You are on page 1of 28

PROCESSO CIVIL Renato Montans AÇÃO Lide = pretensão resistida; A Jurisdição é inerte  direito de ação  Conceito Ação é o direito

subjetivo público de se deduzir uma pretensão em juízo. Ação Direito CF, 5º, XXXV (P.Inafastabilidade) 126, CPC, desde que o autor preencha as condições da ação Procedimento

 Condições da ação ======> PLI a) Possibilidade jurídica do pedido – princípio da legalidade ampla (art. 5º, II). O pedido será juridicamente possível se aquilo que se pede no Judiciário esteja previsto em lei ou não seja vedado por ela. Exemplos clássicos: cobrança de dívida de jogo, usucapião de bem público, pacta corvina. b) Legitimidade da parte – parte é quem pede e contra quem se pede determinada providência. A qualidade de ser parte é estar dentro do processo (e não ter direitos e obrigações) – conceito geográfico. Para ter direitos ou obrigações, não basta ser parte, tem que ser parte legítima. Legitimidade é a congruência entre as partes que figuraram no direito material com as partes que estão no processo -Legitimação ordinária. Legitimação extraordinária é a permissibilidade que determinadas pessoas possuem para buscar o judiciário mesmo não tendo figurado na relação de direito material. Ex: MP na ação civil pública, sindicato no interesse de seus afiliados, gestores de negócios... c) Interesse de agir – Necessidade (Ex: vencimento da dívida) / Adequação (utilização do instrumento processual adequado) Falta das condições  extinção sem resolução do mérito  Elementos da Ação ======> PCP a) Partes: autor e réu b) Causa de pedir: por que você está entrando com a ação b.1) Remota – é o vínculo que une autor e réu. Contrato de locação b.2) Próxima – é o vício que atinge esta relação.Não pagamento do contrato de locação. c) Pedido c.1) Imediato: sentença que condene, declare ou constitua algum direito c.2) Mediato: o bem jurídico

LISTISCONSÓRCIO (art.46, CPC)  Conceito É a pluralidade de autores, réus ou ambos dentro do processo. Razões do litisconsórcio: economia processual e harmonia dos julgados (evitar decisões conflitantes).  Número de pessoas: não há limites Litisconsórcio multitudinário (art. 46, § único): o juiz pode desmembrar os processos – permissibilidade adstrita ao litisconsórcio facultativo. Assim, poderá o magistrado desmembrar o litisconsórcio facultativo quando pelo número excessivo de litigantes puder ocasionar prejuízo para a defesa ou dificuldade na rápida solução do litígio.  Classificação a) Quanto à posição:  Ativo  Passivo  Misto b) Quanto à obrigatoriedade:  Facultativo – quando a parte tem a opção de formar o litisconsórcio. Ex: condomínio e solidariedade.  Necessário – quando a lei obriga a formar o litisconsórcio. Ex: marido e mulher nas ações reais imobiliárias (art. 10, §1º). c) Quanto ao momento de formação:  Inicial (petição inicial)  Ulterior – formado no curso da lide d) Quanto a uniformidade da decisão:  Simples – ocorre quando o juiz NÃO TIVER de decidir de maneira igual a todos os litisconsortes.  Unitário – é a regra: quando o juiz tem o dever de julgar de maneira uniforme a todos os litisconsortes.  Posição dos Litisconsortes no Processo Uniformidade:  Simples – cada parte é considerada autônoma perante os demais. Assim, os atos e omissões de um não ajudam nem atrapalham aos demais. (7 anos de namoro)  Unitário – os atos positivos (recurso/contestação) ajudam aos demais, mas os negativos (confissão) não prejudica. (02 meses de namoro)

b) Desinteressados – os quais não serão atingidos pela sentença. porém. Se as partes concordarem. as partes são intimadas para se manifestar em 5 dias. antes. Obs: Se a pergunta tiver a palavra “caseiro”. . C é mero detentor e nomeia B que é quem tem a posse do bem. é possível que seja parte. mas se parte é quem está no processo. a assistência será simples. Ex: caseiro Gleba de terra que tem um dono (A) cujo esbulhador (B) coloca um caseiro (C). a sentença vai atingir sua esfera jurídica. Coisa julgada = imutabilidade dos efeitos da sentença que atinge. b) Litisconsorcial => se o terceiro tem relação jurídica com as duas partes. Existe uma diferença entre “parte” e “parte legítima”. Tipos de terceiros: a) Interessados – aqueles que. o juiz decide. Ser parte é geográfico. Modalidades: 1.  É feita por petição simples  Momento: qualquer momento  É facultativa  Quando o assistente intervier no processo. ASSISTÊNCIA Ocorre quando o terceiro tem interesse jurídico e que uma das partes vença a demanda.INTERVENÇÃO DE TERCEIROS Preliminares: Função de juiz no processo = dirimir lides. Intervenções: a) que o interessado entra espontaneamente b) que o terceiro é chamado. mas não ser parte legítima (quem de fato participou da relação jurídica). se as partes não concordarem. quem está fora não é parte. Quem é o terceiro? Quem não é parte (autor ou réu). 2. via de regra. NOMEAÇÃO A AUTORIA (62/69)  Conceito: É correção do pólo passivo da demanda em circunstâncias especiais. de algum jeito. a resposta é “nomeação”. as partes. conflitos de interesses. 62 e 63)  Hipóteses: a) Mero detentor (62). Pode ser: a) Simples => se o terceiro tiver relação com apenas uma das partes. Deve ser alegada em preliminar de contestação. ocorrerá o simples ingresso do terceiro (há aceitação tácita se as partes não se manifestarem no prazo). Mas existem duas situações de exceção que não se faz por preliminar: Nomeação a autoria (art. o juiz desentranha a petição do processo.

mas tenta proteger seu bem tendo em vista que houve uma penhora injusta.mero cumpridor de ordem. Que terceiro concordaria? Aquele que tem razão.  Momento: até a sentença. CPC)  Conceito: Quando o terceiro reivindica para si. O empregado nomeia a autoria o chefe que efetuou a ordem. e não petição simples). o magistrado devolverá o prazo de defesa. 56. DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Art. O terceiro irá se opor a um direito que está sendo discutido numa ação de conhecimento. 3. se formulada antes da audiência. permite-se que o terceiro seja trazido ao processo para responder pela obrigação. com todos os requisitos do 282. com a denunciação à lide. A B <= C  Processamento: a autuação é em apenso (é ação 1.  Para que a nomeação à autoria seja efetivada é necessário a concordância do autor e do terceiro. 1 Ação. C só sucumbirá se B perder. OPOSIÇÃO (art.  É facultativa. petição simples.  Processamento: por petição simples  Momento: no prazo de defesa. mas o terceiro teve seu bem injustamente penhorado. Ex: o bem penhorado não era da parte executada.  É obrigatória.  Diferença entre Oposição e Embargos de Terceiro:  Na oposição: o terceiro se opõe a um direito. ocorre no processo de execução. 4. . O Juiz faz 2 demandas e 2 sentenças numa só ação: A x B x C Exemplo clássico: a seguradora  Conceito: é intervenção de garantia. quando não se reivindica algum bem ou direito.  Se a nomeação a autoria for julgada improcedente. Ex: O terceiro se opõe porque o direito em discussão é seu. no todo ou em parte. geralmente.b) Mero executor (63) . 70) (a que mais cai na prova) O autor e o réu são legítimos. A  B => C (futura demanda regressiva) Relação de garantia É mais célere do que entrar com futura ação.  Nos embargos: o terceiro não se opõe ao direito. quando se pede alguma bem ou direito. aquilo que as partes disputam em juízo. EM SUMA: Oposição: protege o direito Embargos: protege o bem. segundo o resultado da lide. Assim.

