You are on page 1of 50

1

TILL (Comédia épica de Luís Alberto de Abreu baseada nas aventuras de Till Eulenspiegel) Till Eulenspiegel PRÓLOGO PRIMEIRO Cena 1 – De como num prólogo, um cego narra o lugar onde Till nasceu e do que aconteceu na noite do parto. (TROMBETAS E TAMBORES ANUNCIAM POMPA E CIRCUNSTÂNCIA. DOIS ATORES PESADÕES COM VESTES DE NINFAS TENTAM DAR LEVEZA AOS PASSOS E SALTOS DE BALÉ. ENTRAM PARA ABRIR AS CORTINAS DO FUNDO PARA DAR ENTRADA MAJESTOSA A UM PRÍNCIPE, REI OU SIMILAR. AO ABRIR AS CORTINAS, CONTUDO, VÊ-SE UM SUJEITINHO IRRITADIÇO, TORTO, MANCO, ESFARRAPADO, O CEGO BORROMEU. OS DOIS ATORES OLHAM PARA O SUJEITINHO DE ALTO A BAIXO COM DESPREZO. O SUJEITINHO AVANÇA AO PROSCÊNIO. SOAM AS TROMBETAS. O SUJEITINHO REAGE IRRITADO E CONTINUA A CAMINHADA. CHEGA AO PROSCÊNIO, OLHA O PÚBLICO E, A PONTO DE EXPLODIR, FALA. BORROMEU Boa noite! Estou aqui por três razões, nenhuma delas sequer é importante ou à altura do meu talento. A primeira delas é que me visto, me maquio, me concentro, componho um personagem, entro no palco ao som de trombetas, tudo isso só para dizer que o espetáculo ainda não começou! É. Isso que vocês estão vendo é só um prólogo! Algo sem lá muita importância e que serve para dar informações gerais sobre a peça. Fui tirar satisfação e disseram que comédia é assim mesmo, que os personagens devem ser tolos, incoerentes para que o público possa rir deles. (PAUSA. QUASE EXPLODE) Isso me irrita! A segunda razão é informar que eu sou Borromeu, um cego. (ATOR COMPÕE A FIGURA DO CEGO) Mas não um cego qualquer, não! Borromeu é um cego miserável, obrigado a andar, pra cima e pra baixo, no inverno frio, no outono chuvoso, pela Alemanha. Mas não é a Alemanha de hoje, não, país desenvolvido, de primeiro mundo! (CHOROSO, MELODRAMÁTICO) Vou ser andarilho na Alemanha medieval, no século XIII, no meio de guerras, peste, fome que foi quando começaram as ser contadas as histórias de Till Eulenspiegel. (MUDA TOM) Cego, pobre e na Idade Média! Isso me irrita! A terceira razão é para anunciar o protagonista: Till Eulenspiegel. Pensam que Till é um rei, um bispo, um guerreiro? Não! Não passa de um camponês velhaco, ordinário e embusteiro, que nasceu perto da floresta Elm, na Saxônia. Veio ao mundo numa noite escura e fria e contam que nessa noite, em que os ventos uivavam, houve mortes, desastres, choros, ranger de dentes, revoluções

2
intestinas e disenterias gerais e ardidas das quais nenhum baixo ventre do lugar se safou. Mortos saíram das sepulturas e perambularam entre os vivos. Coisa boa não estava reservada a esse Till! Esse é o protagonista, o personagem mais importante de nossa história. E numa história em que um sujeitinho descalabrado desse é personagem principal imaginem o que vai acontecer com um figurante cego e desclassificado como eu! Isso me irrita! Só uma última coisa. Pediram-me também para citar as palavras do autor anônimo que reuniu as histórias de Till já no século XVI : “Minha única ambição é criar um sentimento de felicidade em tempos difíceis, para que meus ouvintes experimentem uma coisa boa, prazerosa e alegre.” (IRRITADÍSSIMO) À custa de personagens como eu! Eu me sufoco de raiva! PRÓLOGO SEGUNDO Cena 2 - De como num segundo prólogo são narrados e encenados acontecimentos anteriores ao nascimento de Till mas determinantes na vida do personagem. (SOAM NOVAMENTE AS TROMBETAS. ENTRAM DE NOVO OS DOIS ATORES PESADÕES, VESTIDOS DE NINFAS. SÓ QUE AGORA NÃO TENTAM APARENTAR LEVEZA. PISAM DURAMENTE NO CHÃO COMO SE MARCHASSEM, IRRITADOS. ABREM AS CORTINAS DO FUNDO E NEM SE DIGNAM OLHAR PARA OS DOIS MALTRAPILHOS QUE SURGEM . DÃO AS COSTAS E SAEM DE SACO CHEIO. OS MALTRAPILHOS AVANÇA ATÉ O PROSCÊNIO. UM DELES, ALCEU, QUE VEM ATRÁS AGE COMO CEGO E TENTA ACOMPANHAR O DA FRENTE, DOROTEU, TOCANDO COM O BRAÇO ESTICADO EM SEU OMBRO.) DOROTEU ALCEU Sou Doroteu, o segundo cego. (SOLTA-SE DE DOROTEU E FAZ UMA REVERÊNCIA) Alceu, o terceiro cego. (PROCURA DOROTEU COM O TATO. ASSUSTA-SE) Doroteu! Borromeu! Onde estão? BORROMEU Aqui, sua besta! Ainda não estamos cegos. Só nos puseram aqui, com toda pompa e circunstância, só para dizer que o espetáculo ainda não começou! Este é o segundo prólogo! Desperdício de tempo, dinheiro e talento! DOROTEU (AO PÚBLICO) Mas este segundo prólogo tem sentido! Vai dar a vocês os antecedentes, acontecimentos anteriores ao nascimento de Till Eulenspiegel mas fundamentais para o entendimento do caráter de nosso héroi. ALCEU No princípio Deus criou os anjos e parte deles se revoltou e aí, minha gente, a luta foi feia. Foi dia noite, dia noite, noite e dia sem sossego, sem parada, sem

3
descanso, os anjos todo lutando no ar, tudo embolado, quebrando asa, voando pena, dando com espada no coco de um, espetando com garfo o fígado do outro. Quem viu, viu, quem não viu, nunca vai ver peleja igual! Prá encurtar a história, São Miguel com seus arcanjos conseguiram empurrar os diabos prá beiradinha do firmamento. Daí foi só um empurrãozinho de nada, foi só chuçar com a ponta das espadas e os anjos negros todos despencaram. Na queda, olharam prá baixo e viram a terra crescendo na direção deles e era só pedra, estrepe, cascalho. Nem mata, nem folha, nem água pra amparar a queda. Eles caindo e a terra crescendo. E gritaram : “Ai, meu Deus!” E Deus: “Agora é tarde!” E desceram zunindo e, cataplam!, se ralaram, lascaram, s’estatelaram tudinho no chão! (BARULHO DE QUEDA. ENTRA DEMÔNIO TODO ESFARRAPADO COM BANDAGENS, BRAÇO NA TIPÓIA E BOTA DE GESSO.) DOROTEU ALCEU Esse é o demônio, o sujo, o imundo, o cafute, o pé de cabra. E ele habitou a terra. E prestem atenção que ele vai ter muita importância em nossa história. E, aí, Deus criou Adão e Eva e os dois geraram Caim que matou Abel. O filho de Caim foi Henoc que gerou Irad, que gerou Maviavel, que gerou Matusael, que gerou Lamec. E Set foi o outro filho de Adão que gerou Enos, que gerou Cainan que gerou Malaleel que gerou Jared... BORROMEU ALCEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU O que é?! Vai dar o nome de um por um, peso, altura, signo e endereço, desde Adão até o século XIII quando nasceu Eulenspiegel? É para que ele tenham a dimensão... Ninguém quer ter dimensão nenhuma! E se quiserem vão deixar de querer! Resume isso! (ALCEU SOLUÇA E NÃO CONSEGUE FALAR.) O que aconteceu, a grosso modo, é que quando Adão e Eva perderam a inocência e viram que estava nus... Deixa que eu conto! A humanidade começou a gostar da coisa, de sexo. E saiu feito doido fazendo filho e povoando o mundo. Gente começou a nascer às pencas, aos magotes, aos cachos. Gente de tudo quanto é jeito, tamanho, largura e cor. DOROTEU ALCEU Gente morria, mais gente nascia e o homem se espalhou, cobrindo tudo quanto é cidade, nação, grota e buraco da terra até chegar ao século XIII. (SUSPIRA, EMOCIONADO) Foram milhares! Centenas de milhares! Milhões de seres que nasceram e morreram sem deixar marca nem registro na história. Tantos que nem conhecemos, tantos que não representaram mais que um grão de

4
areia na poeira do tempo! (SOLUÇA) Qual o sentido de tudo isso? Qual o sentido da vida? BORROMEU DOROTEU BORROMEU DEMÔNIO ‘tava demorando! Alceu vai ser um cego emotivo. Emotivo e idiota! Vamos andar com esta história! Demônio! Um dia, lá na eternidade, Deus sentiu tédio. (BORROMEU IMITA O TÉDIO DIVINO) Desde quando tinha criado o mundo ele descansava vendo milhões de almas que encarnavam e desencarnavam, encarnavam e desencarnavam, todas mais ou menos iguais, pelos séculos sem fim. BORROMEU O demônio, também sem muito o que fazer, gritou que o homem, criação de Deus, era por demais frágil e imperfeita! E apostou que se tirassem do homem umas poucas qualidades ele se perderia no desespero. DEMÔNIO Uma alma se apresentou como voluntário para a experiência. (ALCEU E DOROTEU ABREM AS CORTINAS DO FUNDO E APARECE A ALMA DE TILL QUE, ASSUSTADO, INDICA COM GESTOS QUE NÃO QUER SER VOLUNTÁRIO. ALCEU E DOROTEU O ARRASTAM ATÉ O PROSCÊNIO) ALMA TILL BORROMEU DEMÔNIO ALMA TILL Milhões de almas encarnando desde que o mundo é mundo e justo na minha vez! Brincadeira de mau gosto! Fale pela glória de Deus! Ou fale pela fama do diabo! Eu falo é pelo meu lombo e pelo meu couro! E a pobre alma de Till pediu, implorou, solicitou, mas, como a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, assinou a bronca e foi cumprir a sentença na penitenciária do mundo. BORROMEU Programaram o nascimento daquela alma num lugarzinho feio e pobre( o que é redundância), perdido no fim do mundo, sem jeito, sem passado e sem futuro, perto da floresta Elm, na Saxônia. DEMÔNIO Além do lugar miserável deram-lhe pais ainda mais miseráveis que nem roupa podiam lhe dar! (DOROTEU E ALCEU TIRAM AS ROUPAS DA ALMA DE TILL, UMA EM CADA FALA DE BORROMEU E DEMÔNIO DE MODO QUE ELE, AO FINAL, RESTE NU SÓ DE FRALDÃO. BORROMEU DEMÔNIO Não lhe deram protetores. Nem rei, nem bispo, nem vereador, nem cabo eleitoral, nem mesmo fiscal! Não lhe deram amigos. E se amigos tivesse, todos seriam mais pobres que ele, o que, todo mundo sabe, é pior do que ter inimigos.

5
BORROMEU DEMÔNIO BORROMEU DEMÔNIO BORROMEU E depois de não lhe darem tudo isso, ainda resolveram lhe tirar o que restava. Os olhos! Não! Já tem cego demais nessa história. Que tal se nascesse sem orelha? Sem pescoço? Coxo? Corcunda? Sem cu? Impotente? (ALMA DE TILL REAGE E MIMA CADA SUGESTÃO) Não, não! Algo mais drástico! Pensaram e pensaram e depois de muito pensar resolveram tirar da alma de Till qualquer vestígio de inteligência útil. (BORROMEU E ALCEU RETIRAM DA ALMA DE TILL A INTELIGÊNCIA. A ALMA DE TILL RETIRA-SE INCONFORMADA. O DEMÔNIO RI E TAMBÉM SAI.) DOROTEU ALCEU BORROMEU E assim finalmente termina este segundo prólogo. De agora em diante sou o rebelde cego Doroteu. (REVERÊNCIA) O emotivo e resignado cego Alceu. (REVERÊNCIA) Atrás de mim! Vamos, lote de gente imprestável! (REVERÊNCIA) O líder e tirânico cego Borromeu! (CADA CEGO SAI POR UMA DIREÇÃO. O CEGO ALCEU VAI EM DIREÇÃO À PLATÉIA. QUANDO PRESTES A CAIR DO PALCO MUDA REPENTINAMENTE DE DIREÇÃO AO OUVIR NOVAMENTE A VOZ DE BORROMEU.) Por aqui, à direita de quem entra e à esquerda de quem sai! Na direção sul, no rumo da estrela polar. Vamos peregrinar! (ALCEU E DOROTEU GIRAM SOBRE SI MESMOS E DEPOIS DE MUITO TATEAR O AR CONSEGUEM SEGUIR MAIS OU MENOS NA DIREÇÃO DE BORROMEU. SAEM. ALCEU TROMBA COM O PORTAL DE SAÍDA. OUVE-SE UM GRITO DE MULHER OFF) VOZ OFF Virgem Maria do Bom parto! (ENTRA MÚSICA GRANDILOQÜENTE. ENTRAM OS DOIS ATORES PESADÕES VESTIDOS DE NINFAS COM GESTOS E SALTOS QUE ELES SE ESFORÇAM POR PARECER LEVES. ABREM AS CORTINAS DO FUNDO E VÊ-SE UMA MULHER COM UM VENTRE IMENSO. MÃE CORRE PELO PALCO CLAMANDO. MÃE Me acode, gente, que a criança tá encruada! (PÁRA E PULA VÁRIAS VEZES TENTANDO FAZER A CRIANÇA SAIR.) Sai! Cai! Pula! Salta fora, condenado! A gravidez da mãe de Till começou muito bem quando aquele santo peregrino, em romaria à Jerusalém, parou na sua casa e, antes de seguir seu Cena 3 – O difícil e estranho parto de Till Eulenspiegel.

no entanto. gritou. não continuou melhor.) Depois foi o silêncio. ordenou. aos treze meses e meio de gravidez a criança não sai nem com esconjuro. precavido e assustado. Vai devagar. deu beberagens. novena. Então. . sem resultado. a criança encruada. Espera! Estou vendo alguma coisa no final do túnel! É ele. Amarrou um anão à ponta de uma corda. duas mil. Já me viu! Segura! Não deixa fugir. simpatia. O anão. A CORDA SAI SEM O ATOR 2. agora. purgantes. garrafadas. condenado! Como é que está indo? Isso aqui é um labirinto! Mas até aqui tudo bem. bateu. fez despacho. (ATOR 2 MIMA O ANÃO E ENTRA DEBAIXO DA SAIA DA MÃE. A terceira foi mais engenhosa. exatas. ele acendeu uma lanterna e começou a vagar. com ordem de entrar e arrastar. profundos e largos corredores.6 caminho. aos seis mordeu. A segunda ameaçou. entrou. renhida. brava. Ao contrário. pedido. Aos quatro meses a criança chutou. dois meses e trinta e três dias dentro do ventre da mãe. quinhentas e setenta e três vezes no justo tempo de trinta e três minutos. Em parte. Uma média bastante razoável que deixou a futura mãe de Till com os olhos estatelados! ATOR 1 ATOR 2 A coisa que começou bem. entrou. Assim foi feito. atuando isoladamente e em conjunto. não conseguiram nenhum resultado. Traz pra fora! Mas não foi tão fácil e pelo que se viu a luta foi brava. beliscou. A primeira usou reza mansa.) Vê se tira os sapatos e limpa os pés no capacho da entrada! ATOR 1 MÃE ATOR 1 ATOR 2 ATOR 1 MÃE Estava escuro. por bem ou por mal. aos cinco beliscou.) De quem foi a idéia?! Agora vou ter de parir dois e um deles nem é meu! ATOR 1 Depois desse acontecimento Till ainda ficou cinco anos. nem com ordem judicial! MÃE ATOR 1 ATOR 2 ATOR 1 Três parteiras. aos sete chorou e. meu Deus! Não gosto nem de lembrar. mas a criança não se abalou. trezena. MÃE Ah. pelos imensos. (MÃE GEME ENQUANTO SEU VENTRE BALANÇA E ATOR 2 GRITA. fez lavagens. Um dia saiu. (TODO MUNDO FICA PARADO APRENSIVO ENQUANTO ATOR 1 PUXA A CORDA LENTAMENTE. nem bonito nem nada. que não era nem charmoso.

