You are on page 1of 3

Ainda falando sobre simbologia PALAVRA E SÍMBOLO Diariamente nós usamos palavras do idioma para comunicar idéias, sentimentos

e informações. As palavras muito nos servem a um nível privado mas, começam a tropeçar quando nós tentamos falar sobre as realidades mais fundas, emoções mais fortes . A poesia e música têm a habilidade para achar um eco mais fundo em nossas mentes e corações. Finalmente porém o idioma tem que dar o modo a outras formas de comunicação simbólica. Na morte nós não podemos achar freqüentemente nenhuma palavra para confortar porque o idioma não pode expressar a aflição simplesmente e as pessoas então se abraçam. Dois amantes apaixonados sempre podem falar qualquer coisa mas, o mais verdadeiro sentimentos deles, será expresso em um beijo ou colocando um par de alianças. Se a pessoa tentar explicar o amor que tem ou a morte, formular isto realmente tropeçaria no idioma, assume então a expressão simbólica. Os símbolos nascem de idioma e história. Os símbolos soltam o significado se forem separados da história que originalmente lhes deu expressão. As alianças ficam sem significado se o casal que as usa não estiver mais tão apaixonado. Neste exemplo o único modo para que os anéis voltem a significar algo novamente, é necessário relembrar e redescobrir a história que os atraiu em primeiro lugar. Aqui um símbolo precisa estar fora de novo, renascido da história que primeiro lhe deu vida. As palavras raramente requerem expressão simbólica, os símbolos sempre pedem uma avaliação da história que lhes deu origem. Se nós formos apresentados a um símbolo que não evoca nenhuma memória, sentimento ou experiência então ficará sem sentido pois não podemos relacioná-lo a nenhuma historia. Os símbolos religiosos, por exemplo à celebração católica dos sacramentos, focaliza bem de perto o uso de símbolos e está alinhado com a história que os originou. Por exemplo uma comunidade tem que questionar como efetivamente apresenta a água como um símbolo alinhado ao processo de deixar incredulidade para envolver fé. Do mesmo modo que é relacionado, óleo para vocação ou doença? O que é tão especial sobre pão e vinho? Por que o Jesus escolheu compartilhar a presença dele conosco em uma comida? Por que nós acendemos velas? O que é tão significante sobre luz e escuro? Quando nós respondemos a estas perguntas foi porque unificamos palavra e símbolo, história e expressão. É crucial estar atento ao fato que símbolos nos permitem acesso para o mais fundo das realidades de vida, sentimentos e modo de perspicácias além do reino do idioma. Então negarmos o uso de nossos símbolos Cristãos por minimalismo ou indiferença é negar a uma comunidade algumas de suas experiências mais profundas. RITUAL E SIMBOLO Ritual pode ser definido como "o comportamento formal prescrito para as ocasiões não entregues à rotina tecnológica tendo como referência à opinião em seres

são também (precisamente por causa de sua referência ao sobrenatural) transformados para atitudes e o comportamento humano. Sendo assim. enquanto símbolos são representações. isto. pode indicar um perigo escondido. Na soma. e objetos. um símbolo é a unidade menor do ritual que retém ainda as propriedades específicas do comportamento ritual. Quando próspero. Sinais e Símbolos genericamente não denotam uma existência ou presença de algo imediatamente evidente ou óbvio. o que seria? . atividades. elas são unidades de armazenamento alegóricas. Então. esta definição consulta aos desempenhos rituais que envolvem a manipulação dos símbolos que consultam à opinião religiosa”. ou unidades espaciais. palavras. Bastante simples. por exemplo um sinal em uma estrada. semelhança. ou convenção. como tratando dos valores cruciais da comunidade. Sinais são principalmente indicadores ou ponteiros. se torna um ritual. executados em um lugar reservado e projetada para influenciar entidades ou forças em nome dos objetivos e dos interesses das pessoas.místicos e em poderes. Não somente os símbolos revelam valores sociais e religiosos cruciais. Símbolo é qualquer coisa que. o símbolo precisa estar em um contexto e participar dele é necessário ter o conhecimento de funcionamento deste contexto. É muito importante que o que é tentado ser compartilhado com o " símbolo " seja o que é percebido conclusivamente. Os símbolos podem ser objetos. representa qualquer outra coisa por associação. o símbolo. símbolos são multiinterpretativo para evitar engano. A manipulação dos símbolos no ritual expõe seus poderes em ação e mudam as pessoas envolvidas no desempenho ritual. A opinião ritual. religiosa. uma gama inteira de formas. Os rituais são lojas de símbolos significativos por que a informação é revelada e considerada como autorizada. O ritual espiritual requer o uso de símbolos. e os símbolos estão relacionados essencialmente. eventos. gestos. Se tivéssemos que projetar ou escolher um símbolo para representar “ verdade” . permite então. cada uma tem o próprio uso distintivo delas. relacionamentos. Símbolos são usados e compartilhados para que nos comuniquemos e possamos construir um arquétipo do ambíguo e o abstrato." Do mesmo modo. O ritual usará ambos mas é o símbolo que prevalece. por causa de sua natureza transcendental e metafísica inerente. Uma outra definição: O ritual é “uma seqüência estereotipada das atividades que envolvem gestos. palavras. extensivamente.