobre os montes A Basílica de São João de Latrão, localizada em Roma, é a Catedral do Bispo de Roma: o Papa e é considerada a "mãe" de todas as igrejas do mundo. Como catedral da Diocese de Roma, contém o trono papal (Cathedra Romana), o que a coloca acima de todas as igrejas do mundo, inclusive da Basílica de São Pedro. Tem o título honorífico de Omnium Urbis et Orbis Ecclesiarum Mater et Caput (Mãe e Cabeça de todas as Igrejas de Roma e do Mundo). A Basílica de São João de Latrão é propriedade do Vaticano, embora fique situada fora dos limites da cidade-estado. O Vaticano é um Estado independente, de regime monárquico, governado peloSumo Pontífice da Igreja Católica Romana. De acordo com o Tratado de Latrão, certas propriedades da Santa Sé, apesar de não fazerem parte do território da Cidade Estado do Vaticano (Status Civitatis Vaticanæ), gozam do privilégio da extraterritorialidade. Extraído : Wikipedia.com

E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.

Além de ser 7 montes as 7 cabeças como já disse anteriormente, são 7 reis ou seja 7 Papas que reinariam sobre ela, a Cidade do Vaticano passou a existir a partir de 1929, pelo Tratado de Latrão A Cidade do Vaticano é um Estado eclesiástico ou sacerdotalmonárquico, governado pelo bispo de Roma, o Papa. Desde que foi oficialmente reconhecida como Estado do Vaticano por este Tratado assinado por Benito Mussolini e o Papa Pio XI em 11 de Fevereiro de 1929, 7 Papas reinaram ali, quando o Apóstolo João teve essa Revelação ele teve uma visão até o Papa João Paulo II, já que cinco Papas já haviam morridos: Cinco já tinham caído: 1 - Pio XI - Milão, papa de 1922 a 1939 2 - Pio XII - Roma, papa de 1939 a 1958 3 -João XXIII - Sotto II Monte, papa de 1958 a 1963 4 -Paulo VI - Concesio, papa de 1963 a 1978 5 - João Paulo I - Belluno, papa de 1978 a 1978 Um existia, pela visão do apóstolo quem estava reinando era João Paulo II ainda e pela revelação do Apocalipse escrito por volta do ano 95 d.C, o próximo Papa nem pensava em ser escolhido, já que o Reino de João Paulo II durou muito tempo, ele reinou 27 anos entretanto na revelação já fora predito que quando o próximo Papa viesse duraria pouco tempo: 6 -João Paulo II - Polônia, papa de 1978 a 2005 Então sabemos que o sucessor de João Paulo II, depois do longo tempo reinando foi: 7 -Bento XVI - Alemanha 2005 a 2013 e o seu reino durou 3 vezes menos que o reino deJoão Paulo II, o que já fora determinado.

A Identificação Final Agora é Possível Portanto, sabemos agora a identidade da besta de Apocalipse 13:1, que terá sete cabeças e dez chifres. A organização da Nova Ordem Mundial do G-7 cumpre a parte das sete cabeças da profecia, enquanto que a reorganização das nações do mundo em dez supernações cumpre a parte dos dez chifres da profecia!

Assim, nas notícias do dia-a-dia, debaixo dos nossos narizes, Deus cumpriu essa misteriosa profecia bíblica! Certamente, o fim dos tempos, o aparecimento do Anticristo e o arrebatamento da igreja de Deus não podem estar muito longe.