PROJETO PILOTO

ESPAÇO: Sala dos Estudantes DATA DE ANÁLISE: 20/02/2013 RESPONSÁVEIS: REVISÃO: -

O Projeto Piloto do DOSSIÊ SANFRAN tem por objeto de análise a SALA DOS ESTUDANTES, localizada no Térreo do Prédio Histórico da Faculdade de Direito da USP.

A análise foi feita levando em consideração os seguintes critérios:
1. ESTRUTURA 1. FÍSICA 2. ELÉTRICA

2. EQUIPAMENTOS 3. ACABAMENTOS

Obs.: Tanto a formatação quanto os critérios utilizados para esse Projeto Piloto não são fixos. Em Reunião Aberta do Dossiê, a acontecer em breve, definiremos esses detalhes bem como outras questões metodológicas e organizacionais.

ESTRUTURA

No plano estrutural, o critério mais básico por nós adotado na análise dos espaços físicos da Faculdade, encontramos uma série de problemas.

Na parte elétrica, inicialmente fios desprotegidos e expostos, bem como o quadro de luz, obsoleto e também desprotegido chamam a atenção.

Potencialmente perigosos, problemas na parte elétrica devem ser tratados com prioridade em qualquer lugar. Um acidente pode tomar grandes proporções agravados por deficiências nesse setor. Além disso, apesar do caráter menos emergencial e até acessório, as diversas lâmpadas queimadas entram também nesse ponto do relatório, bem como o pequeno e insuficiente número de pontos de energia, as tomadas, que acabam por dificultar e até inviabilizar eventos de maior porte que necessitem de maior fornecimento de energia elétrica. Em relação às demais questões estruturais, são inclusive mais notáveis: janelas quebradas e paredes com revestimentos em madeira descascando e caindo aos pedaços integram a visão diária de quem frequenta a sala.

EQUIPAMENTOS
Em relação aos equipamentos da Sala do Estudante, dois são os pontos principais. Inicialmente, destaca-se o grande número de cadeiras quebradas, sem o assento ou o encosto, que, além de diminuir drasticamente a capacidade de público do ambiente, deixa o ocupante sem o mínimo de conforto necessário para assistir uma palestra, participar de um evento ou até mesmo assistir uma aula. Em caráter subsidiário, incluímos na questão dos equipamentos a atual aparelhagem de áudio da Sala, composta por caixas de som e microfones antigos, e também de vídeo, inexistente, dependendo da disponibilidade do projetor do Centro Acadêmico para apresentações quando necessário seu uso.

ACABAMENTOS

Talvez seja esse o tópico com mais pontos da análise, o que é, no geral, positivo, pois tratam-se de questões de mais fácil resolução. Pintura, limpeza e pequenos reparos parecem pouco isoladamente, mas fazem grande diferença no conjunto da obra. As cortinas, por exemplo, estão hoje em uma situação deplorável. Sujas e

soltas, despencando no fundo da sala, acabam deixando uma impressão negativa, de desleixo, totalmente o contrário do pretendido com elas. O mesmo pode ser dito do carpete, igualmente sujo e maltratado. A questão da pintura, das paredes e também do teto, entra em acabamento apesar de ser algo básico. Marcas das antigas lâmpadas ainda estão por toda a sala, além de trechos descascados, com bolhas e talvez até mesmo infiltrações.

Por fim, pontos como a própria maçaneta e a fechadura e da porta e o acúmulo de entulho atrás da lousa da sala também integram essa seção final do Dossiê, com um mapeamento completo do objeto de estudo e suas deficiências, a partir do qual, com um pleno conhecimento dos problemas existentes, pode-se passar à busca de soluções eficazes.