CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE GURUPI CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA DE BIOPROCESSOS E BIOTECNOLOGIA

BIOÉTICA E BIOSSEGURANÇA

CLONAGEM

Iohanna Gabrielle Kückelhaus

Gurupi, 2013

. também denominado original. pele e ossos. utilizam células somáticas responsáveis pela formação de órgãos. como é o caso das bactérias. gerada a partir de células somáticas retiradas de um animal adulto. nos gêmeos univitelinos. criando métodos e técnicas que em lugar de células sexuais (óvulo e espermatozóide). A clonagem induzida artificialmente é uma técnica da engenharia genética aplicada em vegetais e animais. Um exemplo mediático deste tipo de pesquisas é o caso da ovelha Dolly. ou seja. A clonagem natural também pode ocorrer em mamíferos. os descendentes idênticos têm origem a partir de um processo assexuado de divisão celular. O ser clonado apresenta sempre o mesmo genótipo (informação genética) da sua matriz. que são os clones. mais raramente. a clonagem é uma técnica já bastante utilizada. contudo. na qual não há participação de células sexuais (gametas). a expressão clonagem designa um processo através do qual se obtém um clone ou um conjunto de indivíduos geneticamente idênticos. de forma artificial. mas até vegetais superiores podem multiplicar-se naturalmente desse modo. embora haja reprodução sexuada na formação do zigoto. A ciência tem vindo a desenvolver inúmeras pesquisas no campo da clonagem artificial. que são parte de um clone. Os processos de clonagem podem ser naturais (através de reprodução assexuada) ou artificiais (utilizando células somáticas). Na agricultura. poderão ocorrer alterações no fenótipo. A clonagem é natural em todos os seres originados a partir de reprodução assexuada. Os indivíduos resultantes desse processo terão as mesmas características genéticas do indivíduo doador. o termo aplica-se a uma forma de reprodução assexuada produzida em laboratório. ligada à pesquisa científica. como no tatu e. Nos dois casos. da maioria dos protozoários e algumas leveduras. ocorre a produção de uma ou mais células (idênticas entre si e à original). Nesse caso. baseada num único patrimônio genético.Introdução Em Biologia. Este é o meio mais frequente e natural de reprodução dos vegetais inferiores. A partir de uma célula-mãe. A clonagem pode ocorrer de maneira induzida ou de maneira natural.

A principal diferença destas técnicas de clonagem são baseadas na reprodução propriamente dita. através do cultivo de células isoladas de raiz de cenoura. em princípio. programada para a realização de funções específicas. porém estes podem ser simplificados em clonagem terapêutica e clonagem reprodutiva. voltar ao estágio embrionário. A questão. porém na técnica de clonagem para fins terapêuticos as células são multiplicadas em laboratório para formar tecidos específicos e nunca são implantados em um útero – o que ocorre na clonagem para fins reprodutivos. Clonagem Vegetal Ao contrário da clonagem animal. A cultura de tecidos vegetais tem várias aplicações práticas utilizadas amplamente na agricultura. ela afirmava que a célula madura do corpo de um organismo pluricelular (célula somática) manteria seu material genético em condições de originar um indivíduo idêntico à matriz doadora. e capaz. o melhoramento genético e a produção de mudas sadias. autônoma. comportando-se desta forma como se fosse uma célula-ovo ou zigoto. pois. Steward e colaboradores. F.Existem pesquisas sobre muitos tipos de clonagens. tema ainda recente e controverso no meio científico. a clonagem vegetal já está em uso comercial há muito tempo e trouxe diversos benefícios à sociedade. Esta conceituava a célula (vegetal e animal) como a menor unidade biológica. Dentre elas podem ser destacadas a clonagem de vegetais. A idéia de cultivar células isoladas de plantas surgiu no início do século XX com Gottlieb Haberlandt. Assim. nas duas situações há transferência de um núcleo de uma célula diferenciada para um óvulo sem núcleo.C. botânico alemão. era descobrir como fazer uma célula madura e especializada (diferenciada). de originar um organismo inteiro. . como uma estratégia capaz de materializar os conceitos embutidos na teoria celular proposta por Schwann e Shleider por volta de 1839. A primeira demonstração inquestionável na obtenção de embriões de plantas a partir de células maduras (embriogênese somática) foi feita em 1958 pelo prof.

