UmtÌrne defuteboi feminino rnontou um cempo de100m decomprimento por70m delargura e,pof medida desegurança, decidiu cercá-lo, deixando

enÌre 0 campo e a cêrca umapistacorn3 m delargura. é a área do oual terreno limitado pela cercê?

A(x)= (100+ zx) (20 + 2x) = 7 000+ 200x+140x+4x'z A(x) A (x )= 4 x 2 + 3 4 0 x + 7 0 0 0 Esse é um caso particulaf de funçào polinomial do29grau oufunção qladfárica.

Definição
A áreâ daregião cercada é: (1 0 0 + 2 .3) ( 70+ 2.3) = m6 Z6=g 0s6m , 5e a largufa dapistafossede 4 m, a áreada regiãocercada seria: Chamâ.se íunção quâdrática, ou função polinomiaì do 29grau, qualquer função/de R em R dadâ poruma leida forma f(x)= ax2 + bx+c,emqued,b e csãonúmeros rêâise â + 0. Vejamos algunsexemplos de Íunçõesquadfáticas: . Í(x)= 2x'z+ = 2, b = 3 e c= 5 3x+ 5,sendoa . f(x)= 3x'z-4x+l,sendoa = 3, b =-4e c = 1 . f (x )= x ' z - l, s e n d o a = 1 ,b = 0 e c = -1

(roa + 2. a) (?o + z. 4)= roï. ?B = I4?4nz

54

. f( x)= x2 +2 x,sendoa=1,b=2ec=0 . f( x)= - 4x2 , a = 4,b=0ec=0 sendo

Sriãfi*m
do 29grau, função polinomiã de urna 0 gráfìco chamâda + bx + c, coma + 0, é umacurvâ ! = ax2 paraDora.

g = -12a 1, Vamos gráfico dafunção construiro usado no exêmplo Repetindo o procedimento 1,obtemos o gráfico seguinte:

È

por dada gráfico defunção Vamos construiro de_ e x al8uns valores, alribuímos PrÌmeìro degpâra correspondente pois calculamos o valor ospontos ligamos valor de.x e,emseguida, cada ãssirn obtidos.

'',' ll I ìr i: quad.âtica Aoconst_urro gráfco oe,maÍunçêo que: sempre U= âx2+ bx+ c, notamos , sea > 0, a parábola vol_ tema concãvidade tada para crmai vol ,'. sea < 0, a pâÍáboLa tema concãvidâde para beixo. tada

1,,..,

"fl'"":

\do oarcO. grarrco.da' íu ìcoe' .eguinle5 boÌas.Classifrque como C â paráboÌaque tem concavidade voÌtadapara cima e -Ba parábola que tem concavidade voltadapara baixo: a) y=3n'? 5x+I b) Y=2-x'+:x cJ I=-x2 2x+l

.{) Y=+*'

c) Y= 4x + 3xr f ) y = (x , lF -(2 n

1 )'

T5

..aac2e . as q u a i ss ão d a d a spê la chamâda fórmulade Bhaskâral Vamos câlcular oszeros dâíunção f (x )= 2 t z * 3 * * o T e mo s a = 2 . Então: * -r t rfÈz +ac.G :z 2a .: .1 ). (x 2 3 x + 2 )= 0 e ) (x . = (2 x 3 ).ie*. EnÌào asrã.= (+1 =x=3ex=2 X= ': 5+. l) y = 9 x .ax' r bx. r . -t r) e ) Y = -x ' ] + o r-s ResoÌ1'a asseguintes €quâcões: â) (3x 1)r+ (r 2).24 ? e âsraízes são2 e 3.b= 5 e c= 6.' Vamos calculâr asraízes dafunção: í(x) = 4x'z 4x + 1 Ì e mo s a = 4 .5" * 5 T e m o sa=1 . .c.a .': . Então: dâsfunções s€guintesi a) y= 2xl 3n+ I f) b ) Y = 4 x -x 2 c ) y = x r+ 2 x + Ì 5 . f(x )= 0 = a x 2+b x+c=0 +x= -n t lG'?.t.êx' bl c sao tr'x) as soluções daêquação do 29grau axz + bx + c = 0. te m 0S l 4 ^ -" Portanto. .1 )... d ) (-x : + Ì ).1iiï e êsraízes I :tqi. = 25 b ) (r-1 ) (x + 3 )= s c) 11! =3 .. -iiii.osnúne'os reais xtaisquef(x)= 0. (r-2 )= (x . 1 .i 1^1 Zeros e equâção doZ9 grau Châmam-se ze-os ouraizes dafunção polinomia do29gràu í(I) . b = -4 e c = 1 Então: Construao gráficode cadauma das seguintes 41\'16 16 são t:.Esboce o gráfìcode cadauma dasseguintes Ìunções reais: b ) v=zt' tunções: a) Y=x2-zx b) Y= -*' +:x c) Y= x2-zx+ 4 d) Y= 2. f. .: t. .0.zes dafunçào . (2 Ì + 3 ) f ) (x + 5 ). _JÌ\_ZJ -u t'rruz-+ac 2a A SSl m. i r'r.l.riiiFr . DeteÌmine as raízes(zeros)reaisdc caoaurna Vâmos obtefos zeros dâfunção f(x) = Yz. . b = 3 e c = 4 . . otr G:-q a c ^= za ...ïìiÌii. essâ função nãotemzeros reais.D s .

