You are on page 1of 18

(Imperio Bizantino – Reis do Café.

)

1.

A TRANSIÇÃO DA IDADE MÉDIA PARA A IDADE MODERNA.

1.1. A Europa e as Cruzadas 2. Renascimento comercial e urbano Surgimento da burguesia Humanismo-Renascimento-Reforma A EXPANSÃO MARÍTIMO-COMERCIAL EUROPÉIA

2.1. Mercantilismo A conquista das terras americanas

2.1. Colonização ibérica, inglesa, francesa e holandesa. 3. 4. A colonização portuguesa no Brasil: latifúndio, monocultura e escravismo. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NA INGLATERRA Inovações técnico-científicas Divisão social do trabalho Relação Capital x Trabalho Conflitos Burguesia x Operariado Urbanização desordenada Desemprego CONTEÚDOS

A CRISE DO SISTEMA COLONIAL

4.1. Iluminismo – Liberalismo Econômico 4.2. Independência dos Estados Unidos da América 4.3. A Revolução Francesa - A França pré-revolucionária - Igualidade, Liberdade, Fraternidade. A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.

4.4. Movimentos anti-coloniais no Brasil: Inconfidência Mineira Conjuração Baiana (dos Alfaiates)

1. Estados Unidos. França.1. REPÚBLICA VELHA (1889-1930) 8.Canudos e Contestado.3.A partilha da África e da Ásia . A FORMAÇÃO DO ESTADO MONÁRQUICO 6.Os efeitos do Imperialismo 8.4. a imigração estrangeira e a situação dos negros no pós-abolição. O IMPERIALISMO E O NEO-COLONIALISMO 7. 5.1. Japão.5.1 A política das alianças 9. 5.4.2. A dependência econômica do Brasil em relação à Inglaterra. Primeira Constituição Republicana 8.3.2. A família real portuguesa no Brasil e o fim do pacto colonial.3. As razões e necessidades da expansão: Inglaterra. As principais fases e seus efeitos 10.A Revolução de 1930 A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL (1914-1918) 9. A crise do Capitalismo . 5.2.1. Jagunços e cangaceiros . A campanha abolicionista A lavoura cafeeira. Os movimentos sociais urbanos e rurais .A Revolta da Chibata e a Revolta da Vacina 8.“Independência” – um acordo entre as elites brasileiras e a corte portuguesa.4 A Independência na Bahia: 2 de julho de 1823. 6. 5. Fim do tráfico negreiro 6. Coronelismo. A Constituição de 1824 e a Confederação do Equador 6. . A Revolução do Porto e a tentativa de recolonização . Tenentismo/Coluna Prestes . A EXPANSÃO NAPOLEÔNICA NA EUROPA E SEUS REFLEXOS NO BRASIL. O PERÍODO ENTRE GUERRAS 11. 11. Fases da implantação do socialismo e sua propagação em outras áreas.1. CONTEÚDOS 7. As revoltas sociais do século XIX 6. A REVOLUÇÃO SOCIALISTA DE 1917 10.A queda da bolsa de Nova York em 1929 . política dos governadores.2.1. política do café-com-leite Economia e sociedade na República Velha 8.

a queda do muro de Berlim. A participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial 13. redemocratização na América Latina.3. De Sarney a FHC 16. A Constituição de 1988 .1.Política Nacionalista e Intervencionista Populismo e Trabalhismo: CLT. 15.1.1. O Governo Provisório: (1930-1934) . Voto feminino CONTEÚDOS 12.O Estado Novo (1937-1945) . 14. Movimentos da sociedade civil . Autoritarismo e Repressão: Atos Institucionais “O Milagre Brasileiro” 15.2.2. A ERA VARGAS (1930-1945) 12. A GUERRA FRIA 14.A abertura política/redemocratização: de Geisel a Figueiredo . globalização da economia. EUA (Capitalismo) X URSS (Socialismo) A nova Ordem Mundial: o colapso do socialismo. Ascensão dos regimes totalitários e queda das democracias parlamentares: Nazismo/Fascismo . Imperialismo e a indústria bélica A ideologia nazi-fascista As diversas frentes: Eixo x Aliados 13. A participação dos EUA na Guerra . blocos regionais e internacionais.A “americanização do Brasil” .Fim da Alemanha: a derrota nazista 13. A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL (1939-1945) 13.Os governos de Juscelino Kubitschek. Jânio Quadros e João Goulart.1. Salário Mínimo. Acordos de Paz: O mundo pós-guerra 14.1.2. A NOVA REPÚBLICA (de 1985 até os Dias Atuais) 16. OS GOVERNOS MILITARES NO BRASIL(1964-1985) 15.2. A volta de Getúlio Vargas .Diretas Já 16.2.Brasil: Integralismo (AIB) x Comunismo (ANL) 12.2. Neo-liberalismo.O Governo Constitucional (1934-1937) .11.