no prazo de oito meses. retiradas dos tubos de ensaio. Clonagem Animal As plantas não são os únicos organismos que podem ser clonados naturalmente. qualidade elevada de grãos ou frutos. A partir de uma planta de bananeira. em cultivar segmentos de plantas. entre outros – podem ser obtidas centenas a milhares de plantas idênticas. A micropropagação tem demonstrado grande importância prática e potencial nas áreas agrícolas. Os cuidados com a planta matriz. por exemplo. fragmentos de folhas ou raízes. ou genótipo. Dentre as vantagens da micropropagação pode ser citada a rapidez na produção de um grande número de mudas. através do cultivo in vitro. posteriormente. floricultura. leva-se cerca de dois anos para a obtenção de uma boa muda utilizando se os métodos convencionais. vermes. Essas plantas são. é possível a produção de centenas de mudas nesse mesmo período de tempo. e levadas ao campo.normalmente algum tipo de estímulo químico. bem como na pesquisa básica. conhecida também como micropropagação. A partir desses segmentos – que podem ser gemas. também asseguram o bom estado dos clones. produtividade elevada. entre outras. aclimatadas. Os ovos não fertilizados de alguns animais (pequenos invertebrados. Este processo é . na horticultura. podem ser obtidas através da micropropagação aproximadamente 100 mudas. que apresente características agronômicas desejáveis – como. florestal. Ela consiste. algumas espécies de peixe.A técnica da clonagem in vitro de plantas (a mais comumente utilizada). lagartos e sapos) podem se desenvolver em adultos plenamente crescidos sob determinadas condições ambientais . basicamente. é uma forma rápida de multiplicar uma determinada planta. em tubos de ensaio contendo meio de cultura adequado. Quanto às orquídeas. Em condições de campo são obtidas até 12 mudas em um período similar. por exemplo. tolerância a pragas ou doenças. aquela da qual serão retirados os explantes (ou seja. os segmentos de tecido ou órgão vegetal utilizado para iniciar a cultura in vitro). enquanto que. onde se desenvolvem normalmente.

o seu experimento mostrou que o processo de especialização em células animais era reversível e sua técnica de transferência nuclear abriu caminho para sucessos posteriores em clonagem. Apesar de os girinos de Gurdon não terem sobrevivido até se tornarem sapos adultos. Escócia. a clonagem foi revolucionada quando Ian Wilmut e seus colegas do Instituto Roslin em Edinburgo. clonaram com sucesso uma ovelha chamada Dolly. O ovo com o núcleo transplantado se desenvolveu em um girino que era geneticamente idêntico ao sapo B. Portanto. Apesar de serem geneticamente diferentes dos pais.chamado de partenogênese e a prole são clones das fêmeas que depositaram os ovos. Os cientistas já experimentaram com a clonagem animal. A nova célula se dividiu e foi colocada no útero de uma ovelha Blackface para se desenvolver. eles transplantam a informação genética de uma célula especializada em uma célula de óvulo não fertilizado cuja informação genética foi destruída ou removida fisicamente. Dolly depois disso cresceu e reproduziu várias proles próprias através de meios sexuados normais. Dolly nasceu meses depois. Outro exemplo de clonagem natural são os gêmeos idênticos. mas nunca foram capazes de estimular uma célula especializada (diferenciada) para produzir diretamente um novo organismo. Wilmut e seus colegas transplantaram um núcleo de uma célula de glândula mamária de uma ovelha Finn Dorsett no ovo desnucleado de uma ovelha Blackface escocesa. a Dolly é um clone viável e saudável. A combinação núcleo-ovo foi estimulada com eletricidade para fundi-los e estimular a divisão celular. Nos anos 70. Desde a Dolly. Em 1997. um cientista chamado John Gurdon clonou girinos com sucesso. Dolly provou ser geneticamente idêntica às células mamárias Finn Dorsett e não à ovelha Blackface. Dolly foi o primeiro mamífero clonado. o que demonstrou claramente que era um clone bem-sucedido (foram feitas 276 tentativas antes de dar certo o experimento). Ele transplantou o núcleo de uma célula especializada de um sapo (B) em um ovo não fertilizado de outro sapo (A) no qual o núcleo foi destruído por luz ultravioleta. os gêmeos idênticos são clones entre si e que ocorrem naturalmente. diversos laboratórios universitários e empresas empregaram várias modificações da técnica de transferência nuclear para . Em vez disso.

