You are on page 1of 1

6 ANJ.

geral

QUINTA-FEIRA, 24 DE MAIO DE 2012
PIERO RAGAZZI

AN JARAGUÁ

O PROJETO
O Vitrine Cultural Marisol é um projeto apoiado pela Lei Rouanet de Incentivo à Cultura. O caminhão começou a viagem no começo do mês em um roteiro que passou por cinco cidades de três Estados brasileiros. O projeto já esteve em Schroeder e Benedito Novo, em Santa Catarina. Depois de Jaraguá do Sul, a próxima parada é em Novo Hamburgo (RS).

CARINHO O ator Fabiano Peruche recebeu a atenção mais que especial da plateia

Cultura

Um caminhão bem diferente
Projeto que leva teatro e cinema à população fica até hoje em Jaraguá
FERNANDA DELLAGIUSTINA
fernanda.dellagiustina@an.com.br

O riso foi a expressão mais vista nos rostos das crianças e adultos que assistiram ontem aos espetáculos do projeto Vitrine Cultural Marisol, em Jaraguá do Sul. O caminhão estacionado desde segunda-feira na frente da loja One Store Marisol, no bairro Vila Lalau, fica na cidade

até hoje. É por este motivo que as duas companhias teatrais que vieram com o projeto se apresentam apenas mais uma vez: às 9 horas e às 10h15. Às 9 horas, a Companhia de Teatro Cabriola, de Salvador, encena a peça “Fábulas Fabulosas”. Em meia hora de espetáculo, os atores Etiene Bolsas e Heraldo Souza contam duas fábulas de maneira divertida e próxima do público, acompanhados de fantoches e origamis. Às 10h15, o teatro “Clov’s o intencionável”, da Cia. Teatro Lá nos Fundos, de Criciúma, fecha as apresentações. Na história, o palhaço interpretado por Fabiano Peruche faz a última turnê.
ANA CAROLINA BALSSANELLI, DIVULGAÇÃO

No meio do show, ele encontra o amor da sua vida na plateia, que na manhã de ontem foi a professora Marilda Fernandes, 40 anos. Chamada pelo palhaço enquanto assistia ao teatro, Marilda resolveu interpretar o personagem de Celusa, que lhe foi dado na hora. “Muito divertidos os dois espetáculos. Foi engraçado participar e fiquei surpresa quando ele me chamou”, lembra. A professora era uma das que acompanhavam os 60 alunos da Escola Rosa Donini. “Os atores trabalham de um jeito que nos aproxima do teatro”, acrescenta. Segundo o produtor do projeto, Vítor Hugo Maia, os dois espetáculos foram os que subiram

ao palco todos os dias em Jaraguá do Sul. Além das peças, o filme de animação “Rio” foi exibido durante a noite. “Até hoje (ontem), mais de mil pessoas da comunidade, de escolas e entidades sociais passaram pela plateia”, destaca.

Mais perto do público
Para a atriz da peça “Fábulas Fabulosas”, Etiene Bolsas, 34 anos, o palco dentro de um caminhão aproxima o artista do público. Etiene veio de Salvador e passou por três cidades com o espetáculo dentro do projeto. Apaixonada pela proposta de levar a cultura para diversas regiões, a artista revela que ficou

com receio ao saber da turnê para o Sul. “Em Salvador temos outra cultura, eu não sabia como as crianças iam reagir ao nosso espetáculo aqui. Mas foi muito bom porque elas se envolveram com os personagens”, afirma. Prova disso, foi o pedido dos alunos da Escola Futura Centro Educacional, do Vila Lalau. Ele quiseram tirar uma foto com os dois atores, no fim da apresentação. A estudante Tabata Maass, 11 anos, saiu na fotografia com gosto. “Adorei o espetáculo. É bom sair da rotina da sala de aula. As histórias das fábulas que eles interpretaram nós conhecemos, mas fizeram de uma maneira diferente e engraçada”, elogia a menina.

Schroeder

Fundação terá cursos gratuitos
Um novo local para capacitação profissional será inaugurado hoje em Schroeder. A Fundação Eduardo Horn, da empresa Menegotti Indústrias Metalúrgicas, deverá atender a mais de 200 pessoas por mês entre funcionários e pessoas comunidade. A fundação vai oferecer cursos e palestras gratuitas. Segundo a gerente administrativa da empresa, Marinês Jacues de Oliveira Conte, a população terá direito a 20% das vagas de cada curso. As primeiras aulas, previstas para começar em junho, são de inglês básico e informática e dos ensinos médio e fundamental. A fundação também pretende desenvolver projetos de apoio social, esportivo e cultural. “Uma das ideias é chamar voluntários para ministrar cursos e palestras em diversas áreas”, destaca Marinês. A fundação leva o nome de Eduardo Horn, que foi superintendente da Menegotti até a sua morte, em 2008. O novo prédio fica no Centro de Schroeder. O ambiente tem sala de aula, de informática e biblioteca com mais de 300 livros. O local irá funcionar nas segundas, quartas e sextas-feiras, das 10h18 às 17h18, e de terças a quintas-feiras, das 8 às 15 horas. Para informações sobre cursos e inscrições, o telefone para contato é o 3374-6641.

ESTRUTURA Local tem sala de sala, de informática e biblioteca com 300 livros