You are on page 1of 7

O título é sociologia, o autor n me recordo Olha, o q ele realmente falou em sala foi direito vivo, racionalidade, validade da norma

na perspectiva sociologica, ordem juridica e ordem economica, solidariedade, divisão do trabalho

Vejam as questões de que falei na sala e me digam de sua complexidade. Questões para trabalho complementar 1O Realismo, como método, pensado e aplicado por Balzac e Michelet tem reflexos no mundo jurídico? De que tipo? Comente. Sim, pois ao retratar os fatos objetivamente, analisando as questões sociais com um olhar livre de abstrações presas ao passado, diminui-se o abismo entre a norma jurídica e a norma eficaz ao passo em que a norma jurídica, que é baseada em uma situação abstrata dirigida a todos, se torna mais congruente com os fatos sociais. Sim. Primeiramente, a realidade agrupa a verdade e a razão. O Realismo, por isso, procura ater-se aos fatos “tal como são”, sem corrompê-los com interpretações subjetivas ou que mascarem a realidade. Tal preceito é refletido no campo jurídico. Para os realistas, Direito é um fato. E com base nisso, e embasados em Michelet e Balzac (ambos alertaram sobre a educação como meio para se sair da menoridade e da subserviência), os realistas chamaram atenção para o que realmente acontece na sociedade.

2Pode-se dizer que observar/analisar o direito de modo realista tem suas bases, raízes, origens em autores como Balzac (na literatura) e Michelet (na crítica social). Analise em profundidade essas observações. Balzac e Michelet questionaram o presente de seu tempo quebrando a ruptura com o passado ao desprender os seus trabalhos da artificialidade do neoclassicismo e do romantismo predominante; retrataram a vida, os problemas e costumes das classes média e baixa europeias da forma mais autêntica possível (em seus trabalhos). Este método de descrever os fatos objetivamente, conhecido como realismo, fomentou a escola jusfilosófica sob o epíteto de Realismo Jurídico, dando origem a uma nova ótica (sociológica) do que é direito. Embasando assim, o pensamento no qual é definindo direito como fato social. Michelet utiliza-se do realismo quando critica, especialmente de Saint-Just e Robespierre. Crítico do período sangrento orquestrado por eles, onde o realismo era sinônimo de violência, Michelet via a educação como forma de se sair da menoridade. O objetivo da educação, para Michelet, seria o fortalecimento da fé no Estado, portanto, era necessário aprender. Já Balzac percorreu a França em busca de inspirações para seus personagens. E com isso, viu de perto a realidade francesa, retratando autenticamente a sociedade pósrevolução francesa. Com essas profundas observações, ele compôs um quadro fiel da sociedade francesa. Michelet e Balzac foram pioneiros ao analisar a sociedade em que viviam e perceberem o que o Direito deveria proporcionar (no caso, a educação). Por fim, pode-se dizer que eles foram introdutores dessa nova forma de se ver e descrever a realidade para assim, transformá-la.

3A ideia ou conceito de Reta Razão indica que a formulação do poder, do direito – da própria soberania do Estado ou do sistema legal – são construções racionais? Sim. Os mecanismos que regulam as relações sociais têm como fundamento a proteção do indivíduo e da própria coletividade; a partir do momento em que o homem tornou-se cônscio da sua incapacidade de viver isolado no meio natural desencadeou-se um processo racional onde viver em sociedade, mesmo com diversas restrições individuais, é fundamental para sua sobrevivência. A reta razão proporciona lógica nessa equação onde de um lado se

