You are on page 1of 12

RESUMO DE DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL

Concurso para Oficial Escrevente. Prof. Leonel Baldasso Pires

Comunico aos alunos do UNIFICADO que as dúvidas relacionadas à matéria poderão ser dirimidas por e-mail até o dia 16 de setembro. leobaldasso@terra.com.br

Peculato- apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio, mas se for peculato culposo é o caso de o funcionário concorrer culposamente para o crime de outrem. Peculato mediante erro de outrem é apropriar-se de dinheiro ou qualquer utilidade que, no exercício do cargo, recebeu por erro de outrem. Peculato-furto que é quando o funcionário não tem a posse da coisa, mas a qualidade de funcionário lhe facilita tudo.A diferença entre peculato e peculato-furto é: no peculato, o agente tem a posse. Já no peculato-furto, não tem. No primeiro, o agente se apropria ou desvia. No segundo, ele subtrai (furta) em razão do cargo.

CUIDADO !
O funcionário público se apropriou de uma máquina de copiar e está levando-a para casa. Ele é peculatário. Ele tinha a posse do objeto.

Se ele vem à noite, arromba a janela da repartição, escondido, como se fosse um ladrão qualquer, o funcionário público pratica furto qualificado.

JOÃO É FUNCIONÁRIO PÚBLICO: - Bah, que mesa bonita. Vou me apropriar dela para levar para a minha sala = peculato PEDRO É FUNCIONÁRIO PÚBLICO: - Bah, na repartição ao lado, tem uma mesa linda. Vou lá depois das duas, quando a Marieta estiver no café e vou levar a mesa para mim. = peculato-furto

1

ou aceitar promessa de tal vantagem. mas em razão dela.Solicitar ou receber. solicitar é diferente de EXIGIR.Puxa vida. direta ou indiretamente. ou aceitar promessa de tal vantagem. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. vantagem indevida. mas em razão dela. Maria está recebendo dinheiro para “atrasar um processo”.. Portanto. vantagem indevida. O FUNCIONÁRIO SOLICITA A VANTAGEM. funcionário público solicita dinheiro para assinar entregar um documento de interesse da alguém. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. não levar o fato ao conhecimento da autoridade competente.. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. para si ou para outrem. Um homem entra e leva o computador enquanto Ernesto dava sua descansada na hora do expediente = peculato culposo Concussão . Condescendência criminosa é deixar o funcionário.Exigir. por indulgência. para si ou para outrem. quando lhe falte competência. para si ou para outrem.ERNESTO É FUNCIONÁRIO PÚBLICO: . Estou com sono. Exemplo: João. Vou dar uma dormidinha aqui na repartição. mas em razão dela. Corrupção passiva . direta ou indiretamente. GERALMENTE O CARA QUER DINHEIRO. Corrupção passiva: solicitar ou receber. CUIDADO: corrupção passiva – O FUNCIONÁRIO PÚBLICO SOLICITA ou ACEITA A VANTAGEM ILÍCITA. 2 . de responsabilizar subordinado que cometeu infração no exercício do cargo ou. SOLICITAÇÃO: o crime é de CORRUPÇÃO PASSIVA. ENQUANTO QUE NA CONCUSSÃO ELE EXIGE. vantagem indevida. direta ou indiretamente. CUIDADO TURMA! NA CORRUPÇÃO.

. para os efeitos penais. TENHO PENA DELA.. NÃO VOU PUNI-LA.. Nossa que segredo! Vou divulgá-lo. ou facilitar-lhe a revelação. Violação de sigilo funcional: revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo. Não se esqueçam. A Oficial Escrevente tem ciência de um segredo do processo e vai direto contar para a sua amiga e fazer fofoca para todo mundo. um mesário pode ser considerado funcionário público. emprego ou função pública. embora transitoriamente ou sem remuneração. divulgando o segredo. quando o réu estiver no território sujeito à jurisdição do juiz que a houver ordenado.SOU CHEFE. exerce cargo. Não resisto o silêncio. Portanto. MINHA SUBORDINADA FEZ “BESTEIRA”. Funcionário público: considera-se funcionário público. será citado mediante precatória.. O mandado de citação indicará dentre os requisitos a subscrição do escrivão e a rubrica do juiz... 3 . A citação inicial far-se-á por mandado. quem. Quando o réu estiver fora do território da jurisdição do juiz processante.

