You are on page 1of 5

Resumo do resumo de imunologia P2

Fontoura, J.; Caderno de imuno, volume 2, julho-2011, UFF. 1-Defina complexo de histocompatibilidade. São proteínas codificadas pelo MHC expressas na superfície das células, e apresenta tanto antígenos próprios (fragmentos de peptídeos da própria célula) e antígenos externos (fragmentos de microorganismos invasores) para o Linfócito T que tem a capacidade de matar ou co-ordenar a morte de patógenos, células infectadas ou com função prejudicada. 2- Defina epitopo. Epitopo ou determinante antigênico é a menor porção de antígeno com potencial de gerar a resposta imune. É a área da molécula do antígeno que se liga aos receptores celulares e aos anticorpos. É o sítio de ligação específico que é reconhecido por um anticorpo ou por um receptor de superfície de um linfócito T (TCR). 3- Defina HLA. Moléculas especificas do MHC que apresenta antígenos leucocitários humanos (HLA). Tem importante papel na rejeição a transplantes. Pois as reconhecem como antígenos estimulando o sistema imune. Forma de tratamento, imunusupressão que deixa o paciente imunodeficiente. Potencializando a ocorrência de doenças oportunistas mais graves. 4- Relacione HIV com imunodeficiência. O HIV tem como alvo as TCD4+ e macrófagos. Ou seja, as TCD4+ não vão ter sua função de recrutar outras células para a resposta imune. E os macrófagos que são as principais células fagocíticas também não irão responder. Assim deixando o organismo imunodeficiente. 5- MHC de Classe I As moléculas MHC de classe I ligam peptídeos derivados de proteínas citosólicas degradadas pelo proteassoma. Esses peptídeos produzidos no citoplasma são transportados por uma proteína transportadora de peptídeos denominada TAP para o lúmen do retículo endoplasmático, onde se ligarão às moléculas MHC de classe I. O complexo peptídeo: MHC de classe I é transportado para a superfície celular, onde será reconhecido por células T CD8, as quais são ativadas a matarem essas células que apresentam patógenos intracelulares. 6- MHC de classe II As moléculas MHC de classe II apresentam peptídeos derivados de proteínas extracelulares em vesículas intracelulares acidificadas. As moléculas MHC de classe II recém-sintetizadas associam-se à uma cadeia invariável (Ii) e são dirigidas do retículo endoplasmático para as vesículas endocíticas, onde ocorre a liberação dessa cadeia invariável e o carregamento de peptídeos derivados das proteínas extracelulares. O complexo peptídeo: MHC de classe II é transportado para a superfície celular onde é reconhecido por células T CD4, que são especializadas em ativar outras células do sistema imune, como os macrófagos, que são

Genes polimórficos. e as células B.Poligenia Vários genes expressando cada proteína do MHC (I e II). As CD8+ são capazes de produzir moléculas que destroem outras células.RAG Enzima de recombinação gênica do TCR. Obs: O principal fator que determina a escolha entre as seleções positiva e negativa. As células T em desenvolvimento são chamadas de timócitos. Existe uma ordem precisa. 1.Transplantação Indivíduos histocompatíveis são escolhidos para a doação de órgãos para pacientes crônico renais e cardíaco. Células pró T não apresentam CD4.ou CD8-. enquanto a alta afinidade leva a seleção negativa. Também são chamadas de timócitos duplo-negativos. Expressão dos genes dos alelos é codominante (pai e mãe). durante o desenvolvimento das células T. na qual os genes do TCR são rearranjados e o TCR e os co-receptores CD4 e CD8 são expressos. Timócitos monopositivos. em que a baixa afinidade leva à seleção positiva. produz moléculas efetoras que auxiliam os macrófagos. Também chamados de timócitos duplo-positivos e apresentam receptor. a seleção induzida por antígenos e a aquisição da capacidade funcional. a proliferação celular. O ambiente do timo fornece os estímulos necessários para a proliferação e o desenvolvimento dos timócitos.Ontogenia dos linfócitos T O desenvolvimento das células T.Moléculas de classe I são também denominadas antígenos de transplantação. É o grau de afinidade do reconhecimento antigênico. As moléculas envolvidas na rejeição do transplante são as moléculas de histocompatibilidade. Células pré T apresentam CD4+ e CD8+. 9. pois são oriundas de rearranjos sofridos pelas suas antecessoras. são as células que conseguem passar pelo processo de seleção. Alelos diferentes para cada gene presente numa população heterogênea. 3.ativados para matar os patógenos intravesiculares. 8. Os linfócitos T se originam de precursores provenientes do fígado fetal e da medula óssea do adulto que migram para o timo.Reconhecimento de MHC não próprio é chamado de aloreatividade. envolve o rearranjo seqüencial e expressão dos genes TCR. 10. . a partir de progenitores comprometidos com essa linhagem. Células T maduras adquirem a capacidade de produzir citocinas. não expressam. com CD4+ em resposta ao estimulo do antígeno. 2. Testes de histocompatibilidade: Tipagem do HLA e cultura mista de linfócitos. para secretarem imunoglobulinas 7. 4.

