ARRESTO, SEQUESTRO, BUSCA E APREENSÃO E CAUÇÃO Procedimentos especiais 1) Habilitação Ação autônoma com propósito de regularizar formalmente a relação

processual. Uma ação que vai regularizar outra ação, sua relação subjetiva processual. Ex: Morte das partes. 1.1) Introdução – Habilitação não pode ser confundida com: a) Substituição processual – Art.6º Ninguém pode pleitear direito alheio, salvo quando a lei autoriza. A habilitação não pode ser confundida com a substituição. a.1) Legitimação Ordinária

a.2) Legimtimação Extraordinária

b) Representação Uma pessoa vem pleitear direito alheio, em nome do titular. Ex: X está em Washington, e aciona um procurador para pleitear seu direito no Brasil. O representante não pleiteia em nome próprio, e sim em nome do representado. c) Sucessão processual – Alienação coisa litigiosa Há duas causas de sucessão, uma causa morte ou atos voluntários em vida. Sucessão devido a atos entre vivos não altera a relação processual. Vide: Art.42 – Estabilidade subjetiva A sucessão entre vivos não altera, entretanto, o autor para terceiro não fica mais em nome próprio, e sim em substituição processual do terceiro. Agora, e se ele morrer? Habilitação. d) Desistência – Arts.267, VIII, §4º Até a contestação, após a contestação não pode mais desistir. Obs: Art.41

ordenará o juiz a citação dos requeridos para contestar a ação no prazo de 5 (cinco) dias.1057 – Citação/Contestação Art. em relação aos sucessores do falecido. Recebida a petição inicial. Cabível apenas em caso de direito nao personalíssimo.pelos sucessores do falecido.056. A habilitação pode ser requerida: I . . Agora. deve ser o direito transmissível. inciso I.3) Procedimento a) Art. Só após a instrução pode parar. Deve-se haver comprovação do óbito. Cabível.pela parte. se já tiver começado a instrução e julgamento. A habilitação tem lugar quando. por falecimento de qualquer das partes. 1. mas é.1056 – Legitimidade Art.265. 1. II . c) Art. os interessados houverem de suceder-lhe no processo.057. A citação será pessoal. b) Art. na verdade. Feita pessoalmente se for pessoa fora do processo.055. os herdeiros entram contra uma das partes a citação pode ser feita normalmente por meio dos advogados.Obs 2: Sucessão voluntária das partes na verdade. se por exemplo. o que é vedado pelo ordenamento. se a parte não tiver procurador constituído na causa. a indenização é transmissível. 1. em que pese o direito moral ser personalíssimo. Ex: X entra com ação de divórcio e morre. CPC/ §1º Exceção. só no caso em que a lei autoriza. Parágrafo único. 1. por exemplo. em dano moral. sucessão voluntária. Fala-se em substituição.1055 – Cabimento Art. em relação à parte. 1.2) Suspensão do processo – Art. Acontece simplesmente a extinção do processo.

por meio de ação autônoma. principal e independentemente de sentença .em outra causa. V . II .1059 – Competência TJ Art.060. a habilitação processar-se-á perante o relator e será julgada conforme o disposto no regimento interno. IV . 802 e 803. d) Art.estiver declarada a ausência ou determinada a arrecadação da herança jacente. desde que provem por documento o óbito do falecido e a sua qualidade.promovida pelo cônjuge e herdeiros necessários. Não há óbice.1058 – 802/803 CPC Art. 1.o herdeiro for incluído sem qualquer oposição no inventário. sentença passada em julgado houver atribuído ao habilitando a qualidade de herdeiro ou sucessor. 1. Proceder-se-á à habilitação nos autos da causa quando: I . há duas formas de se realizar a habilitação. se estiverem as partes de acordo. o juiz dá uma decisão declarando a habilitação no incidente. Em regra é do juiz que conduz o processo.A contestação é feita em 5 dias. III . f) Art. 1. Ou seja. Findo o prazo da contestação. Achando-se a causa no tribunal. ou no próprio processo. pode ser competência originária do tribunal. e) Art.1060 – Habilitação nos autos Art. E se estiver tudo nas formas do 1060. que a habilitação ocorra por mero incidente processual. observar-se-á o disposto nos arts.oferecidos os artigos de habilitação. em primeira ou segunda instância.058.059. a parte reconhecer a procedência do pedido e não houver oposição de terceiros.

(Redação dada pela Lei nº 5. ou o cedente. CPC Art. proferida entre as partes originárias. não altera a legitimidade das partes. 1.10. § 1o O adquirente ou o cessionário não poderá ingressar em juízo. a título particular. 1. o adquirente vem ao processo. 1. CPC Art. 1.061. darse-á a substituição pelo seu espólio ou pelos seus sucessores.6) Habilitação – Adquirente ou cessionário – Art. observado o disposto no art.1973) Se no decorrer do processo a pessoa que alienou morrer. A alienação da coisa ou do direito litigioso. no entanto. inclusive na fase recursal. Ocorrendo a morte de qualquer das partes.925. estende os seus efeitos ao adquirente ou ao cessionário.4) Sucessão a) Inter vivos – 42.7) Sentença . 43. Falecendo o alienante ou o cedente. de 1º. substituindo o alienante. 265. Obs: Transmissão e direito Personalíssimo 1.Restabelecimento . intervir no processo. juntando aos autos o respectivo título e provando a sua identidade. assistindo o alienante ou o cedente.5) Recurso Agravo e apelação. 42. § 2o O adquirente ou o cessionário poderá. § 3o A sentença. CPC Art. b) Mortis Causa – 43. sem que o consinta a parte contrária. por ato entre vivos. poderá o adquirente ou o cessionário prosseguir na causa.1061.Sendo pela via do incidente pode ser feito a qualquer momento.