" quando ó positivo. ResoÌva t:i$ ri I ï * iì iji 1. J ) Á : 0 + 1 6 l2 m : 0 + m : 4 c) > 0 -a 1 6 -t Z m-' 0 -+ m< { ^ (em cm) e-.a despesa tevequeseÌ diem um gasto vjdjda entreos demais.....0? b) Em que lÌês o estudante 'ií..'.3x7 2x.. \P' Derer.'. 11).1) a fin deoue: âJ naoex. respectivâ obtevenota 2... â) Quâl a nota obtida peÌo estudantenos ÌeaÌizados em fevereiro(primei sinrulados ro) e em nor-enbro (último). ' q u ê n o o ^ é 7 e ro . Cãlcule..deteÌminer a) f( 1) e f(0).. íeers rêizes c) exisËm duâs e di.Dessa foÌma.5: b) hâja.as equaçoes biquadradas: f.00. determineo núnero de de Á compradas.:1.. secompra. nãohá raizreal.'.'''.te-ros: A -{ -2 ì ' 4 3 (m I t -4 l2 n + 1 2 L E 1 2 Í 0evemos ter a) ^ < 0 = 1 6 -1 2 m< O -m> $ b. queo rolJ de un.uma raizduplã. as soÌuçòes de ü1n i*.stam raÌ7es reê. Um rctânguÌotem as dimensões pressêsPorx+3e3x-Ì. iírì. da eqüação f(x) = v..do o discn'ninenre lAr.i. PoÌém. :t. L á s d u n a rd iz Í e â l(ou L r Í e raiz dupla).(m . Sabendo dades comprêdas foi de 26 e que o pÌeçô unitário do produto A excedeem R$ 2.00paracadaum.Quantas soaseüm iniciâÌmente? rl.". (PUC-RI) Dada a funçâo f(x) = (x + 1) '(r2-x+ 1).'..i. paempresa conprou unidades gândo R$ 96. m na Vejamos quãis sãoâs condições sobre Íunçào g .A funçaoseguirtemostrâo desempenho eÍuiÌante nos simulados reaÌizadosno cursirúo pré vestibularao longo do ano: r)=L 36 Í2-23 \2 t+59r) A quantidade de raízes Íeaisde umafunção quadrática perâ depende dovalor obtido o rad= cando b2-4âc..00. chamado dlscriminânte: ^ .-. 3.r a) I b) 5 xu +4=0 xa+8x2-Ì5=o c) xr 6x']-27=0 ':ì .( '.. Parao casâmento de Verâe Edu. reeis e háduas raízes ^ distintas. resuÌtândo pesadicionaÌ de R$ 5.. quando é negativo.00 o preço unitário do produto B. e unidades do p(oduto B. um grupo de vaamigosescoÌheu umpresentecleR$ 300. pJgindoR$84.. ^ È sendof(t) a nota obtidâ pelo estudaÌteno s1 muÌadorealizâdo no mêst (t = 2.. .. quedeflnesuaáreaem a er'?ressão a) Encontre tunçãode t b) PaÌâ que valor de Í a área do rctânguìoé 77 cmt? uma Paraa fabricação de bicicletas..(Fuvest-SP) do pÌoduto Á..00..rrre \ C R ral que 'tt\l (x2 r0or)'z (xz 101x+ 100)']=0.três delesdecidiram dar prcsentes parâdos.lintâs.'. unìdades ËF ..". ii. depois da Ìor a ser dividido entre eÌes... b) ern R.

+ x. "-t : @ a) y=xr-4x+(m+3) b) y = -2xz 3x+m '.r ? b) QuêÌ é â outra raiz que a equação possui? r'l.).)x+ xrxr] g = alx2 xrx. de ry pa-a o.}.e umãdês raízes = dâequeção (k x2..) Esse última formâ deindicara ieide uma funquadrát. + rìü igunl a.5x+ + 3) 0 sejaigual aoquádruplo daoutra.erminc quale r rdi.ençu entre as raízes da equaçao x': + Ilx + p = 0 é igual a 5. + x + 5â = 0. tOx+5=0 sãorr e ó. ção :f. Com basenesse dado: a) determineas raízes.ca é chamâda íorma fatorâcla. .I .L + ll d) xí + x.1iryF-isl'. queJ Íuncao po. l. Lnç6n1rç 1.ir Pâra cadt funç_o seguinte.xr)(x x.H.orr". vem: 1 4=k+3+k=1 -) x?= t + xL=4 As ralzes da equação de2egrau 3x. ì .? b) xì .] g = a[x(x -xJ xr(x-xJ] g=a ( x. discuta.se a íunçãoqüadrática g = axz + bx+ c temzerosxl e x2. Urnadas raízes da equaçãox. O gráfico da tunção y = x2 + (3m + 2)x + + (m'] + m + 2) ìntercepta o ei{o rcem um úmco a) Quaisos posíveis vâloresde m? b) ParacadavaÌor encontradono. ljtilizando os resultados obtidos no exemplo Z ternos: . QuâÌ é o mcnoÌ nÍrmeroiúeìro p para o qlÌal a tunção f(x) = 4xr + 3x + (p + 2) úo admjre raÍzesreais? a) Qual é o valor de . r x2 .5ui.. i Calculea soma (S) e o produto (p) das raízes dasseguintes equações de 29grau: a) 3x'z-x 5=0 b) xr+6x s=0 i'r . 3x+â=0(â+0) é também raiz da equação x.item a.l dife.'?? tt'.&ffi '. f(x) = Sxz n* * udrrriia duas raízes rearse distintas.QuaÌ é a maior raiz tìessa equação? I I Uma das raízesda equação 2x.então elapode serescritâ nâformâ g = a(x x)(x-x. *!" *!ì aJ xr + x..ras raízesreaiseiguais. Quâl é o vaÌoÌ de: Vamos mostrar que.liiffiL{. = "/".25x + 2p = 0 ' Uma das raízesda equação e\ccde d oulrdem J unidader. vemx1=4x2 O Substitirindo @ em @. quai. temos. x2? .. 1. 4xz+xz=5 De@. a quantidadede ràizes: Vamos determ nârÀ a fim de qL. 3= 0é g = a[x2 (x.riiilí. : As raízes dâ equação 3x2 10x+ c = 0 sãoreciprocês (inversas). * b* *.. DeÍato: q = . r. a) Qual é o vaÌor de a? b) QuaÌ é a raiz comum? ::-1. em fuÌ1ção de m(n1 € R). Determine os valores de / a fìm de que f(x) = x: 2* n n n*nu O. de.* . r x j : (!) e x.xtx+ xrx. da equação e o lalor de p.ì . \alu-e.l.3. b) encontreo valor dep.:i .) 2f d) x(x 7=0 3)=z t Doenunciado.rrb(leçd o.

