You are on page 1of 3

1. Defina comunidade ecológica. 2.

Duas visões distintas descrevem, de forma idealizada, a natureza das comunidades ecológicas: a visão de que comunidades são super-organismos e a visão individualista, na qual comunidades são tidas como combinações de espécies com tolerâncias e requerimentos similares. Essas duas visões podem ser consideradas hipóteses para a organização de comunidades ecológicas e predizem padrões distintos para a distribuição espacial das espécies. Descreva os padrões espaciais preditos para cada uma dessas hipóteses. 3. O que é sucessão ecológica? O que diferencia a sucessão ecológica de outros padrões de variação temporal em comunidades? 4. A hipótese do distúrbio intermediário prediz que a diversidade será maior em comunidades com níveis intermediários de perturbação e menor em comunidades com níveis baixos e altos de perturbação. Todavia, a diversidade é apenas um aspecto da organização de uma comunidade ecológica. Outro aspecto fundamental da organização de uma comunidade ecológica é a composição de espécies K e r-estrategistas. Como deve ser a contribuição relativa de espécies K e r para a composição de comunidades na qual há um grau baixo, intermediário e alto de perturbações? Justifique a sua resposta por meio das diferenças na história de vida das espécies K e r. 5. Explique pelo menos um mecanismo, atuando em tempo ecológico, que permita a espécies competidoras coexistirem em uma comunidade. 6. Duas comunidades, i e j, são idênticas a não ser pelo fato de que a espécie A somente ocorre na comunidade i. Uma pesquisadora estudou a diversidade de presas potenciais da espécie A nas comunidades i e j e observou que a diversidade é maior na comunidade i do que na comunidade j. Proponha um mecanismo para explicar o porquê da diversidade ser maior na comunidade onde o predador está presente. 7. As espécies A e B ocorrem ao longo de uma extensa distribuição geográfica. Os indivíduos das duas espécies só utilizam um recurso alimentar e este recurso é o mesmo para as duas espécies. Em locais onde o inverno é ameno, apenas a espécie A ocorre. Em locais onde o inverno é rigoroso, todavia, as duas espécies coexistem. Uma pesquisadora demonstrou que (i) no passado, a espécie B ocorria nos locais onde atualmente está ausente; (ii) a espécie B tolera as condições climáticas das comunidades com inverno ameno; (iii) a espécie A é mais eficiente que a espécie B em capturar o recurso alimentar em todos os locais e condições climáticas; (iv) os indivíduos da espécie A tem uma probabilidade menor de sobreviver a invernos rigorosos do que os indivíduos da espécie B. Tendo como base as informações descritas acima, proponha um mecanismo para explicar o porquê das espécies só coexistirem em locais com invernos rigorosos.

i e j. apenas as espécies D e E estavam presentes (barras brancas). E. um pesquisador demonstrou que o número de cavidades em árvores era um fator limitante para as densidades populacionais de A e B. 9. E e F (barras cinzas). na ilha. Por fim. Explique que situações a presença da espécie A poderia levar a: a. Ao estudar a distribuição espacial dos indivíduos das espécies A e B. algumas das quais a espécie A está ausente. Ela conseguiu estimar as densidades populacionais das espécies em três conjuntos de comunidades que variavam somente na composição e densidade de espécies (Figura 1). No primeiro conjunto de comunidades. No segundo conjunto de comunidades. Tendo como base as informações descritas acima e a figura. a pesquisadora não encontrou . em dois microhabitats distintos. estavam presentes as espécies D. A espécie B ocorre em diferentes comunidades. Uma pesquisadora desenvolveu uma linha de pesquisa baseada no estudo das interações ecológicas entre quatro espécies de microorganismos (D. Em estudos anteriores. uma redução na diversidade de potenciais competidores da espécie B. 10. Dez anos após a colonização. Densidade de indivíduos das espécies A (barras brancas) e B (barras pretas) em dois microhabitats distintos de uma comunidade. um aumento na diversidade de potenciais competidores da espécie B.8. F e G). Um pesquisador estudou a diversidade de espécies que potencialmente competem com a espécie B por recursos. Figura 1. A espécie A é um parasitóide especialista que tem como único hospedeiro os indivíduos da espécie B. proponha uma hipótese para explicar a coexistência das espécies A e B. Logo após a invasão. no último conjunto de comunidades estavam presentes todas as quatro espécies (barras pretas). Esta espécie de árvore usada tanto pela espécie A quanto pela espécie B ocorre. o pesquisador encontrou o padrão descrito na figura 1. b. As espécies de aves A e B colonizaram simultaneamente uma mesma ilha. as espécies A e B continuavam a coexistir na comunidade. Os indivíduos das duas espécies utilizam cavidades em troncos de uma mesma e única espécie de árvore para nidificar.

A pesquisadora também não encontrou evidência de facilitação ou de mutualismo entre essas espécies de microorganismos. . enquanto a medida de dispersão associada é o desvio padrão. As barras representam valores médios. E. F e G em três conjuntos de comunidades. barras cinzas identificam comunidades onde a espécie G está ausente e as barras pretas identificam comunidades nas quais as quatro espécies estão presentes.evidência de que as espécies competem entre si. Tendo como base o conceito de cascata trófica e as informações fornecidas no gráfico e no texto acima. Barras brancas identificam comunidades onde as espécies F e G estão ausentes. Densidade de indivíduos das espécies D. formule uma hipótese para a teia trófica envolvendo estas quatro espécies e justifique sua hipótese. Figura 1.