A MÃE GEME ENQUANTO DENTRO DELA HÁ LUTA. Mãe! Não! Deixa. desentala! De jeito nenhum! Tá muito bom aqui! Você vai sair. deixa. desgraçado! Ou inteiro ou em partes. vai.) Ó. TILL GRITA E ENTRA NOVAMENTE. SUA MÃE FICA À ESPREITA. ESTE SAI SE ASSUSTA COM O MUNDO FORA E SAI CORRENDO. CORREM ATRÁS DE TILL. deixa! (MÃE DÁ UM BERRO) . FAZ-SE UM JOGO COM TILL APARECENDO E DESAPARECENDO ENQUANTO SUA MÃE TENTA ACERTÁ-LO. TILL PÕE A CABEÇA PARA FORA E ANTES QUE SUA MÃE BATA ELE ENTRA NOVAMENTE.) ATOR 2 ATOR 1 Ajuda. de fora! Só vim pra dizer que daqui não saio! Onde está o anão? Devolve! Sei lá do anão! Se desencaminhou aqui dentro. AOS POUCOS SAEM ATOR 2. tava lá na curva dos intestinos! (MÃE GEME) MÃE TILL MÃE Desencrua. PRESO AO UMBIGO DE TILL ESTÁ UMA ENORME MANGUEIRA TRANSPARENTE COMO SE FOSSE O CORDÃO UMBILICAL. filho. mãe! Já disse que não! Ah. deixa. deixa. deixa. ATOR 2 PÕE MEIO CORPO PRÁ FORA. SOLUÇA E DESATA EM CHORO. a última vez que vi.) Cena 4 – O início da saga de Till ATOR 2 TILL MÃE TILL MÃE TILL A infância de Till não foi lá muito boa. (MÃE ARMA-SE DE UM PEDAÇO DE PAU E BATE EM TILL. SUBITAMENTE O VENTRE DA MÃE COMEÇA A SE REVOLVER. SEGURANDO TILL. Nem prá ele nem prá sua mãe. INCLUSIVE SUA MÃE QUE GEME. deixa. ATOR 1 UM CONSEGUE AGARRAR TILL ENQUANTO ATOR 2 SERVE-SE DE UM MACHADO E COM UM GOLPE CORTA O CORDÃO UMBILICAL. Pegou a direção errada num desses corredores e. TILL DESCONSOLADO VÊ QUE O CORDÃO FOI PARTIDO E SUSPIRA.7 TILL ATOR 1 TILL (COLOCA A CABEÇA PRÁ FORA. que peguei o condenado! O anão! (ATOR 1 SEGURA ATOR DOIS E COMEÇA A PUXAR ENQUANTO A MÃE GEME.

Tentou alugar mas não achou preço. pensou em vender o menino mas não achou comprador. por acaso. primeiro. vendedores de seda. TILL TENTA ENTRAR POR DEBAIXO DE SUA SAIA. NA VERDADE ELES ATUARÃO NA CENA SEGUINTE. ânforas e louças. condenado! ATOR 1 Um dia. (ENQUANTO ELA FALA. UM MEIRINHO E DOIS SOLDADOS.) Desafasta. Era dia de festa. mendigos. depois de muito pensar – abandonar. INFANTIL) Lá era tão bom! Aquele menino não batia bem da cabeça. eram as mesmas dos dias de semana. mulher de vida airada. armada de porrete. INCLUSIVE O COZINHEIRO ENTRAM EM BLOCO OU JUNTOS COMO SE FOSSE UMA SERPENTE FORMADA DE PESSOAS E ENVOLVEM A MÃE E TILL. OJUIZ. pensou a mãe. vinho ordinário. O JUIZ PARECE ESTAR IRRITADO COM A DEMORA E OS DOIS SOLDADOS PÕEM-SE A ARMAR UMA FORCA) . estrangular. dormindo com um olho aberto para impedir que Till voltasse ao lugar de onde saíra. dos piores extratos sociais.8 MÃE TILL MÃE A mãe de Till ficava exasperada com o menino! Não. surdos. OS PERSONAGENS. rufiões. beberrões e um pregador junto com um vendedor de relíquias que só naquela praça já havia vendido quinze dentes caninos verdadeiros de Santo Artidônio! Entre o povo na praça apareceu também um juiz. quis dar mas não achou quem quisesse ficar com ele. enfim. A cidade estava cheia. cegos. anões. MEIRINHO E SOLDADOS QUE FICAM À PARTE COMO SE NÃO FIZESSEM PARTE DA CENA. mendigos. aleijados. (ENTRA MALABARISTA) MALABARISTA Na praça havia saltimbancos. peregrinos rumando para o oriente. afogar no tanque. atores de comédia. Além disso tinham mudos. Era até inteligente mas nada do que pensava e fazia servia pra coisa alguma. ladrões. cuja função só saberemos mais adiante (ENTRAM VÁRIOS PERSONAGENS ENTRE OS QUAIS UM COZINHEIRO ALÉM DE UM JUIZ. não e não! Pro meu ventre você não volta! (AFASTA-SE CHORANDO. gente desclassificada. A mulher. hidrópicos. Por fim. e rumou na direção da cidade. E assim passou-se algum tempo com a mãe alerta. cozinhar com batatas – a mãe de Till se revolveu: vestiu Till com roupas de Domingo que. um meirinho e dois soldados. MÃE DÁ-LHE PANCADAS COM O PORRETE. queijo e pão.

cabelo que nunca viu pente. quer no frio do inverno cheira sempre enxofre e breu. Ah! Tinha também o seu destino. dissimuladamente. veio de vila em vila.) Till chorou por exatos três dias e catorze horas mas como ninguém lhe deu a mínima importância parou repentinamente de chorar. três é demais! Till! Daqui pra diante a sorte que você teve em sua vida nunca mais vai se repetir. na frente carranca. três dentes nas duas gengivas. no entanto. filha de Maria Fonseca. maléfica. horrenda. outra seca. tá viva e parece morta. um olho fechado e certo. VAI A CADA CANTO DO PALCO E CHORA COMO SE GRITASSE CHAMANDO A MÃE. maligna usa perfume feito de estrume ou colônia feita de bosta! TILL BRUXA 1 TILL (ASSUSTADO) Ô. E nenhuma das duas coisas valia lá grande coisa. uma bunda magra e uma perna manca! BRUXA 3 (IRRITADA) Ah! A terceira bruxa. uma qualquer. Como é que é a piada? . meu! Quesquecéisso? Uma é ruim. surgiu de um buraco aberto no chão. louco. em compensação. E três bruxas apareceram na praça para revelá-lo. TILL PERCEBE-SE SOZINHO E CHAMA CHOROSO PROCURANDO) TILL Mãe! Mãe! Mãe! (DESATA EM CHORO. A única coisa que tinha de seu era a si mesmo e suas roupas. Assemelhava-se a um corvo. (ENTRAM TRÊS BRUXAS) Cena 5 – A profecia e o pacto BRUXA 2 A primeira bruxa veio trazida pelos ventos. expulsa lá dos quintos dos infernos! Quer nos dias de verão. Uma figura velha. uma perna fina. prima do velho Terto. Torta. Veio do fundo da terra varando a escuridão. em que pisou. neta de Romão morto. terrífica. um braço curvo outro torto. Quando Till percebeu-se só no meio da multidão ainda bem que eu não estava lá pra ver e sentir remorso! (MÃE SAI CORRENDO. o outro zarolho e aberto! BRUXA 1 (COM RAIVA) A segunda bruxa. se arrastando sobre a terra como serpente. corcunda atrás. duas pior. Não se sabe o que comeu. Estava só e com fome. se escafedia. através da tênue substância de que é feito o ar.9 MÃE Till ficou encantado com o movimento de pessoas e tão entretido estava que não reparou que sua mãe dava-lhe de presente o mundo enquanto. mas é tal fedentina que já se fez até aposta pra saber se essa velha má. E resolveu que nunca mais ia chorar na vida.

(OS SOLDADOS SE APROXIMAM DE TILL E SE POSTAM UM DE CADA LADO DELE. dona! Só uma mãe que não sei onde está.) JUIZ Finalmente chegou a vez de me pronunciar. Conte o que viu. (ARREGALA OS OLHOS DESCONFIADO) É dele que você ‘tá falando. como se seu crânio fosse um coco sem água e sem recheio. dentro delas. não. Entrou na primeira biboca da praça daquela cidade e comeu até se fartar.10 BRUXA 1 TILL BRUXA 2 BRUXA 3 TILL As coisas vão piorar! E dá? Não duvide do azar! Não tarda um encontro fatal! Vai vender a última coisa que lhe resta! Tenho nada meu. pelo menos? BRUXA 1 TILL Não vai receber um tostão por aquilo que vender! Mas isso não é vender! (CAI EM SI. sair pelo mundo. O MEIRINHO TRAZ UMA CORDA DE NÓ CORREDIÇO. A desgraça alheia é nosso divertimento. Arreda! Desafasta! Vade retro! Não pedi pra falar o meu destino! Não se dêem a esse trabalho. E só duas coisas o incomodavam: uma era a sensação estranha de que ele tinha um buraco na cabeça. APÓS UM MOMENTO DE PERPLEXIDADE TILL GARGALHA E COMEÇA A DANÇAR TAMBÉM. o meu corpo. AS BRUXAS SAEM. Till! O que de bom lhe aconteceu desde que você nasceu? Nada! E o que você espera que lhe aconteça de bom daqui prá frente? Nada! E o que você pretende fazer com relação a isso tudo? Nada! COZINHEIRO E com tudo isso bem pesado e decidido Till resolveu tocar sua vida prá frente. E como no ser humano a fome dói mais que a ignorância resolveu encher o buraco da barriga primeiro. dona? Vou fazer bom negócio. essas roupas que ninguém vai querer e. vocês podem parar de rogar praga. ai! Vem cá. andar. TILL PÁRA O MOVIMENTO E MUDA INSTANTANEAMENTE A EXPRESSÃO) TILL Tisconjuro! Revertere! Torna de volta! (SUSPIRA E FALA CONSIGO MESMO) Ai. A outra era uma sensação semelhante na barriga. . IRRITADO) Ó. BRUXA 2 BRUXA 1 BRUXA 3 Não é trabalho. vamos conversar. Fazer previsões desse tipo é nosso lazer. E o principal: não nos basta ser felizes é preciso que os outros sofram! (GARGALHAM ENQUANTO DANÇAM EM VOLTA DE TILL.

Atrás dele esse povo todo. “estamos no caminho” e quinze horas depois gritei: “pega. esse homem riu e disse: “Pode ficar. é que esse homem (APONTA TILL) passou por mim como um pé de vento. imobilizado e uma corda foi passado em seu pescoço. ladrão”! E isso foi tudo! JUIZ (AO COZINHEIRO) Impressionante o funcionamento de seu cérebro! (A TILL) O senhor tem alguma espécie de bens.” Agradeci a generosidade mas desconfiei. filosoficamente. querendo linchar na mesma da hora. mata. Uma moeda de gorjeta é muita coisa. eu disse. seu juiz. desculpa. não tenho nada contra ele (APONTA TILL) nem conhecia esse homem. rapinagem. bravo mesmo. não está mais aqui quem falou. fazer um último pedido? (MENEIA A CABEÇA) Till não quis. COZINHEIRO Comeu de tudo. o objetivo da coisa é esse mesmo! Então. agarrou e foi aquela confusão de segura. Mas todo mundo queria dar uns cascudos nele e eu me perguntei: porque eu também não? Em que essas pessoas são melhores do que eu? HOMEM 2 Quando o povo cercou. ele disse.11 MULHER HOMEM O que vi e dou fé. gritei “não”! A gente tem pouca diversão por aqui!. Que faltava sentido em tudo aquilo. Estou esperando o troco. falei. Dei três moedas para pagar a conta. móveis ou imóveis? (TILL MENEIA A CABEÇA) Parentes ricos com herança a deixar? (TILL IDEM) Alguma outra perspectiva de riqueza através do jogo. . esfola. Sou de paz. Chamei meu contador que depois de quatro horas de reflexão me colocou a seguinte enigma: porque alguém daria três moedas para pagar uma conta de duas? Arrá!. seu juiz! Do bom e do melhor. de gorjeta. eu fui contra. Eu sei. Quebrei a cabeça por três horas. Quando fui devolver.” Eu me desculpei pelo engano e fui buscar uma moeda de troco. corrupção? (TILL IDEM) Então você obriga a Justiça a ser implacável! Enforquem e depois esquartejem porque a função dessa gente no mundo é mostrar que a Justiça funciona! TILL JUIZ TILL JUIZ TILL JUIZ TILL Till foi agarrado. E concluiu. vamos levar preso! Quem sabe a gente tem um belo enforcamento. (UMA CORDA APERTA O PESCOÇO DE TILL) Tem alguma coisa a dizer? (COM DIFICULDADE) Estou ficando sem ar! A idéia. Quer rezar. Apresentei a conta: “são duas moedas. Algo dentro dele dizia que tudo ainda não estava acabado.