" o u a n d o a<0 À ^ Concluindo. de Nessa situaÇão. g = ã/^ 1u . ou Ne-sa 5i11.èçè0. é rempre z a l] -0 h seuvaloT quando x+ míniino ocorre se a.\ ocorre" pa"â r 0 varoÍ mrnrrìo i r^ u€ t ^^*ÁL^t^ yd t ct !J U r c l \x 2ã / 4a do ponto Nosso objetivo é obteÍas coordenadas vértice Y.então quândo ovalormínimo degocorre dov**rtiee se Coardenadas ..l a'l LJma deumcar. h h2\ = âlix'+: x + -:51U " a 4a'l l\ | ^ t "\ eI aJ assume a funcao: 0uâléo menorvaloíque g -x ' 1 2 x -3 0 dem.quando tadaparaclmae um ponlode mínimo pê-â voltadâ bâa .^\ z l= ! . ' 2e " 4a' vel. a Íunçáo adniÌeoonlo mo.0. corol" \ naio' ou ipuaazero. â pêrâbola Ìemconcâvidade xo e um ponto demáximo Y. podemos notar observando essâúltima D a: \ é veíiaAoenâs or" o.+: I 4a' àl u" - í.ã + ^l l forma.r .l .0 vâloÍ mini-ro coÍrespondente e: g"A a.b . h á = 0.L*n-4t 4âl \4a â "lt*. ê parábola tem concavidade Quando V. quando ' -=.aoícomo nrosbala é aÌirada parábola de deequação treaíigura) edescreveuma g= 3x2 + 60x(sendox eg rnedidos emmetros). pormeio deraciocínio semelhante conquando cluímos queo vâlor máximo deg ocorre h x = :.0.a > 0. o va or máximo aé. emambos oscasos as coordenâdas d eY s à o : t' quadÍática e Vqmos Íêlomâra Íórmula dafunção escrevê-la de outraforma: = axz+ bÌ + c = al xz+ 3x+ U " a \ l-i.chamado daparábola. vola > 0.144-120 24 -4 --o a - r'2 . l\ l\ zal 4è' l c. . 9eoco'ìslê_tes.Daí: [r t'z 5Ì . o valoími. b. _qf _ b'-eql u =e líx+ s="1\"..nìComo â . ri-ro d e u e u -à 0 I I F -l4a'| ï: 4a ü o u a n d o ã>0 seâ < 0.

ou md\ rno que :aJa umadr. .O gerentede um banco. aré t = I por (20 hoÍas). Umâ Ìei que pode representar a temperatura (1. íiilË*ffi ÍÌ li . L luì. Ào pÍocederâo controÌe da vir iaçiôdà populdcio de in\eto!em funçrodo tempol em semanas. 15. medio registrado no me.m 'A (x2função y= 15 12x+ 20) representa o a) Em que horário o núneÌo de quilòmerros reu íy). Um pe'ricrda foi ministrado a uma populaçãode insetospâla testar sua eficiência. concÌúu se que o tamanho dâ popuÌação é dado por: f(t)=-1gt'zt"t*tt. b) oG) instante(s) em que a bola seencontraa 75 m do soÌo. existealgum momeÌlto em que a popuÌação de insetos é igual à populaçào in icial? Qudndo? c) Entrequâissemanas a população de insetos seriaexterminada? :11J O Tn\lirulo de \4ereorologir de umr cidade no Sul do pâh registrou a temperaturuÌocâÌ nas dozeprimeiras horas de um dia de invemo.{fr Y:!.r ïÍ. umbcm.eguinlc.de l-ürdMG.". em função da hora do dia (a partìr das 12 horas)..... furrçoes .. ::. F íf "ìí.' á) Detenine o intewaÌo de tempo enr que a populaçãode insetosaindacresce. íU. f(t) é o número de quiÌônetros... ' em que: .e e um ponio de Ìnáximo ou de mílÌimo: a) y=xr 6n+4 b) y= 2x'] x+3 d) y:(z x)l e) )'= 4x2 . t '{ü i{.. uma Dota.?ressa em função do tempo / (em segundos) decorrido após o lançamento pela lei: h(t) = 461 5t: Determine: a) a aÌtura em que a boÌa se encontm 1 s após o Ìâncamento.i.) em tunçãoda horâ (x) é: I= -x''--x com0 <x< +t "h. r. t é a hora dadapelâseguinte convenção: t=0 correspoÌ1de às 12 horaq t = 1 corresponde '. 12) no decorrcrdo último ano'l b) QuaÌ é esse 1'alor? a) Determine o valor de l.pe.. a -. enviou â uÌn cliente. fiil . b) QuaÌ foi a temperaturâ mínima Ìegistrâda? .regisrrado em uma cidade: f(t) = -tr + 12t + 20 12 e t umâ constante real.:)í:! tan\a0a verttcatmenle parà(tma. sabendo que às 3 horas da manìã a temperaturi indicou 0 0c.tlil..2.um.f.. Obtenhaascoordenadal do vérticedc caoauma dâs paráboÌasrepresertarivas das funcõesse gu'rte.: a) y=-2Ìr+60x c) y= x']+2x-s b ) y = *r . Matemárica.inte representa o nirmero de quiÌômetros de congestioÌÌamento. partir do solo) tem sua altura /r (em metros) er.seo r erri. e-mail to quaÌ relata: ':.ffiÃ"#. ifique. e assìm por diante. D(lernine o t. também fanático às Ì3 hoÌas. A Ìei .craque em MaÌemática. b) Na açãodo pesticida.rior rnrnimo. c1e congestionamento é máximo? 'aldo x(x = 1.em reai'. d) o irÌstanteem que a bola retornaao solo.g.+ * +g d ) y=3 xr+: i. c) â aÌtüra míÌimâ atingidapelabola.