através da antecipação de possibilidades e também deve ater-se ao contexto geral das normas em conformidade com o contexto do caso particular. O pragmatista deve prever resultados. Sim. A Reta Razão seria a ponte do Estado Natural para o Estado Civil. a segurança. um fluxo contínuo da nossa racionalidade que nos liga à realidade. analisando suas ações e repetindo seus ganhos no futuro. . nele. e sim. de fato. 5- Podemos aplicar a visão ou perspectiva da veritá effettuale ao direito? A perspectiva da veritá effetuale prega a busca da verdade real e não da verdade aparente. essa influência excessiva do empirismo pode ser reduzida ao chamado Pragmatismo Jurídico. tem a finalidade de tornar possível o convívio em sociedade. ou não há soberania. Para o pragmatista. podendo ser aplicada no julgamento de casos concretos na seara trabalhista onde os fatos reais prevalecem sobre os fatos formais. empíricos. Para ele. o homem está em uma condição natural de guerra de todos contra todos. etc.). para ele. ou a soberania está no Estado. Com um contrato (ainda que abstrato). da verdade efetiva. o Pragmatismo Jurídico limita-se aos fatos sensíveis. todos abdicam de seus direitos para um legislador (também vale lembrar que Hobbes era absolutista. e não do Estado Ideal. e ele se encontra em seu estado natural do medo. negando a existência de qualquer caráter subjetivo na verdade do caso. Para isso. sem o apoio reflexivo do Realismo e do Materialismo – apesar de ser um método importante –. uma técnica decisional que não se resume á mera aplicação da norma legislada ao caso concreto. buscando historicamente as lições necessárias para os Estados futuros. E a criação desse Estado Civil seria a solução racional. mas que se oriente para uma apreciação mais acurada. onde sua preocupação mais importante é manter-se vivo. a Reta Razão sugere ao homem uma série de regras indicando o que é. que examine os fins sociais e os potenciais efeitos da deliberação. nem Estado) em busca de um bem maior (o convívio. revela-se limitado como método de “primeira verificação”. o raciocínio jurídico deve ser prático. aparentes. ou seja. No direito. sem abrir mão de seu próprio passado. Para tanto. ele interpreta a realidade passada dos Estados. Portanto. O pragmatista renega qualquer influência de conceitos abstratos. todos os contratantes abrem mão de serem “donos” de si. quase restrito às causas aparentes. e passam seus direitos para outro (absoluto) em busca de um “bem maior”. para atender as necessidades do caso.. metafísicos ou referentes ao pensamento. Com base nisso. A Reta Razão nos leva a um conhecimento verdadeiro. 4O empirismo. o Direito é um instrumento social para fins sociais. Contudo. Explique. O Pragmatismo Jurídico. a busca da verdade efetiva. Ele estava em busca de um Estado Real. etc. os mecanismos que asseguram a paz são construções racionais que. portanto. Maquiavel denominou a busca da realidade e não da ficção de veritá effettuale. o Direito se encarrega da busca real das coisas. “o homem é lobo do próprio homem”.observa a subtração de parcela da liberdade individual e do outro a soma da perpetuação temporal do indivíduo. pois. fictício. ao invés de imaginar Estados fictícios. e temos aí os principais traços delineadores do empirismo. é produzido por uma ideia empiricamente testada. técnicos. necessário para o convívio em sociedade. Para Hobbes. Com isso. não constitui uma teoria do direito. Sim. Vale lembrar que para Hobbes. pode valer-se de dados científicos. que seria a sociedade.

Em que medida a solidariedade que a divisão do trabalho produz contribui para a integração geral da sociedade? A partir desta resposta podemos responder a: Até que ponto ela é necessária? Se é um fator essencial da coesão social ou uma condição secundária ou acessoria? Diferentes espécies de solidariedade social:  .1. Qual é a função da divisão do trabalho? A que necessidade social corresponde? 2. Classificar as principais formas anormais que ela apresenta. Quais as causas e as condições de que depende? 3.

