You are on page 1of 3

calculo a corte de curto circuito distribuição de energia Introdução

Os sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica têm apresentado um grande crescimento devido ao aumento da população e ao desenvolvimento Industrial. Este crescimento tem maior reflexo no sistema de distribuição, pois são eles os circuitos terminais de fornecimento de energia. Portanto, o grande desafio das concessionárias de distribuição é fornecer energia elétrica aos seus consumidores de maneira sustentável e confiável. A partir disso as concessionárias estão investindo para oferecer esta sustentabilidade e confiabilidade para seus clientes, automatizando algumas operações para a sua modernização e eficiência dos sistemas de energia elétrica. Focando no ponto principal do trabalho que é a proteção de sistemas de distribuição a finalidade principal é proteger o sistema elétrico contra possíveis faltas, permanentes ou temporárias. Para que o sistema de proteção cumpra adequadamente com a sua finalidade ele deve:   Isolar a menor parte possível do sistema no caso de alguma falta, ou isolar o curto- circuito tão próximo quanto possível de sua origem; ƒ Efetuar o isolamento do curto-circuito em um tempo mínimo a fim de reduzir os danos aos condutores e equipamentos. O sistema de proteção para alcançar seu objetivo é necessário apresentar: Seletividade: A proteção deve somente isolar a parte do sistema atingida pelo defeito/falta, mantendo a continuidade do serviço das demais partes do sistema. A seletividade determina a coordenação da proteção. Esta pode ser definida como o ato ou efeito de dispor dois ou mais equipamentos de proteção em série segundo certa ordem, de forma a atuarem em uma seqüência de operação preestabelecida. O objetivo da coordenação então é evitar que faltas temporárias causem a operação de dispositivos de proteção que não tenham religamentos automáticos e que, no caso de defeitos permanentes, a menor quantidade possível do sistema fique desligada. Rapidez e velocidade: capacidade de resposta no menor tempo possível de modo a:

maior segurança e melhoria da imagem da empresa junto aos consumidores. Quando todos ou parte desses requisitos são alcançados a proteção traz benefícios para o sistema elétrico. instalação incorreta ou degradação em serviço. Os . ajuste incorreto do relé. Maior vida útil dos materiais e equipamentos. Menores custos de manutenção (combustíveis. mão de obra etc). Confiabilidade: Probabilidade de um componente.• Assegurar a continuidade do suprimento e a manutenção de condições normais de operação nas partes não afetadas do sistema. • Auxiliar na manutenção da estabilidade do sistema pela remoção do distúrbio antes que este se espalhe e conduza a uma perda de sincronismo e conseqüentemente ao colapso do sistema de potência. • Evitar ou reduzir a extensão dos danos ao sistema. transportes. O sistema de proteção deve ser seguro. ou seja. em caso de defeito ou condição anormal. testes incorretos com os relés. ou seja. e aos curtos-circuitos para os quais foi projetada. A operação incorreta ou intempestiva de um dispositivo pode ser atribuída a: projeto incorreto do sistema de proteção. Economia: O sistema de proteção deve ter sua implantação viável economicamente. ou proteção de retaguarda (backup) no caso de falha da proteção principal. evitando-se um número excessivo de dispositivos de proteção. é a capacidade da proteção responder às anormalidades nas condições de operação. Sensibilidade: É a capacidade de resposta dentro de uma faixa esperada de ajuste. a proteção nunca deve falhar ou realizar uma operação indevida. como:    Menores danos aos materiais e equipamentos (alimentadores. Desenvolvimento CORRENTE DE CURTO CIRCUITO Durante um curto circuito surge uma corrente de elevada intensidade que pode trazer efeitos mecânicos e térmicos aos equipamentos ligados ao circuito sob falha. instalações etc). transformadores. Um sistema de proteção seguro implica em apresentar uma segunda proteção. equipamento ou sistema funcionar corretamente quando sua atuação for requerida. menores números de desligamentos e consumidores atingidos por faltas no sistema.

Determinação de ajustes dos dispositivos de proteção. RMS. contribuição de geradores dependendo do período subtransitório ou transitório). . transformadores de corrente). Dependendo de sua aplicação deve-se seguir certos procedimentos ou normas para a sua determinação (o seu valor pode ser simétrico. Religadores. Já os efeitos térmicos estão ligados ao tempo de permanência da falha e ao valor eficaz da corrente e podem produzir um aquecimento excessivos dos materiais condutores e isolantes. com sua consequente deterioração. Seccionadoras. Verificação da saturação de transformadores de corrente. Por outro lado. Relês com disjuntores. assimétrico. pode ter ou não contribuição de motores pode ter diferentes correntes de contribuição de motores. relés. cujas forças são proporcionais ao quadrado da corrente instantânea. se essas correntes não forem interrompidas em intervalo de tempo adequado. Para minimizar os efeitos produzidos pelas correntes de falhas é comum o uso dos seguintes equipamentos:     Corta circuito ou chaves fusíveis. correntes de curto-circuito de pequeno valor podem causar danos permanentes e/ou temporários a pessoas e animais. transformadores e seccionadoras. Cálculo das correntes por arco. motores. de pico. cabos.     Esforços interrupção (breaking) e fechamento (making) em disjuntores. no primeiro ½ ciclo ou num instante de interesse.efeitos mecânicos. podem deformar condutores e romper materiais isolantes. A determinação do valor da corrente de curto-circuito é importante para:  Verificação capacidade térmica dinâmica de equipamentos (chaves seccionadoras barramentos.