FADO

Amália ontem, Mariza hoje

Cultura Portuguesa Docente: Marília Hanenberg Discentes: Ana Salomé Marques Carlota Perestrello Eva Linda Mário Serra

Fado – Amália ontem, Mariza hoje

Índice:
1. Introdução 2. Origem do Fado 3. Amália 4. Mariza 5. Influência do Fado no mundo 5.1 Entrevistas 5.2 Industrias Culturais 5.2.1 5.2.2 5.2.3 Eventos socioculturais Na música No cinema

5.3 Recolha de opiniões sobre produtos do Fado 6. Entrevistas e curiosidades 7. Conclusão 8. Bibliografia 9. Anexos

2

Fado – Amália ontem, Mariza hoje

1. Introdução
Pretende-se com a realização deste trabalho aprofundar um pouco aquela que é uma das nossas maiores heranças culturais: o Fado. O Fado, de uma maneira geral, é conhecido por todos, no entanto, pretendemos com este trabalho dar a conhecer melhor às pessoas aquilo que o fez “nascer” bem como os seus maiores intérpretes. Iremos falar sobre a maior fadista portuguesa de sempre, a mundialmente conhecida Amália Rodrigues. Feita a apresentação desta última, iremos então falar sobre a maior fadista portuguesa da actualidade, a Mariza, que é uma verdadeira cidadã do Mundo no que toca a levar o Fado às bocas do Mundo. Iremos também mostar uma série de entrevistas a pessoas como o Mark Wolters, Nandocas , Maria de Lurdes, Michael Colvin e Simon Broughton, de forma a saber a sua opinião sobre este rico pedaço cultural que temos. Vamos também mostrar o impacto que o Fado tem no Mundo em áreas como eventos sócio-culturais, música e cinema. Por fim iremos mostrar algumas curiosidades sobre o Fado.

3

o Fado é um fenómeno situado nas zonas mais antigas da cidade. Origem do Fado A palavra Fado deriva do latim fatum. daí o seu tom triste e lamento. um estilo musical tipicamente português. Outra hipótese remete para os trovadores medievais cujas canções contêm características que o Fado conserva. música dos escravos brasileiros que teria chegado até nós através dos marinheiros. marcado pela sua melancolia. As cantigas de amigo revelam semelhanças com alguns temas recorrentes do Fado de Lisboa. que significa destino O Fado. tem uma origem de difícil localização temporal e geográfica. Mariza hoje 2. Mesmo assim. onde a decoração alusiva ao Fado .está sempre presente. as dificuldades da vida. a tragédia. e a saudade. Os temas mais recorrentes passam pelo amor. Nos centros urbanos de Lisboa e do Porto. e é cantado em casas típicas.o xaile negro e a guitarra portuguesa . Outras teorias apontam para a origem do Fado no lundum. 4 .Fado – Amália ontem. assim como as cantigas de amor possuem a áurea romântica do Fado de Coimbra. pensa-se que o Fado de Lisboa terá nascido a partir dos cânticos do povo muçulmano.

como atracção da revista "Ora Vai Tu". em Madrir. sentindo-se sempre uma intrusa. Amália torna-se rapidamente o nome mais famoso de todos os ídolos do Fado. os preços dos bilhetes sobem mal é anunciada.Fado – Amália ontem. Tendo ficado a viver com os Avós até então. e é a esta viagem que diz dever o seu gosto por canções espanholas e flamengo. ficando então as marchas no reportório. Amália Amália da Piedade Rodrigues nasce numa família pobre e numerosa. Por onde actua faz esgotar lotações. e é a partir daí que fica conhecida. o que. É também neste período que e convidada para cantar numa conceituada casa de Fados em Lisboa. da Beira Baixa que vem para Lisboa tentar a sua sorte. Em poucos meses atinge uma popularidade tal que o seu cachet é de longe o maior até então pago a uma fadista. no Teatro Maria Vitória. Mais tarde em Setembro de 1944. Casamento esse que apenas durou dois anos. recusando no entanto o convite por falta de apoio da família. Tão rápido é o êxito de Amália nos retiros fadistas que logo a chamam para o teatro. a convite do embaixador. Aos quinze anos começa a acompanhar a irmã na venda de fruta pelo Cais de Lisboa e é então que é notada pela sua voz o que a leva a ser escolhida para cantar pela Marcha de Alcantra. Estreia-se depois num retiro de Severa que lhe abre as portas ao mundo. segundo alguma opiniões foi um dos factos qu influenciou a sua música. Mariza hoje 3. Aos quatro anos as vizinhas começaram a pedir-lhe para cantar. Conhece entretanto um guitarrista com quem se casa. mas é só quando entra para a primária que canta pela primeira vez em público numa festa da escola. só aos quatorze quando a família volta para Lisboa é que a Amalia passa a viver com os Pais e os irmãos. É em 1943 que Amalia actua pela primeira vez no estrangeiro. Estreia-se em 1940. Amália chega ao Rio de Janeiro acompanhada pelo maestro Fernando de Freitas para actuar no mais famoso casino da América do Sul: o Casino 5 .