O fiador chama o locatário) Se for apresentada pelo autor deve ser Apresentada na contestação ou numa peça feita na petição inicial. autônoma Se apresentada pelo réu. é chamamento) Maior exemplo: seguradora Ex: Locador  Locatário=> Fiador (Ambos têm responsabilidade. A  B => C A vendeu imóvel que não era seu para B. posse indireta III. Apenas 1 deles é demandado. Duas partes da sentença: B tem que devolver o imóvel a A e este tem que pagar a B. O art. II CC. C entra com ação contra B pq o imóvel é seu. deve ser feita na contestação ou numa peça autônoma. permite-se que o réu traga ao processo os demais co-obrigados que não foram demandados. Credor  4 devedores solidários.  É facultativo  Momento: prazo de defesa DENINCIAÇÃO À LIDE Art. 70 diz é obrigatória. Casos: I. CHAMAMENTO AO PROCESSO  Conceito: É intervenção de solidariedade.456) => é a perda da coisa por decisão judicial. lei/contrato  Para a OAB.1 Classificação a) Quanto às partes:  Ativo – autores  Passivo – réus  Misto – autores e réus 2 Conforme do 275. . Então este chama os demais para o processo. evicção (art. As demais são facultativas. 2. O CPC está errado2. II. 70 Objetivo: formação de litisconsórcio Facultativa Pode ser apresentada pelo autor ou pelo réu Implica numa responsabilidade subsidiária CHAMAMENTO AO PROCESSO Art.  Requisito: entre as partes deve existir a mesma relação jurídica identficável através de um fato ou um contrato. LITISCONSÓRCIO  Pluralidade de partes. 5.  Discute-se direitos individuais (e não coletivos). Todo contrato tem uma cláusula resolutória implícita: se o direito não é de quem o alienou. apenas a hipótese de evicção é obrigatória. 77 Objetivo: formação de litisconsórcio Facultativo Apenas pelo réu Responsabilidade solidária (sempre que cair “solidária”.

ou vendem ou ficam com o bem. 2º. 47. 989. O litisconsórcio obrigatório é condição de eficácia da sentença. CPC): por força da lei ou da natureza da relação jurídica Ex: art. O Estado tem que ser provocado. se o bem pertence aos dois. Arbitragem => (Lei 9. Exceções: 1. CPC).441/07: separação/divórcio/inventário => cartório Requisitos: a) que não haja interesses de incapazes. 42: usucapião => a Lei determina as partes que deverão compor o pólo passivo. . É possível que o número de partes dificulte o julgamento. 1º. se o juiz prolatar uma sentença de mérito sem a formação do litisconsórcio. 46.  Unitário: quando o juiz tiver que proferir a mesma decisão para todos os litisconsortes. b) Inevitabilidade/Inafastabilidade – Havendo conflito. CF) 2. Justiça desportiva (art. Exceção: Inventário. isto é. CPC => litisconsórcio multitudinário)  Litisconsórcio Necessário (art. assim o juiz poderá limitar o número de litisconsortes (parágrafo único do art. 217. d) Quanto à formação:  Facultativo: fruto da vontade das partes.307/96): solução privada de um conflito (o Estado não participa) 3. é de ofício se nenhum legitimado o fizer (art. esta será nula.b) Quanto ao momento da sua formação:  Anterior : antes da citação  Ulterior: após à citação: denunciação a lide e chamamento c) Quanto à decisão:  Simples: quando o juiz tiver a possibilidade de proferir decisões diferentes para cada litisconsorte. CPC) Contenciosa Soluciona conflitos Lides Voluntária Administra interesses Não-conflito Jurisdição 1. Ex: Cônjuges. o cidadão é obrigado a buscar o Estado (monopólio estatal) para solucioná-lo. Natureza => cônjuges: o bem pertence aos dois. Princípios: a) Inércia (art. CPC). JURISDIÇÃO E COMPETÊNCIA Ação (provocação)  Estado  Atividade Jurisdicional Jurisdição (art. Ex: acidente da TAM. Lei 11.

será contenciosa. . verificar se ação é de competência originária (é aquela que é promovida diretamente num Tribunal. Ex: qualquer ação relativa a imóveis situados no Brasil. Competência Jurisdição --------------------------. Todo juiz tem jurisdição.Inventário é de jurisdição contenciosa. pois depende de perícia. c) presença do advogado. empresa pública federal e autarquias federais CEF => empresa pública federal => Justiça Federal BB => sociedade de economia mista => Justiça Estadual Correios (sede) => Justiça Federal Correios (franquias) => Justiça Estadual . Ex: ação rescisória).Interdição é jurisdição voluntária. Neste caso. 88 => competência concorrente  tanto no país de origem do autor como no Brasil.Estado É una sempre Órgãos jurisdicionais => Juízes Competência é o limite da jurisdição. mas a ação de acidente do trabalho (ação em si) é de competência da Justiça Comum estadual.b) que não exista conflito. Fórmula para identificar a competência: 1º) Verificar se ação é de competência internacional (se ação tem que ser promovida no Brasil) – art. a) Justiça Especial: Penal Militar Eleitoral Trabalho OBSA ação de indenização por acidente do trabalho (indenização) é de competência da Justiça do Trabalho. . CPC): a) solução de conflitos => Jurisdição contenciosa b) administração de interesses => Jurisdição voluntária O juiz pode deixar de homologar uma separação consensual que preenche todos os requisitos? R= Sim. CF): União. art. 2. 2º) Se ação for promovida no Brasil. foge da vontade das partes. 109. se todos entrarem em acordo ocorre uma composição. 1. 89 => competência exclusiva do Brasil (independente da nacionalidade do autor. LER art. 3º) Verificar qual é o tipo de justiça adequada ao caso concreta. mas nem todo juiz tem competência para analisar determinado caso concreto. 1º. Objetivos (art. b) Justiça Comum:  Federal (art. se houver coação.104 e seguintes e fazer uma relação dos procedimentos de jurisdição voluntária.

mas é possível que os demais interessados ingressem com exceção de incompetência. Conceito: tornar competente um juiz relativamente incompetente. absoluta ou relativa. a parte pode requerer onde quiser.  As partes utilizam simples petição  Não gera preclusão5  Atos decisórios proferidos por juiz absolutamente incompetentes são nulos. Único ponto em comum. as partes podem. portanto o que se aplica a uma não se aplica à outra. Espécies: a) Legal: nos casos de conexão (reunião de 02 ações no mesmo juízo) e de juízo universal (é o juízo. . pq atrai todas as ações pertinentes àquela massa falida) 3 4 Incompetência absoluta. 98: réu incapaz => a ação será promovida no domicílio do representante. 95: direitos reais sobre imóveis => local do imóvel. Será relativa toda vez que for fixada em razão do território (Exceção: art. Caso: morre em viagem de passeio. Ex: ações possessórias (CA)3 Art. 5 Perda do direito de exercer um ato procesual. Justiça Estadual (determina-se pela exclusão da anterior) Lei de Organização Judiciária 4º) Verificar se é da Justiça Estadual. Prorrogação da Competência: 1. sob pena de preclusão. vg. 94: regra geral => domicílio do réu Art.  Admite ação rescisória COMPETÊNCIA RELATIVA  Interesse das partes  Não  Réu  No prazo da contestação  Exceção de incompetência  Ocorre preclusão  Atos decisórios válidos  Não se admite ação rescisória Reconhecida a incompetência. 2. 95) ou do valor da causa (JEC – Juizado Especial Cível – causas de até 40 salários mínimos). de uma falência.  As partes podem fazê-lo a qualquer momento. Art. 100: casos específicos (vários) Pessoas Jurídicas => local da sede Indenização por acidente de automóvel => domicílio do autor ou no local dos fatos (parágrafo único) – não tem domicílio do réu. o juiz tem a obrigação de remeter os autos ao juiz competente. Art. É regra de competência relativa. COMPETÊNCIA ABSOLUTA  Interesse público ”de ofício” (interesse público)  Se o juiz não suscitar. 96: Regra geral: Inventário => domicílio do autor da herança4 (de cujos) Exceções: Domicílio incerto => local dos bens Domicílio incerto e bens em locais diferentes => local do óbito.  Competência Territorial Art. São conceitos opostos.