declaração do oficial.. enfim. o Oficial de Justiça procura o chefe se serviço e faz a citação. na qual se mencionarão dia e hora da citação. Verificado que o réu se encontra em território sujeito à jurisdição de outro juiz. o chefe do setor. como acusado. e sua aceitação ou recusa. com todas as especificações. o fim para que é feita a citação. Te dou também peça acusatória.. o dia e a hora em que o réu deverá comparecer. da entrega da contrafé. a este remeterá o juiz deprecado os autos para efetivação da diligência.A precatória indicará: o juiz deprecado e o juiz deprecante. o juízo do lugar. será citado por edital. Assim. Se tu não quiser. a sede da jurisdição de um e de outro.. Exemplo: chama o sargento. com o prazo de 15 (quinze) dias. desde que haja tempo para fazer-se a citação. Vou certificar se tu quis receber a contrafé. se for citar um militar que praticou algum crime. ou um capitão. 4 . pois vai valer igual. São requisitos da citação por mandado: leitura do mandado ao citando pelo oficial e entrega da contrafé. ou o comandante e faz a citação. na certidão. Vou ler pra ti. será notificado tanto a ele como ao chefe de sua repartição. A citação do militar far-se-á por intermédio do chefe do respectivo serviço. to nem aí pra ti mano.. Se o réu não for encontrado. te entregar a cópia que é contra-fé mano. OFICIAL DE JUSTIÇA CHEFE DE SERVIÇO O dia designado para funcionário público comparecer em juízo. OFICIAL DE JUSTIÇA Tu tá sendo citado.

CITA qualquer pessoa. na presença das partes e testemunhas. a instrução criminal. no caso de mudança de residência. das testemunhas e demais pessoas que devam tomar conhecimento de qualquer ato. Intima qualquer pessoa da família ou vizinho e diz que retornará no DIA SEGUINTE. Nas intimações dos acusados. POR CARTA ROGATÓRIA. Se o réu não estiver. não comunicar o novo endereço ao juízo. será observado. SERÁ FEITA A CITAÇÃO COM HORA CERTA E VAI VALER COMO SE FOSSE PESSOAL. por mandado. SE ELE ESTIVER EM OUTRO PAÍS. na presença deles. OCULTAR. O processo seguirá sem a presença do acusado que. A CITAÇÃO É POR EDITAL NO PRAZO DE 15 DIAS. Estando o acusado no estrangeiro.. ou. o oficial de justiça certificará a ocorrência e procederá à citação com hora: O Oficial de Justiça vai três vezes a procurado réu. ou via postal com comprovante de recebimento. nem constituir advogado. A intimação do Ministério Público e do defensor nomeado será pessoal. por qualquer motivo. o juiz marcará desde logo. ou seja. do advogado do querelante e do assistente far-se-á por publicação no órgão incumbido da publicidade dos atos judiciais da comarca. em lugar sabido. no que for aplicável para as citações. podendo o juiz determinar a produção antecipada das provas consideradas urgentes e. não comparecer. citado ou intimado pessoalmente para qualquer ato. SE ELE SE ESCONDER. Desconfia que ele está se escondendo. ficarão suspensos o processo e o curso do prazo prescricional. NA HOTA POR ELE MARCADA. do que se lavrará termo nos autos. dia e hora para seu prosseguimento. o nome do acusado. sob pena de nulidade. OU SEJA. citado por edital. deixar de comparecer sem motivo justificado.. Caso não haja órgão de publicação dos atos judiciais na comarca. As citações que houverem de ser feitas em legações estrangeiras serão efetuadas mediante carta rogatória. Neste dia e horário retorna ao endereço. ou por qualquer outro meio idôneo. se for o caso. decretar prisão preventiva. SE ELE ESTIVER EM OUTRA COMARCA.SE O RÉU NÃO FOR LOCALIZADO. Verificando que o réu se oculta para não ser citado. 5 . SERÁ CITADO POR CARTA PRECATÓRIA. O procedimento será comum ou especial. Adiada. a intimação far-se-á diretamente pelo escrivão. Se o acusado.. será citado mediante carta rogatória. incluindo. FIQUEM LIGADOS TURMA. valendo a citação do réu como válida. suspendendo-se o curso do prazo de prescrição até o seu cumprimento. A intimação do defensor constituído.

