PÁGINA 24

ESTADO DE MINAS - TERÇA-FEIRA, 5 DE NOVEMBRO DE 2002

GERAIS

❚ MOTIM

PENITENCIÁRIA DE MULHERES ESTEVÃO PINTO, CONSIDERADA UNIDADE MODELO, ACOMPANHA A ONDA DE REBELIÕES E REGISTRA O PRIMEIRO CONFLITO APÓS 15 ANOS. SETE DETENTAS LIDERARAM MOVIMENTO. MONITORAS FORAM RENDIDAS

GIRO
POLICIAL
ABUSO

Detentas fazem reféns
LANDERCY HEMERSON

A onda de rebeliões e o clima de tensão nos presídios de Minas chegaram até mesmo à maior unidade prisional para mulheres no Estado. No final da tarde de ontem, pelo menos 20 das 137 internas da Penitenciária Industrial Estevão Pinto, no bairro Horto, Leste de Belo Horizonte, se amotinaram, fazendo reféns duas funcionárias. Há mais de 15 anos não era registrada qualquer rebelião no presídio, que já foi apontado como modelo por organizações internacionais no setor. Sete detentas lideraram a manifestação, que começou por volta das 16h30 e, após mais de cinco horas, terminou com as rebeladas colocando fogo em cobertores e colchões. A detenta Mara Rúbia Peixoto Rosa, de 19 anos, condenada por tráfico de drogas e porte ilegal de armas, manteve a monitora Sílvia Carvalho Lopes refém por quase três horas. Durante a negociação, a prisioneira colocou uma tesoura contra o pescoço da funcionária, e ameaçava matá-la. Após o fim da rebelião, Mara Rosa foi levada para o plantão do Departamento de Investigação (DI). De acordo com o sargento Macedo, do Tático Móvel 6668 do 16º

BPM, além de Mara, foi conduzida ao DI a detenta Gilvianna Marques Pires, de 20, condenada por roubo à mão armada. Durante a rebelião, também de posse de uma tesoura, ela agarrou pelo pescoço a monitora Elaine Rodrigues Souza. Porém, policiais militares conseguiram contê-la e libertar a funcionária. O coronel Anísio Moura, comandante do 16º BPM, teve dificuldades para convencer Mara a soltar a monitora Sílvia Lopes. A detenta exigia a presença de seu advogado, que foi buscado no bairro Gutierrez, Sul da capital. Mesmo depois que ela se entregou, outras cinco rebeladas insistiam para que as internas não retornassem às suas celas, em protesto pela revista obrigatória em suas visitas. Vencidas pelo cansaço, por volta das 22h a maioria das detentas decidiu colocar fim ao movimento, diante da garantia de que não seriam punidas. As líderes da rebelião então colocaram fogo nos cobertores e colchões. Um caminhão do Corpo de Bombeiros foi para o local, mas as próprias internas apagaram o fogo. Cerca de 50 policiais sufocaram a rebelião, entre militares do 16º BPM e homens do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate).

CASAL É DETIDO POR PEDOFILIA NO TRIÂNGULO
O projetista Ricardo Souza Vieira, de 44 anos, e sua mulher, a dona-de-casa Renata Martins da Silva, de 19, foram presos em flagrante na madrugada do último domingo, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, acusados de pedofilia. Segundo o delegado Robson Matos Estêves, os menores C.S, de 11, e R.L.O, de 8, foram convidados por Ricardo para fazer limpeza no jardim de sua casa, no sábado. "Depois que os meninos haviam feito o serviço, o projetista os convidou para tomar banho, com a alegação de que eles tinham se sujado de terra", conta o delegado. Quando os dois garotos tomavam banho, teriam sofrido abuso sexual do casal. Eles contaram o fato aos pais, que acionaram a polícia. Na casa do projetista, preso com a mulher na cadeia local, a polícia apreendeu disquetes, computador e revistas pornográficas. Os acusados foram enquadrados nos artigos 29 e 214, do Código Penal, por crime de atentado violento ao pudor. O casal foi interrogado na madrugada de domingo, mas o teor do depoimento não foi revelado.