o arrenegado.. COZINHEIRO Ichi! Me lembro como se fosse hoje: deu um estalo. o rabudo. o dianho. ‘Tá bom.. É algo do fundo do seu ser.terras. Em troca.) DEMÔNIO TILL A troca é pau a pau! Você não tem escolha.. Não brinca assim que eu não gosto. E o diabo começou a perder a aposta. a imortalidade! ( A UM SINAL DO DEMÔNIO A CORDA É PUXADA APERTANDO O PESCOÇO DE TILL. COM OUTRO GESTO DO DEMÔNIO A CORDA SE AFROUXA. eu quero a vida e mais algum de volta: dinheiro. o tristonho. parece coisa. (PESSOAS CONGELAM O MOVIMENTO) (GARGALHA) O demônio riu. o cão! TILL DIABO COZINHEIRO DEMÔNIO Como dizia o saudoso Carlos Queiróz Telles: “Não falha! Não pior hora da luta sempre aparece um filho da puta!” Venho lhe trazer a salvação! As pessoas da praça perderam a fala e o movimento ao ver a terrível aparição. TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL (RESSABIADO.. ‘tá bom! Mas que diabo de coisa é que o senhor quer tanto assim?! . diabo.. SUFOCADO TILL XINGA E DIZ PALAVRÕES ININTELIGÍVEIS. Em troca da vida quis negociar a única coisa que pertence verdadeiramente ao homem. assim. se está querendo demais é porque deve ter algum valor. o sujo. estrondo no ar. depois. Vam’parando com essa conversinha! Me dê! Que. ofereceu ajuda ao pobre Till. o pé-de-cabra. PROTEGENDO O BAIXO VENTRE COM AS MÃOS) E que coisa é essa? Advinha. fama.12 que se fosse para morrer daquele jeito não valia mesmo a pena estar vivo! Não se desesperou. que trovão sem chuva e surgiu a terrível figura! (ENTRA O DIABO) Ele. seu diabo? É a alma? A alma pertence a Deus O corpo? Pertence à terra. Não troco! Não faço negócio! De jeito nenhum! Não sei o que é que eu tenho e que você quer mas. é. gargalhou como é de praxe e preceito e..

cá entre nós.13 DEMÔNIO COZINHEIRO O demônio adotou uma postura solene e uma voz cavernosa. profundo? Acho que é motivo até para pararmos com essa bobagem de comédia e discutirmos.” (EM DIREÇÃO AO PÚBLICO) Perceberam? Captaram? Estão compreendendo. É TORTA. Morra com sua consciência tranqüila. CORCUNDA. ESFARRAPADA. essa questão! (AS PESSOAS DA PRAÇA ROMPEM A MOBILIDADE E APUPAM O COZINHEIRO) HOMEM MULHER JUIZ MULHER TILL DEMÔNIO TILL Vamos com esse enforcamento que tenho mais o que fazer! Enforquem o rabudo também! Cumpram minha ordem! O espetáculo tem de continuar! Espetáculo pra vocês. “a última coisa que lhe resta: a consciência. . dona Maria! Pra mim é o meu pescoço! Não há mais tempo. mais aprofundadamente. a epígrafe desse espetáculo é : a quem retiraram tudo. direita e rica não é a porta! Queriam o quê? Uma consciência de primeira para uma figura estragada dessa? (AO DEMÔNIO) Eu me recuso! Não aceito essa negociata! (O DEMÔNIO FAZ UM GESTO E PUXAM A CORDA QUE ENFORCA TILL) TILL CONSCIÊNCIA TILL TILL TILL Desgraçada! Faz o que eu mando! Um homem não pode viver sem sua consciência! Eu só posso viver se não tiver consciência! Sua burra! Não tenho escolha! (TENTA ACERTAR A CONSCIÊNCIA)Eu me ferro e você fica tranqüila? Eu quero é que você se lasque. coisa micha! Tanta discussão por causa disso? Leva e bom proveito! CONSCIÊNCIA Estão rindo do quê? Em casa pobre e torta. mesmo. realmente. a implicação filosófica que existe por trás da aparência trivial dessa história cômica? Vejam.) Ô. se estrepe. a premissa fundamental. a razão mais profunda. de fato. só resta negociar a própria consciência! Não é. Decide! Já tá decidido! (UMA FIGURA COMEÇA A SAIR DAS COSTAS DE TILL. desgraçada! CONSCIÊNCIA Quem vai acusá-lo dos malfeitos? Quem vai lhe inspirar a tristeza do remorso? Quem vai desviá-lo dos pecados? Da luxúria? Da gula? Quem vai afastá-lo da busca desenfreada da riqueza e dos prazeres? CONSCIÊNCIA De jeito maneira! CONSCIÊNCIA Tem. MANCA. AS PESSOAS RIEM.

BORROMEU DOROTEU ALCEU BORROMEU DOROTEU Olha por onde anda. me esqueci. SUBITAMENTE BORROMEU GRITA E PÁRA. Borromeu. DEPOIS FAZ BEIÇO E COMEÇA A CHORAR. TILL PÕE A CORDA NO PESCOÇO DA CONSCIÊNCIA) E se não quiser levar eu enforco essa desgraça em meu lugar! Sou um homem sem chão onde cair morto e sem terra minha pra pisar enquanto vivo!. Mas. HOMEM COZINHEIRO MULHER JUIZ COZINHEIRO (INDO EM DIREÇÃO DE TILL) Porque o povo não gostou de ter ficado plantado feito besta. Mas acabamos de chegar. o indigitado Till desapareceu no meio do som de explosão. Mas ficou aliviado por pouco tempo. dou fé. por favor! Cala a voz dessa consciência se não ela acaba me convencendo que é melhor eu morrer enforcado! (DEMÔNIO GRITA E FAZ UM GESTO. Afirmo apenas o que sei. Sei apenas o que vi. GUIADOS POR BORROMEU. O que vi. DEMÔNIO PUXA A CORDA QUE ATA O PESCOÇO DA CONSCIÊNCIA E SAI LEVANDO-A) Till.14 TILL (AO DEMÔNIO) Leva e não aceito devolução! (DEMÔNIO AFROUXA A CORDA. Você já se perguntou porque é que o diabo tanto quer me tirar de você? TILL (AO DEMÔNIO) Fecha a boca dela. para tristeza nossa. assim gritou Till. então. UM TOCANDO COM A MÃO O OMBRO DO OUTRO. ali. Cena 6 – A primeira aventura de um homem sem consciência OS CEGOS DOROTEU E ALCEU ENTRAM. a troco de nada! Como é que fica isso? A gente quer diversão e arte! Enforquem-no! E começou de novo a grita. peste! Olhar eu olho mas não enxergo! O que foi? Que aconteceu? Não ficamos mais nem um dia nessa cidade. nem deu tempo de ver direito! . DOROTEU TROMBA COM BORROMEU. Isso não posso afirmar. as ameaças. fumaça e fedor de enxofre! Dizem que Till foi visto cruzando os ares nas costas do demônio. a vociferação. suspirou aliviado. O que dou fé. CONSCIÊNCIA ASSUSTA-SE E EMUDECE. a balbúrdia da turba na qual eu me inclui com a alma disposta e alegre. E completou: só se eu fosse doido varrido e escovado eu ia querer esse empatador do meu lado! CONSCIÊNCIA Você fala isso porque está sem consciência.

DÁ UM QUARTO DE VOLTA. E assim. FICANDO DE PERFIL PARA O PÚBLICO. . cambada! (LEVANTA-SE E ÀS APALPADELAS DIRIGESE PARA O PÚBLICO NARRANDO) E assim. os três cegos saíram amassando barro pelos caminhos e aldeias medievais naquele começo de inverno. nem cheirar beterrabas. viajar por todo mundo e vou ter alguém que descreva com cores e detalhes as paisagens que não vou ver. Beterrabas! Não aguento mais comer.. É só mudar o ponto de vista! Veja: vamos formar um batalhão noturno e combater em noite sem lua. dinheiro. guiados por Borromeu.15 BORROMEU ALCEU BORROMEU Esmolas! Por isso estamos aqui. SORRI. Doroteu! Não viemos fazer turismo. na imaginação! Vamos nos alistar numa cruzada! (IRRITADO) E quem vai aceitar três cegos numa cruzada? Pra que três cegos numa cruzada? É alguma comédia? O objetivo é matar os muçulmanos de rir ao verem um batalhão de cegos marchando contra eles? BORROMEU DOROTEU BORROMEU O pior cego é aquele que não quer ver! Já te falei que odeio esse provérbio. Deus não nos dá a visão como recompensa? ALCEU BORROMEU E se morrermos na guerra? Aí vamos pro céu! Onde não há fome nem cegueira! Vale a pena de qualquer jeito! Vam’bora. idiota. Estaremos em igualdade de condições com os infiéis e com ouvidos melhores. querer eu quero só que não consigo ver lógica na sua idéia. E. depois. (PÁRA INDECISO. Pra ficar ricos precisamos de esmolas. Mas bem que eu queria! Um dia eu vou ser rico. coisa que nunca teremos por aqui nesse lugarzinho fuleiro. se não morrermos. DOROTEU BORROMEU Que adianta apontar? Vam’parar com essas piadinhas infames sobre cegos! Vamos resgatar o Santo Sepulcro das mãos dos infiéis! Vamos ficar ricos pedindo esmolas em Jerusalém! E quem sabe..) Desculpe. Só precisamos de um guia que nos aponte a direção do inimigo. nem imaginar a cor roxa que dizem que elas têm! Não aguento mais receber beterrabas como esmola! Começo a ver a luzinha clara de uma grande idéia! ALCEU BORROMEU DOROTEU Ver de verdade? Não. guiados por Borromeu.

de uma cozinheira mimosa e de boas carnes que vivia em sua casa e. BORROMEU GRITA) BORROMEU Atrás de mim. Deus lhe abençoe! Não era bem isso que eu queria. (CADA UM VAI POR UMA DIREÇÃO. se julgava o homem mais esperto do lugar. Chegou exausto. OS TRÊS CANTAM. TILL ‘tô lascado! Aquele padre. Posso.. além de ser avarento. do abraço do Mal. “Um dia ele vai ver! Um dia ele vai ver!”. E isso.16 DOROTEU (NARRANDO NA DIREÇÃO CONTRÁRIA DE BORROMEU) Doroteu não suportava o autoritarismo de Borromeu. TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE Padre. agora. não era um bom augúrio. senhor! Você acabou de recusar. ENTRA TILL) TILL PADRE Não se passou muito tempo e Till veio bater naquela mesma cidade. Só lhe daria alimento depois de três dias de jejum e penitência. canhengue. terceiro.) Quando virmos as torres de Jerusalém Estaremos além da miséria do mundo No fundo da alma com Deus. se desmereceu! E se me pedisse pão. um cego bonachão e ingênuo que acreditava que a vida era cor de rosa. das quais não gostava de se separar: Primeiro. Não recuse nenhum bem do espírito pois lhe será negado qualquer bem material! O que o senhor queria mesmo? (TILL ESTENDE A MÃO PARA PEDIR MAS DESISTE E SOCA IRRITADO A PRÓPRIA MÃO) TILL PADRE Está bem. Afirmam que esse padre gostava de três coisas. afinal Além do cansaço. faminto e a primeira pessoa que viu foi um padre. Por aqui! ( OS DOIS OUVEM E CAMINHAM NA DIREÇÃO CERTA. embora nem sonhasse que raio de cor era essa. ridico. nem era desejo de que Borromeu recuperasse a visão! ALCEU Alceu era um otimista. Doroteu vivia repetindo. meu filho.. migalheiro. Não. (SAEM. eu negaria. ao contrário do que se possa imaginar. me dê primeiro a benção. O senhor não poderia. de toda e qualquer moeda que pudesse agarrar. de um cavalo baio que era motivo de inveja de toda cidade. Três vezes por dia. . Segundo. com certeza. tenho fome! Eu também.

E. do melhor e em quantidade: carnes. dona! Pra fazer tudo isso vou gastar uma semana! Faz só metade. né? Deus sempre dá. Till. Tudo que tenho pertence a Deus.. fritados.. Esse aí ainda não comi! (RI) (APONTA O ESQUELETO DO FRANGO QUE COMEU) Este aqui eu já comi. DEPOIS DE UM INSTANTE DE . TILL. Maria. guisados.. um despachante. você só terá de fazer metade do trabalho que minha cozinheira mandar. Quer dizer que uma esmola nem pensar. E. assados. após três dias de jejum. riquezas. você poderá comer tudo que eu comer e beber! TILL PADRE COZINHEIRA TILL PADRE TILL E.. porque não tenho nada de meu. comida do corpo e do espírito. Mas sua penitência pode ser trabalhar pra mim.17 PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE E sou mesmo! ‘tá prá nascer quem me passe pra trás! E o padre riu com gosto do aperto do nosso herói e pensou como se aproveitar daquele viajante faminto. A suave composição daquelas cores e formas. E o tonto aceitou o trato! (ENTRA E GRITA) Till! Vai rachar toda a lenha que você vê aí! Ave. mas nunca diretamente! Existe sempre um representante que. tudo o que eu comer você pode comer também! (PADRE COMEÇA A COMER UM FRANGO.. né? Não. tostados. Sirva-se! (PADRE RI MAIS. cozidos. luzes. Um intermediário.) TILL PADRE TILL PADRE Padre! Tudo o que eu comer Till! Então manda ele dar! (EXPLICATIVO) Tudo o que eu comer. queijos. à sua frente. que mal lhe pergunte. E o pobre Till trabalhou exatos três dias e meio sonhando com as iguarias prometidas. o senhor come bem? Do bom. sei. TILL TENTA PEGAR AS IGUARIAS MAS OS ATORES COM OS PRATOS FOGEM DELE. grelhados. a harmonia emocionante dos cheiros e volumes mexeram com a sensibilidade de Till e uma lágrima furtiva rolou em seu rosto. E Deus não me daria.. como você está meio fraco e sou um homem bom. um atravessador. pães. Sei. TILL CONSEGUE AGARRAR UM ATOR. meu filho: bençãos. vinhos finos. flambados. (ATORES ENTRAM COM PRATOS DE IGUARIAS) Mas valeu a pena viver pra ver tantos assados. PADRE Como lhe prometi.

roído pelo verme do ciúme e pela ira da vingança! Filho.. Eu dormi com a cozinheira. que prejuízo! Talvez um médico... COZINHEIRA PADRE E a vida continuou.. meu filho! É um pecado conta Deus. padre! Roubou dinheiro meu? Não. GARGALHA TAMBÉM TANTO QUANTO O PADRE. (TILL ENTRA GEMENDO) O que foi Till? TILL Dói aqui no socavão do ventre. (RECONSIDERA) Um médico vai cobrar consulta. (MUDA A INTENÇÃO DA FRASE CONTENDO-SE) meu! É muito grave! TILL Foi só uma vez. filho. filho. Quero confessar mas não sei se devo. atrás daquela cavidade que tem perto do orifício daquela brecha entre o figado e o rim que parece que é uma bola sem nada dentro! Eu vou morrer! PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL PADRE Ah. AOS BERROS. pedir remédio. bater.18 ESTUPEFAÇÃO AO VER TODO MUNDO RINDO. de sua cozinheira e de seu cavalo passou também a gostar muito de seu empregado.. padre. Será que devo? Descarregue o peso. não sei se posso. Um dia Till amanheceu doente. (AFASTA-SE. meu filho! Fale! (TILL FIXA O ROSTO DO PADRE E CHORA DESESPERADO) Confessa. gritar.. Todos são. resignou-se. do lado do buraco dos intestinos. por dia durante três meses com exceção dos dias santos. matar. padre! Tudo é perdoável. SUBITAMENTE PÁRA O RISO E RESIGNADO DIRIGE-SE PARA O PRATO DE RESTOS. não mereço perdão! Não mereço. Cuida da alma. E o padre além de dinheiro. domingos e feriados que a gente dobrava a dose! .. filho.. rosnar.. NARRANDO) O padre ficou fulo da vida. Eu pedia sempre o dobro do trabalho possível de ser feito num dia para que ele fizesse só metade e passasse o dia todo trabalhando. meu filho! É isso que eu quero.. chorar mas não se sabe porque – talvez por ausência de inteligência útil ou por falta de sua consciência. furioso.) TILL Till pensou em fugir.. E contra o senhor... não mereço! Todo pecador arrependido merece.