ligando uma melodia carregada de ambiente a uma forma definida mas ampla faz música que permite a Amália cantar poetas que até então não cabiam no Fado clássico. A recepção é tal que o seu contrato inicial de 4 semanas se prolongará por 4 meses. Em Maio de 1947. fazendo alguns filmes no estrangeiro e sendo a sua musica editada em vários Paises. A sua música mais conhecida é “Povo que lavas no rio”. Amália inicia aquela que será a grande viragem da sua carreira: o encontro com a música de Alain Oulman. Recebe várias homenagens ao longo da vida. voltou passado um ano. Amália Rodrigues deu a voz e a alma a poemas de grandes autores Portugueses. Amália torna-se num símbolo do sucesso nacional: a rapariga pobre que com o poder do seu canto passa da noite para o dia a ser rica e famosa. Amalia começa a dar que falar pela Europa . Em 1962. Um marco decisivo na internacionalização de Amália é a sua participação. e a música “Peniche” foi proibida por ser considerado um hino aos presos de Peniche. em 1950. Mais tarde volta a casar no Rio de Janeiro. e a assinar contratos com produtoras internacionais. e anuncia eu vai deixar a carreira artística e mudarse para o Brasil. Morre a 6 de Outubro de 1999. Este compositor. cantou também vários poetas e letristas seus contemporâneos. como Ary dos Santos ou David Mourão Ferreira. Com 24 anos Amália estreia já um espetáculo inteiramente concebido para ela. despertando todas as paixões. que tomou uma dimensão politica. nos espectáculos do Plano Marshall. e é recebida pelo Papa João Paulo II . Mariza hoje Copacabana.Fado – Amália ontem. o seu segundo casamento. Em 1954 actua pela primeira vez em Paris e em Londres. e está sepultada no Panteão Nacional. que marca a estreia no cinema de Amália e bate todos os recordes de exibição até então. Em poucos anos. Chega a actuar na União Soviética e em Tokyo. 6 . estreia-se o filme “Capas Negras”.

Comecei.". filha de pai português. até aos 13 anos. Carreira e Obra: Em 1999 é convidada por Filipe La Féria para a lista de cantores que homenagearam Amália Rodrigues num espetáculo no Coliseu de Lisboa (e depois no Coliseu do Porto). na hora das refeições. Instalaram-se assim primeiro em Corroios e mais tarde na mouraria.. Para além disto o pai também foi um dos grandes impulsionadores do gosto da cantora pelo Fado. a gostar do ambiente do Fado. A mouraria é considerada desde sempre o berço do Fado. na freguesia de Nossa Senhora da Conceição. e mãe moçambicana. nasceu em Moçambique. O meu pai sempre foi um grande incentivador pois achou que eu devia ser cantora. escolhendo Lisboa para recomeçar uma nova vida. sendo portanto frequentado por inúmeros fadistas de referência.» O Fado de Amália Rodrigues era um dos prediletos de José Nunes. o que a levou com 7 anos a cantar pela primeira vez num ambiente profissional na Casa de Fado Adega Machado. O primeiro Fado que cantei foi 'Os Putos' e. Em 1977 com três anos de idade abandonou a sua terra natal. Isabel Nunes. Mariza Infância e influências Marisa dos Reis Nunes. e foi um dos que mais influenciou a forma de cantar de Mariza. 7 . Então pai abandonou Moçambique com a família mais chegada. sempre de Fado.Fado – Amália ontem. ouviam-se discos. José Brandão Nunes. Segundo ela. fui para lá com cinco anos e os meus pais tinham um pequeno estabelecimento onde organizavam pequenas tertúlias fadistas. nunca se via televisão. sempre cantei Fado. Mariza hoje 4. esta partida deu-se porque não existiam condições de segurança para as famílias portuguesas que viviam nestas colónias após o 25 de abril. Ao longo desta pequena parte teremos frases de uma entrevista feita a Mariza que reafirma tudo o que aqui referimos: "Eu cresci na Mouraria. transmitido em direto pela TVI. Visto isto Mariza cresceu ouvindo Fado. desde muito pequena. o pai estava «sempre a ouvir Fado e. o pai.