camundongos e etc. Também não há porque . se em vez de inserirmos em um útero o óvulo cujo núcleo foi substituído por um de uma célula somática deixarmos que ele se divida no laboratório teremos a possibilidade de usar estas células . porque hoje só se consegue cultivar em laboratório células com as mesmas características do tecido do qual foram retiradas. em laboratório. sendo que ele não é empregado para se referir ao nascimento de gêmeos idênticos. É importante que as pessoas entendam que. defendeu a clonagem e a engenharia genética em um artigo no American Naturalist em 1966 e. inclusive vacas. um tema que gera muita polêmica é a clonagem humana.produzir mamíferos clonados. serão gerados só tecidos. ou seja. que escreveu na época em que "a reprodução programada do homem o desumaniza". O termo é empregado para se referir à clonagem humana artificial. cultura de tecidos ou a cultura de células humana. porcos. macacos. no ano seguinte. Apesar da possibilidade da clonagem humana ter sido objeto de especulação por grande parte do século XX. Clonagem terapêutica A clonagem terapêutica tem finalidade de obter-se células-tronco por clonagem de células. novamente. na clonagem para fins terapêuticos. Essa discussão acendeu um debate com o bioeticista conservador Leon Kass. O vencedor do Prêmio Nobel e geneticista Joshua Lederberg. Isto abrirá perspectivas fantásticas para futuros tratamentos. um dos descobridores da estrutura do DNA. Watson. Outro prêmio Nobel. Dentro da clonagem animal. Não se trata de clonar um feto até alguns meses dentro do útero para depois lhe retirar os órgãos como alguns acreditam. sem implantação no útero.para fabricar diferentes tecidos.que na fase de blastocisto são pluripotentes . cientistas e políticos começaram a tomar o assunto a sério por volta da década 60. no Washington Post. discutiu o potencial e os perigos da clonagem em um artigo de 1971. Esta é a criação de uma cópia geneticamente idêntica de um ser humano. James D.

sabendo respeitar os limites entre o necessário e o possível. 2004) confirma a possibilidade de obter-se célulastronco pluripotentes a partir da técnica de clonagem terapêutica ou transferência de núcleos. portanto. diversas polêmicas são levantadas sobre sua utilização. e é comum falar-se em moralidade de clonagem. órgãos e tecidos). O trabalho foi feito graças a participação de dezesseis mulheres voluntárias que doaram. Dentre esses. principalmente no que se diz respeito à clonagem animal. a princípio iguais ao original do ponto de vista de alguma característica considerada essencial. Resta então agir ? e permitir a continuidade das pesquisas — com prudência e tolerância. ou partes de seres vivos (por exemplo.. Por outro lado. ou seja. ao todo. 25% conseguiram se dividir e chegar ao estágio de blastocisto. que já são células diferenciadas. consistentes em produzir seres vivos. 242 óvulos e células "cumulus" (células que ficam ao redor dos óvulos) para contribuir com pesquisas visando à clonagem terapêutica. As células cumulus. Os críticos mais radicais usam esse entre outros argumentos para classificarem os avanços da ciência como perigosos. foram transferidas para os óvulos dos quais haviam sido retirados os próprios núcleos. . Um aspecto essencial no debate sobre a moralidade da clonagem em humanos diz respeito à vulnerabilidade dos futuros indivíduos geneticamente idênticos. ou de todas. É impossível. imaginar nossa sociedade como eterna ou imutável. capazes de produzir linhagens de células-tronco pluripotentes. Polêmicas que envolvem a clonagem Quando se fala em clonagem. entretanto.chamar esse óvulo de embrião após a transferência de núcleo porque ele nunca terá esse destino. os benefícios decorrentes do progresso científico precisam ser alcançados. Uma pesquisa publicada na revista Science por um grupo de cientistas coreanos (Hwang e col. Por ―moralidade da clonagem‖ entendo o conjunto de argumentos morais pró e contra a utilização da tecnologia clonagem com fins reprodutivos e/ou terapêuticos.

C. A.. BENTO.br/veterinaria04/revisao/revisao05. SILVA.com.htm> com acesso em 05 de abril de 2013..Referências Bibliográficas FREUDENRICH. Disponível em <http://ciencia.revista.uol. Disponível em <http://www. F. M.pdf>com acesso em 05 de abril de 2013. N.br/clonagem3. V.hsw.inf. . ALVIM. P. C. Revista científica eletrônica de medicina veterinária – FAMED. C. Como funciona a clonagem. A. Clonagem de animais.