posição majoritária. 1.062. a causa principal retomará o seu curso. 2. pois ocorreu o extravio/perda/destruição dos autos. Verificado o desaparecimento dos autos. A nova realidade trará a extinção deste procedimento.4) Procedimento a) 1063 Art. 1. mesmo assim. oferecendo: I . Passada em julgado a sentença de habilitação. b) 1064 Art. II .Art. dar-se o curso normal ao processo. Ex: Destruição dos autos.064. Parágrafo único.certidões dos atos constantes do protocolo de audiências do cartório por onde haja corrido o processo. 1. nestes prosseguirá o processo. no sentido físico. Detalhe. Se no caso o próprio cartório perder.1) Atos processuais – Processo 2. Havendo autos suplementares. o juiz. O que o juiz pode fazer são diligências preliminares. o juiz não está legitimado a fazer de ofício.063. Dado a sentença. deve notificar as partes para elas instarem o procedimento. 2) Restauração de autos Ação que regulariza outra ação. 2.cópia dos requerimentos que dirigiu ao juiz. Na petição inicial declarará a parte o estado da causa ao tempo do desaparecimento dos autos. . pode qualquer das partes promover-lhes a restauração. ou admitida a habilitação nos casos em que independer de sentença.3) Sistema eletrônico – Nova realidade (cópia digital) Paga-se uma taxa com base no tamanho do arquivo a ser enviado. ou o colocar em desuso.2) Perda/Extravio/Destruição 2.

pelos meios ordinários de prova. § 1o Se a parte concordar com a restauração. c) 1065 Art. § 2o Se a parte não contestar ou se a concordância for parcial. sempre que for possível e de preferência pelo mesmo perito. 803. contrafés e mais reproduções dos atos e documentos que estiverem em seu poder. Se o desaparecimento dos autos tiver ocorrido depois da produção das provas em audiência. observar-se-á o disposto no art.066. na falta. mas se estas tiverem falecido ou se acharem impossibilitadas de depor e não houver meio de comprovar de outra forma o depoimento. assinado pelas partes e homologado pelo juiz.065. § 1o Serão reinquiridas as mesmas testemunhas. A parte contrária será citada para contestar o pedido no prazo de 5 (cinco) dias. § 2o Não havendo certidão ou cópia do laudo. esta será junta aos autos e terá a mesma autoridade da original. . § 3o Não havendo certidão de documentos.quaisquer outros documentos que facilitem a restauração. far-se-á nova perícia. suprirá o processo desaparecido. o juiz mandará repeti-las. d) 1066 Art. cabendo-lhe exibir as cópias.III . § 5o Se o juiz houver proferido sentença da qual possua cópia. 1. 1. poderão ser substituídas. § 4o Os serventuários e auxiliares da justiça não podem eximir-se de depor como testemunhas a respeito de atos que tenham praticado ou assistido. lavrar-se-á o respectivo auto que. estes serão reconstituídos mediante cópias e.

2. f) 1068 Art. § 2o Os autos suplementares serão restituídos ao cartório. . 1. § 1o Aparecendo os autos originais. deles se extraindo certidões de todos os atos e termos a fim de completar os autos originais. 2. 1. ao relator do processo. a ação será distribuída.6) Participação MP Como custus legis ou parte. aí se completará a restauração e se procederá ao julgamento. g) 1069 Art.159.5) Legitimidade Partes.068. CPC Se houver autos suplementares não há necessidade. Quem houver dado causa ao desaparecimento dos autos responderá pelas custas da restauração e honorários de advogado. 2.069. Se o desaparecimento dos autos tiver ocorrido no tribunal. 1. Julgada a restauração. sem prejuízo da responsabilidade civil ou penal em que incorrer.e) 1067 Art.067. nestes se prosseguirá sendo-lhes apensados os autos da restauração. seguirá o processo os seus termos. § 2o Remetidos os autos ao tribunal. § 1o A restauração far-se-á no juízo de origem quanto aos atos que neste se tenham realizado. sempre que possível.7) Autos suplementares – art.

responsabilidade civil e criminal.10) Auto de restauração 2.13) Competência Observação. para restaurar os autos ele é competente. CPC 2. . V. advogado.2. o juiz competente será o juiz que enviou. pois quebraria a segurança jurídica e legitimaria.11) Sentença homologatória A sentença apenas homologa o que foi feito. outrossim. 2. isso ocorre apenas em última hipótese. se o juiz se declarou incompetente e mandou o processo para outra vara.12) Restabelecimento do andamento processual 2.14) Responsabilidade – Sanções Pode-se abrir processo administrativo contra servidor. §2º. escrivão. outrossim.9) Rito cautelar – 1065. CPC 2. Implausibilidade de rejulgar. 2. não julga novamente. dentre outros. mesmo sendo incompetente para julgar a causa.8) Suspensão do processo – 265. má-fé.