You are on page 1of 40

FACULDADE IPIRANGA TÉCNICO EM RADIOLOGIA PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM PROFª TNR.

: DANIELE SABATE

Vias de administração de medicamentos

Por: Profª Ma.: Glenda Ferreira

É o processo de preparo e introdução de substância química no organismo humano, visanda a obtenção de efeito terapêutico ou diagnóstica. Gastrointestinal - Oral ou bucal. - Sublingual. - Gástrica. - Retal. - Duodenal. Respiratória. Vaginal. Cutânea. Ocular. Nasal Auricular Parenteral - intramuscular (IM) subcutânea (SC) - intradérmica (ID) Endovenosa (EV)

CONCEITO

    -

  

BOAS PRÁTICAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

• • •

Toda prescrição de medicamento deve conter: data; nome do paciente; registro; enfermaria; leito; idade; nome do medicamento; dosagem; via de administração; freqüência; assinatura do médico. Nunca administrar medicamento sem rótulo. Verificar data de validade do medicamento. Não administrar medicamentos preparados por outras pessoas. Inteirar-se sobre as diversas drogas, para conhecer cuidados específicos ao administrá-las: diluição: formas, tempo de validade; ingestão com líquidos. Horário: antes, durante ou após as refeições; incompatibilidade ou não de mistura de drogas;

BOAS PRÁTICAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Identificar a seringa ou recipiente de via oral: quarto; leito; via; nome do medicamento.
Após a administração do medicamento checar a prescrição imediatamente, evitando administração dobrada do medicamento.

FORMAS DE APRESENTAÇÃO FORMA LÍQUIDA xarope • suspensão • elixir • emulsão • outros FORMA SÓLIDA comprimidos. cápsulas. pastilhas outros. Contra-indicações  Pacientes incapazes de deglutir ou inconscientes.  Em casos de vômito. drágeas.  Quando o paciente está em jejum para cirurgia ou exame .ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA GASTRINTESTINAL VIA ORAL CONCEITO: É a administração de medicamentos pela boca. pérolas.

ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA GASTRINTESTINAL VIA ORAL Cuidados Importantes: O copo graduado tem as seguintes medidas (sistema caseiro): 15ml = 1 colher de sopa 10ml = 1 colher de sobremesa 5ml = 1 colher de chá 3ml = 1 colher de café 15ml = 1 medida adulta 5ml = 1 medida infantil .

Colocar o medicamento sob a língua do paciente e orientálo para não deglutir a saliva até dissolver o medicamento. A via sublingual possui ação mais rápida do que a via oral. Não administrar por VIA ORAL porque o suco gástrico inativa a ação do medicamento. .ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA GASTRINTESTINAL VIA SUBLINGUAL CONCEITO: consiste em colocar o medicamento sob a língua do paciente. Fornecer água ao paciente para enxaguar a boca e remover resíduos alimentares. 4. 2. 3. a fim de obter o efeito desejado.  Procedimentos e Cuidados Específicos 1.

Certificar-se se a sonda está no estômago através da ausculta com estetoscópio e aspiração do suco gástrico. exceto quando contra-indicado. Procedimentos e Cuidados Específicos 1. . Colocar o paciente em posição elevada para evitar aspiração.  2.ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA GASTRINTESTINAL VIA GÁSTRICA CONCEITO: É a introdução do medicamento através da sonda gástrica.

Colocar o paciente em decúbito lateral expondo somente a área necessária para a introdução do medicamento. . desde que seja esclarecido e orientado. com auxílio do papel higiênico.Em se tratando de criança.O paciente poderá colocar o supositório sem auxílio. para melhor visualização do ânus. . comprimir levemente as nádegas para evitar o retorno do supositório. .Introduzir o produto além do esfíncter anal delicadamente. . em forma de supositórios ou clister medicamentoso. .ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA GASTRINTESTINAL VIA RETAL É a introdução de medicamento no reto. Observações .Lubrificar as extremidades de sondas quando estas forem utilizadas.Afastar a prega interglútea. .

Cremes ou gel. Óvulos. Tampões. supositórios. O medicamento pode ser introduzido sob a forma de: 1.VIA VAGINAL CONCEITO É a introdução e absorção de medicamentos no canal vaginal. 2. . 4. 3. comprimidos. Lavagens e irrigação.

e sistêmica. eventualmente . principalmente. Sua ação pode ser local ou geral. Ex. OBJETIVO  Obter ação local.VIA TÓPICA CONCEITO É a aplicação de medicamentos na pele.: pomadas. antisépticos.

VIA NASAL CONCEITO Consiste em levar à mucosa nasal um medicamento líquido. VIA OCULAR É a aplicação conjuntiva ocular. Com a finalidade de facilitar a drenagem de secreções e a aeração. de colírio ou pomada na .