JORGE GONTIJO

PREVENÇÃO

Militares armados cercaram o presídio de mulheres. Rebeladas atearam fogo a colchões e cobertores

❚ FALSIFICAÇÃO
Policiais da Delegacia de Falsificações e Defraudações de Belo Horizonte prenderam, na manhã de ontem, oito pessoas que comercializavam canetas e isqueiros falsificados da marca Bic, na rua Oiapoque, Centro de Belo Horizonte. Os produtos piratas eram muito semelhantes aos originais, mas os isqueiros apresentavam segurança duvidosa e poderiam trazer riscos aos consumidores, segundo testes realizados pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro). A Bic informou que, nos últimos anos, foram apreendidos 14 milhões de isqueiros piratas, incinerados pela fabricante.

Secretaria de Justiça minimiza problema
A assessoria da Secretaria de Estado da Justiça e Direitos Humanos minimizou a rebelião na Penitenciária Industrial Estevão Pinto, admitindo apenas o fato de que a detenta Mara Rubia Peixoto Rosa tinha feito refém uma funcionária, e reivindicava sua transferência. A tentativa da interna Gilvianna Pires de fazer outra monitora refém, bem como a recusa de outras 18 prisioneiras de retornarem às suas celas, não foram divulgadas oficialmente. Somente no final da noite, o subtenente Juarés Estevam, chefe da guarda da penitenciária, confirmou que ocorreu uma rebelião e não um ato isolado. A assessoria da secretaria disse, por sua vez, que o superintendente de Atendimento ao Recuperando, Roberto Gonçalves, teria contornado a situação, convencendo a rebelada Mara Rosa de que seria estudada sua transferência para Uberlândia, onde moram seus parentes. O subtenente Juarés, porém, garante que o motim foi motivado pelo descontentamento das internas com a revista pessoal em seus visitantes. “Não posso dizer que a Mara reivindicou sua transferência, pois não ouvi ela fazendo tal pedido. Apenas afirmo que o motivo da rebelião foi o descontentamento com as revistas dos visitantes. As detentas chegaram até sugerir que fossem revistadas elas e não suas visitas”, explicou. O clima na penitenciária retornou à normalidade no final da noite, com cinco das detentas que lideraram a rebelião colocadas no isolamento. Mara e Gilvianna seriam ouvidas no plantão do Departamento de Investigações e, certamente, permaneceriam nas lotadas celas femininas daquela unidade. É aguarda para hoje um pronunciamento oficial da secretária de Justiça Ângela Pace, sobre a rebelião.

EM SEQÜÊNCIA
No final da noite de ontem, detentos da Penitenciária Francisco Floriano de Paula, conhecida como Penitenciária de Paca, em Nova Floresta, distrito de Governador Valadares, Leste de Minas, iniciaram uma rebelião, fazendo agentes reféns. O motim começou em quatro pavilhões fechados, com cerca de 250 presos tidos como de alta periculosidade. Em Campo Belo, Sul do Estado, outra rebelião deixou feridos um policial militar e seis detentos. O motim ocorreu na tarde de ontem, no Centro de Recuperação Adalmo Ribeiro Lopes, em Campo Belo, a 222 quilômetros de Belo Horizonte, no Sul de Minas. Edmilson Tomas de Souza, de 20 anos, condenado por assalto à mão armada, tomou três tiros nas costas e corre o risco de ficar paralítico. Os feridos foram atendidos em hospitais da região.

❚ BINGO
A 2ª Vara Criminal do Tribunal de Alçada de Minas Gerais indeferiu pedido de liminar em mandado de segurança impetrado pelo Nacional Futebol Clube – Bingo Uberaba Palace. Dessa forma, manteve a ordem de busca e apreensão de equipamentos, instrumentos e documentos relacionados ao jogo de bingo, expedida pelo juiz Ricardo Bastos Machado, do Juizado Especial Criminal de Uberaba, no Triângulo Mineiro. A ordem foi expedida em 13 de setembro último e cumprida pela PM e Ministério Público Estadual, que lacraram o bingo e apreenderam máquinas e equipamentos usados para jogos. O fechamento de bingos está ocorrendo em todo o Estado, fundamentado no artigo 50 da Lei de Contravenções Penais. O funcionamento destas casas somente é permitido em casos excepcionais e com regulamentação da Caixa Econômica Federal.