e o concerto no Pavilhão Atlântico a 8 de Novembro de 2007. Coreia e em Inglaterra..Fado – Amália ontem. em Lisboa. Mariza hoje Para Mariza. nos jardins da Torre de Belém. Já não era aquela euforia de cantar com a banda que me interessava. Num próximo álbum vou arriscar mais em temas originais e fazer coisas que eu pressinto serem novos caminhos" 8 . o Sr. Vinho. que assistiu a um concerto dela na Bélgica. A partir daí começou tudo a acontecer". já que muitas das músicas eram do seu repertório. Ó Gente da Minha Terra e Oiça lá ó senhor vinho.. A minha paixão já tinha mudado e quando não tinha concertos aproveitava sempre para ir à casa de Fado para me envolver naquele ambiente e perceber o que estavam a cantar. Japão. Queria aprender aquilo tudo. do qual se originou um álbum que recebeu uma nomeação para um Grammy Latino. Estava nervosíssima. Portanto em 2002 . faça as coisas à sua maneira. 'seja o que Deus quiser'. O disco é uma espécie de tributo a Amália Rodrigues. dado simultaneamente à festa de entrega dos Grammys para os quais estava nomeada. que se decidiu a editá-la através da sua etiqueta. a World Connection. mas também na Bélgica. e ele pediu-me para aparecer mais vezes. Foi um holandês. "Às tantas cantei por brincadeira a 'Rua do Capelão' na casa de Fado do José Luís Gordo. dos novos cantores de Fado. Entre as principais faixas do disco encontram-se Chuva. No inicio da sua carreira Mariza teve dificuldades em conseguir um contrato com uma editora discográfica portuguesa. tal como todos os restantes álbuns da fadista viriam a liderar Iniciou não só este disco como dois dos seus principais concertos: o concerto em Lisboa. O CD vendeu muito bem em Portugal. liderando os tops portugueses.. Mariza lança o seu Primeiro álbum. "Fado em Mim" foi então publicado não só na Holanda.. a revelação aconteceu há três anos. fechei os olhos e. Uma das músicas que conseguiu melhor repercussão foi Chuva. A primeira vez que me apresentei profissionalmente foi na homenagem à Amália organizada pelo João Braga no Coliseu dos Recreios. Hoje Mariza continua com os seus grandes planos e segundo uma entrevista feita ela adianta: “É saudável que cada um de nós.

A opinião geral dos estrangeiros em relação a este género musical que pudemos concluir é que a questão da linguística não é barreira na transmissão de emoções e na afinidade estabelecida entre artista-público. O segundo através da recolha de alguns comentários/críticas a produtos relacionados com o Fado em sites de compras online e de visualização de vídeos. e realizador do documentário Mariza and the Story of Fado . professor regente da cadeira de Empreendedorismo e Estratégia de Negócios na Universidade Nova de Lisboa. falámos com o Sr Fernando ‘Nandocas’ Sousa. mas que de alguma forma estão ligadas ao Fado. Mariza hoje 5. 9 . por um lado em que nada estão relacionam. onde combina estes dois géneros musicais. decidimos fazê-lo de três processos. professor de Marketing numa universidade do Illinois. durante os cinco anos que viveu em Portugal. As influências do Fado no mundo Para compreendermos melhor o impacto do Fado no mundo. a mágoa. e tem uma relação muito próxima com as nossas tradições. a rainha. e finalmente falamos também com o senhor Simon Broughton. o baixista que acompanhou Mariza em tournée durante dois anos.Fado – Amália ontem. podemos ainda concluir que apesar esta categoria especial de apreciadores de Fado não terem nenhuma relação directa com Portugal. foi também. entrevistamos o Sr Mark Wolters. como a saudade. conseguem através do Fado experienciar sentimentos associados ao nosso país. Falamos também com a fadista portuguesa Maria de Lurdes. que vive em Paris onde integra um espetáculo chamado TangoFado. Através destes processos pudemos concluir que o processo evolutivo natural do Fado e a sua adoção como nova tendência permitiu que este chegasse e (fosse muito bem recebido) a outras culturas através da nova onda de fadistas sendo a Mariza considerada a princesa. editor da revista “songlines”. e o terceiro através da observação das repercussões que o Fado teve nas outras culturas. No primeiro processo. nos Estados Unidos da América. e a Amália. através da condução de entrevistas a quatro indivíduos que. e nostalgia.

1. Mariza is a nice act that people do like to see in international world music - 10 . but understand what the lady was singing about” - 4) What do you think has changed. Sr  Professor de Gestão de Marketing Avançado. na Universidade de Illinois.Saudades kind” - 3) Do you think the language barrier is an obstacle when listening to Fado? “I think the fact that Fado singers have really great voices help overcome the language barrier. Professor de Gestão de Marketing Avançado. Mariza hoje 5. lots of tourists go to the Fado bars and understand not one word. since it entered UNESCO’s Intangible Cultural Heritage list last year? “Honestly I don’t think it has made any change in the impression of Fado in the US per se. Entrevistas SrMark MarkWolters.  Viveu durante 5 anos em Lisboa. na Universidade de Illinois. Wolters. in terms of worldwide opinion and appreciation of Fado. Nova (dedicou cerca de 91 videos no youtube só sobre Portugal) 1) How did you first hear about Fado? “Some portuguese friends of mine were listening to it when i lived in Berlin. you can feel the sadness in their voices when they sing. onde foi professor na U.Fado – Amália ontem. I remembered it and then I heard it all the time when i would walk around downtown Lisbon” - 2) What does this kind of music make you feel? “Depressed .

