FERNANDO AUGUSTO DA S1I.

VA
Presbltero e Professor

MADEIRA
Legislação Portuguesa

MCMXLI
FUaCHAL

Trabalhos Históricos do Autor:
Elucldario Madeirense 2 gr. vol. (de culaboração com Carlos Azevedo

de Menezes)
Paróquia de Santo Antbnio na Ilha da Madeira.

A Lombada dos Esmeraldos na Ilha da Madeira.
Dlciondrio Corográfico da Madeira. Camões e a Madeira. A Se Catedral do Funchal. A M a d e ~ r a Legislação Portujuesa. na
/ ,

-'

'-''"\

/Q!
L

"_
/

1:-

A sair do prelo:

. -_F '.\;G*

A Diocese do Funchal (Subsidios para a sua história).
Igrejas e Capelas,

Em preparação:
A Antija Escola Médico-Cirúrlgica do funchal.
Antologia de Poetas Madelrenses.

A edição dêste livro foi mandada fazer pela Câmara Municipal do Funchal

TIPOGRAFIA DE " O JORNAL" FUNCHAL-MADEIRA

A administração da Justiça no Arquipélago da Madeira
.-- - -- .
--

---

+-A,+ & (

/.0>;, .
i

; ;

-,
.L

-

,2!
,. *

r

, /

R -Sob o governo dos ~ a ~ , i t ã e s - d o n a t 6 r i o $ . ~ ~ ~ ~
Está ainda por elaborar um estudo completo àcêrca do sistema de administração pública, iniciado com o estabelecimento das capitanias, ao proceder-se à colonização e povoamento das novas terras, que os nossos marinheiros e soldadados iam heroicamente descobrindo e conquistando. Sendo a Madeira a primeira estância dêsse movimento
de expansão colonial, é ocasião oportuna de relembrar que

Portugal principiou aqui a sua obra grandiosa de primeiro colonizador de tí)dos o(; tempos e lugares, constituirido êste facto um dos acontecimentos mais brilhantes e assinalados da nossa história e que deve ficar indelevelmente gravado

em letras de ouro nas páginas dos anais madeirenses. E aquêle novo sistema de administração teve seir começo ao tentar-se o primitivo povc~arnento dêste arquipélago, estendcndo-se posteriormente às ilhas açorianas e às Ionginqiias ter-

ras brasileiras, embora com as modificações que as circtinstancias de ocasião aconselhavam. Existem valiosos escritos dispersas, que especialmente

se referem a asçiintos de caracter civil, militar e económico,
mas escasseiam informações seguras com relaqão à forma como se exercia a administração da justiça nas diversas modalidades que este importante serviço reveste na governação
das causas públicas. O mesmo se verifica com respeito ao

nosso arquipélago (a). Afirma-se que ao iniciar-se o povoamento, nos principios d o segundo quartel do século XV, o infante D. Henrique, a quem estas ilhas foram doadas pelo monarca e ainda como grão-mestre da ordem de Cristo, a que elas aperten( a ) Quem quiser formar uma ideia mais completa àcêrca do estabeleciriieiito das antigas capitanias nas nossas colónias ultramarinas, da ne. cessidade da sua criação, do sistemade administração pública nelas adotado, dos privilegias e atribuições dos capitães-donatários etc., leia o notavel estudo d o Dr. Paulo Merêa inserto na (Histeria da Colonização do Brasil*, e subordiilado ao titiilo A Solução Tradicional da Colonização do Brasil.

ciam no espiritual,, dera aos capitães-donatários do Icunchal, Machico e Porto Santo as necessárias instrur;bes destinadas

a regular os diversos serviços de administração púb!ica, fixando a esfera das suas atribuições. e compreendendo, porventura, as faculdades de que poderiam usar no exercicio e aplicação da justiça. A haverem existido, como supõe Gaspar Frutuoso e como nos inclinamos a acreditar, não ficaram arquivadas em qualquer documento conhecido ou perdeu-se a notícia delas com a promulgayão de outras disposições legais relativas a esta mesma matéria. Sabe-se, porêm, que eram verdadeiramente discricionários os poderes dos donatáriss em todos o s ramos de admi-

nis tração, porque as cartas de doação das tres referidas capitanias datadas respectivamente de 1440,1446 e 1450, e canfirmadas pelo monarca (Saudades da Terra, 451
ei ss.)

consignam

algumas dessas latitudinárias atribuições, dizendo-se ali q u e

ele (capitão donatário) tenha em toda esta sobre dita terra a jarisdiçom por mim e em meu nome do civel e do crime resalvando morte ou talharnento d~ membro. Vê-se que além da pena de mgrle c de t~lhameniode
membro, a acção governativa dos capitães-donatários se es-

tendia sem reserva a todos os ramos da administração p ú blica, quer ainda aos que diziam respeito à arrecadação das diversas contribuições e imposto., à destribuicão das terras iti-

cultas pelos colonos que as solicitavam, à iiorneaçãc) dos vários cargcs públicos etc.

E quanto à restrição do ~talhamentode membro. é
sabido que par alvará régio do ano de 1505 (Ary. da Camara do Funchal, L." 1.'-3) foi concedido aos donatátias a faculdade de mandarem cortar as orelhas ac.s escravos eque o merecessem por justiça.. E' conhecido a facto de tcrern sido enforcados por esse tempo cinco escravos na vila da Calheta, por haverem assassinada um feitor de João Rrrdrigucs Castelhano, dizendo se que essa pena foi executada por ardem do capitão-donatário, sem preceder qualquer sentença

judicial. E' tambem conhecida a deshumana e vexatoria a r n u tilaçSEo., que sofreu Diogo Barradas, mandada aplicar pelo

donatário de Mstchico, sendo interessante ler-se a tal respei. to o alvarCi regio de 1452, quz vem transcrito a ; ~ g 138 da

segutida edição das Saudades da Terra (1925).

Além das ideias dominarifes na época, tinham essas
amplas faculdades na gerencia dos negocios públicos urria

certa iustificação nas circunstatscias de (Iaracter local que enti50

se davam. Tratava-se dutna administração i~icipieritç:e

c e : ~ ou modelos que a precedessen~e que deveria exerleis
citar

se a larga distancia do poder central e tio meio duma

populaçf o heterogénea de negros, escravos, foragidos e criminosos, que por vezes exigia uma rcpneçsão imediata e violenta afim de manter-se inviolavel o principio de autoridade. Muitos dos colonoc, vindos d o coiitinente português e do estrangeiro, pertenciam a antigas e nobres familias, e instalados nas suas terras drs sesmaria pretendiam usufruir excepciovais ptivilegios e regalias e deste modo invadiam as atribilições dos dcin~.tários, levantando-se lutas e conflitos por

vezes de m3o arinacia, em que as autoridades superiores das capitanias tinham de interuir com todo o rigor de que então
< \ L [ ,
:\

poderiam usar e abur;ar. cicia essa acção govert~ativae de modç) especial se desconhecem as formalidades usadas na aplitaç.ãu das penas e san~ õ e saos delinquentes. Os donatlirios, nas cédes das suas

,i--..

$

Ignora-se hoje a maneira pormenoric:ada como era exe$-2:-

capitanias, c fias pcrvoa~õesde maior irnportaticia

o5

souvi-

dores. de sua nonieação desempenhavarri todas as funções

que hoje estáo adstrfias aos diversos tribunais civis e militares, sendo de presumir que estranhas injustiças e arbitrariedades não se praticariam por essas vilas e aldeias!

Nilo logrou uma extensa duração essa ampla latitude dos poderes de que estavam investidos os antigos capitãesdonatários. Para isso teriam concorrido duas ordens de razões: a evoluç3o natural que o progresso ia imprimindo aos

diversos negocios da administração pública e a pouca eficiencia resultante do novo sistema de governo, destacando-se particularmente os inauditos erros e abusos que as autcridades locais entáo praticavam como já ficou referido.
Um golpe profundo vibrado no poder dos chefes das

capitanias foi a carta regia de 27 de Abdl de 1497 (Saud. da
Terra, 478 e ss.), em que o rei D.Manuel avoca para si todo

o dominio sobre o arquipélagcl da Madeira, dizendo que

... por nos parerer cousa necessaria que a dita ilha com seu
senhorio, rendas e jurisdiçdo seja sómente da dita nossa ca. roa para sempre c dos reis nossos herdeiros e sucessotes e ainda talvez mais terminantemente em outras cartas regias, que

veem transcritas ou citadas na 2.a ed. das Saud., de 1925, a pag. 26 e seg.
E desta maneira os poderes verdadeiramente majestá-

ticos, que nas doações dos reis seus antecessores tinham sido conferidos aos donatíirios e ao grão-mestre da Ordem de Cristo, passaram a ser exercidos parcialmente por entidades delegadas do proprio monarca e portanto não usavam desses poderes em virtude dum direito intrinsecamente ligado 4 natureza dos seus cargos. Com grande acerto, comenta o ilustre anotador de Oaspar Frutuoso:

. . o rei interpôs o

seu potente scetro como dique aos incriveis vexames de toda a especie que os donatários, a aristocracia local e o clero se arrogavam.

..

Das consequencias imediatas da citada

carta régia de 27 de Abril de 1497 e da natural e progressiva evolução da administração das cousas ptiblicas, que a experiencia e os factos observados vieram confirmar, ficaram aquelas latitudinárias faculdades reduzidas brevemente a proporções bastante limitadas. Para isso contribuiram tambem e duma maneira muito notavel: o estabelecimento dos municípios com os privileg i o ~ isenções, que os alvarss de sua criaçiio e respectivos e

forais Ihes conferiam em varios ramos de administração; a larga concessão de terras por modo de sesmaria, que em breve se converteram em feudos independentes; a promulgação de muitas leis respeitantes a aguas, madeiras e gadt s

e ainda à produqão e exportação dos açucares; as calçadas* especiais enviadas pelo govêrno central e compostas de magistrados investidos de amplas faculdades na aplicação de severas penalidades; ;a norneaqáo de funcionarios sup2riores de justiça, ao principio fernporariamen8e e depois com caracter permanente e definitivo; a instituição dti alguns tribunais como os dos Corregedores, dos Juizes de Fóra, dos Residuos

e Capelas; a instalação de varias repartições públicas com áutonomia propria como a Provedoria, a Junta da Real Fazenda

e a Aifandega; e o despacho de diversos funcionários públicos civis e militares, além de rnuitas outras providencias sucessivamente adoptadas pelos govêrnos .da metrópole.
A carta régia de 27 de Abril de 1497, que tornou a

Madeira realenga, a carta regia de 18 de Outubro de 1496, que encorporou na corda todos os privilegias da Ordem de Cristo e os outros diplomas régios acima citados determina

ram a adopção dessa notável série de medidas governativas,

que deixamos sumariamente apontadas e que foram em boa parte provocadas pelas prepotências cometidas pelos donatários, não acatando as leis e costumes estabelecidos e até resistindo pela força às determitiações do poder real contra as

Erarn ele'; próprios entidades que legalmente o repr~setitavam.
os primeiros a dar os mais escandalosos exemplos, como aconteceu com Bartolu meu Perestrelo, terceiro capitão-donatário do Porto Santo, que matou sua mulher D. Aldonqa de Mendonça *que bem mil lho met.eciap, seguildo diz Gaspar Frutuoso, e o mesmo sucedeu com o filho deste Garcia Perestrelo, quarto donatário, q u e tarnbern assassinclu sua mulher. sendo por isso condenado à pena última e degolado, além de outrcis casos semelhantes que poderiamos citar e que por brevidade omitintos. Posteriormente a essa época, pelos anos de 1578, o cardial rei restringiu consideravelmente o poder e jurisdição dos donatários, deterrnii~andoque os oficios e empregos de justiça fossem de apresentação régig, O que antes era faculdade privativa dos chefes das capitanias. No dominio cas-

telhano, coni a norncaqão dos governadores gerais e com a
auseitcia dos donatfiri~s,que passaram a residir em Lisboa

e com faculdades de governo meramente honoríficas, ainda mais cerceadas ficaram aquelas tão latitudinárias atribuições.

Esses graves erros e abusos, que caracterisavam a administração da justiça nos tempos primitivos da colonização rnadeirense e ainda nos séculos XVI e XVII, eram em boa
parte atenuados e corrigidos com a presença dos corregedo-

dores e juizes de fóra e de modo especial das alçadas, como abaixo varemos, sabendo-se que, Alem dêsses tribunais de indole transitoria, vieram a este arquipélago varios magistrados superiores da Casa da Suplicaçào sindicar de factos e ocorrencias, que particularmente interessavam à boa governação
do estado,

E até em Cpocas mais proxirnas de n6s, quando jáfuncionavam com toda a regularidade os tribunais de caracter permanente, foi promulgado o alvará régio de 26 de Outubro de 1803, aque criou uma junta de justiça na cidade d o

Funchal para conhecer dos crimes cometidos na comarca,
' I,r'
+

.

composta do governador, corregedor, juiz de f6ra e provedor dos residuos e capelas*. Parece que essa .Junta* não

i~

4 815

2 4 PYf.
I

2

correspondeu inteiramente ao fim da sua criação, porque pas-

sados vinte anos o governador geral do arquipélagn insistia
junto do governo da metropole pela nomeação duma acjui~ta

de Justiça Criminal* a exemplo do que se praticara rias ilhas dos Açores, onde funcionava com proveitn e a cc-mfrtit~~ d(is
povos esse novo tribunal judicial.

E -- As Alçadas 3
Acontecimentos de extraordinária gravidade e importancia ocorridos em algumas terras ou os erros e excessos praticados pelas autoridades locais no exercicis dos seus cargos obrigavam o govêrno central à nomeaqão de aalqadas., compostas de magistrados judiciais investidos de amplos poderes, que geralmente sentenciavam ((sem apela-

ção nem agravos nas causas crimes em . que directamente
tinham de intervir. Não é de estranhar que em virtude dos grandes abusos cometidos, tivessem vindo à Madeira ala guns dêsses tributiais, que, transitóriamente e rio proprio local em que se praticavam êsses abusos, procediam à sindicancia e investigação dos factos incriminados e aqui proferiam as suas sentenças condenatorias.

XII

A MADEIRA Lears~~c;ÃoO R T U ~ U E S A NA P

Os diplomas governativos, que cerceatam as atribiiiçõe3 dos donatários e consolidavam o poder real, não seriam duma acção tão eficaz e imediata tribunais.
si e

não houvessem

sido muitas vezes postas em execução por it~terrtie.ln'ci dêsses

O isolamento e a distância a que estas ilhas se encontravam do govêrno central, as grandes dificuldades de comunicação com a metropole e os privilégios de que discricionáriamente vinhsm gosando os chefes da administração local, tornavam ineficazes quaisquer medidas de repressão se não revestissem essas extraordinCirias e aparatosas formalidades. Como seria facil de conjecturar, os que exerciam livremente a autoridade não receóeram sem protesto e até sem uma manifesta resistencia essas providências,

que foram julgadas como uma verdadeira irsvasão do poder real aos privilégios inerentes aos seus elevad~s cargos.

Uma ocasião houve, informa-nos talvez híperbolicamente
um antigo cronista, que #cem ou trezentos homens solda-

dos~ acompanhavam os magistrados d a s alçadas, a-fim-de

po-10s ao abrigo de possiveis e ate de provaveis agressões. No primeiro quartel do século XVI, o terceiro dona-

A ADMINISTRAÇÃO DA

J U S T I ~ NA A

MADEIRA

XIII

tário do Funchal Simão Gonçalves da Camara, chamado o Magnifico, levou muito lotrge os protestos da sua indigna-

cão, quando o rei D. Marnuel enviou à Madeira o desembargador Diogo Taveira a sindicar de varias irregularidades cometidas no govêrno da capitania. Mandou preparar duas caravelas e embarcando nelas # o melhor movelw de sua casa, saiu com sua familia para Espanha, no proposito de abandonar para sernpre o seu país. Teiido os azares da viagem levado Simão Gonçalves a fazer uma forçada arribada a um porto do Algarve e sabendo ali que a nossa praça africana de Arzila estava em perigo de cair em poder dos mouros, acudiu prontamente em socorro dela com a gente que o acompanhava e com um troço de tropas que
em Lagos alistou à sua custa, o que o monarca não dei-

xou de louvar em extremo, esquecendo-se as passadas desavenças. Este episodio serviu de assunto a uma das interessantes narrativas d o apreciado livro de Inacio Vilhena Barbosa intitulado: Exemplos de Virludes Civicas e Domésticas, publicado no ano d e 1875.

Alem dos dois donatários do Porto Santo que tão
injusta e cruelmente mataram suas mulheres, como acima

XIV

A MADEIRA LEOISLAÇAO PORTUOULSA NA

ficou referido, foram os capitães da donataria de Machico

os que mais abusaram das suas amplas faculdades de jurisdição, forçando o governo da metrópole a enviar a esta ilha varios magistrados revestidos de largas atribuições

para o julgamento de diversas causas, satisfazendo assim

as justificadas reclamações dos povos, que eram vitimas
das maiores prepotências. No tempo do segundo donatário vieram com poderes de aalçada* o dr. Alvaro Fernandes

e outro desembargador que aqui se dernotaram largo tempo,
no do terceiro os drs. Rui Pires e Diogo Taveira, no do quarto os drs. Francisco Diniz e Afonso da Costa e no do quinto os licenciados Antonio da Gama, Bernardino de Sampaio e Francisco Amaral. H a ainda noticia de outras ralçadasp, que pelo govêrtio central foram mandadas a êste arquipéla-

go no século XVI e primeira metade do século XVII, mas
que por imperiosa brevidade devemos omitir. No entretanto 6 forçoso fazer uma particular referencia à missão que à Madeira veiu desempenhar o corregedor dr. Francisco Rodrigues, a quem forãrn conferidos poderes extraordinários no exercicio do seu cargo e que excediam os dos juizes das alçadas que o precederam, havendo sido o que hoje poderia-

13 9

mos chamar um comissário ou representante do governo, investido das mais latas e discricionárias atribuições. Veiu siridicar àcêrca de gravissimos crimes e dos maiores excessos e abusos da autoridade, procedendo com uma notavel isençáo e irrepreensivel austeridade de carácter, a-pesar-de estar ligado por parentesco a algumas das mais distintas familías madeirenses. Além desses tribunais de índole transitória, especialmente destinados a reprimir e castigar os crimes de caracter comum, havia as .alçadas. que tinham por fim julgar o s chamados crimes politicos, que em geral eram constituidos por ocasião da mudança de sistema de govêrno e que sempre revestiam uma feição acentuadamente despótica e vexatória, deixando d e si a mais triste e odiosa memória. Merecem especial referencia as aalçadass, que munidas de poderes arbitrários vieram à Madeira em 1641 logo após a quéda d o nosso pais sob o dominio filipino e as de 1823 e 1828, quando entre n6s se estabeleceu o govêrno absoluto com a derogação da chamada Constitui~ãode 1822 e com a proclamação de D. Miguel como rei de Portugal.

Não foram poucas as .al~adasr, que revestidas d e abusivas faculdades de iurisdiç3o foram enviadas à Madeira durante o dorninio castelhano com o fim de punir, por meio do terror e da violencia, os que se mostravam desafectos à nova situação política criada com a perda da independência. O desembargador João Leitão, primeiro governador do arquipélago nomeado pelo govêrno de Castela, além das atribuições inerentes ao seu elevado cargo, veiu investido de extraordinários poderes de administração pública, que se estendiam à repressão e castigo dos crimes comuns, tendo tambem procedido a uma larga devassa política, em que foram envolvidas numerosas pessoas de todas as categorias sociaiS. Durante o govêrno de Jolo Leitão ou pouco depois, deu-se nesta cidade a execução capital de Fr. João do Espirito Santo, ardente partidario de D. António Prior do Crato, que tanto nos Açores como na Madeira, pugnara denodadamente pelos direitos dêste pretendente à coroa de Portugal.

.

O estranho caso devera têr causado a maior sensação no
tempo e num meio tão limitado como o Funchal, vendo-se balouçar nos braços duma forca o membro duma ordem

A -A o ~ r ~- r s r ~ ~ c--A U S T I C ~ A MADEIRA DA J o N - - ---

XVII ----

monástica por um crime daquela natureza.. Por motivos que ignoramos, parece ter havido c. praposito de ocultar-se, ao menos por algum tempo, a notícia dêsse facto, pois que rios documentos da época guardados nos arquivos públicos não se encoqtram quaisquer referencias a esse deshumano atentado. Dão-nos, porém, conhecimento dêle, entre outros, o escritor Rebelo da Silva, a pag. 616 do vol. 2 " da sua *História de Portugal
10 1

século XVI e XVll*. Não sa-

bemos se êsse religioso era natural d a Madelra, rnas era certamente da rija tempera do in~deirense capitão Manuel Serradas, que nc, mês de junho de 1583 foi mandado executar

na ilha Terceira pelo comandante das forças espanholas .declarando que morria pelo .;eu rei D.Antbnio e aclamando-o até ser decapitados. Pelos anos de 1600 e 1602 ocorreram no Funchal graves alterações da ordem pública, que obrigaram o gxd!rno de Mgdrid a enviar a esta ilha uma aalçadas munida de amplas atribuiçGes, tendo-se essas desordens, com caracter de sublevação popular, repetido com maior frequência em anos subsequêtites, a ponto de se haverem cometido assassina-

tos em plena rua e à luz do dia, ficando alguns dêles impu-

nes. Tais excessos levaram Filipe 111, por carta régia de 29
de Novembro de 1614, a encarregar o desernbargador Gonçalo de Sousa de proceder a uma severa investigação dêsses factos anormais e de aplicar-lhe o devido e energico correctivo. A-pesar disso, diz um documento do tempo, parece que

o estado de ordem pública pouco melhorou, porque desde
então até o ario de 1627 houve38 mortes violentas no Fun-

chal e entre elas ns de algumas pessoas qualificadas nêste
meio social, cuja tiotícia pormenorisada se omite por brevi-

dade. A saida clandestina desta ilha, o homisio mais ou menos disfarçado, a protecção que os criminosos encontravam em algumas fortalezas e igrejas e até na propria residencia

i n s governadores e de outras autoridades locais, tornavam
muito embaraçosa e por vezes improficua a acçgo dos tribunais ordinários e das alçadas, embora investidas das mais amplas faculdades de jurisdição. Por motivo dêçsss inauditos abusos esteve no Funchal procedendo a uma larga investiga@~a desembargador Estevão Coelho Meireles com a investidura do mais alto poder de julgar, devendo apenas as

suas sentenças sêr hornnlogadas pelo tribunal da Casa da
Suplicaqiio.

A ADMINISTHA~ÃO DA JUSII(;A N A MADURA
-- -

---.--

-

- -

--

-

-

. -

-

-

-

-

-

XIX

Merece ainda particular refcreiicia a calçada>, pela grande retumbancia que teve tia eyoca, a que prcsidiu
r)

dr. José

de Menezes Coutinho, no ano de 1669, e ~>urt;iritcr n o já pcriodo da restauraç2o, àcêrca da sedição que sc deu no Funchal no ano anteriu:, em que o govcrriador D fi'rar~cisco Mascatenhas foi deposto e abrigado violentamente a embarcar para Lisboa, depois de tclr e5tado preso e sofrido os maiores vexames e afroiitas, como rnais desenvolvidamente deixámos dito a pag. 170 e ss. d o voi. I1 do Elucid. Mad. da nossa co-autoria.

Ternos encoritrado muitas refereaícias às grandes desinteligencias suscitadas entre o bispo diocesano D. Luiz Rodrigues de Vilares e o governador e capitão-general D, Jus6 Manuel da Camara, havendo este forçado o prelado a abandonar precipitadamente a cidade em direcção à freguesia d o Santo da Serra, onde permaneceu alguns mêses, o que determinou a vinda do desembargador Joaquim Aii t6nicr Arau jo no ano de 1803, que procedeu a uma rigorosa devassa icêrca dessa gravissirna ocorrencia e de outros acontecimentos, tendo o governador sido demitido d o seu cargo e o prelado regressado ao exercicio do episcopado.

Ficaram memoraveis as ~ a l ç a d a svtrdcadeiramsrlte in~ quisitoriais, que nos anos de 1823 e 1828 funcioiiárarn nesta
: cidade após a aboliçCCo da Coilstituição de 1822 e d3 procla-

maçáo do rei D. Miguel, sendo a primeira c~rnpostade cinco magistrados além do corregedor e juiz de fóra do Funchal e a segunda por dois desembargadores da Casa da Suplicação. Foram demoradas as invrstigações e protiunciados centenares de individuos, contando-se eritre êles muitas das pessoas mais qualificadas de toda a ilha. Os derioimentcis das testemunhas e as sentenças proferidas pelos juizes encerram noticias que bastante interéssam à historia madeiren-

se, achando-se muitas delas publicadas no vol. 2.0 do aArquivo da Marinha e Ultramar, c num opusculo intitulado Gentença proferida contra os reus compreendidos na Devas-

sa da Alçada que foi servido mandar a Ilha da Madeira no
ano de 1823,. No Elucid, Mad. 1-28e ss. encontra-se uma desenvolvida noticia acerca destas duas .alçadas,. A 26 de Agosto de 1826 chega ao Funclial um grupo de seis funcionários superiores de justiça com atribuições de alçada, enviados pelo governo de D.Pedro, para investigar àcêrca

de diversos crimes politicos praticados entre n6s por essaépoca.

---

A ADMINISTRACAO JUSTI~;ANA MADEIRA L)A
-

---

--

-

-

-

--- .

XXI

C?-Juizes
Já deixámo5 dit
4

de Fóra e Corregedores
que
n i j s primeiroh tcrtipos da colo-

nizaqão er;i a adniiriistraqãu judícial exeicida pelos i~roprios

capitães-danatários r pelos seus *otividate.:, ou tepr e-eiiliantes por êles nofi~eados.Posteriormerite a esta epoca e escolhidos pelos mesmos donãtários c?u eleitos pelas câu~;irãsUIUnicipais desempenhavain funçõi:s iudíciarias os c,hamados
juizes ordinários, a exeniplo do que então se praticava em

todas as terras d o crrrttinente pot tugués. Tornara se prover-

bial a falta de conipet6ncia tilêsses improvisados julgadores,
cujos desmandoç e abusos eram reprímidos pelos juizes de

fóra, pelos corregedores e pelos membros de alçadas, quand o temporária e transitoriamente vinham em serviço oficial a este arquipélago.

Os Juizes de Fóra, estranhos às localidades em que desempenhavam as suas funções, haviam sido criados para suprir as deficiencias daqueles funckanarios locais c julgavam directamente todas as a c ~ õ e s crimes, e os corregedores tinham por missão espei-ia1 einendxr e ca':tigar os erros e

abusos dos juizes ordinarios e iriterferiain tambein em julga-

XXII

A MADEIRAA LE(~ISLAÇAO N PORTUGUESA

mentos de causas importantes juntamcrite com os juizes de fha, dando-se por v u e s conflitos tle jurisdil;ão entre e s t a
duas categorias de magistrados. Em virtude das
c
i11

unstan-

cias particulares do rneirr, gei alinente vinham investidos de faculdades extraoidinárias, torriando-se a .Sua acqao rnais latitudinária e exterisiva a todos os casos cfc: direitu comurti. Em um interessante estudo àcêrca desta inateria lêmi,s &queos
COF

regedor es, em algum tempo, eram os verdadeiros representantes do rei. Deviam apurar como era admiriistrada a justiça

e apurar como corriam certos serviç;as administrativos e corrigir os abusos e injustiças e convidar todos os que quizessem a apresentar as reclamaç6es.

. .especialmente contra os abusos

dos poderosos e detentores de cargos públicos~. vagas Há noticias de que na Madeira se fez sentir a justa e beriéfica interferência dos juizes de fóra e dos ,corregedores, a que os
povos recorriam com certa frequência, quando perseguidos e

vexados pelas prepotências das autoridades locais. Sómente pc~rmeados do terceiro quartel d o seculo

XVIII é que a administração da justiça teve entre n6s urna
organisação regular e proveitosa com a nomeação d e carac-

ter difinitivo c permanente daquêles dois magistrados, sendo

no entretanto certo que anteriormente a êsse tempo não foram poucos ns juizes e corregedores que aqui exerceram funções judiciais a ci>rneçarnos fins dci século XV. Os primeiro; que ocuparam o cargo de corregedor forani os licenceados Denis Anes de Aragão em 1466 e o licenceado Rui Pires no ano de
1512. Mais ou menos seguidamente e até o atio de 1767 ser-

viram como juiz-s de fóra tririta e tantos magistradoç,segundo uma relação pub!íc.iida no Elucidario M a d e i m e e extraída de documentos existentes no Arquivo da Câmara Municipal d o Funchal, acontecendo com frequencia que um s6 ftincionario exercia cumulativamente os dois cargos,

0 alvará régio de

2 de Agosto de 1766 remodalou o s

serviços judícíários nas ilhas dos Açores, estabelecendo ali a estada permanente de juizes de fóra e d e corregedores e no ano seguinte tornou-se essa medida extensiva ao nosso arquipélago com a nomeação do dr. Francisco de Matos CoC reia para o cargo de corregedor e do dr. Tavares de Abreu para o lugar de juiz de fóra, começando a desempenhar as suas funções no dia 15 de Outubro de 1767, em que sempre revelaram a maior icençãc-, e comprc>vada proficibncia. Desde essa época até o ano de 1834, em que foi ex-

tinto o lugar de juiz de fóra, exerceram ~ucessivarnenteentre n ó s êsse irnpo, tante cargo 0 s drs. Fratícisci) Aivares de Andradc (1770), Berriardc. José de Oliveira Perdigão (1779), Ant6nio Rodrigues Veloso de Oliveira (1784). J ~ ) s é Maria Cardoso Soeiro (1790). AntSnio Filipe Ferreira Cabra1 (17981,
]os6 Julio Henriques Crordilho (1802). Manuel Caetano de

Almeida Albuquerque (1808), José-JoaquimNabuco de Ataujo (1812), Luis Ribeiro de Sousa Saraiva (1819), Joaquim de Assis Saldanha (18211, Antóiiio Joaquim de Carvalho (1823),

Manuel Ferreira Seabra da Mota (1826), e Manuel Cirilo Esperança ,Freire (1828), Desde o ano de 1767 eram o s juizes de f6ra que presidiam à câmara ou senado do Funchal, como anteriormente era esse lugar desempenhado pelos antigos juizes ordinários.

D- Julgados judiciais
A administraçiio judicial, que desde o ano de 1767 até
O

ano de 1835 se manteve inalteravelmente nêste arquipéla-

go exercido pelos juizes de fóra e pelos corregedores, tor-

nou bastante regular e pruficuo êsse importante serviço pú.

blico comparado com o das épocas anteriores, mas deixava ainda bastante a desejar, em virtude da deficiência das disposições legais que regulavam êste assunto e tambern por alguns conflitos de jurisdição suscitados entre aquélas duas categorias de magistrados, como já acima ficou dito. Veiu melhorar consideravelmente essa situação a reforma judíciaria de
16 de Maio de 1832, criando dois julgados judiciais com ju-

risdição em toda a ilha e ambos com séde no Funchal, sendo então suprimidos os lugares de juiz de fóra e de corregedor. Essa reforma, por motivos que ignoramos, sómente começou a vigorar entre n6s no ano de 1835, continuando o dr. Manuel Grilo de Esperança Freire e o dr. Francisco Antiínio Rodrigues Nogueira, ultimos magistrados que exerceram aquêles dois cargos, à testa da administração da justiça até o mês de juriho de 1834, sendo interinamente substituidos pelos bachareis Daniel de Ortielas e Vasconcelos e João

José Vitorino Duarte da Silva, que exerciam a advocacia n
auditórios d o Funchal. Foi a 18 de Outubro de 1835 que terminou o antigo regimen de administracão de justiça e entrou em vigor a reforma de 16 de Maio de 1832, sendo nêsse dia instalados

os dois julgados judiciais, que tiveram como prímeiros e únicos juizes os drs. Domingos Olavo Correia de Azevedo e

José Pereira Leite Pita Ortigueira Negrâo.
A lei de 16 de Maio de 1832, ao sêr posta em execu-

ção na Madeira, sofreu posteriormente algumas modificações

com a Carta de lei dê 28 de Fevereiro, Portaria de 25 de Maio e Decreto de 7 de Agosto, todos do ano de 1835

E- As Comarcas
Os julgados judiciais não tiveram uma larga duração,
ao menos com a designação júridica que Ihes tinha sido dada, e passaram a sêr chamados ccomarcass, não se diferençando estas essencialmente, na sua organisaçào e no seu funcionamento, dos daquêles tribunais. A Carta de Lei de 10 de Abril de 1838 e o Decreto de 7 de Junho do mesmo ano fixaram a divisão judicial da Madeira e estabeleceram novas disposiç6es icêrca de certos serviços de justiça. Ficou entiio a administraçáo judicial dêste arquipelago exercida por meio de duas comarcas, com atribuições inteiramenfe independentes uma da outra e ambas com sua sede

na cidade do Funchal, achando-se à frente de cada uma deias um juiz de camarca, que tinha adjunto um' magistrado então denominado procurador régio ou representante do mínistério pdoiico, além dos empregados que computiham os chamados acar tórios* ou repartições do expediente dos assuntos que lhe estavam anexos. Tornaram-se conhecidas pelos nomes de acomarca ocidental* e acomarca oriental. e tiveram sua instalação no dia 7 de Maio de 1838, perdurando iníntemrptamente o seu funcionamento attf o ano de 1875,
em que foi alterada a divisão judicial com a criação de qua-

tro comarcas em todo o arquipélago. A comarca ocidental compreendia a freguesia de São Pedro e as outras que lhe ficavam situadas a oeste, abrangendo na sua área as freguesias dos concelhos de Camara de Lobos, Ponta do Sol, CaIheta, Porto do Moniz e São Vicente, e a comarca oriental contava no seu ambito a freguesia da Sé e todas as que formavam os concelhos de Santa Cruz, Machico, Santana e Porto Santo. A-pesar-das duas comarcas ocidental e oriental terem os juizes privativos que as leis lhes estabeleciam, é no entretanto certo que em muitas ocasi6es e por espaço de tem-

po relativamente longo, um s magistrado exercia eumillati6

vamente os dois cargos, havendo nrticia de qttc desempenharam essas funções os drs, Domingos Olãvo Correia de

Azevedo (1835),

Joçé

Pereira Leite Pita Ortigueira Negrão

(18351, Francisco f eronimo Coelho de Sousa ( 1 838), Francis-

co Leite Pereira da Costa Bernardeç 11846), D.Jugo Correia Portugal da Silveira (1 847), José Afonso Bole1ho (1 8491, Ant6nio Magalhães Mexia Baião de Lança Salema t1852),
jus6 Pereira Sanches de Castro f1855), Augustr! das Neves

Sousa Pimenta (1861), Caetano José Gomes Monteiro 18621,
António Bernardo de Amorim Guerra Quaresma (1863), Francisco José Monteiro Tavares (18661, Cassiano Sepulveda (1869) e Francisco Ant6nio da Silva Seide.
A criaçgo das quatro comarcas, em substituição das

duas existentes, foi geralmente bem recebida pelos povos, em áten@o à grsnde dificuldade de comunicaç6es que então F e
dava entre as diversas localidades e
á

capital do distrito, cs-

pecls1mente motivada pela notável falta de estradas e pelo
invérosimel acidentado dos terrenos. Durante muitos anos,
9

projecto da criação dessas comarcas era sempre agitado co-

m o bandeira de propaganda eleitoral, prometendo os diver-

sas cat:didatos a .pais da pátria*, com os mais inflamados
tropris, a imediata satisfaç2o dessa reconhecida necessidade.

Extintas as comarcas ociden taf e oriental, que tinham sua séde no Funchal e que abrangiam todas as freguesias
do arquipélago divididas em dois grandes grupos, como acima ficou referido, o decreto de 12 de Novembro de 1875 criou uma comarca de primeira classe corn séde na cidade e

tres comarcas de terceira classe com séde nas vilas da Ponta
do Sol, Santa Cruz e S.Vicente.

O importante setvico pública desempenhado pelas conservatorias de registo predial teve sempre no nosso pais uma orgariisação bastante deficiente, e facilmente se presume que muito deixaria tambem a desejar a maneira como ele seria exercido neste arquipélago, sem existir uma repartiçiio especial encarregada de tr~onara sua direcção. Os decretos de
26 de Ouiubro de 1836 e 3 de Janeiro de 1937 estabelece-

ram nas antigas administrações dos corrcelhos um serviço de

registo de yredias e hipotecas, mas sómente o decreto de 13
de Fevereiro de 1867 é que tornou esse serviço regular e

XXX

A MADEIRA A LEOISLAÇÃO PORTUOUESA N -----

eficaz, sendo os administradores dos concelhos os funciunàrios que tinham o encargo de o desempenhar, Foram extintas pelo decreto de 17 dt-, Dezembro de 1869, que então criou uma conservatoria do registo predial privativa de cada comarca, embora essa medida não tivesse execução imediata em muitas comarcas, como aconteceu na Madeira e em outras terras de Portugal. No ano de 1870 estabeleceram-se no Funchal duas conservatorias de registo predial junto das sédes das duas comarcas ocidental e oriental, terminando o serviço dessa natureza que até então se fazia nas repartições da administração dos concelhos. A 30 de Setembro de 1880 instalou-se definitivamente a actual conservatoria, abrangendo na sua área o i concelhos do Funchal, Camara de Lobos, Ponta d o Sol, Santa Cruz, Machico, Porto Santo e Santana. No referido ano de
1880 foi criada a conservatoria do registo Judicial da Ponta da

Sol, compreendendo o concelho dêste nome e os da Calheta,
Porto do Moniz e S. Vicente. A conservatoria da comarca de Santa Cruz estabeleceu-se no ano de 1910 e ficou abrangendo o concelho de Santa Cruz e Machico, que foram desmembra-

dos da do Funchal. A de São Vicente, criada pela mesma

A ADMINISTRAÇAO JUSTIÇA A MADEIRA DA N

XXXI

época, formou-se com os concelhos d o Porto do Moniz, Santana e S. Vicente, desanexados das conservatorias da Punta do Sol e da Funchal. Como em outro lugar deixámos dito, a serviço do notariado ou d o tabelionato neste arquipélago deveria certamente ter seguida as fases do do continente do reino, à parte quaisquer modificações que as circunstancias locais aconselhassem. Não deixa nu entretanto de ser interessante notar nêste logar que no Funchat havia em 1579 nada menos de 21 tabeliães do judicial, 8 de notas e 6 inquiridores, o que era verdadeiramente extraordinário para uma população que, em toda a ilha, orçava então por vinte e cinco mil habitantes. Ouçamos Frutuoso: *E, porque no Funchal, cidade que seus av6s (do 5.0 capitão-donatário) fundaram, havia vinte e hum tabeliães do judicial e outro das notas e seis enqueridores, houve El. Rey D.Henrique por bem, no ano de 1579, por certos respeitos que a isso o moveram e por mais serviço de Deos, reduzilos em dez escrivães do judicial, e quatro notarios e tres enqueredores que agora
servem (em 1590).

..

Convém advertir que nas sedes das outras capitanias
e nas vilas já então criadas, de Machico, Santa Cruz, Pon-

ta do Sol, Calheta e Porto Santo, tarnbem existiam oficiais
de justiça com iguais atribuições aos do Funchal. Na jurisdiçgo do Funchal, reduziu o cardeal D. Henrique de 35 a

17 o numero de escrivães! Não pareqa extremamente exa-

gerado êste número de tabeliães, pois que o ilustre escritor
Ciama Barros na sua monumental HistovLa da Administra-

çifo Pllblica em Porfu.pal nos informa que no reinado de D. J d o I havia setenta tabelizes na eid:~de de Lisboa e d 6 ze na então pequena vila de Guimarães!

Não temos noticia especiaI Acerca da matieira como
nesta ilha se desempenhava esse importatite ramo
de
serviço público nos séculos XVII e XVIII, si-ibetido-se, po-

rém, que n o século XIX era Ole exercido pelos escrivães d o
judicial, tanto na &oca dos juizes de fóra e dos 'correge-

dores como posteriormente na vigenria dos julgados e d a s
comarcas, existindo outros funcionarios estranhos ao quadro dos escrivães e cam iguais atribuições. que tambem e s tavam encarregados de desempenhar esse serviço

e em

geral eram êstes que tinham uma mais larga e rica clientela.

A

-- -

A ADMINISTRAÇKO -- --- NA MADEIRAXXXIII DA IUSTIÇA ----L
- - - - A

Actualmente existem quatro notãrios na cidade do Furichal e um em cada séde dos dez restantes concelhos do distrito.

O decreto de 29 de Setembro de 1923 criort as conservatórias de registo comercial nas comarcas de Lisboa, Braga e Funchal, ficando a seu cargo o serviço que era de-

semperlhado pelos secretários dos Tribunais cio ComCrcict e com as atribuições que no mesmo decreto se estabelece.

O grande movimento comercial do Funchal justificava essa
criação, que obedeceu à satisfaçác, duma urgente necessidade.

Comarca do Funchal--Esta somarca, na tiova divisáo
judicíal, instalou-se no di.3 16 dei Novembro de 1876, tendo nove julgados, assim distribuidos: o de São Pedro compreendendo as freguesias de São Pedro e São Roque, o da Sé

com as freguesias da Sé, Santa Luzia e Monte, o de Santa
Maria Maior com as freguesias de Santa Maria Maior e São Oançalo, o do Campanario com as freguesias do i-ampana-

rio e Quinta Grande e os de São Martinho, Santo António,

Camara de Lobos, Estreito de Carnara de Loboç e Porto Santo. Assumiram a direcção desta comarca, no dia da sua instalação, o dr. Francisco Aoitóniu da Silva Seíde, que foi O último juiz da Comarca oriental, Posteriormente tecm estado
à frente dos negccios de justiça da comarca d o Funchal os

seguintes magistrados: Manuel f'elestino Emidio (1878), Tertuliano Ciríaco Alves de Araujo (1881), Manuel José da

Fonseca (1887), Joaquim Simões Cantante (1893), Fernando
Augusto Crisóstomo de Gouveia (18Q9), Manuel de Barros
Nobre (18991, Manuel Rufino da Graça (1905), Manuel Borges de Sousa Teles (191 11, Domingos José Vieira Ribtiro

(1918 , Francisco Nunes da costa Torres (19191, Arnaldo 1 Pinto Branco i1922), Albino António de Almeida Matos
(1923), Felix ]os6 da Costa Soto$iaior (1924) e Joaquim Cri-

sóstamo da Silveira Junior (1925).

O Decreto de 22 de Junho de 1927, que extinguiu a comarca de São Vicente, alterou a divisão dos julgados o u juizes de paz da comarca do Funchál, que então ficaram compostos pelas freguesias do Arco de São Jorge, Carnara
de Lobos, Campanario, Curral das Freiras, Estreito tle Ca-

mara de Lobos, Faial, Santa Luzia, Santa Maria Maicw, Sio Pedro, Sáo Roque, Monte, Porto Santo, Quinta Grande, Saxltana, Santo António, Sãr: Jorge, São Marlinho e S%I Grrnçaio constituindo um julgado cada uma destas freguêsiss. O extraordiniirio movimento desta comarca detertr~innu a criação de mais um juizo, passando a haver
( I

.Juizo

Civel e Comercial, e o e Juizo Criminal#. com um juiz à frente
de cada um dos dois tribunais, o que tudo f o i r.egufado peli) Decreto de 22 de Junho de 1927 e prestando-se deste modo um assinalado serviço ao regular e profícuo exercicio da
justiça. O Decreto de 29 de Junho de 1933 remodeiou as

disposições do decreto anterior, estabelecendo duas v a r a s *
de competencia mixta com a denominação de &Juizode Di-

reito da Primeira Vara da Comarca do Furrchal e de Juizo

de Direito da Segunda Vara., Por esse decreto foi criada a
Secretaria Judicíal, sendo cada Vara constituida por treo secções e cada secção por um chefe e um oficial, e havendo ainda uma secção central comum às duas Varas com dois chefes, que teern a denominação de chefes de secretaria,

sendo um adjunto. Desde aicriação dum novo Juizo, no atlo de 1927, teem

servido de juizes nesta comarca os drs, Joaquim Criuóstr~rno
da Silveira Junior (19251,'Albano de Gusmão Tavares do

Canto Taveira (19291, Pedro de Melo Coutinho de Albuquerque (19291, Luiz Afonso Vieira de Lemos (1932), Augusto Simões Cantante (1 835),António de Magalhães Barros

Araujo Queiroz, visconde de Cortegaça (l935), Tomar Antbnio Bandeira da Gama Pessanha Faria Coutinho Vilhegas do
Casal (1938), José Ferreira Machado (1939) e José Pinto Ma-

galhães (19401.

Cmarca ata Ponta do Sol-A

antiga vila da Ponta do

Sol foi criteriosarnente escolhida para servir de séde da nova comarca, que abrangeria na sua área o importante conce-

lho do mesmo nome e o vasto e populoso concelho da Ca-

Iheta, alargando por qaatorze paróquias a acção da sua jurisdição judicial, Foi o Decreto de 12 de Novembro de 1875 que estabeleceu esta cornarca e iniciou-se o seu reguIar funciooa-

mento a 28 de Abrii de 1876, tendo como primeiros magistrados o juiz de direito Martinho Rocha Guimarães Camões

e representante do ministbio público o dr. António Augus-

A ADMINSTRAGAO - - -- NA LIA JUSTII;A -

---

MADEIRA - -XXXVII -- - ---

to Freire Ribeiro de Campos, que

naquêle dia procederam à

sua definitiva instalação.

Foi primitivamente dividida nas julgados ou juizos dc
paz compostut das freguesias da Ponta do Sol, Canhas, Ma-

dalena do Mar, Arco da Calheta, Calheta, Estreito da Calheta e Jardim do Mar, Fajá daovelha e Prazeres, Paul do Mar, Ponta do Pargo, Ribeira Brava e Tabua, e da Serra de Agua. Com a extingão da comarca de São Vicente foram os julgados do Porto do Moniz, Ribeira da Janela e Achadas da

Cruz, do Seixal, da Ponta Delgada c da Boaventura anexados à comarca da Ponta do Sol.

O movimento judicial sempre crescente désta comarca determinou a sua elevaçgo à categoria de comarca de segunda classe, em epoca pouco posterior ao ano de 1919.

Comarca dc Santa Cruz-Foi tambern criada pelo Decreto de 12 de Novembro de 1875. Com grandes manifestações de regosijo, realizou-se a sua instalaçlio a 17 do mês
de Junho do ano seguinte, tendo como séde a vila do mes-

mo nome. Para perpetuar a memoria desse facto, deu a respectiva Câmara Municipal a uma das mais concorridas arté-

rias daquela povsaqão o norne de *Rua 17 de Junho de

1876..

Fizeram a instalação desta comarca como seus primeiros magistrados o dr. Matiuel Inacio Brun do Canto nas funções de juiz de direito e o dr. Bernardrl Vieira Pinto de Andradc no cargo de represetitante do ministeriit público. Compunha-se primitivamente dos julgados de Santa Cruz, Ciaula e parte das freguesias de Santo Antbnio da Serra e Agua de Pena, d o Caniço e Camacha, do de Machicho, Caniçal e parte das fraguesias do Santo da Serra e Agua de Pena e do de Porto da Cruz. Compreende actualmente os juizos de paz de Satita Cruz, Oaula, Caniço, Camacha, Machico, Porto da Cruz e São Roque do Faiai, pertencendo a freguesia do Caniçal e uma parte das freguesias do Santo da Serra e de Agua de Pena ao julgado de Machico e a outra parte das mesmas freguesias ao juizo de paz de Santa Cruz.
A secretaria judicial foi criada pelo Decreto de 1 de

Abril de 1928 e nêsse mesmo mês e ano principiou o seu regular funcionamento. Por despacho ministerial de 16 de Junho de 1910 es-

tabeleceu se a conservatoria do registo predial, que ficou instalada a 1 de Setembro do mesmo ano.

Comarca de S8o V&ate-O

já citado Decreto de 12

de Novembro de 1875 miau igualmente na costa setentrio. na1 desta ilha urna comarca de terceira classe, realisando-se a sua instalação e iniciando-se o seu funcionamento no dia
16 de Novembro de 1876, sob a direcção do juiz de direito

dr. João Pereira dos Ramos e do representante do rninisterio público dr. Anibal Correia Taborda, seus p-imeiros magistrados.! Abrangia na sua 5rea os c:oncelhos de São Vicente, Porto do Moniz e Santana, dividindo-se nos julgados de

SQe Vicente, do Porto do Moniz, Ribeira da Janela e Seixal,
de Ponta Delgada e Boaventura, de São Jorge e Arco de

São Jorge e do de Santana, Faial e São Roque do Faial.
Esta comarca foi suprimida pelo Decreto de 9 de Julho de 1927 e com séde cla mesma vila de São Vicente criou-

se o Julgado Municipal dêste nome, que compreende as freguesias de São Vicente, Ponta Delgada e Boa Ventura.
A conservatoria do registo predial, qtre foi instalada no

dia 24 de Novembro de 1909, tem continuado o seu regular funcionamento, a-pesar-da comarca haver sido extinta ha treze anos.

