You are on page 1of 2

Histórico do autor John Vanderlyn, (nascido em 15 de outubro de 1776, Kingston, Nova York, nos EUA morreram 23 setembro de 1852

, a Kingston), pintor dos EUA e um dos primeiros artistas americanos para estudar em Paris. Ele foi o grande responsável pela introdução do Neoclássico estilo para os Estados Unidos. Quando jovem Vanderlyn copiado um retrato Gilbert Stuart de Aaron Burr, que atraiu a atenção de Burr. Ele patrocinou formação artística Vanderlyn, primeiro com Stuart e, depois, em 1796, na École des Beaux-Arts, em Paris. Vanderlyn retornou a Nova York em 1801, onde fez pinturas de Niagara Falls. Em 1803 Vanderlyn foi capaz de voltar para a Europa, e seu melhor trabalho foi feito durante este período. Vanderlyn voltou para os Estados Unidos quando tinha 40 anos de idade, e o tratamento dado a ele foi um contraste amargo para seus êxitos europeus. Ele não recebeu as comissões federais para a qual havia sido esperando. Com a expectativa de duplicar a popularidade Europeu de panoramas, ele instalou seu 3000 metros do Palácio e Jardins de Versalhes (1816-1819; Metropolitan Museum of Art, Nova York) e outros trabalhos em uma rotunda construída por conta própria em terras arrendadas da cidade de Nova York. Vanderlyn percebeu pouca renda a partir do projeto, e ele estava amargurado quando 10 anos mais tarde, a cidade cancelou seu contrato de arrendamento. Ele retirou-se para Kingston, Nova York, e se sustentava por pintar retratos inspirados que eram dificilmente reconhecível como vindo de sua mão. Em 1832, ele finalmente recebeu uma comissão do governo dos EUA: um retrato de corpo inteiro de George Washington (Capitol, Washington, DC). Dez anos mais tarde recebeu outro: Desembarque de Colombo (1842-1844; Capitol Rotunda, Washington, DC). Referência http://www.britannica.com/EBchecked/topic/622965/John-Vanderlyn, visitado as 13 horas do dia 14 de março de 2013

Desembarque de Colombo A pintura retrata a chegada dos europeus a América, no ano de 1492, o autor retrata o sol as costas dos europeus, como se a Europa fosse a iluminação, a luz. Os europeus são retratados com riqueza de detalhes impressionante,seu porte, seus semblantes altivos, suas armaduras de ferro e sua ostentação pelas armas, em especial a figura de Colombo com uma leve semelhança à Jesus Cristo o que nós traz a idéia de que enfim a salvação cristã chegou a toda aquela população. Na imagem o indio é retratado de maneira infantil, como se fossem crianças curiosas a se admirarem perante aos estranhos europeus que aqui chegarão, a floresta da qual os indigenas fazem parte é apresentada de maneira escura como se fossem trevas que precisam ser levadas a luz que da Europa vinha. O autor frustado em suas pretensões de voltar a América como um artista de grande importância após sua estadia brilhante na Europa, vê seus sonhos de grandeza tolhidos pela total falta de importância com que os americanos em geral o tratam, não conseguiu comissões federais para fazer suas obras, teve seus contratos de arrendamento na cidade de

O autor relembra a Europa e seu brilho em toda a obra. enfim ao trazer a Europa para as novas terras. o cristianismo. em busca das bençãos de Fortuna. Pintar essa obra deve ter sido muito dificil para Wanderlyn pois de um jeito diferente ele também saiu da Europa rumo a “nova terra”. Esse modelo fala que os europeus em troca de trazer o conhecimento. havia. o sol se vê ao longe na sua amada Europa que tantas glórias te deu no passado. mas nada comparavel a barbárie européia que se dizia civilizada. a polvóra. que no caso não ocorreu. para poder colocar no museu do capitólio. não que essa fosse lá algo grandioso e que não houvesse mal aqui. os europeus são retratadas de maneira superior aos índios e até mesmo a beleza do céu que se vê as costas dos europeus não se vê na nova terra em que desembarcarão. pintar essa obra é um pouco se auto retratar coisa que na situação em que se encontrava o pintor não deve ter sido uma tarefa da mais belas. E assim como os europeus que participarão com Colombo ele veio com a promessa de riqueza. o fez de maneira desinteressada sem nada exigir em troca. até que muitos anos após sua volta o governo o pede para fazer um retrato de George Washington e por fim dez anos após esse lhe pede novamente uma pintura sobre o tema do desembarque de Colombo. enfim sua volta foi uma saída do luxo europeu para uma casinha modesta numa cidade nos arredores de Nova York. matou a pessoas. conspirou com os daqui. mas destruiu à aqueles que lhe tratam com civilidade muito maior do que mereciam. de amplas possibilidades. será que eles realmente precisavam ver seus deuses se transformarem em demônios e sua própria gente se tornar escrava em nome de alguns que se promulgavam superiores? O europeu é ao contrário do que retrata a imagem um monstro que destruiu e devastou um paraíso em busca do ouro.Nova york cancelados. O que aprendi ao analisar essa imagem? A história pode ser contada de várias maneiras e quanto ao desembarque de Colombo a visão que essa pintura nós traz é a de um bom europeu que sem nada saber se entregou ao mar e acabou chegando a um novo continente. Mas será que foi assim? Será que os indígenas realmente precisavam conhecer o pecado. . enfim destruiu a estabilidade que aqui havia.