narcotráfico/drogas.16. Supõe. Cap. ele foi dividido em três fases: Mercantilismo. Moderna o Rei se alia a burguesia que trocam poder político e poder econômico entre eles. recebendo em troca produtos manufaturados. Média foi um período de transição do Feudalismo para a primeira fase do Capitalismo(Mercantilismo). que consiste nas Américas. sua economia era desmonetizada. Propugnava que o governo devia exercer um controle férreo sobre a indústria e o comércio para aumentar o poder da nação.Problemas enfrentados pela sociedade brasileira: concentração da terra e da riqueza: a questão agrária. eles usavam moedas e o valor dessas moedas era dado de acordo com o metal que o constituía. Mercantilismo. pois achavam que suas reservas estavam se esgotando. habitação. moeda. Na Id. Média estou me referindo a Alta Id. . já que era proibido à colônia produzir artigos que concorressem com os da metrópole. também. a base de troca era natural. entre as quais cabe destacar: a idéia de que era preferível exportar para terceiros a importar bens ou comercializar dentro do próprio país. ou seja. Média que tinha como base o sistema Feudal. entre outros Assuntos. Uma das conseqüências do pacto colonial foi a dificuldade para estabelecer um mercado interno. possui então um exército. segundo o qual as colônias deveriam fornecer matérias primas e produtos semi-acabados para as suas metrópoles. e também inicia a Expansão Marítimo Comercial. Cap. a convicção de que a riqueza de uma nação depende sobretudo da acumulação de ouro e prata. A política neo-liberal brasileira . O Capitalismo era monetário. A política no Feudalismo era um poder descentralizado em relação ao Rei. eles não utilizavam moedas. volume e fronteiras definidas. O mercantilismo era um conjunto de sólidas crenças. Com isso os Europeus se lançaram ao mar para buscar metais. desemprego. Transição da Idade Média(feudalismo) para a Idade Moderna(Capitalismo) Pode se dizer que a Baixa Id. O Capitalismo visa principalmente o lucro. medida. Industrial. O Rei. ao conseguir que as exportações superem em valor as importações(E>I). saúde. Financeiro. educação. tudo isso estabeleceu uma monarquia. e a justificação da intervenção pública na economia se voltada à obtenção dos objetivos anteriores. conceito utilizado pelos historiadores para designar um dos aspectos do mercantilismo.3. a exclusividade metropolitana. violência. movimentos sociais urbanos e rurais. Pacto colonial. Com o início da navegação eles descobrem o Novo Mundo. XVII e XVIII. proibindo-se a colônia receber mercadorias de outros países ou para eles exportar diretamente seus produtos. ou seja. eles a utilizar um mesmo peso. Quando eu menciono Id. então passa a ter um poder centralizado. doutrina de pensamento econômico que prevaleceu na Europa durante os séculos XVI.

Então decidiram apoiar o Rei para conseguir poder político e social. Saladino. Isso a incomodada bastante. canalizando a razão e a fé. na Alemanha. mas ela não tinha poder político.A sociedade no Feudalismo era estamental. na cidade francesa de Clermont-Ferrand. foi iniciada logo após o domínio dos turcos sobre os mulçumanos. Moderna era a burguesia que tinha o poder econômico. Muitos camponeses foram a combate pela promessa de que receberiam reconhecimento espiritual e recompensas da Igreja. que retomou a ofensiva contra os cristãos e ocupou Jerusalém em 1187.1192) . assim a igreja foi perdendo o seu poder.A Primeira Cruzada partiu da Europa. Até então. confuso e perdido.Essa Cruzada foi convocada em 1189. Se tornava racional e agora acreditava na ciência. Primeira Cruzada (1095 . Chegaram a Antioquia e Acre. o homem nessa época tinha visão de coletividade e pessimismo. então a burguesia derruba o Rei e assim ocorrem as primeiras revoluções burguesas. Frederico morreu na Ásia Menor. esta primeira batalha fracassou e muitos perderam suas vidas em combate. pois o Rei não tinha poder econômico. se tornando ambíguo. então surge um movimento chamado de Renascimento. ou seja. A igreja Protestante apoiava a burguesia. De Ratisbona. de muitos peregrinos que visitavam o local unicamente pela fé.o teocentrismo se contrapunha com o antropocentrismo. Terceira Cruzada (1189 . os turcos passaram impedir ferozmente a peregrinação dos europeus. através da captura e do assassinato. Tudo nessa época possuía uma visão teocêntrica. A igreja criou dogmas para persuadir o homem. Nas cruzadas cada participante tinha um objetivo que pode ser considerado apenas econômico. A Igreja Católica Apostólica Romana monopoliza a vida do homem na Id. Após domínio da região. Mas o califa Nuredin foi substituído por seu Vizir. Segunda Cruzada (1147 . Frederico Barba-Ruiva. Na Id. o Califado do Oriente fora dirigido por soberanos turcos. Europa . mas foi em vão que tentaram conquistar Damasco. enquanto Ricardo e Felipe.1099) . que vinham por mar. A guerra pela Terra Santa.As Cruzadas As cruzadas foram tropas ocidentais enviadas à Palestina para recuperarem a liberdade de acesso dos cristãos à Jerusalém. Em um momento o Rei se sentiu muito forte e começou a abusar da burguesia. que haviam adotado uma política conciliatória em relação aos cristãos. São Bernardo. em 1144 os muçulmanos reconquistaram Edessa. Significa que na sociedade não existia mobilidade. A Igreja queria impedir o avanço do protestantismo. esse homem se tornou mais individualista. em 1147. e o senhor Feudal sempre senhor Feudal. baseada na observação e na ciência. partiram o imperador Conrado II e Luís VII da França. os senhores feudais queriam expandir suas áreas provocando a expansão marítima. Ricardo Coração de Leão e Felipe Augusto se comprometeram a partir. Média. se . menos o objetivo cristão. Ela impunha temor nos fiéis. pois não era nobre. Isso aconteceu em oposição ao impedimento da peregrinação dos europeus. depois de convocada por Urbano II em 1095.1149) . que durou do século XI ao XIV. um servo sempre será servo.Como a situação dos cristãos era precária. Aos poucos com chegada do Capitalismo. pregou na Europa a Segunda Cruzada. cobrando altos impostos. a fé é a palavra chave. assim podemos ver claramente os interesses econômicos. O homem que vivia nos burgos realizava o comércio e era muito ambicioso. em 1096. contudo.

