You are on page 1of 6

Danilo R.

Silva 100100890

A crise irlandesa e seu impacto na UE (2008-2012)
PROJETO DE PESQUISA

Projeto de Pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado como parte das atividades para a obtenção do título de Bacharel em Relações Internacionais, sob a orientação do Professor Helton Reginaldo Presto Santana, no 6º semestre, do curso Relações Internacionais do Centro Universitário Belas Artes.

Introdução A crise irlandesa e seu impacto na UE (2008-2012) 3. Como a crise perdura até o presente momento. portanto. Objetivos Objetivos Gerais Descrever e reunir os desdobramentos e impactos da ruptura da bolha imobiliária irlandesa.2 São Paulo 2011 1. Apresentação Centro Universitário Belas Artes Professor Helton Reginaldo Presto Santana Danilo Roberto Silva A crise irlandesa e seu impacto na UE (2008-2012) São Paulo/ Novembro 2012 2. que a levou a uma grande recessão juntamente com a crise financeira mundial de 2008. que até então era chamada de “Tigre Celta”. e que se tornou um modelo econômico insustentável de enxurrada rápida de capital que levou a Irlanda à ruína. que ainda não encontraram mediações e intervenções concretas para a estabilização do país. Desse modo. e consequentemente do bloco. faz-se pertinente também a comparação das medidas adotadas pelos governos dos outros países em crise do bloco europeu com as adotadas pelo governo Irlandês para entender o cenário de . que fora o responsável pelo “milagre econômico” irlandês na década de 90. O foco se concentra. a pesquisa tem como finalidade investigar as turbulências de ordem econômica e social geradas na União Europeia a partir da apresentação dos antecedentes históricos que originaram a crise a partir de 2008. justamente em estudar e analisar o impacto e a instabilidade que a economia da Irlanda tem causado sob a Zona do Euro e suas instituições financeiras. Objetivos Específicos Analisar as falhas do neoliberalismo.

4. but extends to the design of monetary union itself. “A crise bancária irlandesa de 2008-2011” Dissertação (mestrado) FGV 2012. Claudia. A partir dessas informações. isto é. O destaque dessa pesquisa em primeiro momento se baseia em contribuir para a análise do crescimento da economia Irlandesa a partir da década de 90. . levando a Irlanda a ter uma das maiores rendas “per capita” da União Européia (UE). por exemplo) no país e os movimentos sociais internos que geram conflitos externos e se tornam dificuldades de uma Zona do euro como um todo. era o país mais pobre do grupo e continuou assim até o final da década de 80. o crescimento médio de 7% ao ano na década de 90. Da década de 90 até os anos 2000 a Irlanda tinha um ótimo desempenho econômico. Neste período de grande prosperidade econômica. estabelecer as falhas de diversas ordens (tanto domésticas como externas) que levaram a Irlanda a uma grande recessão a partir de 2008. como o principal objetivo (geral) da pesquisa é analisar o impacto da crise da Irlanda sob a UE. Neste período houve grandes investimentos na educação e mudanças estruturais doutrinadas pelo neoliberalismo. conferiu à Irlanda o título de “Tigre Celta” (LIMA. The crisis of the Irish and other peripheral economies points to a crisis at the heart of European politics”. Quando a República da Irlanda se tornou um membro da Comunidade Econômica Européia em 1973. a pesquisa desempenha um papel relevante para complementar e desbravar as causas que a levaram à crise. Como apontam Sebastian Dellepiane Avellaneda e Niamh Hardiman: “The crisis is not merely one of peripheral economies’ policy errors. As políticas implementadas no país deslancharam a economia em todos os setores. compreende em objetivos específicos também o estudo da intervenção das organizações financeiras mundiais (BCE e FMI. Além disso. Justificativa A Irlanda fora um dos primeiros países atingidos pelo tsunami econômico que engoliu o setor imobiliário e se alastrou para demais setores da economia em 2008. em que a tradição agrária do país foi deixada para trás e que o tornou um paraíso das indústrias farmacêutica e tecnológica (informática e internet).3 tensão e instabilidade do bloco.