deve ou não ser atribuída o valor a causa? Corrente 1: sim. tb a profissão. de uma indenização. Ex: dano moral. Os atos processuais não possuem forma própria – CPC. 154. Renato Montans PETIÇÃO INICIAL Doutrina Clássica: a lei não excluirá de apreciação qualquer lesão ou ameaça de lesão a direito. 286: Requisitos  “certo ou determinado” (redação do CPC) => O PEDIDO DEVE SER CERTO E DETERMINADO. Certo é o pedido expresso. 112. optar por não atribuir valor. responder. c) ações de reparação de dano – “ato ou fato ilícito indeterminado” – quando o autor não puder quantificar a extensão do ato ilícito praticado pelo réu.b) Voluntária:  Tácita => ocorre quando o réu deixa de apresentar a exceção de incompetência. parágrafo único. Mas nem sempre o advogado pode determinar o vl. petição de herança. II – Partes com as suas qualificações – é importante saber se o réu é casado. Dois grupos: a) ações universais – quando o autor não souber a universalidade de bens que compõem o seu direito. Ex: inventário. Exceção: pedido determinável = pedido genérico. Determinado é pedido individualizado pelo seu gênero e pela sua quantidade. Os requisitos são cumulativos. teoria da substanciação (os fatos são mais prestigiados do que os fundamentos). pq o inciso II diz que as . tem citação diferenciada. Art. pq o cônjuge pode ser citado.  Convencional => foro de eleição (é a cláusula inserida num contrato onde as partes elegem o foro (território). Dado a ignorância do juiz sobre os fatos. pq senão vc está assumindo o risco do juiz a possibilidade de valorar. Regra: o pedido é sempre certo e determinado. o advogado coloca valor mais alto ou menor do que tem direito. Art. pq é arriscado. Artigos relacionados: • art. pq se for juiz ou militar. IV – Pedido com suas especificações (cai na prova). Na OAB. III – Fatos e fundamentos = causa de pedir. CPC – a nulidade da cláusula de eleição de foro pode ser declarada pelo juiz. Corrente 2: Não. Prof. a petição inicial deve narrá-los para que o magistrado possa entendê-los e aplicar o direito. 282: sete incisos: I – Endereçamento  Juiz ou Tribunal (pq a competência originária pode ser do Tribunal) a que é dirigido: qualificação da jurisdição. desde que inserida no contrato de adesão. a depender da ação. vg. .

não pode cumular pedidos que seriam de varas diferentes. 292. as demais do curso da lide serão devidas de pleno direito. do mesmo fato. sim. Neste caso. É possível recorrer para obter do Tribunal o pedido principal. admitir-se-á a cumulação SE o autor empregar o procedimento ordinário. esta será resolvida. Quem escolhe o pedido é o juiz. SEM SABER: CONSTITUI MODALIDADE DE PEDIDO IMPLÍCITO. 3) mesmo procedimento – identidade de procedimentos. formulando o autor a primeira parcela. 2) quem escolhe é o réu (quem oferece a alternatividade é o autor). o Estado faz com que a obrigação se cumpra) ou obrigações específicas (fazer e não fazer – art. Estas ações são chamadas de ações edilícias. mesmo que a comarca só tenha um juiz. . o réu pode dever ao autor diversas prestações que se perduram no tempo. • Espécies de pedidos: a) Cominatório (287) – este cai – As obrigações dentro do processo devem ser: em dinheiro (são mais fáceis de serem cumpridas. 461 e de entrega de coisa certa ou incerta – art. 461-A. redibitórias ou quanti minoris.ações de reparação de dano não precisam ter valor: quem atribui valor ao dano moral é o juiz.Ex: dano material com dano moral. Características: o 1º pedido é o principal e 2º é pedido subsidiário.478/68. 461-A) e nas ações de obrigação de fazer ou não fazer (art. 2) mesmo juízo competente – o mesmo juiz da mesma vara. assim. quando não puder. ou provisionais. Se o juiz deu apenas o subsidiário. § 2º . Limites da cumulação: art. Conceito: nas obrigações de entrega de coisa certa ou incerta (art.quando os procedimentos dos pedidos são diferentes verificar-se se todos podem ser transformados em oridnário. o réu poderá ser condenado a cumprir a obrigação.§ 1º: 3 requisitos: 1) os pedidos devem ser compatíveis entre si – pedidos que decorrem da mesma relação jurídica. Lei 5. Ex: ação de alimentos (provisórios. são mais difíceis. quando não há prova do parentesco) – eficácia ex nunc. c) Sucessivo (289) – existe uma hierarquia entre os pedidos (escala de interesses). d) Prestações periódicas (290) – nas relações de trato sucessivo. caso o magistrado tenha concedido somente o subsidiário. b) Alternativo (288) – ocorre quando o réu tem a sua disposição 2 ou mais maneiras de cumprir a obrigação. o magistrado apenas apreciará o segundo requerimento (subsidiário) caso o primeiro (principal) seja negado. e) Cumulados (292) – poderá o autor formular na mesma ação 2 ou mais pedidos cumulados para que todos sejam apreciados. pode se recorrer com relação ao pedido principal? OAB Para a prova da Ordem. mas possui o mecanismo da astreinte). sob pena de pagamento de multa pecuniária por dia de não cumprimento. pq o Estado não tem como fazer com que a obrigação se cumpra.461) o réu poderá ser cominado a cumprir a obrigação específica sob pena do pagamento de multa pecuniária por dia de não cumprimento. Características: 1) os pedidos têm a mesma hierarquia – de qualquer forma que a obrigação for cumprida.

Inciso VI – Provas Na petição inicial não se requisita. I: ações que não exceda a 60 salários mínimos # do Juizado Especial Cível: 40 sm 3.a lei determina o valor da causa. CPC. . Competência: Juizado Especial Cível JEC (o. Inciso VII – Citação:  Art. determinação das custas 2.245/91): 12 x o valor do aluguel.Prof.  Art. Procedimento: rito sumário (275. b) Interrompe a prescrição. Lei . Proveito econômico da demanda (o valor econômico é determinado na inicial) 2. 214 – a citação é pressuposto de validade do processo (triangularização da relação processual)  Art.é o ato pelo qual se traz o réu ao juízo para se defender. c) Induz a litispendência (ações idênticas). Arts 259 e 260.só será válida se o próprio réu assinar o AR .  Meios de citação 1) Correio (regra) – carta com AR Prazo da contestação: conta da juntada do AR nos autos. 213: Conceito . Fábio Mena Petição Inicial (cont.) Valor da Causa Inciso V – Valor da Causa: a toda causa é atribuída um valor ainda que não tenha não tenha conteúdo econômico imediato. A que vai prosperar é a que ocorreu a primeira citação.  Efeitos: 1. Ex: ação de alimentos: 12 vezes os alimentos. desde que o autor requeira na petição inicial. O requerimento de provas é feita na fase do saneamento. art.Efeitos: a) Faz litigiosa a coisa. pois a contestação também deverá neste momento. a impuganação será apresentada na audiência. as ações da lei de Locação (8. Este requisito existe apenas para evitar a preclusão. mas apenas indica necessidade de produção de provas.40 sm  Valor: regras 1. Quem pode receber esta carta? Citação entregue a porteiro: Art. 219 . 2º .099/95. Impugnação ao valor da causa:  Natureza Jurídica: é um incidente processual  Objetivo: é a adequação do valor da causa  Momento: no prazo da contestação  Forma: peça autônoma (não é preliminar de contestação)  Autuação: em apenso  Não tem efeito suspensivo  Decisão interlocutória (cabe agravo) No rito sumário.