O senhor violou o segredo da confissão. E no tempo que gastei para contar isso estava Till. morra! (ANDA DE LÁ PRA CÁ TRANSTORNADO ENQUANTO TILL SE DIVERTE) O padre ficou transtornado. filho. Poder eu posso mas o senhor pode me convencer. corno furioso é uma das forças da natureza! (GEME) Ái! Está doendo. jurou. como foi. mas está doendo mais em mim que em você! Era mentira dele! Um homem não mente no leito de morte. de novo. (ENTRA TILL ASSOBIANDO) Sarou rápido. COZINHEIRA PADRE TILL PADRE TILL PADRE TILL Não falei. chorou. Deu o boi a dois frades mendicantes em troca de uma cabrita cega de um olho que vendeu numa feira por uma moeda de prata. Eu te absolvo! E. Maldito! E Till pensou que sua sorte tinha mudado e negociou o cavalo com uns ciganos em troca de uma vaca leiteira que descobriu depois ser um boi velho e roubado. padre..19 PADRE TILL PADRE TILL PADRE Não posso mais ouvir! ( PADRE AFASTA-SE FURIOSO) Preciso confessar tudo. Estou indo falar com o bispo. Falsa. em troca do seu segredo e se foi. padre. invenção do amaldiçoado empregado. COZINHEIRA A cozinheira negou. hein? A confissão fez o milagre. E Till só pensava uma coisa: como se manter vivo até o final daquela estação bruta. . falou que era mentira. você não pode fazer isso. mugiu e decidiu aplicar um corretivo na mulher. padre. Jacaré ouviu? Nem o padre! A surra da cozinheira foi lembrada por quatrocentos anos na região. Não quero saber! Então me dê o perdão. Rosnou. com vontade de descadeirar a desgraçada. o animal mais bonito da região.. gemeu. Com muita sorte o senhor só vai ser excomungado. miserável e só no mundo. Onde. agora. Coitada! Como meu pai dizia. Ouvi dizer que é muito severo. uivou. Que que eu faço pra te agradar? Já está começando a ser agradável. pediu. sua besta? Till. Um mundo que se tornava hostil e frio com a chegada das primeiras nevascas. PADRE COZINHEIRA PADRE TILL Desculpa. Pediu meu cavalo. quando. que já vou morrer.

Till está com duas grandes preocupações: uma é porque prometeu sair voando do telhado mais alto da cidade e outra é porque vendeu bosta como se fosse sebo. depois de cheios. Quem passasse e o visse ia imaginar que fosse um daqueles camponeses tolos. Não. Seis. Seu córtex cerebral está comprometido e lhe falta o elemento que organiza as idéias. De jeito nenhum. gaveta de funcionário público. Pague pelo menos dez moedas. Till teve a grande idéia de cobrir a parte de cima com uma fina camada de gordura e vender como se fosse barril de sebo. ATOR Neste momento. COMERCIANTE Só dou seis.20 Cena 7 – Como funciona a cabeça de Till e o que ele fez para sobreviver no inverno. bolsa de mulher. Então. Mas. ATRIZ Porque a cabeça de Till é um caso médico raro. Quatro e olha que eu posso baixar para três! E eu posso aumentar pra nove! . Ninguém mais vai comprar seu sebo. eram lançados em rios. tão comuns na histórias medievais. que dá ordem. para um bom entendimento. E Till ficava parado com um ar pasmado e um sorriso sem sentido no meio da neve. estabelece prioridades. São doze moedas. Daí que. Oito. por exemplo. leve os barris. seis! Cinco! Cinco?! Por esse preço mas nem se eu vendesse bosta! Agora só vendo se for por oito. Não vou levar de volta. por causa do mal funcionamento de seu cérebro. Seis! Soube que você vendeu outros vinte barris pela cidade. A cabeça de Till é confusa como quarto de adolescente. Till é diferente. Um método moderno e higiênico de destinação de esgoto que até hoje é utilizado. ATOR O inverno naquele ano foi especialmente longo e rigoroso. Confusa como explicação de marido pego no “flagra” pela mulher. como era inverno e a merda toda estava congelada. Está bem. é melhor começar do princípio. estômago de gordo em rodízio de pizza. TILL Em algumas cidades medievais as pessoas colocavam as fezes em barris que. TILL COMERC TILL COMERC TILL COMERC TILL COMERC TILL COMERC TILL São oito barris.

o pior. sentir. TILL COMERC TILL Till quebrou a cabeça mas nenhuma idéia útil lhe veio. Ele ficou parado durante todo o inverno. cinco! Como é duro negociar com você! (COMERCIANTE PAGA) Fiz um bom negócio. E Till teve medo que o sol da primavera fosse iluminar seu corpo duro. mendigos. Veio gente de tudo quanto é buraco e grota desse mundo de Deus: camponeses. (O POVO OLHA PRA CIMA COM APLAUSOS E INTERJEIÇÕES DE ESPANTO) Vai voar! Se planar só.21 COMERC Está bem. Mas comida faz milagres e. Voltou ao comerciante. no ar. chorar de emoção! Tá bom de . vilões. Sobe! Estou indo! Não precisa empurrar! Quando estava faminto. Eu não morro sem ver isso! Se ele voar ele é anjo. estudantes. já tá bom. Paguei dez vezes menos e o dinheiro de Till acabou antes de acabar o inverno. bem alimentado. pra mim. Se é anjo ele vai me curar! Andei cem quilômetros pra ver esse Till voar. no primeiro dia da primavera vou sair voando. então. bandidos. COMERC CAMPONESA VELHO ALEIJADO BANDIDO CAMPONESA VELHO BANDIDO COMERC TILL A notícia que o idiota do Till voaria se espalhou pela redondeza. rir e festejar! Ou. Como é? Isso mesmo que você ouviu. ‘tá debruçando vôo! Vai decolar! Vai pro céu! Vou voar e vocês vão arregalar os olhos de admiração. romeiros. Me alimente o resto do inverno e. COMEÇA A AGITAR OS BRAÇOS COMO SE FOSSE VOAR. vicia! E agora. do alto do telhado. senão. vou me estatelar e vocês vão se assustar. congelado e morto. Till pensou em comer do bom e do melhor e depois se lançar nos ares. Vai ter de voar de qualquer jeito! Olha lá! Ele já está no telhado. Till não só não quer morrer como quer continuar comendo bem. contrabandistas. Se Deus quisesse Ele que amparasse sua queda.) VELHO CAMPONESA ALEIJADO VELHO ALEIJADO TILL (OLHANDO PRA CIMA) Vai voar! Já ‘tá batendo as asas! Por que bate tanto? Pra costumar o corpo. esborrachar e morrer de vez era melhor do que morrer à míngua. (TILL OLHA PRA BAIXO. como passarinho. do telhado do seu armazém.

) Vocês estão aí. CAI E GEME. antes de vir para a praça. TEMEROSO) Borromeu! Doroteu! (OS DOIS GRITAM ASSUSTANDO ALCEU. E. O povo desabelhou para os quatro cantos do mundo.22 qualquer jeito. esfola! Silêncio! Primeiro que quem teve a idéia dessa velhacaria foi esse comerciante! Eu?? E. NOS BASTIDORES SOM DE GENTE QUE TROPEÇA. eu sei. foi grito de pega. do abraço do Mal. (LONGA PAUSA. “Quando virmos as torres de Jerusalém Estaremos além da miséria do mundo No fundo da alma com Deus. meu Deus! Esqueci de contar que quando amanheceu o dia os homens. espantou criança. ENTRA EM CENA O CEGO BORROMEU PORTANDO UM CAJADO SEGUIDO DE DOROTEU. Till fugiu pelos telhados e sobreviveu ao inverno. colocaram os barris no fogo para derreter o sebo e engraxar os couros.) .) ALCEU Borromeu! Doroteu! (ALCEU ENTRA) Vocês ainda estão aí? Não me deixem sozinho! (BORROMEU FAZ GESTO E SOM DE “PSIU”A DOROTEU.Uma discussão no escuro FORA DE CENA OUVE-SE O CANTO DOS CEGOS. Eu rosnei: Vai voar do seu jeito ou vai voar do meu! E aí. Cena 8 . RIEM E SENTAM-SE. PERCEBE-SE PELO MOVIMENTO DAS CORTINAS QUE ALGUÉM TENTA ENTRAR NO PALCO MAS NÃO CONSEGUE ACHAR A ABERTURA. derrubou cavalo. que eu até vôo se alguém me disser que cheiro desgraçado é esse? Ái. cambada de tonto! Sou passarinho. né? Vocês se divertem de graça e o idiota do Till paga o preço? Vão se lascar! Vêm aqui pra ver um homem voar e depois o idiota sou eu! Se alguem aí dissesse que ia voar eu não acreditava. lote de besta?! BANDIDO TILL COMERC TILL CAMPONESA Teve gente que riu. afinal Além do cansaço. assim. depois. não estão? Estão brincando comigo. fez mulher parir antes do tempo. (CHEIRAM O AR) VELHO CAMPONESA BANDIDO TILL É assado de bosta! Cozido de estrume! Sopa de merda! O cheiro matou velho. desnorteou a praça.

três! (LEVANTAM-SE RAPIDAMENTE E GIRAM O CAJADO EM VOLTA DE SI COBRINDO TODA A EXTENSÃO EM VOLTA. Estava tudo escuro. Que você acha.) Você é um guia de bosta. TUDO É FEITO COM UMA PRECISÃO E RAPIDEZ INCRÍVEIS.. um pouco mais longe ouvi o crepitar do fogo e uma voz que cantava uma canção muito antiga. LOGO O RAPAZINHO ESTÁ PRESO ENTRE OS CAJADOS. COM INTENÇÃO. senti o calor dos braços dela. não! (RAPAZINHO DÁ UM CASCUDO EM DOROTEU) Não me bata.23 DOROTEU BORROMEU DOROTEU Onde estamos? Pouco importa onde estamos. O menino tem carne prá uma semana. Deixa de ser guloso. O importante na vida é chegar onde queremos! (DESALENTADO) Eu sabia! Estamos perdidos de novo! (ENTRA UM RAPAZINHO.) DOROTEU BORROMEU DOROTEU ALCEU Peguei! É só um menino! Que pena. me senti . OS TRÊS CEGOS RIEM E SE SENTAM NOVAMENTE. sua besta! Você é cego e idiota de nascença! É só jeito de falar. DOROTEU E BORROMEU APROXIMAM-SE INTERESSADOS) DOROTEU ALCEU BORROMEU ALCEU O que viu no sonho. Borromeu! BORROMEU DOROTEU BORROMEU Sou de bosta mas sou guia! Pois acho que está na hora de mudar de guia. DOROTEU PERCEBE O INTRUSO COM O CAJADO. Depois me veio a delícia do gosto à boca. Logo. não vi nada! Nós sabemos. Sonhei com bolo. Alceu! (OS TRÊS SEGURAM O CAJADO) Não fui eu. Me aproximei da voz e senti o cheiro da minha mãe.) Aquilo de sempre! (APARENTANDO IRRITAÇÃO) Foi você Doroteu! DOROTEU ALCEU Eu. Aí. lembram? (O MENINO APAVORADO SE SOLTA E FOGE. FICAM SILENCIOSOS. um.) Tive um sonho.. Só vai dar prá comer três dias. Era minha mãe que cantava. Alceu? O Alceu não acha nada! Alceu não tem cabeça nem visão pra decidir! (RAPAZINHO SE APROXIMA DE DÁ UM CASCUDO NA CABEÇA DE BORROMEU) Ái! Quem me bateu? (PAUSA. Aí. Ver. como sempre. Ninguém vai comer o rapazinho! Vamos furar os olhos dele pra ele ficar com a gente igual vocês fizeram comigo. dois. Aí senti o cheiro forte de morangos e mel. junto com o cheiro. VÊ OS TRÊS CEGOS E SORRI SACANAMENTE.

(COM PACIÊNCIA) E onde estão nossas sandálias? Sobre o mundo. Ótimo! E como chegamos ao mar? Siga reto na direção daquela árvore de flor amarela na planície.) Cena 9 – De como Till torna-se médico e cura todos doentes de uma cidade. BORROMEU DOROTEU BORROMEU ALCEU DOROTEU CAMPONÊS DOROTEU CAMPONÊS DOROTEU CAMPONÊS DOROTEU CAMPONÊS Diacho! Por que só o Alceu sonha? É uma benção. (CAMPONÊS FOGE ASSUSTADO COM AS MALDIÇÕES. Com um novo guia. E que o diabo lhe soque pimenta e pólvora no rabo e ateie fogo. CEGOS RIEM E SAEM CANTANDO. dobre à esquerda e siga a estrada que vocês vão ver à direita de um carvalho. enquanto cantava aquela antiga canção. murche. tombe e nunca mais se aprume como uma flor no deserto. aquilo que você mais preza. onde estamos? Dentro de nossas roupas. E no caminho que. Talvez quando a gente chegar a Jerusalém vocês comecem a sonhar também.24 aquecido e pequeno em seu colo. depois de três meses de caminhada. (CAMPONÊS NÃO SE CONTÉM E RI) DOROTEU BORROMEU ALCEU CAMPONÊS DOROTEU (COM GENTILEZA) Que Deus lhe conceda a vida eterna. Vire à direita e quando vir um rochedo comprido. vire à esquerda na direção daquelas montanhas. até o fim. sentindo o cheiro de sua pele quando ela me umedeceu os lábios com um beijo. talvez a gente chegue. Que benção? Ele é tão pecador quanto nós. E senti na boca o gosto doce da massa de morango e mel que ela me punha na boca. E a labareda nunca se extinga! Que em sua terra cresçam beterrabas viçosas do mesmo tamanho dos furúnculos que hão de lhe nascer na bunda! Que Deus lhe dê verrugas nas partes como deu estrelas ao céu! Cego ou não vocês merecem é surra! E que. . por fim. vai dar no mar. (PASSA UM CAMPONÊS) Senhor. Lá. Em que lugar? Em cima das sandálias.