Hipótese O excesso de crédito. Itália. Ireland. afetando de vários países da UE. asset price inflation. destacando as fraquezas e instabilização do bloco a partir desse abalo econômico que é sentindo também por outros países do bloco. devido ao seu bom desepenho econômico. a pesquisa assinalará o seu “porquê”: reunir a conjuntura dos impactos. Questão/problema A Irlanda até 2008 era chamada de “Tigre Celta”. entrou em grande recessão. bem como artigos do departamento de economia e ciência política do Trinity College. Grécia e Espanha.4 Depois de estabelecido os pontos citados acima e da delineação dos estágios da recessão. como sociais da crise Irlandesa na União Européia no período de 2008-2012. 7. Após a crise econômica mundial e a ruptura de uma bolha imobiliária. principalmente os mais fragilizados: Portugal. taxas de juros muito baixas. fell victim to the politics of market-led Indiscipline. like the other European peripheral economies. Por quê? Quais impactos isso gera na União Europeia? 6. As fontes secundárias serão compostas principalmente de reportagens de grandes jornais irlandeses como o “Irish Independent”. and unsustainable credit expansion. gerando enormes impactos na economia do bloco. e para entender os impactos dela na União Européia será utilizado o artigo de Sebastian Avellanada e Nimh Hardimann “The European Contexto of Ireland’s Economic Crisis”. . tanto econômicos. Among the perverse and unintended consequences of the Euro was the fact that an institutional design intended to bring about economic stability by ending currency volatility ended up by creating incentives for much greater instability in the form of very uneven growth. políticas habitacionais de empréstimos arriscados e um afrouxamento regulatório do país foram os principais motivos para a Irlanda entrar em crise em 2008. em que é retratado os antecedentes e as razões da crise. Metodologia O presente trabalho fará de uso primário as seguintes fontes: a tese de mestrado de Claudia Lima “A CRISE BANCÁRIA IRLANDESA DE 2008-2011”. 5. Isso teve como consequência uma grande diminuição nas atividades de crédito.

Bernardo. “A crise bancária irlandesa de 2008-2011” Dissertação (mestrado) FGV 2012.” Dissertação (mestrado) UFMG. DINIZ. LANE. LIMA. 128-129 2011. COELHO. Revista Portugal num mundo de mudança – Tendências económicas. André Sander. “The Euro Area Crisis and Ireland”. Philip R. competitividade e restrição externa ao crescimento: uma análise da crise e das limitações da zona do euro. 30. Niamh. “Overcoming the Banking Crisis in Ireland”. nº4 (108). 546-566 7. maio 2010. AVELLANADA.5 8. Frederico G. 4. Claudia. Dezembro 2006. Cronograma Cronograma das atividades desenvolvidas. 10. Muge. UCD Dublin European Istitute Woking Paper 10-13. JAYME. p. Trinity College Dublin and CEPR. “Análise do Desenvolvimento Econômico da Irlanda e Espanha” monografia apresentada para conclusão do curso de economia do IBMEC. Sofia. Alexandra Strommer de Farias. Crise fiscal na EU ameaça contagiar bancos. pp. Referências 1. “The Irish Crisis”. OECD Economics Department Working Paper Nº907. São Paulo. Agosto 2010 3. Claudia. 2011. 10. 5. “Neoliberalismo e a actual crise económica: a negociação do apoio financeiro na Irlanda. "O milagre irlandês como exemplo da adoção de uma estratégia nacional de desenvolvimento. 9. Philip R. A 14.. Valor Econômico. ADLET MCGOWAN. TERLICA. LIMA. 9.. vol 27. 2011 2. LANE. Marços2011 8. Abril 2011. pp. 6.” Revista de economia política. . Discussion Paper Nº 8287. Sebastian Dellepiane and HARDIMAN. “Divergências estruturais. “The European Context of Ireland’s Economic Crisis”. Police Institute. GODOI. Embasamento teórico O presente trabalho não possui nenhum embasamento teórico.

“Um olhar para a crise dos PIIGS”. 16 jun. Edison Marques.O efeito bumerangue da crise global nos bancos.globo. 38.independent.http://oglobo. 7-16.ie/national-news/government-must-cut-childbenefits-medical-cards-imf-says-3225965. Porto Alegre. v. São Paulo. Valor Econômico. pp. 2010 12.globo. A 12.http://g1.html .6 11.com/economia/noticia/2012/09/fmi-pede-apoio-da-europaem-resgate-da-irlanda-e-reduz-pib.MOREIRA. p.com/economia/a-linha-do-tempo-da-crise-na-irlanda2921536 15. FEE. Econ. n. 2. 2010 13. Indic.html 14.http://www.