 Edital (art.1 – Citação por hora certa a) ocultação do réu b) 03 vezes ao domicílio do réu 3) Edital Hipóteses: a) Réu desconhecido b) Réu em lugar incerto c) Quando a lei assim determinar. Hipóteses de cabimento: local de difícil acesso é local que não chega nem o correio.2) Oficial de Justiça – hora certa a) Frustrada a citação pelo correio. nem o oficial de justiça. Ex: ação de usucapião (art. Pressuposto básico: o réu possuir domicílio certo. via de regra). Requisitos: objetivo – o oficial comparecer por 3 vezes. visto que. O oficial só aplicará quando constatar que o sujeito está fugindo. Cidade que não tem jornal. conforme o art. 231) ocorre citação por edital quando não se souber quem é o réu ou este residir em local incerto ou de difícil acesso. 942). 9ª. OBS: Quando a citação for ficta e sendo o réu revel o juiz nomeará um curador para defender os seus interesses. 2. não se sabe onde mora o réu. b) Quando houver requerimento expresso na petição inicial. O réu citado por edital que não contesta a ação tem o seu direito de defesa assegurado. 227) quando o oficial comparece por 3 vezes na casa do réu.por edital ou por hora certa. usucapião (art.222): réu incapaz e nos processos de execução fundada em título extrajudicial. o juiz tem a obrigação de nomear um curador especial para defender seus interesses. .casos: invasão de terra (200 invasores). Só vai ser feita a citação por precatória se a modalidade de citação for por oficial de justiça. Ex: arresto. em dias e horários diferentes. Quando o autor for beneficiário da justiça gratuita o edital será publicado apenas no Diário Oficial. se faz pelo rádio. o oficial goza de fé pública) – pelo correio (nos termos do art. 4) Meios eletrônicos  Tipos de citação que caem na prova: Modalidades: a) real (realmente aconteceu. 3) quando versar sobre o estado das pessoas (direito de família. 222. b) ficta (não se sabe se de fato aconteceu. Publicação: em diário oficial ou jornal de grande circulação.II do CPC. 2) quando as fazendas forem parte. que tem domicílio certo e presume que este esteja se ocultando da citação. 942). c) Nos casos previstos em lei (art. é presunção de citação) .  Hora certa (art. a citação será feita pelos correios em todas as comarcas do país – regra!) ou pelo oficial de justiça (exceção) – casos: 1) execução. subjetivo – suspeita de ocultação. não saber que é o réu .

6.nos termos do art. C) Interposto o recurso de apelação contra sentença que indefere a petição inicial o juiz poderá se retratar. O juiz verifica de ofício. Da sentença caberá apelação podendo o magistrado se retratar em 5 dias.  Sentenças idênticas em casos semelhantes A OAB entrou com ADIN contra o art. Poderá o juiz.3 defesas: . isto é. 2. no prazo de 10 dias (art. Resposta do Réu Princípios constitucionais: ampla defesa e contraditório.Controle de Admissibilidade da Petição Inicial O juiz tem 4 poderes: 1. Mandar citar (285. à técnica da petição inicial ( o juiz não consegue compreender o que o autor quis dizer. § º a prescrição A PRESCRIÇÃO PODE SER CONHECIDA DE OFÍCIO A QUALQUER TEMPO E GRAU DE JURISDIÇÃO. Nas quatro primeiras. o juiz extingue o feito sem resolução do mérito. não se aplica ao direito de família. podendo o magistrado se retratar (se não citou o réu) em 48 horas. se o juiz não se retratar. com ou sem mérito. aplica a mesma sentença e julga improcedente. D) Momento: antes da citação E) Improcedentes – mérito F) Requisitos:  Matéria de direito (é aquela onde não há necessidade de produzir provas) exclusivamente. mas à forma. ao receber a petição inicial do autor (veiculando matéria de direito) indeferir a petição inicial com resolução de mérito cuja matéria veiculada já tenha sido julgada improcedente naquele juízo por decisões anteriores. 295 1. Quando o autor não atender ao disposto no art. mas o direito. 2. reconsiderar a sua decisão. 3. Inépcia (ilógica) está relacionada não ao conteúdo. o réu será citado para apresentar contra-razões. Falta de interesse de agir. 285-A: “julgamento de processos repetitivos”. 296 a sentença que indeferir a petição inicial. 295): A) Momento: antes da citação B) Hipóteses: art. 284) 3. Se o juiz se retratar a ação seguirá normalmente. Prescrição . Nos termos do art. Será inepta quando da ação dos fatos não decorrer logicamente o pedido. Isso se aplica mais para casos tributários e previdenciários na Justiça Federal – não se analisa o fato. 5. 219. sem citar o réu. Quando houver ilegitimidade de partes. o juiz verifica a mesma tese de ações julgadas anteriormente. Cabe apelação e retratação. Art. 284. Decadência IMPORTANTE! No caso de prescrição e decadência é com resolução do mérito. Mandar emendar ou aditar. com julgamento de mérito. Indeferir a petição inicial (art. cabe retratação. Por economia processual. 297 . Sempre que o juiz indeferir a inicial. 4. CPC).

Quando o réu quer atacar o processo faz isso nas preliminares.impedimento. sob pena de preclusão.art. Prazo: 15 dias. Exceções – é o incidente destinado a argüir a incompetência do juízo ou afastar a parcialidade do juiz. 303 – três hipóteses: 1) direito superveniente (o direito surge depois da contestação). É a exigência que o réu se defenda especificamente dos fatos alegados. . Contestação 2. Pelas preliminares o réu arguirá defeitos no processo que veicula a pretensão do autor. Natureza: ação .191 – havendo mais de um réu assistido por procuradores diferentes. O juiz pode ser obrigado a extinguir o processo sem analisar o mérito. III – havendo vários réus com juntada aos autos dos mandados ou ARs em dias distintos. de ordem pública: prescrição e decadência). 3. CPP e os 11 incisos: OAB: Não constitui preliminar: a) inépcia da petição inicial. suspeição 1. se não resolver a “treta” é preliminar.188 – Ministério Público Fazenda Púbica. 311. o curador especial e o MP (art. 2) as matérias que o juiz pode conhecer de ofício (quando houver expressas autorização legal. Exceções: incompetência. formulando provas para elidir a pretensão do autor. Preliminares: primeiro o juiz analisa o processo. 302) – quando a citação for por edital ou hora certa. b) perempção c) coisa julgada d) pagamento X Quando o juiz resolver a “treta” é mérito. . Rito sumário: defesa em audiência Natureza: defesa Prazos: Sempre começam a correr da intimação.241. prazo em quadro para contestar e em dobro para recorrer. Cautelar: 5 dias. por mais conflitantes que sejam as matérias deduzidas na defesa. Sempre que D. Princípios: a) Regra da eventualidade – toda matéria de defesa deve ser alegada em contestação. 2. Contestação . quando falar é mérito. depois analisa o direito.é defesa clássica do réu contra o autor. Reconvenção 3. Leninha não falar é preliminar. b) Ônus da impugnação específica – tudo que se escrever deve ter o “conforme faz prova”. . o prazo para que todos se defendam começa a correr da juntada aos autos do último mandado. Exceções à regra do princípio da eventualidade . o prazo se computa em dobro.1. Já a matéria de mérito objetiva atacar o próprio direito postulado. O único que não conta assim é o da contestação que conta da juntada do mandado ou do AR aos autos. Art. Somente é possível a defesa por negativa geral ao advogado dativo.

