ESTADO DE MINAS - SEGUNDA-FEIRA, 29 DE SETEMBRO DE 2003

PÁGINA 17

GERAIS

❚ ASSALTO

❚ CLIMA

Chegada da chuva Garotos armados são diminui incêndios
UM CASAL DE JOVENS DE APENAS 12 E 13 ANOS FOI FLAGRADO QUANDO TENTAVA ROUBAR UMA DROGARIA NA REGIÃO NORTE. O ADOLESCENTE JÁ ESTEVE DETIDO HÁ 15 DIAS PELO MESMO CRIME

rendidos por vítimas
ANA CAROLINA SELEME

ISADORA CAMARGOS

Um menino e uma menina foram apreendidos em flagrante na manhã de ontem depois de tentar assaltar uma drogaria, no bairro 1º de Maio, região Norte de Belo Horizonte. A ocorrência seria mais um caso de violência na cidade não fossem seus personagens. D., 12 anos, estava armado com um revólver calibre 38, com cinco balas, e tinha em sua companhia uma menina, C.T.G., de 13 anos. Ao anunciar o assalto, segundo testemunhas, D. falava em tom agressivo e ameaçava atirar caso não lhe entregassem o que pedia. Mas clientes da loja acharam que a arma era de brinquedo, reagiram e, por sorte, conseguiram rendê-lo sem que ninguém se ferisse. Segundo o sargento Tudoraline, do 13º Batalhão de Polícia Militar, D., que deu nome falso, alega que achou a arma. Apesar de pequeno, franzino e visivelmente assustado, na última quarta-feira o jovem, armado, já havia assaltado uma padaria do bairro. Os menores foram encaminhados para a Divisão de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad) onde o menino foi reconhecido por sua última apreensão. Segundo a gerente da drogaria, Fátima Maria Cândido Félix, eram 9h40 quando C. entrou na loja. “Ela perguntou um preço e saiu”, explica. Minutos depois, os dois entraram e D. anunciou o assalto. “Ele estava com muita raiva, gritava, mas não acreditamos que a arma era de verdade, pois ele é muito pequeno. Os clientes, certos de que era uma réplica, partiram para cima e conseguiram tomar a ar-

LETÍCIA ABRAS

SURPRESA

Os clientes que estavam na farmácia não acreditaram que o revólver dos meninos era verdadeiro
ma”, explica. O susto maior veio por outros criminosos e sua siquando viram que era um revól- tuação é grave. “Ele é reinciver verdadeiro. dente e representa risco para a Minutos depois que chegaram sociedade. O ideal é que fosse ao Dopcad, dois homens disse- internado em estabelecimento ram ser pareneducacional”, tes dos meniafirma. Senos a fim de gundo a políbuscá-los, mas cia, D. não não tinham dotem família cumentos e, pepois todos folo levantamenram mortos to da Civil, tinuma chacinham passana, em Begem pela polí- ❚ Fátima Maria Cândido Félix, tim, na Grancia. Os policiais de BH. Os gerente da drogaria acreditam que menores seos dois são aliciadores e man- rão encaminhados ao Ministédam os menores roubar, certos rio Público e só serão entrede sua impunidade. gues aos seus responsáveis lePara um dos detetives da gais mediante apresentação de Dopcad, D. está sendo usado documentos.

A chegada da chuva e o aumento da umidade do ar em Minas contribuíram para a diminuição do número de focos de incêndio. As duas reservas que estavam em sinal vermelho, Serra do Cipó e Acauã, tiveram as chamas controladas, apesar de não ter chovido nas regiões. De acordo com o diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Humberto Cavalcante, os incêndios são típicos do clima quente e seco, e neste ano, o número de queimadas está dentro do previsto, sem surpresas para as autoridades. A Estação Ecológica de Acauã, localizada no Jequitinhonha, que queima desde terça-feira, teve o fogo controlado e, segundo Cavalcante, deve ser extinto hoje. Acauã é uma reserva de 5,3 mil hectares, e ainda não se sabe quanto foi destruído pelas chamas. A primeira avaliação do IEF é que o prejuízo se limitou à vegetação, pois nascentes foram preservadas, e o fogo ficou a oito quilômetros da sede do parque. A PM e o IEF vão investigar as causas do incêndio,

que pode ter começado em uma carvoeira ilegal. O Parque Nacional da Serra do Cipó teve o fogo controlado na manhã de ontem e voltou a receber turistas, depois de 48 horas de portas fechadas. A chuva que caiu em várias partes do Estado não chegou à Serra do Cipó, mas a umidade mais alta ajudou no combate ao fogo que queimou cerca de 2 mil hectares de mata desde quarta-feira. A estimativa é que 6 mil hectares já foram queimados este ano na região. O técnico do Ibama, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis, Ronaldo Matos, calcula que a umidade relativa do ar passou de 27% para 60% na região, o que diminui a probabilidade de novos focos de incêndio. Matos diz que o incêndio prejudicou nascentes localizadas na parte alta do parque, que são fundamentais para o rio Cipó. O técnico explica que a queima da vegetação que fica próxima à nascente e ao curso do rio deixa as águas mais expostas, e há mais erosão do solo, o que faz com que a quantidade de água diminua até a extinção.