expressam receptores de antígenos completos.Metodologias clássicas de investigação de antígenos solúveis que não são do paciente. Imunodifusão radial simples ( aula do sangue de carneiro) . Nesse estagio células potencialmente danosas. se aglutinar tem o anticorpo do contrário não. enquanto as células que apresentam receptores úteis são preservadas.Hemaglutinação Aglutinação é o nome que se dá ao encontro do antígeno com o anticorpo. isso é conhecido como tolerância central. Esse desenvolvimento é estimulado principalmente pela citocina interleucina-7 (IL-7). o anticorpo reconhece componentes da superfície daquela estrutura. 13. 12. Apresentados pelas mesmas moléculas de MHC do hospedeiro. As células T maduras cujos precursores foram positivamente selecionados pelas moléculas de MHC no timo.11. Aglutinação direta. onde completam seu desenvolvimento. A seleção negativa é o processo que elimina os linfócitos em desenvolvimento cujos receptores se ligam fortemente aos auto-antigenos presentes nos órgãos linfóides geradores.Escolha de expressão e tolerância. as células B e T têm seus eventos inicias de desenvolvimento semelhante. Células T em desenvolvimento com alta afinidade são eliminadas por apoptose. a seleção positiva garante o desenvolvimento de ligações com baixa afinidade com moléculas do complexo principal de histocompatibilidade (MHC) do hospedeiro. são capazes de reconhecer peptídeos estranhos. seguida da indução de reguladores específicos da transcrição que estimulam os progenitores linfóides comuns a se desenvolver em células B ou T. Essa proliferação garante maior diversidade no repertorio para diferentes tipos de antígenos. quando se usa o antígeno diretamente numa amostra. antes do nascimento. nas células apresentadoras de antígenos nos tecidos periféricos. Os pré-receptores e receptores de antígenos enviam sinais para os linfócitos em desenvolvimento que são necessários para a sobrevivência dessas células. Na linhagem T. (modelo instrutivo) Os precursores dos linfócitos T deixam o fígado fetal. Esse processo de preservação de especificidade útil é denominado seleção positiva. A seleção negativa é um mecanismo importante na manutenção da tolerância a auto-antigenos. A IL-7 é produzida pelas células do estroma da medula óssea e timo. e a medula óssea. A opção de linhagem B ou T depende de instruções recebidas da superfície celular.Enquanto ainda estão imaturos. posteriormente indo para o timo. que reconhecem avidamente auto-antigenos. um fenômeno conhecido como deleção clonal. Apesar de sua localização anatômica diferente. podem ser eliminadas. Aglutinação indireta.