A realidade agrária feudal européia. onde morreu vitimado pela peste. Felipe regressou à França. Ricardo permaneceu na Palestina.1229) . com destaque para Champanhe (França) e Flandres (Bélgica). iria entrar em um irreversível processo de desintegração. este. já que tinham controle sobre o Mediterrâneo.1250 e 1270) . O desenvolvimento e intensificação das feiras-livres cresceu junto com a produção agrícola. limitando-se a atacar e pilhar populações cristãs. sem condições de sitiar Jerusalém. Depois da tomada de Acre. O fluxo das especiarias e as feiras possibilitaram a estruturação e surgimento de rotas de comércio ligando as cidades por que ele é homoafetivo aos pontos de comércio (esse conjunto de ligações pode ser chamado de entroncamento). Ricardo fez então um acordo diplomático com Saladino e regressou à Europa. Cidades italianas como Gênova e Veneza foram as principais impulsionadoras das atividades comerciais na Europa. da Alemanha. pregou então a Quarta Cruzada. A retomada do uso da moeda (as principais da época: Florim de Ouro e Ducado de Ouro) auxiliou nas ações financeiras.Estas Cruzadas foram chefiadas pro Luís IX da França. principalmente por fornecerem as especiarias vindas do Oriente. Esta cruzada não chegou a combater os muçulmanos. recebendo algumas concessões econômicas e o ´titulo de rei de Jerusalém. chegando a vencer Saladino na Batalha de Arsuf. sem conseguir conquistá-lo. mediante negociações. A expedição tocou em Acre e depois avançou para o Egito. Sétima e Oitava Cruzadas (1248 .A Sexta Cruzada foi conduzida por Frederico II. Durante algum tempo. na retomada do trabalho assalariado e na formação de associações de controle da produção e comércio. em 1291. deu-se na Baixa Idade Média. Quarta Cruzada (1202 . Sexta Cruzada (1228 . os cristãos ainda reteriam certos pontos de apoio na Ásia. entrou em acordo com o sultão de Bagdá.Esta Cruzada teve como chefes João de Brienne e Leopoldo VI da Áustria.1204) . no Norte da África. a partir de 1202. que já estava em crise. Por esse motivo. como as atividades de crédito e bancárias. retomou a ofensiva em 1270 e desembarcou em Túnis. que cresciam e se desenvolviam economicamente. Renascimento comercial-urbano O renascimento comercial-urbano na Europa. Quinta Cruzada (1217 . em destaque: . que recém assumira o pontificado. mas suas tropas estavam depauperadas. seus participantes chegaram a ser excomungados por Inocêncio III. onde foi feito prisioneiro. A última posição a cair nas mãos dos muçulmanos foi São João d'Acre.O malogro da terceira Cruzada causou grande impressão no Ocidente.1221) . Em 1248 o monarca desembarcou no Egito. Inocêncio III.desentenderam. Libertado depois de pagar resgate.