PUNIÇÃO
O que prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): Art.112- Verificada a prática de ato infracional, a autoridade competente poderá aplicar ao adolescente as seguintes medidas: I - advertência; II - obrigação de reparar o dano; III - prestação de serviços à comunidade; IV - liberdade assistida V - inserção em regime de semiliberdade VI - internação em estabelecimento educacional

“A IDADE DELE É DE CRIANÇA, MAS A MENTE É DE BANDIDO. ELE PODIA TER MATADO ALGUÉM”

RENATO WEIL

FOGO

Órgãos ambientais preparam balanço da destruição em Minas

❚ TAIOBEIRAS

❚ HOMICÍDIOS/

Violência marca final de semana
Mais um fim de semana violento na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A Polícia Militar registrou 17 homicídios entre 18h de sexta-feira e o fim da noite de domingo. Na semana passada, 23 ocorrências foram registradas e, na anterior, 14 pessoas foram assassinadas. A capital liderou a lista com dez mortes. Os municípios de Vespasiano, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, Lagoa Santa e Contagem engrossaram o ranking com um homicídio cada e Betim com dois. A disputa entre grupos rivais continua fazendo vítimas. Felipe Rafael da Silva, de 17 anos, foi morto por bandidos em uma rua movimentada do bairro Madre Gertrudes, região Oeste da cidade, na manhã de ontem. Segundo testemunhas, um grupo de seis homens armados começou a perseguir o adolescente com um carro. Com o veículo ainda em movimento, os assassinos acertaram três tiros nas costas de Felipe. Já caído na calçada, o rapaz foi executado com cinco disparos de revólveres calibre 38 e PT, que feriram a cabeça e o tórax. Felipe teria sido morto por ser de um grupo rival à gangue de dois homens conhecidos apenas como Demar e Doly. A Polícia Civil suspeita que os assassinos, que atuam na região do Cabana, sejam suspeitos de outros crimes que têm aterrorizado os moradores da área. Entre as vítimas do fim de semana estavam três mulheres, mortas em pouco mais de uma hora entre o fim da noite de sábado e a madrugada de ontem. No bairro Morro do Cruzeiro, em Lagoa Santa, a 36 quilômetros da capital, Maria Aparecida do Carmo Silva, de 37, foi morta por um homem identificado como Geraldo. A assassino teria ainda ferido o irmão de Maria Aparecida, Paulo, de 42, que teve que ser socorrido no Hospital Municipal da cidade. Cerca de 30 minutos depois, no bairro Ribeiro de Abreu, Nordeste de Belo Horizonte, Elaine Aparecida Rotelo, de 23 anos, foi morta a tiros por uma mulher identificada com Meire, não localizada pela polícia. No madrugada de domingo, Rosilene Francisco do Nascimento, de 32, foi assassinada no bairro Piratininga, região de Venda Nova. A polícia suspeita que o crime teve natureza passional.

ENTRE AS VÍTIMAS ESTÃO UM JOVEM MORTO POR GANGUE E TRÊS MULHERES ACIDENTE
Dois acidentes na mesma curva da BR-381 em 20 minutos. Um carro que saiu da pista e um batida envolvendo três veículos deixaram seis pessoas feridas. Às 8h10, o Ford Fiesta placa GWQ 3324 saiu da estrada no km 408, em Nova União, a 59 quilômetros de BH, e bateu em uma árvore. O motorista Leandro Moreira, de 29 anos, sofreu ferimentos leves. Cerca de 20 minutos depois, uma batida entre uma Ipanema, um Palio e um Uno, provocada por uma tentativa de ultrapassagem malsucedida por um dos carros, deixou cinco pessoas feridas.

Suspeitos indiciados
O delegado de Taiobeiras, no Norte de Minas, a 710 quilômetros de Belo Horizonte, Gean Vitor Fanti, indicia três comerciantes da cidade, suspeitos de envolvimento com a prostituição infantil e de tirar fotos de crianças nuas. De acordo com o delegado, os empresários Divaldo Tavares Amorim e Otacílio Clemente Ribeiro serão indiciados por exploração sexual de crianças e adolescentes, e o açougueiro Nivaldo Bandeira será denunciado por tirar fotos pornográficas de menores nuas. O inquérito será remetido ao juiz João Marcos Luchesi, da comarca local. O caso começou a ser investigado há quatro meses, quando um lavrador suspeitou que a filha, de 12 anos, estava envolvida com a prostituição. Após a denúncia, foi descoberto o esquema de exploração sexual, com a participação de outras menores. Uma delas prestou depoimento, informando que recebia entre R$ 10 e R$ 100 por programa. Dos três suspeitos, apenas dois foram ouvidos. Divaldo Tavares, que é dono de uma gráfica na cidade, compareceu à delegacia, mas não respondeu nada. O açougueiro Nivaldo Banceira negou todas as acusações. Com um mandado de busca e apreensão, foram recolhidas pela polícia cerca de 30 fotos na casa de Nivaldo.

FA L E C I M E N T O
A família de MARILENE LEITE GONÇALVES (CHU) comunica o falecimento ocorrido ontem e convida para o velório, hoje, segunda-feira, na cidade de Ouro Preto, na antiga Santa Casa, e para o sepultamento na Igreja das Mercês de Ouro Preto (Mercês de cima), às 13h.