P -Outros Tribunais e Repartições de Justip
Pto vedoria dos Residzios e Capelas-Era
a mais anti-

ga rzpartiçgo judicial criada neste arquipélago, pois que a sua existencia remonta ao dltimo quartel do século XV, tendo primitivamente o nome de Juizo dos Residuos e Prove. dor de Capelas, Hospicios, Albergarias, Oafarias e Orfãos da Ilha da Madeira. De modo especial se destinava à fiscaiisa-

çBo do cumprimento dos inúmeros legados pios, obras de
beneficencia c outros encargos que oneravam as propriedades. Sabendo se que cêrca de dois terços dos predios rús-

ticos e urbanos estavam nesta ilha sobrecarregados com êsses encargos, é facil de conjecturar a importancia que em ou-

tro tempo teria êste tribunal, onde tambem se procedia ao registo das mesmas propriedades, afim de assegurar a vigencia e a perpetuidade dos diversos legados. Quem quiser

ter c~nhecimentomais pormenorisado acêrca desta repartição judicial e da sua acção nêste arquipélago consulte o

Elucidáriu Madeiiense 11-32 e seg., Arquivo da Marinha e

Ultramar 11-33 e o Arquivo f/istúríko da Madeira 111-47.
Juizo dos 0rfdos-E tambem bastante antiga a criação

d o lugar de Juiz dos Orfãos, pois que já em 1579 funcionava no Funchal uma repartição de justiça encarregada dêste
serviço, tendo c, cardeal D. Henrique nomeado para ela dois

escrivães no ano que fica referido. Em 1599 foi provido
nesse cargo Fernão Perada, que estendia então a sua jurisdi-

ção a todo o arquipélago. Posteriormente criaram-se idênticos lugares em algumas das localidades mais importantes co-

mo Machico, Ponta do Sol, Calheta e São Vicente, sucedendo por vezes que um s6 funcionário desempenhava cumu-

lativamente dois dêsses cargos. Na primeira metade do século XVIII o dr. Manuel Carvalho de Valdevesso exerceu si-

multaneamente por largos anos os dois lugares de juiz no Funchal e na Ponta do Sol e o mesmo aconteceu com o seu sucessor o dr. Ant6nio Dionisio da Silva Conde.
No ano de 1835 passaram para o s juizes de paz as

atribuiçóes dos juizes dos orfgos, tendo sido no Funchal nomeada uma comissão para inventariar os respectivos cartorios, que foram entregue guarda do juiz de f6ra. Com a
criaçáo das romarcas ocidental e oriental do Funchal, todos

os trabalhos inerentes a êsse importante ramo de serviço público ficaram sob a direcção dos representantes do ministério públíco. Iuiz do Povo -A Casa dos Vinte e Quatro, constituida por representantes dos mesteres ou oficios mecânicos, destinava-se a defender os interesses destas classes populares,

e para isso elegiam o Juiz do Povo, que tinha assento no senado municipal e que no seio desta corporação, em alguns tribunais e em diversas repartições públicas, advogava zelosamente êsses interesses, sustentando por vezes lutas acirradas em favor das classes de que eram Iegitimos mandatarios.
É certo que o Juiz do Povo nHo tinha atribuições para julgar

e impor castigo aos delinqiientes, mas a sua acção era geralmente bem aceita e de resultados eficazes, tanto nos assun-

tos de caracter municipal como ainda junto das outras entidades oficiais em que ela tinha necessidade de intervir.

Desconhecemos a época em que foi estabelecida no Funchal a Casa dos Vinte e Quatro e quando se procedeu i eleiçao do primeiro Juiz do Povo, mas sabemos que já tinha existencia legal por meados do século XVIII, setidu essa corporasào extitjta com o advento do constitucionalisrno pelo decreto de 7 de Maio de 1834.
E interessante saber-se que em 21 de Janeiro de 1812

foi dirigida ao juiz, vereadores e mais oficiais da Câmara da cidade do Funchal uma carta rggia, ordenando .que emquan-

to se não procede i construção de um novo edificio que tenha
as necessarias acomodações, a Câmara facilite à corporação da mesa dos Vinte e Quatro o uso da sala das vereações*. Aldm dos Juizes do Povo existiam na Madeira os chamados juizes dos oficios mecânicos, sendo eleito um para cada classe de oficio, mas não se conhece bem a funcção que exerciam nem a época em que foram criados. No Campo da Barca e entestando com o Larguinho de
São Jogo, encontra-se um pequeno beco chamado Miguel

de Carvalho, que recorda o nome dum antigo c prestigioso Juiz do Povo, que exerceu êsse cargo no primeiro quartel do

século XIX.

XLW

A MADEIRA A LEOISLACAOPORTUOUESA N

luizes Pedaneos -- Havia-os na Madeira, informa-lios o
Eluciddrio Madeirense (11-25),e tambem se chamavam juizes
de vintena e <exerciam funções nas aldeias afastadas cerca

de uma legua ou mais da séde do termo, e julgavam casos
de coimas, danos e a c ~ õ e s sobre bens moveis de pequeno

valor,. A comarca dividiamse em vintenas ou sejam grupos de vinte fogos, Nos tempos primitivos da coIonizaçãcb havia juizes pedâneos na Ribeira Brava, Câmara de Lobos r Caniço, anteriormente à criação dos municipios a que êsses lugares vieram a pertencer. Tribunais de Trabalho-Os antigos Tribunais de Ar-

bitro~ Avindouros foram substituidos pelos Tribunais de Desastres no Trabalho, sendo criado no Funchal um dêstes tribunais pelo Decreto de 12 de Maio de 1930, que funcionava com um presidente, tres representantes das classes patronais, tres das classes operárias, um da classe medica e um das Companhias de Seguros. Esses tribunais foram extintos pelo Decreto de 23 de Setembro de 1933, que criori os actuais Tribunais de Trabalho, ficando o do Funchal constituido por um juil; um agen-

-

A ADMINISTRAI;ÃO JUSTIÇA N A MADEIRA DA
- -- - --.

XLV

te do Minist6rio Público ( o Delegado do I. N. T. P.), um escrivão e um oficial de diiigências. Pelo disposto no Decreto de 9 de Janeiro de 1935, abrange na sua área os quatro

distritos insulares, tendo a sua séde na capital do distrito administrativo do Funchal.

PAGINA tMBRANC0

Alguns madeirenses cultores das sciências jurídicas
R-No

Magisterio Uníversitário

Daremos em seguida umas sucintas e fugidias notas àcêrca de alguns distintos%nadeirenses, que no professorado universitário, no exercicio do foro e em diversos escritos publicados pela imprensa cultivaram diferentes ramos das sciencias júridicas, deixando arquivados nestas ligeiras piginas varios elementos dispersos de caracter histórico, que possam, porventura, aproveitara um futuro e mais completo estudo sobre esta interessante materia. Antónw da Gama Pereira -Começando pelo ensino

superior em universidades estrangeiras, mencionaremos em primeiro lugar e pela ordem cronólogica o dr. AnMnio da

Oama Pereira, que na sua época gosou a nomeada dum abalisado jurisconsulto. Segundo nos refere um antigo nobilíario, nasceu na freguesia da Calheta pelos anos de 1520 e era filho do dr. Lourenço Vaz Pereira e de I. Brattca Ho) mem de Ciouveia. Cursou a universidade de Coimbra e nela tomou o grau de bacharel em 1543, sendo o mais destint~ discipulo do celebre professor G o n ~ a l o Pinto e dizendo Vaz

Barbesa Machado na 4Bibliotheca Lusitana, que anão invejan d o os seus eondiscipulos, era de todos invejado,. Querendo alargar a esfera dos seus conhecimentos, frequentou a universidade de Bolonha, que era então d a s mais afamadas da Europa, e ali tomou os graus académicos

e exerceu o magisterio superior com grande brilho e aplauso de todos. Convidado pelo rei de Portugal D. João 3.", veiu fazer parte d o corpo docente da nossa universidade e desempenhou depois os mais altos cargos da magistratura judicial, tendo sido desembargador da Casa da Suplicação, chanceler e desembargador do Paço. Deixou varias obras escritas na lingua latina, que vêm mencionadas na *Bibliotheca Lusitana., tendo uma delas, intitulada @De Juribus, quibus lusitanum imperium in Africa,

MADEIRENSES CULTORES DA JURISRUDENCEA - - - -. -

XLIX

inctia as Ouinea. Decisiones suprimi %:*nati regni Leisitaniacr sido sucessivnmente public;+da em I-isboq Francfrtrt, Cremo-

na, Veneza e Antuerpia e fazendo-se nesta cidade seis e&çZTes, a ultirrra em 1735, passados senta e quarenta anos

após a morte do seu autor.

Faleceu a 30 de Marco cie 1595, Bekhior de T i e --Entre as mais antigas ev
nobres fa-

P

milias, que no século XVI floresceram na Madeira, destacase s familía Teive pels numaro avuitardo &); seus membros,
que nas letra.;, no prítfesscrradrr, na magidz&t~ira nas a r . e

mas notavelmente se distinguiram, dandtt grande lustre à

terra que Ihes serviu de berco, comn mais largmente se pn-

de v& oo Elucidario Mcdcit-eus~;11-508 e ss.l e ainda ein
w i o s l i w ~ ade lirrbgeas madeirenses, Entre ê l ~ s subresai'

B e k k de Teive, nascido por meados $0 século XVI, qw
dew's de ter cursada com o maio^ brilho a universidade de Salamanca e recebida ali a s insígnias doutorais, foi admitido

ao E-tssrroero dos seus professores, regendo com notavel proficisncia a cadeira de direito civil. D i q o Barbosa Machado
&~r natar

que Belchicir de Teive tiaha vinte e seis anos de

idade quando ascendeu an professrtrado universitário, o que

era bastante de estranhar nessa época e especialmente para

um- estrangeircr. Tambem foi tente na nossa universidade de
Coimbra e exerceu cs mais altos cargos na magistratura
judicial, havendGse tambem distinguido na carreira das ar-

mas, que seguiu durante bastantes anos.
Deixou algumas obras inçditas, versando varios ra-

mos das scienriás jiliridicas, e alguns estudos genealógicos.

Fm~cism Justit'ao Oortgdves de Andrade -Este distinto
madeirense 6 1831-1 902) era considerado no seu tempo o
mais abalisado civilista brasileiro e o seu parecer nas materias que professava tinha a indiscutida autoridade dum mes-

tre ciinsumado. N5o deixou como muito seria para desejar

uma larga e valiosa obra, pais que a sua actividade mental
quasi se circunscrevera à regencia da sua cadeira universitá-

ria e a responder áç; inúmeras consultas que lhe dirigiam
de todos os pontos do Brasil e ainda de alguns países estrangcirr~s. Constituiarn eqcritos avulsos subordinados ás circunstancias imperiosas d o momento em que foram redigi-

dos, mas sempre reveladores de uma alta inteligencia, duma

vasta cultura e dum aprofundado conhecimento do assunto, Depois de haver frequentado o hceu do Funcbal, se.
guiu para o Brasil chamado por seu t r ~ tambern distintc. e

madeirense D. Manuel Joaquim Gonçalves de Andrade, Bis
po de São Paulo, e ilessa cidade curiou a façuidade de direi- .

to, dando a s melhores provas d u m exriepeional talentr) e cia maior aplicação ao estudo e ao trabalho, que foram as cara cterísticas de toda a
suei

longa existencia.

De trato social pouco afavrl, severo no exercicio dc
magistério e inflexicel no cumprimento da disciplina escolarl era no entretanto um homem da mais acolhedora bondade, animado dum grande espirito de justiça e impondo-se a to* dos por uma nunca desmentida austeridade de caracter. Embora niío se tivesse envolvido activamente na políti* ca partidária do país que adoptara como seu, conservara arreigadamente as suas predilecções pela causa monárquica

era amigo pessoal do imperador D. Pedro I1 havendo por
tal motivo sido forçado a abandonar a regencia da sua cadeira na universidade de São Paulo, quando se implantou

o sistema do governo républicano nas terras brasileiras.
Afastado do exercicio de quaisquer funções publicas,

recdheu-se inteiramente ao silencio e ao estudo, vindo a
falecer na cidade de São Paulo a 25 de Junho de 1902 na
idade ~rovectados oitenta e um anos.

Cónego leão jacinto Gonqalves de Andmde -Bem como seu irmiio o dr. Francisco Justino Oon~âlvesde Andrade, de
quem nos acabamos de ocupar, nasceu o cónego At~drade na

freguesia do Campanario no ano de 1825Fe sendo já presbitearo embarcou para o Brasil e durante algum tempo exerceu

fueções eclesiásticas na dincese de São Paulo, onde conquis-fou grande prestígio e geraisIsirnpatias pda sua irrepreensivel conduta e notavds dotes de inteligencia, Homcm de traba-

lha e de amor ao estudo c estimulado pelo exemplo e pelo

csnselhc~de seu dedicado irmão, jti cntao distinto professor
da faculdade de direito, fez com a maior brilho o curso de

scientias júridicas e nele se =douto:w, s m d o em brwe pro*ido na cadeira de direito natural e depois na de direito

ecIesi6stic0, em que sempre r e & t ~ ua vastidClo-do seu saber
aliada a uma fbrrna aptimorada de diqiio, tcirnattdo extremametite atraentes e apreciuddas as suas eruditas prelecç6es.
Deixou disperses e41 vatias revistas e públieações periódicas

alguns dos seus escritos, que tencionava dar à estampa, mas que n3io chegaram a ver a luz da publicidade. Faleceu na cidade de S h Paulo a 16 de Janeiro de
1898.

Nicolau Francisco Xavter dd Silva -Temos

conheci-

mento de que alguns madeirenses exerceram o professorado na faculdade de direito da universidade de Coimbra, sen-

do o mais antigo o dr. Nicolau Francico Xavier da Silva, que nasceu na freguesia de Santa Maria Maior do Funchal nos últimos anos do seculo XVIII e era filha de José da Silva Pimenta e de D. jwefa Maria da Silva Pereira. Depois dum curso brilhante e em que obeteve altas

distin~f doutorou-se em direito c foi opositor a algumas das es,
cadeiras dessa faculdade *admirando os mestres e invejando

os discipulosw, segundo nos diz o erudito autor da Bibliok a Lusitana. Não se demorou largo tempo no exercicio
do magisterio e foi estabelecer-se em Lisboa, afim-de csnsa-

p r r s e mais livremente à carreira do foro e ao cultivo das
suas predilecçZíes literarias, mas uma cruel e demorada ea3fermidade não lhe permitiu entregar-se a aturados trabalhos

LIV

.A ADMINISTRAÇX(I ~USTI<;A MADEIRA DA NA
*

--

-

v

--

-

-

-

e manifestar toda a prijança da seu incontestàvel talento.
No entanto dedicou-se a diversos estudos de jurispru-

dencia e cultiv~itcom brilho a poesia e especialmente a poesia latina, tendo publicado um volume de versos e um discurso pronunciado na Real Academia de Histeria, de que era membro efectivo. Foi por esta sociedade scientifica encarregado d e escrever a historia das Inquirições, que n2io ciieqou a concluir e ficou inédita. Era considerado como um dos homens mais eruditos d o seu tempo e deixou uma selecta li-

qraria, que serviu de núcleo & formaçãio da importante biblio-

teca do Palacio da Ajuda.
Faleceu em Lisboa a 17 de Agosto de 1754.

José Manuel da Veiga-Nasceu

no Funchal a 15 de

OU^ ~ b m 1794 e era filho de João Paulo da Veiga e de de

Jacinta Rosa Leça da Veiga. Matriculou-se na faculdade de direito da universidade de Coimbra e obteve o primeiro pr6mio em todos os anos d o curso, que foi dos mais brilhantes
do seu tempo, recebendo o grau de doutor no ano de 1826.

Nas suas conclusões magnas defendeu uma tese contra o celibato eclesiástico, que provocou uma grande celeuma em

todo o pais. Abandonou a carreira do rnagist6io universitário e abriu banca de advogado em Lisboa, alcançando logo
uma larga clientela e tornando-se um dos mair distintos cau-

sídicos da capital, sem contudo deixar o estudo teórico das sciencias júridicas, dando à luz valiosos trabalhos, que na época lhe grangearam uma grande nomeada, especialmente o Ptojetlto do

Codi'o Criminal publicado no ano de

1836,

Afóra algumas obras literarias, como a tragedia Medea

e os Elementos de fnsfruçdo Moral. . *, publicou a * Controversia entre os advogados dr. Ant6nio Marciano de Azevedo

.

e o dr. Jose Manuel da Veiga sobre a inteligencia da aOrdee
nação -

..s,

os

4

Apontamentos Júridicos sobre a celebre

questão da sucessão ab iatestato.. .* e ( 0 s aterros da BoaVista e o dominio dos confinantess, além de outros trabalhos. José Manuel da Veiga, que recebera ordens sacras e chegara a celebrar missa durante o seu curso universitário, atacou violentamente a lei eclesiiística do celibato e abandonou a carreira sacerdotal, tend:: o facto causado o maior es. candalo entre os católicos e sendo mandada inutilisar toda

a ediçáo desse livro, de que se fez uma nova impressão no

ano de 1866 num volume de 196-XXVI páginas. Parecia uma pungente ironia a dedicatória que se lia no frontespicio da primeira edição dessa obra, pois combatia com violencia e deslealdade uma lei da igreja católica c era dedicada ao bispo da Funchak D. Francisco José Rodrigues de Andrade

com os protestos da maior consideração pelas virtudes dêsse cxemplarissimo prelado.
O dr. Jus6 Manuel da Veiga morreu em L i s b a 26
de Setembro de 1859.
/ustino António de Freitas-Foi

um ilustre professor

da faculdade de direito na universidade de Coimbra o dr.

Justino António de Freitas, distinguindo-se especialmente pela reforma que introduzi0 no ensino dum ramo até então
pouco cultivado entre n69 das sciencias juridicas, que era o

direito administrativo, organizando em bases seguras e com
uma verdadeira orietntaçáo scientifica o estudo dessa disci

plina, que até essa época se professava na Universidade por

uma maneira muito antiquada e que muito dcixava a desejar. Para servir de texto na regencis desta cadeira. publicou um valioso trabalho intitulado htifaifões de Direito

Administrativo Po'ortrrguez, de que se fizeram duas ediqões

dentro de pc:ucos anos. Além da fua importante colaboracão
nas revistas da especialidade, cscreveu o Manual dos Juizes

Eleitos, que teve sete edições. e
duas vetes foi reeditadrl.

11

Manual do Rendeiro. qtie

Militou activamente na polític~e foi várias vezes depu* tido a s corte%, distiilguindo-si: não :.&mente pelo aprofunda-

do conhecimento dos assuntoq que versava, corno aitrda pe-

la redacção dos notaveis pareceres das comissõt?~ parlamentares de que frequentemente fazia parte.

Se quizcss~, varias vezes teria sobraçado uma pasta
de ministro, a que séfnpreprocurou subtrair-se com o pretex

to dcrs seus trabalho;; forenses e da cooperaqãct a prestar em
diversas ccmissões de servico príhl;ço.

Foi o tlr. Justino de Freitas um dos mais habeis advogados do seu tempo, sendo etn i:oirnbr;*, onde havia tantctr

distintos jurisconsultos que stbdedicavam
e

izrreira do fhrn.

considerado entiit romt 1 r3 rnais ilustre c ~ u . F ~ ~ / cuela (-idatq I )
dade, tendo rontinuadi~em Lisboa eqr-a\ honrosai tradicões.
quando exerceu a adv.-+c;eciana capital, ar; fixar alE irsidencia

para desempenhar o cargo de vogal do Conselho Sulirrit,r

de Instrução Pública e tomar uma parte mais activa nas lu-

tas póliticas e, de modo especial, nos trabalhoç parlamentares.
O dr. Justino de Freitas nasceu no Funchal a 13 de

Setembro de 1804 e faleceu em Lisboa a 28 de Novembro de 1865. Era pai do conhecido político e distinto estadista Augusto Barjona de Freitas.

BN exercicio do foro -o
Ernbora sejam pouco abundantes as noticias que pos-

suimos Acerca dos madeirenses que se tenham distinguido
nas espinhosas lides do foro, não queremos deixar de fazer riipida menção de vários trabalhos júridicos, que víram a luz da publicidade e que chegaram ao nosso conhecimento, contribuindo deste modo com alguns elementos dispersos para
um mais completo estudo sobre este assunto, que um dia

venha a elaborar-se e a que jb acima nos referimos. AICm daqueles que ficam mencionados, acumulando as prelecçaes nas ciitcdras universitirias com as questões activas dos tri.

MADEIRENSES CULTORES DA JURISPRUDENCIA - - - - ---

- -

LIX

bunais, tentaremos apresentar uma breve resenha dos que exclusivamente se aplicaram ao exercieicr da advocacia e doixaram, por meio da imprensa, a.;sinalados t ~ frutos dos seu:s trabalhos forenses.

Dr. Anibal Alrares da Silva

-

Ku segundo e terceiro

quartel do seculo passado, gosou de grande nomeada nos tribunais da capital o dr. Anibal Alvares da Silva, que tendo nascido no Funchat no ano de 1819 e fixado residencia na então vila de Setúbal, veiu finalmente a dedicar-se em Lisboa à vida d o faro e ali faleceu, em idade avançada, a 8 de Dezembro:de 1908.

J4 na sua pdtria adoptiva, que f6ra tambem a patria do
grande poeta Bocage, alcançara os fóros dum nntavel causidico, que posteriormente se confirmaram e estadearam em trabalhos de maior folego, tendo então uma das mais largas

e escolhidas clientelas, e sendo a sua autorisada opinião aca'
tada como a dum mestre consumado nos assuntos da sua especialidade. Publicou vários opúsculos reveladores do seu raro talento e da sua comprovada proficiencia, mas a parte
mais consideravel dos seus trabalhos ficou sepultada nas es-

quecidas estantes de v4rios arquivos judiciais.

Não seri% uma descabida rcdut~dâncialembrar neste lugar que, como presidente da cnmara rnunicipzi de Srtubal

prestou aquela vila e depois cidade os mais assinalados servicos, que várias vezes
t i

elegeram coma

seu representante

em côrtes, tendo sido dada o seu pretigioso nome a uma

das ruas daquela localidade.

Dr. Daniel de Ornetas de Vascomelos-O dr. Daniel
dtx Qrnelas de Vascoi~cr.los gosou de grande crédito nos trí-

bunais da Funchal, no segirndo quartel do sectllo XIX e

posteriormente em Lisboa, como distinto advogado e

no-

meadamente como um brilhante oradctr forense. Militando
activamente na politics, foi eleito senador por este arquipé-

lago e nomeado depois par da reino efectivo, fendo proferi-

do na camara alta no ano de 1849 um violenta discurso,
que se tornou

célebre e em que defendia a abolição das insMad 1508). Nasceu

tituições vinculares ainda existentes, o que Drovocou uma

grande celeuma na imprensa (Vid

no Funchal nos principius do século passado e morreu em
Lisboa em 1878, havendo sido poucos anos antes agraciado

--

MADEIRENSES CULTORES DA
-- - - --

JPJRISPRUDENCIA

LXI

-

-__1_______-

com o titulo de barlo de S2o Pedro, freguesia desta cidade.

Dr. Francisco Vieira da Silva Barradas-Foi um vetdadeiro precursor dos modernos serviços do notariado português o dr. Francisco Vieira da Silva Barradas, que como advogado e especialmente como tabelião de notas, conforme então se dizia, conquistou em Lisboa um nome distinto na segunda metade do século XIX. Depois dum largo tirócinio
t~o exercicio

do notariado, empreendeu em 1867 a publica-

ção duma revista da sua especialidade, de que o Die. Bibt.

Por6 (XVIII-270) t o dá a seguinte noticia: *Revista dos Tais
balises, contendo a legislação, artigos doutrinários, formulário e noticias concernentes ao exercicio da tabelionato redigida pelo bacharel Francisco da Silva Barradas~.Foi a primeira publicação desse genero que se fez em Portugal, sendo ao tempo considerada como um valioso rcpositorio, que
podia com toda a segurança

e proveito ser consultada pelos

que tivessem de ozumr-se dos serviços notariais. Sairam a lume alguns volumes e terminou a sua publicação no ano
de 1875.

Francisco da Silva Barradas nasceu no concelho de Ca-

LXII

A MADEIRANA LEQISLAÇAO PORTUOUESA - - ---

mara de Lobos e era bacharel formado pela universidade de Coimbra, tendo assentado banca de advogado em Lisboa e ali exerceu com larga clientela o lugar de advogado e de tabelião de notas, vindo, a falecer naquela cidade no ultimo

quartel do século passado.
Advogados #ProvisioMriosn-Quando a falta de bacha-

reis formados em direito ou outras imperiosas :ircsnstancias de ocasião permitiam que o exercicio da advo2ac:a fosse desempenhado por individuos desporvidos das necessarias has bilitaçóes legais, distinguiram-se nos tribunais do FunchaI

como advogados 'provisionarios~ ou ~provisionistas~, como geralmente se chamavam, alguns madeireases, que pelos seus
predicados de inteligência, apPcaç3o ?o trabalho e especiais aptidões puderam ornbrear com os respectivos profissionais, adquirindo justificados crdditos nas árduas lides do foro.
O mais antigo de que temos noticia foi S~?W&JDrumond & Menezes (1802-1867), que especialmente cc mo ad

ministrador e advogado da grande casa dos Condes de Carvalhal e ainda como secretario geral do governo deste arquipélago evidenciou brilhantemente os seus conhecimentos

jurídicos, de que dão irrefragavel testemunho os opúsculos que publicou e a laiga colaboração que teve nos volumes da .Época Administrativai e outro; escritos elaborados durmte a administração do benemerito e nunca esquecido governador civil Jose Silvestre Ribeirc,. Alcançou grande nomeada como advogado e desrmpenhou no nosso meio importantes comissões de serviço público, havendo sido 3 fundador, conto presidente da camara deste concelho, da nossa Biblioteca Municipal, onde deveria, com int~ira jusiiça, s g colocado o seu retrato,
Bernardo Francisco Lobato Machado-(1 802-1878)' For
um hábil advogado e deixou alguns escritos, que ao tempo

gosaram de merecida reputação, espezialmente um bem elaborado formulirio ácêrca de varias questões forenses. Tornou-se muito conhecido como jornalista pela violencia com que atacava os seus adversarios e pela linguagem injuriosa
de que geralmente usava, vendo-se obrigado a homisiar-se

para escapar Bs ameaças de provavcis represAlias. Ainda ha poucos anos se falava com frequência nos artigos de descomposta verrina, que Lobato Machado publicara no jornal

semanal A Vergasta, de que foi o redactor principal. Pedro Maria Oorzçal ves de Freitas -( 1835- 15), a gra19
ciado com o titido de visroride Oonçalves de Freitas, grnn-

de influente politico, deputado, par do reino electivo e director geral das alfanclegas, exerceu durante muitos anos e com larga clientela a advocacia nos tribunais desta ilha, em que esgeciatmente se salientou como um brilhante orador foren-

se. Foi advogado de algumas causas que ficaram célebres,
revelando sempre a pujança de um extraordinário talento e a etrgenhosa dialectica da sua argumentação de par com uma lingiiagem facil, imaginosa e cheia de calor e entusiasmo, que impressionava profundamente os auditorios.

Dr. Quirino Avelino de /esizs--Embota

n

dr. Quis

rino Avelino de Jesus não se houvesse dedicado aex-professos à pratica das questões forenses, deixou na entanto solidamente comprovada a sua aotavel aptidão e acentuada tendencia para e cultivo das sciencias júridicas nos escritos
que ficaram dispersas em alguns opúsculns e em diversas

publicações periódicas. Um estudo sobre as Levadas da Ma-

-

-

A MADEIRAA LEGISL N ACÃO FORTUGUESA
--

LXV

deira, várias representacoes dirigidas aos poderes do estado, os trabalhos públicados acerca da 130 debatida questáo Hinton e a larga colaboração no Economista Purtugutfs,constituem uma prova incontestavel dessa afirmativa. Mas sobretudo na assídua e valiosa colaboracão que teve na confecção
de muitos diplomas legislativos e na redacção de inúmeros

pareceres destinados aos relatorios de diversas comissões parlamentares é que verdadeiramente se assinalaram as suas faculdades de distinto júrIsconsulto, havendo-se de módo par-

ticular especiaiisado em dar a fórma júridica e definitiva a um
grande número desses diplomas, alguns dos quais são hoje leis vigentes d o nosso pais,

O dr. Quirino de Jesus distinguiu-se notavelmente como jornalista e foi director de vários jornais diários que se

públicaram na capital, versando de preferência assuntos d e carácter económico e financeiro e ainda particularmente as questões coloniais, em q u e alcançou os fóros duma incontestada autoridade. Além da sua vasta obra jornalística e da larga colaboração nas revistas ~Portugalem African e &Economista Português*, de que foi director, publicou As ordem

Religiosas e as Missões UIframarinas,a Epopeia Lusa, o Nrr-

ciundismo Portugues e Os Direitos de W "Hintátt & Sms, .
Nasceu no Funchal no ano de 1865 e f a l e m em Lis-

boa a 3 de Abril de 1935.
Contemporâneos-Por um escrupúloso melindre, que
julgamos inteiramente descutpável , não desejamos ocuparnos neste lugar dos distintos madeirenses contemporâneos

e ainda vivos,

qrie

no largo exercicio d o foro e na publica-

ç3o de importantes trabalhos jnridicos, que transitaram pelos tribunais, teem afirmado os seus altos dotes de inteligencia

e os seus vastos conhecimentos eln diversos ramos da sciência do direito. A-pesar-disso, não podemos subtrair-nos ao dever de mencionar os nomes dos distintos advogados drs. João Catanho de Menezcs, António Pereira Reis, Frederico dos Santos Martins, Carlos Olavo Correia de Azevedo

e Pedro Oois Pita, que na

capital,

e Nuno Ferreira Jardim,

Manuel Oregorio Pestana Junior, juvenal Henriques de Ararijo, Frederico Augusto de Freitas e Hetiodoro José de Sou-

sa, nos tribunais madeirenses, deixaram assinalada a sua passagem, dando à estampa valiosos trabalhos e estudos elaborados no exercicio das suas fun~õesde distintos causídicos.

A MADEIRAA LEOISLAÇAO N PORTUGUESA

LXVII

E tambem cos ctimpre especialiçar nestas páginas os
nomes já consagrados na bibliografia júridica portuguesa do
dr. Frederico dos Santos Martins, como autor do importante

trabalho que tem por titufo @DireitoComercial Maritimo,,
de que apenas saiu
O

primeiro volume (Lisboa, 1932, de 383

pag.) e do dr. Pedro Gois Pita, que, além de adros estudos, publicou aPratica da Advocacias, *Estudos de Direitom, *Direito na Pratican e {Contrato de Colonía na Madeirau, tendo

tambem apresentado algumas comunicações sobre assuntos júridicos na Academia das Sciencias de Lisboa, de que è soo cio efective.

PublicaçJes Periddicas -Viram a luz pública no Funchal três revistas destinadas a versar assuntos júridicos, sendo a primeira a Revista Judicial, desde o ano de 1865 a 1870,

e voltando novamente a publicar-se nos anos de 1874 e 1875.
Da primeira serie sairam 283 numeros.
A ?+?vista juridica, de qne foram redactores
GS

drs.

Manuel José Vieira, José Aatónio de Almada e José Leite Monteiro, apareceu a 19 de Outubro de 1870 e saiu o ulti-

mo numero (n? 421 a 28 de Novembro de 1871.

LXV111

MADEIRENSES CULTORES JURISPRUDENCIA D4
Da Revista dk Direito, publicaram-se quinze números,

de 15 de Novembro d e 1920 a 15 de Maio de 1921, tendo
como redactores

e proprietarios os drs. Frede:ico de Freitas,
e Pedro Pita.

juvenai de Araujo

Estudantes em Coimbra, No período de tempo decoraram a rido dc 1573 a 1730, ou selam 157 anos, frequentUniversidade de Coimbra 276 estudantes madeirenses, que

na sua grande maioria cursaram as faculdades de .leis* e de
wanoness. Relativamente àquela época, era esse numero mui-

to avultado e excedia bzstante, proporcionalmente á popula@o, o numero dos estudantes das ilhas açorianas. A rela@o completa desses 'estudantes foi por n6s públicada nos

vol. 1 e I1 do Arquivo Msfo'rico da Madeira,

A Madeira na Legislri~ãoPortuguesa
fe&faitras

Refagãe sttfftArii5 dos diplomas ptomutgadas hc@rcada admiteiatm@ ptibtiça no rtrquipelago f f i ~ h Niden'ra desde B a n o de 1834

20 de Fer*erei:o-Carta de Lei 23 de fanhtt-Dweto, ordedo alque continue a haver: na ci- àcGrca dâ Alfàndeg~ Fuí:d~al, dade do Funchal u m Alfâridega, ter~i:do as disposicijes d o decreto âorrde ser230 adxitido; a. despacnu, de 23 de Jiinho de 1834. para mnsumo, bzMm@o e expor21 de Feverkiru-Decreta, tiotagáo, M o s o s gznems c rner-rczdo- rr,ezi?3ouma Cotrti3Go para propor rias, qtae pgttdwer G~stas.famâs as relorrtias ir:itisp=i~sa%~eis â fazer e~w-~*@a r á &sffan;iegás de r; aa Alfandega do Funchal. Padcrgd* 2G de Ftivereim-Pai*ria, rnânS & e D & , ardeazri- d ~ i i d ~ &-a@ prover de algumas ckdeiras do que se & i a s a Js~ts& Fazenda k da ifha kW&ra,eriamo e111se& def ensino l i a Província r &deira f ugpr uma Ceks~issào com as m: ;:li,J e crio Sãnta. ZtI de F = r ~ ' e u~ i ~á r t a de Lei t -l &*i@= que tinha a dit i jtiritz. qae rsgillz a divisão do Reino para 7 dgJgfka-Dereta, ardeiaando a adr-tttnistracác>&a Jusffp,iricluiuprob4s&&merite os orderizdus que devem perceber os Pref&ros dz Ilha do a Aladeirz. 25 de Abril-arta de Lei, perda Itbaira e- P u h Saisto; os Con&h&sx da ~ p ~ t i Preieitu~a e rriitirido a cultura de tabaco na Mav a deira, o Secrdiriu W dela.
iirtndct

16 de Maio-Portaria, ordenando da escolha d e Administradores do Distrito do Funchal. deira. 13 de Janeiro-Portaria, orde25 dc Maio-Portaria, àcêrca do nando qiie toque na Madeira o coreiicariamento de águas na Madeira e reio maritimo para Cabo Verde. Porto Santo. 3 de Março-Portaria, declaran25 de Maio-Portaria, adoptan- do ao Administrador da Alfândega do algumas providcticias com rela- do Funch i1 não ter lugar o pagação à divisão e administração judi- mento de tonelagem dos navios ali cial da hiadeira. eritrados. 7 de Agosto-Decreto, àcêrca dx 29 de Março-Carta de Lei, aucfa cfivisão Judicial da Macleirs. torisando as Câmaras Municipais Açores, 28 de Agosto-Decreto, coiice- dos ,nçarem hiladeira e Porto Santo, a I dendo uma parte da cerco do estin- indirectas ou coritribuições directas, mixtas. to coiivel~tode S. Francisco para a coiistrução do teatro e isenção por 14 de Junho-Decreto, àcêrca d o ui~ialio dos direitos dos inateriai.; nílmero e vencimento dos empregadestinadas ao irieslilo teatro. clos da Alfândega do Funchal. 10 de Seternbr o-Portaria, àcèr15 de Junho-Decreto, rionieaiic i do.; ben s n-icioilais situados lia d o uma comissão, para conhecer da Madeira. nioralidade dos empregados da Al12 de Setembro--Decreto, à c k - fandega do Funchal. ca da divisão teri-itorial da Madeira. 17 dc Junho-Port:iria, àcêrca da 7 de Outubro-l'ortaria, louvaii- repressão da emigração clandestiiia. do o Vigário Capitular e Goverria18 de Agosto-Portaria, introdor do Bispado d o Fuiichal por ter diizindo iiiodificaçõeç s6bre a cocombatido a emigração. br.inça e fiscalisação da fazenda púI0 dc Outiibro-Decreto, riian- blica, no distrito do Funchal. dando circular na Madeira o çobe19 de Setembro-Decreto, hcêrrario inglês com o valor de 4.600 ca das recebedorias dos Açores e Reis. Madeira. 22 de Outubro-Portaril, orde7 de Novembro-Portaria, apron..irido que o governador civil do vando o imposto sdbre a pedra calFuiichal proponha os nieios mais cária saída do Porto Santo* adequados para proteger a industria 5 de Dezembro-Portaria, àcêragrícola. ca do imposto de um arratel de car3 dc Novembro-Decreto, no- ne cortada nos talhos do Concelho meando recebedor para os distritos do Funchal. dos Açores e Madeira. 7 de Dezembro-Decreto, permitindo na Madeira, a circulaçao de 12 de Janeiro-Portaria, àcêrca certas moedas estralijeiras.
a repressão da emigração na Ma-

1837

4 de Janeiro--Decreto, criando uni iveiro de pialitas, na cerca do extiiito convento de S. Fraricisco, 110 Funchal. 5 de Janeiro-Decreto, cie protesão à cultura da cana, nn Ilha da Madeira.

5 de janeiro-Portaria, àcèrca das dívidas fiscais 11.i Illia da Madeira. 13 de Jnnciro-Portaria, declarando nào exteilsivo à Mndeira o decreto de de Daembro de 1836 que diz respeito apenas à Alfândega do Porto. 16 de Janeiro-Portaria, mandando entregar uma caia à rua do Campo da àSociedade re ada de promover a &ucaCáo da infância desvalida. 27 de Fei,greiro-Portaria, susteIitaçáo e vestuirio dos presos pobres do Distrito do Funchal. 3 de Marco - Portaria, àcêrca dos capitaesde navios inglêscs, procedentes de Bristol coni destillo à Madeira e Açores, que hão deixado cle pedir o Visto nas Cartas de Saúde. Abru-Decreto, nomeando uma comissão especial no Funchal para prop6r à Cotiiissão permanente das Pautts das Alfâtidegas, as alterações necessárias.

senal Militar e Naval da Ilha da Madeira. 18 de Maio-Portaria, hccrca dos ettlolu"erit0~ e direitos que os riavios ridcionai; pagnni n x AIfâiidega do Furiclial. de Junho-Decreto, fixando o quadro do pessoal da AlfAridega do Funchal. 30 deJunho-Portaria, àcPrca do provinlento do Iiigrr de tesoureirt,
d r i Alfândega do Funclial.

30 de J~inho- Decreto, hcèrca dos eml>rega(los cla Alfândega do Funcl~al, não conteinplados iio quadro dos efectivos. 30 de Jnnho-Decreto, nornearid o Lm comissão para coiilieccr lT da aptidão e mais circuitstâiicias dos ern~rega'losda A1fârlde$!a C " Funclial. 25 para dar execução h iiova liatita das Alf â n d e g q pelo Administrador da d o Funchal. 20 de Novcmúro--Portaria, àcêrca dos meios para prover .to cspediente da secretaria r i a Adniiiii~;do Funch'l* tra@O 27 de Novembro-Portaria, resolveiido unia díivida sobre a eleição CIOS administradores do concelho do Distrito do Funchal.
1838

26 de Abril -Portaria, acêrca dos Avisos de Crédito Incerto enviados ao Distrito d o Funchal. 2 de Maio-Portaria, àcêrca das nomeaçõesidos-empregados,do~Ar-

12 deJaneiro-Portaria, adoptaiido algunias providências hcêrc i c! i Alfârtdega do Fuiiclial. 20 de Jonciro-Portaria, tiiaridando proceder à eleição da Jurita de Paróqtiia da fregueziaidc Alachico.

14 de Mrço-Portaria, àcêrca dos direitos a cobrar nas alfânclegas dos Açores e Madeira, pago cm rrioeda ilisiilari .. 14 dc Marco --porta ri^, àct-rca clns ciespachiis (13s i-ncrcadorias vindas d'is ilhas uu5 Açores c da htsiieira, que têm já pago os direitos de consunio em nioecia in;ulana. 10 de Abra -Carta de Lei, àcêrca da divisão judicial da Madeira e Porto Santo. 18de Abrií-Decreto, hccrca dos correios dos Açores e Madeira. 24 de Abril-Portaria, Acerca dos correios dos Açores e Aladeira. 25 de Abril-Decreto àcêrca da venda de bens nacionais na Madeira e Porto Santo. 7 de Junho-Portaria, louvando a Câmara do Funchal pelo estabelecimento dum asilo. 7 de Junho-Decreto, acêrca da divisão judicial do territcírio das Ilhas da Madeira e Porto Santo. 31 de Agosto-Portaria, Acerca dos passaportes para o rWioe ilhas dos Açores passados na Administração do Concelho do Funchal. 1 de Oufubro-Portaria, àcêrca dos escrivães e oficiais privativos do Juiz Ordiriaxio do julgado, cabet;a da Comarca Ocidental do Funchal.
24 deNovembfo-Portaria, àcêrca do despacho de fazendas ou gêneros estranjeiros conduzidos de Lisboa ou do Porto para o Funchal.

mistraçâo Geral do Distrito do Ftiric21al. 2 de Jtllfio-f'urrnria, AcCrca do orqárncntr, tlo reridi~iieiitoda Alfaridcgi do I-'ur:cital ts dri; a1fâtit;eg;ts ntertoro'; do clitu ciistrito, ~>ertc.ii~eit-

22 de Maio-Podaria, Acêrca dos ernolumentos da secretaria da Ad-

te ao Tesouro. 4 de JuIJto-I'ortaria, re!ativa aos dejpaciios dos tabacos que são reme:itios pira provimento cios habitantes d i Ilhs d z Madeira. 10 de Julho--Portaria, sbbre a venda de tabsco e rapé nas Ilhasda Madeir3 e Porto Santo, pelos preços marcados na coridiçAo do dito contrato. 13 de Julho-Portaria, acêrca da co~icluçãod s obra de tima levada constriiida na freguesia do Faial, sitio do Ribeiro Frio, no Distrito do Funchal. 17 de Julho-Portaria, contendo varias instruçdes àcêrcv da disposição dos fundos nas ilhas adjacentes 26 de Julho-Portaria, àcSrca da representação dos moradores da freguesia da Camacha, d o Concelho de Sznta Cruz, pedindo seja desanexada da do Ca~iiço. 2 de Agosfo-Carta de Lei, àcêrca dos direitos que devem pagar os cereais estranjeiros importados na Província da Madeira e Porto Santo 6 de Agosto-Portaria, denegando a autorisação pedida pela Junta de Paróquia da freguezia da Sé do Fiiitci:ãl, para se :ipossar dos bens tfoados para estabelecinientos de piedade. 16 de Agosto-Portaria, acêrca das cobranças do imposto d e produçáo estranjeira na Proviiicia da ,%adeira e Porto Santo.

19 da Agosto-120rtaria, autori1840 saritio que iirn d u ~ uficiais de deli21 d ~ t Marco-T'ortaria, aprogêliçi:is do J ~ de nirtliio (11 (;o& ~ d ~ ~ Sricicd,i~ir L d niarca '10 F u n c i d c.;tej i itor itlrlict ~ a a OS c ~ t : i t i i tia ~ :;e~il~lic~ 5% orderis reçpcctii-o Iri~liistriahladcirciise. delegado. 21 de M~li~ct-I'ortari:i, a1jro21 dc Agostu--portaria, reille- varido o i estatutos d L Sucieil:i<ie i1:i r ; --, _ I ao r d I : c - % teiido au direcloi- geral da Alfâiide- a ga do Fttiicl-ia1 os exemplares tlo 22 -> 1841 -decreto de 16 de Agosto tie f 839 a L-!?---recomertdando a s ~ i aobservância. 7 de Ianeiro--Portarix, criatido 4 batalfiórs liacioriais i i n ~ i i d r i 21 de Agosto-$ortaria, lecendo algiinla5 dbre ra: seudo iiiii de iiif~iitariae 1 de a Cotliissào Liquidataria dos direi- artilharia no Fiirichal, iiiii de caç.ir

j

=

7 r

-

/

-

-

-4

-

=&

1

-

_

tos do Estado no Distrito do Fuo- dores na Calheia e uni de iiifniitaria erti Santa Cruz. cha!. 26 de Fevereiro-Portaria, in28 de Agosto-Portaria, sobre cunibindo a Admiii istrayáo Geral fOrfiecitnentq cfe t a b ~ oPara do Furichal, a visitn. tle policia na a Ilha da Madeira. saída de todos os iiavíos, na forilia 9 de Setembro- Podaria, relati- do Reginiento de 30 de Mdio de va ao fornecitiiento de rapé ordirij- 1825* rio e bom, ao estanco do flistrito do 30 de Junho-Portaria, ordeilaIlFunchal. do ao Administradúr Geral do Distrito do Fur.rha1, c a n o presideiite 15 de Outubro-Portaria, &cerca da i:onii;são do Iiiqiiérito para indas provid?ncixs sÔ3re o Juizo da vestigar as caiiças da decadkncia c-lo Coriservatoria na Ilia da Madeira. comercio da Ilha da Madeira, qiiè 20 de Outubro-Portaria, mari- convide a Asaociàção Comercial a dando à Comissão da Fazeiida Pú- nomear o; dois ~iegociantes, que devem fâzer parte da reblica da Ilha da Madeira, que envie igualri~eilte uma relação de todos os emprega- ferida cotiiissão. dos que recebem pela referida Co13 de Julho-Carta de Lei, irnmissão, pondo A Carnara Municipal do FLIII8 de Novembro-Portaria, pro- chal a obrigação de repartir o providericiando sobre as obras neces- duto do imposto, de qiie trat:i a Carta de Lei de 2 de Agosto de sárias no Distrito d o Funchal. 1839, pelas outras câirraras da pro8 de Novembro-Decreto, auto- víncia das Ilhas da Madeira e Porto risando a Junta Geral d o Distrito Sailto, para todas elas o aplicarem do Fu~ichaipara se reunir extraor- à abertura de novas coiiiunifíicóes dinariamente para aprovar os dois interiias e aos mais cargos e melhoRegulante~itos sobre as águas de rameiitos da competência das mesregadio, mas Câmaras.

16 de Novembro-Decreto, noineaiido uma comissão para indicar as provid6ncias a adoptar na Madeira, por c ~ u s ados estragos da 8de Promoveli- aluvião de 24 de Outubro de 1842. do o coniércio eventual lia Ilha da Madeira com os navios que ali de1843 rem entrada. 8 de Abril-Decreto, criando na 12 de Maio-Po&ria,decIarando )i]ia da Madeira tima Juiitd para co- que 0ç gover~iadores civis da3 ilhas receber 0 s títulos de doeunhecer provisori~meiitede qttaiç- ~ d e m quer dÚvidaç, que occorram na AI- rnentos de dividas, na forma dodefândega do Funchal. creio de 24 de Maio de 1842. 9 de Abril--Portaria, àcêrca da 27 de Maio-Lei, àcêrca de vafalta de Matiifesto regular dos na- rios direitos a cobrar lia Alfâiidega vios aue derem entrada na Alfâri- d a Ilha da Madeira. g do Funchal. a 9 de Agosfo-Portaria, facilitan4 de Maio-Decreto, providen- do a comuriicaç50 com as embarcaciando a bem-do comércio da Ilha ções surtos no Porto do Funchal.
1842

30 de Oufubro-Decreto, estabeleccndo os distritos dos J~iizes de I'az rio Distrito Admi~iistrativodo Fiinchal e nomeando escrivãrs dos mesmos Juizos. 6 de Novembro-Portaria, ordenattflo se rtroeeda i eleicão estraordinária do; juizes de ~ a iio Distrito ; do F~titchal. 12 de Novetnbro-Lei estabeleceiido que não é por ela alterada a 'egisla@o es~eciLi' das águas da Madeira. 26 de Novembro-Portaria, resolvelicto que se possam exportar livrentente de Lisboa e Porto para a os gi.neros das possessóes portuguèsas 12 Dezemóro-Carta de Leil determiiiaiido que durxiite 15 ailoj fiauetii os lavradores e cololios das 1lGas dos Açores, Madeira c Porto Sarito, iseiitos cle pagar o dízinio e quaisquer otitros impostos dou camitihos que abrirem e terras que arrotearem.

.

da Madeira, admitindo ali o curso tfe várias m o a a i estranjeiras. dc admitindo Ilh i da nladcira o arroz da Asia, vinclo indirectxmente de aualauer parte e debaixo de qtlalqÚer Garideirl. de Mnio-Portaria, mandando cuiihar moéda de cobre cor11 a legenda: Pecunin Madeirensís. 24 de Maio-Decreto, isentando de direitos de exporraqão, lia Ilha da Madeira, os gêneros para refrescos de riavios que ali tocarem. 30 de Junho-Portaria1 do uma comissào de inquerito &c&ca da crise económica da Madeira.
6de Outubro-Decreto, ITIandanproceder 'leição iialgiimasassenibleias dos Açores e Madeira. 14 deNovembro-Decreto, maridatido receber dotiativos, a favor cios habitantes da Ilha da Madeira.

.

7 de Setembro-Portaria, acêrca da arremataçâo de produto das coiinas feitas pela Câmara da vila de Machico. 25 de Setembro-Portaria, declarando a lei de 27 de Maio últiino, àcêrca dos direitos na Alfândega na Ilha da Madeira. 26 de Setembro-Portaria, revogando a de 9 de Agosto último, que facilita a comunicaçáo coni as eiribarcaçBes surtas no Porto do Fuiichal.
1844

4 de Agosto-Decreto, declarando o quartel do regimerito de I~ifantaria n 11, na cidade do Filnchal. O .

29 de Março-Portaria, coni o Plaito das ~rg~tnisações Batalhão do Nacional do Príncipe, tia Cidade do Fti tichal.
t 848

23 de Abril-Lei, determinando a venda de hetis iiacionais dos distritos dos Açores e Madeira. 25 de Outubro-Portaria e Iiistruções, àcêrca das veridas de bens nacionais, nos Açores e Medeira.

3 de Fevereiro-lnstruções para o lançamento de Déciiiias, tios distritos dos Açores e Madeira 26 de Março-Lei, dando destino ao rendimento dos benefícios vagos nas diferentes colegiadas do Bispado do Funchal. 26 de Maio-Decreto, suspendendo in terinarneiite a execução d o decreto de 18 de Setembro de 1844, na ilha da Madeira. 21 de Junho-Portaria, Acerca da admissão dos habitintes dos Açores e Madeira, nos trabalhosdas obras públicas.
27 de Abril-Portaria, perinitind o na Madeir'i a circulaçâo das pesetas espanholas.

28 de Abril-Decreto, maridanc10 eleger um deputado pela proví~icia central dos Açores, lugar que ficou vago por ter o conselheiro José Silvestre Ribeiro, sido tmihkiii eleito deputado pela Madeira. 28 de Maio-Anúncio da secretaria do Mii~istériodo Reino, abrirido concurso, ern virtude de unia resolução da Câriiara dos Deputados, para a cotistitliição de unia empresa de ilavegaqão de barcos a vapor destinada ao serviço eritre 'os portos de Lisboa, Algarve, Madeira, Canarias e Terceira. 24 de Julho-Carta Régis, criarido as paróquias de Agua de Pciia, Achadas da Cruz, Qtiiiita Grancle e S. Roque do Faial. 24 de julho-Carta Régia, àcêrca do aumerito d ~ c611gruasria dios cese do Funchal. 22 de Agosto-Lei, aiitorisando o govêrno a conceder à Companhia representada por Luiz Vicelite dlAfo~lsecs e outros, o exclusivo da navegação, em certas coitdiçães, p3ra os portos de Lisboa, Algarve, Madeira, Caiiarias e Açores. 8 de Novembt-o-Decreto, coni o Regulatriento para a cobraliça dos diziinos rias ilhas dos Açores e Madeira.

9 dct Julho-Lei, àcêrca das embarcações de cabotagem, de Limas para outras ilhas dos Açores e eatre as ilhas da hladeira e Porto Satito. 11 de Jul;z»-1-ci, aiitorisa~idoo ~:ovSriiopara a cot:clusáo das obras da Levada do R~baç~tl. 7 de Nov~rnbro-Decreto, suprimindo c, C o ~ c e l i ~ o I'orto Moiiiz do e distribi~iticto as suas freguesias por oiitros coiicelhos. 29 de Novt-mbro-Portària, regtilartdo o cxpedie~iteda Alfâiidega do Fuiichal.

