ESTADO DE MINAS - QUINTA-FEIRA, 26 DE DEZEMBRO DE 2002

PÁGINA 19

GERAIS

❚ CHUVA

❚ ACIDENTES

TEMPORAL TRANSFORMA A TARDE EM NOITE EM BELO HORIZONTE E CASTIGA VÁRIAS CIDADES, COMO PARAOPEBA, ONDE GAROTA DE 11 ANOS FOI LEVADA PELA CORRENTEZA POR 400 METROS. CERCA DE 100 MIL PESSOAS FICARAM SEM ENERGIA

Menina morre em bueiro
LANDERCY HEMERSON E MARCELO PORTELA

Estradas fazem seis mortos e vários feridos
Os acidentes nas estradas mineiras durante o feriadão do Natal, registrados até a tarde de ontem, causaram a morte de pelo menos seis pessoas e ainda deixaram dezenas de feridos. Somente nas rodovias federais que cortam o Estado, o balanço parcial superava a 100 acidentes, com cinco mortes e 79 feridos. Nas vias estaduais, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, uma pessoa morreu e 12 ficaram feridas em 18 acidentes. Conforme dados da Polícia Rodoviária Federal, a BR-381, no trecho entre Belo Horizonte e João Monlevade, é apontada como a mais perigosa. De cada dez acidentes ocorridos nas rodovias federais que cortam o Estado, três são naquela via. Ontem mesmo, por volta das 14h, uma pessoa morreu e sete ficaram feridas numa batida entre três carros. O acidente aconteceu no km 397, próximo ao trevo de Ravena, e envolveu a Parati placa GPJ 1044, de Conselheiro Lafaiete, a caminhonete Toyota, GQR 5858, de Papagaios, e o Gol placa GWD 0939, de Coqueiral. No choque, morreu Heloísa Maria Sampaio Lage, de 55 anos, passageira da Parati. O condutor do carro, Rosir Martins Lage, de 60, e seu filho Cláudio Martins Lage, de 38, sofreram ferimentos. Na Toyota ficaram feridas Letícia Correia Chaves Ameno, de 26, Ana Paula Chaves Ameno, nove anos, Sofia Chaves Ameno, 5n, e uma criança identificada como Katilene. O motorista do Gol, Márcio da Silva Marques, de 25, sofreu escoriações e foi encaminhado para o Hospital Margarida, de João Monlevade, com os demais feridos.

c m y k

CYAN

MAGENTA

AMARELO

PRETO

CYAN c m y k

MAGENTA

O temporal que atingiu Belo Horizonte e a região central do Estado provocou a morte de uma garota de 11 e causou estragos e inundações de ruas e avenidas ontem. A estudante Luciana Rodrigues Carvalho, de 11 anos, morreu no final da tarde, ao cair num bueiro, durante temporal em Paraopeba, a 103 quilômetros de Belo Horizonte. A menina estava em companhia de quatro primas e voltava para a casa de seus avós, no bairro Nossa Senhora do Carmo, pela avenida Presidente Juscelino, quando caiu no bueiro que, segundo parentes dela, estava sem tampa. O pai da garota, o soldador Luciano José Rodrigues, resgatou o corpo, cerca de 400 metros do local em que ela caiu. Desesperado, Luciano ainda levou a filha ao hospital municipal. O prefeito José Antônio de Matos disse ter sido surpreendido com a morte. Ele acredita que problemas na rede pluvial tenham destampado o bueiro. Matos disse que todo apoio será dado à família de Luciana e que hoje ainda será aberta sindicância para apurar possível negligência de responsáveis pela área de obras do município. Em BH, a noite chegou mais cedo. Além de o dia ter virado noite, cerca de 100 mil consumidores ficaram sem luz na Região Metropolitana, principalmente por causa de quedas de árvores na rede elétrica, e a previsão da Cemig era de que somente durante a madrugada a situação fosse normalizada. As regiões mais atingidas foram a Pampulha e o Planalto, além de municípios da Grande BH, como Saba-

FOTOS BETO NOVAES

PREJUÍZO

Árvore não suportou a força da tempestade e causou estragos, ontem à tarde, em Belo Horizonte. Meteorologia prevê mais temporais
rá, Betim, Caetés e Ribeirão das Neves. Durante a tarde, a Cemig contabilizou 85 fios partidos e colocou 60 equipes nas ruas para fazer a manutenção. Apesar da intensidade da chuva, que deixou as coordenadorias Estadual e Municipal de Defesa Civil (Cedec e Comdec, respectivamente) em estado de alerta, nenhuma ocorrência de maior gravidade foi registrada. A maioria das ocorrências foi de interrupção de vias por causa de queda de árvores. Na MG-060, por exemplo, que liga Vianópolis a Esmeraldas, na Grande BH, a queda de um eucalipto destruiu parte da rede e, por cerca de uma hora e meia, o trânsito teve que ser interrompido e desviado para Nova Contagem. Em Belo Horizonte a queda de árvores também interrompeu o trânsito em algumas vias, como as ruas Antônio Torres e Nanci de Vasconcelos Gomes, ambas no bairro Sagrada Família, região Leste da capital. Além de fechar o trânsito, a árvore que caiu na rua Antônio Torres atingiu o Uno placa GZP-2950. Já na avenida Silviano Brandão não precisou cair árvore para interromper o trânsito. Debaixo do viaduto do metrô, a enxurrada permitia a passagem apenas de veículos maiores, como ônibus e caminhonetes. O Kadett placa GMU-3169, por exemplo, tentou atravessar e enxurrada e ficou parado. Um alagamento também atingiu pelo menos sete casas na Vila do Índio, na região da Pampulha, mas os moradores voltaram às moradias depois da água baixar. A previsão do 5º Distrito de Meteorologia é que, pelo menos até amanhã, todo o Estado continue sendo castigado por pancadas de chuva com fortes rajadas de vento, principalmente no final da tarde e início da noite. A Cedec e a Comdec continuam em alerta.

AMARELO

PRETO