às acareações e ao reconhecimento de pessoas e coisas. 6 . se não a rejeitar liminarmente. o juiz nomeará defensor para oferecê-la. do acusado ou de defensor constituído. mas nesse número não se compreendem as que não prestem compromisso e as referidas. faltar pressuposto processual ou condição para o exercício da ação penal ou faltar justa causa para o exercício da ação penal. A denúncia ou queixa será rejeitada quando for manifestamente inapta. quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada for igual ou superior a 4 (quatro) anos de pena privativa de liberdade. o juiz. No caso de citação por edital. Aplicam-se subsidiariamente aos procedimentos especial. a existência manifesta de causa excludente da culpabilidade do agente. ao receber a denúncia ou a queixa. sumaríssimo. podendo o juiz indeferir as consideradas irrelevantes. concedendolhe vista dos autos. o prazo para a defesa começará a fluir a partir do comparecimento pessoal do acusado ou do defensor constituído Não apresentada a resposta no prazo legal. os familiares. não constituir defensor. impertinentes ou protelatórias. devendo o poder público providenciar sua apresentação Na audiência de instrução e julgamento. Na instrução poderão ser inquiridas até 8 (oito) testemunhas arroladas pela acusação e 8 (oito) pela defesa. quando tiver por objeto crime cuja sanção máxima cominada seja inferior a 4 (quatro) anos de pena privativa de liberdade. na forma da lei. citado. etc. o juiz nomeará defensor para oferecê-la em até 10 (dez) dias. que o fato narrado evidentemente não constitui crime ou extinta a punibilidade do agente. sumário e sumaríssimo as disposições do procedimento ordinário. PROCEDIMENTO DO TRIBUNAL DO JÚRI O juiz. proceder-se-á à tomada de declarações do ofendido. no prazo de 10 (dez) dias. sumário ou sumaríssimo: ordinário. até o máximo de 8 (oito). O acusado preso será requisitado para comparecer ao interrogatório. A acusação deverá arrolar testemunhas. em juízo. sumário.O procedimento comum será ordinário. à inquirição das testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa. interrogando-se. por escrito. Não prestam compromisso as pessoas menores de 14 anos. em seguida. em 5 (cinco) dias. no caso de citação inválida ou por edital. Apresentada a defesa. bem como aos esclarecimentos dos peritos. Não apresentada a resposta no prazo legal. concedendo-lhe vista dos autos por 10 (dez) dias. ordenará a citação do acusado para responder a acusação. salvo inimputabilidade. Nos procedimentos ordinário e sumário. o juiz ouvirá o Ministério Público ou o querelante sobre preliminares e documentos. para as infrações penais de menor potencial ofensivo. O prazo previsto no caput deste artigo será contado a partir do efetivo cumprimento do mandado ou do comparecimento. recebê-laá e ordenará a citação do acusado para responder à acusação. oferecida a denúncia ou queixa. no prazo de 10 (dez) dias. a ser realizada no prazo máximo de 60 (sessenta) dias. o acusado. O juiz deverá absolver sumariamente o acusado quando verificar: a existência manifesta de causa excludente da ilicitude do fato. ou se o acusado. As provas serão produzidas numa só audiência. na denúncia ou na queixa. por escrito.

o juiz não pode “ dar muita explicação. à inquirição das testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa. O juiz DECIDIRÁ. em seguida. Não se convencendo da materialidade do fato ou da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação. impertinentes ou protelatórias As alegações serão orais. ou o fará em 10 (dez) dias. se aparecer a prova necessária. Ele pronunciará o acusado. fato não constituir infração penal. etc) e da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação (testemunhas. EXEMPLO: necropsia. às acareações e ao reconhecimento de pessoas e coisas. Não vi laudo da morte. nesta ordem.. Nesta caso. fundamentadamente.. Encerrados os debates. A fundamentação da pronúncia limitar-se-á à indicação da materialidade do fato e da existência de indícios suficientes de autoria ou de participação. O procedimento será concluído no prazo máximo de 90 (noventa) dias. O juiz poderá dar ao fato definição jurídica diversa da constante da acusação. embora o acusado fique sujeito a pena mais grave. proceder-se-á à tomada de declarações do ofendido. ou seja. perícias. se convencido da materialidade do fato (PROVA MATERIAL DO CRIME.Na audiência de instrução. interrogando-se. ordenando que os autos para isso lhe sejam conclusos. prorrogáveis por mais 10 (dez). O juiz. ir muito a fundo no exame do caso”. respectivamente. demonstrada causa de isenção de pena ou de exclusão do crime. o juiz proferirá a sua decisão. o juiz. devendo o juiz declarar o dispositivo legal em que julgar incurso o acusado e especificar as circunstâncias qualificadoras e as causas de aumento de pena. demais provas). provado não ser ele autor ou partícipe do fato. fundamentadamente. Contra sentença de impronúncia ou de absolvição sumária caberá apelação. concedendo-se a palavra. 7 . que é um recurso. o acusado e procedendo-se o debate As provas serão produzidas em uma só audiência. à acusação e à defesa. se possível. impronunciará o acusado. absolverá desde logo o acusado. não tem testemunhas. o tempo previsto para a acusação e a defesa de cada um deles será individual. Havendo mais de 1 (um) acusado. começa tudo de novo. podendo o juiz indeferir as consideradas irrelevantes. pelo prazo de 20 (vinte) minutos. bem como aos esclarecimentos dos peritos. Vou IMPRONUNCIAR O RÉU. ele está livre. poderá ser formulada nova denúncia ou queixa se houver prova nova. Enquanto não ocorrer a extinção da punibilidade. fundamentadamente. quando provada a inexistência do fato.

