Mauro Margalho Coutinho

margalho@unama.br

Redes de Computadores
Modelo OSI Open System Interconnected

Modelo OSI – Camada Física
Provê características físicas (fiação e cabos), elétricas e funcionais.
Ex.: RS-232C

Equipamento que atua na Layer1
Usado basicamente em redes de topologia linear, o repetidor permite que a extensão do cabo seja aumentada, criando um novo segmento de rede.

Ex.: HUB

1

Animações Exemplo

Barramento Básico Ethernet

Colisões

Switch

Hub Fonte: http://www.datacottage.com/nch/eoperation.htm

Modelo OSI – Camada de Enlace
A camada de enlace providencia maneiras funcionais e procedimentos para estabelecimento, manutenção e liberação de enlace de dados entre as entidades da rede. Os objetivos são providenciar a transmissão de dados para a camada de rede e detectar, e possivelmente corrigir, erros que possam ocorrer no meio físico.

Modelo OSI – Camada de Enlace
Características funcionais:
Multiplexação de um enlace de comunicação para várias conexões físicas. Detecção, notificação e recuperação de erros. identificação e troca de parâmetros entre duas partes no enlace

2

Modelo OSI – Camada de Enlace
Controle de enlace lógico Enlace Host/rede Controle de acesso ao meio Física

Física ETHERNET

TCP/IP

OSI

SUBCAMADA DE CONTROLE DE ENLACE LÓGICO

É responsável pela divisão do pacote de dados em quadros, é responsável pelo controle de fluxo destes quadros e também pelo controle de erros de transmissão.

Sub-Camada de Acesso ao Meio
Uma das funções desta subcamada é gerenciar o acesso ao meio de transmissão. Quando duas ou mais máquinas estão compartilhando o mesmo meio físico é necessário um protocolo que venha disciplinar este acesso. Há protocolos diferentes para diferentes tipos de rede, entretanto muitas das estratégias de controle podem ser adaptadas para uso em qualquer topologia. Parte da camada de enlace de dados responsável pelo controle de acesso ao canal de comunicação. Problema:
Como alocar um canal de difusão único para vários usuários.

3

Endereçamento MAC

Protocolos de Enlace
Para canais broadcast
CSMA (Carrier Sense Multiple Access)

Para canais ponto a ponto
PPP (Point to Point Protocol)
Requer autenticação

Para canais multiponto
HDLC (High Level Data Link Control)
Requer autenticação

Protocolos de Acesso ao Meio
CSMA (Carrier Sense Multiple Access)
O Computador ouve o meio físico para saber se este está livre para transmitir seus quadros. No caso de o meio estar disponível, o computador inicia sua transmissão. No caso de o meio estar ocupado, o computador espera por um tempo e, após um determinado período, tenta mais uma vez a transmissão. Uma colisão só ocorre quando dois computadores tentam transmitir ao mesmo instante.

4

Protocolos de Acesso ao Meio
CSMA/CD (Carrier Sense Multiple Access/Collision Detection)
A detecção de colisão é realizada durante a transmissão. Durante a transmissão o computador fica ouvindo o meio o tempo todo. Caso uma colisão venha a ocorrer a transmissão é abortada Após a detecção da colisão, o computador aguarda por um tempo para uma nova tentativa de transmissão. Considerando-se que a propagação no meio é finita, os quadros devem ter um tamanho mínimo para que os computadores possam fazer uma detecção de colisão.

Multiplexação
Multiplexação é uma técnica empregada para permitir que várias fontes de informação compartilhem um mesmo sistema de transmissão.
Ex.: por tempo, por freqüência

Equipamento que atua na Layer2
A ponte é um repetidor inteligente, pois faz controle de fluxo de dados. Ela analisa os pacotes recebidos e verifica qual o destino. Se o destino for o trecho atual da rede, ela não replica o pacote nos demais trechos, diminuindo a colisão e aumentando a segurança.

PONTE (BRIDGE)
Ex.: Switch

5