MARCOS VIEIRA

APARATO

Operação para controlar rebelião exigiu participação do Gate

❚ GOLPE

❚ BR-381

Falsa enfermeira invade o HPS Criança morre em acidente de ônibus
TELMA GOMES

A prisão da falsa auxiliar de enfermagem Fernanda de Almeida Escarpo, de 22 anos, deixando o plantão do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), escoltada por policiais, e seguindo diretamente para o Juizado Especial Criminal, surpreendeu funcionários e pacientes do local, no domingo. Na tarde de ontem, após prestar depoimento ao juiz-coordenador Adriano de Mesquita Carneiro, a acusada foi encaminhada ao Hospital Psiquiátrico Raul Soares, para exame de sanidade mental. O laudo ficará pronto dentro de cinco dias. Sem antecedentes criminais, ela se vestiu de branco para transitar livremente pelo HPS. “Ela apareceu pela primeira vez na quinta-feira e saiu na sexta. No sábado, voltou e ficou até a manhã de domingo, quando foi descoberta. Notei que era novata e ao conversar com ela, fiquei sabendo que tinha vindo de São Paulo. Porém, percebi que caía constantemente em contradição”, revelou uma funcionária,

LOURIVAL WERNECK

MARCOS MICHELIN

EXAMES

Fernanda Escarpo enganou segurança e funcionários do Pronto-Socorro
que pediu para ter o nome mantido em sigilo. Os indícios de perturbação mental, a utilização de medicamento controlado e a consulta cardiológica feita no próprio HPS, em 30 de outubro, são pontos que serão investigados pelos policiais da Delegacia Adida do Juizado Especial Criminal. A suspeita de que Fernanda teria utilizado o artifício para tentar resgatar um paciente do hospital, relatada por uma testemunha que depôs ontem, também será apurada. A direção do HPS admitiu a falha no sistema de segurança. O porteiro responsável pela entrada dos funcionários já foi advertido e o hospital está providenciando novos crachás de identificação, para evitar novos golpes.

Uma criança morreu e oito ficaram gravemente feridas no acidente com um ônibus da Viação Gontijo, na BR-381, próximo a Antônio Dias, no Vale do Aço, Leste de Minas Gerais. O ônibus, placa GXH-5361, seguia de São Paulo para Patos (PB) e tombou no km 290,3. As primeiras informações indicavam que 21 pessoas teriam ficado feridas no acidente, mas, segundo a Policia Rodoviária Federal, o número de feridos é menor. O garoto Bruno Oliveira Santos, de 3 anos,que estava no colo da mãe, foi arremessado para fora do ônibus e acabou esmagado pelo próprio veículo. A mãe dele, Lúcia Helena Matos de Oliveira, teve ferimentos graves. Além dela, tiveram ferimentos graves Laudivan Pe-

reira da Silva, Sinval Leite, de 20, Antônio Tavares da Silva, de 63, e José Gonçalves Alcântara, de 45, que foram transferidos para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Os outros feridos, Cláudio Pereira da Silva, de 20, Lúcia Helena Oliveira, a mãe do garoto e o motorista do ônibus, Edvaldo dos Santos Nunes, de 37, que também ficou gravemente ferido, foram levados para hospitais de Nova Era, cidade próxima à BR-381. O acidente aconteceu por volta das 23j30 de domingo. Uma das hipóteses para ao acidente, apurada pela Polícia Rodoviária Federal, seria a de que o motorista estaria dirigindo em alta velocidade e, ao tentar fazer uma curva fechada, acabou tombando no acostamento da contramão da rodovia.

❚ MACONHA
A Polícia Federal de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, apreendeu ontem 47 quilos de maconha, embalados e guardados em um carro com placa de Cascavel (PR). Foram presas três pessoas, duas de Foz do Iguaçu (PR) e outra de Ituiutaba, no Pontal do Triângulo. A Polícia Federal suspeita de que a maconha vinha de Foz do Iguaçu para ser vendida no Bairro Planalto, zona oeste de Uberlândia. Além da droga, foi apreendido um aparelho de telefone celular.