OBJETIVOS  Prevenir ou tratar processos inflamatórios e infecciosos.  Facilitar a saída do cerúmen e corpo estranho. .VIA AURICULAR CONCEITO É a introdução de medicamento no canal auditivo.

 Possibilidade de administrar determinadas drogas que são destruídas pelos sucos digestivos. Vantagens Absorção mais rápida e completa.  Maior precisão em determinar a dose desejada.VIA PARENTERAL CONCEITO  É a administração de um agente terapêutico por outra via que não seja a do trato alimentar (aparelho digestivo).  .  Obtenção de resultados mais seguros.

5ml .VIA INTRADÉRMICA (ID) Conceito É a introdução de pequena quantidade de medicamento entre a pele e o tecido subcutâneo  Finalidade  Teste de sensibilidade alérgica e aplicação de vacinas. Volume suportado  Até 0. locais onde a pilosidade é menor e oferece acesso fácil à leitura da reação aos alérgenos. Área de aplicação  Na face interna do antebraço ou região escapular.  A vacina BCG intradérmíca é aplicada na área de inserção inferior do deltóide direito.  A angulação da agulha deve ser mínima com relação ao tecido.

A angulação da agulha deve ser de 45° com relação ao tecido.     Volume suportado  Até 2ml . contínua e segura pela tela subcutânea.VIA SUBCUTÂNEO Conceito É a introdução de uma droga no tecido subcutâneo ou hipoderme. Certas vacinas. drogas como a insulina têm indicação específica por esta via. Finalidade Terapêutica lenta.

VIA SUBCUTÂNEO ÁREAS DE APLICAÇÃO  Os locais mais adequados para aplicação são aqueles afastados das articulações nervos e grandes vasos sanguíneos : .laterais e frontais das coxas. . . .costas (logo acima da cintura).Região abdominal.partes externas e superiores dos braços. .

Conceito: É a introdução de medicamentos nas camadas musculares. com finalidade terapêutica de efeito relativamente rápido.  Técnica de administração. entre outros.  Idade do paciente. os seguintes aspectos devem ser avaliados:  Volume a ser injetado. Por ser um procedimento invasivo. .Administração de medicamentos por via intramuscular 1.  Medicação a ser administrada.  Seleção do local e dispositivos.

Locais para administração IM: a) Músculo Vasto lateral: Músculo localizado na região anterolateral da coxa. não se evidenciando nessa região grandes vasos sanguíneos e nervos. .Administração de medicamentos por via intramuscular 2. É o local de escolha para aplicar injeções IM nos lactentes. já que representa a maior massa muscular dessa faixa etária.

Locais para administração IM: a) Músculo Vasto lateral: .Administração de medicamentos por via intramuscular 2.

Administração de medicamentos por via intramuscular 2. . espalmando a mão sobre a base do grande trocânter do fêmur. A injeção é aplicada no centro do V formado pelos dedos indicador e médio. Estender o dedo médio ao longo da crista ilíaca. Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA VENTRO-GLUTEA É localizado colocando-se a palma da mão esquerda no quadril direito do paciente e localizar com o dedo indicador a espinha ilíaca ântero-posterior.

Administração de medicamentos por via intramuscular 2. Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA VENTRO-GLUTEA .

É um excelente local para aplicação de injeções intramusculares.Administração de medicamentos por via intramuscular 2. pois não há grandes vasos sangüíneos que podem ser lesados e seu tecido adiposo é menos espesso que o do glúteo. . Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA VENTRO-GLUTEA O paciente pode ajudar a relaxar o músculo direcionando os dedos do pé para dentro ao adotar o decúbito ventral. para auxiliar a redução da dor.

Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA VENTRO-GLUTEA .Administração de medicamentos por via intramuscular 2.

Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA DORSO-GLUTEA O paciente deve ser colocado em decúbito ventral O que em uma é da uma superfície delimitado linha plana. .Administração de medicamentos por via intramuscular 2. local vai desenhando-se imaginária espinha ilíaca póstero-superior até o trocanter maior do fêmur.

O quadrante lateral-superior do glúteo é uma região muito ampla e que contém vasos e nervos na sua porção medial.Administração de medicamentos por via intramuscular 2. . que poderiam se lesados. Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA DORSO-GLUTEA É contra-indicada em crianças que não deambulam até pelo menos 1 ano.

Administração de medicamentos por via intramuscular 2. Locais para administração IM: b) Região Glútea: ÁREA DORSO-GLUTEA .

Administração de medicamentos por via intramuscular 2. Locais para administração IM: c) Músculo Deltóide O local da injeção no deltóide é identificado traçando-se uma linha imaginária através das axilas. com vasos e nervos que devido a sua superficialidade tem maior lesados. probabilidade de serem . O músculo deltóide é um músculo pequeno.