j caso.20cm e 32cm. entÌe I e 10 (incluindo r. na lirodada e B U. b ' O u a n d o a < 0 Em que instanteo golfinho saiuda água? b) À parte positivâ do gráflco def é formada por pate de uma parábola. Vamosimaginar que Tòm tenhâ 10 U.de/é constituídâpor segmentos termineae)çresúomatemáticâ de/nos instantes anterio. o movimento J quedescreve.recota-se um rctângulo de dimensões ir e/. âtingidano salto. Sea máquinasortearesse número rú. em firnçãodex.:- q ^lì que a partenegativa a) Sabendo do gráficode de retas. 34.M. Suponhariosque em um cãssino hajaum rogo no qual o apostadorarÌisca.tendo o ei.9.). e de cida jogar duâsvezes sucessivamente: eÌeapos ta 2 U. dadapor quantos fí0 = --1É + 6t . ao número escoÌhido apostarno número 6 custa 6 unidades monetáÌias ou 6 U. ele ficaÌá devendo x'zU.M. A máquina "soÌta"os números 3 e 1. o apostadorreceberã x3 U.em cadarodada. deum golfidro quesaltaeretorna lm= lu € R à águâ. c) ParaquevaÌores de:r e/ a áreado retângulo obtido émáxima? daárea Queporcentagem do triângulo é ocupadapor esse reúngulo de áreâmáxima? rrrrcr6€rrl 0 c o n ju n t o ima g e m a í u n ç ã o g = a x 2 + bx + c . a díüda sejaa menor possíveÌ? dívida? Qual o valor dessa 32 cm â) Quantomedea alturarelaúva aomaior Ìado do tÌiângrlo? b) Encontre ).es àsaída do golfinhodaágua.M. emmetros. u>u\. DeterÍnine segundos o goLÊnho frcou fora da águae a alfurâmáxiÍÌa. é o coniunÌo dosvàloes queg pode âssumi .O valor da apostacorresponde (por exemplo. a) Quanto Tom fica devendoao todo? (Des considere o valor dasapostas. a> 0 (emfunção por um ts Quãndo do tempoti emsegundos).(odasabscissas coincidente com a superficie da água.p sP) o gráíìcorepresenta aproximadameÌÌte. Í certopeíodo. comomostraa figura: esses vaÌores).conüário.= { v e ro l g = çf} : 61 .) b) Im que números Tom deve arriscaapara qte. Háduas possibÌlidades: uma função 33. 1von".a) Qualfoi o saldomédiodo clienteemjanei ro?E em agosto? b) Em quemêso saldomédioÊcoünulo? médiodo dienc) A partir dequâÌmêso saÌdo te decresceu? 5?" De um triânguloisósceles de Ìadosmedindo 20cm. respectjvamente.M. md / a 0. na 21rodada. um número inteio .M. errandoos doìspaÌpites.M.

c) = (0. .-3) Como temosapenês doispontos.c) = (0.ÌeÌos:t -è lJ b IJ L:Ê Ì ã o o la o er/ o 9 . VàÊìos c o n s t ru i-o g a ' ic o o a í u ' ç à o Características: . Él éa -". podemos opciona menÌe calc!ar maisalguns.v=( . v = (. ! Característiôâsl . . 4ê :^ \ ì l.t) como eÌxog: a :12. o eixo .masse.. . Norequ e l m =R l Us €= Ël '' lt--t'": 1 t2 15 :4 . z e T o s : -x 2 x 3 = 0 = T x re a l. concavldade para voltâda cima. x = 1 -U= 3. interseção como eixo g: (0.Ni. a= 2 > 0 . 29gÍau semmontãr â tâbela depares guindo apenas o roteiro deobservações seguinte: 0 va ordocoeficiente o deflne a concavÌdade da pârábola. r. por como. (ouzeros) Asraízes deíinem os pontos emq!e a parábo a Ìntercepta x..*. o) Ìnterseção (0. = (1.o o" r nn ' za 4èl mo(sea > 0) oudeméxÌmo (sea { 0) A e a q.o I J ino.g).1. exemp 0: x = 1 = V = -5 . 5 jl1f 3! . I. e p ê -sd poryê é pâ èrele àoeilog é o eixo desimetrÌa dapârábola.1ïì '. Pd r a /. concâvidade voltadâ pâra baixo.e Vt \ -x= t (raiz dupa) vérrice. p o is ^ < 0 / .U .c) = (0.râízes:x22x+ 1 = 0 É possive construir o gÍáfico cle umafunção clo (x.. 5x+ z = u-r= 1_ =z oLty /q cì ve rÌce .1 . pois a = -1< 0 . l a zes: zy. i Vãm o sconstruiro gráfico dâ funç ã o = x'2 x+ 1.r<-+Ì." o oon. ve Ìice v: { lì fâca n o so F-bocodo gía'icoda funç à o Caractefísticas: .2) como eixog: .111:. / L ^\ 4r-]=(.t. cì eo p6 1o n Ou" pdrêoold' " " 0v.{. pols a= 1 > 0 = ttctequeLm {v e m .1) t Note que lm= { g € Rjg>0} . concavidade vokadâ pârâ pois cìma.+ . '0.etc.+4l ì z / 1 11 jnÌerseção (0.

'lnção quâdrática cujo gráfico Quâlé está representado abaixo? 0 ï /t.:ti'"Determìnea lei dâ funçâo que cadâgráfico a seguirrcpresenta: a leida fÌ.(-1..1 + 3 ) .. b) a âltura mt{imâ que a bala atingiu.naforma fato'ãda.letermine. -.---Ì t As rarzes da fLrnçào ouâdráticê sào-3 e 0i en1ào suàlêi.6x+8 b) Y=-2x']++x c) Y=x'z4x+4 . Fap 6 9156. com domínio em R.2 x'+4x-5 Y=. ì:1 .adâtunçãoseguinte..o) + ?= ?a. y = x _+ lxl -) Í(x) = 11 2 s(x) : x' 2x 8 .então: 9L 2 = a ( .l :r.* '?-:*-t Y=. .x'z+2x+8 Sea paráboÌâ representa â ftÌnção y= 1"' + .èa= 1 e daí: ul ( x r3l x--)Jx' 3x . .no mesmopÌanocartesiano.1 d ) y= . . é: q =a (x+3) (x o) Para x = -1 temos g = 2.o 6"r tunções seguintes. tunçoes: 'ìì'r.i.liii raçuo gran"oa. atiradade um pontoÁ: . destacando o coniunto imagem: a ) Y=n '. está representada a tnjetória descritaporumabaÌadecanhão.lor.f +t e. destacandoosintervalosemquea lìrnçãoé cÌescente ou decrescente: a) b) c) d) e) Y= 3x' Y = 4x'?*zr Y=. a) a distância entreÁ e B. Nâfigura seguinte. destacardoos pontos de inteÌseos gráficos das ção.ìi:i Represente.