26 de Jturfto-Lei, beneficiando os cereais de produção ~iaciurial,e regiifaiido os cizcret i; rlc i1i;pcjriaçâo r!clci;, c sti i aplicaqão Tias illias íla Madeira e Porto Saiito. 26 de Junho - Carta Régia para o Cabido da Sé do Fuiiçhal, s0:)i-e a esccucão da Carta de 23 de htarcjo dC-xe ano. 23 de Jdho- LLi, autori;aiido uma pensão coi;ccdida por cainpciis3çáo dtim einprêgu estitito tia Alfâiidega do E'ui~chal. 20 de Dezctnbto-;'or,ari.t, mand riido subsistir a dispo5içáo da Portaria dc 27 dc Junlio, a respeito dos direiios pela irriportação de guta-percha fia Alfâ~idegado Fuiichal.
1861

3 de Janeiro-Portaria e ItistruçBes, coriterido o Regi~ileilto do guarda-tilór da Alfândega d o Funchal. 11 de Mnrfo-Portariat alitorisa!id0 a Z;:CX~@O recebedoria da de Saiita Cruz, h de Macilico. 2ii de 1C.Icr;go-Carta Régia ao Cabido da Sé do Funchdl, sobre rt escolhri duni Vigário, sede vacante. 23 de .+:brii-Lei, fazendo esteosivo a um sold-dd de Artilharia Auxiliar da Madeira, o bcl;i'ficio do d artigo 22,O do Reg~lamento e 21 de Fevcreiro de 1816. 24 dt! Abril-Lei, datido diuersas providèiicias -para a Escola Médica Cirúrgica do Fuachal. 30 de Abrll-Prjrtaria, resolvendo que o; gêneros eslranjeiros nacionali3ados no Reino ou i:a Ilha da Madeir-, quando traiisportados para o ultramar, devem cdi pagar direitos como gêneros portuguêses.

7 de Janeiro-Decreto, d i s ~ o n do que as duas comarc:is d o Funchal constitui.;se~i\urii só círciilo clc Jurados, para 0s procesios sobre abuso de liherdade de exppifrriro peilsameiito.
6' de julho-Lei, estabelecendo alg~iti-ias espccididacte~ para os dois julgados das cabeçis dss duas Cümarcas da Ilha da Madeira. 14 de Setembro-Decreto, criaildo uma coniisc20 para iiidicar algumas provic':ê!;cias, àcêrca da Madeira, por causa da destruição dos vinliedos. 19 de Outubro-"ecreto, eiicorporaiido a freguesia d o Porto da Cruz, no Coricelho de hlachico. 12 d d PJovernbro-Decreto, concedeltdo à Ilhz da Madeira, iscnç50 e diminuição de direitos de impor-

xo feminino nas freguesias do Porto da Cruz, Malhico, Sant'Ana, S. Vicente, Porto do Moniz, Calheta, Câmara de Lobos e Porto Santo. 23 de junho-Lei, autorisandc a continuação por um ano do auxi0m lio mensal de 10 ao Asilo de Mendicidade do Funchal. 21 de julho-Lei, prorogando a permissão de estarem reunidos os cargos de governador civil e comandante nùlitar do Distrito do Funchal 18 de Novembro-Decreto, providenciando s6bre o abastecimento de cereais nas ilhas adjacentes.

.

13 de Janeiro-Portaria, mandando ajustar na Ilha da Madeira pedreiros, carpinteiros e ferreiros ou serralheiros, bem como um homem inteligente na cultura de cochonilhas, todos para irem trabalhar e ensinar na Província de S. Tomé e na do Principe. 31 de Agosto-Portaria, aprovatido as providêriuas do governador civil do Funchal para o adiantamento das obras da levada do Rabaçai

.

14 de Abril-Portaria, autorisando o estabelecimento de duas boticas. sendo uma na Ilha do Porto Santo e outra na freguezia do Seixal. 13 de Agosto-Decreto, criando urna comissão na Ilha rla Madeira, para informar com que modificafles se devia ali pôr em execiiqão a nova pauta das alfândegas. 14 de Agosto-Lei, proroganpo por mais tres anos no Distrito do Funchal, a isencão de direitos as maquinas e utensilios de abricar os produtos da cana doce. 14 de Agosto-Decreto, dispondo que por mais tres anos se pa asse na Alfãndega do Funchal, 4 $ a 0 reis eni cada cem arrateis, pela importância de mel, melaço e melado estranjeiro. 30 de Agosto-Lei, confirmanmando uma pensão, concedida ao tenente-coronel JoséMaria kopoldino de Sampaio, adido ao forte de S. Pedro na Ilha da Madeira, por serviços relevantes para ser acumulado com os respectivos vencimentos. 6 de Novembro-Decreto, transferindo uma cadeira de ensino primário da freguesia da Tabua para a Vila de Câmara de Lobos.

para

6 de Março-Lei, permitindo que por mais um ano se acumulassem em um só indivíduo os cargos do governador civil e comandante militar no distrito administrativo do Funchal. 12 de Abril-Lei, autorisando o govêrnoacontrafr um empréstimo de 40:000$000 reis para promover na ilha da Madeira a fabricaçâo deaçu-

a* r

14 de Março-Decreto, críando no Liceu do Funchal uma cadeira de fisica, química e introdução à historia natural, 18 de Abril-Lei, autorisando o govêrno a conceder um subsidio de 650$000 reis por viajem redonda e diversas isenções a qualquer em-

A MADEIRA

N A

LEOISLACAO PORTUOUESA

11

prêsa que se obrigasse a estabelecer cornuriicações regulares entre Lisboa e a Ilha da Madeira por barcos a vapor, os quais cada ano fizessem pelo menos dezoito viajens de ida e volta. 24 de Maio-Portaria, providenciando contra o abuso que podia fazer-se exportando açucar da Ilha da Madeira para o Reino e Açores. 28 de Maio-Decreto, aprovando o contrato para a comuiiicação regular por meio de barcos a vapor entre Lisboa e a Ilha da Madeira. 4 de Junho-Lei, estabelecendo na Ilha da Madeira, em benefício d o Município do Porto Santo, um imposto na pedra calcárea importada da Ilha d o Porto Santo, 14 de ulho-Portaria, exigindo d o ConseI de Saúde o relatório ' ho sobre o Lazareto d o Funchal, apresentado pelo dr. Marcelino Augusto Craveiro da Silva. 2 de Agosto-Portaria, ordenando que o navio a vapor Viscond e de Atouguia, que se empregava nas comunicações entre Lisboa e a Ilha da Madeira, fosse despachado com a brevidade dos paquetes. 23 de Abril-Portaria, providenciando para que na Ilha da Madeira não se promovesse o prmeletismo para a religião protestante. 9 de Fevereiro-Portaria, regulando os direitos que, segundo o novo sistema de medidas lineares, se devem cobrar na Alfândega do Funchal nos objectos que os pagam conforme a sua extensão. 10 de Fevereiro-Decreto, apro-

vando a cessão e trespasse da empresa da navegação a vapor, entre Lisboa e a Ilha da Madeira, eni favor da companhia Anglo-Luso-Rrasileira. 31 de Março-Portaria, consignando que o aumento do terço do ordenado aos professores da Escola Médico-Cirúrgica do Funchal, devia ser pago integraliliente pelo Estado. 30 de Jzcnho-Lei, aplicando à Alfândega d o Fuiichal as providências do Decreto de 4 de Novembro, de 1852, sobre tecidos niixtos. 1 <e Aposto-Lei, aiitorisando o governo para, sem subvenção, contratar com a Companhia União Mercantil que os navios a vapor que ela é obrigada a empregar na nalregação para a Africa tocassem no Porto do Funchal. 9 de Agosto-Lei, autorisando o govêrno a alterar em certos artigos a pauta geral das alfândegas e dispondo que algumas dessas alterações fossem exteiisivas à Alfândega do Funchal. 18 de Setembro- Decreto, dispondo que no Concelho doFunchal, revertesse para os juizes eleitos o julgamento das causas de coirnas, policia municipal e transgressâo de posturas.
19 de Outubro -Portaria, mandando pagar metade do vencimento correspondente a um professor interino do Liceu do Funchal, durante o impedimento do proprietario. 14 de Novembro Portaria, declarando de primeira classe o Liceu do Funchal. 31 de Dezembro --Portaria, pro-

videnciando si3bre a plantaqiio de 5 de Dezembro-Portaria, debacelo na Ilha da Madeira. clarando ao Governador Civil do Funchal que as Câniaras não po1861 dem distrair os rendimentos ~ilunicipais para sustentar pobres e des14 de Fevereiro -Lei e tabela, al- validos* terando em muitos artigos a pauta 26 de Dczcmbro - Portaria, das alf&ndegas e fazendo extensi- abrindo iiovo concurso para a iiaVas Alfandqa do Fullchal algu- vegacão a vapor rnt re Lisboa e a mas dessas alteraç6es. Illia da Madeira, pela recissão do 28 de Fevereiro-Dsreto, anu- contracto entre O Govêrno e Thok lando o trespasse a favor da Com- ~ h i l o m e x P h i l i ~ ~ o n panhia Anglo-luso-Brasileira da empresa de navega o regular a vapor 1882 entre Lisboa e $deira. 2 de Abril-Decreto, abrindo 20 de Agosto-Lei, fixdndo em um c r é d i t o s u p l e m e n t a r d e @m por cada cem quilogra- 2.500$000 para completar o pagareis mas 0 direito pela importação do gamento das chngruas no Bispado mel, melaço e melado no Funchal, do ~ ~ ~ ~ ~ h ~ l . durante trks anos. 2 de Julho-Decreto, aprovanI* de Lei, do e publicando um contracto para do Os créditos de reis a navegação a vapor entre Lisboa e a licados ao pagamento da impor- a ]lha da Madeira. Jncia cios generos que nos anos económico's de. 1859-1861, deviam 4 de Julho-Lei, extinguindo o fazer pade das cangruaç dos ecle- imposto anual de cinco dias de sia9ticds na Ilha da Madeira. trabalho na Ilha da Aladeira. 30 de julho-Portaria, mandan18 de Setembro-Decreto, rescindindo o contrato com Theophilo do que as estradas das ilhas adjak r ~ e xmilippon, para a navega- centes sejam classificadas em reais $20 a vapor entre Lisboa e Madei- e municipais e regulando o processo ra. da classificação. 10 de Outubro-Portaria, de27 de Setembro-Portaria, aclarando nulo o imposta, de 2$000 provan'do a demarcação dos Coii-& p$ dk viilio ou bebida fer- celhos de Santa Cruz e Machico, menta d tjreparhda has estufas, estabelecido peia Junta Geral d o Fun1868 chal, por exceder as suas atribui4 de Fevereiro-Lei, elevando a ções 560$000 o ordenado de cada um 28 de Novembro-Decreto. de- dos escrivaes da mesa grande da um crédito teminahdo que se Alfâiidega do Funchal draordmariio de 8.m000 rs. para 23 de Junho-Lei, autorisando pagamento das c8n ruas dos ecleo govêrno a fixar contingentes da oiPsticos da Ilha da L d e i r a .

9:5m%

.

coritribuição predial de 1863 nos districtos dos Açores e Madeira, 13 dc Julflo-Lei, determinando a contribuição pessoal nos 4 distritos das ilhas adjacentes. 15 de Julho-Lei, autorisando o pagamento das côngruas devidas aos eclesiásticos lia Madeira. 2 2 de Fevereiro-Decreto, abrindo um crédito suplemeiitar de 24:591$680 reis para o pagamento das côngruas eclesiásticas no Distrito do Funchal. 9 de Março-Portaria, informando a Câmara Municipal de Macfiico que o lugar de Escrivão não ficara vago pela simples desistência do que o servia, sem que esta fosse aprovada pelo govêrrio. 11 de Junho-Duas leis, determinando o modo de se computarem as contribuições pessoal e predial nos distritos das ilhas adjacentes. 25 de Junho-Lei, determinando que nos Açores e Madeira fosse em duas prestações iguais o pagamento da coiitribuição industrial. 25 de Junho-Lei, reduziriclo os direitos de iniportação do Açucar tia Ilha Madeira aos da pauta geral das alfândegas. prorogando 2 7 de Junho-Lei, por 3 aiios o prazo de lei, de 20 de Agosto de 1861 que fixou em 6$000 reis por cada 100 quilogramas do direito de importação do mel e melaço estranjeiro na Alfândega do Funchal. 2 7 de Junho-Lei, criando um lugar de arquivista com o velicimento 240$000 reis anuais, tia re-

partição de fazenda do Distrito do Funchal, 27 de Junho-Lei, eliminando a freguesia de São Martinho do círculo eleitoral da Poiita cio Sol e passando-a para o círculo do Fiinchal.
4 de M&O-portaria, aprovando o regulamento dos serviços d . 1 ~ companhias de guarnição das Ilhas. 4 de Marco-Portaria, declarando que os exames feitos no Liceu do Funchd devem ter-se como feitos num liceu d e primeira classe. 14 de Maio-Decreto, autorisaiido o pagamento integral das côngruas aos eclesiásticos do Bispado do Funchal. 8 de Agosto-Decreto, criando uma escola do sexo masculino tia freguesia de Saiit'Ana. 12 de Outubro-Portaria, maiidando converter ern inscrições de assentameiito, o dinheiro existente ria Alfândega do Furichal, no cofre da comparihia braçal da mesma alfândega.

7 de Maio-Decreto, abrindo um crédito suplementar a favor do Ministério da Justiça para o integral pagarneiito das côngruas dos eclesiásticos da Díocese do Funchal. 24 de Maio-Decreto, autorisando a Câmara Municipal do Funchal a levantar um empréstimo de 40.000$000 rs. para construir um tribunal e os Paços do Coiicelho. 21 de Junho-Lei, autorisando

o Govêrno a criar um lugar de tabeli%o no Concelho de Câmara de Lobos. 17 de Agosto-Decreto, criando na Illia do Porto Santo uni1 deleação de segundas ordens da Alandega do Funchal. 17 Agosfo-Decreto, mandando cessar o ciesconto que fazia á companhia de trabalhos bráçais da Alfândega do Funchal, para refurmados e pensionistas. 27 de Novembro-Decreto, desatendendo o recurso dos cortadores do Funchal, que pretendiam ser dispensados de pagar o aluguer das mesas dos açougues.

8.

denando que o seu arquivo fosse enviado para a secretaria do Ministério da Guerra. 24 de Março-Portaria, declarando ao governador civil do Funchal, que lhe rião compete dissolver o Concelho do Distrito. 27 de Julho-Decreto, sôbre os recursos contra a Câmara Municipal de Fronteira, em que os facultativos da Escola Médica do Funchal, não podem ser providos nos partidos dos concelhos. 2 7 de Fevereiro-Portaria, declarando ao governador civil do Funchal que foi indeferido o requerimento da Confraria de Nossa Senhora do Monte, que pedia a entrega de alfaias, paramentos e bens que lhe não pertenciam. 30 de Março-Portaria, declarando ao governador civil do Funchal que não podia inserir verbas de despezas nos orçamentos das irmandades, nem mandar fiscalizá-las por empregados especiais. 23 de Abril-Portaria, esclarecendo o governador civil do Funchal que os mancebos de catdrze a vinte anos, que pretenderemsair para as províncias ultramarinas, não são obrigados a prestar a fiança exigida pela lei de 27 de Julho de 1855. 29 de Sefembro-Portaria, declarando que na Escola Médica do Funchal não são admissíveis matrículas aos alunos que não mostrarem aprovação no curso do Liceu da mesma cidade com excepção de oratória, poética e literatura. 1 de Dezembro-Decreto, de5 clarando legal a contribuição pre-

2 de Julho-Decreto, àcêrca da entrada da navegaçâo a vapor entre Lisboa e Madeira. 2 de julho-Carta de Lei, isentando de direitos por dez anos sobre os gados, máquiiias, carros, etc, deitinados ao arroteamento das terras dos Açores e Madeira. 4 de Setembro-Portaria, recomendando ao Governador Civil do Funchal, a criação dum asilo de mendicidade ou alargando a acção do já existente.

7 de janeiro-Portaria, esclarecendo o Governador Civil do Funchal, sôbre o modo de fazer a divisão no activo e passivo dos concclhos, suprimidos por aqueles por onde foram divididos. 3 de Fevereiro-Portaria, mandando licencear o corpo de artilheiros auxiliares da Madeira e or-

dia1 lançada a iim explorador de gando a expropriação dumas casas pedreiras no Ilheu do Porto Santo, e vários terrenos para as obras de considerado logradouro comuili. construçáo do Lazareto Gonçalo Aires. 16 de Agosto-Portaria, decla11 de Fevereiro-Portaria, a- rarido ao governador civil do Funprovando o procediriiento do go- chal qiie as coiiipras de bens feitas vernador civil d o Funchal, que fi- pelas câiiiaras riiunicipais deviarii zera desenterrar e remover para o ser autorizadas pelo Conselho d o cemitério o cadaver dunia criança Distrito. sepultada fora dêle. 6 de Outubro-Portaria, regulando a marieira de processar os 1 de Novembro-Portaria, nianvencimeritos dos eclesiásticos do dando entregar ao pároco da freFunchal, proibindo a acuiriulaçâo giiezid do Moiite a adiriinistração de benefícios e dando providèiicias da capela de Nossa Senhora das quanto ao seu provimento, Dores, da mesma freguezia.
18 de Janeiro-Decreto, autorizando a expropriação duma parte do passa1 da freguezia do Estreito de Câmara de Lobos para ali se estabelecer um cemitério público. 26 de Junho-Decreto, desanexaiido a freguezia da Ponta do Pargoda do Concelho do Porto do Monize agregando-a à do Concelho da Calheta. 10 de Outubro-Portaria, declarando que as fábricas das igrejas do Distrito d o Funchal não podem ser administradas pelas Juntas de Paróquia. 18 de Outubro-Portaria declarando que os professores da Escola Médico-Cirurgica d o Funchal, são clitiicos do Hospital da Misericórdia, subordinados à Comissão Administrativa da mesma Misericórdia.
1872

15 de Abril-Lei, autorizando o govêrno a subsidiar urna einprèsa que realize viajens niensais, por meio de embarcações a vapor entre Lisboa e Madeira.
12 de Máio--Decreto, aiitilentando o quadro da companhir: d e trabalho da Alfândega do Fiinchal.

29 de Março-Decreto

4 de Fevereiro-Lei, admitindo no Continente, livre de direitos, por espaço de cinco anos, o açucar produzido na Madeira. 2 de Abrii-Lei, aprovando o contrato para a navegação a vapor entre Lisboa, Madeira e Açores. 17 de Junho-Decreto, negando provimento ao recurso de João Augusto Cunha sdbre corte de hrvores autor,- no Funchal.

5 de Setembro-Portaria, indeferindo o requeriineitto dos ernpregados da Misericórdia do Fuiichal, pedindo Ordenados superiores ao que inarca o comprornlçso.

de segundos verificadores das Alfândegas de I.= classe, os 2.0ç verificadores dos Açores e Fuiichal. ( de Setembro-Decreto, J convocando a Junta Geral do Funchal para reformar a proposta do Con1877 selho do Distrito. 5 de Abril-Portaria, não to9 de Setembro-Portaria, resolmando conhecimento duma repre- vendo diferentes dúvidas do goverseiitação da Junta Geral do Fun- nador civil do Funchsl sôbre vários clial, em que pede a co~iservação poritos do Codigo Administrativo. do governador civil. 13 de Setembro-Portaria, de10 de Abra-Portaria, desaten- clarando ao Goverriador civil do dendo o pedido da Câmara Muni- Funchal que não devera ter cipal do Funchal para poder con- convocado a Junta Geral para lutrair o emprestirno de 62 contos de gar diferente do determiliado rio reis. Código Administrativo. 6 de 0utubr~-Portaria, não 22 de Oufubro-Portaria, em confirmando o alvará do governa- que se declara que é válida a eleidor civil do Fun@al, relativo à des- ção da Câmara do Porto do Moniz, trib uição pelas câmaras municipais em que tôdas as listas eram do distrito, da verba precisa para o brancas menos uma. pagamento da policia civil. 28 de Outubro-Portaria, declarando irregular a nomeação pelo governador civil do Funchsl, 1 de Março-Decreto do Mi- dum administrador de concelho in3 nistério da Fazenda, estabelecendo terino, havendo substituto. uma nova tabela de emolumentos 30 de Outubro-Portaria, repara as compaiihias de trabalhos solvendo duvidas d o governador braçais das Alfândegas do Funchal, civil do Funchal, àcèrca dalguns de Angra e IJolita Delgada. poutos do Código Administrativo. 6 de Maio-Lei, autorisando o govêrno par8 modificar o contrato feito com Bensailde e C.', de niodo 15 de Fevereiro-Portaria, inque em uma das carreiras mensais um requerimento da Câde iiavegaçâo para os Açores, s e deferindoFunchal pedindo autorizacompreenda uma carreira para a mara do serei11 assitiados de chançâo para Madeira. cela, os documentos de cobrança 11 de Maio-Lei, elevando a da Câmara. 500$000 reis anuais o ordenado de 2 de Maio-Lei, regulando e escrivão interprete do Funchal. mandaiido moceder à troca da iiioédo 3 de junho-Po~taria, admitiii- da iio ~ i s t 6 t o Funchal. do aos concursos para os lugases 19 de Maio-Portaria, mandan-

a cargo das juntac de paróquia. 11 de Outubro- Portaria, declxraiitlo ao g~verriiidor civil do Furiclial y ue coiivoque os eleitores taliL ~ vezes qriaiitas sejaiii precisas paS ra que se efectueni as eleições das juntas de paróquia. 18 de Outubro--Decreto, anesaiido diversas freguesias lios Concellios de Câni:ira de I.obos, Ponta do Sol, Calheta e Porto do Moniz. 25 de Outubro--Portsria, neg.%iidoautorkação à Mlsericórdia do Fuiichal pnra levantar dos se~is fiiiidus alguni~ ptra o 1)s18 de Maio-Lei, fixaii<ioo or- g.tiiiciitoqu3nti:i~ das despesas do processo denado dos goveriiadores civis, 111- cle evicçiio. cluiiido o do Funchal.

(10 que se requer.,sse a aiiiilação (10; regiilatnentos feitos pela Junta Geral (10 Fu~icli:~l, a arrecadapara çào dos iiiipostc>sinunicipais. 25 de Oatubro-Orderii do exercito, regulando o servic;o da deleg~qáo d:i adrniiiistração tla fazeiida tiiilitar, na M.ideira e Porto saiito. . 26 de Nov~~nbro-Decreto, aiiexniido as freguesia; do Arco à de. S. Jorge e a de S. Roqite à do Faial.

provitiierito no reciirso do seci'ciário geral do govêrno Civil do Fuiiclial, àcêrca da eleição da Câtiiara Miiriicipal da mesilili cidade.

7 de Jul/zo - '>c.*i.eto, daiido

188 2

10 de Fevereiro-Decreto, autorizando o Governador civil do Funchal para marcsr riovos prasos para as operaçõc; do rccriitarneiiio lias freguesias de Agiia de P e n ~ e de Santo ,411toiiioda Serra. 10 de Fevereiro-Decreto, sôbre o mesmo assui~to data supra. da 18 ífc Março-Lei, prorogaiido por cinco aiios o praso para a admissão cio açucar da Ilha da Madeira, sem pagariieiito de direitos. 12 de Maio-Portarid, negdiido a expropriação dutii direito de rega pedida pela Câinara. 12 dc Julho-Port~ria, provi18 de Julho ---Portiri.i, declara1:- clenciando para que não tenham do de iiovo que ?I; fáhric,is das coiiçicler,.rvel (Ieliiora eni Lisboa as igrejas do Fuiichal iião podeiii estar eiicoirieiicla; po;t~is, v;iiiaç de paí-

17 de Maio-Lei, autori~~iiido o govêrno a coiitrat'tr direct~iiieii o te lariçamento de quaisquer liiiiids telegráficas de Portiigal oii cia Mxleira para os Açores. 15 de de Junho-Lei, iiiaiiterido a liberdade de cultiird, fabrico e comercio de taixico lias illias adjacentes. 15 de Jlrlho-Portaria, dando in,;truções aos capitães dos portos d? Ponta Delgada, Angra, Horta e Funchal para a execução dum novo regulamento geral de contabilidade públics. 24 de Agosto-Decreto, aplicaiido 5 ; alfândegas do Funchal, Angra e Horta o decreto de 3 de Agosto de 1881.

14 de Agosto-Decreto, conceses estranjeiros coiíi destino às ilhas derido à Camara Munici a1 da Pondos Açores e Madeira. , 17 de Novetnbro-Portaria, lou- ta do ~ o i unia casa na Freguesia da Ribeira Brsva, varido o Governador Geral de An- escola primária. para ali coiitiiiuar a gola, o coniaiidaiite, oficiais e pr.1ças da corvet i Rainha de Portug(~1 20 de Novembro - Decreto, e ocidadão João JoséRadrigues Lei- rnaiidando abrir conciirso para a tão, pelo niodo digno e patriótico coiistrução por empreitada geral, do com que realizaraili a ocupação du- p :rto artificial ou doca de abrigo. nia facha de território de Kacongo até ao Massabi. 14 de Março-Saíu no Diário do Govèriio, de5L-i data, o ternio do 6 de Março-Lei, aprovando os contrato provisório para a coiistrucontratos para o serviço de vapor ção do Porto artificial d o Funchal*. entre Lisboa e as ilhas da Madeira 2 de Maio -Lei, coiicedendo e Açores. certas vantagens e isenção aos 6 de Março--Lei, aiitorizando o navios de vela e a vapor que degov6riio a reforinar tio posto de al- riiaiidsreni os portos da.; illias da feres o antigo cadeledo batdlhão de Alarieira e Açores. arti1h:tria de liiiha tla Ilha da 7 de Madeira, S.~biiioJosé d'0riielas e iiorii2ação Maio--Lei, perriiitindo a defiiiitiva dos actiiais V~sco~~celos. menil~rosprovisórios d o carpo do11 de Março-Lei, deterrniiiaildo ceii te da Escola Médico-Cir~irgica que o excesso da receita qiie iio do Fuiiclial e aumeiitaiido os ordeDistrico tlo Fitiich.,l provier das 1110- ii idos dos professores da rnesrila dificações cta Lei de 13 de Maio de Escola. 1864, sirva de anuidade para os eii16 de Julho-Lei, à cargos duin ciiipréstirno destinado CAmara do Fuiichal o aiiexando do julgado à coiitinuação das obras das levadas d e irrigação lia Ilha da Madeird Porto Saiito. 16 de Julho-Lei, torri,tiido ex20 de Março-Lei, desaiiexaiiCornarca do Fuiichal a c10 da assembleia eleitoral d a Ponta tensiva à do 5 2.O do artigo 841 do Sol a freguesia da Tabiia, para disposição do Processo Civil. formar com outras um novo conce- do Código 30 de Julho-Lei, convertendo lho lia Ribeira Brava. o contrato provisório 16 dc Maio-Lei, autorizando eni Odefinitivo ultimo para a coiitio governo a coiiceder à Câmara de de Maio riuação Municipal do Fuiichal o domíiiio chal. do pôrto artificial do Fundirecto da cêrc i do extinto conven25 de Julho-Lei, mantendo a to de S. Francisco, para ali coristruir u m ieatro e isentando por iiin liberdade de cultura, fabrico e corino, de direitos de entrada o niate- mércio de tabaco nos distritos dos A~orese E'unclial. ria1 destiiiado àquela coiistrução.

30 de Julho-Termo do contrato definitivo para a construção do ~ d r t artificial d o Funchal. o 20 de Agosto-Decrcto, traiisferindo a estrada rnutiicipal dx Poiita do Sol n S. Vicente tla Ilha da M~deira, para eilrnda ria1 coni a desigiiação N * 23 Poiita do Sol, Pntil . dn Serra, S. Vicente. 8 de Outubro-Decrelc), regiilatido o iniposto sobre a cultiira, fabrico e comércio de tainco iios distritos do Funclial c Açores. 21 de Outubro-Decrcto, iiegando provirilento i10 recurso rio Secretário Geral do Govêrrio Civil do Funclial sôbre pagamento duma certa quantia pela Camara Mutiicipal de Machico. 5 de Novembro-Portaria, declarando geral o benefício de armazenagem gratuita que devem ter nas alfândegas, as mercadorias traiispor-, tadas pelos navios da eniprê.;a de navegação a vapor eiitre Lisboa e as ilhas da Madeira e Açores.

Maio de 1872 na parte relativa .to imposto do consutiio shbre o s;i1. 7 de Julho - Decreto, (1;iiido ~~ro\,iniei~to ,to reciirsu do Sccret:irio Geral do Guvèrno Civil t l o Fiiilchal cotitra gratific içíe ; i.otada ; ~ i o orçamciito (ia (-3m ii. i A~iitiicipai daquela ciJade, ])ara certos scrviqos.

28 de Março-Portaria, dcclararido que aos ni igistra(lo< e eiiipreg~rios de Justiça d;is ilhas r+tljacentes é aplicarlu o pr iso clctermiriado iios 95 1.O e 4 . O cio artigo 30 (10 decreto de 29 de Jultio ti:. dt 18%.

22 de Março-Lei, prorogaiido por nlais tres anos, s iseiiçâo de direitos de importsça,) sUbre o açucjr prodiizido na I l h ~ Madeira. da 12 de Maio-Decreto, autorisando a Misericórdia do Funchal a vender certos apólices da divida pública do império do Brasil. 26 de Maio-Decrelo, negaiido p!ovimcnto no recurso do secretario Geral do Govèrno Civil do Funchal sobre a ilegalidade de alumas disposiç6es do regulameiito feito pela Junta Geral do Distrito para a execução da Lei de 13 de

33 de Fevereiro-Decreto, determinando que fique pertericciitio ao círculo aduaiie ro do iiorte, o Distrito tle Coimhra, e ao circulo aduaneiro do sul, a Alfiiiddga do Fuilchal, 5 Abril-Lei, equipararido o orcieiixdo do guarda-mór de saiíde do Pôrto, aos do Fuiichal e Poiiia Delgada. 5 de Abril-Lei, autoris~iido o govêrno a aplicar à cultura c1 i calia de açlicar do Distrito do Futichal, o decreto de 9 de Dezembro de 1886. 8 de Maio-Lei, periilitiiido o pagameiito em prestações meiisais das coiitribuiçóes de repart içâo e ciu lançnmento em divida no Distrito do Funchal até Dezenibro de 1887 e o abono de 3 por ceiito aos devedores que iiâo se aproveitareni desta faculdade. 26 de Julho-Lei, perriiiti~ido

às associações de Heréus das Levadas da Ilha da Madeira oii de qualquer outra região do país, adquirir bens imobiliários de Sctemóro-Decreto, determiriando a forma por que deve ser feilo o paganicnto das coritribuiçóej de repartição e liiiçzniciilo eiii dívida no Distrito do Funclial, er:: 31 de Dezembro de 1887.
1889

13 dc Abril--Dc.crcto, prbverido no recurso do agente do niinistério público, junto do tribuiial ;idrniiii~;trdtivo cio DisLrito do Funchal sôbre a coiitribuição suiituária. 25 de Outubro--Decreto, determinando que seja 3l)erio ]:o miiiistério da fnze.ida, a favor (1:4s obras píiblicas, iitii crétlito esl~ecial11.i~i despesas (10 pôrto artificial do Punchal.
1891

10 de Janeiro-Decreto, crixndo umi Escola de Desenho Indrrstrinl na Cidade do F ~ c h a l outri e Matosiiihos, Concelho de BUUÇS . \ 14 de Junho-Decreto, regulalido o s e h w das entregas do produto da emissão de vales do correio nas ilhas dos Açores e Madeira. 14 de SefembrodDwreto, tertiancto extensivo às bacias hidrogrdfims da ]lha dd Mideira, as disposições da lei de 6 de Marçode 1884, relativas aos serviços das levadas. 20 de Sefemóro-Decreto autorizando a hQsericordia da' Vila da Calheta (Madeira), a alienar 03 seu.; bens, convertendo-o; em fuiidos públicos, e averbando-os ao Asilo de Mendicidade OU ? i Miserikórdia do Funchal, Para serenl 0s UrOS aplicados aos pobres ddqilele concelho.
1890

5 de Janeiro-Decreto, proveiido no recurso do agente do milli.;tério publico, juuto ao tribuiitl administrativo do Distrito do Funciial, sôbre contribuicão predial. - . de jantiro-Decreto, co,?ipletando o quldro do Lazareto do Funchal.

28 de janeif o-Decreto, riegalido provimento iio recurso do ageiite do miiiijtério l)fiblico juIito do tribuiial adniinistrativo do Distrito do Funchal, s6bre coiitribuição de renda de clsa29 de Janeiro- -Decreto, decl,irarido urgeiite a expropriaqio duma parcela terreno Para alargdrnarlto da travessa c0iitítlg~aaOS paços do Concelho da Calheta* 12 de Feve~eiro-Decreto, declarando que passa a ser considerada para todos 0 5 efeitos, estação de pem1~taÇÓesde eiicomeiidas interIIacionai~,a direcção telégrafo-postal do F~nchal2g de Maio-Decreto, malidana dando incluir várias estradas 110 Ilúmero de ejtraddç muIlicipais de 2.' clilsse do Distrito do Funclial. 18 de Julho-Decreto, tleterniiiiaiido que ,is notds cil! circulação, no Distrito do Funch;-ll, só possarii coritinu ir a ser recebida; yiiaiido ni:ircadaç com um carimbo especial e seladas coin o sê10 da :.$iicia do Ranco de Portugal naquele distrito* 8 de Outubl o-Decreto, deter-

nii~iarii;~ conio no Distrito do Furi- tre Lisboa e as Ilhas da Madeira e chal se deve executar o regiilamen- Açores e entre a Madeira e o Porto to sdbrc comércio de trigo. Santo.
3 de Fevereiro--Decreto, toinanilo diversas providências sobre ti circulação das cédulas de rnoéda de brorize no Distrito do Fuiiclial. 2 4 de Novembro-Decreto, regulando a execução d o $ 1.O d o art.O 2.O do Decreto de 6 de Agosto de 1802, corn referência à escollia de comissões distritais nas vogais d ~ s ilhls adjacentes

24de Janeiro-Portaria,

aprovan-

4 de Maio-Decreto, iiegando provinieiito no recurso da Câiilara Municipal d o Coiicellio do Funclial, sôbrc substituição, por ausência teiiiporaria, dum dos seus vogais efectivos, eleitos pela i~iinoriados eleitores. 2 7 de Julho-Lei, autorizando o govêriio a contratar por meio de licitação, em hasta pública, o serviço de iiivegzção a vapor eiiire 1.isboa, Mndeira e Açores. 11 de Outubro--Decreto, aprovando o regulamento do comércio de ceredis no Distrito do Funchal. 30 de Novembro - Teriiio de contrato provisório celebrado com a firma cornerciai Beiisaíide 8E Caa, para o serviço de navegação a vapor eiitre Lisboa e as ilhas da Madeira e Acores, c entre a Illia d i Madeir'i e a d o Porto Santo. 6 de Março-Acordão, apro19 de Dezembl o . Portaria, alte- vando a eleição da comissão de rerando o artigo 1.O d o coiitrato para censeamento político do Concelho o serviço de navegação a vapor en- d o Funchal, a que se procedera.iio

tre as Illias da Madeira e PortoS:iiito, e bem assim o regulanierito do serviço de bordo dos vapores da Empresa Iiisulana de Navegação. conce17 de Maio-Decreto, dendo provimeiito no recurso d o ageiite d o ministério público na Cornarca do Fiinchal, d:i Câmara hlunicipal d o mesmo coiicellio e de Luiz Reteiicourt Miraiida icêrca d o provimento d o lugar de secretário da referida câmara. 30 de Maio-Portaria, noniealido uma comissão para proceder ao estudo do regimelito florestal e das àguas na Ilha da M~deira, e iiiciicar os meios de os ~nelhor~tr pcla foriiia mais coiivenieiite. 23 de Agosto-Alvará, concedeiido a Francisco José Lopes, licença para estabelecer um camiiiho tle ferro ainericaiio tio troqo d a estrada n.O 23, litoral da I l h i da Madeira. 9 de Novembro-Decreto, determinando que seja aberto i10 ministério da fazerida uni crédito especial para pdgaiiieiito da subrogüçáo da perisáo aiiual pelo terreno do leito da levada do Furado, lia Illia da Madeira.

c10 a tabela das viajens a vapor cn-

dia 7 Janeiro do correiite :rilo.

30 de Abril-Decreto, suspeiidendo, com respeito à Ilha da Aladeira, a legislacão que reglilLi o cuinércio entre portos iidcioriais e Ilrorogaiido por mais cinco aiios o praa;o pnra a iiiseriçâo do clircito de carga iio I'orto do Funclial. 2 de Junho-Decreto, coiiccderido provisóriaiilente à oficiiia de S. José do Fuiiclial, a cerca d o supridamido coiivelito d i E~icarilação quela cidade, par* a explornr por sua conta, mediante certas cláusulas. 16 de tlgosto-Decreto, aprovaiido o contrato feito pela câmara municipal da Cidade d o Furichal, para i lumiriação da mesma cidade por meio d e luz elétrica. 16 de Agosto-Decreto, dissolveiido a câmara municipal do Condo celho .do Pijr~o Moiiís, Distrito do Funchal, e substituiiido-a por tima comissão. 5 de Outubro-Portaria, nomeaiido uma coniissáo para estudar as causas da crise comercial e económica por que está passaiido a Ilha da Madeira, e apresentar os resultados dos seus trabalhos. I8 dc Novembro-Decreto, dando nova classifica.;ão aos concelhos pertencentes aos distritos das ilhas adjacentes (suprimido o Concelho do Pôrto cio Moriís). 18 do Novembro-Decreto, deteri~iiiiaiido que a freguesia da3 Achadas da Cruz do extiiito Cai:celho do Porto do Moiiís, seja anexada à assembleia da Fajã da Ovelha, Coricelho da Calheta. 18 de Novembro-Decreto, dan-

do nova divisão às comarcas das ilhas adjacentes. 18 de Deze~rzbro -Portaria, dando colocLição ao 5 erilpregacios muiiicipai; e admiiiistrativo~jc10 extiiito Coiicelho clo Pôrto d o Monís. 13 de Dezembi o--Decreto, determiiiaiido a divisão dos bens, proventos e eiicargos que prcteiiciam ao suprimido Coiicelho d o Pôrto do Monís. 30 de Dezembro--Decreto, estabelecendo iiovos direitos sobre o acuçar superior e melaço da cana de açuceir, irnportxtlos para consu1110 no Distrito tio Fuiichal e isentando dc direitos a importação para coiisunio i ~ oContiiieiite e Açores do açucar origiiiário da Ilha da Madeira.

3 de Janeiro -I'ortari:i, autorizando a Saiita Casa da Misericórdia do Funchal a transferir urna certa quantia da caixa de fuiidos para a de rendimentos, a fim de seraplicada a obras de canalização de águas. 2 7 de Fevereir o Decreto, alterando algumas disposiçõei do decreto regulamentar de 31 de Janeiro de 1889, relativamente a serviços de excime e despacho de bagagem na Alfaiidega do Funchal. 4 de Março-Decreto, determi-' nando que as notas d o Banco de Portugal e as cédulas representativas da moéda bronze tenham livre curso no Distrito do Funchal.
12 de Março-Decreto, concedendo à associação auxiliadora das missões iiltramdriiias, o edifício e dependências do suprimido convento

de Santa Clara d o Funchal, para fuiidação de certos iiistitutos de instrução e caridade. 1I de! Maio-Lei, autorizando o govêriio a adjudicar a qualquer eniprêsa nacional de iiavttgaçào a vapor, poi. concurso, o serviço de navegação para as ilhas atljacentes. 13 de Maio-Lei, autorizaiido o govêriio a conceder isenção de direitos ou de quaisquer iiiipostos locais, durante uni ario, aos riiateriais destinados à iluminação a gác, dn cidade de Poritci Delgada, e à luz elktrica da Cidade do Fuiichal, beni corno ao iiiatcrial circiilaiite e fixo d o Caminho ue Feri-o do Moiite, na mesma cidade. 21 de Maio-Lei, autorizando o govêrno a adjudicar, eiii concurso, público, a construção e exploração das levadas d e água de irrigação no arquipélago da Madeira. 18 de Junho-Decreto, iiiaiidaiid o abrir concurso para a ailjudicaçâo das levadas d e água de irrigação ria llii,~da Madeira. 24 dc' Março-Decreto, iiiaii( i ~ i i d oconcluir unia estradz d o Concelho d a Calheta, no níiiiiero das estradas municipais de 2.' classe d o Distrito d o Fuiickial.

Fiiriclial a aplicar iitiia certa quantia ao pagarneiito dos niedicameiitos foriiecidos à f,irniácia d o respectivo liospital. 23 Junho--Decreto, fixaiido o iiíiiiiero e veiiciriie~iíodos guardas campestres d o Coiicelho do I'unchal. 16 de Setenzúro-Lei, prorogatidoa autorização aogovêrrio paraconceder iseiic;ão de direitos ao iiiateria1 de.;.iiiado à iluininacão píiblica :i luz elétrica, na Cidade do Fuiichnl, e i.iciitando de direitos por mais um ano, o tii~teriiiliieceisfirio à eniprcsd de carrís de ferro da niesma cidade. 16 de Srtcrnbro Lei, extiiiguirido o imposto de 150 reis sdbre cada quilograrriacle cariies verdes qiie o Estado cobra no Distrito (10 Fiinctial, e aiitorizaiiilo o govêriio r i fazer diversas concessões h Caiiiara Miinicip~ld o Fu~ichal. 20 de Scternbro-Lei, autorizan(1o o govêrriu a disp;)r da percentageiii de 35 por cento qiie tem a cobrar (10 concessioiiário t l ~ s levadas tla lllia da Madeiru. 18 de Novembro--Decreto, dis(10 solvendo a (3inara Miiiiici~~al Coiicelho de Câiiiarn de Lobos e norneatido u r i i ~cornissào para gerir iiiteririamente os riegócios iiitinici14 de junho-Portaria, autori- pais. zando a veneravel Ordem Terceira d e Nossa Senhora d o Moiite Cariiio, 7 de Março-Portaria, eiicarred a cidade do Furichal, a aplicãr d? seu fundo uma certd qiiaritia, a gaiido o eiigenheiro chefe d e I.a comprà e coricêrto de objectos d o classe, Adolfo Ferreira Loureiro, de culto e à reparàção urgente na Igre- certos serviços píiblicos ris Cidade do Funchal. ja d o Cariiio e casa do coniissário. 10 de Março-Decreto. autori19 de junho-Portaria, autorizando a Misericórdia da Cidade d o zando a Câiiiara Municipal d o Con-

celho de Sziitzria (Fuiichal) e Iiomeaiido uma comissão para gerir iiiteriiiarnente os negócios rnunicip;~is. 28 de Abril-Decreto, autorizindo a Câmara Muiiicipal (10 Concelho da Calheta, a criar tres lugares de guardas campestres coin o ordciiado aiiual de 80$000 reis. 5 de Maio-Portaria, autorizando a Associação Protectora dos Pobres do Funchal, a adquirir por compra uni prédio para nela se instalar a mesnia associação. 22 de jilnho-Lei, coiisiderdndo o Hospital de Rilhafoles, como iiospitalízação de dlieiiados do Distrito do Funchal. 22 de Junho-Decreto, traiisfeferiiido par i o Juizo de Direito tlri Comarca do Futichal o ju1g;imeiito das cotitraveiições e transgressões das posturas muiiicipais do coiicelho d o niesnio título.
26 d ~ Jíllho-Lei, ! declarando de utilidade pública a expropriação do terreiio iiecessário para execução de tadas a obras de abasteci~iierito de água potdvel lia Cidade do Fuilchal. 17 de Agosto-Lei, a;ilpliando as atribuições dos juises de Pnz do Distrito do Funchal, naséde dos coiicelhos que não forem cabeças de comarca. 9 de Setembro-Port.-tria, mandando a ~ l i c a aos distritos das illias r adjwentès as disposições da portarir d e 16 de Jullio de 1859, relativalnelite as despesas coiil o sustento dos preso; da polícia das cadeias. 25 de Novembro-Portaria,àcêr-

ca da regulamentação de trigo das ilhas adjacciites. 30 de Novembro-Portaria, s6bre o mesnio assu~ito. 23 de Dezembro-Decreto, s6bre o mesiiio assiiiito.

10 de Março-Decreto, aiitorizaiido a importação de 4.800.000 qiiilogramas de trigo exótico no Distrito do Fiinclial e fixniido o direito por quilogr ama. 20 de Março-Decreto, decla. rando urgetite a expropriação diiiii terreno com duas nascentes de hgua, requerida pela Câiiiara Muriicipal de Câriiara de Loboj, para ablistecimento de Aguis potaveis lio concelho. 26 de Abril-Decreto, prorogando por mais cinco anos o praso d e isenção do direito de carg:i rio PBrto do Funchal. I0 de Maio-Decreto, neg,tndo provimerito no recurso de João Artur de Soares Henriques, contra a sentença do auditor admiiiistrativo que anulou a deliberaçâo da Câmdra de Câmara de Lobos, que o iiomeara médico municipal. 21 de Junho-lei, autorizando o governo a converter em definitivo o contrato provisórío para o lançamento e exploração dum cabo submarino que partiiido da Oran-Rretanha, pêias -ilhas da htadeira e S. Vicente, se dêstiile A Africa do Sul.
Câiiiar~ Pestana, petição anual de Dara cds unia e determiiiando quê o govêrno faça eiigir
à nlài e fillio do professor Luiz da

25 de

J'Lnho-Leip

600$.

iio rinl institiito bacteriológico, uni tlade de trigo exótico a importar paii~oiiiiiiiciito condigiio B ineni6ri:i ra cr.trisu~iio diiraiite o correiite alio (10 referitio ~~rofesior. cere.ilifero ria Ilha da h!adeira, coiii[.trceiideiitlo os 1.600.000 aiitoriza4 de Sctcrrzbro-! >ccreto, dispor sol\~c.iiclo.i delegucio (10 iiiercatlo dos19t,o. decreto dc 5 tle Seteiiibro ccaiitral tlc ~irod:itos agrícolas iio »istrito (10 Ftinclial, c!eve~ido 92s 28 de Mn:.go Decreto, aprovalic~ii-~titiiíd;t foriiia deteririiiiada pela a delibcraçáo Câlllara Mliiii1'ar:L as restaritès delegações iii~illa- cilJal de (:%lii,ira <Ie I,obos hccrca rc.; c regiiiaiiclo o f,:l,rico de f u i - da orgaIIisLiq,;\o do çervic;o clíllico iilia tle trigo e:;ótico. tlo coiicellio, seiii aiiiiiciitc~ tlcstlc 5 dc ~ ~ t ~ ~ ~ ~ úIwsa e destribuido por qiiatro par- ~ r ~ - ~ ~ ~ ~ ~ t riz.iiitlo a iniportaçrio i i o Distrito do titios. I'iiiichal de 1.600.000 quilograinas 28 de Março-- Decreto, alitori<i(. trigo ercítict), fixaliti0 0 rlircito zalit]o 3 (;âlllar;i Miljlicil,.;l de Sallcie 15 reis por qiiilogratiia. 1iria :i crisr iii:i g~inrd:~ c::iiipestre 14 dc Spt<.mbr-o ~ ~ ,al,ro- c0111~ (10t:i~ão , ~ ~ a t ~ aiiiial tle60S000 rei5. ~:iiido tlciiher,içáo (1 i ( :âliiara (10 a 2,5 dp Abr.il--r)ccreto, inalidanf'iiiich~l acerca (10 colitrat0 para < ~ oincliiir 110 niíliiero <l;isestradas :ibastccii~ieiito d e tígu'is e tlc C S ~ O - illu~iicipaiç 2." classe (10 Distrito tos daqiiclri cidsdc. d o Fuiichitl, iini:i estra(la iio (301129 de Novemljro - Decreto, celho tlc Saiita Criiz, da Iltia cl;i aprovando a deliberação da Cáiii-ira Muriicipal de Ssiits Cruz, àcêrca 4 dc Jlrnlzo-Decreto, abrilido (Ia cri-tção dliiii partido veterin:íric) 11111 crédito aplicatlo ao paga,!iciito coiIi a d o t a ~ à o dc 240$000 reis de venciiiieiitos dos eiiipregados anuais. chamados à efccLividade d o serviço do Lazareto do Fiiriclial. 1901 12 de [unho-Lei, iiiodificando 17 de Ianeiro-Decreto, a,)ro- 2 organiiação especial facultada a<l~niiiistrativosdos vaiido a deliberação da Cailiara aos distritos Municipal de arriara de Lobos, clccl*etO de de 1895, e tornando-a extensiva ao àcêrca da criação duni lugar de Distrito do Funchal. guarda do ceriiitério, com o ordciia13 de Jullzo-Decreto, aprovaiid o aniial de 123000 reis. al,rov;ii,- d o z tabela definitiva para o r'iteio de do trigo exótico na ilha da Madeira. vaiido a deliberacão da Ciiilarx Miiiiicipal cle S. ~ i c e n t e , Distrito d o I de Agosto-Decreto, aprovanFurichal, àcêrca da criaçrio duni do a clclihera~r?~ Ciiiiara Muiiida partido clinico coni a dotação aitiia1 cipal de Sailia Cruz, ilha da hlride 240$000 reis. deir,i, ic$rc,t tlci criação dum lugar 28 de Março-Decreto, fixatitlo tle zelador. 29 de Agosto-Decreto, elevanem 4.500.000 quilograiiias ;i quanti-

,

do a liceus nacionais centrais, os liceus nacionais de Ponta Delgada e Fiinchal. 10 de Setembro-Decreto, aprovando o quadro dos enipregados de expedietite da Junta Geral do Distrito do Fuiiclial. 19 de Outubro-Decreto, adiando a eleição da Ji~iitaGeral e da Ciiiiara Muiiicipal do Distrito do F~iiiclial para o dia erii qiie oportiiiiaiiieiite scrA tiesigiiado. 14 de Novelrrbro--Decreto, iie(raiiílo proviitieiito i10 reciirso de Joaq~iiiri Carios i ~ c Oliveira contra a trarisCerêticia feita pelo goveriiador ci\*ildo Furic*lial,do secretirio da adiiiiiiistraçáo tlo Concelho do Porto Saiito, par'\ o lugar vago da secretaria da aílmiiiistrqáo do coiicelho claquela cidade. 3 dc Dczer~tbro-Por twia, deiiegrrndo aiitorizaqão para o segiiiiiiciito i10 piaoceçsc)iiistaura(1o coiitra o adiiiiiiislratior do Concelho de Santa Cruz, 1)islrilo do Fiinchd.