apresentarem rol de testemunhas que irão depor em plenário. Se o interesse da ordem pública o reclamar ou houver dúvida sobre a imparcialidade do júri ou a segurança pessoal do acusado. 370 deste Código. Depois de o juiz decidir sobre a pronúncia. e do defensor.A intimação da decisão de pronúncia será feita: pessoalmente ao acusado. ao querelante e ao assistente do Ministério Público. do querelante ou do acusado ou mediante representação do juiz competente. O jurado que tiver integrado o Conselho de Sentença nos 12 (doze) meses que antecederem à publicação da lista geral fica dela excluído. se o julgamento não puder ser realizado no prazo de 6 (seis) meses. sem justa causa. o processo vai para o juiz presidente do Tribunal do Júri. aqueles que estiverem há mais tempo na prisão. o Tribunal. Ao receber os autos. contado do trânsito em julgado da decisão de pronúncia. devendo o acusado ser julgado quando chamado novamente. observado o prazo mínimo de 10 (dez) dias. para. serão alistados pelo presidente do Tribunal do Júri jurados. Anualmente. quando houver requerimento. Se a falta. as testemunhas e os peritos. presidido pelo juiz. a requerimento do Ministério Público. o máximo são 5 testemunhas. do assistente ou do Se a testemunha. as testemunhas serão recolhidas a lugar onde umas não possam ouvir os depoimentos das outras. Será intimado por edital o acusado solto que não for encontrado. Parágrafo único. 8 . com a data designada para a nova sessão. será afixada na porta do edifício do Tribunal do Júri a lista dos processos a serem julgados obedecida a ordem prevista no caput deste artigo. para a reunião periódica ou extraordinária. em igualdade de condições. o juiz intimará a Defensoria Pública para o novo julgamento. no caso de queixa. terão preferência: os acusados presos.As testemunhas do Júri ficam em local reservado. e se outro não for por este constituído. os precedentemente pronunciados. sem prejuízo da ação penal pela desobediência. dentre os acusados presos. ao defensor nomeado e ao Ministério o Público. sem conversarem. o ofendido. cabendo-lhe retirar as cédulas até completar o número de 25 (vinte e cinco) jurados.Na instrução eram até 8 testemunhas. O sorteio. o presidente do Tribunal do Júri determinará a intimação do órgão do Ministério Público ou do querelante. que será adiado para o primeiro dia desimpedido. Não havendo escusa legítima. o o o § 1 O sorteio será realizado entre o 15 (décimo quinto) e o 10 (décimo) dia útil antecedente à instalação da reunião. para a sessão de instrução e julgamento. o juiz presidente mandará intimar as partes. Antes do dia designado para o primeiro julgamento da reunião periódica. Estando o processo em ordem. for do advogado do acusado. O desaforamento também poderá ser determinado. Salvo motivo relevante que autorize alteração na ordem dos julgamentos. ao defensor constituído. O julgamento não será adiado pelo não comparecimento do acusado solto. até o máximo de 5 (cinco). no prazo de 5 (cinco) dias. na forma do disposto no § 1 do art. sem escusa legítima. far-se-á a portas abertas. oportunidade em que poderão juntar documentos e requerer diligência. o julgamento será adiado somente uma vez. mas agora para depor em plenário. Antes de constituído o Conselho de Sentença. o fato será imediatamente comunicado ao presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil. o juiz presidente. sob as penas da lei. se for possível. do assistente. Na hipótese. em razão do comprovado excesso de serviço. aplicar-lhe-á a multa. que variam de acordo com a população da cidade. ouvidos o juiz presidente e a parte contrária. Os jurados sorteados serão convocados pelo correio ou por qualquer outro meio hábil para comparecer no dia e hora designados para a reunião. deixar de comparecer. O jurado não sorteado poderá ter o seu nome novamente incluído para as reuniões futuras.