A exceção deve correr no fórum onde está correndo a ação. b) Impedimento (art. III). Portanto: poderá o magistrado conhecer da sua incompetência de ofício quando verificar que no contrato de adesão que deu ensejo à demanda contiver cláusula de eleição de foro abusiva. A suspeição demanda dilação probatória (amigo íntimo. a fim de que o processo seja transportado pela comarca certa. 306 e 265. As causas de impedimento são mais graves que as de suspensão. O juiz tem que aguardar a outra parte alegar a exceção de incompetência. Se o réu não opuser exceção de incompetência no prazo legal. 135) são vícios de parcialidade: o problema é a pessoa do juiz .Modalidades: a) incompetência b) impedimento c) suspeição Disposições gerais: 1. não tem certificado. No impedimento sempre a prova vai ser de plano (certidão de casamento. a) Incompetência – incidente destinado a corrigir a comarca eleita pelo autor para a propositura da demanda. Exceção: Art 112. 2. Prazo da exceção: 15 dias. de nascimento. nem tampouco o inimigo capital). 134) e suspensão (art. Não é preciso protocolizar as duas (contestação e exceção) ao mesmo tempo. A exceção é um incidente cujo recurso cabível é o agravo. o magistrado não poderá declarar a sua incompetência de ofício. torna-se absolutamente competente para a causa (PRORROGAÇÃO DE COMPETÊNCIA – art. INCOMPETÊNCIA SUSPEIÇÃO IMPEDIMENTO PARTE 15 dias 15 dias Qualquer momento JUIZ Não Qualquer momento Qualquer momento 4. procuração etc). O processo fica parado e só volta a andar quando a exceção for julgada. CPC) – é o contra-ataque do réu contra o autor no mesmo processo. Incompetência territorial é relativa.vícios de parcialidade. . se isso não ocorrer ocorrerá a prorrogação de competência. o juiz que era relativamente incompetente. CDC – matéria de ordem pública. 114). contados da data em que se tomou ciência do fato (não é o mesmo prazo da defesa). 3. Assim. Muitos advogados entram com a exceção para suspender e ganhar tempo para fazer com calma a contestação. Reconvenção (315. O protocolo da exceção acarreta a suspensão do processo (arts. O foro de eleição prevalece ao da lei. o juiz não pode julgar.

Prestação de contas. Na liquidação não é possível rediscutir a matéria da ação de conhecimento que transitou em julgado. 282). Ex: avaliação de bens. Liquidação de sentenças (475.  Preclusão consumativa – preclusão é perda da possibilidade de praticar um ato no tempo e forma devidos.quando a lei exigir que dois ou mais atos sejam praticados simultaneamente.C. Regra: não se pode pedir nada em contestação. Na reconvenção o réu tem o direito não só de elidir o direito alegado pelo autor. Importante: Não necessita de requerimento: se dá por impulso oficial ( o juiz de ofício dá impulso ao cumprimento de sentença). Lógica – quando a parte pratica dois atos logicamente incompatíveis entre si. 3. Estas causas são de natureza dúplice em que se formula pedido contraposto (contra-ataque que se chama pedido contraposto e não reconvenção) que se apresenta na mesma peça processual. Consumativa – OAB . 475 A e ss do CPP. Fábio Mena 4ª FASE DO PROCESSO DE CONHECIMENTO: SENTENÇA Lei 11. como tb de pedir alguma coisa contra o autor.232/05 => Cumprimento de sentença nos mesmos autos => art. 3. Espécies: a) por simples cálculo – atualização de valores (divergência doutrinária se é espécie. é ação (art. Despejo. 5. Se a sentença for ilíquida. Modalidades: 1. depois outra petição faz a contestação. Rito sumário. mas para a OAB é).  A reconvenção tem natureza jurídica de petição inicial. Possessórias (a OAB entende o contrário) OBS: estas causas têm procedimento menor e a reconvenção faz o processo andar mais devagar.  Causas que não cabem reconvenção: 1. Ex: Uma petição renuncia ao direito de contestar. 2. 4. Temporal – quando se pratica o ato fora do tempo. ss) Objetivo = atribuir liquidez à sentença. Ex: contestação e reconvenção devem ser apresentadas simultaneamente. Atinge sentenças condenatórias cujo objeto é o pagamento de soma em dinheiro. 1. Prof. diferente da reconvenção. . deverá existir a fase intermediária da liquidação de sentença.Contestação é defesa estática que visa eliminar o direito que o autor diz que tem. b) por arbitramento – é aquela que exige prova pericial. Juizado Especial – aqui não se cria peça autônoma 2.

para:  Modificar: refazer  Invalidar: tornar sem efeito . tem multa? Sim. STJ: se o devedor disser (e provar) que o advogado não informou. 4. 2. Penhora não é pagamento. Se não efetivar o pagamento será aplicada uma multa de 10% sobre o débito. Ex: o bem penhorado é o único bem: casa de moradia (bem de família). É necessário a intimação do devedor? O STJ e a OAB entende que não. recurso cabível é a apelação. ação rescisória). mas não é a única forma (Ex. Não se fala em embargos (extrajudicial) e sim em impugnação (título judicial). Impugnação => incidente. cujo recurso hábil é o agravo. tendo em vista que se trata de um incidente. Cumprimento de sentença Com o trânsito em julgado da sentença o devedor terá o prazo de 15 dias para pagar. Com a penhora nos autos o devedor terá 15 dias para apresentar a impugnação. Requerimento do credor para que haja a penhora. A multa de 10% prevista. 475-J poderá ser de responsabilidade do advogado se o devedor demonstrar que não foi devidamente comunicado pelo seu advogado com relação à sua aplicação. ao invés de pagar. é garantia da execução. oferece o bem à penhora. enquanto o juiz analisa à questão. após a aplicação da multa. depende do caso concreto). A responsabilidade é do advogado: é o advogado que paga. Não extinção => decisão interlocutória. 5. recibo) Fato novo => artigo Prova pericial => arbitramento A decisão da liquidação é interlocutória.c) por artigo – é aquela que exige um fato novo (nota fiscal. prevista no art. Matérias previstas no CPC (475-L) Efeitos: • Regra => não suspende ( princípio da celeridade) • Exceção => possibilidade de ocorrer um dano (indeterminado. suspende a questão. 3. cabe agravo de instrumento RECURSOS  Conceito: é um meio de impugnação de uma decisão (quem decide o que é recurso é o legislador – são oito tipos de recursos). Não tem natureza de ação. Autuação: • Apenso – caso não seja atribuído o efeito suspensivo • Nos próprios autos – se for atribuído o efeito suspensivo • Apartado Decisão: • Extinção => será sentença. Se o devedor.