sem Deus. o capeta sem dó. DOENTE DOENTE 2 Ele chegou onde a gente ‘tava e. ( COMEÇA A CHORAR E A CONTAR DE MANEIRA QUE NADA SE ENTENDA A NÃO SER “TILL”. Já fui jovem. DE VEZ EM QUANDO É A PALAVRA“TILL”. assim como vesículas e tumores. fui menino. descarado.25 ENTRA UM UM HOMEM ESFARRAPADO ANDANDO DE MULETAS. torto. O sangue é o contrário. DOENTE Dai uma esmola.Oh. da mão de Deus espero a cura.. A ÚNICA COISA QUE SE ENTENDE... manquitola dos infernos. ( PROFESSORAL ) O problema todo está no sangue. não! Till foi médico reconhecido! E tinha uma teoria. ENTRA OUTRO HOMEM DE BENGALA E COM BANDAGENS SOBRE A CABEÇA. (DOENTE CHORA MAIS ALTO E TENTA CONTAR SEM RESULTADO) ‘tão vendo? Aquilo é o demo! Sujeito mal-sarado que não presta pra troco! Aquilo é homem desinteirado das idéias. COMEÇA COM VOZ MONOCÓRDICA A PEDIR ESMOLA....) Deixa que eu conto.. malino do Till. O traste. Estou nessa situação por causa do meu destino. um coração. aplicava sanguessugas. (NÃO SE ENTENDE UMA ÚNICA PALAVRA DE SUA FALA “CHORADA” EMBORA SE PERCEBA QUE ELE CONTA UMA HISTÓRIA. .) TILL Inventou. o trapo.. dores... Uma inflamação é um ajuntamento sangüíneo! Um corte dói e sangra. Receitava purgativos e fazia sangrias. Donde se conclui que o sangue é o responsável pelas inflamações. aquilo é filhote do cão do inferno. mas me dá uma raiva tão grande quando falo nele! Pois a gente ‘tava doente no Hospital. (MENDIGO DISTORCE O ROSTO E SUSPIRA ALGUMAS VEZES NÃO CONTENDO O CHORO) ‘tô assim nessa situação por causa do. O . (ENTRA MULHER) MULHER O que eles estão querendo dizer é que Till chegou numa cidade e inventou que era médico.) DOENTE 2 O que ele quer dizer é que estamos assim porque aquele desgraçado. minha vida foi agrura. sujeito sem alma e sem fé! Imagina que aquele comparsa do demônio. sujeito maldiçoado!. ESTENDE A MÃO EM DIREÇÃO AO PÚBLICO.. de sua mão peço moeda.. Varizes estão cheias de sangue. um intestino quer sair do lugar onde Deus colocou? Não.(TILL TRATA DE UM DOENTE. vesículas e tumores! Vê! Um fígado. Sou doente. pobre e não sou ladrão.

aquele coisa ruim. O desalmado falou a mesma coisa pra cada doente. Foi então que Till chegou ao Hospital e aí. torrar no fogo até virar cinzas. Pelo menos morreu muito melhorado. Maria! É assim. (TILL VAI A OUTRO DOENTE) E esse? Está quieto por que? AJUDANTE TILL DOENTE DOENTE 2 É aquele que chegou aqui muito ruim. Vou lhe contar um segredo. Está ficando morto. bubônica. salafrário.. pra mais de trezentos! Daí que ele chegou e disse: (A UM PACIENTE) Ó. suína. fazer o remédio do que sobrar e dar para os outros tomarem. Esse quase que consegue viver sem sangue nenhum. (COMEÇA A CHORAR NOVAMENTE) E.26 sangue é um herege revoltoso que quer sempre escapulir dos caminhos feitos por Deus que são as veias! (A UM AJUDANTE) Aplica! (DOENTE SE DEBATE) AJUDANTE TILL AJUDANTE TILL Quantas sanguessugas? Ele está agitado. aquele sujeito que eu nem falo o nome.. embrulhão. Tem sangue demais.. E dois dias depois veio com o diretor do Hospital e gritou: Quem não estiver doente vai lá pra fora! . é? Psiu! Infelizmente é. doutor. Estamos no caminho certo. que eu nem consigo lembrar sem ficar com raiva daquela peste negra. E quem vai ser torrado. Mas pra fazer o remédio vou ter de pegar um de vocês. E assim Till ganhou renome porque cliente morto não reclama e os poucos que sobreviveram alastraram sua fama... aí. Está ficando azul.. Vou ficar bom? Deus lhe abençoe. aí. Põe quinze! (DOENTE EMITE UM GEMIDO CÔMICO DE RESISTÊNCIA. (GRITA) Ave. gostei de você. Prometi curar todos doentes mas pra fazer isso eu vou ter de fazer um remédio milagroso. MULHER TILL PACIENTE TILL PACIENTE TILL PACIENTE TILL PACIENTE TILL DOENTE DOENTE 2 TILL E.) Está relaxando. senhor. Está ficando calmo. que ele ia ganhar um dinheirão do diretor do Hospital se curasse todos doentes. excomungado. AJUDANTE PÕE SANGUESSUGAS NO DOENTE. Jura que não vai contar prá ninguém? Sim. Uma pena. Está quieto porque está morto. pelo amor de Deus? O mais doente de vocês ou aquele que não puder mais andar.

Vai entender! O coração humano é mesmo insondável e com isso quero dizer que a gente sente e faz besteira que não consegue explicar. De onde nunca devia ter saído. (SEPARAM-SE) TILL MÃE TILL MÃE TILL (SORRIDENTE) Deixa lhe ver direito: (CORTA O SORRISO) envelheceu! São os filhos que envelhecem os pais! Quanto tempo você vai ficar? Bem. tivesse existido. a emoção do reencontro teria durado exatos três minutos e quarenta segundos. comprou o que não ia pagar. E filosofou: “na vida não se deve mijar contra o vento. no caminho. mentiu. Imóvel.27 DOENTE Foi uma Sodoma e Gomorra. zap!. Uma noite olhou o mar de estrelas no céu e quis ser um daqueles pontos do firmamento. Tempo demais! Você podia pelo menos arrumar um trabalho decente pra garantir minha velhice. abraçá-la. E quando vai casar? Não pensei ainda! .” E de posse dessas duas verdades quis voltar à sua aldeia. O primeiro e o maior era o de ter posto no mundo o imprestável Till. cuspiu no prato que comeu pelas aldeias e cidades.. enganou. Cena 10 – As agruras de uma mãe ENTRA MÃE MÃE Sua mãe. Queria revê-la. ia voltar pra dentro do útero. Pegou a estrada sem destino certo e. Tinha saudades de sua mãe. vendeu o que não era seu. SE BEIJAM E CHORAM EMOCIONADOS. de fato. E só se caga no caminho que não vamos passar. E pela primeira vez começou a ter momentos de melancolia e tristeza. e quando ela se distraísse de satisfação.. padecia dois profundos remorsos. com os doentes formigando pra fora do Hospital que não ficou um! Eu mesmo quase que não escapo. O segundo era o de ter enjeitado o próprio filho. (DOENTES SAEM EM ATROPELO. E foi assim que a Mãe de Till saiu peregrinando pelo mundo a procura do filho. COMPÕE UMA EXPRESSÃO DE ACABRUNHAMENTO) TILL (MEIO CHATEADO) Till saiu da cidade antes que os doentes voltassem. Filho! Filho! Meu filho! TILL MÃE (ENTRANDO) Mãe! Mãe! Minha mãe! (TILL E MÃE SE ENCONTRAM E SE ABRAÇAM. E ela não soube mas não ter encontrado o filho foi a sorte grande de sua vida. TILL VAI FALAR ALGO MAS DESISTE. no entanto.) (ABRAÇADA A TILL) Esse encontro não aconteceu mas se.

porque nos poupou da representação de um drama bastante enfadonho. é ferir as fibras mais íntimas da alma! TILL (QUE PERMANECEU EM CENA. de calor humano. É maior do que podemos suportar! É um retalhar de nervos. percorria montanhas e vales. em sua aldeia natal. quieto. Só quero ficar num canto. esta. cidades e lugarejos clamando por meu filho! Vocês não imaginam como dói a culpa e o remorso de um coração de mãe. caminhos e vielas. meu filho! (ENTRAM TRÊS CAMPONESES) Por caridade. senhores. pensava no que fazer depois de não ter encontrado sua mãe. quieto.. E. (EMPURRAM-SE) TILL MÃE Primeiro.. por misericórdia e por vossa bondade.) Filho! Filho! Meu filho! TILL MÃE Mãe! Mãe! Minha mãe! E enquanto Till. eu só vim a procura de sossego. (OS DOIS CLAMAM DESENCONTRANDO-SE PELO PALCO. Nem pensar! Pro meu útero você não volta! E vai cortar esse cabelo e não volte tarde porque na minha casa é nas minhas regras! Saco! Por que que eu voltei! É pra isso! É prá isso que a gente põe filho no mundo! Eu não aguento mais! A vida é sofrer! Eu vou embora. ( ABRAÇAMSE) Mas graças ao bom destino essa cena não aconteceu o que foi uma sorte muito grande. de paz. sem preocupações. um golpear a punhal o fundo da carne. ou seja. depois. parado mas estou vivendo um processo interior fundamental e de muita importância no desenvolvimento da trama! (ADOTA UMA EXPRESSÃO COMPLETAMENTE INEXPRESSIVA) MÃE (DRAMÁTICA) Till! Till.28 MÃE TILL MÃE TILL MÃE TILL MÃE TILL MÃE É bom mesmo! Não quero você casado nem juntado com as vagabundas que você deve de gostar! Mãe. E nós acabamos de ver que tem coisas que é melhor desejar do que conseguir. porque conservou neles o desejo lírico do reencontro. já que eu nunca devia ter vindo! Você ainda me mata! Quando eu estiver estendida num caixão. SENTADO) Prestem um pouco de atenção em mim também! Estou aqui. eu. viram meu filho perdido? . ILUMINADO.

Aquilo não tem mãe. Na hora disse que o segredo da profissão era quando se passar a linha pela agulha não esquecer de dar um nozinho na ponta da linha! CAMPONÊS 3 Na minha cidade. E antes que o prefeito mandasse prendê-lo. Disse que estava plantando semente de gente à toa. Teófilo. uma bruxa pervertida que merece a fogueira na terra e as penas no inferno por ter posto um filho desse no mundo! O Till é um demoniado! MÃE CAMPONÊS 1 Till? Till Eulenspiegel? Ele mesmo! A senhora conhece? Onde foi que a senhora viu? É seu filho? . uma mulher à toa. alegria dos amigos. inveja dos vizinhos. Uma fedentina que expulsou até urubu da praça. dona? É um modelo de beleza e respeito. CAMPONÊS 1 CAMPONÊS 2 CAMPONÊS 3 Roubou no peso da carne.) Vimos. começou a enfiar pedrinhas no chão.29 CAMPONÊS 1 MÃE CAMPONÊS 2 Como é seu filho. esmola de santo. Chegou o prefeito e perguntou porque não fazia algo de útil e plantava gente honesta. é uma bruaca pecadora. naquela terra. E se tem. (OS DOIS CAMPONESES RIEM DO TERCEIRO QUE EMBURRA.. Vendeu o que não entregou. besuntou pórticos. orgulho de seus pais. baixou as calças. O que ele fez? Tudo. Pagaram e ele fez o que prometeu: cagou toda praça. Ele disse que ali. anel de bispo. Alegria dos amigos me lembra sua ex-mulher. enquanto ele comia do bom e do melhor. vieram alfaiates de todo lugar. colunas.. virou para o povo aquela bunda branca com um diminuto alvo marrom no centro eqüidistante das bordas e saiu de carreira deixando raiva e riso. janelas. Na minha cidade. na frente da prefeitura. cobrou o que não vendeu. não crescia. não.. dona! Estamos é caçando pra pagar as penas do inferno em vida um sujeitinho sem mãe! CAMPONÊS 3 MÃE CAMPONÊS 1 O canalha está sendo buscado em toda região.. enganou na venda do leite. Roubou muleta de aleijado. Foi uma semana de preparativos para a convenção. O povo riu e disse que ali já tinha demais. fez falcatrua. pediu doze moedas para expulsar os mendigos da praça da catedral. CAMPONÊS 2 Na minha cidade convenceu o prefeito que era um grande mestre-alfaiate e que ia revelar o segredo de sua profissão.

sou corretor de lotes no céu! Mas o que de principal vim fazer aqui foi cumprir uma ordem de São Brendan. ESCANDINDO AS SÍLABAS COMO SE ALGUMAS PESSOAS NÃO TIVESSEM ENTENDIDO) São Brendan! Ele me enviou com a missão de construir uma nova igreja. vendo indulgências. CAMPONÊS 1 Mas enquanto não recobrava sua consciência o tralha do Till se aproveitava da ausência dela e continuava com suas presepadas. Além de não encontrar sua mãe.30 MÃE Meu? Não! Não pari. renegociando sua dívida com o demônio. Foi nesse instante que uma centelha de luz lhe passou pelo cérebro. Para isso me ordenou o santo arrecadar dinheiro de todos mas nunca!. Não vi. (ENCOSTA O CRÂNIO EM SUA TESTA E DEPOIS EM SEU OUVIDO. eu me permitirei aceitar doações de mulheres que tenham sido adúlteras! (OS HOMENS E AS MULHERES SE ENTREOLHAM) E se aqui existirem tais mulheres que se retirem agora! Eu não aceitarei seu dinheiro e suas indecências serão reveladas à mim. Se conheci não me lembro e se alguma vez me lembrei. Não conheço. O único que não se divertia ali era Till. Deus abençoe a vocês todos e tenha dó de mim. Não conheci. (MÃE SAI CORRENDO) Cena 11 – Till retoma suas andanças. (ERGUE O CRÂNIO E REPETE O NOME DO SANTO. GRITA COMO PASTOR) As adúlteras saiam! Revele a mim San Brendan os pecados delas! As . ele percorria outros caminhos decidido a recuperar sua consciência. (TILL PORTANDO NUMA DAS MÃOS UM CRÂNIO HUMANO PREGA A UMA MULTIDÃO) TILL Expulso demônios. Dizem que o demônio se divertia com as ciladas que armava para levar Till ao desespero. sou despachante das graças divinas. E ele pensou que a falta de consciência talvez fosse a explicação para aquela sensação de vazio. CAMPONÊS 2 Em sua aldeia Till anda meio tristonho. já esqueci. CAMPONÊS 3 E enquanto nós procurávamos Till para lhe arrancar o couro do lombo. Naquela época ainda não existiam bancos mas não sabemos o que é pior. (TILL EMBURRADO DÁ DE OMBROS) Por que nem a consciência do que fazia ele tinha. nem sob a dor da morte. volta e meia lhe vem a sensação de um buraco na cabeça e de um segundo buraco na alma. CAMPONÊS 3 CAMPONÊS 1 CAMPONÊS 2 Dizem também que Deus se regozijava em submetê-lo a todas essas provas para provar a qualidade da fé e da resistência dessa sua criatura.