iurìçóe' Ríxì. ralo-es dex para o. pelaretae b) a fueado triângulo determinado peÌos ehoscoordenados. que rep csenta a receita da empresa.+ q"h". adaptâdo)Sejar a quantidadede produtos fabricadospor uma empresa.. à e c.Deter a) osvaÌores ded. obtenha os vaÌores de m e /l.ìegativo o" quais gé e osvalo'es de\ pèíà 05quãrs g é positivo. Á pa rábola R e á reta C conforme a figura abaixo.í{xì = axa + bx+ c e deteTminemos os va oresdex pdrd . (UF GO.b) eQ(1.c).l^ n.' i u gLáhco \egurnte representa a tunção É1. '.roo' graficorda.r = )5 .a empresa obtémlucro+ril e retay = -x + + e a pârábola y = kP interceptad-Ì seemdoispontos:P(a. fi4 .- f( 1) = e. b tR a l Corside-emos umafuncáo ouâdráÌrcè V . . quai. que re presenta o custo de pÌodução e comerciali zâçãodo produto. a) Qüalé a eqüação darctaquedefine o custo C7 querepresen b ) QuaÌé a equação daparáboÌa tâ a receita? c) QÌraL é a funçãoque rcpresenta o lucro da empresa? dì Determrre o.e C(x). t il:i.2 + .

l\.4 bu. *':. b 4à c./ 'a. de sinalde cadalìrnçaocup gra " l: Façao estì. I z g>0..urnaonazero s Vamos âgora estudar o sÌnaldeg: Íeais a = 6 ] ' 0 . Á = 1 ) 0 .fttl.rr.:'. ra iz e s j : ej \.í :iiiïfi:ìi$f$.3x.5tr.'tì' lrr'. o r e x e mp lo mernbro: 19 x 2+ x 2 x 2 1 > 0 _x2 +x !2A .Vàmos Vejamos como resolver a inequação e. V x .Ï n'. "P"r" n ln"qu"çao pargunt". tsÌudo desrnal dev = x'+ x Ì Ìemos: a = -1 + perábola coÌnconcavidade voltadâ parâ baixo A o -4 a c l-4 -l-n à o h â z e ro s re a ic Co n c lu in d o .s=i"e l=-=f Vejamos resoìveÍ a ìnequação corno tunções Façao estudode snraÌc1e cadauma clas seguintcs: a) y=. > temos g 0?".iril o+="=+j) (".riri '". parábola comconcavidadevoltãda Chârnemos deV a função quadrática que está = para no19membro: cimâ V 6x2 5x+ 1.' rdâ o -iadldêg ì^ Z^ 5 Temos: 6x2 5x+1<0 a = 3 > 0.V x Re sp o star !xratqueg<u "Para pergunta: qLrevalores dex Ainequâção temos ! < 0?" Respostâ: ". g < 0 .oç dâfunção quaVamos êpljcãr o estudo dosÌnâl drática nâresolução deinequações. Hesposta: / x. qu"u"lor"a d". .{"ffi.-8x+3 b) I=4x'?+x 5 c) y-9f 6x+1 d) y=2-xl e) y=-xr+2x 1) I=l*'-*++ 1 xz+x>?x'+1 Vamos pessar dâinequação todos ostermos p a râu m d o s me mb ro sp p a rao .ffiffiffiíffi o e e ir:sr:r r.Ìdo fiço cstárcpresentado a s€gr.

8x+15<0 xr zx>ts x']+ 2x < 35 xr ../).râz e s : I e I Solução de@:x <.ffi fffi a) b) c) d) e) t)í x/+lo x-25>0 xr .iï1s.2<4 ue Ìatosa0dLras Inequacoes s muttâneas: -r<Y.\ôc. -.ffi*&. enrR..ì. .Vamos fesolver a inequação: 2 x'z+3x+1> x(1+2x) ïemos: 2x'+3x+1+x(1+2x)>0 4x2+4x+1>D . Estudo dosinelde + 4x+ 1 ! = 4x2 'l! ri Segü1do pr€f isõcsde unì jornâl econônico. a) Paraque vaÌores dcp o Ìucro é positi\-o? b) Paraque valoresde p o lucro ó crescente? iri ilt:iijrl-.-3 <0 :r'? .(2 -x) ì-ì E s ru dd oos in a ld e g = 1 -x 2 d = r a u . SeusIucrosdiários varjam de acordo como nínÌeÌo deunidades vertìidas(:rl segun.1ou x > 1 . _1 2 A r^equação pergJlla: Parê quevalore5 de \ temosV > 0?".1.l0 biÌhõesde dôlaÌes? ri ii Duaacmprcsaq À e B comercializanì o nesmo produto. eÌìprcsüB: Lts= Ì35 + 8x a = 4 > 0 . 4xr + l2x 9<0 e ) 3 x']+ x+5>0 f) 9 xr 2 4x+Ì6<0 :'1.râ i z: 1 .(." /ì.c.4 r . a) x'z lln 42<0 b) 3 xr +5 n 2>Í) cJ x'+ 4x+5>0 d) . as duas lunçõese iÌÌdique o resultâdoobtìdo no item l]. ^ = 0 . a) im que irteÌvalo dele variar o nírmerode uridades vcnclidas a fim de que o lucro da cttpresa B supereo da enrpresaÁ? b) RepÌcsente grafìcamcnte. lor.a = 4 > u .. o conjuntosoÌução dâsscgullltes ineqLÌações: sendop o pÍeçodevendauniriÍio (enlreais)de scu principrÌ produro. eÌÌ biÌhõesde dóÌares.. O Ìucro (en mìÌ reais)de r:na empresapodc ser calcuÌado pelaleì L= p2+24p_80 enrR. a. e i N'=4 "2 n - t4l 'i:' ResoÌva. ireqr. Resposta: qualquerx Parâ real: S = R..cBUi.l.. > xr f) x ( x+ 3) < x..lo âsfunções: =x:-20x+ Ì87 ' enìPresaA:LÁ ...u tÌapassãÌá l. €nÌ R. .ohr. Deternine.. o PIB iruaÌ cleum país (. \/:m. is inequaçôes: a) x.( x 3) > 0 b) x'z< 16 c) 9x/ > 3x d) 1 x2 <9 e) (\5). e r o Pl t Jn r. .lai\\e pd...daquia r anospoderásercaÌcuÌado pcla lei: y=:x'8x+80 Para r:re r. no rnesmopÌano cartcsìano. Re.e..1Ì.:x < t 1<r.