Locais para administração IM: c) Músculo Deltóide .Administração de medicamentos por via intramuscular 2.

Existem evidências que a utilização de volumes menores auxilia a absorção e diminui reações adversas ao medicamento. esta deve ser compatível com o volume do medicamento a ser administrado. Em adultos.  TAMANHO DA SERINGA Quanto ao tamanho da seringa.Administração de medicamentos por via intramuscular 3. . Tamanho da seringa e Volume do medicamento  VOLUME O volume máximo a ser injetado tem sido baseado no tamanho do músculo. oleosidade e tolerância do paciente. composição. recomenda-se dividir em 2 injeções a dose volumes que excedem 3 ml.

.

Administração de medicamentos por via intramuscular 4. o volume de solução e o músculo selecionado. Comprimento da agulha É necessário considerar o tipo de medicamento. .

o volume de solução e o músculo selecionado. Comprimento da agulha É necessário considerar o tipo de medicamento.Administração de medicamentos por via intramuscular 4. .

Particularidades quanto a técnica de administração  Pacientes idosos e edemaciados: apresentam menor massa muscular. No entanto. principalmente. pode auxiliar  durante o procedimento. esta técnica aumenta o risco do medicamento ser administrado no subcutâneo.Administração de medicamentos por via intramuscular 5. Prega na pele: o pinçamento do músculo. . quando uma agulha menor estiver sendo utilizada. expondo melhor o músculo para a injeção. em pacientes idosos e edemaciados ou que tenham pouca massa muscular.

. cobrindo o orifício de entrada da agulha e impedindo a saída do líquido injetado. Esta ação move os tecidos cutâneo e subcutâneo por aproximadamente 1 a 2 cm. Particularidades quanto a técnica de administração  Técnica Z: reduz a dor e o escape da medicação no local da A técnica consiste em: esticar a pele para baixo ou para o entrada da agulha. até o final da administração do medicamento.Administração de medicamentos por via intramuscular 5. Após a retirada da agulha a pele é liberada de modo que volte a posição inicial. lado do local onde se pretende aplicar a injeção.

Aspiração: após a injeção no músculo.Administração de medicamentos por via intramuscular 5. reduzindo dessa maneira a dor. podendo causar um êmbolo. o medicamento pode ser administrado pela via intravenosa. Particularidades quanto a técnica de administração  Ângulo de aplicação: as aplicações IM devem ser realizadas em ângulo de 90ᴼ a fim de garantir que a agulha atinja o músculo.  aspiração antes da administração. Em caso de retorno venosos. deve-se proceder a Quando a agulha é erroneamente posicionada em um vaso sanguíneo. como resultado dos componentes químicos do fármaco injetado. . a seringa deve ser descartada e o medicamento deve ser preparado novamente.

Particularidades quanto a técnica de administração  Velocidade: a injeção do medicamento deve ser feita a uma velocidade de 1 ml a cada dez segundos. irritando-o. Essa velocidade tempo à fibras musculares para que se expandam e absorvam a solução. . Compressão local: deve-se aplicar leve compressão local  uma vez que a massagem pode ocasionar o escape o fármaco do local de aplicação para o tecido circunvizinho.Administração de medicamentos por via intramuscular 5.

casos podem tornarem-se Os pacientes podem nestes de paralisia e portadores apresentarem alteração da sensibilidade de membros. além de diminuição da força motora.Administração de medicamentos por via intramuscular 6. Complicações  Lesões causadas pela ação mecânica da agulha: causam trauma direto no nervo. contração do membro secundária a reação local e dano direto fibra nervosa pela neurotoxicidade química do agente introduzido. .

além de outras reações mais graves como necrose e alteração da sensibilidade e mobilidade do membro. .  Injeções repetidas em um mesmo local: aumentam a probabilidade de reações tanto pela invasão mecânica da agulha quanto pelas características e volume da medicação depositada no músculo.Administração de medicamentos por via intramuscular 6. Complicações  Volume maior que o determinado como limite for injetado: poderá comprimir vasos e nervos decorrendo em dor e aumento da temperatura local. hiperemia. O rodízio de locais de aplicação poupa o paciente evitando dores e hematomas causados por repetidas injeções em uma mesma região.

set. De B. 34. S. v.. p.Proposta de um modelo de delimitação geométrica para a injeção ventro-glútea. S. CASSIANI. M. 2010. H. n. Administração de medicamentos por via intramuscular. . MENESES.. .BIBLIOGRAFIA CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO./out.Enf. Rev.USP. 2007. 2000. São Paulo.60.5. A. Administração de medicamentos injetáveis por via intramuscular: conhecimento dos ocupacionais de farmácias. S. jun. 2. n. R. v. RANGEL. MARQUES I. Revista Brasileira de Enfermagem. Brasília.Esc.138-44.