Senhora das Mercês da Cidade do Funchal.

I2 de Fevereiro-Decreto, abrirido crédito para pagaiiieiito dos professores dos Liceus de Ponta Delgada c Puiichal, elevados a liceus centrais.
10 de Abril-Decreto, detertiiinaiido que o ria1 Iiistituto Bacteriológico de Lisboa passe a denominar-se: Ria1 liistituto Bacteriológico ~Câiiiara Pestana*. 23 de Julho--Decreto, fixando eiir 5.01K1.000 qiiilogranias a qusntidade de trigo excítico que pode ser iinportado para consuino na Ilha da Madeira, no corrente ano cerealifero. 2 de Agosto-Decreto, aprovando a deliberação da Cirnara Miinicipal do Funchal àcêrca das que pretencondições do coiic~irço de cobrir para a coiices~áo estado beleciniento e exploração de caniinlios de Ferro americanos naquela cidade. 30 de Agosto-Decreto, fixando eni 5.500.000 quilogramas a quaiitidade de trigo exótico a importar para consuino, durante o corrente ano cerealifero na Ilha da Madeira, pagando-se de direito 20,6 reis, por quilogrania.

12 de Dezembro-Portaria sôbre o iliesiiio assunto. 14 de Dozernbro-Portaria, autorizando ;i Confraria do S.S. Sacraniento da freguesia de S. Pedro, da Cidade d o Fuiichal, a coiitrair uin empréstinio coni aplicação aocoiicêrto dum prédio que possui na rud da Queiiiiada de Ciiiia. 24 de Dezembro-Portaria, aprovârido os estatutos da Associação de Nossa Senhora das Victorias, da freguesia de Santa Cruz, Ilha da Madeira. 24 de Dexernbro-Portaria, aprovaiido coiii certas cláusulas, os estatutos da Associação de Nossa

30 de Setembro-Decreto, autorizando a Jurita Geral d o Distrito do Funchal a reunir-se extraordinariailiente, p r a tomar deliberação àcêrca dos orçanientos da sua gerência. 27 de Dezembro-Decreto, denegando autorização para o segui-

20.00095000 reis p;ir;i ocorrer ao p;ig;iiiiento tlas deliliesas coni a coiistrução de iiuv,is levati4içiia 1111s da Madeira. 34 dc L~czcmbro Dccrcto, aprov:iiido a c1eliber;içào tl;i !:ririi,ii,i 19 dc Janciro-- Portaria, deiic- Miiiiicipril d o I'6i Lo tio l\íloiiii, hc.i.rde gando autorização para o scgi~i- c<i do eriipresti~l~o 5. '3!I( J'k! ) O 0 mento do proce8;so iiist;i~ira<!oi n reis pari1 acliiibi<,iodiiin prédio t icsi Comarca d e S. Vicente coiilra o liiiado i iristal.tçào CIOS l I ' , i ? ~ (10 escrivão de fazenda iiiteriiio do ~:oiiccllio. Concelho d o Parto d o Moiiis. 24 dc Dezcrr~bro -I~ecrt.lo, a5 de Fevereiro-Decreto, apro- l~rovaiido o rcgiilaiiiciito parti vievando a deliberação da Câmara ciiçao d o decreto clc 24 de ScjeiiiMunicipal d o Ftinchal àcêrca d:i bro íiltitno, qiie oiitor;!oii varias criaçâo de doze lugares de canto- providências desliiiaclas ao foiiieiito rieiro com o venciineiito de 450 reis industrial e agrícola tlu Distrito do Furichal. diários. 14 de Fevereiro-Decreto, fixando o qtiadro dos empregados dos serviços a rícolas, a cargo rla 13 de Jaízriro Decreto, ;ititoriJunta Qeral d o bistrito do Fuiiclial. zaiido a Junta Geral cio Dit-trilo d o 11 de Abril-Portaria, tlenegan- Fiiiichal :i reiiriir-se cxtraordiii5riad o autorização para o segtiimen- riieiite para delihcrnr bcêrca (10 sei1 to d o processo coiitra o adrniriistra- orçameilto e servicos de desiiifecção dor do Concellio d e Machico, Aii- ptíblica. tónio Ltiiz Nunes Vieira. 3 de Marco-Decreto, autori12 de Junho-Portaria, deiie- zando a Câmara Municipal rle Saiigando autorização para o segui- tana a criar, coni a dotaqáo de merito do processo criniiiial coiitra 6.030 reis aiiuais cada iiin, dois luo administrador d o Concelho de gares de guardas dos ceiiiit4rios das Machico, António Luiz Nuiies Vi- ireguesias de S. Roque cio Faia1 e eira. d o Arco d e S. Jorge. 10 de Agosto-Decreto, fixan15 de Março-Portaria, deiled o em dez o riúniero de zeladores gando autorizacão para o prossemunicipais d o Coticelho do Porto guimento d o processo criminal coiid o Moiiís. tra o adniiiiistrador cio Coiicellio 24 de Setembro-Decreto, a- tle Santa Cruz, Luiz Ferreira cle provando as providèncias destina- Menezes c Agrela. das ao fomento industrial e agríco11 dè Maio-Decreto, crinritlo la d o Distrito d o Funchal. e regulalido o serviço de policia 13 de Novernbro - Decreto, especial d e repressão de eiiiigraqào abrindo um crédito especial d e clandestina iio Distrito d o Furichal.
7

inento do processo instaurado coritra o atlininistrador qiie foi, tlo Concelho da Ponta do Sol, Caridid o Gomes.

16 de Maio-Decreto, coilvocaiido a Juiita Geral do Distrito do 3 ti I Jnllciro--Decreto, ;ibiiiitlo Funclial parn exlraordiiiáriariieiite ~ i l i i credito c:spcci:il tle 16.051$000 deliberar àcerca do orqaineiito e de reis, por3 c1espes:is a efectii:ir corii abisteciiiieiito de águas potaveis a coiistriiqio clc iiov;is Icv~iclasi i i i iiaquela cid-tde, Illia (1s hlacieira. 3 ílc Jnriciro -I jecrcto, coiicc17 de Maio-Decreto, aprovaiido o quadro e veiicii~ientosdo pcs- deiido ~ i i i i prazo j)or ni:iis ciiico so,il para o 13Ô;to de J3acteriologia :iiloç, l),ira a iseiiçno tfe dircitos de e Higiene da Juiita Geral d o Distri- carga iio I'ôrto do Fuiiclial. to do Fundial. 16 dc Mnrço---.Decreto,fisaiido 23 de Maio-Decreto, aprovaii- eiii 400$000 reis aiiuais a dotaçfio do o quadro e veiici~nentos do do partido liiédico iiiiiiiicipal da Ripessoal d o Pôsto de Desiiifecção beira IZr.iv:i, v:tgo no Coiicelllo d;r cla Jurita Geral do Distrito do Fun- Ponta do Sol. chal. 4 de Abril--I)ccreto, ni:iiidaii<lo 9 de Junho-Decreto, aplicaiido proceder à eleição cliiiii clepiitado ao Distrito d o Furichal as disposi- da Nação pelo círculo 1i.O 23 (Fuiições d o artigo 68 do regulamento c11al). de 23 de Julho de 1889, relativo ao 10 de Abril---Decreto, tletertiiicomércio de trigo i10 Contineiite iiando que a Secção Zoológica d o do Reino. Museu Nacioria1 de Lisboa se dcno4 de Julho-Portaria, criando niiiie Museu José Viceiite Barbosa um pasto fiscal no lugrir da Ajuda, de Rocage. sec;ão do Funchal. 2 7 de Maio--Dc.creto, fixando 1 de Agosto-Portaria, apro- os veiicin~etitos d o coinissrírio do varido a tabela de rateio dos trigos Corpo de Polícia d o Distrito d o nacioiiais e exóticos pelas fábricas Funchal, cabos de secqão e guarclas de nioágem matriculadas na Ilha da do inesmo corpo. Madeira e Açores. 2 7 de Maio-Decreto, fixaiido eni 270$000 reis a dotação aii~ial do 15 de Dezembro-Decreto, re- partido iiiéclico, vago iio Coiicellio jeitando o recurso dum vereador cta da Poilta d o Sol. Câmara Municipal c10 Funchal con12 de Junho---Portaria, coiicctra a nomeação feita pelo goveriiador civil d o distrito, dum secretário cleiido a EduarJo Cerengiier c J:iide administração daquele co~~celho.iiie Cristiiio de Scqueira e Brito, liccriçz~ por ii111 alio, para a rocegri15 de Dezembro-Decreto, es- gclii cla F3:iía do Fuiichal, e a apatabelecendo os termos e formalicla- ilha clc objectos coiisiderados perclides, que dever!i ser observadas lia dos iio iuiido do lixar. importacão, com isenção de direitos, 1!1 de Jirnho- -Decreto, aiitoride material e iiistrunieiitos para os sanatórios de tuberculosos na Illia zaiido :i iiiiportaçào tle 1 ,000.000 quilogranias de trigo exótico para Madeir a.

consumo rio Distrito do Funchal, tiiedialite o direito de 20 reis por qiiilogr;i~nas. I I dc Jtlllzo--Decreto fixando em 360SCWO reis anuais a dotaçfio d o partido iiiédico muiiicipal d o Co~icellio de Saiitaiia, Distrito do Fiiiiclinl. 11 dc Jrrlho-Decreto, coiicetleiid o provistiriaiiieiitc ao I<evereiido Bispo do Fuiichal, o edifício d o suprirnído coiivento da Incarriação, daquela cidade, para estabelecirneiito diim seliiinário diocesario. 28 de Jrlho-Portaria, concedeiido liceiiça por tres anos, a unia eriipresa par;t a e:íploração d o f u i i d o da Baía d o Funchal. 1 de Agosto~Portaria, aprovaiid o a tabela d o rateio do trigo naciorial e exótico, i10 Distrito d o Fuilchal, iio alio cerealífero de 1905 a 1906. 24 de Agosto-Decreto, abrindo uni crédito especial de 20.000$000 reis para as despesas de construção de iiovas levarias ila Ilha da Madeira, no exercício de 1905 a 1906. 9 de Setembro-Decreto, autorizando a Juiita Geral, do Distrito d o Fiinchal, a reunir-se extraordináriameiite para deliberar àcêrca dum orçamento suplementar e ontros assuntos.

cavel, às dos Distritos dos Açores, as disposições d o decreto de 24 de Dezenibro de 1903.

27 de No~~elrzbí-o Portaria, tilandai~do iricluir o Posto de Racteriologia e Higiene do Fuiichal, na tabela das repartiqões e fuiicioiiários que podeni receber e expedir correspondGiici?. oficial. 26 de Dezembro-Decreto, tornando exclusivo às fábricas d o Distrito do Funchal e na parte apli-

18 de Jrrnc iro- Decreto, revogando a seiiteiiça do itiitlitor adniinistrativo do I'uiiclial que aniiloi~ certa deliberação cla Juiita Geral do Distrito, com o fundairiciito de ter sido tornada ilcgalnieiite. 18 de Janeiro--! )ecreto, físando o quadro d o pessoal e vencimentos cios empregados no Maníc h i o Câinara Pestana, a cargo da Juiita Geral d o Funchal. 21 de Janeiro-Decreto, autorizando a importação no Distrito d o Funchal de 250.000 quilogramas de trigo exótico mediante o direito de 21 reis por quilograma. 25 de Janeiro-Decreto, autorizando a Junta Geral do Ilistrito do Funchal, a criar uma delegação fiscal para execução clos serviqos de fiscalisação dos produtos agrícolas, e designando pessoal e veiicimeiltos da mesn:a deliberação. 31 de Janeiro-Decreto, convocando a Junta Geral d o Distrito do Functial a reunir extraordíiiríriamente. 8 de Fevereiro-Portaria, dando por findo o reginie provisório das comiss6es adiiliriictrativas da Santa Casa da M-isericórdiad o Fuiichal. 10 de Março-Portaria, iilâiidando iiicluir i Junta Geral d o Dis: ~ trito do Fui!clral, ila tnbela ~ 1 : icorporações que podeiii expedir e receber correspoiid?ncia oficial pelo correio.

9 de Abril-Decreto, dissolvcn- revisão da tabela de rateio do trigo do a Juiita Geral do Distrito do iiacioiial e exótico lia Ill-ia da MaFunchal e iiomeando ilnia cotiiissão deira. administrativa. 31 de Agosto-Portaria, apro4 de julho Decreto, aiitorizan- vando a tabcla, revista i109 termos do a iniportação tio Distrito do da portaria de 17 de Agosto do corFuiiclirtl de 750.000 q~iilogramas. rente alio, Il;irri o rateio do trigo iiacioiial e exótico iio Distrito do 29 dc Agosto--Decreto, abriiido Funchal, i10 ano cerexlifero de 1007 uni credito especial de 20.000$000 a 1908. reis para. a constru~ão novas lede 31 de Agosto-Decreto, fixando vadas tia Ilha d ~ Madeira. , a quantidade de trigo exótico a im31 de Agosto-Decreto, fisan- portar para corisiliilo no corrente do a qtiaritidadc de trigo exótico a alio cerealifero iio Distrito do F~iriimportar iio Ilistrito do Fuiichal, chal. duraiite o correiite alio cercalífero, 9 dc Ontubro-Alvará, aproniedi~tnte o direito de 26 reis por aiid ido os estatutos da Associação quilograma de Socorros Míituos 4 de Setembro 6 de Sctenzbro-Decreto, auto- de 1862, do Fuiichal, os quais vão rizando a Jurita Geral do Distrito anexos ao mesnio alvar8. do Funclial a reunir-se extraordi28 de Novembro-Decreto neiiàrianiente. gaiido provimento no recurso do 8 de Novembro- Decreto, r,- secretário geral do Govèriio Civil brindo um crédito especial para (10 Funchal, coiitra a seiitenqa do despesas de coiistrução cle novas auditor admiriistrativo do distrito levadas na Ilha da Madeira. que aprovou a nomeação provisória de aferidor do coiicellio, feita pela Câniara Municipal de Câmara de Lobos. 7 de Fevereiro-Decreto, ~ i c 5 de Dczetnbro-Decreto, ordeando proviiiiento iio recurso de orge Luiz Aceioili sobre o provi- naiido a substituição da matriz do niento d o lugar de secretário da ad- Concelho do Porto Saiito, no Disministração do Coilcellio de Câ- trito do Fu~iclial. mara de Lobos. 26 de Julho-Decreto, autorizaiido a importação de trigo exóti12 de Janeiro-Decreto, crianco iio Distrito do Fu~ichal. do lia Estação Telegrafo-Postal da 20' dc julho--! )ecrr.to, inaiidaii- Cidade do Fuiichal, unia classe de do proceder à revisão das tabelas empregados estranhos aos quadros de rateio do trigo nacioiiril e exíiti- e autorizaiido o Govêriio 3 proceco, ria Ilha da Madeira. der ao respectivo provimento. 20 de Janeiro-Portaria, auto17 de Agosto-Portaria, rnandando adoptar as instruç6es para a rizando a Companhia de Seguros

k

Aliança Madeirense, coiii sede no Funchal, a coiitiriiiar a stia iiidustria. 30 de Janeiro-Portaria, aut orizando a Coiiipaiihia de Seguros Garantia Furichalense, coni sede 110 Fuiichal, a coiitiiiuar I I O exercício da sua iiidustria. 21 de Março-Portaria, iioiiieando unia coiiiissão para proceder a uni inquérito sobre as coiitliçõcs das iiiclíistrias da fábrica de Açticar, distilaçâo de aguardente de caiia sacariiia e alcool tle irielaço e d:i cultura da riicsiiia caiia iio Ilistrito do Fuiichal. 30 dc Maio-Dccrcto, rejeit:iiido por ilegaliiieiite iiiterposio o recurso da coniissâo distrital da Juiita Geral do Dístrito do Fiiiiclial, coritra unia seritença do auditor adrniiiistrativo. 30 de Maio-Portaria, aittorizaiido a Misericbrdia da Cidade do Isuriclial a aplicar certas garantias à canalizaçâo de igua para o seu edifício. 4 de Junlio-Decreto, autorizando a Junta Geral do Distrito d o Funchal, a reunir-se extraordinariamente para deliberar sôbre certos assui~tos. 9 de Julízo-Decreto, autorizando a iiiiportação de trigo exótico para consunio na Ilha da Madeira. I de Agosto-Portaria, aprovando a tabela de rateios dos trigos nacional e exótico na Ilha da Madeira.
13 de Agosto-Dezreto, autorizando a KCâiliara Municipal d o Funchal a coittraír uni enipréstimo de 400.000.000 reis destinados às

obras do abastecirnento de 5guas potaveis e de caiialização de esgotos daquela cidade. 13 de Agosto-Portaria, aprovando a deliberação da Jiinta Geral do Distrito do Fuiiclial, de toriiar para o seu cofre a rcsl~oiisabilidade da parte dos ciic;irgos do einpréstiiilo da Câtiiara Miiriicipal do Fui~clialpara as obras c10 abastecinieiito de agitas e c;iiialização de esgotos. 1 de Outubro-Decreto, regulaiido as clisposições tla carta cle lei de 18 de Seteiiibro sobre veiidii, coiiiércio e esportaçáo (lc viiilios geiierosos. 21 de Novembro--Decreto, autorizando a Associac;ão Protectora dos Pobres, cla Citlade do Fiiiich:il, a coritraír iriii eiiipréstiiiio e alieilar dtias obrigações da Coi-iiparihia de Crédito Predial Português para paganiento.
14 de Janeir o-Decreto, deterniiiiaiido que o direito de iiiiportação de trigo exótico lia Illia da Madeira seja igual ao que vigorar iio Coritinente do Reino. 21 de Janeiro-Decreto, niandando incluir urna iiova estrada rio iiuriiero das estradas muiiicipais do Distrito d o Fuiichal (concelho de Santa Critz). I 1 dc Março-Decreto, aprovando o reg~ilainento para o coinercio de vinho da Madeira. 6 de hliclin-i)ecreto, orcleiiando a siibstitiii~ão liiatrizes predas diais da freguesia da Serra cle Agua no concelho da Ponta do Sol. 1 de Agosto-Portaria, apro-

12 de Fevcrciro-Decrctot (li'terininando a abertura diiili cr6tiito especial para pagaiiieiito d:i qi1~iiiti.1 a satisfazer pela rescisão da coiiccs14 de Scfe?nbro-Portariat no- são referente aos saiiatorios da illia iiieando O jiiri que deve apreciar OS da Madeira. tipos (le viiiho de pasto <Ia região 24 de Fcve1'eiro-l)ecreto1 ali(]a Madeira, clesti~indosà exportatorisaiido o ahoiio dc reiiiitiierações cão. especiais por scrviços ex1r:iordiiia5 de Ollt~br~-I'~rtaria, elicar- rios prestatlos pelo ptis;onl 1i;i fiscare!Pildo ulii oficial da arliiada de lização iiiaritiiiia da Alf5ii~lega do fiscaliiar :i fornia porqiiee cuitiprido Fullchal. ocontrato relativo h n.ivegação eiitre 1 d~ Abld-Portaria, Eixaiido a Lisboa e as ilhas da Madeira e Açorede res, e çlc coadjuvar o capitjo do Por- tarifa que deve ser aplicatlx ?i to do Funclial rio inquerito çô- telefoiiica d o Fiiiiclial. bre a pesca ti0 a r q ~ i p ~ i a g o MAdn 21 de Aúril-Portaría, iliaiidaiideira. do coiisitlerar oficíais, deter~iiiiiatlas 18 de NovelllDt-0 - Portaria, corrc~poiidèiicias O presiderite da que conferiiido plclios poderes iiiii C:omi~São de Vitic~ltiirdti3 região delegado d o tesouro para outorgar (1" Madeira haja d e exi~edir pelo lia escritura de rescisão da conces- ~ ~ r r e i o são relativa a0 estabelccimeiito de 23 de A&~il-Dccrcto, suspensaiiatórios para tuberculoses lia ilha dendo a execuçáo do regulalitento da Madeira. para o comércio d o Vinho da Ma23 de Novembro -Portaria, de- deira na parte relativa a0 regitiie signaiido os funcionários que de- sicarino e d o alcoolvem fazer parte da C O ~ ~ S Sinspe~ O 2s de Maio-Portaria, autorictora da exportação de viiiho da zando a Associação de socorros Madeira coniO delega$s da Admi- Miit uoç, MontepioMadeirense, a poçnistração Geral das Alfandegas e do suir um prédio para iilstalaCão dos Concelho do Fomento Coiiiercial seus serviços. dos Produtos Arrricolas. 21 de Junho-Portaria, rediizin25 de Novembro-Decreto, ?e- do a 22$000 reis a aiiiiidade fixada temiilaiido a abertura duiil credito para 0s subçcritoreç da rede teleioespecial Para ocorrer 2s d e s ~ e z a s ~iica Estado, no Funclinl. do coiii a transfersncia nara o Estado dos bens perteiicentês à eniprêsa 1I de Julho-Decreto, deterniidos Sanatórios da Madeira. narido a abertura de uiti crédito e+

vando a tabela para o rateio d o trigo nacional e -crotico no Distritp <lo Funchal, a qual vai anexa 2 iiiesma portaria. 2 de Scternbro-rjecreto, fixaiido a qiiantidatle e os tlireitos, do trigo exótico L iiiiportar iio Distrito : do FLilic]lal correlite no cercalifero,

1910

25 de Jflncif-O-!'ort:irin, 1Ii:iiidaiido crixr uiii posto Íisc,d iio local Ponta da Criiz, (;oiiccliio do Fuilchal.

pecial para as de5pesas de adriiinistração das propríedades dos Sanatorios da Ilha d~ Madeira. 1 de gosto- Portaria, apr, ,vaiido as t:~belas ,>.irao rateio de trigos Iiaciolla~ exótico lia Illia <la c hlaileira, para eseciicão iio actilal alio cerealifero. 17 de Agosto-Portaria, criarido uiri posto fiscal rio local Ribeira Brava, Coiicelho da Po:it,i do Sol, Iltia <ja Madeira, que ficará fareildo parte da secção fiscal do Funchal.

na sala nobre dos Paços do Muriicipio de Lisboa e a Coilstituição do Govèriio Provisorio. 10 de O~t~bro-Portaria,ordeliati<lo <I"e 0s exames de segilllda Q ~ o c iins escolas dependentes d o ~, Miiiisterio do Iiiterior, COl1i~eilleni todo o Contiiieiite e ilhas adjacerites, iio (lia 17 do corrente. 20 de Out~~bro-Decreto~ *nm(lalldo que 0s governadores civis dos distritos da Metropole e ilhas atljaceiites façam cumprir rigorosamente por intermédio dos adminisl8 de Agosto---Dccreto, aba- tradores dos concelhos, as disposiiiaiido aos freis (10s 'irlllaZeliS dos ç ó e d o decreto de 21 de Setembro distritos de Coiilibrii e Furichal, dp de 1~101,relativos à suçteritaçãodos quadro telegrafo-po~tal, OS Veilcl- presos indigetlteç daç cadeias comelitos qiie lhes pertclicem por Se- ,,,,,.,3~ e concelhias em que ainda rèlli equiparados h categoria h0110- não teilha sido feita a adjudicação rifica de segundos oficiais, seiido O do ~orllecilllenro, devendo ficar terreferido aboiio efectivo desde O 1.' minado até o dia 1 de DezeIilhro de Julho do ano econ6iliico cor- todo o serviço respeitsnte a este açrente. sunto e que & arrematação assista 31 de ~gasto-Decreto, fixail- também o respectivo Juiz de Did o eiii 7.000.000 de quilogramas a reitoqiiariticlade de trigo exotiC0 a inl5 de ~ o ~ ~ ~ b r o -de- ~ ~ ~ ~ D portar Para coilsumo, dura~lje 0 terminando que seja paga a quancorreiite ano ccretlifero, i10 Ilistri- ti, de 50900 como do~ to do Funchal e fixando em 14 reis prestados, julito da Comis: por quilograma o direito de impor- são parlamelitar de iiiquérito a t ação. questão Hinton, or Carlos Augus14 de Setenlbro-Portaria, ~011- to Elbling, 2.O o h a l do Miiiistério cedendo autorização à Companhia do Fomentode Seguros *Aliança M*deire~ise*, 11 de mvembro-Portaria, espara explorar OS seguros: cristais, tabelecendo as formalidades a que agricolas e transportes postais. deveni satisfazer os proprietários 24 de Setembro-Decreto, au- das fábricas de tabaco das ilhas dos torirando a amara Muiiicipal do e quando Preteridas d o Concelho d o Porto Saiito n criar dam fazer qualquer um partido médico dotado com coudições em que fui permitida a 146$000 reis anuais. sua laboração. I 1 de Novembro-Decreto, ex5 de Outubro-Proclamação da tiiiguindo a Escola Médico-Cirurgica Repiiblica, Bs 11 horas da manhã, do Funchal.

14 de Novembro-Portaria, concedendo provisórianiente o aproveitamento das aguas da Ribeira da Janela, Illia da Madeira, que não sejatn utilizadas pelos proprietários niarginais 20 de Dezembro-Decreto, estabelecendo a aposentação, por limite de idade, para os magistrados judiciais cio Contiiiente, provincias ultraniariii~se ilhas adjaceiites. 23 de Dezembro-Portaria, alterando as disposiç6es da Portaria de 26 Agosto de 181)0, lia parte respeitante ao praso para a posse dos etnpregados da Fazeiida, 110 Contineiite e ilhas. 29 de Dezembro-Decreto, corn força de lei, estabelecendo os abonos ri fazer aos oficiais e praças dos iiavios etii serviço nas águas do Arquipélago da Madeira, por motivo da epidemia do cólera.

.

5 de Janeiro-Decreto, coin fôrça de lei, ~once~leiido abatio uiii aos oficiais e praças do batalhão de caçadores 1i.O 6 a destacar para o Funchal. 11 de Janeiro-Decreto, autorizaiido que seja permitida a exportação pelo Porto do Funchal, ilha da Madeira, nos termos legais, de vinho de pasto dos tipos para os quais o proprietário viticultor Antonio Izidro Goiisalves requereu aprovação. 18 de Fevereiro-Decreto, concedendo à Câmara Municipal do Funchaf, Madeira, o edifício do suprimido Coiivento das hlêrces, para nele ser instalada a Cadeia Civil da Comarca, com a clausula de reivia-

dicação para a Fazenda Nacional se não lhe f8r dado o destino para qiie é concedido. 20 de Janeiro-Decreto, criando na Ilha da Madeira, com sede na Cidade do Funchal, uni laboratório quiniico, que se denominaA-laboratórío Químico-Agrícola do Funchal-para realizar aniilises em Que se fundamentem a genuinidade dos vinhos provenientes da mesma cidade. I 1 de Março-Decreto, regulando o regime da industria sacarina na Ilha da Madeira. 20 de Março-Decreto, aprovando as instruções provisórias para a cobrança do imposto de produção cle aguardente no Distrito do Funchal. 30 de Março-Decreto, fixarido a reniurieração a abonar ao 2.O tenente da Armada, Cesar Augusto Gomes de Amaral, oficial que esteve ás ordens do Con~isslirioda Republica na Madeira. 24 de Abril-Decreto, com fbrça de lei, autorizando a Junta de Crédito Público a tornar extensivo a todas as sede$doç.&listritos do Continente e ilhas, o pagamerito por antecipação dos juros da divida interna. 26 de Maio-Decreto, autorizando a Comissão Municipal do Coricelho do Parto d o Monís, a aplicar certds quantias a diferentes despêsas. 26 de Maio-Decreto, com f8rça lei, de organizando os serviços de finanças nos distritos e concelhos do Continente e ilhas. 27 de Maio-Decreto, com for-

ça de lei, organizando os serviços de n~edição de carga embarcada nos postos d o Continente e ilhas 8 de Junho-Decreto, aprovand o o quadro das tropas do exército metropolitano que devem coiistituir cada unta das divisões, a hrigada de cavalaria, os comandos territoriais dos A~ores M;tdeird e a guare nição perinaiietitr do Cantpo Entrincheirado de Lisboa e o das sedes dos quarteis generais das divisões do governo do C. E. de IASboa, dos comandos territoriais das ilhas adjacentes e das iinidades d o exército activo e de reserva. 29 de unho-Decreto, autorizando o a 6110 de 1$880 reis por dia, por serviços extraordinários prestados em relação a 129 dias, ao director interino da Alfândega d o Funchal, Antonio Augusto Curson. 17 de Julho-Decreto, autorizando a iniportação de trigo exótico para consumo na Ilha da Madeira. 20 de Julho-Decreto, criando um lugar de fiscal do Hospital de isolamento no extinto Lazareto de Gonsalo Aires, d o Funchal, coni o vencimento anual de 360$000. 26 de Julho-Decreto, prorrogando até 15 de Agosto, o ano lectivo para as escolas primárias d o Funchal e fixa o dia 1 de Setembro para o início dos exâmes de 2.O grau, alteração motivada por haverem estado as escolas encerradas devido à epidemia do cólera lia Madeira.

L

14 de Agosto-Decreto, aittorizando o abono de serviços extraordiiiários de tlifererites remadores em serviço activo em Lisboa e Fiinchal. 31 de Agosto-rlecrsto, fi7:ando a quaiitidadc de trigo excítico i irliportar tio Distrito do Fiiii(~ha1, para consumo diirante o corrente ano cerealifero, e fixaiido tantbCrn, 18 reis por qui1ograrii.i o direito do trigo. 14 de Outubro-Decreto, eliniiiiando da respectiva riiatrícirla, por espaço duni ailo, sete fabricanles de farinha, iio Distrito do Fuiichal. 3 de Novcrnbro-Portaria, nomeando uma comissão para estudar as biises do coiicurso e coritráto para a navegação entre Lisboa, Madeira e Açores. 6 de Novetnbro-Portaria, agregando uni vereador da Catiiâra Municipal de Lisboa, à Coniissáo encarregada, por portaria de 3 do corrente, de apreseilter uni projecto que sirva de base para o concurso e contráto de iiavegaçáo etitre Lisboa, Madeira e Açores. 8 de Dezembro.-Portxria, nomeando uma comissão para estirdar os melliorameiitos de que carece o pôrto artificial do Funchal.

24 de Fevereiro-Decreto, estabelecendo as instruções provisórias que devem ser adoptndas para cobraiiça do iniposto de produção de agiiardeiite no Distrito do Fuiich~il 1 de Agosto-Portaria, aprovaii- durante o corrente alio sacariiio. d o a tabela d o rateio dos tri os ria9 de Maio-Lei, estabelecendo cionsl e exótico, na Ilha da &deira. novos preceitos para as avaliaçaes

17 de Julho- Portaria, mandandas propriedades rústica e urbalia do que os deiegaclos das Ginaras no Continente e ilhas adjacentes. h.luiiicipais, da Jiiiita Gcral do Dis11 de Maio---Decreto, sobre trito, da Associação (:urnercial e da consulta do Supremo Tribulial A- Coniissão de Viticitlliira, que fazem dministrativo, resolveiido um recur- parte dit Jurita Agricola tla Madeiso sobre susperisão de paganieiito ra, devem 1 ertencer hs respectiv:is dos ordenados ao secretário da popodendo ser eleílicia especial de repressão da eini- corporaqões, rião cargos iritlivíduos tos par:-t aqueles ração clandestina no Distrito do a elas estranhos. kunchaí. 20 de Jullzo-Decreto, prorro15 de Maio-Decreto, aprovan- gando o praso fixado do o regulamento para a execução ções dos delegados das para as eleicorporaçi3es do decreto, com força de Lei, de 11 representação ria Jurita de Março de 1911 sobre o exercício ue tPm da Madeira. grícola da indústria sacariiia na Ilha da 24 de Julho-Portaria, regulanMadeira. 18 de Maio-Decreto, fixando do a f ornia por que deve ser assiuadro e vencimento do pessoal ilalacla a posição das armações fixas para a pesca do atum rias costas de a : sericórdia do Funchal. Portugal e ilhas adjacentes. I de Junho-Alvará, aprovai~do 1 de Agosto-Portaria, regulanos estatutos da Caixa Económica Madeirense, do Funchal, anexos ao do o rateio do trigo nacional e exótico nas ilhas dos Açores e Mamesmo alvará. deira. 12 de Junho-Portaria, dissol29 de Agosto-Decreto, autovendo e louvando a conlissão que havia sido nomeada para apresen- rizando a importação de trigo exótar um projecto de bases a um con- tico para consumo no Distrito do curso e contrato para navegação Funchal, durante o corrente ano cerealifero sendo fixado o direito entre Lisboa, Madeira e Açores. em 15 reis por quilograma. 9 de Julho-Decreto, autorizan2 de Setembro-Portaria, autod o a importação de 1000.000 quilogramas de trigo exótico para con- rizaiido o despacho de trigo pela sumo na Ilha da Madeira, mediante Alfândega do Funchal. o pagamento do direito de 13 reis 12 de Outubro-Decreto, sôpor quilograma. bre consulta do Supremo Tribunal 12 de Julho-Lei, autorizando a Administrativo, deilegando proviJunta Geral do Distrito do Funchal melito a um recurso em que eram a coiltrairo emprestimo de 1,200$000 requerentes vários membros da coescudos destinados exclusivaniente missão de viticultura da Região da a construçâo de estradas na Ilha da Madeira, sobre pagamento de foMadeira, empréstimo que poderá ser lhas. levantado em séries de 100$00 escudos cada um e amortizavel den31 de Oufubro-Decreto, cetro do prazo máximo de 60 anos. dendo para determinados fins à

1

h

(39mara Miiiiicipal, Alisericordia e Associaq,io de Beilef icêi~cia: Auxilio Materiial do Fu~ichal,os edificios e terrerios do extiiito Conveiilo tIe Santa Clara tlaquela cidade. 2 dc Novelrzbro-Decreto, aboliildo :i exig?iicia tlc pnssaporte para os indivídiios iiacioiiais que (Ia províiicia de S. Tonik c Príiicipe se dirijam i Metropole ou illias adjacentes. 12 de Dczenzbro--Portaria, estabeleceiido o assiiialanieiito das armações (10 atum nas costas de Portiigal e lias Ilhas adjaceiites 18 dc Dczctnbro--Lei, autorizaiido diversas Câniarat. Mutiicipais iticiiiiiido as do Distrito do Fuiichai, a estabelecer posturas contra os votos. 28 de Dezembro-Decreto, aprovando o regulaménto interno da Junta Agrícola da Madeira, anexo ao mcsino decreto. 28 de Deze~rzbro-Decreto, ãprovando o regularne~itopara expropriação das fábricas de aguardente no Distrito do Funchal. 28 de Dezembro-Decreto, aprovando o regu1;imento para a cobraiiça do imposto da fabricdção de aguardente iio Distrito do Fuilchal.

4 de Janeiro-Portaria, nonieaiido unia comissão para proceder a escolha dos contadores clestiiiados às fabricas de aguarderite do Distriio do Funclial, para o efeito da cobraiiça do respectivo iiiiposto. 16 de Janeiro-Lei, deteriiiinando que do produto dos inipostos

camarários arrecadados pela Alfindega do Fiiilchal, seja deduzitlo 1 O I o para o Hospital da Misericórdia daquela cit1:ide. 1 dc Fevcrciro-Dccreto, aprov:irido as iristruções para a propag:irida dos ~~rocl~itossolo madeido reiise, aiiexos :to iiiesiiio decreto. 2 de Fcverciro-Porlaria, rnandaiido retirar da circulaçáo, iio Contirieiite e illias adjaceiites as fórmiilas de frariquia dos tipos anteriores aos da ricttial eiiiissão. 8 de Fi)i)erciro-Decreto, dissolveiido a comissão adniinistrativa da Juiita Geral do Distrito do Funchal e iionleando outra. 1 de Março-Decreto, proíbindo o pároco do Monte, Pe. João Vicente de Faria, do Distrito c Coticelho do Funchal, de residir ditrante iim ario na Ilha da Madeira. I de Março-Decreto, coiicedeiido à comissão admiriistrativa ta da J ~ i i ~ Gerd do Distrito do Furichal, a dispensa da verificação*prévia dos projectos aprov:idos para a empreitada geral da construção de estradas na ilha da Madeira. 8 de Março-Decreto, aprovalido o regulaniento do serviço de polícia rural e florestal c10 arquipélago da Madeira. 22 de Margo-Decreto, dissolverido a Coinissão administrativa da Jurita Geral do Funchal e iiorneando outra para a substituir. 29 de Março-Decreto, elevando os veiicimeritos dos chefes de esquzdra, cabos de secção e guardas do corpo de polícia cívica do Fiinclial. 29 de Março-Decreto, abriiido

concurso para provimento dos 111- co de incêndio proveniente de gregares de professores vagos lios li- ves ou tiiniultos. ceus ceiitrais e nacioilais cio Coiiti29 de Junho-Lei, facultando iiente e ilhas. o importe em vrac ou preparação 29 de Abril -Decreto, proíbiii- no Continente ou ilhas, das especido o pkroco da Ilha e Coiicellio do alidades farm;icêuticas e reniédios Porto Saiilo, Distrito do Furiclial, estrangeiros. Pe. Carlos Freitxs, de residir du29 dc junho-Lei, deterniinanraiite seis meses dintro dos liniites do que o iiiilho em grão, de produdo mesmo coiicellio. ção das províncias portuguesas d o ultramar, iinportado na Madeira, 17 dc Maio-Decreto, aiitori- piigue iiietade d o direito estabelecizando a C. A. cla Jurita Geral do do para o niilho estrangeiro. Distrito do Fu~ichala reiiiiir extra5 de Jtrlho-Decreto, cedendo ordinariamente para deliberar hcèrca da organização do priilieiro or- por arrendanleiito, à Direcção Geçaiiieiito suplementar. ral de Iiistrucão Seciindária, o edi24 de ~nio-Decreto, cedelido ficio do ~ a ~ ~ e ~ ~ i s c u n~ h al do ~ o c a à Junta Gera) do Distrito do Fuii- e a respectiva cêrca, Para o estabeclial. a titulo de o lecinieiito do liceu daquela cidade. edifkio do extinto semiiiário e Pá10 de Julho-Decreto n 34, . O tios que o circuiidam, rio sitio cta a u t o r i z a i i d o a i m p o r t a ç ã o d e Encariiação, para lá se estabelecer 1.000.000 quilogramas de trigo ea Escola de Utilidades e Belas Ar- xótico para coilsunio lia Ilha da tes. Madeira, tio corrente ano cerealife24 de Maio-Decreto, autori- rol com $013 de direito por quilozanao a importação de 1.000.000 grama. de qiiilogranias de trigo exótico 12 de Julho-Lei n.O 44, autopara consunio iia Ilhri da Madeira, rizando o Govêrno a tornar definimediante o pagamelito do direito tivo o cotitrato para o estabelecide 13 reis por quilo. mento dum cabo telegráfico submaportiiguês, 31 de Maio-Decreto, aprovan- rino, entre o Co~itinente do o regulamento sobre fabrico e e a República d.o Pdiiamá, tocando comércio de alcool no Distrito do na Ilha do Porto Santo, arquipélago da Madeira. Funchal. 19 de Julho-Portaria i1.O 24, 7 de Junho - Decreto, Sobre consulta do Supremo Triburial maiidaiido que, quando for autoriAdiiiiiiistrativo, resolveiido o recur- zada para o Continente ou ilhas so eiii que era recorrente a Coope- adjacentes a iniportação de milho rativa Construção Predial do Fun- exótico com redução do direito pautal, essa autorização seja transmitichal. da telegraficanieiite aos governado19 de Junho-Portaria, autori- res das Coloiiias de Africa. zando a Companhia de Seguros Aliança Madeire~ise a tomar o ris21 de Julho-Lei n 80, con. O

cedendo, no Arquipélago da Madeira, a isenção de direitos de importação e de impostos inunicipais ao algodão eiii pasta e à alha para o acondicionamento de E),uias e aplicando o regime de iniportação temporaria A caixas e grades para s exportação de frutos. 23 de julho-Lei nI0 81 regulando o serviço de concessão de liceiiças para pastagem de gado suíno e c,iprino, na Ilha da Madeira. 6 de Agosto-Portaria, indicando o destho que deveni ter os objectos e inobiliirio encontrados no Paço Episcopal d o Funchal. 6 de Agosto-Portaria n.' 30, aprovaiido a tabela do rateio do trigo, lia Ilha da Madeira, no aiiõ cerealífero 1913-1914.

sões de posturas do concelho d o mesmo nome. 25 de Agosto-Decreto ii.O 88, fixaiido a qiiailtidade de trigo ex6tico (6.000.000 quilograiiias) a itiiportar para colisunio rio Distrito d o Fuiichal, bem como o direito de $01,5 por qiiilogrania. 26 de Agosto-Tabela, indicand o a distribuição de trigo exótico para coiisunio ria Ilha da Madeira, cuja importação foi autorizada pelo decreto n 88. O . 28 de Agosto-Portaria r1.O ,-,-,determinando que o Conselho 46, perior Técnico seja oitvido sobre o regiriie sacarino da Madeira.

22 Setembro-Decret0 prescrevendo a maneira de aplicar os edifícios e cêrca do extinto conven9 de Agosto-Terriio, firmando to de Santa Clara do Funchal. o contrato entre o Govêriio Português e a firma ~l~~~~ ~~~~h~~~ 18 de Outubro-Portaria, anun& C.0 do Funchal, para o =tabele- ciando qile h5 duas vagas de De11 cimento de depi,çito de carvão e 1 putados pelo circulo Aligia do Ideroísmo e uma pelo do Funchal. S. Viceiite de Cabo Verde. 22 de Outubro-Decreto, trans13 de Agosto-Lei n.O 89, ins- ferindo para o Jiiiz de direito d e tituindo a Junta Autóiionia das O- Ponta do Sol, Madeira, o julgainenbras do Pòrto d o Funchal e regu- to das contraveiiç6es e traiisgreslando a sua constituição e regula- sões de posturas do respectivo conmento. celho.
16 de Agosto-Decreto n 75, . O determinando qiie tia séde de cada um dos distritos dos Açores e Funchal seja organizada uma comissão venatória que deseiiipenhe as mesmas atribuições que o art.0 25 da lei n.0 15, confere às comissões regionais.
8 de Novembro-Decreto n.O 218, aprovando o regulamento da produção e d o comércio dos viiihos da Macieira. 13 de Dezembro-Decreto, autorizando a Junta Geral do Functial a reuiiir extraordináriamerite para deliberar si3bre viação elé20 de Agosto-Decreto, trans- trica. 1814 feriiido para o juiz de direito da Ponta d o Sol, Madeira, o julgamen9 de janeiro-Decreto, rejeitanto das contraveiiç6es e transgres-

do o recurso n.O 13.273 do Stipremo Ponta do Sol e Câniara de Lobos, Tribunal Adiniiiistrativo, em que é constitiiindo uiii iiovo coiicelho com recorrente Cossart Gordon e outros, sede lia

]Ia da Ribeira Brava, e recorridos urn antigo niinistro da 6 de Maio--Decreto, consideFazenda e W. Hintoii 8r Sons. rando com existencia legal iio Fun27' de Janeiro--Decreto, regu- chal, o depcísito de carvão da A1aiiicnt:iiido tis atribuiçoes dos pre- gência Deiitsches Hohleti Dcpot, de s ideii tes das coniissões execiitivas Hamburgo. das juntas gerai.; de distritos e câ15 Maio-Decreto, iiiaras inunicipais do Coi~tiiientee zarido deiiliportacão de trigoairtoria exótiilhas. co no Distrito do Fuiiclial. 9 de Abril-Decreto, deterini27 de iiando que iião teiilia execução o rindo para Maio-Decreto, tr~nsfeo respectivo de didisposto iio parágrafo 6 d o art.O 87 reito o julganiento das jiriz~travenCO I da lei n . O 88 àcêrca da percei~ta- ções e trarisgressões de posturas d o gein que os distritos do Furiclial, Coricelho da Calheta, Distrito d o Angr: e Ponta Delgada, têni de Fuiiclial. entregar ao Estado, coino compensação pela cobrança das distribiii28 de Maio-Decreto, aprovanções. d o o regulalilento dos serviços d e 9 de Abril-Decreto, autorizan- polícia rural e florestal no Arquido a iinportação de niais 1.000.000 pélago da Madeira. de quilogramas de trigo exótico 10 de Julho--Lei, permitindo para consumo 110 Distríto c10 Fun- às câmaras inuiiicipais das ilhas adjacentes, lançar t ~ i r iimposto sôchal. 9 de Abril-Portaria, fixando bre o tabaco importado do estrano subsídio de marcha dos funcio- jeiro oii de proúuçâo iiisuiar, seniiários da Direcção Geral de Agri- do o produto dêste iiiiposto, no cultura ein serviço rio Distrito do arquipél igo da Madeira, destinado a obras a cargo da Junta AutónoFunchâI. ma das Obras do Pôrto d o Funchal. 20 de Abril-Lei, mantendo às autoridades jurídicas *Levadas na 10 de Julho-Lei, autorizando Madeira, os direitos adquiridos s6- o govêrno a permitir nas ilhas dos bre determinadas Lias de nascen- Açores e Madeira, a caça aos coetes existeiites em prfdioç aiheios. lhos e outros roedores, durante o defèso, 6 de Maio Lei, autorizarido a tempo de fogo. sem o einprêgo de Câmara do Funchal a aplicar à armas construçáo duma cadeia comarcã o 16 de Julho-Decreto, autoriprpduto da venda de prédios pró- zando as Juiita.; Gernis dos distripnos. to do Continente e illias adjacentes, 6 de Maio-Lei, desagregando a votar em sessão extraordinária as as freguesias da Ribeira Brava, Ta- suas percentagens adicionais sôbre b h , Serra d1A'giia e Campanário, as coiitribuições gerais do Estado, respectivamente dos concelhos da relativas a 1914

21 cit) Julho-Lei, reorg~nizando o serviço (lc pilotagerii das barris e portos d o Contiiiente e ilhas adjacentes. 22 de Jlilho-Decreto, fixando o disi pira eleiqão da Câmara Miliiicipal da Rib\:ira Brava, Distrito do Fiiiiclial, e do respectivo procurddor à Junta Geral. 24 de Julho-Lei, antorizaiido o Govêrno â adjudicar por coiicurso a coiistrução e exploração dunia zona f r ~ n c a Ilha da Madeira. na 5 de Agosto-Decreto, adiando plra o dia 16 de Agosto, ;i eleição cla Criinira ERuiiicipal tia Ribeira nrava e do cornpeteiite procurador A Ju1it.i Oeral, Distrito do Fuiichal, 6 de Agosto-Portaria, estabeleceiido as perceiitagetis do rateio do trigo na Ilha da Madeira no ano cercalifero 1014-1915 20 de Agosto-Decreto, aprovarido park ser posto proviscirian~ciite e:~ec~içào, regulariieiito eiii o geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e ilhas adjacentes. 21 de Agosto-Decreto, autorizando a importação livre de trigo exótico para consumo público no Distrito do Funchal.

adjacentes, colónias portugue;zs e Brasil. 30 de Outubro-Decreto, criando na Cidade d o Funchal, tini Corisclho Regional, coni excliisiva cotiipetêiicia sôbre os negócios das associaqões de socorros rníituos. 9 de Novembro-Portaria, dando:iiiova redacção ao art. 48 do regiilariiento de produção c do coriiércio do vinho da Madeira.

I de Outulrro-Decreto, proí4 bilido a re-exportzçáo do Coiitinente, ilhas sdjacentes e províncias ultrariidrinas, para o estr~iijeiro, de zrroz, açucar, bacalliau, ceredis, leguines e rnedicanlentos. 27 de Outubro-Decreto, autotorizancio o governo a abrir concurso, segundo determiiiadas bases, para adjudicação d o serviço de carreiras de navegação p-ira as ilh ~s

2 de Janeiro-Decreto, negando proviineiito no recurso n.O 13.991 do Supreirio Tribuiial Acliniriistrativo, recorrente Tibúrcio Eduardo Heiiriques, recorrido o Conselho da Direcção Geral das Coiitribuições e Itripostos. 2 de Janeiro-Decreto, riegaiido provimento no recurso n . O 13992 do Sup: I'rib: Adm:, recorrente Fraiicisco E d ~ i ~ r d o Barros de Henriques, recorrido o Coriselho da Direcção Geral das Contribuições e Iiilpostos. 9 de Fevereiro-Lei, suspendendo no Pai40 d o Fiinchal a cobrança de Imposto de Farolage111 12 de Fevereiro-Decreto, rnailtendo a isenção de direitos de carga concedida às en~barcaçõeseritradas rio Pdrto d o Fiinchal. 23 de Fevereiro-Portaria, isentando de fraitquia postal a correspondência expedida para o Continente e ilhas adjacentes e colonias portuguesas pelos oficiais, praças de pré e iiidividuos da classe civil que constituani 3s expediçõrs lililitares às proviricias de Angola e Moçnmbique.

24 de Fevereiro-Decreto, determinando que na proibição relztiva h exportação e reexportação de pneumáticos e outros pertences de veículos automoveis, não seja abrangida a exportação e reexportacão que do Coiitinente ou ilhas adjacerites se destinar às províncias ultramarinas ou vice-versa. 27 de Fevereiro-Decreto, tornando extensivas aos nxvios de guerra nacionais, por ocãsião da sua ciitrada nos portos das colónias, as forma1i:lades fiscais em vigor, para os mesmos navios nos portos do Loiitiiiente e das ilhas adjacentes. 2 de Março-Portaria, isentando de franquia postal a correspoiidência expedida para o Continente, ilhas adjacentes e colónias portuguesas, pelos oficiais, praças de pré e individuos da classe civil que constituani as expedições militares A províncias de Angola e Moçams biqiie.
10 de Março-Decreto, determinando que para os alunos já matriculados no Liceu do Funchal à data do decreto de 11 de Setembro de 1014, seja estabelecido um período transitório de conformidade com a legislação anterior ao referido decreto.

