ESTADO DE MINAS - TERÇA-FEIRA, 14 DE JANEIRO DE 2003

PÁGINA 21

GERAIS

c m y k

CARGA SOLTA

Ferro-gusa que caiu de caminhão fica espalhado na pista, criando situação de perigo na rodovia Fernão Dias. Por sorte, nenhum veículo foi atingido

FOTOS EULER JÚNIOR

RISCO EM DOBRO
ALÉM DOS BURACOS NO ASFALTO, MOTORISTAS SÃO OBRIGADOS A CONVIVER NA BR-381 COM SITUAÇÕES COMO QUEDA DE CARGAS
EDUARDO HYBNER

ção da prefeitura de Betim para evitar acidentes mais graves”, A lentidão do Departamento afirmou o policial rodoviário feNacional de Infra-estrutura de deral Paulo Afonso, que esteve no Transportes (Dnit) obriga poli- local e acompanhou o trabalho ciais rodoviários a buscarem aju- dos funcionários municipais. da com as prefeituras locais para Segundo o secretário de solucionar os problemas de má- obras de Betim, Hélder Pacelli de conservação nas estradas fede- Freitas Campos, a parceria com rais do Estado e, com isso, evitar a Polícia Rodoviária Federal acidentes. Na tarde de ontem, (PRF) teve início em novembro do uma equipe da ano passado, prefeitura de Becom a limpeza tim realizou uma das canaletas operação tapade drenagem buracos em um O chefe do 5º Distrito de de trechos da trecho crítico da Meteorologia, Luiz Ladeia, rodovia. “Se BR-381 (Fernão afirma que a instabilidade não unirmos as Dias), que liga do tempo em Minas deve forças, a comuBelo Horizonte a continuar até a próxima nidade iria sair São Paulo, na alsexta-feira, dia 17 de prejudicada. A tura do bairro janeiro. Segundo ele, a rodovia registra PTB, situado umidade elevada e o calor um grande núperto de Contadevem continuar mero de acigem. No exato provocando pancadas de dentes e não momento em chuvas no final da tarde e podíamos ficar que os funcionáinício da noite em pontos omissos em rios realizavam isolados da Região uma situação o trabalho de reMetropolitana de Belo dessas”, comcuperação do loHorizonte (RMBH), nas pletou. cal, uma carreta regiões Sudeste e Leste do O caminhodespejou uma Estado. “A partir de sexta- neiro José Maquantidade de feira, a instabilidade vai ria Damasceno ferro-gusa na diminuir e vamos ter uma lamentou que a pista, após pasmelhora do tempo em todo iniciativa da sar por um dos o Estado”, afirmou. PRF tenha devários buracos morado tanto. no asfalto. Por sorte, nenhum Na madrugada de ontem, seu cacarro foi atingido, já que era minhão teve o eixo quebrado grande o movimento na rodovia após passar num buraco. Por na hora do acidente. conta do acidente, Damasceno O trecho está em condições perdeu o dia de trabalho, parado precárias e a operação tapa-bu- no acostamento. racos, que deve continuar duran“O conserto não vai ficar mais te todo o dia de hoje, vai consu- barato do que uns R$ 800 e eu mir cerca de 40 toneladas de ainda tive um dia de prejuízo, massa asfáltica, disponibilizada pois não consegui entregar a pela Secretaria de Obras da pre- mercadoria no prazo”, disse ele, feitura de Betim. “Mais de quinze que estava indo para Pedro Leoveículos estouram os pneus dia- poldo, na Região Metropolitana riamente neste trecho. Solicita- de Belo Horizonte (RMBH). Foi no mos ao órgão competente a solu- início da tarde o acidente com a ção dos problemas e, como nada carreta que despejou ferro-gusa foi feito, o inspetor Alexandre Pi- no local, após passar por outro nheiro decidiu pedir a colabora- buraco do local.