they are a bit reserved.A. What are the main cultural differences you felt. a few years back and people liked her” 5) What would you say is the general opinion worldwide. I really can't say too much. But if they know Fado they think it is very nice” - 6) You lived Portugal for five years. Georgia. about this traditional Portuguese type of music? “There probably isn't any opinion.S. Mariza hoje festivals (she was in Savannah. They do not seem to know what meeting at a certain time means” - 11 . U.Fado – Amália ontem. between Portugal and other countries? “Lots of difference and not too many differences all at the same time. Portuguese are not violent. Portuguese are very proud and do take offense to any negative comment that a foreigner says about their country (even if the portuguese person just said it). if you are their friend they will take care of you.

I wanted to examine and expose its more subversive tendencies regarding the Estado Novo. I had heard a record by Maria Marques in 1990. the Fado is described in very broad terms. and so. 2008)  As suas áreas de estudo incluem entre outros. however.” - 2) What made you write a book about it? - I wanted to understand thematic ambiguity in the Fado. produzida sob ditaduras fascistas 1) How did you first hear about Fado? And what were your first feelings when you heard it? “I elaborate on this question in the preface to my book. "I've been sad but I've never been unhappy") except by scholars. Michael Colvin. The Recontruction of Lisbon. Even on radio programs and in the NY Times. In 1993 I went to Portugal and I attended a Fado vadio session at the Mascote da Atalaia in the Bairro Alto. A thorough bibliography of 12 - . my impression is that outside of Portuguese immigrant communities. The complexity of emotions in Fado is rarely acknowledged over here (Herminia Silva's quote. people here may have a general impression of Fado as World music. Fado português e cultura popular. 3) What would you say is the general opinion about Fado in your country? “I can only reflect on urban centers in the northeast U. and as a Portuguese cultural expression. I never believed that the Fado was a reactionary art form.S. there are quite a few American scholars (and some luso-descendentes) who are engaged in very scientific research about the Fado from a variety of disciplinary perspectives. Mariza hoje Prof. As far as scholarship goes. melancholic ballads.Fado – Amália ontem. I felt overwhelmed by the voices and I also felt overwhelmed by Lisbon.A.  Autor do livro: The Reconstruction of Lisbon: Severa’s Legacy and the Fado’s Rewriting of Urban History (Lewisburg: Bucknell University Press.

and write in Portuguese. I have had very positive feedback from colleagues on my work. in my opinion. because she speaks Italian at home. should include these voices writing from outside of Portugal. I do not believe that my book has had an effect on people's tastes in music. Research libraries.” - 13 . Americans in urban centers are in the habit of listening to music in other languages. particularly with regard to the biographical work I have done on Maria Severa and the critical work on Fado in Portuguese films. and even can make sense of some of the songs when she can see their lyrics. since we can speak. read.” 4) Do you think the language barrier is an obstacle when listening to Fado? “For me it isn't. For example. one of the secretaries at my university loves to listen to Carminho.” - 7) Do you feel people started listening and paying more attention to Fado since it entered UNESCO’s Intangible Cultural Heritage list last year? “The public radio stations have talked about the UNESCO candidacy often when interviewing fadistas who pass through the US. so the readership is limited.Fado – Amália ontem. I have known many Americans who listen to Fado regularly and as a result. as I see it. Mariza hoje the Fado. nor is it for any of the accomplished scholars of Fado whom I know. But. but I do get quoted often. but this feedback has been informal. to specialists.” - 5) What kind of reception did your book had? Did people started listening more to Fado since reading it? “My book hasn't been reviewed formally. and to kind friends. It is an academic book. Apart from that. want to learn to speak Portuguese (this happens here with Brazilian music too). The problem that most nonPortuguese speakers have with the Fado is being able to distinguish forms and even songs. I don't know that the concept of intangible heritage makes as much sense in our young country (for a general public).

Fado – Amália ontem. quais sente serem as principais diferenças na recepção do público francês para o português? -“Tenho cantado mais para publico francês que português e o publico português aqui não tem nada a ver com os portugueses que vivem aí ! De uma maneira geral para os franceses é 14 . os franceses traduzem com o equivalente à 'nostalgia do país' .'mal du pays'. memórias de infância.” 4) Acha que a barreira linguística entre Portugal e França é um impedimento para a apreciação e compreensão deste género musical? . mesmo não percebendo as palavras.“Os franceses em geral aderem bastante bem ao Fado.“Não! De todas as vezes em que cantei Fado. fi-lo para salas completas que no fim se levantavam para os aplausos finais. em que é combinado estes dois estilos musicais.“Conhecem como uma palavra que descreve um sentimento que não tem tradução na língua deles. 1) O que sente quando canta e ouve Fado? . e emocionam-se!” 3) Os franceses conhecem a palavra “saudade” e todo o seu significado? . muitos me dizem que conseguem sentir a emoção na forma do Fado. saudade. Mariza hoje Maria de Lurdes  Fadista portuguesa  Vive em Paris há 7 anos  Integra um espetáculo chamado “TangoFado”.” 5) Quando canta o Fado. poesia e autenticidade” 2) Qual sente que é a opinião geral dos franceses em relação ao Fado? .“Sinto o sabor da nossa cultura.

