PÁGINA 20

ESTADO DE MINAS - SÁBADO, 7 DE SETEMBRO DE 2002

GERAIS
gerais.em@uai.com.br

❚ SEM-TERRA

CAMINHÃO COM ALIMENTOS TOMBA NA BR-381, PERTO DE GOVERNADOR VALADARES, E SE TORNA ALVO DOS MORADORES DO ACAMPAMENTO LIBERDADE DO MST, QUE CARREGAM SACOS DE ARROZ, FEIJÃO, AÇÚCAR, LATAS DE ÓLEO E OUTROS PRODUTOS. O MOTORISTA MORREU NA HORA

c m y k

Carga de cesta básica é saqueada
LOURIVAL WERNECK

Moradores do acampamento Liberdade do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), perto do quilômetro 171 da BR-381, em Governador Valadares, no Vale do Rio, na região Leste de Minas Gerais, saquearam, ontem, a carga de cesta básica de um caminhão que tombou na pista. O caminhão, placa GPP-8042, de Carlos Chagas, carregado de alimentos, seguia de Belo Horizonte para Carlos Chagas e bateu na lateral da carreta, placa BPB-2837, de Brumadinho (BA), que ia para Ouro Branco. O motorista do caminhão, Paulo Costa dos Anjos, morreu na hora. A cabine desmanchou e o Corpo de Bombeiros teve muito trabalho para retirar o corpo dele entre as ferragens. O motorista da carreta, José de Andrade, disse que o caminhão trafegava pela contramão e que, apesar de ter tentado desviar, não evitou o acidente, por volta das 5h. A mercadoria do caminhão – sacos de arroz, feijão, açúcar e latas de óleo, além de outros produtos da cesta básica – ficou espalhada pelo asfalto e atraiu moradores do acampamento Liberdade. Durante toda a manhã, o trânsito ficou lento, principalmente porque a pista ficou escorregadia devido ao óleo que vazou do caminhão.

Famílias resistem em Betim
GISLENE ALENCAR

FOTOS CARLOS ELLER

COMIDA

Depois de bater numa carreta, o caminhão de alimentos que ia de Belo Horizonte para Carlos Chagas atraiu os sem-terra
de placa EXG-7000, de Ouro Fino (MG), ficou pendurado, ontem, na ponte sobre o córrego Chico, próximo ao Km 431 da BR-040, em Paraopeba, 103 quilômetros a Nordeste de Belo Horizonte. O acidente aconteceu por volta das 12h30 e obrigou a Polícia Rodoviária Federal a fazer várias paralisações no trecho até as 15h30. Filas de sete quilômetros se formaram nos dois lados da ponte, pois, antes de o veículo ser içado, foi preciso remover 5,2 toneladas de café, que ficaram espalhadas na pista. Somente às 14h30, numa última interdição, dois guinchos começaram a puxar a carreta. O trânsito foi liberado uma hora depois. O condutor, Luiz Donizeti Gama, de 45 anos, foi socorrido no Hospital Municipal de Sete Lagoas, com ferimentos graves.

SEM CONTROLE
Após o motorista perder o controle da direção, o caminhão

Uma saída lenta para ganhar tempo e tentar derrubar a liminar de reintegração de posse e desocupação da Fazenda Ponte Nova, no bairro Vianópolis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Essa foi a estratégia usada pelos 200 moradores do Acampamento 2 de Julho, com a retirada, ontem, de apenas três das 50 famílias que invadiram o local, há três anos. A liminar foi concedida pelo juiz federal da 12ª Vara Agrária do Tribunal Regional Federal, Weliton Militão dos Santos, ao proprietário da fazenda, José de Paula Ferreira. Dois oficiais de Justiça e oito homens da polícia federal chegaram no assentamento às 10h30, de ontem, para cumprir a liminar, que será feita de forma contínua até a retirada de todos. No final da tarde, o oficial de Justiça, Ernesto Calixto, tentou, sem sucesso, que os outros moradores agilizassem a saída com a derrubada dos barracos e a retirada dos pertences. “É um absurdo. Nós vamos resistir porque não temos lugar para ir e não podemos deixar animais e largar a nossa plantação”, contou Ronaldo José Augusto, de 27 anos.

c m y k

CYAN

MAGENTA

AMARELO

PRETO