Cratera traz perigo para motoristas
Os problemas da Fernão Dias não se resumem à quantidade de buracos no asfalto, principalmente, no trecho situado entre os municípios de Contagem e Betim. Na altura do km 480, sentido Belo Horizonte-São Paulo, uma cratera engoliu parte do acostamento e ameaça aumentar ainda mais com as pancadas de chuva que devem atingir a RMBH até a próxima sextafeira, principalmente, no início da noite, de acordo com previsão do 5º Distrito de Meteorologia. “Já enviamos um relatório ao Dnit solicitando soluções para o problema, mas ainda não obtivemos resposta”, afirmou policial rodoviário federal Paulo Afonso. No Anel Rodoviário, mais problemas. As precárias condições de alguns trechos da via, além de irritar e provocar prejuízos para os motoristas desatentos, acabam causando acidentes graves, como o que aconteceu com o motoqueiro Ricardo Luiz de Freitas, de 20 anos, na tarde do último domingo. Depois de passar por um dos vários buracos do local, na altura do bairro Jardinópolis, ele perdeu o controle da sua motocicleta e sofreu uma queda, quebrando o osso da bacia e sofrendo um ferimento no abdômen. Até o início da tarde de ontem, o motoqueiro continuava internado no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em observação.

PREVISÃO

PERIGO

Cratera aberta em acostamento por causa das últimas chuvas obriga motoristas a ter mais atenção no volante

Estradas federais ficam sem radares
FRANCIS ROSE

As estradas federais mineiras estão livres dos radares móveis até o fim deste mês, deixando à vontade os motoristas mais apressados. O movimento nas rodovias na virada da quinzena e durante a volta das férias nem mesmo será monitorado pelos equipamentos. Como o contrato com o Consórcio Rodovida, que gerencia o funcionamento dos aparelhos no Estado, não foi renegociado pelo Departamento Nacional de Infra-es-

trutura de Transportes (Dnit), segundo determinava a Resolução nº 141, do ano passado, as multas não podem ser emitidas. A resolução estabelece que nenhum contrato pode ter a remuneração baseada no número de infrações emitidas, o que estimula a “indústria de multas”. Outra determinação é a de que os radares móveis funcionem com a presença de um agente de trânsito. “Os contratos não foram renegociados, porque estamos em uma fase de transição. Até agora, a única medida

do Dnit foi autorizar o credenciamento dos agentes”, informou a assessoria de imprensa do órgão, em Brasília. O diretor do Consórcio Rodovida, Gilberto Bento, afirma que nenhuma renegociação de contratos será feita nos próximos dias. “O novo diretor do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Ailton Brasiliense, prometeu modificar a resolução. Enquanto isso não for definido, não há como fazer mudanças no contrato”, explica. Ninguém foi encontrado no De-

natran para comentar o futuro da resolução. Outro assunto ainda sem definição é o cancelamento de multas que aguardam julgamento de recurso nas Juntas Administrativas de Recursos de Infração (Jaris) há mais de 60 dias. De 24 de outubro a 24 de dezembro do ano passado, a Medida Provisória nº 75 determinava que as multas fossem canceladas, caso o prazo de julgamento de recurso não fosse observado. O PT fez um acordo com outras lideranças da Câ-

mara dos Deputados e a MP não foi votada em dezembro, deixando de valer a partir de 24 de dezembro. Com isso, os órgãos que não fizeram o cancelamento durante esse período foram desobrigados de cumprir a determinação. Apenas no Dnit em Minas Gerais, onde a Jari não funciona há vários meses, há cerca de 300 mil recursos aguardando decisão. Segundo o órgão, se o cancelamento fosse mantido, seu prejuízo no País seria de R$ 300 milhões. O PT prometeu apre-

sentar uma nova MP, mais ampla, no mês que vem. A Câmara dos Deputados precisa elaborar, no prazo de 60 dias, sem contar o recesso parlamentar, um decreto legislativo que regulamente os efeitos da MP nº 75. O decreto vai definir, por exemplo, se os cancelamentos efetuados serão válidos. Durante a vigência da MP, o Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG) anulou 636 multas em todo o Estado. Ninguém foi encontrado no órgão para comentar o assunto.

c m y k

CYAN

MAGENTA

AMARELO

PRETO