Onde estão indo. UM APÓS O . Enfrentamos as agruras do sol. O POVO MANTÉM-SE EM EXPECTATIVA) Maria? Isabel? Quem? Não? (AO POVO) Silêncio que não estou ouvindo direito! ( AS MULHERES ASSUSTADAS RAPIDAMENTE SE DESFAZEM DE SUAS MOEDAS OU JÓIAS.. tudo roxo de comer beterrabas! TILL BORROMEU TILL Agora sei que Deus quis que me perdesse de meus servos. encontrou os três cegos que se dirigiam a Jerusalém. meu Deus! Ninguém respeita mais nada! O que me dá raiva nesse tipo de gente é quando eles têm as idéias antes de mim. E isso foi a salvação de vocês. Porque não usam cajados? Nos roubaram enquanto a gente dormia. (ENTRAM OS CEGOS CANTANDO) CEGOS Quando virmos as torres de Jerusalém Estaremos além da miséria do mundo No fundo da alma com Deus. Que tempo! Que mundo. ALCEU BORROMEU Até perder a conta foram seis milhões e quatrocentos e treze mil passos. com a graça de Deus? DOROTEU Há seis meses estamos tentando nos juntar a uma cruzada para libertar o Santo Sepulcro. (PÕE A LÍNGUA À MOSTRA) Veja. Boa tarde e obrigado pelo aviso. afinal Além do cansaço. TILL ALCEU TILL BORROMEU TILL Olha o buraco! (CEGOS PARAM ABRUPTAMENTE E TATEANDO O CHÃO COM OS PÉS FAZEM UMA GRANDE CURVA. esôfago. És um senhor de terras? Juro em Deus que tudo é meu até onde nossa vista alcança. enganador continuou suas andanças. PEGAM DINHEIRO DE SEUS MARIDOS E DOAM PARA PROVAR QUE SÃO PURAS. Caí e meu cavalo desembestou. Estamos cansados e com frio. TILL OFERECE O CRÂNIO PARA SER BEIJADO. intestinos grosso e fino e até o “cujo”.) Boa tarde. estômago. (FECHA OU TAPA OS OLHOS PARA NÃO JURAR EM FALSO. intrujão. embrulhão.31 puras cumpram o pedido do santo.. do abraço do Mal. E um dia. OS CEGOS. senhor.) CAMPONÊS 1 E carregado de jóias e dinheiro o larápio.. (TILL FAZ EXPRESSÕES DE QUEM OUVE ALGO REVELADOR OU LIBIDINOSO. senhor! Roxa! A língua. a faringe. num caminho. da chuva..

(INDICA A ENTRADA DO DONO DA ESTALAGEM NA DIREÇÃO CONTRÁRIA DE QUE O HOMEM EFETIVAMENTE ENTRA) DONO ALCEU DOROTEU BORROMEU DONO BORROMEU DOROTEU ALCEU DONO BORROMEU DOROTEU BORROMEU As suas despesas já alcançaram doze moedas. ai! Chega dessa brincadeira e pague. Será suficiente para passarem o melhor inverno de suas vidas. ai. (VOLTAM-SE E CAMINHAM À SAÍDA) Ei! E o dinheiro? Você não pagou. meus caros senhores. em direção à cidade.) Vão e se hospedem na estalagem da cidade. quem estiver com o dinheiro! Está com você. Ai. (TILL NÃO ENTREGA A BOLSA DE MOEDAS. LOGO ESTENDEM AS MÃOS NUM PEDIDO DE ESMOLA. dormiram durante todo o inverno.. enchendo as árvores de folhas e o mundo de vida. ai. ai.. De volta às beterrabas! Vamos! Com sorte a gente encontra outra boa alma. E o sol da primavera chegou secando os caminhos. AO CONTRÁRIO. Até mais ver. não! O dinheiro não estava com o Alceu? Comigo? Seria capaz de jurar que o dinheiro estava com o Borromeu. senhor. (ESTENDE A MÃO PARA RECEBER O DINHEIRO. TILL TIRA UM SACO DE MOEDAS E AS CHOCALHA) Tenho doze moedas pra vocês.) Muito obrigado. GUARDA-A. beberam. Doroteu? Eu. pisando contentes no que não viam. Haviam combinado com o dono da estalagem de ali permanecerem até os gastos chegarem à doze moedas. E aumente o que já tem. (SAI) ALCEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU ALCEU BORROMEU Deus lhe pague. E é isso que aquele homem vem anunciar. senhor. .32 OUTRO. aquecidos e alimentados. O que é bom dura pouco. (CEGOS REPETEM O JOGO DE NARRAR PARA QUALQUER LUGAR MENOS EM DIREÇÃO AO PÚBLICO) E os três cegos foram tateando alegres. Doroteu! Pois eu acho que você pegou o dinheiro! Juro por este sol que brilha. EM SEU PRÓPRIO ALFORJE. Isso! Guarda com cuidado. Comeram. DE NOVO. tropeçando de felicidade. Lá se hospedaram na única e melhor estalagem do lugar.

Um mês depois um senhor veio falar comigo. Foi quando o dono da estalagem farejando golpe. seu padre! O senhor não resolve o caso da estalagem? Fala com ela. começou a desavença entre os três: foi acusação. “cospe aqui se você é homem!“ que degenerou em briga feia. o gerente da minha estalagem ‘tá endemoniado! O homem bufa e não é sapo. baba e não é boi. A coisa não pode ser assim! Preciso estudar o caso. Corre. E senhor aceitaria alguma garantia da dívida? Se alguém me der uma garantia que receberei meu dinheiro eu solto a cegalhada. senhor! E. minha senhora. depois com ameaças e finalmente espremendo os cegos e gritando que o dinheiro ia sair ou pela goela ou por orifícios menos nobres! ALCEU DONO TILL DONO TILL DONO TILL O homem nos prendeu num estábulo e disse que só nos libertaria quando pagássemos o prejuízo! Mas a história ainda não chegou ao fim. deixa comigo. O senhor garante? (PADRE ASSENTE) Então.33 DONO ALCEU DOROTEU BORROMEU DONO O dia está nublado. fala uma língua estranha e não é economista. que depois eu vim saber que era Till. Fica tranquila. padre. Mas não está certo. E a idéia lhe veio pronta. xingamento. E Till andando pela cidade encontrou um padre. TILL SAI FAZENDO GESTOS DE QUEM LIMPA A MÃOS) MULHER Marido! Marido! O padre vai pagar a conta! . Fomos todos enganados mas não posso ficar no prejuízo. padre! Tá precisando de exorcismo. consultar o bispo. Em dois dias resolvo o problema do seu marido! Está vendo? Ele dá garantia. Dentro de dois dias eu vou. vou chamar a mulher dele e o senhor mesmo fala isso a ela. Então. me trouxe às pressas até a casa do padre! Da porta gritou: Ó. chute que ninguém via nem queria saber onde acertava. tentou arrancar o dinheiro que lhe deviam. aí. (MULHER GRITA DE CONTENTAMENTO E SAI CORRENDO. eu pago doze moedas! PADRE TILL MULHER TILL PADRE TILL Pagar ajuda mas não resolve. às cegas. entre os cegos. (ENTRA A MULHER) Aquele homem. Primeiro por bem. Padre. Como é que os senhor tranca três cegos num estábulo? Não tem compaixão? Tenho. Era soco. Quando cansaram chegaram à conclusão que tinham sido enganados. Eu não sabia que era o Till.

O marido gritou. chegou. DONO MULHER PADRE MULHER PADRE MULHER PADRE MULHER PADRE Mas a história ainda não chegou ao fim. chegou. outros tantos beliscões. Borromeu! (AO DONO) Experimenta! Experimenta nele porque eu já fui embora! (ALCEU PEGA A MULHER PELO BRAÇO) Vamos. rua! O senhor não pode nos tratar assim! Se quiser posso também lhe dar umas bordoadas antes de expulsar! Vam’bora. nem mudo nunca quis contar! (IRRITADO) Mesmo porque nunca encontramos platéia. aí!” DONO Eu. vai buscar minha garantia na casa do padre! A mulher correu. gritei por meus amigos também.34 DONO BORROMEU DONO DOROTEU BORROMEU DOROTEU ALCEU DOROTEU MULHER Deus seja louvado! (AOS CEGOS) Vocês. cinco ou sete cachações. foi pororoca. (SAI ENTRE MAGOADO E IRRITADO COM A PLATÉIA) . correu. Vieram. aleja. contou. Mulher. que quisesse ouvir. o marido gritou. foi pandemônio! Dessa vez pega. foi sururu. Alceu! Coisa à toa eu mostro quem é! Resumindo: os cegos levaram dois ou três pescoções. E. Mas antes de chegar armado de pau eu juntei meus vizinhos: “acode gente. meu marido mandou o senhor acertar a garantia! Traga-o aqui para expulsar o demônio. mata. gritou: Padre. Foi coisa que nem cego quis ver. não! Paga o que nos deve! Como paga? A senhora está demoniada também? (MULHER GRITA E CORRE AO MARIDO) A mulher gritou. oito ou dez empurrões e no final de tudo. arreganhando toda. esfola foi só o começo. se rindo. correu. Como pagar? O senhor está louco? Seu marido não está demoniado? Não me embrulha. a mulher chorou. Até hoje. que o homem possuído vem vindo. bateu. Borromeu! (PENSANDO TRATAR-SE DE BORROMEU) Deixa essa coisa à toa aí. assim. quando vi aquele monte de gente querendo me pegar. a história das minhas dores e desgraças até o fim. aí. vários trompaços. Que demônio? E o dinheiro? Pode me pagar agora ou depois. Fim. com alma tão sádica e doentia. alguns croques. tudo ficou em paz.

DOIS CAMPONESES ENTRAM CARREGANDO INSTRUMENTOS DE TRABALHO..) Ah!. O OUTRO FAZ GESTOS DE SILÊNCIO. diabo! (CAMPONÊS AFASTA-SE GANINDO. É assim que se domina cachorro. DO OUTRO LADO. BORROMEU CHUTA. do abraço do Mal.. Eu não enxergo. OS CEGOS ENTRAM CANTANDO. sua besta! Eu sei mas o cachorro não sabe. seiscentos e dezessete mil passos até aqui. CEGOS ASSUSTAM-SE. (PAUSA) Pronto.Além do cansaço. sua mula! (BORROMEU PROCURA FIXAR O “CÃO” AO MESMO TEMPO EM QUE FAZ CARA TERRÍVEL.) Acertei! Cachorro eu trato é no pau! (O OUTRO CAMPONÊS QUE FICOU A FRENTE DOS CEGOS LATE UM LATIDO GROSSO. totó! (CAMPONÊS PUXA A FRANJA DA VESTE DE BORROMEU.) Graças a Deus! É só gente-cachorra! (CAMPONESES SAEM) BORROMEU DOROTEU ALCEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU Eu estou cheio de ser cego! Cheio estou eu de ser cego e de ser guiado por um cego mais cego que eu! Não agüento mais andar pra lugar nenhum! Seis milhões. não. (APAVORADO E COM RAIVA) Melhorou bastante. meu Deus! É um pitt-bull! (CAMPONÊS ROSNA) ALCEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU É. AO FINAL AMBOS CAEM NA GARGALHADA. UM DOS CAMPONESES SE APROXIMA. CEGOS .35 Cena 12 – A deposição de Borromeu. Acho que já foi! (CAMPONÊS LATE. estou cheio de qualquer tipo de guia! Você deixe de rebelião! Respeite minha autoridade! Quem te deu autoridade? . idiota! Ninguém se mexe nem corre que é pior! Olha direto no olho dele. UM DOS CAMPONÊSES TENTA SEGURAR O RISO.) Não fala nada! Só olha! Isso mesmo! Está olhando como imagino que você deveria estar olhando? BORROMEU ALCEU Acho que sim. Pelo rosnado é só um rothweiller.) Sai. Aliás. BORROMEU CHUTA TENTANDO AFASTAR O CACHORRO) BORROMEU Sai. ABAIXA-SE E EMITE UM LATIDO FINO.” (OS CAMPONESES VÊEM OS CEGOS E SE PÕEM EM SILÊNCIO.

Alceu? (INSEGURO) Não sei. Então. Vou lhe mostrar uma coisa. Não. Alceu. (TIRA UMA FACA DA CINTURA) Olha! (BORROMEU QUE ESTÁ AO LADO E IA PEGAR DOROTEU.) BORROMEU Eu te pego. PARA O MOVIMENTO E SE COLOCA ATENTO. SENTAM-SE PRÓXIMOS. É. MOSTRA A BUNDA E REBOLA COMO CRIANÇA PARA BORROMEU. . CANTA. Cada um suporta o seu destino.36 BORROMEU ALCEU BORROMEU DOROTEU Autoridade não se dá! Autoridade se impõe. Os rebeldes acabam sempre na forca como os hereges acabam na fogueira. DOROTEU LATE. Deus fez as coisas assim.) DOROTEU ALCEU DOROTEU (BAIXO) Alceu! Você está aqui. Fala-se em guerra. revoltas. Não enxergo mas ouço bem. ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU Uma faca! Que vai fazer Doroteu? Há anos suportamos a tirania de Borromeu. Só sei que o mundo está mudando. E essa faca? Vou matar Borromeu! (BORROMEU ARREGALA OS OLHOS CEGOS) Por que? Por que estamos todos cansados de senhores! (BORROMEU SE AFASTA SEM SILÊNCIO) Preciso da sua ajuda. sempre foi.. Heresia! Não sei. Ultimamente tenho ouvido coisas que não ouvia quando era criança. É só questão de tempo. Sente. vai acontecer uma grande mudança no mundo. nem meu avô. ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU Como mudar? E Deus? E o destino? Um dos dois vai ter de mudar. DENUNCIA SUA PRESENÇA E DEPOIS AFASTA-SE DO LUGAR. nem meu pai ouvia quando criança. por perto? Do seu lado. (ANDAM E SENTAM-SE E EMBORA NÃO QUEIRAM.) Aqui. me respeite ou eu te enforco como fazem os senhores com os camponeses rebeldes! Vem me pegar! (BORROMEU CORRE ME DIREÇÃO DA VOZ MAS DOROTEU JÁ SE AFASTOU.. sua besta! Eu sou a autoridade de nós três! Não sou. ALCEU TATEIA A PROCURA DO OBJETO.