os mercadores passaram a organizar as feiras (importantes locais comerciais). fez com que a população que havia saído das cidades retornassem. ou seja. Nessas corporações se encontravam pessoas de uma mesma profissão. Com o renascimento urbano. SuriA Europa medieval passou por profundas mudanças. Novas cidades surgiram a partir do século XI. responsável pela produção e manutenção de um mesmo padrão (normas e regras) em todas as oficinas de artesãos. As Corporações de ofício eram administradas e controladas por um mestre artesão. organizou-se o processo de produção e surgiram máquinas para atender a demanda do mercado. Toda produção era organizada pelas chamadas Corporações de ofício. de uma mesma religiosidade e que mantinham uma relação de proteção mútua. iniciando o desenvolvimento comercial estabelecido nas relações entre Ocidente e Oriente proporcionadas pelas Cruzadas.   Esse Renascimento. a produção de tecidos de lã e seda. jovens que queriam seguir uma profissão relacionada ao artesanato. controle de qualidade e assistência aos membros). Hansas / Ligas Hanseáticas: associações de mercadores (monopólio do comércio local. A organização das oficinas artesanais em corporações tinha como principal objetivo uma articulação política e econômica. regulamentação de preços). controle da concorrência estrangeira. Os mercadores tornaramse homens ricos e poderosos – muitos foram os precursores das atividades bancárias. . Surgimento da Burguesia. regulamentação de preços. Corporações de Ofício / Guildas: associações de artesãos (monopólio das atividades artesanais. que passaram a viver nas cidades com o interesse estritamente comercial. várias atividades se desenvolveram nas cidades. movimentando a economia local – uma dessas atividades foi o artesanato. No século XII. próximas às terras de algum senhor. a fim de enfrentar os mercadores. negociando suas mercadorias. A atividade artesanal que se destacou inicialmente foi a produção têxtil. estabelecimento de normas de produção. principalmente. transitando de cidade em cidade. Os funcionários ou trabalhadores das oficinas eram chamados de jornaleiros e geralmente viviam na casa do mestre. A partir de então. Nas oficinas também existiam os aprendizes. Essas terras eram chamadas de senhorio. gerando o aumento populacional. controle da concorrência. na maioria das vezes. As novas cidades surgiram. Os mercadores impulsionaram as atividades comerciais a partir do século XI.

a partir do século XI. A Reforma Protestante foi um movimento religioso. criou-se uma estrutura de segurança que garantiu a realização dos negócios comerciais. tiveram um enorme crescimento. Com a acentuação das atividades comerciais. que se encontravam nos territórios da atual França. possui diversos significados. econômico e político de contestação à Igreja Católica. muitas vezes conflitantes. Marsilio Ficino.As principais feiras do século XII foram a de Champagne e Brie. A partir da ampliação das cidades além-muros. Humanistas famosos são entre outros Petrarca. A maioria das cidades não chegava a ter 20 mil habitantes – a maior cidade do mundo ocidental era Paris.Chamou-se "Renascimento" em virtude da redescoberta e revalorização das referências culturais da antigüidade clássica. Renascimento ou Renascença são os termos usados para identificar o período da História da Europa aproximadamente entre fins do século XIII e meados do século XVII. as torres e os portões que proporcionavam uma maior segurança para moradores e comerciantes. que resultou na fragmentação da unidade cristã e na origem do protestantismo. que tinha uma população que não ultrapassava 100 mil habitantes. Gianozzo Manetti. porém. Lorenzo Valla. com os quais novas cidades foram delineadas. chamadaburguesia). Os burgos (cidades com muros) se desenvolveram economicamente e ampliaram de tamanho. Erasmo de Roterdão. o que transformou bastante suas feições. Thomas Morus e González Pecotche. Renascimento & Reforma e contra reforma ! O Humanismo teve início na Itália no século XIV indo até ao século XVI. Pico de La Mirandola. que nortearam as mudanças deste período em direção a um ideal humanista e naturalista. criaram-se novos muros. As atividades comerciais e bancárias e as feiras levaram ao rápido desenvolvimento urbano. Humanismo . as cidades. além das que já existiam. assim. importantes comerciantes que foram fundamentais para o desenvolvimento da mentalidade capitalista.François Rabelais. Dos burgos surgiram os burgueses (a nova classe social. O termo. A expressão humanismo refere-se genericamente a uma série de valores e ideais relacionados à celebração do ser humano. ampliandoas para os espaços além-muros – crescimento proveniente das feiras e das atividades comerciais realizadas pelos mercadores nas beiras das estradas. Algumas das principais características das cidades medievais eram as muralhas. .

A aliança rei-burguesia possibilitou o alcance destes objetivos tornando viável a expansão marítima.e a construção de embarcações capazes de realizar viagens a longa distância. a partir de 1517 A EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA A expansão marítima européia. graças ao desenvolvimento da cartografia. contribuindo para o processo de acumulação de capitais na Europa. encarecendo ainda mais os produtos do Oriente. como as naus e as caravelas. Avanços técnicos na arte náutica-o aprimoramento dos conhecimentos geográficos. recursos financeiros. Ásia. astrolábio. armas. pelo turcos otomanos. Formação do Estado Nacional e a centralização política-as. pois fazia-se necessário uma complexa estrutura material de navios. em virtude da retomada do crescimento demográfico. Fatores para a Expansão Marítima A expansão marítima teve um nítido caráter comercial. processo histórico ocorrido entre os séculos XV e XVII. tomada de Constantinopla. daí definir este processo como uma empresa comercial de navegação. contribuiu para que a Europa superasse a crise dos séculos XIV e XV. a necessidade de metais preciosos para suprir a escassez de moedas. a Alemanha era a região européia mais propensa a um rompimento definitivo com a Igreja. favorecendo uma ampliação dos conhecimento geográficos e o contato entre culturas diferentes. Grandes Navegações só foram possíveis com a centralização do poder político. Através das Grandes Navegações há uma expansão das atividades comerciais. as motivações econômicas. também denominada Reforma Católica é o nome dado ao movimento criado no seio da Igreja Católica em resposta à Reforma Protestante iniciada com Lutero. homens. Entre os alemães. África e América ) torna possível uma história em escala mundial. .No início do século XVI. sextante . romper o monopólio exercido pelas cidades italianas no Mediterrâneo que contribuía para o encarecimento das mercadorias vindas do Oriente. Interesses econômicos. o desenvolvimento de instrumentos náuticos-bússola.a necessidade de ampliar a produção de alimentos. O contato comercial entre todas as partes do mundo (Europa. sociais e políticas que os afastavam da Igreja Católica eram mais fortes do que em qualquer outro povo da Europa. ou como grandes empreendimentos marítimos. Para o sucesso desta atividade comercial o fator essencial foi a formação do Estado Nacional. A Contrarreforma.