Fado – Amália ontem.“Surgiu numa viagem que um francês (filosofo/encenador/produtor e professor de tango) Michel Glaize fez a Lisboa e que se disse ‘o tango e o Fado dariam uma boa mistura.” 6) Em breves palavras.“Sim! Com certeza !” 15 . quer cultural quer musical’. explique o seu projecto do “tango-Fado” – como surgiu. e qual tem sido a adesão? . Mariza hoje uma descoberta agradável para os portugueses a nostalgia do país. Reuniu um grupo de músicos e dançarinos argentinos portugueses e franceses e assim nasceu este espetáculo que já passou por vários festivais de prestígio entre eles em abril deste ano no Jazz In Marciac” 7) Acha que o projecto teria tanta adesão em Portugal quanto na França? . Os dois sentem emoções fortes mas por razoes diferentes.

” 2. estava na primeira fila. e é também um amigo próximo. 1. e no fim. e os jovens estão mais recetivos [a este estilo]. O Fado está na moda no mundo inteiro. e muito preocupados se não nos falta nada. Mariza hoje Fernando ‘Nandocas’ Sousa  Baixista portuguesa  Foi em tournée mundial com a Mariza durante dois anos. e muitos esperam até ao fim do espetáculo para nos vir cumprimentar. o próprio Frank Ghery. qual foi o país que melhor recebeu vos recebeu? “Os países nórdicos são os que sabem melhor receber. O próprio publico é também ele muito interessado. até porque adoro viajar. Quanto tempo andou em tournée com a Mariza? e o que nos pode dizer desta experiência? “Andei dois anos em tournée. em Los Angeles e seu arquitecto.Fado – Amália ontem. Dos vários episódios engraçados pelos quais passamos. Quais sente que são as principais diferenças na recepção do público estrangeiro para o português? “Estrangeiros reagem todos da mesma forma. 3. tem a ver com a artista. sem dúvida. lá tratam-nos como reis! Põem tudo à nossa disposição. não tem a ver com o Fado. e dizer o quanto gostaram. Na sua opinião. fez questão de nos ir cumprimentar e conhecer a Mariza. e foi um período muito feliz.” 16 . tenho de destacar quando fomos convidados a actuar no Walt Disney Concert Hall.

Como acha que a palavra “saudade” é interpretada pelos estrangeiros? “As pessoas não conhecem essa palavra. tanto em Portugal como fora de Portugal? . porque não é traduzível. mas em geral. ao contrário do que acontecia até há uns 10-15 anos para trás. e mostrou-lhe que não há problema em gostar de um produto português. mesmo não sabendo que nome lhe hão de dar. Acha que a integração do Fado como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO mudou a opinião que as pessoas tinham sobre este. mas acho que tornou as pessoas mais receptivas ao seu próprio património e cultura.Fado – Amália ontem.” 17 .” 5.“Não para o estrangeiro. reagem a essa emoção de ter saudades de algo. Mariza hoje 4.

and then the attitude of the fascist regime and its revival. Story of Fado”. I enjoyed Fado. (revista britânica. But for me. it made no sense to do a portrait of Mariza without telling the story of the music which she performed.Fado – Amália ontem.” - 3) What would you say is the general opinion about Fado in your country? “Thanks to Mariza there is a renewed interest in Fado in the UK – she can sell out big concert halls – but the main feeling is that it is a beautiful but melancholy and depressing music!” - 18 . but it was Mariza that suddenly made a big international impact. so she sang a song in her memory. 2) What made you do a documentary about it? “It was obvious there was a new generation of Fado singers developing in Portugal. It’s not a story that is known very well in the UK – and I was particularly interested in the connect political stories behind it – the early origins in working class song (thanks to Rui Nery’s work). Some like Misia were touring abroad. de música do mundo)  Realizador do documentário “Mariza and the. Mariza and the Story of Fado was made in 2006 and was a coproduction between BBC TV and RTP through the European Broadcasting Union (EBU). Mariza hoje Simon Broughton  Editor da revista “Songlines”. para a BBC 1) How did you first hear about Fado? And what were your first feelings when you heard it? - I guess the first time I heard it was in the 1990s and the first time I heard it live was a Misia concert in London in 1999 – actually the day that Amalia died. but you need to know a little more about it before you can really appreciate it I think.

