Tratamento Aeróbio com Lodo Ativado

Introdução
Historicamente o desenvolvimento urbano e industrial, originou-se ao longo do tempo o aumento do consumo e consequentemente o aumento na produção de resíduos, tais que provocam uma grande alteração principalmente em corpos hídricos, assim utilizando diretamente os rios como receptor dos degetos, causando a alteração da qualidade nos corpos receptores e consequentemente a sua poluição (degradação). O fato preocupante é o aumento tanto das populações quanto das atividades industriais e o número de vezes que um mesmo rio recebe dejetos urbanos e industriais. A poluição origina-se devido a perdas de energia, produtos e matérias primas, ou seja, devido à ineficiência dos processos industriais,e utilização de produtos pela população. Com a necessidade de amenizar ou ao menos diminuir esse grande problema que afetam praticamente todas as cidades mundiais principalmente os grandes centros urbanos utilizam-se processos para o tratamento desses dejetos ,como por exemplo o tratamento com o lodo ativado. O processo de lodos ativados tem sido uma tecnologia bastante utilizada para o tratamento de esgotos domésticos e industriais, apresentando elevada eficiência de tratamento, flexibilidade operacional, possibilidade de remoção de nutrientes, entre outras vantagens. Entretanto, lhe são atribuídas algumas desvantagens como: elevada mecanização, alto custo de implantação e manutenção, operação mais sofisticada e necessidade de tratamento de um grande volume de lodo gerado . O sistema de lodos ativados é o mais utilizado no tratamento biológico aeróbio de esgoto sanitário e também industrial no Brasil e no mundo. O princípio baseia-se na oxidação bioquímica dos compostos orgânicos e inorgânicos presentes nos efluentes, mediada por uma população microbiana diversificada e mantida em suspensão num meio aeróbio. Recentemente, os processos anaeróbios de alta taxa para tratamento de esgotos, em especial o Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente e Manta de Lodo (UASB), têm-se apresentado como uma tecnologia capaz de suprir algumas desvantagens dos sistemas aeróbios mecanizados, principalmente no que diz respeito ao consumo energético e à menor geração de lodo. Porém, o efluente tratado por estes processos apresenta algumas características insuficientes do ponto de vista legal e ambiental.

Neste sistema. O licor é enviado continuamente a um decantador (decantador secundário). já livre dos resíduos maiores. a aeração tem por finalidade proporcionar oxigênio aos microorganismos e evitar a deposição dos flocos bacterianos e os misturar homogeneamente ao efluente. pronto para descarte ao corpo receptor. o efluente. O lodo é recirculado ao tanque de aeração a fim de manter a concentração de micro-organismos dentro de uma certa proporção em relação à carga orgânica afluente. . nitratos e sulfatos. pesquisas recentes caminham no sentido de combinar estes processos.Com a finalidade de promover um equilíbrio entre as vantagens e desvantagens dos sistemas aeróbios e anaeróbios. destinado a separar o efluente tratado do lodo. Neste tanque. O excesso de lodo. Este lodo pode ser espessado e desidratado. apresentam menor custo de funcionamento e simplicidade operacional. No Tratamento Secundário. O Tratamento Primário retira os sólidos grosseiros como pedaços de madeira. o processo biológico mais amplamente usado é o tratamento por lodos ativados. cujo nível de eficiência é bem elevado. Em condições naturais. a decomposição aeróbia necessita três vezes menos tempo que a anaeróbia e dela resultam gás carbônico. é extraído do sistema sempre que a concentração do licor ultrapassa os valores de projeto. substâncias inofensivas e úteis à vida vegetal. que é alimentada pelo efluente a tratar. sendo que para efluentes complexos. pedras areia grossa e fina que poderiam danificar os equipamentos da unidade e usa métodos simples como degradagem e decantação. Esta mistura é denominada "licor". tendo como aplicação o uso em agricultura. Desenvolvimento Os tratamentos baseados em processos biológicos permitem tratar grandes volumes de efluente. O sobrenadante do decantador é o efluente tratado. O tratamento consiste em dois estágios o primário e secundário. seus tanques e acessórios tem as seguintes funções: . água. passa por um tratamento biológico onde a carga orgânica entra em contato com micro-organismos que a decompõem dentro de tanques. decorrente do crescimento biológico. O processo de lodo ativado consiste em se provocar o desenvolvimento de uma cultura microbiológica na forma de flocos (lodos ativados) em um tanque de aeração. em especial uma primeira etapa anaeróbia seguida de um pós tratamento aeróbio.