as principais etapas da expansão de Portugal: 1415 -tomada de Ceuta. No ano de 1492 o último reduto mouro -Granada -foi conquistado pelos cristãos. Além da posição geográfica. A Dinastia de Avis é caracterizada pela expansão externa de Portugal: a expansão marítima. interessada em conquista de terras. Dois importantes reinos cristãos que enfrentaram os mouros na Guerra de Reconquista. A seguir. A primeira dinastia portuguesa foi a Dinastia de Borgonha ( a partir de 1143 ) caracterizada pelo processo de expansão territorial interna. O navegante recebeu três navios e. atingiria o Oriente. . Expansão marítima portuguesa Portugal foi a primeira nação a realizar a expansão marítima. que buscava seu fortalecimento. era condição primordial para as Grandes Navegações. de uma situação de paz interna e da presença de uma forte burguesia mercantil. A formação do Estado Nacional português está relacionada à Guerra de Reconquista luta entre cristãos e muçulmanos na península Ibérica. neste mesmo ano. à nobreza. Cristovão Colombo ofereceu seus serviços aos reis da Espanha. Entre os anos de 1383 e 1385 o Reino de Portugal conhece um movimento político denominado Revolução de Avis -movimento que realiza a centralização do poder político: aliança entre a burguesia mercantil lusitana com o mestre da Ordem de Avis. 1434 -chegada ao Cabo Bojador. Religiosos-a possibilidade de conversão dos pagãos ao cristianismo mediante a ação missionária da Igreja Católica. Expansão marítima espanhola A Espanha será um Estado Nacional somente em 1469. como vimos. sem saber chegou a um novo continente: a América. desejosa de ampliar seus lucros. 1498 -Vasco da Gama atinge as Índias ( Calicute ). navegando para oeste. o pioneirismo português é explicado pela sua centralização política que. 1445 -chegada ao Cabo Verde. 1420 -ocupação das ilhas da Madeira e Açores no Atlântico. D. Etapas da expansão A expansão marítima portuguesa interessava à Monarquia. importante entreposto comercial no norte da África. 1487 -Bartolomeu Dias e a transposição do Cabo das Tormentas. com o casamento de Isabel de Castela e Fernando de Aragão.Sociais-o enfraquecimento da nobreza feudal e o fortalecimento da burguesia mercantil. Colombo acreditava que. à Igreja Católica e a possibilidade de cristianizar outros povos e a burguesia mercantil. João. 1499 -viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil.

o retorno do escravismo em moldes capitalistas. Navegações Tardias Inglaterra. Somente após estes conflitos internos é que ingleses.Fernão de Magalhães realizou a primeira viagem de circunavegação do globo.A seguir a principais etapas da expansão espanhola: 1492 . . As rivalidades Ibérica Portugal e Espanha. buscando evitar conflitos sobre os territórios descobertos ou a descobrir. a partir da unificação dos mercados europeus. após este longo conflito. e franceses. no final do conflito com a Inglaterra enfrenta um período de lutas no reinado de Luís XI (1461-1483).chegada de Colombo a um novo continente. e o processo de acumulação primitiva de capitais resultado na organização da formação social do capitalismo. durante o reinado de Elizabeth I (1558-1603 ). durante o reinado de Francisco I iniciaram a expansão marítima. a inglaterra passa por uma guerra civil .em 1493: um meridiano passando 100 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde. O atraso na centralização política justifica o atraso destas nações na expansão marítima: A Inglaterra e França envolveram-se na Guerra dos Cem Anos(1337-1453) e. Somente com o enfraquecimento da Espanha e com o processo de sua independência é que os holandeses iniciarão a expansão marítima. já a França. O tratado de Tordesilhas não foi reconhecido pelas demais nações européias. CONSEQÜÊNCIAS As Grandes navegações contribuíram para uma radical transformação da visão da história da humanidade. dividindo as terras entre Portugal e Espanha. a América. a mudança do eixo econômico do mar Mediterrâneo para o oceano Atlântico. enorme afluxo de metais para a Europa proveniente da América. Portugal não aceitou o acordo e no ano de 1494 foi assinado o Tratado de Tordesilhas. asiáticos. africanos e americanos. a formação do Sistema Colonial. 1504 -Américo Vespúcio afirma que a terra descoberta por Colombo era um novo continente. A Holanda tem seu processo de centralização política atrasado por ser um feudo espanhol. França e Holanda. Houve uma ampliação do conhecimento humano sobre a geografia da Terra e uma verdadeira Revolução Comercial. A seguir algumas das principais mudanças: A decadência das cidades italianas. ou a hegemonia européia sobre o mundo. o euro-centrismo.a Guerra das Duas Rosas ( 1455-1485 ). 1519 a 1522 . resolveram assinar um acordo -proposto pelo papa Alexandre VI .