but of course it is. I’ve also attached a review of the DVD of Mariza and the Story of Fado from the Washington Post. people said it was really useful to have subtitles on the extracts of the Fados we used. - 6) What kind of reception did the documentary had? Did people started listening more to Fado since seeing it? “I don’t think I can claim that more people are listening to Fado as a result of the documentary. but I don’t think it changes opinion about the value of a particular culture 19 - .Fado – Amália ontem. Warsaw. When Fado singers present their music internationally – Carminho was here recently in London – it really helps when they say something about the songs”. but it all helps raise the profile of the music and Mariza herself. But Amália.” - 7) Do you feel people started listening and paying more attention to Fado since it entered UNESCO’s Intangible Cultural Heritage list last year? “I think it probably made a difference to people in Portugal that it was recognised. I’ve also sent a review of Mariza and the Story of Fado from the US. Mariza hoje 4) Do you think the language barrier is an obstacle when listening to Fado? “People like to say that language isn’t a barrier. Brusseles and also Lisbon (at the Fado Museum) this year. Even those that do know some of the history also found it interesting. It also has some good performance extracts from Mariza and archive film of Amalia. (ANEXO A) It has been shown on TV in many European countries as well as Australia and has been shown at quite a lot of film festivals – I did presentations of it with question and answer sessions in Prague. Mariza and others wouldn’t have had so much international success if people didn’t enjoyed it on just a musical level. The documentary got a very good response in the UK press (I’ve attached some previews from the UK press). Certainly with the documentary. - 5) When making the documentary what was your target audience in mind? “The target audience for the documentary is someone who might be interested in Fado and likes Mariza’s music but doesn’t really know the history of the music.

Do you think people will value the Hopping Procession of Echternach in Luxemburg more widely because it was put on the UNESCO list in 2010?” 20 . Mariza hoje internationally.Fado – Amália ontem.

Carlos do Carmo.1. em que destacamos a presença do ilustríssimo musicólogo Ruy Vieira Nery. Industrias Culturais 5.1. Cinema A nossa busca pelo impacto do Fado na sétima arte no estrangeiro. e Mariza actuaram para um público expectante Foram também feitas conferências sobre o Fado.2. não resultou em numerosos resultados. a quem em muito temos de agradecer pelo mérito que teve em colocar o Fado como candidato. em Madrid Festival que decorre em Madrid desde 2010.Fado – Amália ontem. os participantes foram também convidados a participar na mostra gastronómica para conhecerem os sabores típicos da nossa terra. e os já consagrados. Esgotado. encontrámos este filme francês de 1955 do director Henri Verneuil que achamos particularmente interessante. Eventos Socioculturais Festival do Fado. e que vai agora para a segunda edição. Para além de se dar a conhecer a música. Os novos artistas como Ana Moura. Este ano contou com a temática – “Casas de Fado”. 5.1. no entanto. Mariza hoje 5. 21 . (e triunfou) na lista do Património Imaterial da Humanidade da UNESCO. Ricardo Ribeiro. Concerto Mariza no festival.2. devido à popularidade que teve no primeiro ano.

1995 (Os Amantes do Tejo) O filme retrata dois franceses que se encontram em Lisboa. a cantora islandesa Björk. 1955 5.1. música eletrónica. é uma influente cantora e compositora islandesa. Apaixonam-se perdidamente. a reacção do casal é deslumbramento. Mariza hoje Les Amants du Tage. Música Duas artistas de renome internacional. Numa entrevista disse o seguinte sobre a fadista portuguesa: 22 .Fado – Amália ontem. Björk Um rosto conhecido para muitos. Os Amantes do Tejo. instrumentista e produtora musical. e transpõem isso para a sua música. Ele é um taxista francês em Lisboa carregando as cicatrizes da infidelidade da esposa. O seu estilo musical eclético alcançou o reconhecimento popular. mencionaram como foram influenciadas pelo Fado. e a PortuguesaCanadiana Nelly Furtado. clássica e folclórica. Pouco depois do início da actuação da cantora aparece um jovem rapaz com os seus 8/9 anos de idade que explica ao casal a história por detrás da música “barco negro”. e inclui rock. Ela é uma mulher que tem problemas com a lei e ela tem um inspector de polícia em sua cauda. são elas. cantando o seu famoso Fado “Barco Negra”.3. Amália aparece em destaque vestida de diamantes sobre um vestido preto. que terminou em tragédia quando ele a encontrou com seu amante ao retornar da guerra. sendo também atriz. jazz. Num episódio em que o casal vai jantar a uma típica casa de Fados.