Ex: pessoa compra carro numa concessionária que apresenta um defeito e entra com ação contra a concessionária. Tempestividade Tabela de Prazo 05 dias 10 dias 15 dias Embargos de Declaração e Agravos de instrumento e Todos os outros o Agravo retido e o Recurso Interno/Regimental inominado para o Juizado Especial Cível Exceções: Prazos em dobro Art.LER: 1. a montadora pode recorrer. contraditória ou ambigüidade Princípios: 1. 2. Legitimidade – art. Princípio do Duplo Grau de Jurisdição – todo recurso deve ser analisado por outro órgão julgador. 496 . 499: as partes. 5. Taxatividade => Lei – CPC art. 191. Princípio da Fungibilidade – o juiz recebe um recurso em lugar de outro. Interesse – o vencido 3. 8. 3. o MP e o terceiro juridicamente prejudicado. 3. b) dúvida fundada (objetiva entre a lei e a doutrina ou a jurisprudência. Requisitos: a) inexistência de erro grosseiro. CPC: litisconsortes com diferentes procuradores: contados em dobro. 4. STF STJ 2º 1º Significa que tem que ser outro grau e sim outro órgão julgador. Esclarecer: sentença obscura. 7. Tem que ter interesse jurídico. 9. . mas do próprio sistema) Todos os recursos passam pelos: Juízo de Admissibilidade Pressupostos de admissibilidade: 1. Cabimento – 4. apelação agravo de instrumento agravo retido embargos de declaração embargos de divergência embargos infringentes recurso extraordinário recurso especial recurso ordinário constitucional (roc) 2. 6. 2. não é a dúvida do advogada.

Lei 9469/07 – Autarquia e fundação pública Art. 511. o preparo será apresentado quarenta e oito horas após a interposição do recurso inominado. Não tem preparo 3. Preparo – recolhimento de custas necessárias ao recebimento do recurso. 5º. 5. => E se recolher recurso inferior? (art. as custas da apelação devem acompanhar o recurso. não vier supri-lo em 5 dias. isto é. A exigência do recolhimento do preparo é constitucional. Cabimento: contra Decisão interlocutória .Art. Valor ínfimo o STJ entendeu que é litigância de má-fé. 544 Pessoas que não recolhem preparo: a) Fazenda Pública b) MP c) Autarquia d) Fundação pública e) Beneficiário da gratuidade da justiça Prof. Fábio Menna EMBARGOS DE DECLARAÇÃO 1. §2º) implicará deserção. 511. intimado. => Momento: ato de interposição do recurso. Caso o recorrente não recolha o preparo o recurso será considerado deserto. Prazo: dias 05 dias 10 dias 15 dias Embargo de Declaração Agravo Os demais Se o recuso for interposto com base nas regras do CPC vai causar a interrupção. No juizado especial. 188. uma vez que a nossa Constituição não assegura o acesso gratuito ao Poder Judiciário. não será admitido ou recebido. CPC: Parte a Fazenda Pública e o MP => contados para contestar em quádruplo e recorrer em dobro. §5º da lei 1060/50 – Defensoria Pública OAB => É tempestivo o recurso interposto antes do prazo? STJ: é intempestivo pq ainda não publicou. 2. Mas se interposto no Juizado Especial Cível vai causar a suspensão. Nos termos do art. se o recorrente. => Quem recolhe? Recursos que não têm preparo: a) Embargos de declaração b) Agravo retido c) Recursos para o ECA d) Agravo interno/regimental e) Agravo do art.

a apelação fica sem efeito e os autos retornarão ao juiz de 1º grau. Só será processado se for interposto o recurso de apelação. . CPC):  Retido  De instrumento A regra é o agravo retido. o cumprimento de sentença). Duas situações: 1. se escrito. Prazo 10 dias. o Tribunal julgará a apelação. o órgão julgador não poderá aplicar a multa protelatória conforme súmula 98 do STJ RECURSO DE AGRAVO a) Cabimento: contra decisão interlocutória.Fins protelatórios  multa correspondente a 1% sobre o valor da causa devida à parte contrária. ambos (agravo retido e apelação) serão julgados na mesma sessão sendo que o agravo retido será julgado primeiro por se tratar de uma questão prejudicial à apelação. No Tribunal.Sentença Acórdão 4. a multa poderá ser elevada até 10% (pressuposto de admissibilidade dos demais recursos – tem que comprovar o recolhimento dela para ingressar com qualquer outro recurso – art. Existe para demonstrar para o Tribunal que a matéria não é nova.Cabimento: quando houver Omissão Obscuridade Contradição . porque a apelação já tem.Requisitos: decisão clara e lógica . b) Espécies (522. Para que o agravo seja processado é necessário que o agravante requeira de forma explícita na apelação. Exceção: o agravo de instrumento. toda vez que a decisão interlocutória for proferida após a sentença (decisões que envolve o recebimento da apelação. 2. mas se a decisão foi proferida na audiência de instrução será interposto na forma oral. Se houver a reiteração desses embargos com fins protelatórios. Perigo de lesão ou dano de difícil reparação. já foi préquestionada. 538) c) prequestionamento É um pressuposto de admissibilidade tanto do recurso especial quanto do recurso extraordinário. Quando os embargos são interpostos para fins de prequestionamento. Particularidades: É retido pq fica nos autos aguardando uma eventual sentença. Não tem preparo. Se o Tribunal der provimento ao agravo retido. Negado provimento ao agravo retido. o juiz encaminhará os autos ao Tribunal. Diante deste requerimento. Objetivos a) esclarecimento .

Via de regra. § único: o não cumprimento.Peças obrigatórias: cópia da decisão agravada. Contra essa decisão não cabe recurso. . caso não convertido em retido: 1. 5. Petição => Juiz decide errado => apelação no TJ => TJ muda a sentença 3. o juiz indefere uma liminar. c) art. Ativo (antecipação da tutela recursal) – é a exceção. Suspensivo – é a regra. é uma liminar dentro do agravo. o Tribunal modifica a decisão interlocutória. cópia das procurações. Cabimento: contra qualquer sentença terminativa ( quando o juiz extingue o feito sem resolução do mérito) ou definitiva (com resolução do mérito).Peças facultativas: petição inicial. cópias das procurações. Art. Competência: Tribunal (interposto diretamente no Tribunal) 3. importa inadimissibilidade do agravo. contestação. Prazo: 15 dias 4. 2. CPC: o agravante tem 3 dias para apresentar a devida informação ao juiz singular quanto à interposição do agravo. O agravante tem que informar o nome e o endereço dos advogados. certidão de intimação. a sentença é definitiva. Art. Via de regra. 2. Processamento da Apelação: . Devolve-se ao Tribunal a matéria recorrida.Quando a decisão é proferida antes da sentença tem que demonstrar a existência de um dano ou lesão. 2. Objetivo: suspender a eficácia da decisão. CPC: “peças”= cópias do processo. Tem preparo 2. – toda liminar revela urgência. 4.a modificação do dispositivo. . De plano.  Agravo de Instrumento: a) Prazo: 10 dias b) Aspectos formais: 1. a sentença é terminativa. Será efeito ativo: 1. quando o juiz indeferir uma tutela antecipada. 526. Devolutivo – todos os recursos de agravo. 3. Objetivos: a) a anulação da sentença – tornar sem efeito. 527 – Tribunal => Câmara => relator Inciso II – o relator converterá o agravo de instrumento em agravo retido e determina a remessa dos autos ao juiz singular (quando o agravo é interposto após a sentença e quando não apresenta o perigo de lesão). e outras peças que o agravante entender úteis. Petição => Juiz extingue sem resolução de mérito=> apelação do TJ que anula a sentença => devolve al juiz para prosseguir o processo b) a reforma da sentença . 525. desde que agudo e provado pelo agravado. APELAÇÃO 1. Inciso III – Efeitos.