g z< 0 ? " . em R.â.râízesr0 a = 1 ) 0 .t.À = 25..Á = 0 . EsÌudo dosinal doproduto gr'Vz r02 5 2 Respostar -2 < x <-1 ou1 <x < 2. i '.raizes:2 e 2 .'9 . ra í z e s : 2 e 4 0. : . asinecÌuações: a) 4<x2<9 b) 2<xr-2<2 c) 7<2x'?+l<19 d) x'z+1<2x?-3<-5n de sistcnras Ëncontrc a soluçâodos seguintes inecÌuações: i&XhíÍtrffiçF$ i::. â interseção das duas soProcurêmos agorâ so síì -t. Ë ï " " i1 t dex A inequação pergunta:"Para que valores le mo s g 1 ... ra iz : 3 . trLiiiÍï. 2 x 1 4 <0 . < Re s p o s t : xa 1ou 0<x<2 oux>.A = 9 ..ra í z e s r 1e2 ).. Vâmos o determinêr 92= 2 + x-x2 e estudar s in â ld e g2: a = -1 { 0 ..'l l tr. i: ...se n d o U =Z c ) ] a x+ t 3 x + 1 0 >0 ^ :^ :: Vamos resolve.j. r .À = 16> 0...n d o rr=R br lx l .Vamos resolver @:xz-4 < 0 Estudo dosinal deV= x2 4 a = 1 > 0.:i .à 'nequàçâo . ::i I.:lÌi E S ÌU 00 do sl na de 92 = x" bx + Y 2 \ ' : + 8 -o n. Estudo dosinel deg1= xz 2x.r + x +ô >u f 6 x r sx+1 >0 .::r . :" " Ì-' . 4 = 3 6 ....5x e estudemos deg1: e.'r'':. â = 2 > 0.i .'.r | ] *' + r x -o + 3 x a . Façamos o sìnal Vr = 2x2.:: '. ..8 a = 1 ì ' 0 .. ResoÌ1. Vâmos resolver a ìnequação: ( 2 x2-sx)(Z+x x'z)<0 .

n e 'cr U'o numero\ irreiro. eÌì [{. ResoÌva.2x.(xr a)>0 c) d) (3xr+ s). 3x) > 0 b) (-x'z+ x + 2). (-2x+ 4) <0 a) r q < lZ b) !<* c) Ì -< \ ï 4 .qmi"#ü#ifl}ffi ffiffi hl +: =0? (x) ii$ (eso \r. emR. (x r+ 3 ) >0 ay 1L!If=4-a o ru * 1" . soÌução da iüecÌrÌação: QuàÌé o conjuDto a) f(x).r r rrJ .. estio repre gráficos dc f(x) = 8 (x )= x r-6 x + 8 . neg . o doninio decada ur."ha. (-xr+4) > 0 b l (\ t = / l: -I : S5. kt.r x x20 t (x + 3 ). 5F. n.3) ( 2 x.3) > 0 ( x+ 2) .enr<: a) b) x2-Jx 14 >o o ín=ux ffi :l. No sistema cârtesiano abâìxo.g(x)> 0? ffiffi #.+<o b. "/ ='+r\ ^ 14 -u qln.oluÌJo da. inequaçocr-<1uoc.1) r *' + z*t = . . (xr+ 2x. em R. . (2x. rcqua\oe.) f:*..8) . .. d\ Ìnequaçoeç: S*.. segLrint€s. 8*-2x-1.-^ = u .6 . -8r -.*-x-) . -q{ì.9x+4) ( 2x+5). .ir. ne. i\ o . . çLrnrr'5 tstabeÌeça ËÊ1.asseguintes inequaçò€s-produro: a) (x.4x 5) a) (d = {.ra dasfuncões e quantos númerosinteiÌospositivossatisfazenl seguintes: â seguinte desigualdade: . .serdoU=R: a) x']+.

.r'\ô do eiro r. \tejamos. e a reÌ:ìçàoquantitativa entr.-.. etc. . estudanìos Pofiìn. . I QutìÌé o m ior ralor ìnteiro de rr de mo.eÌ? dtrtl . ter a : 0 e Pafâ quelssoocorra.po.t".Nesse vendida.e \'.quanto pretende adquidr rurÌ intervaÌode temp..\_ :rÌrx + 31rÌ< 0.l Dct..r''e ie sèÌ sle Ìas.ái ::.em geral.r I Ào an..istoé. Então: a=m)'0 O e <0 =n ìÀ = 9 1 6 rr' 1 Ih -2 ) . aqoantìdade caso. o gráfico de/ deve sero Íepresentedo 9 ono Ru.1 >0.r (ìia... ano.y= (m + l)xr lnotolr que toI 2nìr + (nì . .o ) e 2 de!en ser srì..\.{*.:.rirc rr € R para qlÌe xr + 1ÌLx + .:lo elueirn + 2)xr 2nx + (m .onstante.nisxr o Sráfìco da fuÌìçào. '. Ìaçamos(! r |< . i ' l.-t-:! 4. constatou se que a quaÌrtid. ìneÌÌor seráiì qlÌaÌÌtìdade nìâior o pÌeço estabeÌeci. praia lcnda acarajé..:.3) < 0.ctc diáriâ de acâïajévendida (x) varjava de cssas variáveiserì acordo com o preço unitário d€ veü(lâ (p).j . or.r r.r' .rIaque vaÌores reaisdc . :'. paÍâ ^ <0 ..iìe.'. pà1xtodo Ì € R. cü5toc ÌLlcroe tràbalÌìanìos asÍurìçares No cÀpituÌo3.'uiiirlçr A rer:eÌ.ìoque . . clc varinr de âcordô prodlrto . parir todo x real.i ".l).i tretcn.@ m € lì a Íim quâéa condição sobre Vejâmos lodoÌ mxz+ 3x + 4 > 0 para de quetenhemos + 3x+ 4 e parãtodox real Sef(x) = nrx'Z > f(x) 0. deveÌnos l: : ttcten le n g iRdc nrodoque úrf + l]rr I > 0. I q. l.ìrnfie n1 € R de mo..ru 'r 'baL^" P. uÌÌÌ estudanle . rìès.).. f lj.n > $ iiffi-]i I r.t issoé possí. Ao Ìoügo dc LÌmate que de errr SaÌrador SLLponha uma barraca poradã de vcìào.e drda peÌalei: t2(r^'2 #".l. ffi 4*3ir{ . Ìruitâs vezes que o preço <1e vcnda do ó Pocle pfoduto qrreunr grupo de consumidores desse cornademaldadc mercrdo. \ \'nl.i.1o..t'i '.t ile conl â hipótese Ìeceih.1.rn .. paratodo r Ì€dÌ.