13 de Março-Portaria, mandando que os goveriiadores civis dos distritos do Coiitiiieiite e ilhas adjacentes cumpram e façam curnprir as disposições vigeiites s6bre processos para requisição de fundos, modo de prestar as contas e pagamentos das despesas da polícia preveiitiva. 30 de Março-Decreto,
permi-

tindo a importação tempordria na Alfândega d o Funchal de fios e tecidos destiiiados a vestuário para os. feridos da actual guerra europela. 31 de Março-Decreto, coiicedendo provimento no recurso n . O 15.058 d o Supremo Tribunal Administrativo recorrente a C. E. da Câmara Alluiiicipal da Ponta d o Sol, Distrito d o Funchal. 7 de Abril-Decreto, declarando de utilidade piíblica e urgente a expropriação dum terreno na Cidade do Funchal, para construção da carreira de tiro. 16 de Abril-Portaria, mandando considerar oficiais as correspondencias, por intermédio d o correio, entre o Juiz sindicante da unta Agrícola d o Funchal e as di erentes repartições, autoridades e funcionários. 22 de Abril-Decreto, substituindo a Junta Agrícola da Madeira por uma comissão com as atribuições da mesriia Junta e da sua comissão executiva. 2 de unho-Decreto, autorizando a {unta do Crédito piiolico a pagar no Continente e Ilhas adjacentes os cupi3es da divida externa portuguesa que lhe forem apresentados para esse fim, quer vencidos, quer por antecipação, e sempre a o câmbio do dia e isentos de qualquer imposto. 9 de Junho-Decreto, providenciando, no sentido de debelar a crise cerealifera na Ilha da Madeira. 19 de Junho - Decreto, n.O 1.526, que substituiu por uma comissão a Junta Agrícola da Madei-

r'

ra, e ordena a reintegração da refe- tes: João Pestana dos Santos e uorida Junta. tros, recorridos a Câmara hlunicipal tlo 23 de Jrrnho-Portaria, man- da Silva.Porto Saiito e João Viceiite dando qiie o pagamerito dos emolumeiltos e sê10 proporcional dos 30 de Agosto-Decreto, niitoriprocessos de arreniatação de foros zando a importaqào tle 9:000.000 e beiis nacionais oii de corporaç3~; de qiiilograiiias :e trigo cx6t ico admiiiistrativaç, no Coritirieiite e no para coiisiiriio piiblico do Fuilcli 1 Fiiiiclial, s:j i feito por rneio de es- e fixariclo eni $01 por q~iilograr~la, O tampilhas colocadas e iiiiitilizadas direito (10 trigo a iiiiportxr, em virem guias para èsçe fim pasadas. tude do preceitii.tcio iio artigo I 9 de Julho l)ecreto, rejeitando d&te diplonia. o recurso N . O 13.058 do Siip. Trib. 13 de Setenzbro--?ecreto, coilAd., recorrerite a Juri~a Geral d o ce.ieiido o ~~rovirneiito recurso iio Distrito do Funchal, recorrida a N.O 15.206 do Siip. Trib. Ad., reCâmara Municipal do Funciial. corrente Alexandre d t Cuiilia Teles, 14 de Julho-Decreto, rejeitan- tritorecorrida a Junta Geri1 do Disdo Funclinl. do o recurso N . O 13.817 do Sup. Trib. Ad., recorrente o adtninistra1 de Setembro-Decreto, coii5 dor de Saiita Cruz, rworrida a vocaiido os colégios cleitordi; pnra Câmara hiunicipal do mesmo Con- o preeiichimeiito de 3 vagas de secelho. nadores lios distritos de (=oitiibra, 15 de Julho-.Decreto, negaiido Fiiiichal e Pont:i Delgada. o provimento no recurso N.0 11.750 20 de Setemúro-Lei, coiicedo Sup. Trib. Ad., recorrente a (3- dendo à Câmara Mtinicipal da Rimara Municipal de S. Viceiite (Ma- beira Brava, Distrito cio Funchal, deira) e o Dr. hlaii~iclBrazão Ma- delcrmiriados terrenos e edificios chado Júnior, rxorrido o govêrno para a construcão dos p ~ ç o s do civil do Funchal. Concelho e de repsrticries públicas. 23 de Julho-Decreto, revogan28 de Setembro-Decreto, consdo o decreto de 18 de Janeiro de tituiiido um novo circulo escolar 1911 que concedeu à Câmara Mu- com sede lia Vila d a Ribeira Brava. nicipal do Funchal o edifício d o su9 de Outubro-Portaria, autoprimido convento das Mèrces, concedendo-o ao Instituto de Benefi- rizando a Companhia de Seguros cência Auxilio Maternal do Fun- Garantia Funchalense a explorar os ramos de seguros postais e o de chal. 3 de Julho-Lei, isentando de risco de guerra iio ramo maritimo. 1 23 de Outubro-Lei, criaiido o direitos o milho em trânsito, cuja importação na Ilha da Madeira foi Sinatorio Colonial da Madeira. autorisada pelo decreto N.O 1.628. 27 de Novernbro-Portaria, a12 de Agosto-Decreto, dene- provando o regularneiito cla Jiiritd das gando o provimento iio recurso N . O A~tó~ioiiia Obras do Porto do 15.127 do Sup. Trib. Ad., recorren- F uiichal.

2 de Dexenibro-Decreto, promulgando várias providências com o fim de assegurar mais eficazmente a aplicação do alcool, saído das fábricas tnatriculadas no Funchal, com destino, à beneficiaqão e preporação de Viiihos. 15 de Dczeinbro-Portaria, aprovaiido a tabela desigiiativa de adubos agrícolas que podem ser importados de países estrangeiros e fabricados, preparados e vendidos no Continente e ilhas adjacciites.

27 de Janeiro-Portar; i , dclermin indo que sejatn entregues isentas cle franquia as correjpondências expedidas por iiiterniédio do correio para o Coiitinente e illias adjacentes, pelos oficiais, praqss e indivíduos d a classe civil que constitueni o corpo expedicioiiário à Fraiiça.

6 de Março-Decreto, requisitando para serviço do Estado 4 navios crlemães surtos no Fuiichal. 13 de Março-Decreto, maiidatido proceder 20 arrolamento do viiiho e azeite existentes no Continente e ilhas. 5 de Abril-Lei, perniitiiido que parte do trigo que o Govêriio está aulorizlndo a importar possa ser despachado com destino à, Ilha da Madeira. 17 de junho-Lei, aumeiitando com um maquinista e dois fogueiros, o quadro do pessoal rn.irítitiio da AlMr~dega do Fuiichd, sendo igilal número de empregados clas mesmas cate orins dirninuido no quadro da ~ J k i i d e ~ a Lisboa. de 23 de Julho--Decreto, declaraitdo livre a ex ortação do carvão tle pedri para rgditecimento de vapores nacionais ou estraiijeiros, nas ilhas adjacentes. 29 de Setembro-Decreto, aiitorizaiido a importação d e 10.000.000 de quilogramas de trigo exótico no Distrito do Funchal.

I I de Maio-Portaria, autorizaiido o Asilo de Meiidicidade do Fuiichal a veiider uma propriedade rústica e uns foros. 23 de Maio-Decreto, fixando os portos, taxas e sobretaxas a que ficatn sujeitas temporàriameiite as eiico!iienclas postais permutadas eiitre o Co~itiiieiite ilhas adjacene tes e entre estas. 1 dc Agosto--Lei, perr?iitiiido olide e conio as comissões vetiatórias o autorizem, e desde 15 de Julho, a caça às rolas e abetardas em todos os distritos do Contiiierite e ilhas adjacentes. 24 de Agosto-Decreto, estabelecendo o regime a que devern subordinar-se as transações sobre cereais e outro; géneros de primeira riecessidade produzido; na ilhas adjaceiites. 29 de Agosto-Portaria, esclareceiido algumits duvidas suspeitas hccrca da lei, i1.O 754, qiie permitiu a caç t Zis rolas e abetardas em todo o pbís e ilhas adjecentes. 4 de Setembro-Decreto, elevaiido a 60 dias, etnquanto subsistir 3 escassez e irregularidade de coriiunicaç6es para as ilhas adjaceiites, o prazo fixdcio no decreto de 30 de Setembro de 1912 para a entrega

dc;s re iierimeiitos dos escriturários das a$iii~!egas, solicitando adiiiissão ao cxri:lie para segiiridos aspiraiite; d o quadro geral aduaneiro. 5 de Sctcrnbro-Lei, autorizarid o o Gov.:riio a conceder o direito ao exciiisivo da iiistalaçào iio Contineiitc ou rias illias adj~ceiites, de iiovos processos industriais qiie iiáo sejam cxecutaclos no país.
22 dc Setembro-Decreto, desigriaiido os dias para as eleiç6es das câmaras iiiunicipais, juntas gerais d o distrito e juntas de freguesia no Coiitiiicnte e ilhas adjacentes. 13 de Novembro - Decreto, prorrogaiiclo o prazo fixado iio decreto 32M para termo do curso legal lio Coiitinente e iliias adjxcentes, das mordas de prata de Luís I. 14 de Nov~mbro--Decreto, criando uma Escola Elenieiitar de Pilotagem aiiexa à capitziiia do Porto d o Fuiichal. 16 de ivovembro-Decreto, facilitaiiuo o tratanieiito sai~itário das embarcaçõtli, portuguesas que entrarem iio; portos d o Coiitineiite e ilhas adjarerites, durarite o estado de guerra. 30 de Novernblo - Decreto, aprovnncio i org~iiiizaçãogeral dos serviços dos .departamerilos maritiirios, capi:-iiiias dos portos e respectivas d clegações d o Contineiite e ilhas ad! icentes.

Continerite, illias adjacentes e arquipélago de Cabo Verde. 27 de Dcncrnbi o--Decreto, e jtabcleceiido n forma de eleiqão dos reitores ?os liceus do Coiitiiientc c iliias íidj~ceiites. 28 de Dezembro-T lecreto, su*;pendendo até iilterior resolução a execiicão d o decreio n." 2640, que aprovou a orgariização geral do,; departanientos nlarítitnos, capit<i riias dos portos e respel:tiv:is dclcgações do Contiiieilte e ilhas adj Lcentes.
20 de Janeiro-Decreto, cri<iiid o i i a i Majoria Geral da Armada, 1111ia secção especial denoitiinarla Comando Ceiltral íle Defesa Rbrítima, que terá a seu cargo a direcção e fisca1izi;ão de todos os serviços de defe;n marítiiii~. iio Contineiite, ilhas i.;ljaceiitçs e drquipelago de Cabo Verde. I de Março-Decreto, dissolveiido a Juiita Agrícola Ya illadeirii, restabelecendo a Direcqiio da.; Obras Píiblic l.s d o Funchal. 33 de Março--D:creFo, cletermiiiaiido que o-,portes dc correspoiidêiicias origiiiárias do Coiitinenlc e ilhai e dostiiiadas a qiillq .icr cl9,s províiicias uitrarnariiiiç portiigutguesas sejnni igualados aos que se per cobrem pelas coi~respon(1êiicias niutadas iio Contiiiente z eiitre êstc e as ilhls adj:~cectes. 6 de Abril-Decreto, deteri~iiiiaildo que os goveriiadores civis d o Coiiliiieiiie e ilhas adjacentes pos saiil, por alvará, alterar a actiial Jivisão eleitoral lios coriceliios do respectivo distrito e críar novas as-

L0 de ~Iezeu~bro-Decreto, criando 1i.i Majoria Geiieral da Ariiiada util i ~ecçãoe ;pecial denoiiiiiiada Coniaiiclo Ceiitral de Defesa Marírirna, que terá a seu cargo a dirwçao e iiscalizciçao de todos os serviços de defesa maritima, no

sembleas eleitorais ou seccões de ineiem ein cada uma das fregueiias voto de harrnoiiia cqin o, reqiiiiitos do Coiitiriciite e ilha; adjncerites, pirn isso fix itlos iio ;irt.O 47 da lei comissõe ciicarregadas de organiri." 3 e e ~ t a b ~ l c co fori~iato 1 ts z:ir o rcr:eiiseaiiiento de todos os e c inlistas ])Ara a elt.ição que se realiza iiidivíduo; que iião trahallien~, vestigaiiclo ris c.iii;as que justilitio dia 28 dc Abril. qlieni a .,i13 i;ituayão. 8 dc ADI il---Decreto, Loriiniido :iplic.;ivcl i orgaiiiza<iio I~iiicioiia21 dc Scfc.rrzbro- De(-reto, inc.1110 c f i ;calização tl,tr; i laixn, do subsi!!iii ,(lu a coinissão adniiiiistraCréclito Agricolx hliítiio e d 1s siias tiva ericar;egada de dcsetnpeiihar as Fetleraqões que se iiistitiiirelii lias funçoes qiie à extiiita Junta Agricoillias adjacentes. Ia da Madeira foram coiiferid is pela I I dc Abril-Decreto, isciit ,iido lei e reg~ilaineiitosem vigor. de dircilos e clas reipcctivas sobre19 dc Outnbro-Jjecreto, fixaii1isab; os maiitiriieiito; p.irn coiisii- do o abono da ajucla de custo diámo iio ;i110 mar foriiecitlos A y iiais- ria aos ciiefes clas divisões léciiicas qiicr ii .vios ctc guerra r)c.iLeilceiitcs direcções d o hlinistéa iiaç(>:i ~lincl~is eiitr.irciii iios das diferci~les que rio da porlos cio Coiitiiieiite e ilhas adj i- iiiarcha Agricultiira e o subsídio de dos fiiiicionários cclites tluraiite o estado de guerra. tes d o iiicsmo IVlinístério,depciideriein servi27 de Abril-Decreto, torii,iii- ço lia Ilhs da Madeira. do aplicavel i s ilhas adjdceiltc; o 22 de Outubro-Decreto, criaiidisposto iio art.O 4 do decreto 4037 iricunibida de àcèrca da proc1ani::ção do Preiideii- do uiiia coiiiissãocoordenar todas coligír, e:;amiriar e as te da Républica. ilifor:iiações relativas aos bens e iii14 de Mnio-i>ecreto, cleterrni- terèsses privados dos portugueses iiando que as fábricas de distilação existeiites eni território ininiigo ou rla Illix da Madeira fiquem obriga- por èle ocupado, e aos d o iiiimigo das a dar por concluido o fabrico lios territorios do Continente, ilhas de agiiard~rite,iio ario sacariiio, lo- adjacentes e colónias. go que terminem a laboraç50 da 23 Outubro-Decreto, caiia qde exista dentro da.; Iiiesmss bindo de exportação d e sabão proia para fábricas e proibe o trâiisito da caiia o estraii jeiro, tornando dependente sacarina dos concelhos fabrís para qualquer dos concelhos d o Pôrta de autorização da Direcção Geral do Coiiiércio Externo a sua saída do Moiiíz, S. Vicente e Saiitaiia. pira o ultramar e ilhas adjacentes. 8 de Junho-Decreto, criando 26 Outirbro-Decreto, manna Escola Industrial, iio Funchal a tendo de iiúmero actual clas comaro X1 disuipliiia, lii-igua iiiglèsa, proposta pelo vogal da Juiita Geral, cas de l.a, 2.a e 3.a classe e iiicumSr. Cl:.los Bettencourt da Camara. biiido o Conselho Superior de Magistratura Judicial de propor a clasI 1 de Jrrnho--Decreto, deteriiii- sificação que tiver por iliais justa em iiaiido que os governadores civis e relação a todas as coniarcas do admiiiistradores do concelho no- Contiiiente e ilhas adjaceiites.

31 de Oufiibro-Decreio, abririd o uni crédito de 655.277368 ])ara pagamento dos vencimentos e gratificaqões do pesso.il docelite, adiiliiiistrativo e iiieiior dos eitaheleciiiientos liceais d o Contineiite e ilhas ;idjaceiites. 31 de Outubro-Decreio, tititorizaiido a C. M. do Fiiriclial a ticspender a quaiitia de 50.000800 eiii iiecessiirias desiiifecqões e outras iiiediclas higi6iiicas que liie sejaiii iiidicados pela Jiiiita Distrital tlc Higiene e pelas autoritladcs sdiiitárias. 28 de Novembro-llccreto, equiparaiido os subsídios dc residência dos oficiais das classes auxiliares em seíviço nos depart.iiiieiitos, capitanias e delegação niaritiiiia d o Continente e ilhas adjacentes, aos oficiais de niariiiha eni serviço activo. 29 de Dczetnbro-Decreto, aprovando a iiov:i classific @o das comarcas do Contiiiente e ilhas adjacentes, de liarinonia coiii o dis. posto no decreto nO 4020.

25 de Fevereiro-Decreto, dissolvendo a coiiiissão adiiiiriistrativa, iioiiieadii pelo decreto r1.O 4830, para deseinperiliar as fiirições que coinpeti.iiri à Ju1it.i Agrícola tia Madeira, e eiicarregd outra tlc gerir o fuiido constituído pelo iriiposto de fdbrii.ação de agu;irdeiitc no Distrito do Fiiiichal. 11 dc Abril-1 lecreto, fixando o dia para ;i rcaliza~iío(Ic eleiqfies de Scn;iclorc;, Deput'tdos, Jiintas Clerais, Cririiaras Mu~iicipaise Juiitas de Freguesia, no Contiiiente e illias adjaceiites. 2 de Maio-Decreto, autorizaiid o a C. A. da C. hl. F. a levantar d o furido especial de einpréstiriio para o saiieainento da cidade, a quaiitia indispensavel para o pagaMadeira Electric i tiiento da dívida ? Lighting C.O, pela iluiiiiriação da cidade. 10 de Maio-Decreto, estabelecendo o horario de trabalhadores e empregados do E.itado, das corporações adiiii~iistrntivas e (10 comércio e indíistria, iio Continente e ilhas adjacentes.
10 de Maio-Decreto, aprovand o a organização geral dos serviços dos departamentos rnarítinios, capie tanias de ~iortos respectivas deIegações cio Continelite e ilhas adjacentes. 10 de Maio-Decreto, aprovando o regulaiiiento d o serviço de faróis do Continente e ilhas adjacentes e as respectivas iiistriições anexas. 27 de Maio-Plecreto, coiisideraiido sem efeito o tlccreto de 24 de Maio de 1013, que fez a cedência à J. G. d o Distrito do Furichal,

3 de Janeiro-Decreto, determinando que a todo o pessoal da armada que serviu lia extinta Divisão Naval de Defesa e Instrução, Coinando Central de Defesa Marítima, serviços de vigilância e defesa da cdsta de Portugal e ilhas adjacentes e eni Cabo Verde, e na coniissão de aprovisioriameiito de tropas, seja concedida uma medalha comeriiorativa. 7 de Janeiro-Decreto, indicanas designações que passaiil a ter os liceus do Continerite e ilhas adjacentes.

(10 Edifício do extiiitq seminário e :;CUS anexos. 31 de Maio-Decreto, alterando portes e taxas da.; (liversas clasies de corres;,o~ideiicia postal i ;>~i-iiiiitlr deiitro cte cad-, colbiiia, o i i tlc iinii colóiiia para o l i t r ~ e , eiitrc as colónias c i iiietrtipole c. illias ac1j;iceiites. 31 de Maio -Decreto, perniitiii(10etii 1019 aoi culti~~adores cade ri,i cl i freguesia (10 l'aizl, Ilha da Madeira, disi'ilar de conta pról1ri.i a cd11a que iião possa ser adqiiirida pelas ftíbricas de agiisrdeiite da niesiiia freguesia e proíbe o tr3iisito dc cifl~a sacariiiii de cju.ilqtier polito da II!ix tla Madeira pira a freglicsiri (10 F:iicil. 12 de Junho-Decreto, regularizando, a sitiiação dos fiiiicionários que serviaiii lia antiga Juiita Agricola da Madeira. 12 de Junho-Decreto, proibiiido ciii 1919 no Distrito d o Funchal o fabrico de iiielado ou mel de engeii tio.
8 de julho-Lei, deterininando que a fregiiesia de Nossa Senhora do Monte, CoricelIio tio Funchal, p.~ssc a coiistitiiir tinia asse~iiblea eleitoral, com osta com os eleitores da niesma gegiiesi.i. 12 de Agosto-Decreto, cedeiido defi~iitivameiite J. G. Distrito I? do Funchal, o edifício do extiiito seniinário da iiiesnia cidade. 20 de Agosto-Decr~to, regularido a cobrança do direito d e carga liquidado aos iiavios vindos aos portos do Contiiiciite e ilhas adjacentes. 25 de Agosto-Decreto, crian-

do, com destiiio á Câm ira Municipal d o PGrlo Santo, i i i r i iiiiposto sobre a cal preparada, iinportacla pela f1lfândeg.1 d o Fiiiic!~ rl. 4 de Scfcnzbo-Deci.\,to, traiisferiiido a sccle d o círciilo escolar da Ribeira Rrdvd para n cid:.ide do Fiirichal. 12 dc Novcrnbro-9ecrd0, deterininarido que a esport8is:áo devergs ein bruto da Ilha (1i Madeira para o estrdiijeiro e beiii assiin a respectiva rcc:<portação I 10s portos do Contiiieiite para qiialquer destino fiquerii dcpcndeiites de liceiiqa especial do Ministério tlo Coriiércio e coniiiiiicaçõcs e siijeitas ao pagarnento da sobretaxa dc $20 por cada quilogratiia, aléip clos direilos jb estabelecidos na l~gislaçáoeizi vigor. 27 de Novembro---Dccrcto, rnodificando os portes e préiiiios das correspondencias permutad.is entre o Coritiiioiite e as illias adj.iceiitcs e possessões ultrailiarinas porliigiiesas . 27 de Novembro --Portariai, alterando os preços rnáxirnos estabel lecidos para a riiaiiteiga naciori~t ou importada, vendida iio Colititieiite, e fixando o preço miniriio por que deverá ser paga, sos fabricantes, a mariteira que for requisitada para corisunio lias ilhas (10s Açores e da Madeira.

20 de Janciro--Lei, dispeiisarido nos distritos adininislrativos das illias acijacentes, a reg~ilainentação da lei, n . O 234, que autoriza as respectivas câinaras niiiiiicipais a laiiçar uni iinposto de $50 por qui-

lograma sobre o tabaco iinportndo tabelecida pelo art.0 n.O 6521, que do c ,tr;trigeiro ou prodii:lido lias rcglilarizou o reziinc sncariilo na mesrnls ilhas. ilhx da Madeira. 2 dt) Mnrp--Decreto, 111 i~irtaii7 de Jrrnho-Portaria, mandxntlo proci.der :i11 1;)20 rio rcc?ii.iel- (10 iiianif,?si na IJirecçrio Geral d o ir i!ienio grrdl r l s !,oi~ktlaçàu Ou!i- c :omércio Agricola, tod is as quwido iiiiente e illia; adjlceiitrs. t idades da rnaiiteig* exportada das dos 18 de Março-Portaril, autori- i l h ~ s Açores e d~ Madeira. zaiido a Misericórdia do Furichal a 1 de Julho-Decreto, regulaiido allquirir tima por;ão di. terreiio e o sorteia de vogais efectivos e supequeii.ts casa; 1)róxirnis do s ~ uplentes dos Tribunais Arbitriis de hospital. 13resid6iicia ~ocial, cuji 6.a e 7.a 9 de Jbril-Decreto, regulando Circuiiscrição em Asigrn do Heroiso coiisumo do açucir das colóiii-ts mo e Funchal. c da Ilha da íi'ladeira. 6 de Agosto-Decreto, orgàni14 de 14bril-Dt.c;et~l, co.iceden- zaiido os servicos da secretaria d o tio o beiiefício rio tra!aiiieiito esta- Governo Civil do Futichal. belecido no 4rt.O 4 d i l e i i1.O 146, 21 de Agosto-Decreto, orgaà cascadura nacio,i.ii ou nícionalias zada que tenha s:rv;do ao acondi- iiizando em tocl.4~ capitanias de cioiiaiii~iitode UVL;,mosto, viiihos distritos do Coiitiiientc e ilhas adjiou s r ~ derivaclos, exportado; para centes, juiitas médicas c delegddos s as proviiinias ultr~mariiias portu- da junta de Sariid ide Escolar. guesas, q~iaiidoreg;esse ao Coiiti22 de Agosto ---Decreto,fixdiinente ou illi .s adjaceiite;, uma vez do o prizo para despaclio de géiieque seji arm ida sob fiscalizição e ro; al;meiiticios desigi1a:ius iio artia su-, idzillificação se po-- COIISI- go 7.0 do decreto n.* 6456, que deguir plenarnoiitz. rem entrada nas alfândegas do Con27 de Abril-Pecreto, permitin- tinente e i l h ~ s adjiceiites e nos d o aos culiivddores de cai13 sdcarr- entrepostos do Parto de Lisboa. na d~ freguesia d o Fa.al, da Ilh t da 3 de, Setembro-Decrzto, autoMadeira, a destilar por coilli pró- rizando o Banco d i .Madeira, do pria, a quantidide de ciiict e.ice- Funclial, a emitir guias-ouro. dente à que pelo respzctivo riteio 2 de Novembro-Decreto, procornpzte adquirir no fabrico de videnciirido para que se coiicluim ,ig,~ardente uessa fr-gu:;.a, a j operaçaes de lançamento, das 14 de Maio-Decreto, regiilaildo contribuiçõe; d o Est~do,as qulis o processo das fó1h.i~do ve.icilnzn- t?!n de ser adicioiiad is as percento dos juizes e delegldo; clcti Pro- tagens do imposto especidl muriicicuradores da Repúblici d ts comar- pat, com ciplicação ao pagmiento c3s do; 12çores e Madeira. dss despesa; com o; vetiçiineiltos e 5 de junho-Decreto, iiicluiiido gratificafão, cio essoal do ensino a freguesia do Porto do Moiiiz, na primário lios digrentei concelhos zona norte da Ilha c ! ~ !\tadeira, e5- d o Continciite e ilhas adjiceiites, a
,j

fim de que nos prazos le ais se proceda a cobrança das referidas contribuições. 9 de Dezembro-Lei, regulaiitlo a veiida, rias cidades do Coritinente e ilhas adjacentes, de artefactos de ouro e de prata, reltjgios de algibeira, pulseiras e siiiiilares.

4 de Fevereiro-Lei, aiitorizaiido o govêrno, a coiiceder o bronze necessário para o rnonumeiito que a Juiita Geral do Distrito do Funchal pretende erigir iiuiiia das praças publicas daquelc?cidade, zni tiomenageiii ao glorioso iiavegador loão Goiicalves Zarco. 4 de Março-Lei, concedendo aos iiiilitares que prestarim serviço durante o estado de guerra na defesa do Cainpo Entricheirado de Lisboa L cidades do Funchal e Ponta Delgada, idênticas vaiitagens ás que forain coiiccdidas pelo decreto i1.O 5799, ao pesso.il da armada, encarregado da defesa iii~ritirna,designando a legenda da ~iiedalhacoinemorativa das campaiilias do exército português, a que se refere o decreto n 5086. * O . 31 de Março-Publicação, tornando piiblicas as tabelas de portes de correspondêricia postais a expedir do Contiiieiite e ilhas adjacentes desde 1 de Abril para os colónias portuguesas e países estranjeiros, excepto Espanha. 28 de Abril-Decreto, prescrevendo as petialidades a aplicar aos contraventores do estabelecido na Portaria de 12 de Dez. 1012, que detern~iiiouo assinala~ileiitodas arniações de atum lias costas de Por-

tugal e ilhas adjacentes, quer de dia, quer de noite. 4 de Maio-Decreto, reforçando a dotação destinada ern 1920-1021 às levadas da Ilha da Madeira. 4 de Maio- Decreto, regulamentando as condiçaes de trabalho das fábricas de distilação de aguardeiite iio Distrito do Funchal. 24 de junho Portaria, indicando a constituição do tribunal de arbitramento de valores para os casos em ue, quando haja contestação de v8orcs para base de importação de mercadorias tributaveis a d valorem, nas alfândegas insulanas, o respectivo director seja parte no processo. 9 de Julho-Edita1 d o Comissariado Geral dos abastecimentos, determinando que o comérciode nianteiga de produção nacional, tanto das ilhas adjacentes como d o Continelite, seja livre para os irnportadores que a solicitem. 23 de Agosto-Decreto, cedendo 2 Junta Ger;tl do Distrito do i Fuiichal, o edifício deriominado das Irmãzinhas dos Pobres. 6 de Setembro-Decreto, determinando que as mercadorias procedentes ou originhrias da Noruega paguem nas alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, ciiico vezes os direitos e sobretaxas de importação que lhes coiiipetirem, e que os navios da mesma nacionalidade paguem eni quintuplo as taxds do iiiiposto de coniércio maritinio quando entrem nos portos port ugueses. 10 de Setembro-Portaria, modificando o artigo do regulamento sobre a circulação de automoveis,

de 27 de Maio de 1911, na parte relativa às comissões técnicas das circunscrições Açores e Madeira para inspecção e exânic de automoveis e condutores. 27 de Sefernbro-Portaria, niaiidando corisirlerar pelo miiiistério do Comércio e Coniuiiicaçõ~s, com as classificações, categori~s,horários e dotação do pessoal coiistarites da respectiv~ lista, as ei:ações centrais telegráficas, radiotelegráf icas, etc, compreeiididos na mcsina lista, do Coiitiiietite e ilhos adjacentes.
12 de Outubro-Decreto, publicando as tabelas de portes de correspondèiicias postais a expedir do Continerite e ilhas adjaceiites, desde 1 de Novembro, pdrà as COlónias portuguesas e paises estrangeíros, excepto Espanha.

16 de Novembro - Decreto, transferindo unia verba de um para outro artigo do cap. 15.O da proposta orçamental de 1021 - 1922 [ara pagamento de salários aos traalhadores adventícios das alfâiidegas de Lisboa, Pôrto e Furichal admitidos extraordinàriameiite.
17 de Novembro-Decreto, fixando os direitos de importação a pagar por determinadas mercadorias e artigos que rio prazo de cinco anos, a partir -de 1 de Janeiro de 1922, forem importados pelas alfândegas do Coiitiriente e ilhas adjaceiites. 24 de Novembro-Decreto, determinando que os direitos de importação sejam pagos em ouro na sua totalidade no Continente e ilhas adjacentes, à paridade de 4$50 por caiia- libra esterlina, exceptu-

arido as mercadorias iio mesmo decreto merícionadas. 30 de Novembro-rlecrcto, coticedendo nas alfândegas das illiaj adj .tentes, arniazeii ibcni às iiiercadorias iiacionais ou iiacioiializliclas de procedência coiitiiieiital ou irisiilar, coni excepção das ii~encioiiada; nos !].Oe 1.O, 4.0 e 3.O do art.O 377.O do decreto 1i.O 4560 de 8 Jiilho cle 1018. 33 de Novembro-Decreto, regulameritaiido o coniércio dos trigos produzidos na Ilhi da Madeira e iios Açores. 7 de Dezembro-Decreto, abrindo um crédito especial de 12.000$00 para paglirneilto da despesa coiii a recepçào do general fraiicê Maiigiii e sua comitiva, na missão i~icumbida de trasladar do Fuiichal para França os restos mortais dos tripulantes da Surprise. 21 de Dezembro-Decreto, autorizando tio Distrito do Funchal, a importação de 8.000.001) quilogramas de trigo exótico, selido o rateio de $001 por quilogi-ama, para o ano cerealifero 1021-1922.
24 de Janciro-Decreto, fixandu o aumeiito nieiisal de ajuda de custo de vida pard os faroleiros e mecâriicos faroleiros do Contirle~ile e ilhas adjacente;. 25 de Janeiro-Portaria, autorizaiido a Coniissão Adrniiiístrntiva do Asilo de Mendicidade do Funchal a veiider unia propriedade rustica e urbarix que possui iio sítio do Pilar, freguesia de S. Martinho. 1 de Fevereiro - Docu~nent~, em que os Governbs Portuguê

Franc$s acordaiii àcêrca da impor- da referida Estacão ilgrícola, h qual tação eiii Fr:nça de iim conlingerite fica, tambeii~, provisoriairieiite sumelisal de 5.009 hectolitros dr vi- bordinado o serviço da policia riiral nhos d o Parto e dx Madeira, achr- e florestal. do válido por 6 meses. 21 de Abril-Decreto, fixando 4 de Feveiro--Decreto, prorro- o dia 4 de Julilio de 1022 para regando até 31 de Alarço de 1922, petiç2o da eleição de Seiiadores nas comarcal; d ~ Ilhas das Flores e pelo Dis-rito do Fuiichal, na Ass de S. Viceiite, !lha da htzdeira, o semb1e;i. prili!:íri i (Ie Câinarn de prazo a quc se refere o artigo 58 Lobos, sòii~eiit? ai-a os candidntos d o Código do Processo Cori~ercixl, César 13rocol)io tle Freitas, Vasco contando-se a partir daqiiel i d ita Crispiriialio Urt Silva e Ma~iuelde todos -o; demais prazos reldt ivo; ao S U LI~ RSIZAO. S recense?~eritoe eleiqão de jurados 24 de i13ril - l'ort iria, autoriCotnerciaIs. z ~ r i d oa Coinp;iiiliia clc Seguros 17 de Fcverciro-Decref o, divi- *G lraiitia F~iiiclialeiise~ coiii sede dindo o Coiitiiiriite e illias adjaceii- iio F:iiichal, a reforiiiar os seus estes em quatro circuiiscrições para a tatiitos. execiiçâo do inquérito sdbre o esta5 dc Mnio--Portaria, mai~dando, coildição e iiecessidades da ind o que os juizes de direito e deledi1stri.i. da pesca. 9 de Março-Decreto, cedeiido gados do Procurador da Repiiblica lias cciii~arcasdo Coiltiiieiite e ilhas à Caixa Geral de Depósitos o titu- adjacente;, iio niês tle Outubro de lo definitivo para iiistalação durna cada alio, enviem tiirectameiite ao Filial lia Cidade d o Furichal, a ald Conselho Superior judiciário, iiioriental do edifício d o aiitigo Paço Episcopal da mesma cidade, me- forn~açõe;sôbre a compêtencia proEissio~ial e idoiieidüde diante a iiiiportâiicia ou iiideiiiza- oficiais de Justiça, seus moral dos subordiriação total de 12.000$00. dos. 22 de Março-Decreto, autori16 de Aiaio-Portaria, autorizando a firma bancaria Teixeira, Machado 8r C.0, do Funchal, a emi- zando a Confraria d o Saiitis~inio Sacrarneiito da freguesia de S. Detir guias-ouro. dro, da Cidade d o Funchal, a aceiI de Abril-Decreto, exting~iin- tar o legado de met-:ide duns ped o o lugdr de guarda-mor chefe da quenos tratos de terreiio, situados Estação de Saude d o Firnchal, que a S. João cla 'Ribeira, da mesma ficou vago por óbito de João de freguejix, que lhe foi deíxaclo em Freitas da Silva. testaineiito por Aiitoiiio da Silva 3 de Abril-Decreto,. cleterriii- Santos. 3 do Jullzo-Decreto, autorinando que a eitação Agricola da (4 Região da Aladeira seja imediata- zando 'i firiiia baiicàris Rodrigues mente subordiiiada à Direcçâo Ge- Irn~ãos 8r C:.", d o Fuiichal, a enliral dos Servicos Agrícolas. O nies- tir guias ouro iios terinos do demo decreto regula o fuiicionaniento creto n.0 4.133, de 18-4-1918.

6 de Oufu bro--Decreto, reguO de Julho - I?ecreto, dando unia iiova composição ao quadro laiido a me lho ri^ de veiicirnenlos a (ia. 2." Rep~rtiçãoda Direcqão Cre- conceder aos f u iicioilários das alrxl clos Serviços adii~iiiistrativos d o fâiiciegas do Coiitiiieiite e ilhas Exército, e deteri~iiiisnclo que xs adjaceiites e a demais pessoil :io aifâiiclegas. delegaqões da referida Repartição serviço das rcferid~s eni cada unia d ~ cidades do Funs 7 de Oufrrbro-Decreto, rectificftal, Aiigra c Poiit I Delgada voldecreto tcni a ter a coiiipo:;ição e i'uiiçoej cando o de 1922. supra, de 6 de deterininadas iio artigo 172.O e seus Outubro paragrafos c i i organiz.,cão c10 exer10 dc Orrtzlbro--Lei, redilziiicito rnetropolitctilo de 23-5-911. do de 4.500$00 a verba (!e 22.000$ 22 de Jlillro-- Decrelo, deternii- inscrita iio czp. O, arLO76.0 da tdriando que 8s mercadorias coiis1:iii- bela orçdt~ieiital cio Miiiisrériu de tes tla tabela ariexa a sste decreto I. P. autorizada pdra o ano ecoiiófiquem sujeitltç, na exportaqão o ~ i mico de 192?-023, com aplicação re-exportaçiio (le Port~ig.11, Madrirír ao pagdniento cle reiidas e111 dívida e A~ores, pari o estraiigeiro, :io pelo Liceti Central de Jaiiiie Moniz, yagariieiito ciar sobre t ~ x a s cspeci- no . Fli!!clial, e inscreveildo rio c tp. r\is lia niesilia Íabeld indicadas e 32.O, art. 96, da tabela de despesa y tie scjdi~lcobr~das iiidepeiideiite- extraordiiiária do Miiiistério para o niente das que nesta &ta vigoram citado ano ecoiiótnico a verba de 4 de Agosto-Lci, coiicedeiido 17.500$00 p ira pngainciito da ce2 viuv,i e filhos do rriadeirense Dr. ciêiicia do corpo do edifício do aiiAntoiiio Aiirélio tia Costa Ferreira, tigo Paqo Episcopal do Fui.ich,--1,a ex-director til Casa Pia de Lisboa, fiiii de se iiistalar defiiiitivanieiite o com sobi-evivèiicici de uni para oii- referido liceu e para custearnento tro, a peiisão anual de 3.600$00, de diferentes obras de apropriaçâo de paga eni d~iocléciniose autorizaii- do iliesrno edifício e aquisi~ão c10 o gclvêriio a fazcr ri traiislada- iiiaterial didáctico. $30 para a melrópole e por conta 20 de Outubro-Portaria, autodo Estado, do cadavcr do malogra- rizaiido a Saiita Casa da Misericórdo madeireiise. dia do Futichal a veiicler virite obri24 de Agosto-Decreto, cedeii- gações da Compaiihia Geral do do defiiiitivamei~te, ao coiiselho Crédiro Predial Portuguss e apliadniiiiistrativo do Liceu de Jaime car o produto de verida h conipra Aloiiiz, da Ciddde d o Fiiiichal, para de iiiscrições de asseiitamento da iiislalrrção do mesiiio estabelecimeii- d ívicia pública portuguesa. t6 de eiisino, o ediiício do aiitigo 24 de 0ut:lbro --Portaria, perPaço Episco~~al. mitindo que o transporte de pas2 i dc Setcrnbro-Decreto, cle- sageiros e ttiercddorias coni destirio C sigri iiiclo os c ias para as cleições às ilhas adjaceiites seja feito por 1 das câmaras niuiiicipirs, jui-it,is gc- iiavios cstraiigciros até deterriiiiiarais clc ciistrilo e jiiilt,iç de fregue- çâo eiil coiitrário, e inseririílo vàsia 110 Coiitiiieiite e lias illias acljri- rias outras providcricias respeitaiites entes. ao niesnio assunto.

29 de Novembro-Decreto, inserii~do composição e distribuição a do pessoal d-i guarda fiscal nos batalhões e comp :iihizs rias ilhas, cuja tabela IV sc refere à Companhia i1.O 1, no Funchal com 1 subalteriio, 1 prinieiro sargento, 2 seguiidos snrgentos, 2 priineiros cabos, 3 segiiiidos cabos, 45 soldados, 1 soldsdo moiitado; lia secção Machico: 1 priiileiro cabo, 2 seguiidos cabos, 6 soldados; e na secção do Porto S~iiio:1 primeiro cabo e 6 soldados. 2 9 de Novembro - Portuia, cedendo, a titulo precário e grdtuito, para o exercício do culto católico píiblico à confraria da Ordem Terceira de S. Francisco de Assis, da freguesia de Câmara de Lobos, concelho da mesma deiiominação Distrito do Fuiichal, a capela do Espirito Santo, da referida freguesia, coiistruida pelo descobridor da 1lh.i da i,!a&ira, João Gonsalves Zarco, em 1430. 2 9 de Noventbro-Rectificação ao decreto n.O 8409, que regula a nielhoria dos venciiilentos aos f u ncionários e demais pessoal das alfândegas d o Continente e illias adjacentes 16 de Dezembro---Decreto, autorizando, sob determinadas condições, a Câmara Municipal do Concelho de Saiita Cruz, Distrito do Funchal, a demolir a cosiiiha do edifício da residência paroquial da freguesia de Gaula, do mesmo Concelho.
,

Coricelho da Calheta e comarca da Ponta do Sol, Distrito do Fuiichal. 8 de Janeiro-Decreto, cedendo a Juuta Escolar do Coiicelho do Fuiichal, o terreiio do aiitigo passal d o pároco da freguesia de Saiita Luzia, no mejmo Coiicelho. 13 de Janeiro-Lei, declaraiido livre a importação de farinhas e trigos iio Distrito do Funchal e proíbindo a exportaçào e reexportação de farinha e reexportação de trigos do iiiesmo distrito. 2 6 de Janeiro-Portaria, deterniiiiarido qiie qualquer resolução toniada pelo goverriador civil de qualquer distrito do Coiitiiiente e ilhas adjacentes sobre a aplicação de penas disciplinares, coiisignadas no decreto de 4 de Outubro de 1860, aos actores. empresarios e directores de teatros e mais espectaculos públicos que contr~vieremas disposiçõss legais, tenha execução devidamente comuiiicada, eni todos os distritos da metrópole. 3 de Fevereiro-Decreto, coiicedendo a todos os cidadãos que tomaram parte nas operações de defesa da costa de Po~tugal ilhas e adjacentes em Cabo Verde uma medalha comemorat iva com a legenda *Cabo Verde 1917-1918.. 19 de Fevereiro-Decreto, modificando as cotas valorizaveis e percentagens fixadas iias tabelas anexas ao decreto 8409 e no art.O 2 do mesmo decreto, que regula a rnelhoria de vencimentos a conceder aos funcionários das alfandegas do Continente e ilhss adjacentes e ao demais 8 de Janeiro-Decreto, criando degas. pessoal das referidas alfânum lugar de notário coni sede na 22 de Fevereiro-Decreto, de!freguesia da Fajã da Ovelha; do

terminando que com residêiicia oficial em Angra d o Heroismo e junto d o Comando Militar dos Açores haja uni tenente-coroneI ou niajor do serviço de admiiiistraçio militar, o qual terá a seu cargo nâo só as inspec~ões administrativas às unidades aquarteladas nos Açores, como também às que teiihnin a sua sede na Ilha da Madeira. 27 de Fevereiro-Lei, criando o adicional de 2 por cento sobre todos os impostos cobrados pela Alfândega do Funchal, destinado ao Hospital da Saiita (àsa d n Misericórdia do Funchal. 2 de Março-Decreto, toriiando extensivas às filiaís eni Lisboa d o Banco da Madeira, do Fiirichal, a permissão para emitir guias-ouro. 27 de Março-Decreto, determinando que as pautas de importação e as respectivas instruções preliminares, anexas a êste decreto, entrem em vigor no Contiiiente e ilhas adjacentes, no dia 20 de Abril de 1923. 31 de Março-Portaria, deterniinando que a faculdade concedida pela portaria 3452, ao governador civil de Lisboa, como inspector geral dos teatros, dentro do seu distrito, seja também dada a todos os demais goveriiadores civis do Continente e ilhas, em referência aos trabalhadores d e teatro, quaiido como tal emigrem. 3 de Abril-Decreto, coiisiderando de 3 classe os concellios da O . Ponta do Sol e Ribeira Brava, no Distrito do Funchal. 12 de Abril-Edital, inserindo várias disposições relativas h exportação de manteiga do Distrito d o Funchal.

19 de Abril-Decreto, determinando que em todas as capitais de distrito, alem de caniarote e frisa, destinada à autoridade que preside ao espectáculo, sej:i pelas respectivas eiiiprêsas destinado outro cariiarote ou frisa ao governador civil. 27 de Abril-Del,reto, autorizaiido que a Filial do Banco Colonial Português a abrir na Cidade do Funch~il possa einitir guiasouro. 2 de Maio-Decreto, fixando o dia 17 de Junho de 1923 para a realização da eleição da Câmara Muiiicipal do Concelho de Macliico, Distrito do Funchal, que Iiavia sido aiiulada. 12 de Maio-Lei autorizaiido o Govêrno a modificar as tabelas 1i.O 8 e 0 à lei n.0 1039, de 28 de Agosto de 1925, elevaudo a 1$25 o quantitativo da4abela n.0 8 igualando a gratificação de serviço do Parto e Serra do Pilar à de Lisboa e reduzindo a $03 a actual diferença entre as mesmas gratificações eni Lisboa e ~ioutras localidades do Continente e illias adjaceiites, da tabela nO 9 . . 14 de Maio-Decreto, fixando o dia 24 d e Junho de 1923 para a realização das eleições de vereadores da Cimara Mutiicipal da Ponta d o Sol e d e procuradores à Juiita Geral do Distrito do Furichal, no niesnio concelho. 28 de Maio-Decreto, regulando os vencimentos liquidos mensais dos faroleiros e niecânicos faroleiros CIO Conti~ientee ilhas tes

.

2 de Junho-Decreto,

dia 15 de Julho de 1023, para a repetição das eleições de vereadores da Câmara Municipal da Poi~tad e Sol e tle procuradores a Junta Ger11 d o Distrito do Fiiiichil, no mestiro conceli~oe aiiiilaiido o decreio 1i.O 8820, que fixava outro dia para a realizaçao das meiicioiiadas eleiçi3es. 5 dl! Junho-Decreto autorizando a coiistituir-se definitivamente o Banco Português do Continente e ilh~is, coiii séde ein Lisboa. 5 de Junho-Decreto, aprovando o regulamanto d o Pôrto artificial d o Funchal. 26 fie julho-Despacho ministerial, tornando extensiva aos cantoiieiros das levadas da Madeira, a i~iellioria vencimentos coiicedida de aos caiitoneiros dos serviços hidrárrlicos. 25 de Agosfo-Decreto, determi~iaiido que o concurso para provitiieiito de aspirantes existentes no quadro da Direcção Geral das Contribuições e Iinpostos se efectue perante as Direcções de Finanças dos distritos cie Lisboa, Coinibra, Porto, Funcilal !e Poiita Delgada no dia que fôr fixado pela D. Ci. das Contribuições e Impostos.
25 de Setembro-Decreto, extingui~idodiversas sub-regiões agrícolas, incluindo a do Funchal, e promulgando várias disposições relativas aos serviços agronóinicos. 29 de Setembro-Decret o, deteriniiiaiiclo que nas comarcas de Coímbra, Eraga e Funchal, os serviços referentes aos actos do registo coiiiercial sejai~i de;anexados das secretarias dos respectivos tribunais d o comércio.

29 de Setembro -- Publicação, rectificaiido o decreto 1i.O 0143 que deterniiiia qiie lias coiriarcas de Coímbra, Rrag,i e Func-hal, os serviços dos actos dt regisio coiiiercial sejam desaiiexados tlas secretarias dos respeciivos tribui~di-; de comércio. 4 de Outnbro-Lei, declarando que a elegibilidade a que se rei'cre o art.O 6 da lei eleitoral ]ião diz respeito a f uncioiiàrios que exerçam cargos cuja acção se esteridx a todo o território da Repúblicx ou simplesmeiite da ~i~etrópole ilhas adjae ceiltes. 18 de Outubro-Decreto, dctermiiiando que possaili ser requisitados ein comissão, para o Miilistério das fiiianças e para a Direcção gerdl de Coiitribuição e Iinpostos, os fuiicionários civis e militares, julgados suficientetnelite idóneos, dos diversos miiiistérios, que desejem prestar serviço, nesta i?. G. e nas Repartições que dela dependeni no Contiiiente e ilhas adjacentes. 3 de Novenlb~w---Decreto, iiiseriiido a tdbeía dos vencimentos nieIhorados líquidos do pessoal dos governos civis do Loiitinente e ilhas adjacentes. 6 de Novembro-Decreto, fixand o as datas do pagamento cla indemnização pecuniária e do coiiiêço e conclusão das obras de coristrução dos edifícios das escolas primárias do eilsino geral da freguesia de Saiita Luzid, Coiicelho d o Fuiichal, no terreno cedido pelo decreto 8370 à Junta Escolar d o referido concelho. 13 nove ri^ bro-Decreto, esclarecendo dúvidas sobre ii apliciqão do deteriiiiri-,do no art.0 4 do decreto

8868, que regulou os vencimentos líquidos merisais dos faroleiros e mecânicos faroleiros do Continente e ilhas adjacentes. 13 de Novembro-Decreto, fixando o irliposto a pagar pelos trigos e fariiihas exóticos importados na Ilha da Madeira.
15 de Novembro-Decreto, elevando ao triplo as taxas do imposto do comércio marítinio para os navios de nacionalidade f rancêsa que entrarem nos portos do Continente e ilhas adjacentes e determinando que as mercadorias procedentes ou originárias de Frdnça paguem nas alfândegas do Contiiiente e ilhas adjacentes o triplo das taxas da pauta maxima que actuamente Ihes competem. 26 de Novembro-Decreto, determinando que fique revogado e serii nenhum efeito o decreto n O 9236 que fixava o imposto a pagar pelos trigos e farinhas exóticos importados na Ilha da Madeira. 30 de Novembro-Decreto, determinando que a regència da disciplina de principias de física e quírnica e noções de técnologia da Escola Augusto de Aguiar, do Funchal, continue a ser confiada a um professor privativo, que fará parte do corpo docente. 5 de Dezembro-Rectificação ao 1i.O 55 do art.O 5703 (Orgaiiização geral dos serviços dos departanientos marítimos, capitanias dos portos e respectivas delegações d o Continente e ilhas adjacentes). 6 de Dezembro-Portaria, tornando, a título provisório, extensiva à coniissão técnica de inspecção e exames de automoveis e condu-

tores da circunstrição da Madeira o paragrafo úníco do Art.0 12 do regulamento sobre a circulação dos autornoveis, aprovado por decreto de 27 de Maio de 1911. 10 de Dezembro-Decreto, reduzindo o quadro do pessoal da secção hidráulica do Funchal. 10 de Dezembro-Nova Publicação, rectificada do decreto 0283, que reduz o quadro pessoal da secção hidráulica do Funchal. 11 de Dezembro-Dois decretos n . O S 9287 e 9288, autorizando respectivameute o Banco da Madeira, com séde no Funchal e o Banco Coniercial de Lisboa, com séde em Lisboa, a modificar os seus estatutos. 11 de Dezembro-Decreto, inserindo várias disposições sôbre eniissão de guias-ouro para pagamento dos direitos aduaneiros em ouro e sôbre a exportação e re-exportação de mercadorias produzidas em Portugal continental, Açores, Madeira e nas Colónias.
7 de Janeiro-Decreto, extinguindo, com o arecer favoravel da Procuradoria &era1 da Republica, todos as auditorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes e o Supremo Tribunal Administrativo. 7 Janeiro-Nova publicação d o decreto n.0 9340, que extingue as auditorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes e o Supremo Tribunal Administrativo. 8 de Janeiro-Decreto, suprimindo os cargos de administrador do coiicelho no Continente e ilhas

adjacentes, e determinando a forma de prover êsses lugares. 8 de Jaueiro-Decreto, extinguindo 50 coinarcas do Continente e ilhas adjacentes. 15deJaneiro-Decreto, promulgando as iiistruções para execução do decreto 5402, que regulou as indústrias de fabricação de açucar e alcool de cana sacarina no arquipélago da Madeira. 23 de Janeiro-Portaria, fixando as lotaçaes dos postos radiotelegráficos de Faro, Parto e Funchal. 7 de Fevereiro-Decreto, discrirninaildo os lugares de guardas que ficam extintos em váríos liceus do Continente e ilhas. 22 de Fevereiro-Rectificação 9310 ao artigo 4.O do decreto noO que extingue as auditorias adrniiiistrativas do Continente e ilhas adgaceiites. 8 de Março-Decreto, anulando os decretos n.OS 8370 e 9218 emque cedia à Junta escolar do Concelho do Funchal, terreno do passa1 do paroco da freguesia de Santa Luzia* 10 de Março-Lei, criaiido sôbre todos os impostos niunicipais cobrados dela Alfândega do Fuiichal o adicional de 5*/,, destinado â reorganização de incêndios. 27 de Março-Decreto, proibindo, provisòriamente, a entrada na região vinícola da Madeira aos vinhos de pasto do Continente com graduação superior a 1 2 O ceritesimalS. 27 de Março-Decreto, determinando a forma do rateio do alcool para tratamento dos vinhos da Madeira pelas fabricas que a êle têm

direito no ano matricular de 1924. 10 de Abril-Portaria, homologando a fusão de duas associaç6es de socorros mútuos com sede no Fuiichal. 14 de Abril-Lei, fixando em 60:003 decalitros, anualmente, a quantia de aguardente que em conjunto podem produzir as fábricas existentes no Distrito d o Funchal. 16 de Abril Decreto, rnadificando as taxas da retribuição dos servi.;os extraordinários que forem prest.idos pelo pessoal do quadro interno aduaneiro em serviço ria Alfândega do Funchal. 19 do Abril-Decreto, modificando as taxas da retribuição dos serviços extraordinários que forem prestados pelo pessoal do quadro interno aduaneiro em serviço ria Alfândega do Funchal. 19 de Abril-Decreto, elevando ao dobro, na parte aplicavel à Alfândega do Funchal, as baixas do tráfego constantes da tabela que faz parte do decreto n.O 9483. 30 de Abril-Portaria, modificando a equivalência d o fraaco-ouro para a fixação das taxas a aplicar aos livros nacionais impressos em português, procedentesdo Continente ou ilhas adjacentes, com destino a proviiicias ultrarnarínas portuguesas e expedidos por paquetes portugueses. 2 de Maio-Decreto, fixando as taxas postais a aplicar aos livros e fascículos de obras literárias ou científicas, impressos em língua portuguesa e editados em Portugal, permutados no Continente e ilhas adjacentes por intermédio do correio.