implantando novas indústrias protegidas pelo aumento dos direitos alfandegários sobre as importações. portanto. ao adotar políticas protecionistas. entre o século XV e o final doséculo XVIII. É possível distinguir três modelos principais: metalismo. A forte regulamentação da economia pelo mercantilismo será contestada na segunda metade do século XVIII por François Quesnay e pelo movimento dos fisiocratas. pacto colonial e protecionismo. Os pensadores mercantilistas preconizam o desenvolvimento econômico por meio do enriquecimento das nações graças ao comércio exterior. o que permite encontrar saída aos excedentes da produção. balança comercial favorável. Essa crença é conhecida como bulionismo ou metalismo. (protecionismo). dinheiro suficiente para atender ao volume crescente do comércio.Mercantilismo Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna. não tendo. e em particular estabelecendo barreiras tarifárias e medidas de apoio à exportação. . advogando que estes se atrairiam através do incremento das exportações e da restrição das importações (procura de uma balança comercial favorável). entendidos como forma de garantir o acesso a matérias-primas e o escoamento de produtos manufaturados.[1] As políticas mercantilistas partilhavam a crença de que a riqueza de uma nação residia na acumulação de metais preciosos (ouro e prata). melhorando as infra-estruturas e promovendo a colonização de novos territórios (monopólio). Segundo Hunt. O mercantilismo originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os Estados. Caracterizou-se por uma forte intervenção do Estado na economia. O Estado adquire um papel primordial no desenvolvimento da riqueza nacional. O Estado desempenha um papel intervencionista na economia. Consistiu numa série de medidas tendentes a unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação de fortes Estados-nacionais. controlando os consumos internos de determinados produtos. O mercantilismo é um conjunto de ideias econômicas que considera a prosperidade de uma nação ou Estado dependente do capital que possa ter. o mercantilismo originou-se no período em que a Europa estava a passar por uma grave escassez de ouro e prata.

Américas e Ásia. na América do Norte.A conquista das terras americanas Era dos descobrimentos (ou das Grandes Navegações) é a designação dada ao período da história que decorreu entre o século XV e o início do século XVII. já no século XX. onde por esse motivo esses 3 países estão incluídos dentro do quadro das Navegações Tardias. estimulando a pesquisa científica e intelectual. a Holanda e a Inglaterra atrasaram suas participações dentro do processo expansionista europeu. Juntamente com o Renascimento e a ascensão do Humanismo. foi um importante motor para o início da modernidade. francesa e holandesa. A era dos descobrimentos marcou a passagem do feudalismo da Idade Média para a Idade Moderna. alcançando as fronteiras mais remotas muito mais tarde. que estabeleceram relações com África. animais. França. A exploração europeia perdurou até realizar o mapeamento global do mundo. Estas explorações no Atlântico e Índico foram seguidas pelos países do norte da Europa. alimentos e populações humanas (incluindo os escravos). que exploraram as rotas comerciais portuguesas e espanholas até ao Oceano Pacífico. A expansão europeia no exterior levou ao surgimento dos impérios coloniais. A colonização Francesa: A França organizou as suas primeiras expedições marítimas no século XVI com a intenção de atingir a América. Inglaterra e Holanda. com o contacto entre o Velho e o Novo Mundo a produzir o chamado "intercâmbio colombiano" (Columbian Exchange). a tentativa dos franceses de instituir França Antártica no Brasil foi fracassada. A França. Em 1555. com a ascensão dos estados-nação europeus. doenças transmissíveis e culturas entre os hemisfério ocidental e oriental. durante o qual os europeus exploraram intensivamente o globo terrestre em busca de novas rotas de comércio. E entre os anos de 1534 e 1535 Jacques Cartier ocupou o território da foz do Rio São Lourenço. e muitas dessas expedições realizavam ataque e saques sobre as possessões portuguesas e espanholas. As colonizações inglesa. Durante este processo. agricultura e cultura da história. foi criada a Companhia Comercial Nova França que . Os historiadores geralmente referem-se à "era dos descobrimentos" como as explorações marítimas pioneiras realizadas por portugueses e espanhóis entre os séculos XV e XVI. em busca de uma rota alternativa para as "Índias". prata e especiarias. num dos mais significativos eventos globais da ecologia. chegando à Austrália em 1606 e à Nova Zelândia em 1642. movidos pelo comércio de ouro. que envolveu a transferência de plantas. onde foi criada a colônia Nova França. Em 1608. os europeus encontraram e documentaram povos e terras nunca antes vistas. resultando numa nova mundivisão e no contacto entre civilizações distantes.