pois onde não se desenvolveu a consciência individual. Durkheim classificou a sociedade em dois tipos de solidariedade: a mecânica e a orgânica. primitivamente indiferenciados no seu interior. não se pode coibí-la. como também denomina o autor. e/ou um pequeno séquito dentro delas. Todos os indivíduos que compõem uma sociedade neste estágio detêm as mesmas representações coletivas. . O que caracteriza o desenvolvimento das sociedades modernas para Durkheim seria a diferenciação social. O trabalho necessário para atender suas necessidades encontra-se parcamente diferenciado. Para Durkheim. A complexificação define uma mudança em que os diversos corpos sociais. sendo o processo de predominância da consciência coletiva em relação à individual o processo de evolução das sociedades. A isso encontra-se vinculada a predominância da consciência individual com relação à coletiva. Isto permite ao autor sustentar o argumento de que não se trata de sociedades mais ou menos coercitivas. fragmentam-se estabelecendo trocas com outros grupos e definindo diferentes funções no seu interior.Divisão do trabalho Da Solidariedade Mecânica à Orgânica Nessa pesquisa. que associou a dois tipos de lei. por ele denominados de direito repressivo e direito restitutivo. a complexificação das funções exercidas por um corpo social. Neste estágio a consciência individual é nula ou quase nula. comungando dos mesmos valores. Durkheim ainda argumenta que nestas sociedades o indivíduo. o desenvolvimento de uma é exclusivo em relação a outra. Tal divisão está ancorada nos dois tipos de consciência que têm lugar nos seres sociais. a consciência coletiva e a individual. As sociedades primitivas seriam aquelas em que a consciência coletiva se encontra desenvolvida de modo absoluto. as mesmas finalidades. ou de sua complexificação. ou diferenciado apenas entre os sexos. mais facilmente rompe e deserda da mesma pois contem em si o conjunto das representações que definem o todo social e por isso está apto a cumprir todas as funções necessárias a sua sobrevivência.

os modernos documentos. não trata de romper os laços sociais. mas na medida em que estas possibilidades proliferam. surge a necessidade de se entender o Direito em seus requisitos sociológicos. maior o seu número. antes de tudo. Para Ehrlich. logo formal e diverso da realidade social. a desintegração da sociedade mas um novo tipo de solidariedade. não o identificando apenas como lei. O Estudo do Direito Vivo A Teoria do Direito Vivo é uma reformulação conceitual sob a ótica sociológica do que é o Direito. aqueles que a lei desaprovou. Entende o fenômeno jurídico como uma espécie de fato social. desempenhar diferentes profissões. para Durkheim. mas é o que. preocupa-se com a vida social. o abismo existente entre a norma jurídica e a norma eficaz será preenchido sempre que se buscar a essência da Norma e da Justiça. domina a vida. porém. o argumento durkheimiano é contrário ao individualismo do liberalismo econômico que pressupõe a ação econômica como o fundamento da sociedade e o único substrato possível de uma moral que não tolha o indivíduo. devendo. inclusive. motivado pela influência das ordens internas das organizações sociais e não absolutamente pelas prescrições jurídicas (redação de uma determinação jurídica em uma lei ou em um código). Ao revés. são. na medida que tomassem como base a “análise empírica da realidade”. mas também. O direito vivo em contradição como o que é somente válido diante dos tribunais e autoridades. Por isso a consciência individual. A divisão do trabalho social não provoca segundo o autor. Desenvolvida por Eugen Ehrlich a Teoria do Direito Vivo define o direito como um grupo de relações sociais. não é sinônimo de individualismo e/ou egoísmo. Para Ehrlich. Para o autor. a observação direta da vida. mas de uma auto-consciência formada socialmente. independente de qualquer forma legislativa. devendo o aplicador da norma estar adstrito a buscar a realidade dos fatos sociais. A partir desse pensamento. O processo de divisão do trabalho forma indivíduos que são cada vez mais capazes de perceber o quanto dependem dos outros. a complexificação da sociedade. também. Durkheim vê neste argumento um erro segundo sua lógica funcionalista. o Direito não deve ser entendido como caráter abstrato e dedutivo. O direito vivo não está nas proposições jurídicas do direito positivo. É sim possível diferenciar-se. As fontes de seu conhecimento são. Desse modo é que a diferenciação social. pois esta é profunda e constitui seu próprio processo formativo. dos costumes e dos usos de todos os grupos. As prescrições jurídicas seriam transformadas em normas e seriam eficazes. nas sociedades evoluídas a solidariedade é orgânica. mais estreita se torna a complementariedade proveniente das diversas atividades exercitadas pelos indivíduos no corpo social pois quanto mais especializadas as funções. Não há um desprezo ao Direito codificado. mesmo a consciência individual é formada socialmente. A consciência levada a ver o indivíduo como desprovido de influências de seu meio social é somente incapaz de percebêla. como fenômeno social. assumir gostos particulares. não somente os reconhecidos juridicamente. visando á realização da Justiça e.Entretanto. Sendo mecânica a solidariedade das sociedades primitivas. do comércio e da conduta. afastar-se da norma quando ela for injusta. reconhecendo apenas o aspecto histórico de cada Direito. . senão em suas formas patológicas. mas de transformá-los. mas esse é interpretado e compreendido segundo a ótica do Fenômeno Social.