:. 3omÌreÀ rJut\te I.25.e somente sc.ïÌ .to I o lempo em mrnulos.unt. a t€'mperâtua inreÌnl (T) \ã ria dc acordocon a íunçãoT(t) = t2 + 4t + 2. ..orn"verdrdeiÌo(\ JoLÊajo. e) m< 213oum > 2il J.Ì = 0 d) 3xr 2x 1=0 e ) 3 x r-x + 1 = 0 c) 3x'+2r-r=0 3.Aternperatura arit1g€ o vaÌor AssinaÌca alternatìvâ que ÌÌìeÌhorÌepresenta o a) I=-xr+2Ì+5 b) y=-xr+2x+2 c) y=-x2+2x+6 d) y=-xr+3x+2 e) y=-i+2x+3 jl..1:.[F'i.00ì.r.1i. quex = 30corresponde a p = 3 (30acarajés são vendidos quando o preçounitírioéR$3.1 = 0 b) 3x r + x . paraqualquer vaÌorde:r. (P \ ur'. b) não adÌr'ììte raízes reais.ri òmioJú2es".l.do/ do 2.{imiza quando x = * = " / 9 2 '\ diáriaobtidâé 2. (upn-nl) no.+s+l=nsz..*tìque. / r r\ no mtervaìo rbat. (PUC PR)O gráÂco a seguìr é de un1tÌinôÌÌio do 2sgrâu: +. Porqualpr((úo d.ixìma? / 1 ô\ R (x )=x t _ m x + _ J = * " ' * * quantidâde pfeçountário vendida de vendâ I --\- * Assim. seD.para quaÌquervaÌôr de e) o trinômioé Degativo. Note.' '-]' ]. de veStibuIares fiW*.e õ\im pordia rÌ Ì e .. por exemplo. nâo admit€raízes Ìeaisse.que o preço unitário de venda er'=$.l =.nrda por í(r) = lÌ2 + ru + 1.Jp Pl.. grdú. EntJo sLàu a enud. .rrâic .25.err endido deve para queproport ionereceira m. o t"lìpo eDrque um bâho. também..x=50correspondeap=2(50acârajéssãovendidosquandoopreço un ilarioe R$'.det.zs i.i L "t.00).le sás estáscndoaquecido.ffii.R(x) sema.45 = R$ l0Ì.Observe.Jo È: 'J a) 3Ì ' x .o número reâln for tal que: a) -12<m<12 b) l\D< Ìn < 3\D c) -2ú<m<2ú d) m< rúoum>:lD.ì. rfrrê.. (pUC n1)x aoossotuçÕes de uma equaçao do 2e são I c I.ffiffi i . oi Ì\ = 45 (45 acarajés).íl \u/ . c) para quaÌquervâÌoÌ de Ì < :f o trinômÌo e d) o trinôDrio é positivo." Ìl .

(Faâp'sP)Uma produto. a s o Ìu ç ã o d o s isteD Ìr 6.7 b) 12. (p"t Sp) Na fisurãabaixo " de urnâfunçãode variáveÌ gráfÌco real dadapor f(x)=aÌ2+bÌ+c.2) u t3.eÌÌ rcais. pode-seafirmàr n aÌrüra máximâ no inÍante t bl -2 c)2 d) l b) 230m' c) 235m: d) 240m' e) 245m' !.n pI. (U. .urr aj' quâl â tuea do cuÌrâl qua deve ser a meror possíve1.5q + 10. retanguÌâÌ. y l l .t] b) 1<x<s d) x>3 indústÌia produz.00. do pfoduto. -) Ì. de é 6.2 l d) I 2.1 c) 1s.z= rr tv:... dâde vcndìda é isuâl a: a) 30 b) 40 c) 20 (p-p sp) u-".ot.00.2) | l. em netros. = 2. (u. tum à.ouicJo: a) [ Ì. e a soma d" doisnílmeros 9. ã.3 no quaÌ a função 12. lpuc uc) o ìntervâlo f(x) = xr-6x + 5 é crescente é: 1 " ' e >o a) [2.O à)2 b)1 d )8 e ) Ì0 a) 10.o-pânìia estima que podeven deÌ Ìnensalmente4 niÌhâres de unidades de seu produto aopreço dep reaispoÌ unidade.00 a cadadia. e o outro. é dadnpeÌaÂÌnção a Se pedra atiìgiu em que té medido enl scgundos.l e) r8.a"ptuao) qua de cercaparâ construiÌ doìs currais:um deÌes. (r. J: 0 o(rlercen tem-se um trechodo 13.por dia.Íunidn7. 2l u (2. 2 c) tr . 2 lu (3 . (evendidas) por dia. A quantjdade que ela conse guevendervdia em funçãodo preçosegundoà re Ìaçãoì a un pÌeço r eÌâ conseguevencler / unidades y = r00 . o númerode nha unì lucro diário de R$ 900.oma do areo dn.3 10 .ro.é possí\'eÌ minâÌoscoeÊcìentcs d. L Viçosa MG) uÍìâ eÍnpresaproduz e vende um deterninado proc{uto. d) r7. I deter UsandoâsiÌìfoÌmações do gráfico.Se:runidades diáriaé iguala totaÌ.01 e) [0.Íc) u''" p"ara h(t) = alr + 12t.s quâdÍados nóduÌo da diíerença seus é 68. (puc r. al para cima e sua é atirada 11.deve ser produzidas unidades iguala: d) 70 a) a0 e) 8{) b) s0 c) 60 8.+-l b) l-.3 Í5. de a. (Mackenzie fx Ì < 3x..e pode vender desde Ìrm deterniDado â tudo o que produzira um preçode R$ 100. cn) se Í e / sãonúmeros t\. r. (U. saoproduzidas uridade. qüantos milhares de unidades deve vender mensalmente para que a receita seja a máxima pos- d) 60 c) s0 a) 18 b) 20 c)s cll r0 tem r40metros un agricuÌtor 16. mm comprimento iguai Jo rri D l o dd l rrsur. drado.. \F r . da pfodução o custo te paraquea indúsfuin xr + 20x+ 700.A receira nensal dasvendasé igual âo pÌoduto do preçopeta quântidade vendida.' o-rrìi mod. Supondo p = 0.oÌdo com a equação SabeÍÌdo que a receita obtida (quãDtídade vendida a quantivezes o preçode vendâ)foi de R$ 1 250.Portanto.l: iuìzde lora MG) os \ãloÌcsdeÍ quesatisfa.1 . ruIR'RÌ) A soma dess.sP) Em R.-) taisque reais 14. O valordeü é: a) 0 b) -l c)2 d)3 b) c) d) e) ( r .31 t 3.2x.enrl in. -) [r.