Fado – Amália ontem. Este Nelly Furtado receio provou-se desnecessário quando o público mostra uma grande apreciação pela sua música. Mariza hoje Björk sobre o seu ídolo. A colaboração de Amália com os poetas de Portugal é admirável. I'm Portuguese. mais propriamente dos Açores. isenta de filigranas. mais austero e rígido". o ouvir o fado era uma constante na casa dos Furtudo.tanta emoção em estado puro! E livre de tantas complicações que a música. dando-lhe o melhor elogio que ela poderia esperar receber. tem. mas vi há pouco tempo um documentário sobre ela . 6 de Agosto. 2001) 23 . na revista Time International a cantora fala deste assunto: “(…) "What are they going to think of me? I'm this kid. mas com algum receio das reacções e críticas do seu povo. Depois de uma carreira de sucesso de já alguns anos. compositora e atriz canadense." she said." Furtado pondered rhetorically to Farley. "It was the highest compliment they could have paid me. the crowd erupted in rapturous applause and chanted Fadista. but I'm Canadian—and I'm Americanized. Amalia: “Ouço-a há anos. filha de emigrantes portugueses. ao que ela responde prontamente que sim. É bom saber que ela teve um papel na construção do próprio género. A primeira vez que a ouvi foi há 15 anos. por vezes. meaning Fado singer." a song sung in Portuguese. Vai direta ao coração. simples e forte. É uma música direta. é convidada a cantar em Portugal. Starting out with "Onde Estas. Tem a mesma crueza do flamenco mas é menos extravagante e. Björk Nelly Furtado: É uma cantora. Nem sempre se sentiu integrada na escola e a música foi o seu refúgio. de certo modo.” (Time International.

 São várias e distantes as nacionalidades que apreciam Fado.uk. (nomeadamente o amazon. visto que sobre a máscara anónima que a internet proporciona. qualquer um está livre para expressar-se livremente.resumo do que concluímos desta observação  A linguística realmente só é barreira até um certo ponto.com. amazon. sintonia artistapúblico e presença em palco prevalecem como elementos comunicativos com os espectadores. para tentar compreender qual era a opinião genuína do consumidor. Mariza hoje 5.Fado – Amália ontem. e aspectos como a capacidade vocal. Mesmo o seu dialeto não se baseando no latim.com). podendo assim facilitar na compreensão de algumas palavras. o Fado provoca emoções nos seus ouvintes culturalmente afastados 24 . e youtube. Iremos colocar os comentários mais relevantes em anexo (ANEXO B) e fazer um comentário .co.2. Recolha de comentários Decidimos escolher este método de recolha de comentários – pesquisa na internet em sites de compras online e de visualização de vídeos. pois toda a mensagem original da canção é transmitida.

para descobrir mais sobre as preferências dos consumidores em relação ao Fado: . no Chiado.Qual é a fadista mais procurada pelos turistas? “A Amália.Os clientes que recebe são mais Portugueses ou estrangeiros? “São mais turistas.” 25 . sem dúvida que é a que os turistas mais conhecem e também a mais procurada. ocasionalmente há clientes Portugueses que perguntam o nome da música que está a tocar no momento” .Fado – Amália ontem. Mariza hoje 6. Entrevistas e curiosidades Entrevistamos também o “Carro do Fado”.

derivado da evolução dos tempos e das mudanças constantes de tendências bem como da “americanização” da grande maioria dos costumes da sociedade de hoje em dia. Hoje em dia serão por certo menos as pessoas que o ouvem. Na minha opinião considero importante não deixarmos cair esta antiga forma dos portugueses se expressarem pois o Fado é algo que é único no mundo e é algo que nos caracteriza de forma única.Fado – Amália ontem. aliada a sua beleza para quem a ouve. incluindo se aqui a música claro está mas como disse anteriormente é com estes trabalhos que vamos reavivando a memoria e espalhamos a palavra sobre uma coisa que é verdadeiramente nossa e conseguimos apercebernos que nós também temos coisas boas e que merecem ser divulgadas e discutidas entre o público mais jovem pois é aqui que o Fado se mostra menos presente e conhecido. é algo bastante antigo e este trabalho permitiu-nos aprender mais. vai sempre caracterizar-nos de alguma forma. Mariza hoje Conclusão A realização deste trabalho foi importante na medida em que é sempre importante estudarmos e tentarmos perceber melhor de onde veio o Fado e quais foram os seus maiores intérpretes pois para além de ser algo rico que temos na nossa cultura. Toda aquela tristeza da musica e melancolia. 26 . e poder também partilhar esse conhecimento julgo que é algo enriquecedor para todos. está no nosso “ADN”.

uk.com e youtube. amazon. Mariza hoje ANEXOS: ANEXO A – Crítica da imprensa britânica ao documentário “Mariza and the story of Fado” ANEXO B – Comentários amazon.co.com 27 .Fado – Amália ontem.