se assim for certificado por oficial de justiça. Hum. Um. 15 (quinze) jurados. anunciando o processo que será submetido a julgamento. Comparecendo. o juiz presidente declarará instalados os trabalhos. três. 9 . a testemunha não comparecer. Então o julgamento vai sair. o juiz presidente suspenderá os trabalhos e mandará conduzi-la ou adiará o julgamento para o primeiro dia desimpedido. Vamos sortear 7 que irão integrar o conselho de sentença. ordenando a sua condução.. certificando a diligência nos autos. pelo menos.. não pode haver naquele dia o julgamento. Os jurados excluídos por impedimento ou suspeição serão computados para a constituição do número legal. mandando que o escrivão proceda à chamada deles. Muito legal...Se. intimada. tem no mínimo 15 jurados. legal.. O Juiz verificará se a urna contém as cédulas dos 25 (vinte e cinco) jurados sorteados. O oficial de justiça fará o pregão. Mas se vierem menos de 15.. mas o julgamento será realizado mesmo na hipótese de a testemunha não ser encontrada no local indicado. presidido pelo juiz. dois.

o juiz presidente as lerá. e a defesa e.Quantas pessoas formam o conselho de sentença pra julgar os assassinos profe? 7 jurados e um juiz presidente Zezinho.. o juiz presidente sorteará 7 (sete) dentre eles para a formação do Conselho de Sentença À medida que as cédulas forem sendo retiradas da urna. as declarações do ofendido. até 3 (três) cada parte.. Prestado o compromisso pelos jurados. uma vez sorteados. sob pena de exclusão do Conselho e multa. nem manifestar sua opinião sobre o processo. o Ministério Público. 10 . será iniciada a instrução plenária quando o juiz presidente. O juiz presidente também advertirá os jurados de que. e inquirirão as testemunhas arroladas pela acusação. o Ministério Público poderão recusar os jurados sorteados. o querelante e o defensor do acusado tomarão. depois dela. não poderão comunicar-se entre si e com outrem. se possível. o assistente. sem motivar a recusa. A incomunicabilidade será certificada nos autos pelo oficial de justiça Verificando que se encontram na urna as cédulas relativas aos jurados presentes. sucessiva e diretamente.

eletrônica... agora vou falar. 11 . O assistente falará depois do Ministério Público. O tempo destinado à acusação e à defesa será de uma hora e meia para cada. Os jurados. por intermédio do Os jurados formularão perguntas por intermédio do juiz presidente. nesta fase do procedimento.. o tempo para a acusação e a defesa será acrescido de 1 (uma) hora e elevado ao dobro o da réplica e da tréplica. Finda a acusação. terão acesso aos autos e aos instrumentos do crime se solicitarem ao juiz presidente. sendo admitida a reinquirição de testemunha já ouvida em plenário.Os jurados poderão formular perguntas ao ofendido e às testemunhas. Sou advogado de defesa. depois do promotor preciso falar senhoras e senhores. A acusação poderá replicar e a defesa treplicar. o presidente indagará dos jurados se estão habilitados a julgar ou se necessitam de outros esclarecimentos. Durante o julgamento não será permitida a leitura de documento ou a exibição de objeto que não tiver sido juntado aos autos com a antecedência mínima de 3 (três) dias úteis.. terá a palavra a defesa. Não se permitirá o uso de algemas no acusado durante o período em que permanecer no plenário do júri.. dando-se ciência à outra parte. Concluídos os debates. destinada a obter maior fidelidade e celeridade na colheita da prova. estenotipia ou técnica similar. Havendo mais de 1 (um) acusado. salvo se absolutamente necessário à ordem dos trabalhos. à segurança das testemunhas ou à garantia da integridade física dos presentes. O registro dos depoimentos e do interrogatório será feito pelos meios ou recursos de gravação magnética. e de uma hora para a réplica e outro tanto para a tréplica..

pois o prova é longa. podes perder muitas pelo cansaço. Sempre é bom tomar um bom café de manhã para reanimar a mente..Não se esqueçam de que estudar na última hora cansa a cabeça. Mas não tomem muito líquido na hora. Vão bem cedo. Na véspera do concurso descansem. Não durmam tarde nos dois dias antes do concurso.. nem que esperem no local bastante tempo. Não se esqueçam que o trânsito está cada vez mais complicado. hehehehe Uma boa sorte a todos! 12 . Se ganhares uma questão. passeiem.