Alceu. (DOROTEU CORRE E TROMBA COM ALCEU.) O destino do homem é dado por Deus e não muda! Alceu! Alceu! Vá! E faça bom proveito das chamas do inferno. Alceu. Borromeu! (DOROTEU CORRE EM DIREÇÃO À VOZ. (ALCEU ASSUSTADO BANDEIA-SE PARA O LADO DE DOROTEU. corrupção e cegueira. NO GERAL É PURO LATINÓRIO. Alceu! Vê bem. O mundo sempre é igual: é miséria. (SAI CANTANDO. O mundo muda....) Alceu. O PAPA DEVERÁ REZAR O TEMPO EM QUE DURAR A MISSA. Quando um cego guia outro ambos caem no buraco! Melhor estou eu. Alceu! Eu lhe prometo chegar a Jerusalém. O PAPA PARAMENTADO OFICIA A MISSA AJUDADO POR DOIS CARDEAIS. Alceu. Et ego non sum . PAPA In diébus illis dixit Jeremias: Dómine... seja que raio de lugar é esse. como todos os .. O PAPA FALA EM LATIM APENAS ALGUMAS FRASES. Doroteu! (RI) Você nunca vai me pegar! Está bem! Mas lhe retiro a chefia.. Algumas vezes foi visto triste. (LATINÓRIO) Úbi est vérbi Dómini? Veniat. vivo. omnes Qui te derelinquunt. Alceu. conseguir o milagre da visão e o paraíso. ) Ai.37 BORROMEU DOROTEU (À DISTÂNCIA) Ahá! Não há nada no mundo tão encoberto que um dia não venha à luz! Principalmente as conspirações! Vou agora lhe denunciar! Você não sai desse lugar. Alceu.. “Quando eu vir as torres de Jerusalém. triste. É como sempre foi. JÁ NOS BASTIDORES OUVE-SE BARULHO DE QUEDA. confundétur. OS DOIS SAEM. Você vai seguir um herege! As coisas mudam.(LATINÓRIO E ASSIM AD LIBITUM) CARDEAL 1 Till Eulenspiegel era cada vez mais acossado pela melancolia. BORROMEU DOROTEU ALCEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU Alceu nunca vai me trair! Ele está do meu lado. BORROMEU SE AFASTA. sozinho. me ajude a pegá-lo. SEGURA-O ) Agora você não escapa! Sou eu. Está deposto do cargo de guia! Vamos. percorrendo as estradas do mundo. (LATINÓRIO) Quod egréssum est de lábiis meis. MESMO ENQUANTO OUTROS NARRAM. Fica comigo. E. E se muda é só no rumo da decadência e da morte! Assim é o mundo. bosta! Cena 13 – Till é recebido pelo papa. Quer lhe comprar como se compram indulgências.

debruada em prata. ) CARDEAL 2 Fiquei chocado com aquele desconhecido que virava as costas nos momentos mais importantes do culto. trazia sua consciência prisioneira. de respeito. O QUE CHAMA A ATENÇÃO DO PAPA E DOS CARDEAIS QUE SE ENTREOLHAM. proclamando a sentença. fogo e luzes para queimar o herege! Que acha. (AO PAPA) É um herege! E deve queimar muito bem numa fogueira! CARDEAL 1 CARDEAL PAPA MULHER TILL MULHER (AO PAPA) Se quiser já mando erguer agora. (CHORA) E agora isso! Que foi que esse diabo fez? CARDEAL 2 Imagina: duas colunas com doze guardas suíços vestidos de púrpura. um arauto. Duvidei. se não for herege o que é? Tragam esse homem até a minha presença. Chegou sem um tostão e imaginando que aqui pudesse saber do paradeiro do diabo que. Till acabou vindo dar na cidade santa.38 caminhos levam a Roma. me reuni com o papa e outro cardeal. como sabemos. meu Deus do céu! (CHORA) O que vai ser de mim! (PARA O PÚBLICO) Calma que eu explico! (CHORA UM POUCO MAIS) Sou a dona de um hotel familiar. Duzentos jovens portando lanternas iluminando a noite. milhares de pessoas na praça. E mais trinta se conseguisse que eu também falasse com o papa. Se eu que moro aqui há anos nunca pude nem chegar perto do papa! Ele apostou. que tem aqui em Roma. eu aceitei: cinqüenta moedas. Na frente. Aí. senhor? Estão me levando preso por ordem do papa. QUANDO O PAPA CONTINUA A MISSA TILL CONTINUA A ASSISTIR AO CULTO MAS QUANDO O PAPA ERGUE O OSTENSÓRIO TILL VOLTA NOVAMENTE AS COSTAS AO PAPA E AOS CARDEAIS. de verdade. Terminada a missa.) (ASSUSTADA) Que é isso. Um espetáculo de cor. Vamos queimar já! E. santo padre? . VIRA-LHE AS COSTAS. (SAEM) Ai. instala-se em meu hotel e fala que vai conversar com o papa. com uma capa vermelha bordada com fios de ouro. Chegou uma partida de pinho de riga que cheira que é uma beleza quando queima herege. (ENTRA TILL PRESTA UM POUCO DE ATENÇÃO A MISSA E QUANDO O PAPA ABENÇOA OS FIÉIS. santo padre. depois. me chega esse sujeito vindo não sei de onde. (DOIS GUARDAS PEGAM TILL PELOS BRAÇOS.

Que espécie de cristão você é. Prefiro algo mais delicado. Aquele salafrário. uma herege também. Quem sabe até uma bruxa! (DOIS GUARDAS AGARRAM A MULHER) Tragam a mulher também. como eu. E de que espécie de crenças estranhas é feita a sua fé? Da mesma espécie que tem a dona do hotel onde estou instalado. Penso até que nem devia encarar vossa santidade. desapareceu. meu Deus. E vai nos obedecer se mandarmos a senhora marchar direto para a fogueira? Ai! Mas porque eminência? (A TILL) Porque o senhor virou as costas quando mostrei o ostensório? Porque sou pecador. sintético e refinado como convém à Arte: um machado afiado. que depois vim saber chamar-se Till Eulenspiegel. AO PAPA) Não daria para dar uma tostada nele só por ter nos feito imaginar que ele fosse o que não era? Só prá não perder o trabalho. nem frustrar nossa expectativa? MULHER O papa. Obedeço até o sacristão e os coroinhas se for preciso. nem descreio. Não duvido. um belo pescoço e pronto! (ENTRA TILL TRAZIDO PELOS GUARDAS) CARDEAL 2 CARDEAL 1 PAPA TILL PAPA TILL CARDEAL 1 PAPA MULHER PAPA MULHER CARDEAL 1 MULHER CARDEAL 2 MULHER PAPA TILL (CONTENTE) Chegou o homem! Já aviso que não adianta pedir clemência. (AOS CARDEAIS) nem vossas eminências. o papa. Uma cúmplice. . os bispos. não é digno de olhar o momento mais sagrado da missa. Dizem até que de Roma foi direto encontrar-se com o demônio. (CHORA) Ah. graças aos céus. Assino e dou fé se for preciso. o que fez aquele desgraçado! Em que enrascada me meteu? (APRESENTA-SE AO PAPA) Qual é a sua fé. santidade. nos mandou embora e eu tive de morrer com oitenta moedas. mais conciso. Que espécie de cristã? Daquela que obedece Deus.39 CARDEAL 1 Não gosto desses grandes shows populares. meu senhor? Da espécie boa. sem confissão. senhora? Sou cristã. CARDEAL 2 Só isso? Não é herege? Nem impenitente? (TILL NEGA COM A CABEÇA. os padres. E um pecador.

Isso dá trauma! MÃE Mas do que sou acusada? Eu só estava procurando o Till. (MÃE FICA PERPLEXA E ASSUSTADA AO VER AQUELAS PESSOAS QUE À SUA VOLTA MONTAM A CENA DE JULGAMENTO DELA PRÓPRIA.40 Cena 14 – Tem filho que é melhor deixar perdido. Ouvi dizer também que vendeu pote de bosta como doce de leite. ENTRA MÃE E CHAMA EM SURDINA. graças aos céus. FELIZ COM UM ARCHOTE. Aquilo foi me dando raiva.) Mas não adiantou. Repita assim mesmo. que sou prefeito. a gordura do leite como se fosse manteiga. Aquele salafrário. TESTEMUNHAS E MEIRINHO. mostrou a bunda três vezes para riso e galhofa do populacho.. os grumos do leite como se fosse coalhada e o leite endurecido como se fosse queijo! CARRASCO E assim foi. Todos já ouviram. (REVOLTADA) Vendeu leite azedo como se fosse iogurte. Till roubou doce de criança. Não duvido. Dizem até que de Roma foi direto encontrar-se com o demônio. sente ódio. Assino e dou fé se for preciso. não pode se reprimir. Entre a primeira testemunha. desapareceu. (REPETE MEIO DE SACO CHEIO O TEXTO ANTERIOR COM A MESMA INFLEXÃO E GESTOS ) O papa. MÃE Till! Till! A mãe de Till vagava pelo mundo à procura do filho mas para não se comprometer não ousava gritar alto o nome do filho. muitas das quais vocês já conhecem. dentadura de velho. a gente é humano. A mim. óculos de míope. . (ENTRA A MULHER DA CENA ANTERIOR) MULHER JUIZ MULHER O que tenho a dizer já é conhecido de todo mundo. (REFERINDO-SE À MÃE) Mas olha! Olha a cara da pilantra! Da semvergonha! E foi me dando uma vontade de dar uns cascudos naquela mulher! Puxa vida! Pô. JUIZ Está aberta a sessão para o julgamento dessa mulher como cúmplice do embusteiro Till Eulenspiegel. ENTRA TAMBÉM UM CARRASCO. (ENTRAM JUIZ. tem carências.. que depois vim saber chamar-se Till Eulenspiegel. nem descreio. HOMEM 1 HOMEM 2 MULHER 2 Do que eu sei. nos mandou embora e eu tive de morrer com oitenta moedas. Horas e horas de depoimentos e testemunhos das falcatruas e safadezas de Till.

ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU ALCEU DOROTEU ALCEU Que está acontecendo? Alguma festa. se não era cúmplice? E que.) Cena 15 – Em terra de cego. Catorze milhões. não tinha pensado nisso.. Está bem. trezentos e cinquenta e três passos. Nós vamos dar um jeito nisso! Está condenada a trabalhos forçados até arranjar dinheiro suficiente para pagar os custos cerimônia. senti que estava num mundo diferente. Peguei a taça. incriminada. ENQUANTO O CORTEJO SAI. Estava perdido num bosque e fui tateando. Entrei e. Doroteu! Um lado do ... CARRASCO SEGURA MÃE E TODOS SEGUEM NUM CORTEJO RITMADO. enchi de água e levei à boca. é! Eu não sabia.. Não terei mais filhos. oitocentos e treze mil. VEZ POR OUTRA A MÃE EMITE UM LAMENTO DOLOROSO E CÔMICO. Continuei a andar e tropecei em taças de cristal que estavam no chão. E como a gente ia encontrar as placas? É. O lugar é muito mal sinalizado. ENTRAM OS CEGOS DOROTEU E ALCEU. não sabia? E ter filhos é crime? Um filho como Till. lenha e álcool da fogueira que vai te queimar! ( PRESENTES COMEÇAM A CANTAR ALGO COMO UMA MARCHA SOLENE. tateando até que achei uma abertura nas folhagens. Ouvi um córrego. (ESPANTO ENTRE OS PRESENTES) Indiciada. (SENTAM-SE) Estamos sem rumo. Tive outro sonho. Então fique sabendo que o desconhecimento da lei não impede a punição do crime. Queria sonhar como você mas tudo o que vejo no meu sono é uma névoa branca. Till é meu filho. Estive pensando: eles deviam fazer placas em braille. aí. Era vinho.41 JUIZ MÃE JUIZ MÃE JUIZ MÃE JUIZ MÃE JUIZ MÃE JUIZ Ahá! E por que? Por que estava procurando se não era para fazer malefícios... condenada! Mas que culpa tive? Nunca fez psicanálise? A culpa é sempre dos pais.

as casas eram feitas de doce. Havia mulheres nuas. distinguir. tão dadas. tão contente. Benditos são os seus sonhos. Alceu! Onde será que está Borromeu? ( COM EUFORIA ABRE OS BRAÇOS EM DIREÇÃO AOS DOIS) Alceu! Doroteu! Que quer? Somos inimigos! São coisas passadas. em cada vilarejo de cada canto desse mundo! Vamos voltar a ser um trio. (ENTRA BORROMEU. a terra das delícias. OUVE O NARRATIVA DE ALCEU E SE APROXIMA EM SILÊNCIO ) Lá ninguém envelhecia nem morria. Saí e. cheirosas e carinhosas. as areias eram de queijo. E estão perdidos! Não estamos! Só não tenho certeza de onde viemos e não sei ao certo pra onde vamos. A farinha tinha três espécies: crua. carnes assadas. de farinha de mandioca. Verdade. Corri atrás de vocês esse tempo todo para lhe dar a boa notícia. Vê? Do verbo ver? De olhar.. E o mundo começou aparecer. o outro era vinho tinto! Levantei maravilhado e trombei com uma árvore. sou cego. de coco ralado. Verdade? Pode acreditar.. A casca do tronco era massa folheada e os frutos eram peixes fritos. Mas nem lascando! Estamos muito bem eu e o Alceu. Mentira. vislumbrar? Vejo! Um santo homem me apareceu num caminho. que pensei em vir chamar você e Borromeu. nunca mais consegui achar a abertura. Alceu? E aí que fiquei tão feliz. nem guerra. nem miséria.(SUSPIRA TRISTE) DOROTEU ALCEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU BORROMEU DOROTEU E. pô!.. E eu sou o líder. Não havia trabalho. A relva é verde! (IRRITADO) E que diabo é verde? . Há meses procuro por vocês em cada estrada. torrada e farofa de miúdos. enxergar. porque cego não corre.42 córrego era vinho branco.. nem revoltas. molhou meu olhos com saliva e sumiu. tudo era farto e de graça. porque agora eu vejo. DOROTEU ALCEU Que diabo de lugar é esse. aí. Alceu? Me disseram que se chamava Cocanha. queijos variados.

vamos à Jerusalém... Um rosto simétrico como uma pintura de Giotto. lá! Então. . o demônio! O Demônio era um Diabo tão feio que parecia o Capeta que era o Coisa-ruim escrito e quando se olhava no espelho via a imagem de Satanás. ali. indescritível! E por que voltou? Foi o que me impôs o santo homem: Agora que vejo. devo guiar vocês até o fim da vida. E como são? São algo assim. Cena 16 – Talvez seja bom mas é difícil ter consciência.. (OUVE-SE UM GEMIDO E UMA GARGALHADA FORA) E. TILL ENTRA DEVAGAR OLHANDO EM VOLTA. COM BORROMEU À FRENTE. meus amigos. (MARAVILHADO) Você viu as pinturas de Giotto? E as catedrais. ( BORROMEU À SAÍDA TROMBA COM A PAREDE DO TEATRO MAS NÃO SE DÁ POR ACHADO. TILL SE CALA E SE ASSUSTA) DEMÔNIO TILL Quer entrar? Não lhe esperava tão cedo. Doroteu! Melhor do que pensava minha reconhecida imaginação.. eu agradecer a visão. feição sem tirar nem por do Demônio que era um Diabo tão feio que parecia o Capeta que era o Coisa-ruim escrito. (AMEDRONTADO) Volto outra hora. tanto perguntou. não quero importunar. Se vocês aceitarem. TILL Till tanto procurou. Borromeu! Vá.) Um pouco mais à direita que à esquerda tem um muro. tanto fuçou que acabou achando numa encruzilhada a boca do inferno. ASSUSTADO... os palácios. Bem vindo. irmão gêmeo de Belzebu que era a cara cuspida e escarrada de Satã. As nuvens são brancas e as matas vistas daqui vão em vários tons de verde até o azul das montanhas! Como é lindo o amarelo da flor do ipê! ALCEU DOROTEU BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU ALCEU DOROTEU BORROMEU Puxa! Se você enxerga mesmo como é que eu sou? Muito bem apessoado..43 BORROMEU É uma cor intermediária entre o azul e amarelo. (OS CEGOS EM FILA. (ENTRA O DEMÔNIO.. CANTAM) CEGOS BORROMEU “Quando virmos as torres de Jerusalém. Vocês vão buscar seus olhos.