a qual consumirá a matéria orgânica do efluente. Sistema de aeração •Ar difuso•Aeração superficial.0 a 8. para que a mesma continue sua ação depuradora.5 mg/l IL: Idade do lodo.Algas. Algas. PARÂMETROS DO PROCESSO Os valores normais para estes índices variam entre: TO: ( Taxa de oxigenação) 1. o crescimento da biomassa é contínuo.2 kg O2/kg DBO F/M: (Relação Alimento/Microorganismo (Food/Microorganism Ratio) 0.Protozoários .5 a 4.0 a 2. Actinomicetes.45 kg DBO/d.sedimentação. fatores hidráulicos . a quantidade de biomassa é expressa como SSTA (sólidos em suspensão no tanque de aeração)..5 a 2. já com sua carga orgânica reduzida e isento de biomassa. .07 a 0. a qual sedimenta-se no fundo do decantador.0 g/l SSRL: (sólidos em suspensão no retorno de lodo) 4. Levedos .Bombas de Recirculação: retornar a biomassa ao tanque de aeração.0 g/l O2D: (oxigênio dissolvido) 1.Tanque de Aeração: promover o desenvolvimento de uma colônia microbiológica (biomassa). Bactérias. ocorrendo a necessidade de um descarte periódico de quantidades definidas da mesma. permitindo que o sobrenadante seja descartado como efluente tratado.Decantador Secundário: separar a biomassa que consumiu a matéria orgânica do efluente.entre 10 e 30 dias IVL: (índice volumétrico de lodo) entre 90 e 150 ml/g --> boa sedimentabilidade Elementos atuantes Biológicos – microrganismos: Cianobactérias. Físicos .kg SSTA RS: (resíduo sedimentável no tanque de aeração) 300 a 500 ml/l (Cone Imhoff) SSTA: 1.

para que esses organismos estejam presentes. é . pH.Bioindicadores. MICROFAUNA: .Fungos Papel: . Floculação .Temperatura Químicos .Protozoários (5 .Equilíbrio entre macro e micro estruturas associado ao metabolismo bacteriano. Formação dos Flocos Macroestrutura . etc. e consequentemente na boa sedimentação dos flocos no decantador secundário. . . . um papel muito importante no tratamento biológico.Redução da produção de lodo. etc.Ambientais . baixa concentração de OD. No caso dos microrganismos protozoários e metazoários fazem o “polimento final” do efluente. . .bactérias não filamentosas produtoras de exo-polímeros.Degradação da matéria orgânica.Micrometazoários . exercendo.disponibilidade de substrato. por isso a identificação desses organismos é de suma importância para diagnosticar o desempenho e a operação de um tratamento. e de forma ativa. Os principais motivos para o aparecimento de filamentos em sistemas aeróbios são escassez de nutrientes. oxigênio. Porém. e a saúde destas influencia na boa formação dos mesmos. auxiliando na remoção de DBO. Microestrutura . portanto.Remoção de bactérias. nutrientes. FLOCOS BIOLÓGICOS Os flocos biológicos são formados basicamente por bactérias filamentosas formadoras de flocos no reator biológico. um pouco de DQO e principalmente turbidez do efluente. baixa carga orgânica.Contribuição na floculação.1000 micros) . presença de compostos reduzidos de enxofre.bactérias filamentosas formando o “esqueleto” do floco conferindo sustentação.Manutenção do equilíbrio ecológico.

Possibilidade de uso do lodo na agricultura. a pesar de apresentar suas desvantagens seus resultados superam a eficiências de outros meios . na qual . Menor eficiência de remoção de elementos conservativos (metais pesados. Alto consumo energético (aeração. pesticidas. Flexibilidade operacional. Emissões de ruídos.. Necessidade de operação 24 h por dia. OD e pH ao seu desenvolvimento. No entanto para obtenção de melhores resultados tanto em relação a eficiência quanto tratando-se de um meio economicamente viável pesquisas recentes estão sendo realizadas onde buscam combinar os dois processos aeróbios e anaeróbios .. Utilização de menores áreas para implantação. Elevada eficiência na remoção de matéria orgânica e nitrogênio.). – Fase de desaceleração. – Fase Estacionária. VANTAGENS DO SISTEMA Grande adaptação as transições hidráulicas e de carga. – Fase de Aceleração.operação e manutenção. recirculação. – Fase log ou exponencial.necessário que o efluente a ser tratado possua condições ideais de temperatura.descarte e manutenção de equipamentos). Crescimento Bacteriano Etapas: – Fase de Aclimatação. DESVANTAGENS DO SISTEMA Elevados custos de investimento. Grande produção de lodo. permitindo diferentes objetivos de qualidade. Boa capacidade de mineralização do lodo. e que esteja livre de toxicidade. O tratamento pelo processo com lodo Ativado é sem dúvidas um dos mais eficientes e usados atualmente. – Fase de Declínio. Conclusão O tratamento e o monitoramento dos efluentes industriais são importantes principalmente para a preservação ambiental.

consistirá. . Visando uma melhor eficiência. em especial uma primeira etapa anaeróbia seguida de um pós tratamento aeróbio.