onde desenvolveram a produção açucareira. dominavam o mundo. em 1492. que até então era dominada pela Espanha. A partir daí. Em 1654. tomando posse da produção açucareira e dos lucros do tráfico negreiro. As treze colônias formaram-se na faixa atlântica dos Estados Unidos. Entre os anos de 1630 e 1654. Em 1642.organizada e patrocinava várias expedições francesas. No Oriente Médio. a Plymouth Company. que estabelecia os territórios portugueses a menos de 370 léguas . e foram se instalar na Guiana e nas ilhas de Curaçao. somente no ano de 1607 é que a situação foi superada quando a empresa privada London Company fundou a colônia Virginia. proclamou a sua independência. iniciou a ocupação da Nova Inglaterra. a Holanda. principalmente porque Portugal e Espanha eram as nações. por Cristóvão Colombo. Mais uma vez. Colonização ibérica A colonização ibérica. os holandeses iniciaram de fato os seus processos de expansão marítima. para resistir ás imposições espanholas. que eventualmente se tornaria a cidade de Nova York. numa tentativa de chegar ao Oriente. tendo-o dividido com o Tratado de Alcáçovas. A América foi oficialmente descoberta. inicialmente. atingiram o vale do Hudson. e a partir daí atingiram a foz do Mississipi de onde seguiram até chegar numa vasta região dos EUA onde atualmente localiza-se o estado de Luisiana. os franceses ampliaram o seu campo de dominação fundando a Montreal. o Tratado de Tordesilhas. pois a zona descoberta por Espanha ficava na zona portuguesa. E a partir daí. e em 1621 surgiu a Companhia de Comércio das Índias Ocidentais. onde foi criada a colônia Nova Amsterdã. e ocupando a região dos Grandes Lagos em 1673. Na América do Norte. ao Norte e ao Centro estavam as colônias de povoamento. foi assinado um novo tratado. A colonização holandesa: Em 1581. atingiram porções do Império luso-espanhol. Nessa mesma época. nas Antilhas. ocuparam as regiões da Bahia e Pernambuco no Brasil. A colonização inglesa: As primeiras expedições inglesas iniciadas no final do século XV foram fracassadas. no litoral atlântico dos Estados Unidos. excetuando as descobertas vikings. Em 1602 surgiu a Companhia de Comércio das Índias Orientais. e com isso Samuel Champlain começou a explorar terras do Canadá. que na altura. fundando a cidade de Quebec. e ao Sul ficavam as colônias de exploração. formando as treze colônias inglesas que deram origem aos Estados Unidos. o processo de colonização inglesa se fortaleceu. pelos europeus. após as Batalhas de Guararapes os holandeses foram obrigados a deixar o território brasileiro. outra empresa privada. foi muito parecida.

localizado na zona portuguesa.(1.Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil. o colonialismo se apresenta como um fenômeno resultante da revolução Comercial européia que aconteceu entre os séculos XV e XVI). pertencente aos portugueses. por que no engenho. segundo o novo tratado. desde a Califórnia à Patagônia. toda a América Central e o Caribe à Argentina – com exceção do Brasil. posteriormente. políticas. escravista. como por exemplo nos canaviais. no ocidente. Em 1500. no inicio com os índios e.770 km a oeste de Cabo Verde e os espanhóis para além desse meridiano. A sociedade açucareira que se organizou era o reflexo da economia agrária. Os escravos ficavam responsáveis por todos os trabalhos braçais. os negros africanos. A grande propriedade era monocultora e voltada para o mercado externo. sob posse militar. sendo assim prolongada até os anos à Segunda guerra Mundial. que chamamos de produção ou cultura agrícola de apenas um tipo de produto. o Império Espanhol controlava quase toda a zona costeira das Américas. que eram lugares de um só compartimente. dentro do antigo sistema colonial. Presume-se assim a perda de uma liberdade administrativa de territórios colonizados. A grande propriedade monocultura: A monocultura é um sistema de exploração agrícola. mulheres e crianças. Como sabemos. Em meados do século XVI. (Nesse sentido. A economia colonial O Brasil era uma colônia de exploração. os escravos viviam em senzalas. sociais e culturais que tornam dependente uma colônia em relação à outra metrópole. estes se submetiam as ordens e influência do grande proprietário. também numa tentativa de chegar à Índia por mar. caminho que já tinha sido realizado anos antes por Vasco da Gama. Está associada aos latifúndios. que atingiu o seu mais alto grau no século XIX. casa grande. Eles tiveram uma grande influência no trabalho agrícola. todos misturados. homens. utilizando mão-de-obra escrava. é um Sistema de relações econômicas. e desde o atual estado estadunidense da Geórgia. grandes extensões de terras. O escravismo colonial: . tinham poucos trabalhadores assalariados.