7 de Maio-Decreto, determinando que careçam de prévia confirmação do Govèrno, para que posssiii ter execução, os coi:tratos de artistas de nacioiialiclade estrangeira para qualquer género de espectáculo público a exibir rio Coiitiriente e ilhas adjacentes.
11 de Junho-Decreto, deterniinando qiie a entrada de vinhos de pasto de qualquer procedêiicid na região vinícola da Madeira sórnerite seja permitida quando engarrafados e destinadas ao consunio local. 1 4 de Junho-Decreto, declarand o nulas e sem efeito a cedência dos terrenos e edifícios do suprimido Convento de Sta. Clara do Funchal feitas à Câmara Muriicipal, à Associação Auxilio Maternal e à Misericórdia da mesma cidade.

19 de Junho-Decreto, proibiiido a expartação do casulo do Continente para o estrangeiro, ilhas adjacentes e colónias. 19 de Junho-Decreto, permitindo no Distrito do Funchal a exportação de farinhas produzidas pelas fábricas de trigo exótico. 26 de J u n h o - h e t o , esclzretendo as dispmi@es da lei n.0 1368. aue remodelou o repime tributi;io; na parte e'n quese trata da contribuição industrial devida pelas sociedades ou emprêsas que, tendo a sua sede no Continente 011 ilhas, exerceu a sua actividade nas colónias portuguesas. 27 de Junho-Decreto, prolbilid o a saida do Continente e ilhas adjacentes de tôda a moéda nnciona1 e estrangeira. 27 da Lunho-Publicação, recti-

ficando o decreto n 9870, que . O proíbe a saída do Coiitineiite e ilhas adjacentes de toda a moeda nacioiial e estrangeira (iiletálica e em riotas). 1 de Jzrlho--Decreto, iilaiiteii<!o eni pleiio vigor o art. 20 e seus paragrafos do decretn ri.* 5403, que regula o exercício das iridústrias de fabricação de açucar e de alcool de caiia sacarina do arq~iipélncro da Madeira. 3 de Julho-Decreto, pertnitii~do a itnportação, inediarite fiança idoiiea, de materiais metálicos destii~ados à moiitagern de embarcações de tráfego local dos portos do Coiitinente e ilhas adjacentes, liquidaiido-se os respectivos direitos depois de concluídos 4 de lulho-Decreto, alterando as multai impostas pelo regulameto aprovado pelo decreto n.O 7502, sôbre a fiscalização das fábricas de aguardente da Ilha da Macieira. 7 de Julho-Nova publicação, rectificando o arLO4 do decreto i1.O 9900 que regula a situação dos magistrados judiciais e do Ministério Piiblico, a aue se referem os artigos 2 e 3.; do decreto n 9340, . O . O que extinguiu as auditorias do C0ntinelite e ilhas= 26 de Julho-[)eclaraFão de qiie a doutrina d o despacho de 2l de Janeiro de a que a de'la'a~ão de 25 de Jiiiilio de é aplicavel às juntas gerais dos distritos de regime ' autoliórnico de Ponta Delgada, Angra e Funchal. 3l Julho-Portaria n.O 4153, pernlitlsdo a eiitrada região vin icola da Madeira. e conseaiieritemente o respectivo'despachÔ, tanto
'

do vinho que se encontra alfandegado no Funchal como de 150 pipas da Adega Regional de Torres Vedras aue deverão ser ainda despachadas. 4 de Agosto-Lei, autorizaiido as juntas gerais dos distritos do Continente e ilhas adjacentes a cobrar, durante o número de anos que f6r julgado necessário, uril inlposto adicional à contribuição industrial paga para o Estado pelos contribuintes dêsses distritos. 28 de Agosto-Decreto, determinando que todos os navios que entrem em qualquer dos portos do Continente e dos arquipélagos da Madeira e Açores com excepção dos de Ponta Delgada e Hortx, paguem umi taxa de navegação. 29 de Agosto-Portaria, proibindo a entrada no Arquipélago da Madeira, de aguardente e alcool simples procedente de território português ou do estrangeiro. 29 de Agosto-Decreto, revogando o decreto n.O 9283 que constitui o quadro do pessoal da secção dos serviços hidráulicos d o Distrito do Funchal. 3 de Setembro Lei, autorizando a Junta Autónoma das Obras do P8rto d o Funchal a contratar a construção dum parto artificial naquela cidade. 8 de Setembro-Portaria, tornando extensiva às bebidas alcoólicas, não especificadas, a proibição de entrada no Arquipélago da Madeira. 10 de Setembro-Portaria, aumentando de duas telefonistas o niímero de telefonistas da estação do Funchal.

15 de Setembro-Décreto, determinando que a fiscalização das fábricas de aquardeiite na Madeira, fique provisorianiente a cdrgo da Direcção da Alfândega do Funch~l. 25 de Setembro-Decreto determinando que os exames autorizados nos ternios artigos 200.O e 201.0 do regulamento aprovado pelo decreto n.O 7558, possam realizar-se nos liceus do Funchal ou Ponta Delgada, quaiido os requerentes residam na Madeira ou Açores. 9 de Outubro-Decreto, determinando que as disposições do decreto n.0 10.046 não sejim aplicaveis aos navios que entram nos portos da Ilhz da Madeira, que continuarão a reger-se pela legisllição anterior no que diz respeito às taxas de navegação. 8 de Novembro--Decreto, estabelecendo as normas a seguir para determinação de capacidade de laboração das fábricas de destilação na Madeira. 17 de Dezembro-Portaria, revogando pelo que respeita às bebidas alcoolicas estrangeiras, não especificadas, a portaria n.a 4.102, que torna extensiva às bebidas alcoolicas não especificadas a proibição de entrada no Arquipélago da Madeira, consignada na portaria n 4180 . O

7 de Fevereiro-Decreto, modificando os artigos 1 1 , ~ e 93 do 91 regulamento geral das capitanias, serviço e policia dos portos d o Continente e ilhas adjacentes, de 1 de Dezembro de 1022. 18 de Fevereiro Rectificação h

-

portaria n.O 4350 que revoga a portaria n.O 4192, sobre a eiitrada de bebidas alcoólicas não especificadas, no Arquipélago da Aladeira, na parte ainda não revogada pe1.i porraria 1i.O 4.315. 4 de Março-Portaria, estabelecendo quais as eiitidades oficiais que de\.em passar os certificados referidos iio art.O 18 do decreto 1i.O 10.340, corno delegados do Laboratório de Patologia Vegetal de Viríssimo de Almeida, para as iniportações ue se façdm pelas alfândegas da Ilha da Madeira e Arquipklago dos Açores. 24 de Março-Decreto, revogarido o n.O 2 da portaria 11.0 3.332, que permitia o transporte de merdorias com destiiio à Ilha da Madeira, à navegação estranjeira. 18 de Maio-Portaria, criando iim posto fiscal na freguesia de Ponta Delgada, Concelho S. Vicente, Distrito d o Fuiichal. 23 de Maio-Portaria, promulgando várias disposições relativas à eiitrada de aguardente, alcool e bebidas alcoólicas, não especificadas, 110 Arquipélago da Madeira. 25 de Maio-Circular aos reitores dos liceus d o Contineiite e ilhas, declarando terem sido, por despacho ministerial de 22 de Ma10 de 1925 feitas várias determiiiações sôbre admisão a provas de alunos a exame. 9 de Junho-Decreto, regularneritarido a lei, 1i.O 1770, que estabelece o regime da indústria d o fabrico de fósforos no Continente e ilhas adjacentes. 9 de Junho-Decreto, determinando que as professores provisó-

rios dos liceus d o Contii~ente e ilhas, que por qualquer motivo sejam exo~ierados náo possairi ser admitidos a liovo coiicurso seiião passados dois anos, pelo meiios, da data d i publicaqâo do respecti\*o diploma de esoiieração. 24 de Jnnfzo-Decreto, iiitroduziiido várias alteraçíjes ii;i pauta dos direitos da importação e sujeitando os assíicares, importados no Arquipélago da Madeira aos direitos estabelecidos para o Contineiite pelo presente decreto. 26 de Junho-Rectificação d o decreto n.O 10.864, que introduz várias alterações na pauta dos direitos de iriiportação e sujeitos os assúcares importados rio arqiiipélago da Madeira aos direitos estabelecidos piira o Continente, pelo mesmo decreto. 30 de Julho-Decreto, abrindo urii crédito de 7.200.000$, a inscrever ila despesa extraordinária da proposta orçamental do Miiiistério para 1023-1926, em iiovo capitulo e artigo, sob a rubrica de: despesas inerentes à aquisição, importacão e veiida d e fósforos no Contitinente e ilhas*, devendo igual iniportância ser descrita lia- receita extraordinária. 11 de Setembro-Decreto, convertendo em escola industrial e comercial, a Escola Industrial de António Augusto de Aguiar, d a Cidade do Fnnchal. 22 de Setembro-Decreto, designando dia pzra as eleições gerais de deputados no Continente e ilhas adjacentes, para os de Senadores dos distritos que foram opor-. tuiiaiiieiite sorteados e para os das juntas gerais de distrito, câmaras

municipais e juiitas de fregijesia. 19 dc Seti mbro-Decreto, aprovando o regul~inentogeral do serviqo de pilotagem das barras c portos d o Contiriente e i l h a adjacerite;. 30 de S Lfcrnbrc;- Rectificacão da data do decreto 1i.O 11.103. 2 de Outubro-Decreto, fixa];do os cursos <i professar na Escol.4 Iiiduslrial e Comercial de Antóiiio Augiisto de Aguiar, do Fuiichal. 10 de Outubro-Decreto, fixdndo o preço legdl de venda ao pablico, lias ilhas adjacentes, de cada caixiiiha de fósforos belgas.

c i d caiy<i!iha quareiit~ fósforo; ~ de de procliição iiacioiial. 8 d~ Dezembro-Decreto, deiermiriando qiie poisaiii ser recoiihecidos lia região viiiícola da Madeira quaisquer tipos de vinhos espumosos, e perrnitiiido a esportação dêstes ~itilios pelo Porto do Fuiichal desde que às garrafa5 seja aposta nos rótulos a desigriâção de: aViilho esy unioso*. 16 de Dezenzbr o--Decreto, determiriâiido que a i iiiassas aliinentícias que do Arqnipttlago da Madeira seguiram sobre regime de cabotagem para o Coiitiiieiite ou Arquipélxgo dos Açdres fiquem ali sujeitas à taxa consigiiada ila 29 de Outubro-Decreto, de- pauta ri?íiiirna de iinportação para terniinando que todas as mercado- esse; productos. rias originários dos portos tlds ilhas adjaceiites e que teiihani de ser transportadas para os d o Contiiien9 de Março-Circular aos reitote ou qiie tenham de ser, tiestes, res dos liceus do Continente e ilhas baldeadas por S? destinarem a por- àcêrca d o intervalo entre o 3 . O e 4.O tos estranjeiros, so posslm ser transportadas em navios riacioiiais. tempo de aulas, para refeição dos alunos. Fixa, também, este decreto, a taxa 10 de Março-Decreto, promulde cais para os produtos da agricultura das ilhas adjacentes que forem u~iiido as instruções para a execucarregados em navios de nacionali- Eão do regulameiito constante d o decreto 11.300 (coiidições em que dade eslranjeira. poderão ser concedidas as licenças 19 de Novembro-Decreto, re- para sair d o Continente, ilhas adjavo,qsndo o decreto nO 9340, que centes e colónias para o estranjeiro, . extinguiu o Supremo Tribunal a individuos sujeitos ao serviço rniAdmiiiistrativo e todas L s auditorias litar ou aos que, por dêle haverem te administrativas do Contii~en e sido isentos, tetiliam obrigações triilliaj adjacentes. Reduz, tambéni, butárias a cumpri r e regularização êste decreto, o liúmero das audito- da situação militar dos maricebos rias administrativas. residentes no estranjeiro). 10 de Março-Nova publicação, 7 de Dezembro-Uecreto, fi. xando, dum modo geral, em mais rectificada, do decreto nO 11.496 $05 sôbre o preço de veiida iio que promulga as instruções para a Conti~iente, preço legal de venda execução do regulairiento constaiite o ao pfilico nas ilhas adjacentes, de do decreta na011.300, sobre licen-

2 de Julho-Decreto~ organizando a Junta Autónon~adasObras d o Porto d o Fullchal, criada pela lei n-" 897 de J,q[ho-Estatistica comparativa dos rendimentos cobrados em várias circunscrições aduaneiras, incluíndo o Funchal. 12 de Julho-Acordão do S. T. Administrativo, em que é recorrente Egídio Torcato Rodrigues e recor. 27 de Maio-Decreto, reduzin- rido o auditor administrativo d o d o ?+ categoria de nacional o Liceu Funchal.

ças para a saída do Contiiierite, ilhas adjacentes e colóriias, para o estranjeiro, a individuos sujeitos ao serviço militar oii aos que, por dele haverem sido isentos, tenham obrigações tributárias a cumprir e regu1arização das situação militar dos niaricebos residentes i10 estranjeiro. 16 de Abril-Decreto. n.O 11.584, mandando proceder ao arrolamento de gados das diferentes espécies nos distritos administrativos d o Funchal, Ponta Delgada, Aliora d o Heroismo e Horta. 17 de Abril-Rectificação ao decreto supra i1.O 11.584, de 16 Abril. 22 de Abril-Decreto, determinando que seja feita uma emissão especial de selos da Madeira para a criação dum museu público de História Natural no Arquipélago da Madeira. 28 de Abril-Portaria, amplialid o as disposiç6es da portaria nO . 3.093,sÔbreotransportedernobilia d o pessoal transferido para serviço em terra quer no Continente, quer nas ilhas adjacentes. 19 de Abril-Decreto, autorizalld o aos exportadores inscritos no registo, a que se refere o art.O 27.O d o regulameiito da produção dos vinhos da Madeira, a do alcool suplementar necessário para poder ser elevada a graduação aiCdliCa dos mesmos vinhos destinados ?+ exportação até 21 graus centessimais. 25 de Maio-Portaria, fixando as taxas e as cores dos selos postais Para deira e Açores. no COtitinentei Ma-

Central de Jaime Monís, no Funchal.
28

DE MAIO

ECLOSÃO DA IIEYULIIÇÀO NACIIONAIi
à substituiçâo do vo al Sr. Dr. josé

29 de Junho-Despacho

re13tivo

Pinheiro Mourisca IjUnior, da comissão nomeada para proceder a U l l l illqUerit0 à Junta Authnoma das Obras 40 F~~nchal* 30 de Junho-Decreto~ determinando a forma do laiiçaiiiento da taxa compkmefltar da contribuiÇ ~ Oindustrial nos distritos autóno"0s de Angra, Funchal e Pciiita Delgada, aos estabelecimentos cuja sede não esteja situada em qualquer dos referidos distritos.
*d~Ju~ho-AcordãodoSu~reTribunal Administrativo Acerca recurso 18.1591 em que é recorrente o Ministério Público e recorridos: a Junta Geral do Distrito d o Fuilchal e josé Rufiliofiolisalves.
rio0

13 de Julho-Decreto, dissolvendo todos os corpos admiiiistrativos do Continente da Reptiblica e ilh:is adjacentes. 20 de Julho-Decreto, deteriiiinando, que o engenheiro chefe da 7.a circii tiscrição iridtistrial exerça as fuiições de presideiite da cornissão técnica da fiscalizãção do regime sacarino da Madeira. 27 de Julho-Portaria, deterniiiiando que a comissão nomeada para inquerir dos actos e contratos relativos à J. A. O. Parto do Funchal, circunscreva o seu trabalho ao exâme dos actos e coiitratos relativos à concessão do exclusivo das obras e exploraqão do referido pôrto, substituindo um. membro da referida comissão. 27 dc Jrflho-Estatistica comparativa dos rendimentos cobrados em virias circunscrições aduaneiras, incluindo a do Funchal. 2 de A osto Decreto, fixando o dia 6 de 8utubro de 1926 para o primeiro dia de afixação obrigatória do sêloespecialda Madeira, criad o pelo decreto n . O 11.603, em substitulção do dia 1 de Agosto citado iio artigo 1.0 do mesmo decreto. 3 de Agosto-Despacho, concedendo licença ao oficial d o registo civil de Machico, Sr. Jiilio Ferreira Cabral, da Ilha da Madeira. 19 de Agosto-Portaria, fixando as taxas a aplicar às conversações telefónicas entre Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Ponta d o Sol e Calheta, dá Ilhada Madeira.

4 de Setembro-Decreto, pondo em vigor o decreto 9340, extinguin-

do as audítorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes. 9 de Seternbro-Decretos 12286 e 12287, periilitiiido a irriportação do regime drnwback, de tecidos de sêda e de liriho importaclos iia Aifândega do Funchal coni destino a serem exportados depois de bordados, na Ilha da Madeira. I 1 de Setembro-Decreto n . O 12305, autorizando a ~xportação para a Madeira e ilhas dos Açores, dos sub-produtos do trigo provenientes do regime estabelecido pelo decreto i1.O 11432. 2 0 de Setembro-Decreto, aumentando a verba orçamental para despesas de representação do governador civil do Funchal. 8 de Outubro-Decreto, criando no Coiitiilente eilhas adjacentes uma taxa dc soberania colonial. 8 de Outubro-Portaria, adiando nara 25 de Outubro de 1926 a data de abertura dos liceus no Coiitinente e ilhas. 12 de Outubro-Decreto, determinando que, para cumprimento do O . disposto no 5 1 do art.O 6 do deO . creto n 11852, seja cobrado nas Alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, um imposto de 112 por cento sôbre o valor, calculado nos termos d o art.0 3 dos preliminares da pauta dos combustiveis sólidos ou liquidos, importados para consumo e isentando do iniposto os referidos combustiveis quando a sua entrada seja livre de direitos de importação. 12 de Outubro-Portaria, prorrogando até 20 de Outubro de 1926, o prazo paraa matrícula dos aluiios nos liceus d o Continente e ilhas.

12 de 'Outubro-Decreto, isentaiido tle direitos o iiiiterial de iiicêiidios, de coiiclução de feridos c doentes c -le liiiipeza e regas,iriiportado pelas ciiii,iras iiiiiiiicipais d o Contiiientc c iliins, e de direito; de iiiiportaçào e d o iiiiposto siipleiiieiitar de lu/,, criado pela lei li.<' 1368, o iiiaterial de iric21idios e coiiduçao de teridos e doentes, iiiiportado pela associ.ição de bonibtiros vo:uiitarios legalirieiite constituíila. 12 de Outubro-llecreto nao 12477, proiiiulgando a re0rganiz.içã? geral dos Serviços de Saiidc I'ublica, incluindo o Funchal. 12 de Outubro - Rectificaçbes d o decreto supra, r1.O 12477. 15 de Outubro-Portaria, estabelecendo as taxas para conversações telefónicas das cabines públicas de Santa Cruz e Saiitana, no Distrito do Funchal, eiitre si ou com os postos telefónicos da sale d o Furiclial. 18 de Outubro-Portaria, dèteriniiiaiido que rias ilhas adjaceiites a apresentação do bilhete de ídeiitidade nos casos em que é exigido pelo decreto n." 12202, só seja obrigatória a partir d o dia 1 cle Janeiro de 1927. 1 de Novembro -Decreto, aprovando e mandando pôr em vigor a tabela geral das verbas a satisfazer pelos diversos serviços e documentos passados pelas capitaníds dos portos e delegações marítimas d o Coritinente e ilnas adjaceiites.

co, permitindo na Ilha da Madeira, pelo Porto d o Furichal, a iinportação de vinhos tintos do Continente. li3 de Noc)ernbro-Decrelo, deteriiiiiiatido que perteriç~ à Adrninistraqào Geral dos Correios e Telégrafos, a eriii.;são de sêlos e outras foriiiiilas de frdnqiiia destinadas ao Contiiierite e às ilhas adjacente<, a fiscalização dêste serviço e as despesas a Gle inerentes. 22 de Novembro-Decreto, elevdrido OS preços de renda dss àguas das levadas qiie o Estado possui ria ilha da Madeira. 30 de Novembro-Decreto autorizando a Junta Geral do Distrito d o Fuiichal a estabelecer um iriiposto sobre cada lítro de aguardente fabricada rio mesmo distrito e permitindo na Ilha dd Madeira, pelo 13Ôrto do Furiclial, a importação merisal de 23.000 litros de viiiho tiiilo do Continente e proibindo a alcoolização dos vinlios importados OLI a sua lotaçáo com vinlios produzidos ria Ilha da Madeira, beni conio a sua destilação. Proíbe tanibéiii êste decreto o desdobramento; , J' de aicool em aguardente.
V

' .*

:-:
7

I i

i.

I
I .

.

;a*,

fl
f

12 de Novenzbro-Decreto, autoriz~ndo Junta Gtfrdi do Distrito a d o Fuiichal a estabelecer o itiiposto de 2$50 sobre ciid i litro de aguardente destinada ao corisuiiio públi-

11 dc Dezembro-Decreto, niandando proceder a uni arrolameiito d o gado leiteiro iiacional rio Coritinente e ilhas adjacentes. 1 de Dezembro-Decreto, iseii5 taiido de direitos de importação as embarcações, máquinas e aparelhos adquiridos nos termos do arLo 2.O d o decreto n.O 11.054, para serviço das alfâiidegas d o Continente e ilhas adjacentes, ficando as mesmas isentas de emolumentos consulares. 23 de Dezembro-Decreto, autorizando o presidelite da comissão

'

. -.

P >

::dministrativa (Ia Jiiiita Aiitóiionia tio Fiirichal a iiiaii(lar reparar os estr..igos caiisailos iio iiic~lhe pordo to (li: abrigo da 130iitiiilia c seus cais.
7 dc Junciro-Decreto, ahriiiílo credito a fiin de socorrer os siiiiçtractos (10 teiiipor.il ocorrido em Dczenibro dc 1926. 16 dc fi vereiro --Decreto, estahelccciitlo o regime (le iinportayão dos tccitlos de linho iia 111i,i da Macieira e fixaii(10 os (lireitos qiic aqueles tecidos, as respectivas obras c os bordados coin fles f ibricxclos, pagniri rio Contineiite c !io Arqiiipélago (la ivladcira. 17 de Fevereiro - necreto, abrindo um crédito para despesas tlc represeiitação do Croveriiador Civil do Distrito d o Funchal. 4 de Março-Decreto, regu1:iiltln a rissistência rnédica e protecção .ios etriigrantes portugueses que, em portos iiacioliais, incluindo o Funcliiil, eilibarquern para o estranjeiro. 4 de Março-Decreto, deterininaiido que eni diversas coniircas, incliiindo a d o Funcl-ial, as percentagens a qtie se refere o art.O 3 d o decreto n." 12.581, sejam de 5 por cento iios processos e incidentes orfai~ológicose de 10 por cento nos deniais processos e papeis avulsos ou de rasa. 16 de Abril-Decreto, fixando os direitos para os tecidos de liiiho adamascado, não especificados, crús e branqiieados, quando Forem importacios na Ilha da Madeira ou iio Arqiiil~élagodo Açores. 25 de Abril-Decreto, declaraniiiii

iiulo e seni efeito o decreto nO . 6020 yiie cedeii ciefiiiitivariieiite à Jiiiita Geral do Distrito d o Fiiiichal, o edifício do cxtiiito seiiiiiihrio daquela cidade e sciis aiiexos sejam entregues i corporaçáo diocesana do Funchal.
(lei

2 7 de Maio-Ilecreto, determin~nclo que os conservaciores privativos do registo prctlial d o Distrito do Fuiichal e de outros distritos, çej.liiri, durante os seiis iiiipedinieiitos siibstitiií(los pclos conservadores do rcgi.;tc) civil tiri respectiva coiiiarci rios Tribunais d o Contencioso Fiscal de I.= Iiistiiicia, junto das alfândegas dos respectivos distritos. 17 de Jirnho-Decreto, fixando os inipostos a que ficaiii sujeitas toda a cal preparatia c tôtla a pedra calcárea exportada d o Coiicelho do Porto Santo, Distrito d o Fiirichal. 29 de Junho-Decreto, prescrevendo a organização das diferentes arnias e serviços d o exército, incliiíndo o coiiiaildo da Madeira, dentro da doutrina gera1das bases de reorganização do exército, constantes d o decreto 11.0 11.856, de Julho de 1926, substituindo para o efeito o decreto n.O 12.161 de 21 de Agosto de 1926, cujas prescrições sôbre as armas e serviços aperfeiçoa, deseiivolvetido e corrigindo. 23 de Julho-Decreto, determinando a forma como devem ser feitos os manifestos a que se refere o artigo 21.O do decreto 2 18,de 8 de Novembro de 1913, que regulanieiits a produção e coniércio d o vinho da Madeira, promulgando outras disposições tendentes a sustentar o crédito e garantir a geiiuinidade d o mesmo vinho.

16 de Agosto-Decreto, redu- iioma das Obras do Parto d o Fiiiiziiitlo as taxas a aplicar aos passa- clial negociou, iião está nos ternios jeiros qire destinando-se ao PÔrto qiie a lei 1i.O 1657 pr~ceitii~i autoe das Canirias preteiidrini deseiiibar- rizaiido a referida Jiiiita a negociar cxr no I'brto d o Fuiiciial. corii a Funiasil Coiiil~aiipI,iiiiitetl, 25 dc Agosto-Decreto, pro- de Loiitlres, uni contrato plra ;i tiiuigaiido dis osições rclati\.as aos coiistruçào do PÔrto do F~i:icli;il. geprocessos de {brico dos ~inlios 19 dc Setcrnbro--l)ecreto, (ienerosos da Ilha da Aladeira. terixiiiiaiido que diiraiitLso prxzo de 25 de Agosto-Decreio, deter- uin ;LHO figo6 aiitoriza(1a i restitoio ericerranieiito das fábri- ção, por eiicoutro, aos iiidus:ri ii de bordados da Illia (I? Madeira, da de aguardente da zoila sul Ilha da Madeira e q u e sejarll des- clifereiiqa entre os direitos de iinn,oiita~los e todos os ~ ~ o r t a ç ã o fixadoi i10 decreto 12.048 e OS estabelecidos iio e modific:4ii- quanto aos tecidos decreto 13.1 44, de liiilio qiii' do, tanlbéni, o de prodilq.o ii~iportarai:i pela Alfâiidega d o Fuiido açhcar, alcool e agiiar<ieilte chal, coiii expressa declaraçáo de se Arqiiipélago da Madeira. destiii irei11 a drnwback, t.iriqiiarito 25 de Agosto-Decreto, dando vigorou o deceto 12.287 liova redaçãõao artaO das irlstrii22 - 2 2 dc SLt i.rrr bro--Porlíiria, ções para a execução do regulameiito constante d o decreto n.O giilaiido a forina dc coi1stitiiic;ão 3M1, niandados por execu- dds coinissões adniiiiistrativas dc pelo decreto .4,,6 concessão varias alfândegas, iiicliiiiido ;i (10 de licencas oara saída do Conti- Fu"chal* riente, iihas 'e colónias para o es24 de Setembro-Decreto, rctraiijeiro). vogando no art.0 O do decreto re, de A ~ ~ exoile- gurameiitar ~ r1.O 218, a disposiçiio ~ ~ ~ ~ rando entre outros, o cidadão José relativa à eleição do presirleiite cla Vicelite de F~~~~~~ (niadeirense) de comissão de viticult i ~ cla ~ região r da Madeira e nomeando pnra exerministro do interior. cer êsse cargo o director d.i Estaqáo 2 de Setembro-Decreto, escia- Agrária d o Punchal, suspeiide~clo recendo o disposto na alínea c d o provisòriameiite a disposição da 1.0 e no art.0 5 do decreto alíllea a do artigo n 1.' do dfXret0 O . 13.990. aue determina a forma co- 13-390mo de;ei ser feitos os manifestos 26 de Outubro-Decreto, autoa que se refere o art.o 21 do decreiiiaiiclar to 218, que regulamelita a produ- torizando o Secção Hidráiilica do abrir pela Govêriio, a e colnércio do vinho da ,iaFuiiclial da Administ raçzo Geral deira. dos serviços Iiiclráulicos concurso 17 de Seteinbro-Decreto, ariu- de provas práticas para o preeiicliilando a portaria de 27 de Novern- rnento de tres vagas existeiites iio . bro de 1925, por se reconhecer que quatlro dos escritiiririos de 2O a entidade com quem a Junta Autó- classe.

~

~

8 de Dezembro-Decreto, transferindo, dentro c10 cap.O 4 d o orçarneiito do hlinistério, uma quantia destinada ao pagariieiito da diferença do subsidio coricetiido à Emprêsa Fiinchalense de Cabotagem. 9 de Dezembro-Decreto, regulando a montage~iidos serviços de fiscalização a cargo da Estação Agrária da Madeira, e a que se refere o art.O 6 do decreto 14.167, 15 de Dezembro-Decreto, aprovando a nova tabela de tarifas de carga e descarga no caes do Pôrto de abrigo da f'oiitiiilia, rio Furichal. 16 de Dezembro-Decreto, proibindo a exportação d o Arquipélago d o Açores para o Loiitineiite e Arquipélago da Madeira, da fibra de madeira destinada ao acondicionamento de frutas. 26 de Dezelrtbro-Decreto, declarando de iitilidade pública e urgente a expropriacáo, pelo Govêrno Português, de tiriias propriedades sitas na freguesia e concelho da Ponta do Sol, Distrito do Fuiichal, pertencentes à firma A. Giorgi 8r Cea,com todos os direitos que Ihes são inerentes. 27 de Dezembro-Decreto, obrigando todos os detentores d e aguardente produzida na Ilha da Madeira a manifestar na Estação Agrária d a niesma ilha, durante o mês de Janeiro de 1928, as quantidades que tiverem em existê~icia. 31 de Dezembro-Decreto, extinguiiido as adininistrações do concelho d o Contiiiente e ilhas adjacentes. 31 de Dezembro - Nova publica3 de Dezembro-Decreto, determinando que seja feita uma emissão ção, rectificada, d o decreto 14812, que extingue as administrações de especial de selos da Madeira.

12 de Novembro-Decreto, promulgando várias disposições relativas ao pessoal em serviço na Intendência da Pecuária do Funchal e no pôsto zootécnico a estabelecr na Ilha da Madeira. 23 de Novembro-Decreto, determinando que a restituição estabelecida pela lei de 23 de Abril de 1880 com as modificações constaiites das de 2 de Maio de 1885 e 21 de Maio de 1896 e d o decreto 252 1 , de 20 de Julho de 1916, seja toriiada exteiisiva a todas as imposiçóes, com excepção do imposto do sêlo, tráfego e emolunientos, cobrados nos bilhetes de despacho de iniportação de carvão de pedra que fdr fornecido para consuino de vapores nacionais e estranjeiros que se abssteçam nos portos do Continente da Repiiblica e ilhas adjacentes. 28 de Novembro-Decreto, aumentando a percentagem do adicional criado pelo artgo 1.O da lei 1404 sobre todos os impostos cobrados pela Alfândega d o Funchal, que continuará a pôr à ordem da Adrninistração da Santa Casa da Misericórdia desta cidade, a importância da receita arrecadada d o mesmo adicional. 28 de Novembro-Decreto, determinando que o disposto na alíO . nea a d o n 2 do art.O 64 das instruções preliminares das pautas, não seja aplicável aos funcionários civis e militares que, em comissão de serviço público, hajam permanecido fora do Continente oii ilhas adjacentes por espaço de tempo superior a iim ano.

concelho d o Continente e ilhas ad- e do Lugar de Baixo, no Concelho da Ponta d o Sol. jaceri tes. 16 de Março-Portaria n 5252, O . elevando o nttmero de telefonistas do quadro da Estação telefónica do 17 de Janeiro --Rectificação ao Funchal. decreto n 14.812, que extingue as O . 22 de Março-Portaria n 5284, O . administrações de concelho no Con- fazendo um aditamento à classificatinente e ilhas adjacentes. ção geral de mercadorias eni vigor 24 de Janeiro-Decreto, apro- relativo ao t rarisporte de madeiras vando os quadros do pessoal d o provenientes das ilhas adjacentes e Hospital da Santa Casa da Miseri- de ultramar. córdia do Funchal. 26 de Março - Decreto, n.0 8 de Fevereiro-Decreto, 1r.O 15.270, elevarido à cate oria de vila 1 5.028, estabelecetido as condições a povoação da Ribeira brava, conem qiie será concedido o despacho celho do niesmo nome, Distrito do d o material cénico e de trabalho ar- Funchal. tístico que trouxerem as companhias 29 de Março-Decreto, 15.402, e artistas que vierem exercer o seu cedendo à Irmandade da Santa Camester no Coiitiiiente e ilhas. sa da Misericórdia do Funchal o I 1 de Fevereiro--Rectificação edifício denominado Sanatório dos . O ao decreto supra, n 15.028. Marmeleiros, situado na freguesia 16 de Fevereiro-Decreto nO do Morite, Ilha da Madeira. . 15.035, determinando que em cada 31 n O . um dos distritos administrativos d o 15.300, de Março - Decreto para crédito Funclial, além de outros, continuem fazer faceabrindo um por força do ao encargo, existindo juntas gerais de distrito, no art.O n 28 do decreto . O regidas pelas disposições dêste de- disposto relativo ao pessoal e servi15.035, creto. ços da pnlicia cívica dos distritos 16 de Fevereiro-Nova publica- de Ponta Delgada, Angra e Função rectificada, ao decreto supra, chal. n.O 15.035. 4 de Maio-Decreto, n.0 15429, 17 de Fevereiro - Decreto, n . O determinando que as atribuiç6es 15.039, promulgando várias dispo- conferidas à Junta Geral do Distrisições atinentes a evitar demora no to do Funchal, pelo decreto 14.168, pagamento dos vencimentos dos passeni à estação Agrária da Ilha funcionários do Estado em serviço da Madeira, com excepção daquelas nos distritos dos Açores e ~ a d e i r a l a que se refere o artigo 8.0 do 14 de Março - Decreto n.0 mesmo decreto alterando várias disposiqões d o 15.174, aprovando o regulamento gime Sacarinodecreto, 14.168 (Rena Madeira). para a administração, venda e coriservação dos prédios do Estado ria 9 de Maio-Rectificações, ao deregião da Lombada dos Esmeraldas creto supra n.0 15.429, por faltar a

assinatura do Ministro das FiiianÇas23 de Maio --Decreto lia0 15501, estdbelecendo 0s vencimentos a abonar aos militares c0111 reiidêiicia fixada nas ilhas adjaceiites ou nas ~0lániaspor niotivo~políticos.

6 de Junho-Decreto 15 553, dando nova redacção ao parágrafo único do arLo 139 do regulameiito geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e illias adj iceiites aprovado pelo decreto 11.111. 26 de Junho-Decreto 15.637, abrindo uin crédito a inscrever sob a rubrica: * A 1 Junta Geral do Distrito do Funchal,, no c a ~ .5 . O : ~ .Subsídios e compensaç6esw, art.O 27.0 *Subsídios variáveis, do orçamento do Ministério para 19271928. 29 de Junho-Decreto 15.638, promulgando várias disposições relativas ao desembaraço dos navíos mercantes estranjeiros que toquem em qualquer porto do Continente e ilhas adjacentes. 30 de Junho-Decreto 15.890, abrindo um crédito especial de 800 000$00 a reforçar a verba de 2.401.65)4$00 inscrita no cap.0 5.0 do orçamento do Ministério das Finanças para o ano económico de 1927-1928 sob a epígrdfe: a A junta Autonóma das Obras do Parto do Funchal. 31 de julho-Decreto 15.805, ampliado a descentralização da administração nas ilhas adjacentes, e mandando vender as levadas da Madeira. 31 de filho-Decreto 15.814,

-

mandando que seja cobrada uma taxa especial denoniinada de salvuçdo nacional, sobre o .içiicar, g,isolina e 0s bleos niiiier;ii leves que foreni irtiportadoç do países eçtrailjeiros ou colóilias portuguesas pelas alfândegas do Contiileiitee illias adjacelltes. 31 de julho-Nova publicação, rectificada, do decreto 15814. 7 de Agosto-Decreto, 15826, mandarido que os réus incursos lias disposições dos artos 13, 44 e 5 uiiico, 101 e 103 do decreto 13740, qiie forem residentes ou tivereiii residèiicia acidental rias ilhas adjacentes, sejam ali julgados lios tribunais colectivos criminais. 10 de Agosto-Decreto, 15831, estabelecendo o iiovo reginic do açucar, do alcool e da ag~iardciitc na Madeira. 13 de Agosto-Decreto 15838, determinando que os tletèiitores de aguardente no Distrito do Funchal, sejam obrigados a i~ianifestá-lii à direcção da respectiva alfândega. 21 de Agosto-Decreto 15877, nomeando uma comissão de engenheiros para, em especial, estudar a forma conveniente de melhorar as condi;ões do Pôrto do Funchal, examinar o estado e valor das obras ali realizadas e verificar das vantagens d o estabelecimento de um pôrto na costa norte da Ilha da Madeira para serviço de passageiros, e ainda para estudar das nossibilidades t&ni~as económicâs dos proe blemas relativos ? irrigação e utilii dade da energia hidro-eléctrica, além de outros assuntos que lhe venham a ser atribuídos. 24 de Agosto-Decreto; 15893,

simplificando o serviço de cobrança c10 iiiiposto de pescado iins :ilfâridegas do Coritinerite e ilhas adjacentes. 24 de Agosto-Decreto 15914, fixando o preço d o trigo iiacional a vigorar tlurarite o próximo alio cerealífero eiii todo o Coiitinente e i liias, fazerido \.Arias rnocfificações ao actual regiriie cei.ealifero da Madeira e proibindo a exportação de trigos e sêtlieas dos Açores e Madeira para o Continerite. 31) de Agosto-l'ortaria 5580, fixando as taxas a aplicar às conversaçõcs origiiiíiria.; (10 pôsto telefónico píiblico dc Saiito Aritónio da Serra, Co~icelho de Saiita Cruz, Ilha da Madeira. I 1 de Seteri~hro--Decreto 15944, fixando as prol>iiiasa cobrar pela frequência dos licèiis do Cotitinente e ilhas. 12de Setctnbro-Decreto 15944, substituíndo o 5 3.0 do artigo 5.O d o decreto 19831, que estabelece o novo regirne do açúcar,. do alcool e da aguarderite na Madeira. 12 de Setembro-Documentos sôbre um Acôrdo entre o govêrno Português e o Govêriio Britânico, no sentido de ser concedido a Portugal o tratamento de nação mais favorecida às mercadorias produzidas ou manufacturadas no Canadá, sob coiidição que nesta colóiiia tenham igual tratamento as mercadorias produzidas ou rnaiiufacturadas em Portugal, incluindo nesta desigiiação as ilhas dos Açores, Madeie Porto Santo
21 de Setembro- Decreto 15971, fixando o niíiiiero de turmas e a lotação de alunos para os liceus do

Continente e ilhas, e bem assim os quadros dos professores efectivos dos referidos liceus e os do ~x~essoal de secretaria. 29 de Setembro Portaria 5604, dotarido o quadro da secretaria da Câmara Municipal do Concelho de Machico, coni mais uma secqão destinada exclusivamente a assuiitos que eram versados na extinta adniinistração do concelho. 20 de Outubro-Decreto 16059, determinando que nos projectos de estradas a construir na Ilha da Madeira se possa adoptar o limite niáxi~iio de Om,12 por metro, nas inclinaçaes e o limite máxiliio de 12 metros para os raios das curvas de coiicordância. 29 de Outubro-Decreto 16083, proii~ulgandonovas disposições sdbre o regime d o açúcar, cio alcool e da aguardente na Madeira, revogando os decretos n.OS 14167,14168, 15429, 15831 e 15044. 29 de Outubro-Decreto 16084, regulanlei,tarido o novo reginie do açucar, do alcool e da aguardente na Madeira, promulgado pelo decreto 16083. 22 de Novembro - Decreto 16159, aprovando o contrato de adjudicação da venda de aguardente na ilha da Madeira, 6 de Dezembro-Decreto 16195, cedendo à Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia do Funchal, os edifícios do Estado, em ruilias, conhecidos por Casa Amélia e Casa das Maquinas, na freguesia do Monte, Ilha da Madeira, 14 de Dezembro - D e c r e t o 16232, determinando que os exames de guias-intérpretes, intérpretes e

guias possam realizar-se em todas as capitiis de distrito do Continente e ilhas adjacelites. 27 de Dezembro - D e c r e t o 16207, alterando os preços indicados na alínea a) do art.O 8.O tio coritrato realizado entre o Estado e a Coliipanhia da Agu.irderite da . O Madeira, aprovado pelo Decreto n 16159. 28 de Dezembro - D e c r e t o 16305, estabelecendo o novo reginie de importa ao para os fios etecidos destinados L itidustria de bordados ! no arquipélago da Madeira e Açores e revognndo o decreto 13144.

15 de Janeiro - Decreto 16368, determinando que a Junta doCrédito Público proceda B eriiissão das obrigaçaes representativas d o capital de 9.9510U0900 para satisfação das indemnizações devidas pelo ericerrameiito das fiibricas de aguardente da Madeira. 28 de Janeiro-Decreto 16433, determinando que a orgaiiização de turistas no Continente e ilhas adjacentes s6 seja permitida às sociedades, emprêsas ou agências registadas no Tribunal do Comércio e que tenham alvará de licençd, para tal fim passado pelo respectivo Governador Civil. 28 de Fevereiro-Decreto n . O 16548, considerando livre o comércio de trigos e farinhas no arquipélago da Madeira, nas condiçaes estabelecidas no presente diploma. 15 de Março-Decreto 16606, isentando de direitos nos arquipélagos da Madeira e Açores, certos

fios e tecidos destinados à iridústria de bordados, 21 de Março-Decreto 16646, fixando o prazo diirante o qual os iiidividuos nãofdbricarites de aguardente que preteiidarii fabricar niel de cana da Madeira, deveiii apresentar os seli.; requerinleritos pard o fabrico dêste produto. 8 de Abril-Decreto 16713, autorizando a Câniara Muiiicipal do Funchal a vender 2 iiioinhos em ruinas e utii terreno circutiij:~cente que possui no sitio da Funcloa, São Roque, Ilha da Madeira. 10 de Abril-Decreto 16703, fixando os vencimentos do pessoal servindo nos postos radiotelegráficos da Horta e do Funchal e na estação metereológica de rnarinlia do Atlântico. 12 de Abril Portaria 6078, dotando coni uma secção a Câiriara Mlinicipal de S. Vicente, distrito do Funchal, ria qual serão tratados todos os assuntos que à extiiita Administração pertenciam. 27 de Abril - Portaria 6122, aprovando o regulamento geral do trabalho pelo qual deverão reger-se os serviços da Junta Autónoma das Obras do Pôrto do Funchal. 15 de Maio-Portaria 6143, fi' xando as taxas para coriversações nos postos telefónicos úblicos d o Paul do Mar e Fajã da 8veiha. Concelho da Calheta. 17 de Maio - Decreto 16843, aprovando o regulamento para os serviços de fiscalização prapria da Companhia da Aguardente da Madeira. 22 de Maio -Decreto 19869,

promulgando várias disposições relativas ao ensino liceal noi distritos de Angra, Ponta gelgada e Funchal27 de Maio-Decreto 16904, reforçaiido com aquantia de 12.602$64 a verba de 200.(0O$0O1 inscrita sob a rubrica * A Junta Geral do Distríto do Funchal, no cap. 5 . O , arLo 27.O, do orçamento do Ministério das Finanças para 1927-1928. 27 de Maio -Decreto 19641, reforçando verbas orçaliieritais destinadas à fiscalização do alcool eda aguardente da Madeira. 27 de Maio-llecreto 16905, concedendo subsídios a diversas Jiintas Gerais, incltiindo a do Funclial, Madeira, em hariiionia com o disposto no decreto 15805. 31 de Maio- Decreto 16924, permitindo à Companhia da Aguardente da Madeira ter um armazem especial onde dê entrada, mediarite fiscalização da Alfândega, a aguardente destinada a ser beiieficiada para exportação ou venda para consumo, como agtiardei~te velha tipo rum ou de bebidas similares, 3 de junho-portaria 6189, fixando as taxas para conversaçãodo posto telefónico do Estreito de Câmara de Lobos. 3 \de Junho-Rectificação à portaria 6180, supra, de 31 de mio. 12 de Junho - Rectificação ao decreto 16842, que aprova o regularnentu do fabrico da aguardente na Madeira. 14 de Junho -Decreto 16956, concedendo um subsidio anual de 1.000.000$00 à Junta Autónoma do Distrito do Funchal e autqlizando

a Câmara Munícipal do Funchal a realizar um empréstimo. 17 de Julho-Portaria 6290, fixando as taxas a aplicar às conversaçi3es nos póstos telefónicos pCiblicos do Faial, S. Jorge e Arco de S. Jorge, Concelho de SantAna, Distrito do Funchal. 19 de Junho - Decreto 16991, pronlulgando várias disposições a observar s6bre o regime sacarino no arquipélago da Madeira, desde o ano industrial 1930-1931. 1 de Agosto-Portaria 6299, designando os ofícíos dos Juizes de Direito da Coiiiarca do Ftiiichal, que ficam extiiitos. 8 de Agosto -Decreto 17240, determinando que ao pessoal dos postos radiotelegráficos e radiogoniometros que se estão montando o11 vlerem a montar nas ilhas dos arquipéla os dos Açores e Madeira, seja aplicfvel o disposto no decreto 16703.

22 de Agosto -Decreto 17258, romulgando várias disposições silI r e o fabrico e consumo de cerveja no Continente e nas ilhas adjacentes.