Sexta. Agora. Eu. O demônio franziu o cenho e pensou: que raça de gente é essa que tiramos tudo e ainda nos lança um olhar de desafio? Não era desafio. Onde é o centro do mundo? TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL Se o mundo é redondo como dizem o centro do mundo é aqui. o que foi tomado pelo Demônio como um desafio. fica! Que quer? Till pensou em dizer algum coisa engraçada. imaginou. o demônio. Till ficou petrificado. caiu como pedra e lhe embrulhou o estômago. pasmado.44 DEMÔNIO TILL Já que veio. Quer sua consciência de volta? Que negócio me propõe? Uma aposta.. cogitou e raciocinou. Quarta. Terça. já tinha aquela alma nas mãos. uma galhofa mas não lhe ocorreu nada. E a massa pesada do medo que lhe oprimia o cérebro desceu apertando o peito. pede algo que eu não possa fazer (RI) Till refletiu. um chiste. Sábado e Domingo. Quantos dias se passaram da época de Adão até hoje? Sete dias. saiu na forma de um sonoro pum! (O ROSTO DE TILL SE . ganhou os intestinos e. meditou. era força pra manter arroxada a arruela do fim dos intestinos. O demônio rosnou. não. DEMÔNIO TILL E Till começou a entrar em desespero para alegria do Demônio. Era só questão de tempo.. Quinta. o que foi entendido pelo Demônio como coragem. (OLHA PARA TILL QUE ENCARANDO O DEMÔNIO FAZ UM ESFORÇO ENORME PARA SUSTENTAR O PRÓPRIO INTESTINO COM ÓBVIOS RESULTADOS CÔMICOS) Aquele olhar me irritou e resolvi colocar o homenzinho no lugar dele! Aceito! Responda três perguntas e me peça uma coisa que eu não possa fazer. DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL DEMÔNIO O demônio emitiu um rosnado terrível que calou todo o inferno. Espremeu o pouco cérebro que tinha mas não conseguiu pensar em coisa alguma que o diabo não pudesse fazer. De tanto medo nem piscou o olho. daí. Segunda. gente. Ficou paralisado. E agora? Caga na mão e joga fora! (DEMÔNIO ROSNA DE RAIVA) Saiu-se bem. Till ia cair em desespero e eu ganhar a aposta com Deus mas aquele olhar de desafio. por força da gravidade.

para ter um pouco de sossego. ALEIJADOS. CONSCIÊNCIA Bate na boca! Não me fale nem por brincadeira uma coisa dessas! TILL Tentou adormecer.) Três meses! Às vezes eu penso que é melhor não ter consciência. doentes. na alma dos vagabundos. condenada? Olhaí! Você tá gritando na praça. perambulavam pelas cidades. gente sem fé no dia de amanhã. FALANDO. ficou surdo à voz de sua consciência e adormeceu. achou campo fértil para sua pregação. afogar sua consciência mas ela não tinha sono. (COMEÇAM A ENTRAR MISERÁVEIS. (TURBA QUE SE FORMOU ACLAMA CONFUSAMENTE A CONSCIÊNCIA DE TILL) CONSCIÊNCIA (NARRANDO COMO SE DISCURSASSE EM ALTOS BRADOS) E a consciência de Till propôs sublevações. revoltas. era abstêmia e sabia nadar muito bem. Till? Que é que você está fazendo que ainda não está chorando de remorso? Quantas sacanagens você fez? (TILL SAI IRRITADO E RESMUNGADO COM SUA CONSCIÊNCIA ATRÁS. então. olhou ao redor e não gostou do que viu: naquela idade média. TILL TILL SOLDADO TODOS TILL (ACORDANDO) Que é isso? Que que está fazendo. RETORNAM POR OUTRO LUGAR. ETC) CONSCIÊNCIA Então. a consciência de Till. Gritou tanto que Till acordou. Todo mundo correu. expulsos pela fome e miséria. embebedar.) TILL Eu só faço besteira mesmo! (TILL E CONSCIÊNCIA SAEM DEIXANDO O PALCO VAZIO. fogueira! Isso vai feder! (ENTRA UM SOLDADO) De quem é essa consciência? Do Till! Não tenho vínculo empregatício! Ela é autônoma! Não me responsabilizo pelas opiniões que ela emite! Jacaré ouviu? Nem o soldado. desocupados. CONSCIÊNCIA CONTINUA RESMUNGANDO ATRÁS DE TILL.45 ILUMINA E ELE APONTA ATRÁS DE SI) Pinta de vermelho! ( O DEMÔNIO GRITA E SAI. camponeses famintos. intranqüilizou os palácios. EM SEU LUGAR SURGE A CONSCIÊNCIA ) CONSCIÊNCIA Seu idiota! Viu no que deu? Não lhe falei que era melhor morrer com a consciência tranqüila? Você não tem vergonha na cara. nem os outros que vieram atrás deles. ameaçou os senhores feudais. juntando gente! Isso dá cadeia. velhos sem amparo. Till. clamou por mudanças. (TODOS CORREM PARA FORA CONSCIÊNCIA Se você não quer me ouvir tem quem quer! .

46 INCLUSIVE TILL E A CONSCIÊNCIA. Agora. Sorte nossa. escapei e corri meio fumegante por entre o povo pasmado. Você me mata do coração! Eu ainda morro por sua causa e aí você vai me dar valor! Mas aí não vai ter jeito porque mãe é só uma! Estou muito doente. ancho e profundo. um tralha.) ALEIJADO (CHOROSO) Eu fiquei. DOS CABELOS EMARANHADOS E ARREPIADOS SAI FUMAÇA.. bem longe fazendo safadeza em outras cidades para a gente saber e rir.. TILL Depois de correr cinco dias. correndo atrás pra me botar as unhas e me levar de volta pro fogo porque eles gostam de bruxa bem passada! (CHORA) Eles acham que só uma bruxa poderia ter posto alguém como Till no mundo! E o pior é que eu pensaria a mesma coisa porque Till é mesmo um traste. para sua felicidade ou não. TILL CAMPONÊS MÃE TILL Mãe! (OLHAM-SE POR UNS INSTANTES.. perseguido em cada lugarejo em que era reconhecido. todo mundo. ela que me ache. assim perto. padre da inquisição.) MÃE (EXAUSTA) Gente! Quando o fogo subiu e comecei a tostar. Ia correr como? Os soldados não quiseram perder a viagem.. se enternece ao ver a imagem do filho e reage sempre da mesma forma. DEPOIS MÃE VAI LENTAMENTE EM DIREÇÃO AO FILHO) Mas coração de mãe é lhano. Deus me perdoe!. Agora.. FICA APENAS UM ALEIJADO NUM CARRINHO DE ROLIMÃ. mãe! . se quiser. Mas logo ouvi atrás de mim: “pega a bruxa!” E vi aleijado. O ROSTO E AS ROUPAS ESTÃO CHAMUSCADOS. é que ele chegou meio doente. Não dou mais um passo para procurar aquela desgraçada! CAMPONÊS Eu bem me lembro quando Till chegou... (SOLDADOS BATEM NO ALEIJADO) Cena 17 – A morte de Till TILL ENTRA CORRENDO NO PALCO. longe. Mas.. Todo mundo aqui gostava muito de Till. Till finalmente chegou à sua querida cidade natal. a gente ao alcance das sacanagens dele. (TILL COMPÕE COM GESTOS E GEMIDOS A IMAGEM CÔMICA DE UM HOMEM BASTANTE DOENTE. meio do caminho se perdeu de novo de sua consciência. MÃE ENTRA CORRENDO. povo. soldado.

(TILL EM SEU LEITO DE MORTE É RODEADO POR UM PADRE. por baixo. padre. O último ele exalou. filho. CAMPONESA Quando o corpo foi descer à sepultura uma das cordas rebentou e o corpo de Till deslizou e ficou em pé na cova. . como minha última vontade. (PESSOAS SE AFASTAM DE TILL) CAMPONESA Mas a história ainda não acabou. Quando deram fé. outra metade bebeu e riu em comemoração à sua risonha passagem pela vida. O enterro de Till foi bastante estranho. mulher gritou. SUA MÃE E CURIOSOS) PADRE TILL MÃE TILL MÃE TILL Arrependa-se. Assim enterraram Till. um tronco de árvore foi amarrado às costas de Till. E assim cobriram Till. jogada às traças. não tomar friagem. Mãe. CAMPONÊS Como era costume na época. inclusive os senhor. me arrependo de três coisas: daquilo que não fiz. Filho. quero que o senhor pegue esse o baú com todas riquezas que juntei na vida. meu filho. Padre. Metade da cidade respirou de alívio. o tronco estava amarrado na barriga de Till e sua bunda virada pra cima. me deixe um bom conselho para que me lembre sempre de você. derrubou o caixão e o corpo de Till rolou. quando cagar vire a bunda na mesma direção do vento. leve o baú como se fosse relíquia. antes de morrer. Till expirou seu penúltimo sopro de vida. (DÁ AO PADRE UM PEQUENO BAÚ) Faça uma novena. mãe! É claro! Você está sempre indo embora! Sua mãe que fique aqui. Aí o cheiro não chega ao seu nariz. deixando por um dia na casa de uma pessoa importante desta cidade. em direção à terra: o mais silencioso e mal cheiroso gás de que já se teve notícia. em direção céu.47 MÃE TILL MÃE CAMPONÊS (DÁ UNS CASCUDOS EM TILL) Já não te falei prá não andar descalço. pra cima. (AGRADECIDA) ‘tá aí uma coisa que sempre vou lembrar. Um bando de porcos invadiu seu velório na igreja e fez confusão. Ao fim dos nove dias abra e divida a riqueza entre essas pessoas. não comer porcaria? Estou de partida. sozinha! (PARA A LADAINHA E ROMPE EM CHORO) Till foi recolhido a um hospital e ainda viveu sete dias dos quais ele usou uma semana inteirinha para sacanear os mais próximos. CAMPONÊS E. gente riu. dizendo isso. daquilo que não pude fazer e daquilo que não deixaram que eu fizesse. Perante o senhor.

deixou Deus e o Diabo discutindo e foi em busca de sua consciência. No máximo meneava a cabeça numa negação. velhos. urrava. ALFANJES.. anões e desclassificados. como homem do Renascimento que era. FORMAM UM ÚNICO CORPO COMPACTO.. ainda não acabou. Encontrou Deus e o Diabo discutindo acirradamente sobre a posse da alma de Till. A alma de Till foi cobrar o saldo de sua passagem pelo mundo. PADRE Mas a história ainda não acabou. No céu. vinha marcada por nobres qualidades e vis defeitos para merecer o céu. TRAZEM UM ESTANDARTE EM FARRAPOS. espoliados. Mas Deus em sua majestosa onipotência não se abalava.” Embaixo do papel um troço de bosta! Excomungado! Até depois de morto! Cena 18 – A cruzada utópica TILL A história. (ABRE O BAÚ) Tinha um bilhete: “Às pessoas importantes da minha cidade deixo aqui toda riqueza que juntei na vida. cegos. UM ESQUELETO QUE DANÇA NA PONTA DE UMA VARA. TODOS ESSES INSTRUMENTOS SÃO VIBRADOS NO AR COMO SE O GRUPO ESTIVESSE NUMA PROCISSÃO FESTIVA OU NUMA GUERRA. Deus também não queria a alma de Till. ENTRA A CONSCIÊNCIA DE TILL SEGUIDA POR UM COMPACTO BLOCO DE MISERÁVEIS. sapateava. ESPADAS. Eulenspiegel está enterrado aqui. MANCOS. VARAS COMPRIDAS. dava pulo desse tamanho de raiva e fúria. INCLUSIVE OS TRÊS CEGOS. no entanto. DEMÔNIO TILL Pelas mesmas razões ela não pisa no inferno! E Till. Tinham medo que Till voltasse. DEMÔNIO TILL DEMÔNIO TILL O Demônio gritava. CAJADOS. Fiz a novena como o desgraçado pediu. VELHOS. aleijados. doentes. com um exército de despossuídos. . Eu perdi a aposta mas não quero saber! No meu inferno aquele ser não entra! E rosnava ameaças e maldições. Ela continuava humana demais. ALEIJADOS. Por uma semana a cidade ficou vigiando a cova. (SAI. No nono dia abrimos o baú. era por demais incompleta.) CONSCIÊNCIA A consciência de Till vagava pela terra fazendo guerra.48 CAMPONÊS Colocaram uma grande pedra em cima com um aviso: não mova esta pedra. tentando saquear os depósitos de cereais.

. Nossos homens tropeçavam nos próprios sonhos e morriam com os olhos vidrados pelo desejo de alcançá-los. Vamos chegar a Jerusalém como você uma vez sonhou. a sua mãe. nem tive o calor.. O meu sono era sempre a mesma névoa branca de vocês.. Alceu tombou gravemente ferido.. Nunca senti o cheiro.. Era só vontade. perderam várias batalhas e venceram heroicamente todas guerras que não participaram.? Eu inventava... Borromeu. é claro. Ou que conseguiram se safar antes. Mas a nossa posição está sólida. As coisas que você contava. Borromeu.. Eu nunca sonhei. (DOROTEU APÓIA ALCEU) DOROTEU Alguém pode olhar o Alceu por mim que sou cego?! (BORROMEU TATEANDO VAI AO ENCONTRO DOS DOIS E AMPARA ALCEU. escorraçados como sempre. Ouve os gritos! Eram gritos dos nossos. Nunca soube dela. Nós somos um trio. Alceu.. Não acredito. igual vocês. Borromeu. Eu nunca sonhei.... Você que enxerga.. Eu próprio não acredito! Estamos destroçando o adversário. Os inimigos nos cercaram com lanças e espadas. Deus está do nosso lado. O que era batalha começou a se tornar um desastre. BORROMEU PASSA O ESTANDARTE DE FARRAPOS A DOROTEU) BORROMEU DOROTEU ALCEU BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU DOROTEU ALCEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU BORROMEU DOROTEU Eu falei que essa merda não ia dar certo! A gente devia ter ido prá Jerusalém! Será que eu sou o único homem de visão aqui?! Mas o Alceu tinha sonhado que a gente ia vencer esta batalha. Eu vou morrer. .49 BORROMEU (ENQUANTO BORROMEU NARRA O GRUPO VAI SE ABRINDO E POUCO A POUCO SEUS INTEGRANTES VÃO CAINDO MORTOS) Lutaram com denodo e coragem. O país da Cocanha. Como nunca. nem beijei os lábios de minha mãe. Você não vai morrer. Na última. Alceu.. O general inimigo baixou a espada em sinal de rendição. Abrimos o flanco do inimigo. Para o nosso lado. Estamos revertendo. Lembro que Alceu gemeu.. qual o rumo da batalha? Não está fácil.

e vagou pela terra perdendo batalhas até a definitiva que finalmente venceria. Fim. ALCEU MORRE. se ergueu das cinzas. Borromeu. Peço a você. Como sonhou Alceu.) BORROMEU DOROTEU O corpo de Till continuou na terra ameaçando voltar. Alceu?! Só queria saber como é. me dá um beijo. o exército de rebutalhos e desclassificados. A história acabou. FIM . o que também é mito e sonho. E tudo isso é verdade pois utopia não é lugar no mundo. (BORROMEU BEIJA ALCEU. O inimigo apontou as armas para nossos corpos vivos e gritou com a fúria e a arrogância dos vencedores.. Um beijo. Que conversa é essa. depois de desbaratado. do abraço do Mal. Depois. Mas pararam para olhar a estranha cena de dois cegos se beijando. Ela não me daria. É lugar na imaginação do homem..50 BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU BORROMEU ALCEU DOROTEU O sol brilha. afinal Além do cansaço. Alceu? Nunca pedi nada à vida. A alma de Till continuou a vagar a procura de sua consciência. E por falar em utopia. A utopia é os três se encontrarem. (O EXÉRCITO MEDIEVAL SE REERGUE E CRUZA O PALCO COM ARMAS E ESTANDARTE ENQUANTO CANTAM) EXÉRCITO Quando virmos as torres de Jerusalém Estaremos além da miséria do mundo No fundo da alma com Deus.