Especialmente os segmentos variáveis dos linfócitos B ativados.Propriedades únicas do TCR Ligação a epítopos apresentados. Algumas células B após ativadas vão se diferenciar em célula B de memória. produzidas pelos linfócitos B. Que posteriormente haverá efeitos citotóxicos das células T citotóxicas e produção de anticorpos pelas células B.Orgão linfóide secundário Principal local de respostas imunológicas. co-estimulatórias CD28. para ativação celular.Resposta imunológica mediada por Linfócitos. São testes qualitativos que você analisa pela cor. 17. 19. acumulam células B e T maduras. Onde os linfócitos T helpers (Th1 e Th2) produzirão citocinas. A Imunidade Humoral é o tipo de defesa imunológica que atua no líquido extracelular usando anticorpos. Também é o local que os antígenos se encontram após serem carregados e drenados pela linfa. Elisa. Reconhecimento do antígeno pelos linfócitos T e B.Hiper-mutação somática Fenômeno que afeta quase que exclusivamente as regiões codificantes das Igs.Verifica o tamanho do alo de precipitação. não secreta o TCR. não sofrem mutação somática e não há mudança de classe. . 18. 16.Ativação do Linfócito B Após ativação da célula B ocorre a expansão clonal. testes imunoenzimáticos. quanto maior for o diâmetro maior é concentração de anticorpo. Quando sofre exocitose dos grânulos. 21. co-receptoras CD3. que precisam do MHC para realizar suas funções. que em seguida ocorrerá uma diferenciação para uma célula secretora de anticorpos chamada de plasmócito. 15.Perforinas A perforina é uma proteína formada de poros presentes como monômeros nos grânulos dos linfócitos T citotóxicos e das NKs. os monômeros de perforina em contato com altas concentrações de Ca sofrem polimerização. 14.Resposta imune humoral e celular A imunidade humoral e a imunidade celular (Células T) são subdivisões da imunidade adquirida. Resposta imune célular rmediada por linfócitos T. acessórias CD4 ou CD8.moléculas que participam da ativação do linfócito T TCR. 20. Que permitem a formação de canais aquasos e permite a entrada de granzinas que induzem a apoptose.

presentes no plasma. Com a ativação do complemento. realizando assim a defesa do organismo (imunidade humoral). IgA representa 15-20% das imunoglobulinas do soro humano. IgE. A específica interação entre o antígeno e a IgE ligada no mastócito resulta em liberação de histamina e citocinas. IgM perfaz aproximandamente 10% do conjunto de imunoglobulinas.22. É o anticorpo principal nas resposta imunes secundárias e a única classe antitoxinas. Os anticorpos da classe IgE são responsáveis pelos fenômeno anafiláticos. são glicoproteínas sintetizadas e excretadas por células plasmáticas derivadas dos linfócitos B. sendo uma classe de anticorpos "precoces" (são produzidas agudamente nas fases agudas iniciais das doenças que desencadeiam resposta humoral). Há cinco classes de imunoglobulina com função de anticorpo: IgA. aumento da permeabilidade vascular e amplificação da resposta inflamatória. leite. Os diferentes tipos se diferenciam pela suas propriedades biológicas. Cinqüenta por cento dos pacientes com doenças alérgicas tem altos níveis de IgE. É encontrada na membrana de superfície de basófilos e mastócitos em todos os indivíduos. tecidos e secreções que atacam antígenos. lágrima. Esta igualmente distribuída nos compartimentos extracelulares e é a única que atravessa a placenta.Anti-infecciosas (imunoglobulina). Sua estrutura é pentamérica. mucosas do trato gastrointestinal e trato respiratório. É encontrada também na superfície dos linfócitos B de forma monomérica. mais de 80% da IgA ocorre sob a forma monomérica e está presente no sangue nesta forma. onde provavelmente serve como receptor de antígeno. IgG é uma imunoglobulina monomérica. As 5 cadeias são ligadas entre si por pontes dissulfeto e por uma cadeia polipeptídica inferior chamada de cadeia J. . A IgM é encontrada principalmente no intravascular. localizações funcionais e habilidade para lidar com diferentes antígenos. A função dela não está muito bem definida. A região FC realiza ativação de complemento (quando unida ao antígeno) e auxilia a fagocitose por se ligar a macrófagos. As principais ações dos anticorpos são a neutralização de toxinas. vasodilatação. Esses mediadores podem produzir broncoespasmo. realizando a função de receptor de antígenos. No homem.Imunoglobulinas Anticorpos e imunoglobulinas. destruição celular e fagocitose auxiliada pelo sistema complemento. É a imunoglobulina predominante em secreções: saliva. IgD (monomérica) está presente no soro em concentrações muito baixas. . IgE está presente no soro sanguíneo em baixas concentrações. IgG e IgM. É encontrada na superfície de muitos linfócitos assim como IgM. opsonização de antígenos. há geração de quimiotaxia de neutrófilos. O principal papel da IgA é proteger o organismo da invasão viral ou bacteriana através das mucosas. que perfaz 80% das imunoglobulinas do organismo. os plasmócitos. atraindo os eosinófilos. IgD. Tem um papel importante na imunidade ativa contra parasitas helmintos.