IIL Quaúo 10000 gaüâfàsplásticas são proctuzi das.0< x < 20.temosafìrrÌìar que a área do tÌiàngulo ÂVB é a" tunção í(x) x: Kx K: l U .o.' uf-F< ' \fu.rl d) (--..ri . A f unç ã o c u s to mé d i o s e fá d a d a poÌ q II. = b. ..sl \.00.lo seo cusro C peLaquant i rl aa d.V b ) TVF c) VF.V.para a produção de 4 milhares de unnìades de gârrafas plásticâs. e < u. I' r.faías plásticas é R$ 55 000. nesse dia.=! Sendo C = 2q'z 3q + 20 o cusro.. u r el ciaÌizìdo. j rei i\ foram vendi das 20 I uni dades.o n . o-crÌsto da tàbricâião de cada uDidade desse sorveteera de 2 reajs.Ì) i b) (-r.o t. I u r dr ifu PR P d Ír u n .rÌsto (C) eÍão Ìepresentadas a sesuir em um Desnro sistemâde eixos.17. âssinale a aÌtemativa que indlca vÂlor máximo e admite duâs raízesreaise iguâis. 2x + a remu Com bas e ne s s a si n fo rm a ç õ e s e c o n s i d e ran do que a f un ç ã o l ü c ro p o d e s e r o b ti d a por L(q) = R(q) C(q). u.o custopor unidâdeé Rg 19. !cÌL rr.e ro Ji a. llcv sr.hdoí.Se. éobrido diÌidin.o d r ru .d no. a função receita (R) e a função. e) (-*. o' a) K6 b) 3K l c) 3I(a (K € R) são'.qlÌanrasuni. Nessâs ( 2) é igual a: condições.u"ton'édio.e ou -q € l C.rl c) l-r.J o . e.F 18. L. I .. (lbm( RDA fisxramos|n unìnparáboÌa. +-) llu lÌ.ej .+*) 21..l verdadeira ou falsa.. a) -4 d) 16 fr" .. r U.i somenÌe s€ìr pertence ao ìnterlalo: à) (1.n i n u . xr = â e x. Então(âabl+ arb{) d) 3K6 e) -K'z Po.consideÌe ês segutur€s I . (cefet'Mc) A tunção í(x) = ar.rrq-e . O custo iotaÌ parâ a produção de 5 000 ga. devérri d) F. tem-se: â) b) c) d) e) L(q)= -2q':+ sooq 3sooo L(q)= -2d + l oooq-3sooo = -2q':+I 2ooqL(q) 3sooo = 269n t1q1 1 35666 L(q)= 200q-ls 000 e po\ r:rJ f. A s oc iandoyo u / d .ladesre riaüÌ que ser rendjdas para que o Ìucro do fabri caüteíosseo maìor possíveì? al 9 b) l1 c) ll d) 15 e) 17 23.\' C .d d J . deprcdução det umdâdes deumartigo. em miÌhâÌes de reais. o .00. iguala: b) 5 d)7 e)8 íD -. e . 1) U (Ì.onì.=2 c-3+f9.o rrr.onde 4 indica a quântidadedesse íí. 1ur-ul. F . c-. o r' ìi r" ri o de vendr de I m \o.

ntì pÍopo'ção de 20 litros rcnd os a eraispor dia.lio Dovo.oÌÌ.ojato de ãguxe o feiÌ.ltLrra.ovo.1rioconsfaiouque.spondcnte em un únìco ()uais sro âsÌiízcs dcssir fLÌnção? (Ul cO) Urì postode coìnbustírcis pof diâ.Íeli o nÍÌnrero de litros vendidosem un dia enÌ fuìlçàodo preçop. Scu feine de do chão. âtingiÌÍ r bàsedo slra trajetórìi . sutì vcz. ocorre Lün aument Ììo ioluDÌe d. . tüÌ dasproi€ções decidiu fazer uso siÌnuÌtâteo de pÌoDrolor de eÍentos jiìro a pâÌtìr de unl de rm c. .O canìão Por luz . \€Ddido. apósexecutàr dispaf.difício. :itËffi (Ul'Pr\. ao reduzt o preço do ìitro.i+r. O vcndeem médìa2 Ì40 iitros de gasolina prcpÌiet.r paÌlÍ do solo.paracedecentavo Cor1]basero expoÍo: quc dcs.A que.DlÌao dc luz efeiurdrs um de água e pequcno pÌédio vìzinho." de Ìuz sc E t rcaise sinìétÌicasJabeseque a retade equrçáoy= s irÍcrccpta a A ÍìÌDçâo f(-\) = anr + bÌ + c teni raízes poüto c que f(liõ) = :. conìJuslível de feduçãono pÌcço do ÌÌiro.75 por Ìitro.eìtaobLidi com a \tDcla de gasolina. será pré. Ìo.O jato scrj Ìançadoâ partir do tcto do peqLÌeno prédtu (â 9 m€tfos de parabóììcx. seianÌáima b) calcuÌco preçoparnqlre â re. da basc do exatàÌnente o vórticcda "parábolâde águâ"e rLhgirá o topo doÌÌovo edifício.âlizado | Ì8 mefuosdo edifietu.trâvessari pequeno prédio.do â pÚiir de luz.Ltura) c. pâráboli . a) obtenhauúraeÌpressáo " em um diâ.qu€secÌrconlraa 16 metrosde altuÌâ (conformer figura âo ìâdo).ìdaptado)Por ocrsìãoda iÌìauguração de rÌn . a RS Ì.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful