You are on page 1of 5

o auxiliar de enfermagem deve estar sempre atento quanto à maneira como este cuidado vem sendo realizado.

Não se trata apenas de trocar fraldas, mas de prevenir desconforto, transtornos e agravos ao paciente. Muitas vezes fazemos parte de uma equipe sem que estejamos integrados a ela. Assim, se você trabalha numa equipe onde cada um tem seu papel isolado, sem nenhuma relação entre si, onde cada um preocupa-se em realizar a sua tarefa independente da do outro, você faz parte desta equipe, mas não está, por certo, integrado a ela. Integrar-se a uma equipe é antes de mais nada entregar-se ao que ela representa. Não é cumprir tarefas, mas realizar trabalhos. Numa equipe integrada, não existe o bom funcionário, só a boa equipe. É estar ciente de que o outro precisa de você e que você precisa do outro. É ainda romper as linhas divisórias que o separa do outro e o distância do objeto a ser atingido – no caso de uma equipe de assistência em saúde, quase sempre a recuperação do paciente. CONCLUSÃO: Concluímos, redesenhando o triângulo original, inserindo nele não apenas as ferramentas propostas, como também, as recomendações de Jacques Dellor, educador da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura): “ Neste mundo de crescente complexidade além

.de aprender a conhecer e fazer. devemos aprender a conviver e a ser”.

que se nos sentimos irritados com tal paciente é porque ele é que é difícil ou chato. e não para a competitividade e comparações improdutivas). seus relacionamentos fora do trabalho. se for criado o “clima” adequado para isso (com o ojetivo voltado para a integração da equipe e para a qualidade do atendimento. Todos nós passamos por períodos de sofrimento. Mas se percebemos que se tornam . outras vezes precisando de ajuda. não achando sempre. como anda sua relação com os colegas de trabalho. com os pacientes. é natural que apareçam sintomas como ansiedade. Estando atentos para a maneira como nos sentimos com cada pessoa. por exemplo. Nesses momentos. Nesse sentido. as reuniões com a equipe podem ser um bom momento de auto-avaliação.O AUXILIAR DE ENFERMAGEM E A (SUA PRÓPRIA) SAÚDE MENTAL Além de todos os conhecimentos próprios da sua área de atuação. como vem se sentindo. dores ou doenças orgânicas. o auxiliar de enfermagem precisa estar atento para o seu estado interno. isto é. algumas vezes conseguindo lidar com eles. Além disso. mas tentar perceber o que se passa conosco. Como é que podemos saber como vamos nós. podemos perceber em nós mesmos os sinais de que as coisas estão mais ou menos equilibradas ou de que não vão tão bem assim. pois quando trabalhamos com Saúde Mental nós mesmos passamos a ser nosso mais importante instrumento de trabalho. falta de ânimo ou outros. enquanto “instrumentos de trabalho”? Estando atentos para nós mesmos e para o retorno que outras pessoas nos dão.10 .

sempre. tome uma atitude. devemos buscar ajuda – se for o caso.Ao invés de ficar se queixando da vida (ainda que seja só em pensamento). se você achar que seu problema é muito grave. ! Não “empaque” diante dos problemas . o auxiliar de enfermagem que trabalha com Saúde Mental está sujeito a um fator de estresse adicional. compartilhe seu estresse .Reserve um tempo para fazer o que você gosta. ! Cuide de você mesmo . Pode ser que nem sempre você consiga fazer tudo o que gosta. Diante de uma tarefa muito grande.Perceber que trabalhamos (e vivemos!) junto de outras pessoas e que elas são tão importantes quanto nós. Talvez algumas “dicas” possam fazer com que você reflita e consiga algumas mudanças que podem reduzir o nível de estresse a que você se expõe. sempre descobrimos muitos pontos em comum. no contato com o outro.Falar sobre o problema nos ajuda a pensar melhor sobre ele. Faça exercícios físicos (caminhar é grátis e é ótimo).Você não pode resolver tudo. aprenda a aguardar. ajuda a estabelecer um clima de cooperação. que além de solicitarem muito de nossas energias ainda “mexem” com coisas mal resolvidas em nossas vidas. cigarros. profissional. mude algo que esteja ao seu alcance. Dentre os fatores causadores destes sintomas. ! Fale de você. encontramos facilmente o estresse. mas sempre poderá descobrir alguma coisa. mas uma mudança sempre nos dá uma nova visão do problema. que é o fato de lidar freqüentemente com pessoas portadoras de transtorno mental. aprenda a dividir e a pedir ajuda. evite álcool. Embora sejam para seu uso pessoal. ! Comemore cada vitória . Procure alguém de sua confiança ou um profissional. Diante de algo que está fora do seu alcance. meios inadequados de baixar a ansiedade. Pode não resolver todo o problema. alivia e acalma. Além de todo o estresse do dia-a-dia.Não fique esperando o ideal de sua .muito prolongados. melhore sua alimentação. Medicações psicoativas? Só depois de uma boa avaliação médica. pois todos somos humanos e.Evitar acumular mágoas e mal entendidos diminui em muito a carga de tensão que temos que carregar. ! Reconheça e aceite os seus limites . podem colaborar para o seu desempenho profissional: ! Procure ser cooperativo . ! Ouça as razões do outro e expresse as suas .

vida para ser feliz. . Com isso você se dá pequenas “folgas” no estresse diário. Procure perceber as pequenas vitórias e alegrar-se com elas.