30 de Agosto -Decreto 17281, cedendo h Câmara Munici a1 do Concelho da Ponta do Sol, gistrito do Funchal, a antiga capela das Almas, contígua h igreja paroquial da freguesia da Ponta do Sol. 13 de Setembro-Decreto 17334, considerando iiicluídos na rubrica do art.0 36.0 da tabela anexa ao decreto 9483, que remodela a tabela para cobrança das taxas de tráfego nas Alfâiidegas, os servips prestados em dias Úteis depois das horas

5 de Dezembro-Decreto n O . 17700, concedendo : Junta Geral i do distrito do Fuiichal para a construção da estrada entre a Víla da Ribeira Brava e a da Ponta do Sol, a área necessária dos terrenos da Lombada da Poiita do Sol. 5 de Dezetr~úro Decreto n . O 17711, autorizando a permuta de iiriia parte do terreno anexo à propriedade d o Estado, do terreno denoniinado Sanatorios dos Marmeleiros do Funchal, por igual área de terreno de unia propriedadeparticular confinante, e ceílendo à Misericórdia d o Fiinchal, para os fins consigiiados tio decreto 11 . 15402, o terreno que o Estado adquire por efeito desta permuta. 19 de Dezembro-Decreto 1i.O 17790, regulando o exercicio do corilércio de veridas de géiieros e ob17 de Novernhro-Decreto nO jectos a bordo dos navios surtos . 17656, dcfiiiindo a capacidade pro- nos portos do Continente da Repúdutora de cada fábrica de açúcar e blica e ilhas adjacentes. alcool na Madeira. 25 de Novetnbro-Decreto nO . 3 de Fevereiro-Decreto 17912, 17664, mandando cessar as autorizações dadas, quer para a emissão promulgando várias disposições s6de sêlos comemorativos, especiais e bre fabrico e consumo de aguarde assistència, quer para a aplicz- dente na Ilha da Madeira. ção dos exístentes nas correspon4 de Fevereiro-Portaria 6682, dências e sua venda nas estações determinando que a fiscalização da postais do Continente e ilhas adja- indústria d c jogos de fortuna ou centes,e determinando que a Admi- azar seja exercida em' Êada uma das nistração Geral dos Correios e Telé- duas actuais zonas permanentes,~&grafos concorra anualmente com a toril e Madeira, por um fiscal perverba de 27.000$00 para a conclu- manente assistido por outro temposão do monumerito ao Marquês de rário. Pombal. 12 de Fevereiro-Portaria 6671, 3 de Dezembro- Nova publica- determinando a entrega de vários ção, rectificada, do decreto 17656, bens às corporações encarregadas que define a capacidade produtora do culto católico na freguesia do de cada fábrica de açúcar e alcool Monte, concelho e distrito d o Funna Madeira. chal.

de expediente normal e regulaa distribuição das taxas a que se refere o mencionado artigo, cobradas na Alfândega do Fuiichal. 25 de Setembro-Decreto 17371 proibindo o uso da fisga nas águas marítimas interiores do Continente e ilhas adjacentes. 14 de Novelnbro-Portaria nO . 6170, deterininando qiie a lotaqão clas cnrihoiieiras tipo Beira, eni estado tle coinpleto ariiianiento e eiii serviço tias ilhas adjaceiites ou rias coloiiias, seja a qiie está estabelecida pela portaria 1i.O 4230, cotii exclusão do oficial da adininistração riiilitar e coni a alteração estabelecida pela portaria 1i.O 5280, devendo o coniando das referidas canhoneiras ser exercido por prinieiros tenentes.
8

aprovado pelo Decreto 16159, a aguardente velha, tipo rum, ou de bebidas similares, vendidas aos retalhistas pela Coiiipariliia da Aguardente da Madeira, depois de devidatnente beneficiada ou quaiido pelos retalhistas seja revendida a particu24 de Fevereiro-- Declaração de lares etn auai~tidadesuperior 5 lia ter o avisto* do Coiiselho Superior tros. de Finançds a portaria 6682, de 4 14 de Maio1 - Decreto 18320 de Fevereiro, ii~sertado Diário do Govêrno n.0 43 de 18 de Fevereiro elevarido de 5 litros a 20 litros de de 1930, que detertnina sobre a fis- aguardeiite o liniite a que se refere calização da indústria de jogos d e o art.O 4 do Decreto 16083,9ue . O azar no Estoril e Madeira. promulga várias disposições sobre 28 de Fevereiro-Deereto 18041, o regime de açúcar, do alcool e da proibindo na Ilha da Madeira a im- sguardente na Madeira. portação de vinhos de pasto coniuns 16 de Maio -Decreto 13338, engarrafados, só podendo iinportar- mandaiido proceder no ano de 1930 tar-se os vinhos de pasto regionais ao recenseamento geral da populaquando a sua remessa seja acompa- ção do Continente a Ilhas adjacennhada decertificado de origem. Ele- tes. va &te decreto a 30.000 litros a importação pelo Parto do Funchal, 21 de Maio-Rectificaçao 2 tade vinho tinto de pasto, permitida bela anexa d o Dccreto 18338, que pelos art.OS 2.O e 3.0 do Decreto n . O manda proceder, no ano de 1030, 12782. ao recenseamento gera: da população do Continente e Ilhas adjacenI de Março- Decreto 18022, tes. estabelecendo os subsidíos de alimentação para os oficiais, praças e 5 de Junho-Declaração de tecivis com residência fixada nas ilhas rem sido assinadas portarias que adjacentes e colónias por motivos mandam entregar vários bens As políticos. corporaçbes encarregadas d o culto 6 de Março-Portarias 6739 e catolico em várias freguesias, i~iclu6740, criando e mandando abrir à irido a de Santo António, Concellio exploração os postos telefónicos pú- do Funchal. blicos de Boaventura, Concelho de 7 de Junho-Idêntica declaração S. Vicente e de Cani~o, Concelho em relação à freguesia da Sé, Conde Santa Cruz, Distrito do Funchal, celho do Funchal, e à capela e resie fixam as taxas das respectivlq dência episcopal de Nossa Senhora conversações. da Penha, cotn horta, jardim e mi2 de Abril - Decreto 18155, rante. 13 de Junho- Portaria 6847, isentando das guias de trânsito, a que se referem os artigos 44.- do syprjmindo o lugar de oficial de diliDecreto ,16083 e 16,O do contrato genaas ac quarto ofício do Juizo

15 de Fevereiro-Decreto 17968, considerando centrais vários liceus, entre os quais o de Jaime Moriis, do Funchal, e fíxando tambéni as zonas pedagógicas para os referidos liceus.

culto católico, ern várias freguesias, iiicluirido a de Santa Luzía, Coiicelho e Distrito do Funclial, com sua igreja paroquia:, deperidèiicias e objectos de culto, a residência paroquial e respectívo quintal.
22 dc Janeiro-Decreto 10273, cleclarando livre a iniportação de trigo iio Distrito do Furichal. 24 de Janeiro-Decreto 10268, aprovando o regiilamento que estabelece as condições em que deve ser feita a administração e venda das propriedades do Estado, sitas nos Concelhos de Ponta do Sol e h n c h a l (Madeira). 24deJaneiro-Nova publicação rectificada, do decreto 19268, que estabelece as condições em que deve ser feita a administração e venda de propriedades, do Estado, sitas nos Concelhos de Ponta do Sol e Funchal (Madeira). 26 de janciro-Decreto 19277, determinando que os aspirantes de finanças, colocados nas ilhas adjacentes, candidatos aos concursos para o provímento de lugares de secretario~ de finanças de 3.a classe e oficiais do quadro da Direcção Geral das Contribuições e Impostos, possam prestar as provas dos referidos concursos nos Distritos de Ponta Delgada e Funchal. 30 de Janeiro-Decreto 10306, mandando que fiquem sujeitos ao pagamento das niesmas imposições marítimas e portuárias, nos portos do Continente e Ilhas adjacentes, os navios de comércio nacionais e estrangeiros. 6 de Fevereiro-Decroto I9315,

instituindo o cargo de delegado especiaI do Govêriio nas ilhas adjacentes. 6 de Fevereiro--Decreto 19316, iiomeando o coroiiel Feliciatio Antóriio cla Silva Lial, delegado espécial do Govêrrio rias Ilhas adjaceiites. 9 de Fevereir o-Decreto 19339, suspenderido a execução do Decreto 19273, que declara livre 3 importação de trigo no Distrito do Fuiichal. 11 de Fevereiro-Decreto 193831 determiriando que sejam de caracter permanenteas disposiç6esdo Decreto 18704, que regula o pagamento de vencimentos dos professores agregados ou efectivos dos liceus do Contiiiente, nomeados efectivos para os liceus de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 14 de Fever.eiro-Decreto r1.O 19357, mantendo às levadas da Ilha da Madeira os direitos por elas adquiridos à data da publicação do Código Civil, e ressalvados no arLo 1 da lei de 30 de Abril de 1014, O . sobre as águas de que se abastecem, provenientes de nascentes em prédios alheios. 20 de Fevereiro-Decreto n.0 19363, mandando abonar a ajuda de custo a que se refere o Decreto 9799, acrescida de 50 por cento, aos oficiais e sargentos e seus equiparados que fazem parte dos contíngentes do batalhão de rnetralhadoras n 5 e do batalhão de metraO . . lhadoras nO 1 que vão reforçar a guarnição militar da Ilha da idadeira, e bem assim o subsídio diario de $50 aos cabos, soldados e seus equiparados e 1$00 aos que tivereni encargos de familia.

28de Fevereiro Decreto 19441, uniformizando as condições de cobrança dosimpostos municipais, dos impostos especiais e dos direitos aduaneiros que nas ilhas adjncentes incidem sobre tabacos. 28 de Frverciro-Nova publicação rectificada, do Decreto 19441, que uiiiforniiza as condições de cobrança dos inlposioç municipais, dos impostos especiais e dos direitos aduaneiros que nas ilhas adjacerites iticidem sobre tabacos.

l9 de Março-Decreto 19486, garantindo no ano industrial 10301031 a compra da cana da Madeira aos r e s p ~ i v o s produtores, nas respdivas condic6es õestabeleádaspeIas leis em vigor, com as mo<lificações feitas por êste decreto.
l9 de ublica~ãol rectificada, do Decreto r9486 sdbre a 'Ornpra da cana da Ivíadeira* 21 de Março-Decreto 19490, criando um novÓ tipo de crédito, Ó extracto da factura, obrigatóriamente emítido, sempre que o preço não seja representado por letras, nas vendas a prazo entre comerciantes domiciliados no Continente e Ilhas. 23 de Março-Decreto 19497, fixando num ano o prazo máximo dentro do qual todos os estabelecimentos de lacticinios do Distrito do Funchal se devem encontrar montados nas condições prescritas pelo artigo 7.0 do Decreto 16130. 27 de Março-Decreto 19538, modificando as fórmulas mandadas adoptar pelo Decreto 17656 para a determinação da capacidade produtora das fAbricas de açúcar e alcool da Madeira. 6 de Abril-Decreto 19559, con-

fiando, até nova resolução do Govêrno, as fuiições de delegado especial do Govêriio nas ilhasadjacentes a um coronel de infantaria, e declarando o estado de sitio no arquipélago da Madeira. coni suspensão total de garantias individuais. 7 de Abrfl-Decreto 195671 demitindo dos postos e lugares que ocupam 110 exército e na marinha OU iiidividuos que se tiverem, tiverem sido OU vierenl a ser investidos no exercício de funç6ea militares ou civis na Ilha da Madeira, seni 110meação d o Govêrno da República. 7 de Abril-Decreto guiando as ajudas de custo1 subsídios e outros vencimentos suplementares as tropas expedicionárias que vão operar no Arquipélago da Madeira. -7 de Abril-Decreto 19569, encerrando a toda a navegasão e mércio os portos do Arquipélagoda Madeira. 11 de Abril-Decreto 7073, determinando que os livros, revistas e jornais com destino A ilhas ads jacentes e colónias ou delas entre si ou para a metrópole, possam ser transportados em navios estrangeiros. 14 de Abril-Decreto 19585, mandando inscrever como despesa extraordinária no orçamento do Ministério do Interior. decretado para o corrente ano económico a quantio 10.000.000$00, onde constitui. O rá o cap. 9 com a designação de a Despesas extraordinárias resultantes da situação anormal dos distritos do Funchal, Angra e Ponta Delgada, derivada dos acontecimentos revolucionários acorridos no mês de Abril de 1931,.

distritos de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 15 de Maio-Decreto 19746, determinando que os distritos de recrutamento e reserva 11.0 13 e n.0 4 passem a designar-se provisòriamente distritos de recrutamento e reserva do Funchal e Ponta Delga29 de Abril - Decreto 19662, da. reduzindo de 50 por cento o im16 10, posto de caniionetes criado pelo ar- dando de Maio-Portaria71 dosmarinatigo 121.O do Decreto n.0 18406, de- vios da abater ao efectivoo contramarinha de gu-lrra vido pelo transporte colectivo de torpedeiro Vouga, por este navio se pessoas, bagagens ou mercadorias haver afundado em 1 de Maio cornos veíciilos autonióveis einprega- rente dos nas carreiras das arquipélagos nientoeni virtude do seu abarloacom o paquete Pedro Godos Açores e Madeira. mes, durante as operações militares I de Maios-Decreto 19677,isen- na Ilha da Madeira. ando de fran uia a correspondên20 de Maio-Decreto 19758, ficia postal que?& expedida de boro prazo para as Juntas Gedo dos navios em operações para o xandoCamâras Municipais do ConContinente e ilhas adjacentes, por rais e todos os compo~ieiites forçasem tinente e ilhas adjacentes ent iareni das operações contra os revoltosos da à Direcção Geral de Contabilidade Pública os elementos necessários Ilha da Madeira. para a organização dos mapas sin2 de Maio-Mecreto 19692, re- téticos que devem figurar no Orçavogando o art.O 2.0 do Decreto mento Geral do Estado. 19559, que declara o estado de sí29 de Maio-Decreto 19785, retio no Arquipélago da Madeira, vogando os Decretos 19315 e 19316 com a suspensão total de garantias (criação do cargo de delegado espeindividuais. cial do Govêrno nos Açores e Ma8 de Maio-Decreto 19717, con- deira) e restabelece os decretos firmando as requisicóes de quais- 18355 e 18356 (existência dum dequer barcos mercantes, nacionais legado especial do Govêrno nos ou de emprêsas estrangeiras, fazen- Açores e nomeação do coronel Fed o serviço nos portos do Conti- liciano António da Silva Leal para nente e ilhas adjacentes, para utili- êsse cargo)-e revogando o art.O 1 . O zação do serviço do Estado, que os do Decreto 19559 (nomeação d o comobilizará. ronel Fernando Augusto Borges 9 de Maio-Decreto 19722, re- Junior para delegado especial d o forçando a verba inserta no orça- Govêrno nas ilhas adjacentes. 30 de Maio Portari a 7120, indimento por decreto 19585, com destino a despesas extraordinárias re- cando como deve ser organizado o sultantes da situação anormal dos cadastro dos eleitores das Juntas de
r

28 de Abri2 - Decreio 19657, dissolvendo os regimentos de infantaria n.OS 4, 13 e 22, com sedes respectivameute eni Ponta Delgada, Funchal t Angra do Heroísmo, e as batarias de defesa móvel da costa nO 1 e 2, com sede respectiva. mente em Angra e Funchal.

freguesia no Distrito do Funchal. imposições marítimas e portuárias. 30 de Maio -Decreto 19861, 10 de Julho-Rectificações ao instituíndo o corpo de delegados Decreto 10980, que regulamenta a especial d o Govêrno rio arqiiipélsgo execução do Decreto 19306, sobre da Madeira s partir de 10 do cor- o pagarnenlo de imposições maritirente, an qual, na área d o respecti- mas e portuárias, no Continente e vo arquipélago, são conferidas as ilhas adjacentes. atribuições mencionadas no Decre23 de Junho-Nova pu blicacão, to 15118. rectificada, do § 5.9 do artigo 14 1 de Junho-Decreto 10810, al- do regulamento aprovado pelo Deteraiitlo a orgaiiização militar das creto 19989, para execiição do Deilhas adjacentes, creto 19306, sôbre o pagamenio de I 1 de Junho-Decreto 19894, re- itnposições tiiarítiinas eportuárias no gulando u abono do subsidio men- Continente e Ilhas adjacentes. sal de alinientação aos fuiicio~iários 27 de Julho-Nova publicação, civis e iililitares, com residêticia tias reciificada, do artigo 4.O do Decreilhas adjacentes ou colónias por to 20028, que cria delegações da motivos políticos ou de ordem pú- Inspecção Técnica das Iiitlítstrias e blica. Cotnércio Agrícolas nas ilhas adja17 de -It~nho Decreto 10897, centes. criando u n i novo regime para deter: 5 de Setembro-Decreto 20283, rniiiados tecidos de algodão e sêda, íiiportados no arquipelago da Ma- autorizando que as e~iibarcações coni ou sei11 motor etn serviço de deira coni destino aos bordados. de fiscalização aduaneira no Conti18 de Junho-Decreto 19902,es- nente e ilhas adjacentes possarii ter tabeleceiido uni novo regiiiie para o a bordo, para uso das suas tripulamilho iniportado no Arquipélzgo da ções, as armas e muiiições que foMadeira. rem necessárias. 24 de Junho-Decreto 19937, 14 de Setembro-Decreto20317, organizando duas batarias destina- fixando os portes e taxas dos cornadas ao tiro de asalvass, uma em respondCncias portuguesas para o Ponta Delgada e oiltra no Funchal. Continente, arquipélagos dos Açores e da Madeira e uaisquer coló30 de Junho-Decreto 20026, nias portuguesas diqerentes das de criando dele aç6es da Inspecçao Técnica das fndustrias e Comércio 16 deSeteurbro-Decreto 20316, Agrícolas nas ilhas adjacentes. I de juU20-Decreto 19989, re- determinando que a liquidação da Casa Heiirique Figuerra da Silva, gulamentando a do De- do Fnnchal, seja feita no prazo de creto 19306, que determiriou que Os dois anos, a contar da data da posnavios de comércio nzcionaii e es- se da comissáo liquidatária. trangeiros fiquem, nos portos do Continente e ilhas adjacentes, su8 de Outubro- Decreto 20368, jeitos ao pagamento das mesmas concedendo moratória pelo prazo de

seis meses a todos os débitos e responsabilidades do Baiico Sardinha, da Madeira, em relação' a iridividuos ou sociedades de nacionalidade portuguesa e exigíveís em território iiacional. 10 de Outubro-Decreto 20373, tornando extensivas as disposiç6es do decreto 20149, na parte aplicável aos navios que tenham recebido carga nos portos do Continente e ilhas adjacentes até o dia 10 de Julho inclusive. 22 de Outubro-Portaria 7209, dotando o quadro da secretaria da Câmara Municipal do Concelho do Porto Monis, com uma secção, na qual serão tratados todos os assuntos que pertenciam à extiiita Administração do Concelho. 30 de Outubro-Decreto 20449, determinando uma nova organização militar nas ilhas dos Açores e Madeira. 17 de Novembro - Decreto n . O 20542, regulando o provimento das Alfândegas do Continente e ilhas adjacentes. 25 de Novembro-Decreto n.O 20597, aprovando para os liceus do Continente e iliias adjacentes a folha de informações para efeitos do registo biográfico. I 1 de Dezembro - Decreto n.0 20644, revogando o Decreto 19569, que encerra a t8da a navegação e comércio os portos do arquipélago da Madeira. 16 de Dezembro-Portarias n S O . 7254, 7255 e 7256, criando e mandando abrir B exploração os postos telefónicos pftblicos de Tabíia, Concelho da Ribeira; Brava; sitio da Igreja e S João de Latrão, Con.

celho de Santa Cruz, Distrito d o Funchal, 30 de Dezembro-Decreto n . O 20690, regulando as condições de funcionamento do Arquivo Distrital do Funchal.

I I de Janeiro-Decreto 20736, autorizando a casa bancária H. Figueira da Silva, do Funchal, a concorrer por intermédio da sua comissão liquidatária, às arremataçõesjudiciais, em execuções promovidas ainda que por terceiros, contra devedores da casa. 16 de Janeiro-Decret o 20785, autorizando a cedência, a tituloprecário, à Comissão Administrativada Câmara Municipal de Machico, Distrito do Funchal, de uma parcela de terreno perteiicente B Fazenda Nacional, destinada à construção de um edifício escolar na freguesia de Agua de Pena. 23 de Janeiro - No Didrio do Govêrno, desta data, vem inserto o Ilecreto 20806 de 15 de Novembro de 1931, que extingue o cargo de delegado especial do Govèrno no arqui élago da Madeira, instituido pelo gecreto 10861. 28 de Janeiro-Decreto 20829, reforçando a verba orçamental de%tinada a despesas de exercidos findos, afim de satisfazer B Gimara Municipal d o Funchal a quantia quk lhe pertence receber como percentagem nas receitas do jogo cobradas no ano econ6mico de 19281929. I de Fevereiro-Decreto 20846, mandando inscrever uma verba no orçamento d o Ministério das Finan-

tCncia do Ministro do Comércio, Indústria e Agricultura a concessão ou negação dos alvarás de licença dos estabelecimentos situados nos arquipélagos dos Açores e Madeira e abrangidos pela tabela anexa ao regulamento das indústrias insalubres, incomodas, perigosas ou tóxicas.
27 de Agosto-Decreto 21675, determinando que seja fixada por despacho ministerial a importância a abonar como gratificação ao pessoa1 da Alfhdega do Funchal e da guarda fiscal encarregada da fiscalização do alcool e aguarderite na Madeira. 3 de Setembro-Decreto 21637, dando nova redacçao ao 5 3O d o . artigo 1 do Decreto 20449, que determina uma nova organização militar nas ilhas dos Açores e Madeira. 12 de Setembro-Decreto21726, cedendo ghtuitamente à Câmara Municipal da Ponta d o Sol uma pe uena nascente de água potavel e l metros quadrados de terreno, % a fim de serem construidos tres fontenários nos sitios d o Salão e da Pereirinha, na Lombada dos Esmeraldos, freguesia da Ponta do Sol, Distrito do Funchal. 19 de Setembro-Decteto21674, permitindo em casos excepcionais ou quando destinador; ao Jardim Zoolagice a importação de papagaios e outros psitacideos no Continente e ilhas adjacentes. 19 dd Setdttlbto-Decreto21711, determinando que 09 serviços de lkenceamento das instalações eléctricas nos distritos de Ponta Delgaa, Angra e Funchal, dependentes da DirecfOo drn Stzrviçwr Eiktricos

dos Servida Adrninistração'~era1 ços Hidrbulicos e Eléctricos, transitetn para as respectivas Juntas Gerais aiitóiionias, que os integrarão nas suas Direcções de Obras Públicas e Serviços Hidráulicos e Indust riais. aprovando os quadros e vencirnentos do pessoal de várias Misericórdias illcluindo a do Fullchal. 6 de Outubro--Decreto 21703, prorrogando até 2 de Janeiro de 1933 o prazo fixado pelo artigo 1.O do Decreto 20368, que concede moratória a todos os débitos e resnonçabilidades do Ranco Sardinha Eorn sede na Cidade d o Funchal. 24 de Oufubro-Decreto 21761' permitilido o regresso às fábricas de tabaco existentes nos arquipélagos dos Açores e Madeira, de qualquer porçâo de tabaco que deles tenha saído para exposição ? venda i tanto na ilha, onde essas fábricas funcionam, como nas outras ilhas dos referidos arquipélagos, quando êste, sem estar deteriorado, careça no entanto de ser beneficiado.

25 de 0;tubro-~ecreto 21770, autorizando a Misericórdia do Funchal a veiider à Junta Geral do Distrito, a sua antiga propriedade situada na Avenida Dr. Manuel Arriaga, da mesma cidade, e a aplicar o produto da venda nas obras complementares do novo hospital e no pavilhão destinado a tuberculoses, 29 de Outubro-Decreto 21804, determinando que a concessão d o exclusívo do jogo de fortuna ou de azar na zona permanente da Ilha da Madeira, durante o periodo que decorre entre 1 de Dezembro de

1932 e 30 de Junho de 1933, se- Agua de Pena, Distrito do Funchal. ja feito em concurso público.

1 de Novembro-Decreto21821, considerando em regime de reserva de caça, a favor dos respectivos prOpriet~rios, Ilhas Desedas e as lhas selva do Distrito adminisenias trativo do Funchal, 10 de Novembro-Portatias n.Os 7462 a,7466, mandando abrir à exl0raçã0 0s postos telefhnicos pfiglicos do Jardim do Mar, Concelho da Calheta; Agua de I'ena e CarilConcelho de Machico; Cruzinhas e S* Roque, Concelho de Santana, do Distrito do Funchal, e fixando as taxas das respectivas conversa*. S

1983

6 de Dezembro -Decreto 21945, inscrevendo uma verba no orçamento do Ministério para Ocorrer a desesas com <Portes de correio e tek r a f o w da fiscallza~ãodo a d a r e do tabaco n . arquipélagos dos Açores e Madeira. 7 de Dezembro-Decreto 2 1949, autorizando 0 Ministro a adjudicar a indivíduos ou empresa a contes: são do exciusivo do j8go de azar na zona da Ilha da Madeira durante 0 ~ e r i o d o decorre entre 1 de que r k ~ a n b r o 1932 e 30 de Junho de de 1933. 7 de Dezembro -Decreto 21950, estabelecendo a forma de colectar as pessoas singulares OU colectivas que no Continente Ou ilhas adjatentes importem aeos, petróleos, gasolinas e seus derivados. 29 de Dezembro-Portarias n.OS 7495 a 7499, mandando abrir Il. exloraçilo os ostos telefónicos píiglicos de S. koque do Paial e Cruzinhas, Jardim do Mar, Caniça1 e

de Janeiro-Decreto 22056t do 'Or~~~~~~g~~~~~ de até rente ano os prazos das moratórias coricedidas pelos decretos 20368 e 21462 ao Banco Sardinha e Banco da Madeira, ambos com sede no' i%nchal1 de Janeiro-Decreto 22142 9 determinando que a Administraqão Geral dos Correios e Telégrafos fixe, semestralmeute, dentro de cada ano económico, as franquias decorrespondência a expedir do Continente e ilhas adjacentes para os países estrangeiros, com excepção da Espanha30 de janeiro-portarias n.OS 7521 e 7523, mandando abrir à exploração os postos telefónicos p6blicos de Achadas da Cruz, Ribeira da Janela e Santa Maria Madalena Concelho do Porto do Monís, e fixando as respectivas taxas* g de Fevereiro-Decreto 22176, revogando o disposto na parte final do artigo 1.0 do Decreto 0610, que detemina seja aposta a sobrecarga de 20 por cento nas estampilhas empregadas na selagem dos envolt6rios de tabaco estrangeiro despachado nas ilhas adjacentes* 16 de Fevereiro-Decreto22204, definindo quaiç 0s vencimentos a que têm direito 0s comandantes distritais de policia dos distritos de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 21 de Março- D eclaração de ter sido, com a aprovação ministerial, fixada em 6$40 a equivalência do franco-ouro, a partir do dia 1 de Junho próximo futuro, para as fran-

quias da correspondência a expedir do Continente e ilhasadjacentes para os países estrangeiros, com excepção de Espanha. 22 de Março-Portaria 7550, esclarecendo que as licenças graciosas respeitantes aos funcionários ou empregados, civis e mililares, ao serviço das colónias, naturais do Continente e ilhas adjacentes e aos referidos no arti o 82.O do Decreto 12209, de 27 de i g o s t o de 1926, só podem ser gozados no Continente ou nas ditas ilhas.
28 de Marco-Decreto 22383, fixando o quadro e vencinienlos do pessoal docente, da secretaria e menor, do Liceu Jaime Monis, do Funchal. 31 de Março-Decreto 22373, prorrogando o prazo das nioratorias concedidas pelo Decreto 20368 e 21462 aos Bancos Sardinha e da Madeira, aníbos com sede no Funchal.
13 de Junho - Decreto-Lei 22667, abrindo um crédito para satisfazer no Banco de Portugal a despesa que realizou com a aquisição da Quinta do Pavão, no Funchal. 21 de Junho - Decreto-Lei n.0 22710, re ulando a venda no Disn trito de W ra, d o tabaco manipulado nas fábricas existentes nos distritos de Ponta Delgada e Funchal e a venda nestes distritos, d o do tabaco fabricado em Angra. 17 de Julho - Decreto-Lei 11.0 22836, determinando que passem a ser atribuição exclusiva do presidente os poderes coriferidos h comissão liquidatária da casa comercial Henrique Figueira da Silva,

com sede no Funchal, pelo Decreto 19212, 20316 e 20736. 21 de Julho-Circular aos reitores dos liceus do Continente eilhas, esclarecendo algumas disposições sobre reciirsos liceais. 24 de Jrrlho - Decreto-Leí n.O 22858, aprovarido os quadros e respectivos vencimentos do pessoal da Santa Casa da Misericórdia da Vila de Santa Cruz, Ilha da Madeira. 23 de Agosto--Portaria 7663, aprovando o programa do concurso para admissão de aspirantes das alfândegas do Continente e iihas. 12 de Seternbro - Decreto-Lei 23026, autorizando a construção de um estabelecimento de crédito, coni sede na Cidade do Funchal, denominado Banco da Madeira, pela fusão do Banco da Madeira, do Banco Sardinha e da casa bancária Rodrigues, Irmãos & Caa. 14 de Outubro-Decreto-Lei n.O 23134, autorizando a Direcção Geral das Alfândegas a admitir como assalariado, à medida que forem necessários para serviços de fiscalização das alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, trinta motoristas maritimos, e regulando a sua admissão. 17 de Outubro-Decreto 23142, promulgando o regulamento para o tráfego de passageiros entre a Ilha da Madeira e Porto Santo. 18 de Outubro-Decreto-Lei nO . 23145, determiiiando que a Junta Geral do Distrito do Funchal satisfaça à corporação diocesana do culto católico da mesma cidade as rendas do edificio do antigo seminário e seus anexos pelo tempo ern que aquela corporacão, depois de yubli-

.

cado o Decreto 13514, os manteve e da Pontinha para os armazens da na sua posse. Alfândega do Funchal e d o alcool 7710, das fábrlcas matriculadas para o arcriando e mandando abrir à exnlo- maze"' do ração o pbsto telefónico públic8 do Curral das Freiras, Distrito do Funchal, e fixando as .taxas das respec12 dc jone iro-Decreto 23455, tivas conversações. introduzindovárias alteracoes no de18 de Novembro- Decreto-Lei creto 20317, que fixa o's portes e 23234, dispensaiido o voto afirma- taxas das correspondências a eXpetivo da assembleia geral do Banco dir das colónias portuguesas Para 0 da Madeira para aemissao das obri- Continerlte e arquipélagos dos A V ações a ue se refere O artigo 6 do res e da Madeira e quaisquer co16nias portuguesas diferentes das de %meto 2%26. origem e para países estrangeíroç. 20 de Novctnbro-Decreto n . O 6 de Fevereiro -- Decreto-Lei 23238, autorizando o exercício da indíistria bancária ao Banco da Ma- 23552, restabelecendo a Junta Autódeira ao Banco Sardinha e da casa noma das Obras do P6rto d o Funchal, bandria Rodrigues 8r C.a. 24 de Fevereiro - Decreto-Lei 27 de Novembro-Decreto n.0 23256, declarando sem efeito o De- 23595, determinando que aoTribuna1 creto 8052, em virtude do qual foi do Funchal seja dada im ediatamencedida â Caixa Geral de De ósitos, te a constituição prevista pelo De para instalação de uma sua [lia1 na creto-Lei 23053, ficando as despeCidade do Funchal, a ala oriental sas a cargo da respectiva Junta Oedo antigo paço episcopal daquela ral do Distrito. cidade, e cede-a definitivamente à 24 de Fevereiro-Portaria 7781, comissão administrativa da Junta declarando que William Ertward Geral d o Distrito do Funchal, para Clode, casado, médico, residente no ampliação dos serviços escolares do Funchal, é, para todos os efeitos Liceu Jaime Monis. legais, cidadão português origind30 de Novembro-Decreto n . O rio, por força do disposto no artigo 23278, determinando que as tabelas 18.0 e 3 2.0 d o Código Civil Portude fretes publicadas em anexo ao guês. Decreto 23142, para serem adopta9 de Março-Decreto-Lei, disdas pela navegação entre Funchal e solvendo a corporação de policiade Porto Santo, possam ser diminuídas segurança pública do Funchal. pela Capitania do Porto do Fun16 de Março-Decreto-Lei n,O chal quando as circunstâncias do 23673, tornando extensiva a isentráfego assim aconselhem. ção de sisa concedida pelo Decreto 12 de Dezembro-Decreto-Lei 20736 à dação de bens em paga23343, regulando o fornecimentode mento de dívidas à casa bancária transportes destinados à condução H. Figueira da Sliva, da Cidade d o de carga do recinto do Cabrestante F unchal.

de

17 de Março-Circular aos professores de ensino primário, secundario e téciiico elementar e niédio do Continente e ilhas Acêrca de correspondência inter-escolar. 4 de Maio-Decreto 23821, determinando que as provas escritas dos concursos de aspirantes estagiários da I>irecção Geral das Cofitribuições e Impostos, para os candidatos residentes nas ilhas adjacentes, sejam prestadas nas sedes dos respectivos distritos. 7 de Maio -Decreto-Lei 23827, autorizando as câmaras municipais d o Distrito de Angra a lançar um imposto camarário de 5$00 por cada quilograma de tabaco manipulado nas fábricas existentes nos distritos administrativos de Ponta Delgada e do Funchal, de quais uermarcas expostas veiida em Angra cio Heroismo.

14 de Maio-Decreto-Lei 23847, modificando o regime de açúcar, alcool e aguardente na Ilha da Madeira. 25 de Maio-Decreto-Lei 23010, promulgando diversas disposições acerca dos vinhos da Madeira.

29 de Maio-Decreto-Lei 23024, promulgando o regulameuto para a apanha e explorlção de plantas marinhas nas costas, praias e margens do Continente e ilhas adjacentes. 12 deJunho-Decreto-Lei 23998, fixando em 7900 por litro o preço da aguardente actualmente existente nos depbsitos de destilarias da Ilha da Madeira. 28 de Junho Decreto-Lei 27074, autarizando a 2.a Repartição da Direcção Cieral da Coiitabilidade Pú-

blica a mandar satisfazer as importancias da reparação de um cofre antigo existente na tesouraria do Concelho de Santa Cruz e daconstrução de uma peanha para uiii cofre novo da mesma tesouraria. 29 deJunho Decreto-Lei 241 19, reforçarido as dotações',orçamentais atribuidas i10 corrente ano económico a diversas Juntas Autónomas de portos, incluindo a do Funchal. 14 de julho-Declaração relativa à alteração da equivalência do franco-ouro a partir de 1 de Agosto próximo futuro e ais consequetites modificações na tabela dos portes e taxas paraas corres ondências exr pedidas do ~ontinenfe e ilhas adjacentes para os países estrangeiros, excepto Espanha. 7 de Agosto-Decreto-Lei n . O 24313, permitindo excepcionalmente, quando o respectivo Ministro o auterize a montagem nas ilhas adjacentes de novas fábricas para o exercicio da industria de conservas de espécies ictiológicas expressamente determinadas. 9 de Agosto-Decreto-Lei 24328 autorizando a Administração Geral dos Servíços Hidráulicos e Eléctricos e a Junta Autónoma das Obras do Pôrto d o Funchal, conjuntamente a celebrar com a Sociedade de Empreitadas e Trabalhos Hidráulicos, Limitada, o contrato para a execução da empreitada das obras de melhoramentos do Pbrto d o Funci-tal (molhe da Pontinha). 18 de Agosto-Decreto-Lei d.O 24380, anulando a nota I à tabela aiiexa ao Decreto 12822, que a rova e manda 6r em vigor a tagela geral dai verpas a satisfazer pelos diversos serviços e docunientos pas-

sados pelas capitanias dos portos e delegações marítimas do Continente e ilhas adjacentes. 20 de Agosto-Decreto 24389, exonerando o dr. Leovigíldo Quiemado Frarico de Sousa, Ministro da Agricultura, da gerència dos negócios do Miriistirio do Comércio e Indústria, para a qual havía sido nomeado durante a ausência, nas ilhas dos Açores e Madeira, do titular da respectiva pasta, engenheiro Sebastiâo Garcia Rarnires. 21 de Agosto-Portaria 7874, mandando publicar nos Boletins Oficiais de todas as colónias as regras de balizagem já adoptadas no Continente e ilhas adjdcentes, aprovados pela portaria 4244, 28 de Setembro - Decreto-Lei 24513, determinando que não seja aplicável aos arquipélagos dos Açores e Madeira o Decreto-Lei 24462, que eleva a taxa de salvação nacional para a gasolina.

des d o Estado sitas nos coricelhos de Ponta do Sol e Funchal. 22 de Outubro - Decreto-Lei 24584, determinando que fiquem a cdrgo d o Estado as despesas com a aliriientação e hospedagem das praças da guarda Fiscal que tenham de deslocar-se para localidade diferente da d o seu aquartelamento no desempenho de serviços inerentes à fiscalização do regirne sacarino na Madeira. 24 de Outubro - Decreto-Leis 24605, autorizando a Junta Gera 1 do Distrito do Funchal a vender, independentemente de hasta pública, à Junta Autónoma d o Porto do Funchal, dois armazens e terrenos anexos situados na estrada da Pontinha,. para armazenagem d o material destinado às obras a seu cargo.
2 de hovembro-Portaria 7914, fixando a dotação da rêde telefónica do Funchal em umlchefe e catorzo telefonistas.

17 de Outubro - Decreto-Leí 24556, determinando, a partir do dia 2 de Janeiro de 1935, o resgate, ao par, de todos os títulos representativos da dívida especial da Madeira, do juro de 6,5 por cento, e do dia 1 de Março de 1036 a amortização, ao par, de todos os titulos representativos, do em restimo Portos, 1930, do juro de 613/4 por cento. 18 de Outubro-Decreto 24566, tornando aplicável durante um ano a redução a metade da sisa a pagar sbbre as transmiss6es de imobiliários por título oneroso relativas às propriedades a que respeita, estabelecida#noartigo 18.O do regulamento aprovado pelo Decreto 19268 (administração e venda das proprieda-

9 de Novembro - Decreto-Lei 21640, criando um curso de serralheiro mecânico na Escola I~idustrial e Comercial de António Augusto de Aguiar, do Funchal. 7 de Dezembro-Decreto 24749, aprovando, de harmonia com o artigo 438 d o Código Administrativo de 1896, o quadro do pessoal da Associa;ão Protectora de Estudantes Pobres do Funchal, e beni assim os respectivos vencimentos anuais. 10 de Dezembro - Decreto-Lei 24763, abrindo um crédito destinado ao pagamento de salários a dois trabalhadores, um para o serviço de conservação e limpeza das Quintas Vigia, Pavão e Bianchi e outro para

a Quinta SantAria e terreiios adjaceiites, situados iio Fiiiichal. 12 de Dezcmbr o-- ;:ecreto-Lei 24760, aiitorizando o Aliiiistro do Iriterior a adjii(lic.ir, até 30 de Jiiiilio de 1935, a corices.;áo tlo esclusivo do jogo cle azar na zoiia da 111ia da Madeira (Fiiiicliai).

9 de Janeiro-Decreto-Lti 11.0 24872, estabelecendo que a jiirisdição do Tribunal do Trnbalho do Fuiiclial, abr~iigeos restaiites distritos iiisulares ernquanto iião estivereiii constituídos iieles tribuiiais do trabalho, e indicaiido, tdmbérn, oiide deveni ser pdgds as taxas, pe:centageris, preparos c triiiltas do iiiesmo Tribiirial. 9 de Janeiro Portari i 7972, determinando que seja pago iio prazo e de '30 dias no Coiitiiie~itc de60 lias illias o imposto a que se refere o artigo 164 da tabela geral do iniposto tlo sèlo, aprovada pelo 1)ecreto 21916, devido por filiicioiiários do Mitiislério por traiisferêiicia ou perniuta qiie Iiouvereiii rcquerido. 9 de Janeiro-Decreio-Lei 1i.O 24883, regulaiido os concursos para lugares de auxiliares, fíeis cte balaiiça e fieis de armazém dos quadros do tráfego das alfândegas do Continente e ilhas adjacentes. 9 de Janeiro - Portaria 7973, aprovando o programa dos concursos para lugares de auxiliares, fièis de Ualdnça e fiéis de armazém dos quatlros do tráfego das alfâiidegas do Continelite e iIhas adjace11te.i. I0 de Janeiro Decreto-Lei 1i.O 2,1031, aprovaiido e maiidaiido pôr

eni execução o regulamento geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e ilhas adjaceiites. 15 de Janeiro-Rectificação ao Decreto-Lei 24931, que aprova e iiiaiida pôr erii execução o regularnerito geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Contiiieiite e ilhas adjacentes. 2 de Fevereiro-Decreto 24995, daiido iiova redxcção ao artigo 15 do Decreto 20317, para o efeito de as correspondêiicras expedidas da colónia de Moçambique pela via do Cabo de Boa Esperança e da colóiiía de Macau pela via Sibéria e Rrindisi, para o Continente, colónias portuguesas e ilhas adjacentes, ficarem pagaiido as mesmas taxas expedidas que as corres~~ondêiicias dessas colóriias para países estrangeiros. 25 de Fever eiro-Decreto25074, ai'riiido uni crédito a fim de se entregar i Junta de Crédito Público a iniportâiicia correspuiideiite ao resgate de títulos da divida iiiteriia aniortizável de6,5 por ceiilo de 1028 (dívida especial da Madeira). 4 de Março - Decreto 25095, aprovando o quadro clíiiico e dos eiiipregados d o Hospital da Misericórdia d o Funchal, bem como os respectivos veiicimentos. 23 de Abril-Decreto-Lei 25281, reduzindo a metade o imposto de comércio marítimo que onera as mercadorias em trânsito prwedentes de deterniiiiado país, seus territórios ou colóiiias, com destino ao rnzsnio país, seus territórios e coloiiias, e iseiita de imposto de passagens e de con~érciomarítimo, pelo seu eiiibarque e desembarque, querii

tome parte em excursões por via 5 de unho - Decreto 25461, marítima iniciadas nos portos do criaiido a elegaçâo da Junta NaCoiitiiiente e das illias adjacentes e cioiial de Exportação de Friitas da terminadas nos niesrilos portos. Ilha da Madeira. 16 de Maio-Decreto 25342, fi6 de Junho-Decreto-Lei 25460, xaiidovárias taxns das corresporidên- deterininarido qiie a receita provecias a expedir das colóiiias portu- niente do registo de matrícula oiigiiesas para o Contiiiciite, arquipé- cial de qiialqiier curso ou graii d e e lagos dos A~ores Madeira e quais- ensino, com exclusão do priineiro, quer colhias portuguesas diferen- paga por meio de estainpilhas fistes clas de origem. cais nos distritos autórionios tle Ponta Delgada, Angra e Filnchal, 18 de Maio-Decreto-Lei 25370, passe a ser cobrada por iiieio de reforçaiido a dota ão prevista no guia, devendo o produto das coorçaiiiento para a junta Autónoma branças ser entregue oportunaiiieriíl.is Obras tlo Parto do Funclial. te às respectivas Juntas Gerais.

h

29 de Maio - Decreto-Lei 11.0 25418, isciitando de autorização prévia da Iiispecção do Comércio Bancario a iriiportação de riiercadorias aleniãs eiii Portugdl e ilhas adjaceiites emquanto vigorar o acardo referente ao pagamento das dívidas comerciais entre Portu~al a Ale- e manha. 31 de Maio Decreto-Lei 25437, prorroyaiido para o corrente ano induçtri,&l regime trailçitório estao belecido para o de 1934-35 pelo artigo 16 do Decreto-Lei 23847, que niodifica o regiine do açúcar, alcool e aguardente na Ilha da Madeira e regulando a substituição ou reriovação dos canaviais actualmente existentes. 5 de Junho - Decreto 25462, abrindo um crédito para remunerações a três professores dos liceus dos distritos autónomos das ilhas adjacentes. 5 de junho - Decreto 25463, criando, com sede no Furichal, o Grémio dos Exportadores de Frutas e Produtos Hortíeolas da Ilha da Madeíra.

25 de Junho-Decreto-Lei n.O 25534, autorizaiido o Govêriio a orgariizar e enviar ao Arquipélago da Madeira uma niissão técnica a firn de proceder ao estudo d o problema da rede de estradas dêsse distrito irisiilar. 29 de Junho-Decreto-Lei n . O 25557, autorizando O híinistro do Interior a adjudicar em concurso público a ConcessPo do exclusivo do jogo de fortuna OU azar na ZOna da Ilha da Afiadeira (Fuilchal), desde 1 de Agosto do correiite ano atk 31 de Março de 1936, a cidadão ~ ~ r t ~ OU ~ ê s que satisfaP g ein~rêsa as condições da legislação em vigor. 1 de Julho-Rectificação ao Decreto-Lei 25557, que autoriza o Ministro do Interior a adjudicar em concurso público a concessão do exclusivo do jogo de fortuna ou azar na zona da Ilha da Madeira (Funchal). 2 de Julho-Portaria 8150, siniplificaiido a carta de saúde adoptada nos portos do Continente e ilhas adjacentes.

10 de Julho Decreto-Lei n.0 25508, determinando que a farinha de maridioca, também designada por farinha de pau oit de Agiia, iião possa ser levantada das alfândegas do Continente e das ilhas serii ser desnaturada. 20 de Julho - Decreto-Lei n.O 23613, criarido, com sede iio Furiclial o Gréinio dos indiistriais de Bordados da Madeira. 19 de Agosto -Decreto-1-eí 1i.O 25768, determinando que o produto das inultas aplicadas por transgressões do Código da Estrada e mais le islação s6bre trânsito a cargo das yuntas Gerais de Ponta Delgada, Angra e Funchal, constituam receita das mesmas Juntas. 5 de Setembro-Decreto 25820, aprovando os quadros e vencinientos da Associação das Enfermeiras da Casa de Saúde Camâra Pestana, freguesia de S. Goriçalo, Coricelho do Funchal. 1 de ~utribro-Decreto 25880, autorizando o Ministro do liiterior a adjudicar em concurso público a concessão do exclusívo do jogo de fortuiia ou azar na zona da Ilha da Madeira (Funchal) desde a assinatura do respectivocontrato até 31 de Março de 1937, a cidadão português ou emprêsa ue satisfaça as condi~ õ e s legijacão em vigor. da 1 de hovembro-Declaração de terem sido, por despacho ministerial, fixadas as taxas a cobrar, na exportação, pelo Grémio dos Exortadores de Frutas e Produtos ortícolas da Ilha da Madeira. 13 de Novembro - Decreto n.O 26045, regulando a fiscalização da exportação dos vinhos regionais, com excepção dos do POrto e da

-

7 de Janeiro - Rectificaçào ao Decreto 1i.O 35342, qiie fixd virias taxas d i s correspoiidCncias a expcdir das zolórii,is port~igtiesaspara o Lontiiierite, arquipélagos dos Açores e Madeira e quaisquer colóriias difereiites das de orígeni.
11 de Janeiro - Portari.t 8337, fixarido as taxas sobre o valor dos bordados exportado? e sobre a iiiiportância das veiidas no mercado local que constituem receita do Grémio dos Iridustrias de Bordados da Ivladeira. 28 de Janeiro - Decreto 26277, abrindo um crédito destinado ao pagamento de salários a dois trabalhadores c111serviço nas quintas Viia, Pavão, Riarichi e Saiitana dos ariatorios da Madeira. 12 de Fevereiro - Decreto-Lei 26350, modifícaiido as condições de venda das propriedades riísticas e urbanas na posse do Estado, situadas na Lombada dos F:snieraldos e Lugar de Baixo, do Coiicelho da Ponta do Sol (Madeira). 7 de Março - Rectificação d o Decreto-Lei 26350, que modifica as condições de verida das propriedades riísticas e urbanas na posse do Estado situadas na Lonibada dos Esmeraldos e Lugar de Baixo, d o Concelho de Ponta do Sol. 9 de Março - Cecreto 26407, aprovando o quadro clínico e dos empregados do Hospital da Misericórdia do Funchal, e bem assim os respectivos vencimentos anuais. 17 cic Março-Decreto-Lei 1i.O 36424, determinando que os trigos iiecesskrios para o abastecimento do

h

Madeira.

arquipélago da Madeira só podem satisfazer as despêsas efectuadas, e ser importados do Continente oii airida não pagas, pela coniissão técdas colóriias portuguesas de Africa, nica noiileada para proceder ao esregula a sua importação, o fabrico tudo cia rêde de estradas iio Arquidas farinhas e o fabrico e venda do pélago da Madeira. pão. 5 de Maio--Decreto 26571, pro24 de Março - Portaria 8032, niulgaiido o regillairierito das verifidesignando a constituiçáo heráldica cações das friitas e produtos hortídas armas, bandeiras e selo da Câ- colas de exportacão a realizar pelos mara Municipal do Funchal (Ma- servíços esecutivos da delegaqâo da deira). Junta Nacional de exportação de 1 de Abril- Decreto-Lei 26488, Frutas da Ilha da Madeira. autorizando a Juilta Gerd do Dis14 de Maio-Despacho rninistetrito Administrativo do Funchal a ria1 de concoi-dância coni o parecer subsidiar as Câmaras Municipais da Procuradoria Geral da Hepiiblica dos Concelhos do Funchal e Cârna- sôbre as díividas suscitatlas pelo ra de Lobos, a fim de que estas, reitor do Líceii Jaime Monís, do em comparticipação com o Estado, Furichal, Acerca do provirneiito de construam moradias para as classes lugares da secretaria e de contíriiios menos favorecidas. do mesmo liceu. 4 de A-bril-Decreto 26499, clas20 de Maio-Decreto-Lei 26613, sificando de monumento r~acional, determinaiido que os aspirantes e o edíficio que serviu de Paços do escriturários das alfândegas d o ConConcelho na vila de Santa Cruz, da tinente e ilhas adjacentes iiotiieados Ilha da Madeira. depois da publicação dêste Decre16 de Abril-Decreto-Lei 26521, to-Lei só possam ser transferidos, emitindo aos tesoureiros das al- a seu pedido, quando contem, pelo ândegas d o Continente e ilhas ad- menos, dois anos de serviço efectijacentes o poder propor, para seus vo na Direcção Geral das Alfiridefiéis, funcionários dos quadros das gas ou na alfândega oiide se enconalfâiidegas, qualquer que seja o trem colocados. tempo de serviço que esses funcio20 de Maio-Decreto-Lei n . O nários contem. 26616, autorizando a Administração 17 de Abril-Decreto-Lei 26527. Geral dos Correios e Telégrafos a esclarecendo que determinadas re- arrendar um prédio para instalação ceitas pertencem 9s Juntas Gerais dos serviços dos correios, telégrafos dos distritos autónomos insulares. e telefo~iesda Cidade do Furichal. 25 de Maio-Aviso, procedendo 17 de Abril-Rectificação ao Decreto-Lei 26424, que deterniiiia sÔ- autorização de S. Exea o Ministro bre o abastecimento de trigos lia das Obras Públicas e Conlunicaçóes, Madeira, e regula o fabrico de fari- fíxarido eni 3$50 a taxa dos avisos de recepçâo das correspoiidêiicias nhas e venda de pão. expedidas do Continente e ilhasadI de Maio - Decreto-Lei 26565, jacentes para os países estrangeiros autorizando o Govêrno a mandar (exceptuando Espariha) quando pe-

P

+

didos posteriormente ao depósito das corresporidências a que se refirani. 4 dç Junho-Decreto-Lei 26555, criando a Jurita Nacional dos Lacticínios da Airideira (J. N. i.. M.), corri sede ria Cidade do Fiinclial. 15 de Junho- - Decreto-1-ei 26685, abriiido uni crkdito para paganieiito dos trabalhos de classificação, niedição e avaliação dos terrelios do Estado situados na Lornbadados 1:smeraldos e Lugar de Raixo do Concelho da Ponta do Sol (Ilha da Madeira). 28 de Agosto - Decreto 26952, determiiiarido que todos os produtos resiiltantes da fariiiaçáo do trigo qiie do arquipéligo da Madeira seguirem, para o Coritinente ou pqra os Açores fiquem sujeitos, quando despachados para consumo, à taxa consignada na pauta minima de importação que Ihes f6r aplicavel. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.0 26980, classificando como estância de turismo o arquipélago da Madeira e cria ria Cidade do Funchal com jurísdição em todo o arquipélago uma comissão de iniciativa que se denominará: Delegaçáo de Turismo da Madeira. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.0 26983, determinando que seja feita à Junta Geral Autónoma do Distrito do Funchal, para a construção d o novo liceu a cedêricia gratuita do eciificio e terrenos ocupados pelo hospital militar naquela cidade, e autoriza a expropriação dos outros terrenos adjacentes até complement0 da área i;rdispensavel a ô referido estabelecimento de ensino. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.O