não se calavam. mesmo sofrendo. Sergipe e Bahia. O Tráfico de escravos: A África era vista como reserva de mão-de-obra escrava. Durante os primeiros quatro séculos – do século 15 à metade do 19 – de contato dos navegantes europeus com o Continente Negro. Rio de Janeiro. onde abrigava escravos fugitivos. Contribuíam com a economia tanto do país. Os estados onde os escravos tiveram grande enfoque foram: São Paulo. Os escravos trabalhavam na agricultura. eles trabalhavam e em troca recebiam moradia e alimentação. que foi desde o período colonial até o final do império. o que durante um tempo não adiantou muito por que os colonos além da escravidão africana queriam os índios como mão-deobra por terem menos custos que a escravidão africana. por que eram mãos de obras onde também usavam da permuta. mas os próprios negros. pois eram reprimidos de forma violenta. Mas os jesuítas eram contra a escravidão indígena. vivendo uma realidade opressiva. quanto dos senhores de engenho. a África foi vista apenas como uma grande reserva de mão-de-obra escrava. O escravo na economia brasileira: O escravismo chegou ao Brasil por volta de 1531 com a expedição de Martim Afonso de Sousa. a “madeira de ébano” a ser extraída e exportada pelos comerciantes. donos de terras. mas não tinham um horário em sua jornada de trabalho. Mas foi em 1759 quando um decreto pombalianio aboliu a escravidão. sempre lembrando que alguns indígenas também sofreram com a escravatura. lutavam contra e tentavam a liberdade a todo custo. A escravidão no Brasil foi marcada pelo uso de escravos vindos do continente Africano. a serem tirados de sua nação e exportados para vários países. a maios prova disso foram as criações de quilombos. e na mineração. Traficantes de quase todas as nacionalidades montaram feitorias nas costas da África. Alagoas. com foco na parte açucareira. sendo chicoteados. como já vimos antes. Existiam dois tipos de escravidão: a vermelha (dos índios) e a escravidão africana. Nessa época não poderia ir contra o sistema de escravidão. Mato Grosso.A escravidão foi utilizada para que pudessem se organizar economicamente. .

pelos menos entre os séculos 17 e 18 eram o Senegal. a metade deles da África Ocidental. com o crescer da procura por mão-de-obra escrava. o que na verdade não corresponde à das economias a dos tempos coloniais. pólvora e cavalos para que afirmasse sua autoridade numa extensão a maior possível. motivada pela instalação de colônias agrícolas na América. O tráfico foi o principal responsável pelo vazio demográfico que acometeu a África no século 19. Os principais pontos de abastecimento de escravos. em armazéns costeiros. alguns chegaram a projetar 50 milhões. mas Rua Certe (in Te Atlântica cave tarde: A cenhos. Gâmbia a Costa do Ouro e a Costa dos Escravos. quando os traficantes carregaram em média uns 60 mil por ano. onde ficavam a espera da chegada dos navios tumbeiros ou negreiros que os levariam como carga humana pelas rotas transatlânticas. . Quantos escravos foram afinal transportados pelo Atlântico? Há muita divergência entre os historiadores. sendo que o apogeu do tráfico ocorreu entre 1750 a 1820. O delta do Negar. que viviam nas costas marítimas. dandolhes armas.As simples incursões piratas que visavam inicialmente atacar de surpresa do litoral e apresar o maior número possível de gente foram dando lugar a um processo mais elaborado. A dinâmica da economia colonial: Na dinâmica colonial chamada de produto rei. 1969) estima entre 9 a 10 milhões. Os mercadores europeus. Os prisioneiros das guerras tribais eram encarcerados em “barracões”. associaram-se militarmente e financeiramente com sobas e régulos africanos. Neta época existia ciclos econômicos. períodos ou fases. o Congo e Angola serão grandes exportadores nos séculos 18 e 19.

entre outros eventos. Iniciada no Reino Unido em meados do século XVIII. a máquina foi superando o trabalho humano. O capitalismo tornou-se o sistema econômico vigente. Essa transformação foi possível devido a uma combinação de fatores. A atribuição de datas varia muito de autor pra autor. a era da agricultura foi superada.Revolução Industrial na Inglaterra A Revolução Industrial consistiu em um conjunto de mudançastecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômicoe social. novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu o fenômeno dacultura de massa. e terceira (1970-). uma nova relação entre capital e trabalho se impôs. também chamada de Revolução Digital. expandiu-se pelo mundo a partir do século XIX. tais como o motor a vapor. A Revolução Industrial é comumente dividida em 3 partes[1]: primeira (1780-1830). Ao longo do processo. . como o liberalismo econômico. segunda (1860-1945). conhecida chamada de Revolução Tecnológica. a acumulação de capital e uma série de invenções.