including Amalia Rodrigues.and its new international star. including a 'lost' period in the early 20th century when it was working class and militant.14/10/2007 (277 words) Observer TV and Radio Sloan Freer The popular world-music strand returns for a third. Mariza hoje ANEXO A – Crítica da imprensa britânica ao documentário “Mariza and the story of Fado” TELEVISION: DIGITAL: PICK OF THE DAY: EUROPEAN ROOTS: MARIZA AND THE STORY OF FADO BBC4. who mesmerises audiences with her intensely emotional performances.' Pick of the day. to the Portuguese people.30pm) "Fado.with a suitable sense of longing -in the dark city streets and half-lit bars of Lisbon's fado scene. As Mariza says with a half-smile: "Fado singers don't like too much light.Friday 19 October.' says Mariza of the guitar-backed singing style. its roots and its place in modern culture.Television From The Sunday Times . all touched with the yearning melancholy the Portuguese call "saudade". five-part series. 'Fado to the Portuguese people is like our national soul. It also shows film of some of the great heroes and heroines of fado.Portuguese blues music . This opening film looks at fado . the film examines its political roots. 7. first as a tool of communism and later of political repression." says Mariza. This documentary tells the story of fado (or "fate") from its colonial roots in the streets of 19th-century Lisbon to its widespread popularity today. the film lingers . one of a new generation of singers who have rejuvenated the country's famous musical genre.Critics' Choice. taking in the peeling paint and clothes lines of evocatively traditional quarters such as Mouraria and Alfama.30PM: From The Observer ." Offering an abundance of performances. whose 1999 funeral drew a crowd of 100. focusing on indigenous European folk music. 7. 'but fado is also universal and the language is not a frontier.Fado – Amália ontem. its story and evolution mirrors Portugal's history. 28 . is like our national soul.000. Though fado originated in Brazil. Mozambique-born Mariza (pictured). Taking the flamboyant figure of the globally successful Mariza as its central focus.14/10/2007 (221 words) Features Victoria Segal European Roots (BBC4.

the DVD features vintage performances (and an interview) with fado queen Amalia Rodrigues. whose death in 1999 triggered three days of mourning in Portugal. Mariza hoje It might be one country's obsession. soulful voice -. but thanks to such performers as Mariza. which has been affected by frequently shifting cultural and political winds.13/10/2007 (118 words) The Guide Will Dean The third series of this charming world music strand. backstage interviews and promotional gambits. others to the Moors and others to the songs of the Middle Ages. the style has persevered .Mariza compares it to a Portuguese national soul. 7. some credit it to the Brazilian slaves arriving in Portgual in the 19th century. Watching her perform." Besides exploring the music's intriguing history. As entertaining as it is to hear Lisbon-bred fado singer Mariza performing in her home town on disc one -.the real treat is an illuminating video documentary titled "Mariza and the Story of Fado. fado is breaking national boundaries.all the more so because she's featured in an orchestral setting that consistently complements her lusty. WASHINGTON POST MARIZA "Concerto em Lisboa" Times Square Friday. it's easy to understand the deep emotional connection Rodrigues had with audiences 29 .and the genre's biggest star Mariza. which looks at the history of European folk music and its place in modern Europe. starts its five-episode run with a film about fado Portuguese blues music . More excellent fringe arts coverage from BBC4. Regardless. the video seldom has more to offer than routine concert footage. 2007. March 23. Page WE09 WHEN A CD IS accompanied by a DVD. EUROPEAN ROOTS: MARIZA AND THE STORY OF FADO BBC4. Not so with this double-disc set.30PM From The Guardian . The origins of Fado seem to be disputed.Fado – Amália ontem. dramatic.

but the fresh arrangements (and doubtless the Lisbon setting) inspire stirring performances of "Loucura." -. albeit in far more intimate and informal settings.Fado – Amália ontem. that "harbor of longing / Where a guitar plays a sad fado / When the soul overflows / Its sadness sings and weeps silently. while visiting old haunts in Lisbon.Mike Joyce 30 . The DVD also finds her performing. Listeners familiar with Mariza's recordings won't find many surprises on the CD." "Meu Fado Meu" and other tracks that have appeared on recent studio albums. Mariza hoje around the world and the profound influence she continues to have on Mariza and other contemporary fadistas.

Mariza hoje ANEXO B – Lista de comentários recolhidos 31 .Fado – Amália ontem.

Mariza hoje 32 .Fado – Amália ontem.

http://www.br/tag/Fado/shoutbox Comentário 4 e 5 .uk/productreviews/B001AS6AMS/ref=cm_cr_dp_see_all_btm?ie=UTF8&showViewpoints=1&sortBy= bySubmissionDateDescending Comentário 6 .amazon.com/watch?v=5ElLSBx9Jo8&NR=1&feature=fvwp Comentário 8 .http://www.com/watch?v=y2g03OkoMiQ Comentário 7 .http://www.youtube.Fado – Amália ontem.http://www.youtube.http://www. 2 e 3 .http://www.com/watch?v=HgkowHa2jZ4 33 .youtube.lastfm.http://www. Mariza hoje Sitiografia dos comentários: Comentários 1.youtube.com.youtube.com/watch?v=1YriVM8sC7M Comentário .co.com/watch?feature=endscreen&v=GGnsz5bGtJY&NR=1 Comentário 9 .10 .

Related Interests