284-A) 5. g) O juiz encaminha para o Tribunal. 463) Se o juiz indeferir a petição inicial. podendo o juiz se retratar em 48 horas. f) Intimação da parte contrária para apresentação das contra-razões. 520. 520 e incisos. Poderá se retratar também na apelação interposta nos casos de julgamento de processos repetitivos (art. caberá apelação. b) contra-razões : o juiz abre vistas para contra-razões (a parte vai ser intimada para se defender da apelação) c) efeitos – nos termos do art. Ex: alimentos 3. Carta de sentença é o instrumento para a execução provisória. embora o juiz não esteja obrigado a julgar de acordo com a súmula. Endereçamento =>Juiz da Causa: 15 dias 2. e) Juízo de Retratação. Juiz da causa: a) admissibilidade. Se a sentença do juiz estiver em conformidade com a súmula (do STJ ou STJ). O juiz deverá declarar os efeitos em que a apelação será recebida (art. Obs: A execução provisória é feita no fórum. exceto os casos das hipóteses do art. Verifica se não há súmula impeditiva (§1º do 518). .1. Não é súmula vinculante. toda apelação será recebida nos seus efeitos devolutivo (porque a matéria é devolvida pelo Tribunal) e suspensivo (ato do Tribunal suspender a sentença do magistrado). Prazo: 15 dias. Não se permite retratação do juiz (art. Verifica a presença dos pressupostos processuais. 6. Havendo a coincidência entre a apelação e a súmula. este não deverá receber o recurso de apelação. Aspectos formais: a) Competência: Tribunal b) Admissibilidade: Juiz singular (interposição) c) Tem preparo d) Admissibilidade 4. 520 – taxativo – inciso VII: “confirmar” = “conceder”) a) Devolutivo: Todos b) Suspensivo: Suspende a eficácia da sentença – regra. Só pode se retratar quando houver um erro material (463 – erro de redação da sentença) ou no caso de indeferimento da petição inicial (296). A regra é o juiz não pode se retratar. OBS: É diferente de súmula vinculante que é exclusiva do STF e vincula todo o Poder Judiciário. 5.

6. III 541. ss STJ Acórdão dos TJ estaduais e federais A quo Tribunal 15 dias Devolutivo Lei federal Não CF CPC Comp. 530 => Cabem Embargos Infringentes das decisões não unânimes: a) que reformar. 485. . b) que julgar procedente a ação rescisória6. no prazo de 15 dias e. desde que: a) seja no prato de até 2 anos. Mena RECURSO EXTRAORDINÁRIO E RECURSO ESPECIAL RE 102. Para tanto são necessários os seguintes requisitos. A sentença tem que ser de mérito e o acórdão tem que reformar a sentença. III 541. as diferentes fundamentações apresentadas pelos desembargadores são irrelevantes. acórdão A quo Tribunal 15 dias Devolutivo Constitucional Pressuposto REsp 105. conforme dispuser o Regimento Interno do Tribunal. Tribunal: distribui para uma Câmara (pode ser pré-estabelecida? Sim. b) tenha previsão no art. em grau de apelação a sentença de mérito. Assim. OBS: O Tribunal pode de ofício determinar de ordem pública (decadência. Cabimento Interposição Admissibilidade Prazo Efeito Matéria Repercussão Geral OBS 1: Acórdão proferido pelo colégio recursal do Juizado Especial Cível admite apenas RE (porque colégio recursal não é tribunal) 6 Ação rescisória objetiva desconstituir uma sentença de mérito transitada em julgada. Princípio da vedação da dupla sucumbência (eu não posso tomar 2 “buxa”) A divergência para cabimento dos embargos infringentes deve ser verificada na parte dispositiva da decisão. §3º: anulação da sentença e proceder novo julgamento. ilegitimidade etc.) EMBARGOS INFRINGENTES Art. A Câmara é composta de 5 membros e um deles é o relator que pode determinar aplicação do 515. será sorteado um novo relator para julgar o recurso. Prof. a) sentença terminativa b) que a matéria seja apenas de direito (não há necessidade de produzir provas) c) que o processo esteja em condições para o julgamento (Citação). Os embargos infringentes são dirigidos ao próprio relator. ss STF Qq. a mesma câmara que julgou o agravo é preventa para julgar a apelação).

porque exige o trânsito em julgado de uma sentença de mérito. => Hipóteses taxativas (art. o agravante poderá formular um pedido de reconsideração. CPC) – Exemplos: a) incompetência absoluta b) quando houver impedimento do juiz c) prova falsa => Tem citação e contestação (prazo de 15 a 30 dias: o relator é quem vai determinar) => Tem produção de provas (art. . MEDIDAS DE URGÊNCIA Cautelares e Tutela Antecipada 7 A matéria discutida tem que repercutir para toda a sociedade. => É de competência originária. 475) . o RE e o REsp serão interpostos simultaneamente em peças separadas OBS 2: A Repercussão Geral 7 (art.Se o acórdão do Tribunal de Justiça negar vigência tanto a Constituição quanto a uma lei federal. Duplo grau de jurisdição obrigatório ou Remessa ex ofício ou Reexame Necessário (art. Pedido de Reconsideração – não é recurso. => Requisitos: a) até 2 anos após o trânsito em julgado. Há também repercussão geral quando o acórdão recorrido contrariou uma Súmula. 489). ultrapassa o interesse das partes.Exceção: erro material. . CPC) é um pressuposto de admissibilidade exclusivo da RE que é analisado apenas pelo STF. 492). O juiz de ofício tem que remeter ao segundo grau. não apenas para as partes. OUTROS MEIOS DE IMPUGNAÇÃO 1. Objetivo: suspender o cumprimento de sentença. 3. Sentenças que admitem reconsideração: contra sentença que indeferir a petição inicial. art. não é recurso. no entanto. Tanto a prova pericial quanto as provas orais são admissíveis na ação rescisória. Não cabe contra sentença de mérito. O Tribunal necessariamente fará o reexame obrigatório. 485. Ação Rescisória – é ação. => Cabe tutela antecipada (art. § único – contra o ato do relator que converte o agravo de instrumento em agravo retido não cabe recurso. mesmo que o procurador não interponha o recurso cabível. 527. b) depósito correspondente até 5% sobre o valor da causa. 543-A. 2.toda vez que o poder público (U/E/DF/M) for parte vencida. no entanto. porque é promovida diretamente no Tribunal. serão produzidas perante um juiz monocrático competente.

273. Requisitos facultativos/modalidades:  Urgência – receio de dano irreparável ou de difícil reparação (periculum in mora)  Tutela punitiva – abuso do direito defesa ou manifesto propósito protelatório do réu. § 2º. as medidas cautelares podem ser concedidas independentemente de provocação à luz do poder geral de cautela (art. Medida cautelar o juiz pode dar de ofício. A incontrovérsia pode se dar pela revelia. clara  Verossimilhança – fumus boni iuris  Reversibilidade – nos termos do art. mas não pode ingressar com ação cautelar de ofício (exceção do inventário). salvo quando formular pedido (reconvenção. 273. 203).  Incontroverso – (art. cautelar. O réu pode pedir tutela antecipada? Via de regra. o magistrado não concederá a tutela antecipada se a decisão for irreversível. CAUTELAR 1) Natureza de ação 2) Objetivo: assegurar a finalidade de um processo denominado principal (meramente assecuratória): bens (arresto). pedido contraposto. Se o pedido liminar coincidir com aquilo que a parte deseja na sentença é caso de tutela antecipada. Juiz pode conceder tutela antecipada de ofício? A tutela antecipada não pode ser concedida de ofício (caput do art.TUTELA ANTECIPADA – objetiva antecipar o próprio direito. não decorre da urgência. mas do comportamento do réu. o magistrado pode receber uma medida de urgência pela outra como se correta fosse. NÃO EXISTE CAUTELAR SATISFATIVA 3) Pode ser: preparatória (é aquela que exige no futuro a propositura de uma ação principal) ou incidental (promovida no curso de uma ação de conhecimento). é o ato de se usufruir da sentença antes dela ser proferida. O único exemplo é a de busca . entretanto.§6º) poderá o magistrado antecipar um ou alguns dos pedidos ou parcela deles quando se mostrarem incontroversos. Se for diferente. ADI –ação declaratória incidental e denunciação da lide). pela confissão ou pelo não cumprimento do ônus da impugnação específica (se defende mal). § 7º) – nos termos deste artigo. o réu não pode requerer tutela antecipada. 797 e 799). A lei brasileira não contempla a cautelar satisfativa. Requisitos Obrigatórios:  Prova inequívoca – prova certa. Processamento: Princípio da fungibilidade (273. provas (exibição de documentos) e pessoas (separação de corpos).