É a proposta de Hegel. para culminar na eticidade. Há uma mescla entre racionalidade e empirismo. a razão e a violência: que serviriam ajustadamente ao poder nascente do Estado Moderno. muita coisa é excluída dos trâmites legais em princípio ou como matéria de fato. na religião. por via da superação de todos os logros da história. RACIONALISMO . sua origem está baseada nos costumes que refletem as práticas socialmente úteis e aprovadas por um grupo e que. com o passar do tempo.. O mecanismo procurou livrar o homem da ação dos poderes que não fossem científicos ou provindos da razão. Só um diminuto trecho da realidade aparece diante das autoridades. que devemos analisar. É uma filosofia da natureza segundo a qual o universo e qualquer fenômeno nele se produza podem e devem explicar-se de acordo com a lei dos movimentos materiais. ao retirar a apreensão dos fenômenos naturais e sociais da metafísica para a racionalidade. Sua formação. e na filosofia. Propiciou a alavancagem da revolução industrial. assim também agiu Weber ao propor a sociologia como ciência objetivando a compreensão da atividade social a partir de sua interpretação racional valendo-se do empirismo e da matematização predominante nos pensamentos mecanicistas. Desde o início. O mecanicismo empregou um sentido científico á dominação política e projetou a dominação técnico-racional. matriz dos valores mais altos da humanidade. MECANICISMO Bem como o movimento mecanicista o fez. ESTADO ÉTICO O Estado ético: é o Estado como plena realização dos seres humanos mediante uma dialética que incorpora. O DIREITO COMO FATO SOCIAL: O direito é considerado fato social por ser uma realidade observável na sociedade e por ser o maior instrumento institucional de controle e organização das sociedades. a mecânica apareceu para o homem associada á satisfação das necessidades e á tentativa de sobrevivência. Cartesianismo: Típica maneira de pensar racionalmente. tendem a adquirir autoridade própria. É fato social pois é reflexo da realidade social buscando adequar-se ás necessidades das normas sociais adotadas pelo grupo.Até mesmo as decisões jurídicas não dão uma perfeita imagem da vida do direito. distingui-se como uma nova racionalidade e por trazer outra forma de apreensão dos fenômenos. em compasso com o discurso do Estado de Direito (como queria Weber). O mecanismo promoveu uma revolução na ciência. expressos na arte. O direito vivo constitui a base da ordem jurídica da sociedade humana. Ali se misturaram completamente o movimento. desde o direito. passando pela moral individual.

O desenvolvimento da razão deveria tornar a vida social melhor. a não ser na própria realidade. Empirismo traduz a experiência proporcionada pelos órgãos dos sentidos ou a vivencia decorrente dos sentimentos. e a ciência ajudaria nesse processo de hominização. emoções acumuladas em sua memória. EMPIRISMO Em Galileu é expressa esta percepção de que a ignorância é o que aterroriza e não o conhecimento adquirido na verdadeira investigação empírica da realidade. empírico ou crítico adverte que não se pode simplesmente equiparar o percebido com o verdadeiramente conhecido. . É relativo á natureza do conhecimento (epistemológico). O realismo científico.Nossa igualdade natural está pautada nesta racionalidade inata a todo ser humano. Idéia de que o experimentalismo científico deveria trazer benefícios á vida prática. O racionalismo estava organizado em três bases:    Psicológica Epistemológica Metafísica O racionalismo se contrapunha ao empirismo: a dúvida estimula o raciocínio e assim se elabora a razão. é claro. para se revelar como bom senso: um agir pensado. metodicamente calculado é o que conduz a liberdade. afeições. REALISMO A razão e a verdade não poderiam estar.