O habeas corpus tb tem pedido liminar. serão fixados 8 Diferente das conservativas que apenas asseguram o direito.  # Seqüestro = entrega de coisa. Contra decisão de cautelar cabe apelação. . A regra do art. Ação principal: ação declaratória  Alimentos provisionais: não existe prova da obrigação de alimentar (vem de “prover”= dar assistência # provisórios (ação de alimentos onde se pede os alimentos provisórios (“provisório” tem a ver com tempo. IV): a) fumus boni iuris => direito ameaçado b) periculum in mora => dano/lesão 7) Liminar (art. sua natureza é de pedido.  Não se promove liminar por que não tem natureza de ação. Ex: tutela antecipada com liminar.documentos  Sustação de protesto: Objetivo: evitar o protesto cambial. 804)  É todo provimento concedido pelo magistrado no curso do processo sem ouvir a outra parte.e apreensão de menor. 8) Recursos: Contra a decisão que analisa liminar cabe agravo. Prazo para ingresso da ação principal: 30 dias a partir da efetivação da liminar. 5) Competência (art. deve ingressar com a ação na sexta). seu objetivo inibir a dilapidação. a parte tem o prazo de 30 dias.menor  Produção antecipada de provas  Cautelar de exibição . 813 ao 888) b) Atípica ou inominada (art. para ajuizar a ação principal (art. a ação principal do arresto é uma ação de execução contra devedor solvente. visa bens indeterminados. 4) Pode ser: a) Típica ou nominada – tem previsão legal (são 14 tipos previstos do art. pressupõe obrigação pecuniária.  se houver recurso interposto: Tribunal (sobe todo o processo). 806 (o prazo de 30 dias) somente se aplica as cautelares constritivas (todas que procedem a constrição de bens ou direitos do requerido)8  incidental: juízo da ação de conhecimento. salvo agravo de instrumento 6) Requisitos (art. 9) Procedimentos (tipos de cautelares nominadas)  Arresto: apreensão de bens indeterminados. cautelar com liminar. 798) – não tem previsão legal. A ação principal é uma execução para entrega de coisa certa  Busca e apreensão . Objetivo: garantir o recebimento de coisa determinada. concedidas no poder geral de cautela. é um pedido que expressa urgência. 801. A ação é cautelar com pedido liminar. 806) – prazo decadencial (não se interrompe e nem se suspende – se o prazo se esgotar no sábado. contados da efetivação da liminar. 800):  preparatória : juízo da ação principal.

Por arbitramento = toda vez que houver necessidade de uma prova pericial. 5º. STJ: A multa de 10% será de responsabilidade do advogado se o devedor comprovar que não tinha conhecimento da sua existência. 9 Impugnação para processo judicial e embargos para processo extrajudicial . se. 4º. O devedor não faz o pagamento no prazo  será aplicada uma multa correspondente a 10% sobre o valor do débito. o devedor terá 15 dias para apresentar a impugnação9. recibos. 475-J 1º. através de bens do devedor. d) Autuação: se não tiver efeito suspensivo. Impugnação: a) Natureza: incidente (polêmico) b) Matéria: restrita (art. parágrafo único. penhora = constrição judicial). mas sobre o patrimônio do devedor (por isso não há prisão por dívida). Com a penhora nos autos. A execução não recai sobre a pessoa do devedor. será autuada nos mesmos autos. excepcionalmente. 3º. 154. 3. e se não for o pai não recebe de volta. Cumprimento de Sentença Art. Se não pagar os alimentos provisionais o “pai” pode ir preso. for recebida no efeito suspensivo. Com o trânsito em julgado da sentença. Pode haver litisconsórcio passivo. Aplicada a multa. Por artigos – depende de um fato novo relacionado aos valores. 475-L) c) Regra: não tem efeito suspensivo Exceção: o juiz pode atribuir efeito suspensivo se houver a possibilidade de haver um dano. será autuada em apenso. Simples cálculo = atualização de valores 2. Liquidação a) tem natureza de incidente b) Previsão legal: 475-B c) Decisão interlocutória  agravo de instrumento d) Modalidades: 1.enquanto não se decide os alimentos definitivos). EXECUÇÃO – Título Executivo Judicial Soma em dinheiro: Processo sincrético Toda vez que a sentença for ilíquida será necessária a liquidação. art. o credor deverá aplicar um requerimento expresso a fim de que seja efetivada a penhora (garantia da execução. Penhora online – Convênio entre o Tribunal de Justiça e o Banco Central. o devedor terá 15 dias para efetivar o pagamento (STJ: o devedor não precisa ser intimado para pagar). Penhora não implica desapossamento do bem. 2º. o CPC. Ex: avaliação de bens. Ex: nota fiscal.

mas para isso é necessário demonstrar a possibilidade de um dano. como regra. Estes embargos têm natureza de ação e são autuados em apartado. O vencimento está atrelado à propositura da ação. b) Alienação por iniciativa particular: o bem será alienado a um terceiro c) Hasta pública: leilão (para bens móveis) e praça (para bens imóveis) d) Usufruto O devedor. Não existe liquidação para título extrajudicial. Mecanismos de Alienação do Bem Penhorado (art. . haverá a citação do devedor. A partir da juntada. Requisito: título certo (existência). 2. Para oposição dos embargos não há necessidade de penhora. Processamento: distribuída a execução. 3. da seguinte forma: 30% de entrada e o restante em 6 parcelas iguais. 647) a) Preferência é a adjudicação: o bem fica com o credor. (475-N) Título Executivo Extrajudicial 1. A decisão dos embargos será uma sentença e o recurso cabível é a apelação. no prazo para os embargos. será uma decisão interlocutória (agravo de instrumento) – 475-M. 4.e) Decisão da impugnação: se o juiz determinar a extinção do cumprimento. 585). 585 (rol de títulos extrajudiciais). poderá requerer o parcelamento da dívida. Não tem a sua origem no Juízo Cível:  sentença penal condenatória  sentença estrangeira  sentença arbitral OBS: são sentenças judiciais que devem ser executadas no juízo cível através de uma ação de cumprimento de sentença. sob pena de multa. a decisão será uma sentença (apelação). líquido (valor) e exigível (decorre da lei: art. O devedor será citado para pagar em 15 dias. se o juiz não determinar a extinção do cumprimento. Atr. mais uma penhora. o devedor terá 3 dias para efetivar o pagamento ou 15 dias para oferecer embargos. Os embargos. O prazo tem início da juntada da citação nos autos. não têm efeito suspensivo. Exceção: pode ter efeito suspensivo.