26984, determinando que a regalia diini aiitoniovel de 2." categoríacoricedido ao goverria(ior civil d o Piiriclial se cfcctive poriiieio durii aborio nicrisal para desl~csascoiii autoniovel ern serviço oii representação oficial. 5 de Setembro Decreto-Lei r1.O 26085, deterrniitarido que .a Jurita Autótioiria dds Obras do PGrto do Fiiiiclial, criada pela lei 11.0 89,l)assa a desígriar-se Junta Autdnomn dos Portos do Arquipklago dn Mndeira, e regiilandu as suas atribiiiç6es. 7 de Outubro - Decreto 27070, abrindo iim crédito para refdrço tia dotação coiisignada a direitos alfaridegarios, liceiiças, taxas de embarqiie e quaisquer outras imposições legais a pagar ao Estado e aos corpos administrativos pelo transporte de material movimentadopara transformação, repnração, distribuir ou depósito entre o Contineiite e as ilhas ou vice-versa. 10 de Outubro-Decreto 27078, autorizando o Banco da Madeira a contratar com a Caixa Geral deDepaitos, Crédito e Previdencia, a abertura de um crédito que poderá ser concedfdo em forma de conta cwrente, pela importância precisa ao resgdte da totalidade das obrigaç6es que o mesmo Banco foí autorizado a emitir. 23 de Novembro- Decreto n.» 27234, fixando o rendiniento tributdvel das pessoas siiigulares ou colectivas que iio Continente ou ilhas adjaceiites importarem oleos, petróleos, gasolinas e seus derivados. 23 de Novembro -- Parecer da Procuracloria Geral da República, hoiriologado por despaclio miltiste-

rial, no sentido de que só o Ministério tem competência para a coiicessão de carreiras de camioiiagern na Ilha da Madeira. 31 de Dezembro--Decreto n O . 27430, abriritio uni crédito de Esc. 100.000$00, destinado ao pagamerito de iiitlemnização a Jose Artur Dâmaso, rios termos do acórdão do S T A. de 13 de Março de 1036. ..
13 de Março - Decreto-Lei n.O 27566, substituindo o iiavio hiclrográfico Cinco de Outubro, julgado incapaz do serviço da armada, pelo aviso de 2.' classe Carvalho Araújo, que passará a denomínar-se iiavio hidrográfíco Carvalho Araú Q nos serviços da Missão Hidrográ!ica das ilhas adjacentes. 3 de Abrl-Decreto-Lei 27625, isentando de direitos de importação os materiais móveis e utensílios iiecessários à instalação e primeiro guarnecimento do Hotel Nova Avenida, da Cidade do Funchal. 22 de Abril-Decreto 27660, autorizando a Administração Geral dos Correios e Telégrafos acelebrar contratos dos projectos de construção das rêdes telefónicas subterrâneas de várias cidades, incluíndo a do Funchal. 1 de Maio - Decreto 27699, 5 autorizando a 2.a Repartição da Direcção Geral da Contabilidade Píiblica a mandar satisfazer a importância da limpeza no lustre do gabinete da direcção da Alfândega do . Funchal. 18 de Maio-Decreto 37707, autorizando o pagamento das importâncias respeitantes,. respectivarnen-

te a despesas efectuadas no mês de Dezembro de 1936 com os cadastrados e vadios presos à ordem do Comando Geral da Policia de Segurança Píiblica e as des esas feitas pelo Govèr,io Civil do biotrito do Fiinclial nos mêses de Julho e Agosto c!e 1936 por motivo dos motins popularej havídos na Ilha da filadeira. 7 de Julho-Decreto-Lei 27826, permitindo no ano industrial 1937l(J38, a importação tio Continente, nos termos do Decreto 23847, do açíicar da cana que exceder o consumo da Madeira, até ao limite máximo de 400 to~ieladas. 13 de Julho-Decreto-Lei 27853, isentando de direito de importacão e de todas as iniposições de caracter local, no arquipélago da Madeira, vários artigos destinados h industria de bordados. 14 de Julho-Portaria 8748, regulaiido o manifesto de semetiteiras, plaiitaçaes e colheitas nas ilhas adjacentes. 31 de Julho-Decreto-Lei 2791 1 estabelecendo certos preceitos do sentido de tornar mais eficiente a fiscalização do regime sacanno no arquipélago da Madeira, reduzi~ido ao mínimo as possibilidades de fraudes. 31 de Julho-Decreto-Lei 27912, introduzindo várias alterações no regime sacarino da Madeira. 5 de Agosto-Decreto 27928, regulamentando o imposto de carceragem nas cadeias civis do Contíne~ite ilhas. e 13 de Seteínbro-Decreto 28028; abrindo um crédito a fim de ser inscrito no orçamento sob a rubrica

*Restituiçdo d Junfa Authnoma dos Portos do Arquípelugo da MnI 1 dc Junriro --- Hcctificriqão a o dtJiru, du importância de v~nd(rde C-unrbiuiscntregucs nos rofrt s do I)iacrt.to-Lei 27012, qiic iiitrotliiz vário rcgi~rie s.icariiio Il'rsonro corrto reccifn do Estcfdo~. ri:i.; :iltc.raqõt~s (Ia Nat1eir;t. 15 de Outnbro-De-;p:iciio iiii18 dtl I31i)crciro-í')ccrclo 2847S, iiisteri.il pelo qiial fica clt~terniiiiatlo cri,iii(lo o serviço tie prtasviçoi rio yii:. 0s peqiieiios for?.atos t l v eiii- wrviqo teicfOiiico iiaciorial, iiitlicanbalagens para figos e aiiiGiitlo.i.;, e sobretaxas ibiitrr ate ao liriiite riiáxiirio tle 15 qiiilo- (10 as taxas as illias ridj icciites. o grariias, j strt ridardizados e 1tlg:ll- (:oritiiieritc c á iiieiitr aiitorizados, destinatlos .ias 1 0 de Fcverciro - Decreto-Lei iiiercatlos das ilhas adjacciites, Afri- 28485, iriorlificn!ido a classificaçào ca e Aniérica do Siil, po,iciii ser clas coiiiiinicaçUes j~íiblicaspor \.ia agrupadas em taras clc protecção tcrri>stretio Distrito do Fiiiich:il. (caixas, sacos, fardos), sem deternii1.9 de Fcvcruiro - Decreto-Lei iiação do peso liqiiicio pira estas. 18486, estabelecendo as caracteristiO'de Novembro-Dccrvto-l.ei 1i.O c.is ti~iiicasa adoptar nas estratlas 28145, autorizando a Jiirita Autó- nacioiinis da Ilha da Madeira. rioiiia dos Portos doArqiiipéiago d:i I de Abril-l>ort,iriri 8%3, perMadeira a pagar à Conipaiihia dks rriitiiido a aposiqão, nau corresponObras do Pôrto do Furichai unia dêiicins postais, das virihetas eniitiiiideninização pela rescisão do con- clas pela Delegação d o Turismo da tr2to celebrado para a construção Madeira. das obras do seu porto e concessão 14 de Abrd-Decreto-Lei 28591, (10 exclusivo da sua exploração. fixando certas disposições legais pah' de Novembro -- Decreta-Lei rLia construção e reparação das es28146, autorizando a Juiita .r\utóno- tradas n~uriicipais e dos carriinlios ma dos Portos d o Arquipélago d a vicinais da Ilha da Madeira. Madeira a contrair na Caixa Geral 14 de Abril-Decreto-Lei 28592, de Depósitos, Crédito e Previdêii- aprovando o plano de traballios pacía, um etnpréstimo, a fim de ser ra a execução da rède complemena1Jicado na realização de diversos tar das estradas da Ilha da Madeira. iiielhorametitos d o Porto do Fuiiehal 25 de Abril-Portaria 8987, dee rio pagamento da indemnização à Fumasil Campany e à Companhia signando a constituição heráldica das ariiias, bandeira e sê10 da Câdas Obras do Pôrto do Funchal. mara Municipal d o Concellio d o Pôrto Monís (Madeira). 2 4 de Novembro-Decreto-Lei 17 de Maio-Decreto-Lei 28655, 28235, dividindo em seis prestações anuais o adicional sobre as contri- autorizando a Junta Geral Antóriobuições e impostos mandados co- ma d o í?istrito d o Furichal a ceder brar no Concelho da Ribeira Brava gratuitamente à Associação Protecpor motivo dos motins havidos ria tora dos Pobres d o Funchal o préIlha da Madeira eni Agosto de 1036. dio urbario oride eni tenipos esteve

instalado o frigorífico da extinta Junta Agrícola da Madeira, para iiele ser feita a distribiiição da sopa diária aos pobres d o Funchal. 26 de Maio-Decreto-Lei 28714, ailtorizaiido a Admiiiistr.~çâo Geral dos Correios, Telégrafos e Telefoiies e o Ranco de Portugdl a efectuarem entre si a troca de duas parcelas de prédios contíguos que possueiii lia Cidade do Fu~ichal. 2 6 de Maio -- Tlespacho do SubSecretário do Estádo das Finanças pelo qual se determina que o produto das multas aplicadas pelos tribuiiais do trabalho lios distritos de Ponta Delgada, Aiigra e Fuiichal, pe.rteriçam as respectivas juntas gerais. 9 de Junho-Decreto 28753, fixando a sobretaxa para a eiitrega de um telegrama iiiterriacioiial coiii proprio pago destinado a qualquer estação do Contiiiente, ou dos Açores OU da Madeira. 13 de Junho - Decreto 28760, autorizando a 2.' Repartição da Direcqão Geral da Contabilidade Púbilca a satisfazer a importâiicia ue despesas com telefones efectuadas nos meses de Setembro a Dezembro de 1035 pelo serviço de fiscalização do alcool e aguardente da Ilha da Madeira. 10 de Agosto-Despachos ministeriais pelos quais é autorizado o acoiidicioiiamento de miolode ainêiidoa em caixas forradas com folha de Flandres quando os lotes se distinem à Colômbia e toriiando extensivo aos mercados do norte da Eudos pequenos ropa o agrupame~ito formatos de embalagem para figos e amêndoas destinadas aos mercados das ilhas adjacentes, Africa e

Aniénca do Sul 'eni taras de protecção, seni limitação do pêso liquido para estas. 2 4 de Agosto-Despaclio riiiriisterial, declaraiido terem sido substituidos os dois tipos de caixas adoptadas para o acoiidicionariiento de vagiiiha da Illia ds Madeira, por um tipo único. 2 2 de Setembro - Decreto-Lei 20014, estabelecendo que só não estão sujeitas ao raleio do leite e das natas atribuido por Decreto 1i.O 26655 à Jurita Naciorial dos Lacticiiiios da Madeira as cooporativas agrícolas ço~istituídaselil harmonia cotn a legislação ein vigor sôbre associaçõos agrícolas.

31 de Outubro-Decreto-Lei n . O 29096, iseiitaiido de direitos de importação os iriateriais, inóveis e utensilios iiecessários i s obras de ampliaçãoe guarneeiiileiito do Reid's Palace Hotel , da Cidade do Funchal. 24 de Novembro - Decreto-Lei 20182, prorrogando por iin-i ano u prazo a que se refere o art.O 53 do Decreto-Lei 26654 (nomeação da Direcção da Junta Nacíorial dos Lacticinios da Madeira). 6 de Dezembro -Decreto 29219, autorizando o Ministro a alterar em determinadas bases o contrato elaborado em 1893 entre o Govêriio Português e a companhia inglesa de cabos submarinos Telegraph Construction and Mairiteiiance Company, devendo ficar estabelecido uni serviço telegráfico, a taxas reduzidas, no triângulo Contiiieiite-Açores-Madeira. 8 de Dezembro - Decreto-Lei 20236, regulaiido os direitos sobre

- A -

MADEIRA NA -

LEOISLAÇA~ r PORTUO~~FSA 97
---e-

as iariniias exÓ:icas importadas no Arquipélago da Aladeira.
8 de Dezembro - Decreto-Lei 29455, prorroqarido o prazo a que 24.3 r , defiriiiido a acção e compe- se refere a a1irie.i c do artigo a d o têricia discipliiiar d o Grérriio dos Decreto-Lei 23936 (isetição de con-

18 de F e ~ ~ r e i r o Decreto-Lei --

Inci ,<tri~is Bordados da Aiadeira tribuição iridiii;it~iLil3 Rancu d:i Alade :1 i na parte eni qite se refere aos seus deira). agieiniados que exerçdni aquela indfi-;.ria e comércio fora da área do 9 dc hinrço---Decreto 20177, rernesi;io Grémio. duzindo de 500 os direitos da batata de serrielite it1iportad:i iio Ar8 de Dezembro Decreto-Lei quipélago da ijkxieird e proíbea en29349, modificatido a atribuiçao de trada no Coritinerite e rio Arquivotos sos sócios d o Grémio dos In- pélago dos Açores da batata de sedustriais de Bordados da Aladeira. mente procedeiite dlqiitrle arquipk8 de Dezembro - Decreto-Lei lago. 2924 1, determir1ar;do que os borda28 de Abril - Decreto 29559, dos da Aladeira so poisam ser ven- trarisferindo várias verbas d o orçadido;, expe~stosà veriíla ou condu- nieiito para reflirço da dotaçãc.) coiizidos para venda rio Arquipélago signada a grdtific~ç6es ao pessoal em terra ou mzr, desde que tenham da fiscalizaqão do alcool eda agtiaraposto irm sê10 de garatitia. dente da Madeira. 8 de Dezembro-Poriana O 18. 1 16 de Maio-Aviso designando a forma como passa a ser repartido o produto das taxas se toriia piiblico ter sido co5r:-idas s6bre o valor dos borda- $02 a taxa a cobrar pelo Grémio dos-que constitiiem receita do G. I. dos Exportadores de Frutas e Produtos Hortícolas da Ilha da h!adeiB. \i.+ Madeira. ra, por cada quilogrania de banana 22 de Dezembro-Decreto-Lei exportada para Inglaterra. . O 29263, subistituindo o Decreto n 30 de Maio-Decreto-Lei 29642, 29219, que estabelece uin serviço telegráfico, a taras reduzidas, no prorrogando até 30 de Setembro d o .corrente alio o prazo a que se rtfetnangulo Continente-Açores-Mare o artigo 2 d o Decreto-Lei 28863; deira. tornando essa prorrogaqão extensi31 de Dezembro - Decreto-Lei va a todas as concessões de carrei2933g, estabelecendo que as autori- ras regulares d o Continerite e illias zações gerais d e importação a que cujo prazo d e validade termine ense refere a Lei 1947, poderão, quan- tre I de Janeiro do corrente ano e d o se refiram a alcatraes, breus, as- aquela data. faltos, ou gases derivados d o peI de junho-Portaria 922:), ex tróleo, ou sejam passados a favor d e entidades que:exerçam a sua ac- tinguindo a 5.a secção da secretatividade nas ilhas adjacentes, ser da- ria judicial da I .a vard da Comarca das para quantidades a fixar em de- d o Funchal e determinalido que a antiga 4.' secção passe a denornibito.

-

,

:::;1 :

A MADEIRA NA LEGISLA(;A RTUOUESAO F)
nar-se 3.a, conservando as outras as mesmas denomineções. 5 de junho-Decreto-Lei 2 1657, considerando Lot ria Nacional Portuguesa a lotaria da Misericórdia de Lisboa, única aiitorizada no Continente, ilhas adjacentes e co16nias africanas. 15 de Junho -Decreto 29688. autorizando a Junta Autónoma dos portos do arquipélago da Madeiraa celebrar contrato para a construção, fornecimento e montagem tle dois guindastes eléctricos de pórtico inteiro e 280 metros de via completa para rolamento dos mesmos, destinados à citada J. A.
22 de Junho - Portaria 9249, aprovai~do regulamento do servio ço de abastecimento de águas à Cidade do Fitnchal, 29718, autorizando o Crovêrno a enviar à Ilha da Madeira uma mis-

26 de Junho - Decreto-Lei

n.O

são técnica para proceder ao reconhecimento das possibilidades tècnicas e econhniicas da ilha nos aspectos hidro-eléctrico e hidro-agricola em conjunto.
6 de Julho-Despacho do SubSecretário de Estado de Corporzções e Previdência Social, publícando a tabela dos salários e preços míni-mos aprovados, para o pessoal da industria de bordados nos Açores e Madeira. 13 de Julho-Decreto-Lei nO . 29742, concedendo à Junta Geral Autónoma d o Funchal um subsídlo destinado obras de reparação e de adaptação d o Palácio de S. Lourenço, e concedendoigualmente outro subsídio à Misericórdia d o Funchal destinado às obras de amplia-

@o i10 seu ho;pitnl e riludaiiça das sal is de nperl~3es. 14 rie Julho - Decreto-Lei n . O 29750, minciando proceder iio .,no de 1440 ao 8.0 recenseatneiito geral da popula~ão,não só i10 Contiilente e nas ilhas adjacentes, liias também no Império Coloiiial e para além dele, em todos os iiúcleos importantes de portugueses iio estrangeiro. 15 de Julho - 3ecreto-Lei i1.O 29733, determinando que as iiiercadorias do Protectorado da Rcériiia e Morávia, importados a partir de 15 de Julho de 1939, em Portiigal e ilhas adjacentes. oii destiiiadas às colónias, mas pagáveis em Portugal ou ilhas adj~cerites, sejam pagas nos prazos coiitratuais, exclusivamente por entrega cio seu contra valor em escudos da metrópole no Banco de Portitgal, quer direcmente, quer por intermédio de um Banco oii banqueiro. 18 de J~rlho- Decreto-Lei 20761, permitindo no ano industrial 10391940, a importação iio Coritiiiente, nos termos do Decreto-Lei 23847, do açúcar de cana Que exceder o consumo da Madeira, *até ao limite máximo de 400 toneladas. 19 de Julho- 7ecreto-Lei 29762, tornando aplicavel aos arquipéla Os dos Açores e Madeira o Decreto-h 22827, que estabelece o condicionamento d o irabalho de estrangeiros no território continental. 20 de Julho - Decreto 20767, abrindo um crédito para refôrço da dotação ,consignada no orçamento do Ministério o levantamento hidrográfico das ilhas da Madeira, Porto Santo, Selvagens e Desertas, e do Arquipélago dos Açores.

24 de Julho - Decreto-Lei 1i.O 2'4'777, dando nova redacção ao 5 úiiico do 2rt.O 84 do Decreto-Leí 256 13, que cria, rio Funchal, o Gréniio d o i Industriais de Bordados d a Madeira.
2 5 de Julho - Decreto 2Y780, coordenarido e uniforniizarido algumas disposições sobre tasas telegráficas e altera alguns artigos do regitlameiito telegráfico iiacional, incliiiiido Açores e Madeira.

27 de Julfzo-Portaria 0274, estili uiiido o pôsto fiscal da Praça de S. bedro, secção fiscal do Furichal, da companhia n 1 d a Criiarda Fis. O cal, e habilita à cobraiiç~ do niesmo imposto d o pescado o posto fiscal dv Cais da Alfâiidega, da referida secção fiscal. 2 de Agosto - Decreto 29801, estabeleceiido novas iioriilas reguladoras da instalação, classificação e exploração das esti ções telégrafopostais do Coiitinente e ilhas adjacentes. 1 de Agosto-Decreto-Lei 1. 7 10 29833, prorrogaiido o prazo estabelecido no art.O 3.0 do Decreto-Lei 27853, que isenta de direitos de importação e de todas as imposições de caracter local, no Arquipélago da Madeira, vários artigos destinados à indústria dos bordados. 25 de Setembro - Decreto-Lei 29040, integrando no quadro geral da polícia de segurança p~lblica,os policias de S. P. de vários distritos autónomos incluindo o do Funchal. 27 de Outubro - Despachos d o Sub-SecretArio de Estado das Corporaç6es e Previdência Social pelos quais se determina que fiquemobrigados ao pagamento das cotas a

que por disposições estatutárias estejaiii sujeitos os sócios dos Siiidicatos 'Jacionais dos Empregados de Escritdrio dos Serviços de Navegação, todos os ~~~~~~egados de escriiório que trabalhem ou veiiham a trabalhar lias companhias oii agências de iiavegação em Portugal; {os Einpregados de Escritório do 31strito do Pôrto todos os enipregados de escritorio que trabalheili oii veriham a trabalhar no serviço de einpresas comerciais e iiidustriais, e dos Farmacêuticos, todos os f ~rmacêuticos que exerçam a sua actividade profíssional no Coiitineiite e ilhas. 30 de Outubro-Despacho do Sub-Secretário de Estado das Corporações e Previdêllcia Social, pelo qual se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a que por disposição estatutária estejam sujeitos os sócíos do Sindicato Nacioiial dos Profissiotiais de Cinema todos os profissioliais qiie trabalheni ou venhani a trabalhar nos serviços das empresas prodiitoras, distribuidoras e exibidores de filmes estabelecidos rio Continerite e ilhas adjacentes. 8 de Novenzbro-Despachos do Sub-Secretário de Estado das Corporações ,e Previdência Social pelos quais se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a que, por dispoçiçbes estatutárias estejam sujeitos os sócios de vários silidicatos incluindo o dos Empregados do Comércio do 9istrito do Funchal, e todos os empregados do comercio que trabalhem ou venham a trabalhar rio Distrito do Fuxhal, 23 de Novembro -Decreto-Lei 30078, exceptuando da selagem a qiie se referem os artigos 1.O e 2.0

do Decreto-Lei 2426'2, os titulos estrangeiros possuidos por estrangeiros não domiciliados no Continente e ilhas adjacentes, quando tais titu10s constituíreni objecto de simples depósito em Portugal e aqui não sejam transacionados. 23 de Novembro - Despachos do Sub-Secretário de Estado de Corporações e Previdêncía Social pelos uais se determina que fiqueni 08rigados ao pagamento das cotas a que por disposições estatutárias, estejam sujeitos os sociosdos Sindicatos Nacionais dos Empregados e Operários da Indústria de Panificação do Distrito de Castelo Branco e dos Odontologistas Portugueses, respectivamente todos os empregados e operários da índústria de panificação que trabalhem na área abrangida pelo mesmo Sindicato a todos os odontologistas que exerçam a actividade profissional tio Continente e ilhas adjacentes. 24 de Novembro-Decreto-Lei 80090, prorrogando por um ano os prazos a que se referem o artigo 6 . O do Decreto 29070 e o arto, único do Decreto 29182 (nomeação da J. N . des Lacticinios da Madeira). 25 de Setembro-Despacho do $b-Secretário de Estado das Corporaçbes e Previdência Social pelo qual se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a

que, por disposição estatutária, estejam sujeitos os sócios do Siiidicato Nacional dos Trabalhadores de Armazens de Vinhos e Oficios Correlativos do Distrito do Fuiichal todos os trabalhadores de armazéns de vinhos e ofícios correlativos que trabalhem ou veiiharn a trabalhar na área abrangida pelo inesrno Sindicato. 14 de Dezembro - Decreto-Lei 30132, coiicedeiido à Ju~ita Geral Autónoma do Funchal uin subsidio extraordinário destinado às obras de reparação e adaptação do Palácio de S. Lourenço, e abrindo um crédito para as referidas obras.

20 de Dezembro - Decreto n O . 30167, abrindo um crédito para reforço de várias verbas iiiscritas no orçamento do Ministério destinados aos serviços de segurança pública de vários distritos íncluíndo o do Funchal. 22 de Dezembro - Decreto-Lei 30214, aprovando o Estatuto dos distritos autóiiomos e a lei orgânica cios serviços das Juntas Gerais dos distritos autónomos, das ilhas adjacentes. 28 de Dezembro - Decreto n . O 30223, abrindo um crédito destinado a despesas com a polícia de segurança piblica dos distritos autónomos das ilhas adjacentes.

Indice remissivo e anotado da legislaçlio

Abaatacimento de A'guaa. Pag. 24, 25, 28, 31, e 98. A Camara do Funchai é autorisada a contrair um emprestimo para abastecimento de aguas pótaveis e canalização de esgotos, etc. Vid. Snneamento da cidade do Funchal. pelo engenheiro Adriano Trigo, estudo inserto na Revista de Obras Públicas e Minas* do ano de 1899; Saneamento da Cidade do Funchol, projecto de esgotos pelo mesmo Funchal , 1900; e Elucidario Madeirense 1-1.

Adminiatraçlo Judicial. Pag. I, 2, 4, 6, 8 e 19. Vid. El. Mad. 1-15 e 11-22 e 24 e A Madeira .na Legislaçdo Pottrrguesa.

Agricnltnra. Pag. 3, 8, 14, 46 e 47. Diversas medidas de protecção à agricultura madeirense. Vid. J u n t a Agricola
A m a de Pena. Pag. 81. Construç&odum edifício escoIar.

A luirdente. Pag. 34 -37,44, 46, Achadas da Cirr. Psg. 22.- É 48-50, 58 64, 65, 67-75 82, 83 86, desanexada esta freguesia. Vii. Porto Monis e El. Mad. 87, 90, 96 e 97. Fabrico de aguardente, seu consumo. expropriaçlo 1- 13 e 11-317. das respectivas fabricas etc. Vid. bçocar.Pag. 10, 15, 17, 19, 22, 1-2r. Açucar, Alcool e El. Ma& 31, 49, 58, 61, 67, 70, 71 74, 75 76. 78,87,90 91 e 08. Fabrico, fiscalisaAgoa., Pag. 2, 5. 6 e 21. ção e exportação do açucar madciVid. Levada.. rense etc. Vid. Alcool, Agu rdente, RegiAlcool. Pag 31, 38, 44, 58, 70, me Sacarino e Ef. Mad. 1 13.
9

.

AsiociaçHo de Socorros Mu82 e 87. Seu fabrico, fiscalisação, tuos 4 de Setembro de 1862. Pag, consumo etc. Vid. Aguardente. El. Mad, 1-30 30. Aprovação de novos estatutos. Vid E l . Mad 1-85. Alfandega. Pag. 1-8, 12, 19, 33, 44 58 73, 83 e 94. Amsociações de Socorros M a Vid. El. Mad. 1-32 e os opúscu- tuos. Pag. 30, 41 e 58. los ali citados. Assuntos Militares.. Pag 1, 3, Alienados. Pag. 24. 5, 7, 13, 14, 17, 35, 53 77, 81-83.
'Alrvilo de 1842. Pag. 6. Providencias adoptadas.

~

~ Pag 57, t

~

Auxilio Maternal Pag. 43. Ê concedido o txtinto convento das Arco de SaOJ p r p Pago 1. E Mercês para a sua inotalafão. 7 extinta esta paroquia e anexada a Vid ~ 1 Mnd. 1-95 . de São Jorge. Vi d El. Mad. 1-72. Arquivo Històrico Distrital.

Vid. El. Mad. 1-50.

Pag. 81. Condições do seu funcioBanco Figueira. Pag. 80 81, namento. 81 e 86. Diversas niedidac, estabelecendo-se a forma de liquidar os IieArma. do Munfcipio do Fun- gocios da massa falida de Heiirique chal. Pag. 92 e 95. Fixa-se a cons- Figueira da Silva. tituição herdldica das armas, bandeira e selo da Ciimara do Funchal. Banco dr. Madeira. Pag. 49, 55, Vid. El. Mcd. 1-77. t 7.82, 84-86, Y 3 e 97. Concedem-se certas faculdades para uma mais Asiles. Pa 4, 9, 10, 14. 44 e 51. proveitosa gerencia desta casa bancaria. Vid. El. dad. 1-79.

.

88. Aquisição dum prédio e nomeação de pessoal. Bsnco Rodrigues B Irmla.. Vid. El. Mad. 1-84. Pag. 52. Autorisado a emitir guiasouro. AmaociaçPo Protectora dos Pobres. Pag 24, 31 e 95. Aquisi~ãoe Banco Teixeira, Machado & alienaçiio rie bens. Ca. Pag. 52. O mesmo que o anteVid. El. Mad. 1-85. rior

Banco Sardinha. Pag 80 e 85. As~ociaçIo Protectora dos Estndantea Pobres. Pag, 24, 31 e O mesmo que o anterior.

.

INDICE REMISSIVO

ANOTADO

103

B a k o s Económicas. Pag.' 92. Caça. Pag. 39, 40 e 84. Concede as Câtilaras Municipais d o Furichal e Cainara de Lobos certas Cacongo. Paga E 10~vadoJ.J. 18. ' facílidades para a construção de ca- Roiz Leitão pela ocupação do terrisas baratas destinadas às classes torio de Cacongo em Africa. menos favorecidas Cadeia do Funchal. Pag. 3, 34 e Barbosa du Bocage. Pag. 28 40. A Câiriara 4Iunicipal do FuiiíJosé Vicente). Ao Museu N:icional chtl é zutoricada a construir uma de Zoologia de Lisboa é dado o no- cadeia cornarcã. me deste ilustre madeirense. Vid El. Mnd. 1-161. Vid. EI. Mad. 1.109. Caixa Economicr Pag. 36 Batata. (Seiliilha Pag. 77. Re- Aprovação dos estatutos da Caixa duzindo o imposto alfandegario pe- Econoniica Madeit ense la sua importação. Caixa Geral doa Depositoa. Pag. 52. Cedencia Bebidna alcoolicau. Pag. 60 e do antigo Paç:, dumas deperidencias Episcopal para a ins61. Sua importação. talação d~ Agencia da Caixa Geral.

.

.

Beni N'cíonai'* 2p 4, e Calhota: Pag. 17, 20 t? 24. Alito7. Sua venda e outras disposições. risan<lo a Miiericórdia a alienar os seus bens, desariexação B-ordadoa. Pag. 64. 66, 67, 72 algtimas freguesias do concelho, 76, 80, 91, 94, 07 e 99. Provitle11- nomeações de empregados etc. cias beneficiantlo a industria cios cem a redução do imposCiniichi, Pag- 4 0 s habitante to que recai sobre Os te- pedem a desanexação desta freguecidos destinados a esta industria e sia do CaniFo. outras medidas. Vid. El. Mad. 1-142 Camara Municipal doFunchal. pag. 13 16, 23,26 27 31,34,40, 4g, BOHcam* Pag- 1°* Estabelecimeno 47.58 e '72 Autorisando.a a contrair to de farmacias na Madeira. alguns empréstimos, concedendo isenção de direitos para o material Cabo Telegráfico- Pag, 17, 24, destinado 31 luz electrica, conctrução 38 e r)õ. duma cadeia etc. Vid. El. Mad. 1-158, Cnmara Pestana (Dr. Luis da). Pag. 24 e 26. Pensão à mãi e filho, eiii iioineiiage tn à inemoria desteilustrc madeirense. Vid EI. 112ad. 1-1'32 r: SS. Cabotagem. (Serviço de) Pag. 68.

Cireunseriçiio Industrial Pag. Caminho de Ferro Americana. Pag. 21, 23 e 26. Concedendo faci- 64. Iídades para a sua exploração. Vid. E l . Mad. 1.178. Colegíadas. Pag. 7. Vid. E1 Mad. 1-254. Caminho de Ferro do Monte Pag. 23. Colera Pag. 34. A epidemia em Vid. Et. Mad. 1.198.

Cana Sacarina- Pago 3. 9, 10 e demia Cdlerica na Madeira, pelo 19. Diversas medidas ácêrCi3 do fa- dr. Carlos de França, 191f brico do açucar. alcool e aguardente. Colonia*(Contrato de)- O antigo Vid. R.p$re Saciríno. El. Mad. e conhecido Contrcito de Colonia, 1-201 e ss. que reguia as relações entre os proprietarios das terras e os parceiros Canarias 67* agricolas que as cultivam, isto é, entre os .senhorios- e ecolonos* Capitania do Porto do Fanchal. ou ecaseiros,, não é ordenado por Pag. 17 qualquer lei positiva existente na nossa legislação, mas apenas por Carreira de Tiro. Pag. 42 Auto- um direito consuetudinário, que risando a expropriação de terrenos se vem mantendo intacto através de muitas gerações, ao meiios nas para a w a i~istalação. Vid. E l . Mad 1-225. suas caracteristicas futidamentais. Pelos tribunais teem trans tado inúCaiti Hidrogrinsa. pag g meros litipios iicêrca deste assuns Levantamento da carta hidrogrhfica to, que tanto interessa à economia do nosso arquipélago, e por dos mares da Madeira. Vid. Anais do Club Militar Na- isso deixaremos aqui indicados as vai, de Janeiro a Fevereiro de 1940. principais escritos que dele se ocuparam estatido ainda por elaboque o Csrviim de Pedra. Pag. 39 e 44. ra' Um estudo Declarando livre a exportac.o do abranja em todos 0s seus múltipu10s aspectos, segundo nos inforcarvao de pedra. rnam alguns distintos advogados, Vid. EI Mtzd 1 230 Ei-10s: Observacões sobre o contrato de colonii na Madeira, por Cjrc~lação monetiria* Paga 2. 6 , José Pereira Sanclies e Castro juiz 16, 2 e 22. de direito cla comarca ocidental do Vid- Moeda e Ela Mad- 11-148 Funchal, 1850 de ,2 pag.. a que o anotador das Saudades da Terra Ci..culo Escol*r d a Ribeira Bra- chama c mais aiitorizado escrito sova. Pag. 43 e 48. Sua criação e ex- bre o assunto; O contrato de cole tinqao. nia por João de Sant'Ana e Vas-

1916. Vjd. E1 Mad. 1-254 e ss. e Epl-

INDICE REMISSIVO ANOTADO - - --.

-

-

--

- ..

105

..

i

Confraria do Carmo. Pap. 23.

Autorisação para realisar certos rtieIhorameiitos Ira respectivci igreja.
Confraria de AI. S. das Vitoriai. Pag. 26, Aprovandc os setis eçtat:itos.

Comarca do Funchal. Pag. e 93.

73

Comercio. Pag. 5 e 6. Providen- Autorisação para coriitrair urn em* cias para acudir à decadencia do prestirno. coxilercio. Coneruas a o clero. Pag. 12-1 4 Comissão Diocesana do Culto. IJag. 15 e $5. Eiitrega d e alguiis Cooperativa de Construçào bens a essa Co~nisâo. Predial. Pdg. 38. Resolução d u m recurso. Comissão Venatoria. Pag. 39. Conaervatbrin d o registo comercial. Sua criação rio Furiclial. ComissPo d e Vinicultura. Pag Pag. 56. 67. Convento da Incarnàção. Pag. Vid. El. Mad 1-202.

Confraria do Santiraimo Sacramento (São Pedro). Pag. 26.

+

concelos, 18%; O Contrato de Colonia na Ilha d a hladrira, por João Agostinho Perry cla Cailiara Lomelino, Funchal. lSS9, de 40 pag.; Projecto de lei rcgl! lamentar do contrato de colonia ou pcrrceria ngrlcola na ilha da Madeira, por J. It.Trindade e Vasconcelos e Jobé A~itóriio de Almada, F u ~ ~ c h a1867, d e 40 pag.;Obseri~al, ções sobre a situação econoniica d a Ilha da Madeira, por António Correia Heredia Lisboa, 18S8, de 96 pag; A questdo da propriedade n a Madeira. Discurso pronunciado na carnara dos depntcdos por Manuel José Vieira Funchal, 1888, de 20 pag.; A imprensa e os tres projectos sobre colonia, venda de aguas do estado e nufononzicr da Jilntn Agricola . Furichal, 1916, de 107 pag.; O contrato de colonia na Maderra, por Pedro Pita, Lisboa. 1920, de 84 pag. Tambern se ocuparam desta importante materia as anotações das Saudades da Terra e os tres \rolurnes da Epoca Administrativa.

Companhia d e Aguardente. Pag. 27, 72, 73 e 75.
Companhia d e Seguro. Aíliança Madeirense. Pag 30, 31, 33 e 38.

Companhia d e Seguros Gsrantia Funchnlenre. Pag. 31, 43 e 52.
Comunicatõea entre a Madeira e Porto Santo Pag. 8 21, 85 e 80. Comunicaçães maritimrs c o m

...

Lisboa. Pãg 2. 7. 10-16, 18, 1 r 2 ' . 23, 32, 35, 36, 4 1 e 97. Subsidios e privilrgios concedidos a companhias de navegação para facilitar as comunicações maritimas entre a Ma. deira e a metrópole. , Vid. El. Mad. 1-263.

=5*Fe<c :
=+

-

* _+

_= a
-

-.
%*

i

22'29 e 85. E' cedido para a insta- Pagamento duma indenisação.

Iaçiio das oficinas de São José
Delegação de Turismo. Pag. 93.

Vid. Seminario da IncarnaçZo . Sua criação na .Madeira.
Convento das Mercê*. Pag. 34 Delegados do Governo Central. e 43. E' concedido à Camara do Pag. 77-82. Funchal para a construção da cadeia comarcã, sendo depois revogaDesemprego, Pag. 82. da essa concessão. Deserta.. (Ilhas). Pag. 84. E' reConvento de Santa Clara. Pag. servado aos seus proprietarios o di22, 26,39 e 59. O antigo convento reito de caça nessas ilhas. é cedido a diversas associaçlles e entidades oficiais. Distrito Autonomo. Pag. 100. Aprovando o estatuto do distrito Corporacões do Culto. Pag. 75 autonomo d r ~ Funchal. 76, e 85, Ordenando que lhes sejam entregues diversos bens e obDívida da Madeira. Pag. 88 e jectos destinados ao culto catolico. 89. Pagamento das dividas feitas Vid. C O ~ ~ S S Culto. do ~ O com a sufocaçào revolta da MaCorreio. (Serviços do). Pag. 4, 17, deira no ano de 1931. 20 e 92. Vid. El. Mad. 1.285. Vid Revoluç~o Madeira. na Emígração. Pag. 2, 9 e 10. Diversas medidas para a sua repressão. Vid. El. Mad. 1-345. Crim cerealifara. Pag. 42. Diversas medidas para a debelar. Emprenadoa do Comercio. Pag. Crisa Economica. Pag. 6 e 22. 9 e 100. Estão sujeitos a o pagamenAdoptam-se algumas providencias. to das cotas como membros dos sindicatos. Corta Ferreira. r Dr, A~itóriío Esco'in Industrial. Pag. 20, 46, Aurelio da). Pag. 6B. Pensão A viuva e filho deste distinto ,madeiret~- 57, 61, 62 e 81. Sua criação e aumerlto do numero de aulas e oficise. nas. Vid. EI. Mad. 1-290. Vid. El. Mad. 1351.

Um recurso judicial.

Cosoart Gordon & Ca. Pag. 40.

Damaso. (Josb Artur). Pag. 94.

Escola Medica. P u ~ 8, 11, 14, . 15, 18 e 33. Diversas providencias

Acerca desta Escola e sua extinção. 17. Não dependem das Juntas d e Paroquias. Vid. El. Mad. 1-354.
Eicola de Pilotagem. Pag: 45. Faial. Pag. 48 e 49. Fabrico de Sua criação junto cla capitania do aguardente nesta freguesia. Porto do Funchal. Fajã da Oveiha. Pag. 34. CriaEspirito Santo. (Capela do) Pag. ção dum lugar de notario. 54. Cedencia desta antiga capela, na freguesia .$de Camara de Lobos, a Faría e Soosa. (Padre João Vicen . uma irmandade. te de) Pag. 37. Por motivos politiEt. Mad. 1-363. ticos, é-lhe imposta a proibição de residir na Madeira durante um ano. Estação Agraria. Pag. 62 e 69. Funcionamento desta estação. Farinhas. Pag. 54, 57, 59 e 95. Regulando a sua importação. Vid. A gricnltora, JuntaAgricuIa e El. Mad. 11-25. Florestas. Pag. 21,37 e 40. Estação de Saude. Pag. 9 e 16. Fomento Industrial e Agricolr, Vid. Guarda-mor de Sauda. Pag. 27. Freguesias. Vid. Paroquias. Estado de Sitio. Pag 78. Declarando a Madeira em estado de sitio. Freitas. (Padre Carloç de) Pzg. na Vid. Wevoluç~o Madeira. 38. Por motivos politicos, foi proibido de residir pelo ternpo de seis Estradas. Pag. 12, 19, 20, 36, méses, na ilha do Porto Santo, onde 71, 74, 90, 92 e 95. Diversas mcdi- era paroco. das àcêrca da sua construção, coFrutas. Pag. 38, 96 e 97. Protemissão especial de estudos etc. ção iexportaçâo de frutas. Estreito de Camara de Lobo., Gados. Pag. 39. Regulando a Pag. 15 e 73. Posto te1efón;co e pastagem de gados. construção do cemiterio. .Exercito. Vid. Assuntos Militares.

37 e 72. Sua expropriação.

Fabricas de Aguardente. Pag ,

Fabricam Paroquiais. Pag. 15 e sentação.

Oovetnadares Civisda Distrjto. Pag. 1, 9, 10, 17, 64. 66 e 93. Seus vencimentos e verbas de repre-

Governo Civil. Pag. 3, 4, 16,

19 e 49.

Hotel Nova Avenída. Pag. 94. Isenção de direitos sobre os materiais destinados h sua construção.

Grande Guerra. Pag. 44. Na!luminação Pública. Pag. 22 e vios apreendidos no porto do Fun23. Aprovação do contrato para a chal. ilumiriação do Funchal e isenção de Gremio de Exportadores de direitos. Vid El. Mad. 1-492. Frutaa. Pag. 90, 91, 92, 97 e 99. Criando esse gremio e regulando o seu funcionamento. Imposto de Farolagem. Pag. 41. Vicl. Frutas. Sua extinção. Gremio dor Induirtriafs de BorImportos Municipais. Pag. 5e7. dados. Pag. 91, 97 e 99. Os cobrados na Alfandega do FunVid. Bordados. chal devem ser distribuidos por to-

das as camâras do distrito.

99. A sua organisação na Madeira.

Guarda. Fiacal. Pag. 28, 54,61 e

Incendios. (Serviço de). Pag. 58. Criando um imposto cobrado nt GPrda-nór de saudo. Paga 19 e Alfandega do Furichal destinado ao 52. Seu vencin~e e sua extilição. serviço de i~cendios* rito Inetrução Pública. Pag. 1, 3, 9, 10, 1 1, 13 18,25, 26 e 34. Criação

Hereus.

Hereus. Pag. 10. Associação de de varias escolas e outras providen-

Vid . Levadas.

cias. Vid. El. Mad. 1-357, 509 e 520.

Hinton & C.g. Um recurso judiIrmãeinhas doa Pobres. Pag. 50. cial. Cedencia à Junta Geral d o edificio Via. Regime Sacarino. que pertencia a essas religiosas. Vid. El. Mad. Hospício da Princesa D. Maria Amalia. Pag. 9. E' autorisada a

sua criação. Viti. El. Mnd. 1-484.
Hospital.

Isenção temporaria de direitos alfandegarios. Pag. 6, 8, 10, 24 e 27. Jôgo. Pag. 7, 75,51,83, 84, 89-91. Perrnititido o jogo c!e azar e regulando a sua fiscalisação.

Vid. filisericor-dias

.

Honpital Militar. Pag. 93. E' ccdido para a edificação do liceu. Juizes de Paz. Pag. 6. Criação de Vid. El. Mad. 1-488. Julgados depaz e seu funcinomento.

Junta Agricola. Pag. 36, 37. 40, 42, 45-48, 68 e 69. Sua criaçHo, funcionimento, sindícância, extinçáo etc. Vid E i t a ~ s o Ar ia e E[- Mad* Agr 11-23.

Dicionário Corogrdfico da Madeira, pelo Padre Fernando A. Silva, 1934. ~an a . tinção. t da ~ u e n d a ~ a gI.. Sua a-

67, 70, 73, 82,86-88, 90,93, 95 e 93. didas referentes ao funcionamento Criação da Junta, sua organisação, construção do porto de abrigo, con- desta corporação administrativa. trato com a Fumasil e indenisação Junta doa Lacticinios. Pag. 93. a esta com ~nhia, diversas medidas gcêrca do Puncionamento da inesrna Sua criaqáo. Vid. Lacticinios. Junta, etc. Vid. Porto do Funchal e os seLaboratorio Qaimico-Agricolr guintes op~sculos:Breves consideraçdes sobre os melhoramentos de Pag. 34. A sua criaçso na Estacão que carece o porto do Funchal pe- Agrária. lo engenheiro Adnano Trigo, 1912; Lacticinios. Pag. 78, S2, % e Lei Organrca d a Junto, 1014; Memoria descrifr'va e justificativa das 100. Algumas providências Acêrm obras projectada3 pelo enge- desta industria nheiro Furtado de Mendonça, 1915; Lei Organica e Regulamento da Vid. Junta dos Lacticinios. [unta Autonoma, 1Y 17: Novo Projeeio das obras do portu artificial Pag. 11, 15, 20 25, do Funchal por Francisco Antonio 34 e 35. OrganisaCão do seu quaObras do do dro de empregados, instala<ãu dum Funchol,publi=do pela Companhia hospital de isolamento etc. das Obras do Porto 1926; Obras do Vido Porto do Funchal, pareceride tres professores da universidade, 1926; b v a d a ~ P ~ L 5. 7-10. 18-231 * 4. A Questao do Porto do Funchal, reprrsrntaqáo ao governo, 1927; 27-30. 50* 56, 65 77 7Y e Documentos relativos d quesfdodo g8* Diversas medidas acCrca da porto do Funchal, 928; consinisua construção e distribuição das ç ~ do prolongamento do cais da a g ~ a s regadio, o projecto da sua o de Entrada da Cidade, pelo engenhei- venda,etc* Vid. El. Mad. 1-53e 9s. e 0 9 brr0 Rodrip.o Anibnío Machado Guique ali marães, 1933; protecçd0 do que- nais e diversos opii~c~los brn-mdr da Pontinha, pelo iiiesmo, veern 1031; Os kortos ~ a r i t i m u s de Liceu. Pag. 10-13 25, 26, 42, 53, Portugal e Ilhas Adjacentes, vol. 5.O, por Adolfo Loureiro, 1910, e 63,73, 85, 86,91 e 93 Vhriasprovi-

Junta Aotbnoma dar Obras do Junta Geral. Pag. 26-31, 36, 37, Porto. Pag. 39. 40, 43, 60, 63-65, 50, 63 65, 70. 73 e 85. Varias me-

...

dencias àcêrca da sua organisação e fiincionamento, cedencia do Paço Episcopal para 9 sua instalação, cedeiicia do Hospital Militar para a construção do novo edificio etc. Vid. El. Mad. 11.64 e SS., OS diversos relatórios dos reitores Marceliano Ribeiro de Mendon~a,dr. Nuno Silvest:e Teixeira e d r . Ange. Silva e o opúsculo Anos de Vida Escolarv do dr. Basto Machado.
Lombada dos Esmcraldos. Pag.

as despesas com a sua recepção. Vid. El. Mad. 11-107.
~ ~ camara ~ Pestana, i Paga 29 e 91. Aprovaxdo o quadro do seu pessoal. Vid. ~ 1 Mad. 11.10s e ss. . ~

Manteiga* Rg* 48, 491 55 e 82* Instru~ões Acerca da suaexportaçáo. Vid. Lacticinios e El. Mad -11,,, -113.

..

Medidas SanitArias. Pag. 47.

68,69, 76, 77 88, 91 e 93. E X ~ G priação feita pelo estado, sua ade 12t 13, ministracão nelainsneccão de f nan- 48 e 72* sua ças diçthal; vendi das terras aos Milho. Pag. 38,.42 e 80. Regiriie agricul~ores delas etc. Vjd. El. Mad. 11-71 e o opúsculo da sua importação Vtd El. Mad. 11-136. A Lom badu dt s Esrnernldos pelo Padre Fertiando Augusto da Silva. Misericòtdiar. Pag. 15-20, 22 Loureiro (Adolfo) Pag. 23. Este 23, 29.31, 36, 37, 40 55 68-7i,74, engenheiro veiu A Madeira estudar 76, S3, 85, 91 e 98. Autorisação pao regimen hidraulico e outros assun- ra alienar alguiis bens e virias metos, dos quais se acupa no livro didas de protecçiI(>,cedencia do Sa*Breves Noticia5 sobre os arquipéla- natorio dos Marriieleiros, veiida do gos da Madeira. Açores, Cabo Ver- an igo edificio do Hospital à Junta Geral, subsidio para o alacgamenta de e Canarias.. do actual eaiiicio da Misericórdia ra do Funchal e concedendo isencão de direitos para o material jm. Vid. El. hfad. 11-138 e ss., os opúsculos ali citados e os relatorios portado etc. Vid. Camara do Funchal. e Ef, das Mesas Gereiites nos ultimas Mad. 1-492 e ss. anos.

2, 71 16@ 20-22* Machieo. Pag. 7, 12, 19, 27. 55. 7i e .gl. ~i~~~~~~ medidas acerca Mandando cunhar moeda com a legenda Fecunia Mad~irensis. deste oncelho. Vid. El. Mad. 11-248 e uivloedas... e Medalhas. por Alberto Artur SarMsngin. Pag. 51. Autorisando niento.
6j

Monte. Pag. 15, 71 e 74. Entrega e 100. ConcedirVos stibsidios à Junde alguns bens existentts nesta fre- ta Geral para realisar varios meIhoguesia h corporacão dioceshna d o rzrnentos no Palacio deS. 1.ourenço. Vid. Et. Mad. 1 260. 1 culto.

Paròqtiins. Pag. 7. Criação de Monte Pio Madeirenme. Pag. 32. Autorisado a comprar um edificio algumas freguesias. para a sua instalsçáo. Vid. El. Mad. 11.164. Pamtsgena. Pag 39. Coricessão de licenças para a pastagem de ga Motins Popularem. Pag. 94 e 95. do suino e caprino. Vid. Gados. Pagamento das despezas que esses motins provocaram. PecuBria. Pag. 68, Disposições Museu de Sciencias Naturais. hnêrca dos serviços de pecuiiria. Pag. 63 e 63. Emissão dum selo postal para a criacão duni museu Peaca. Pag. 32. Inquérito sobre de nistoria natural. esta industria. Vid. El. Mad. 11-181 e ss. Pessoal maritimo da ASQandega. Pag. 44. Vid. Alfandegas. Naturalizmção. Pag. 86. Polícia. Pzg. 16, 28 37, 84 F6, Navios apreendidos. Pag. 44. 99 e 100. Fixando os venciinentos Navios alemães apreendidos rio por- da corpctraçâo da policia etc. to do Funchal. Vid. El. Mad 11-299. Vld. El. Mad. 11-470. Policia de EmigraqBo. P H ~ . 7, 36 e 37. Crízção e organisação dos serviços da policia repressiva de Obras Publicam. Pag. 5. emigraçso. Obras do Porto. Vid. Junta Autònoma daaObtas Policia Rural e Fzoreatal. P3g. 27 e 40. Aprovando r.s regulamendo Parto. tos dest 2s serviços.

PaçoEpircopal.Pag 38,39 52'53, Porto d a Cruz. Pag, 31. Posto e 66. Cedencia deste edificio para a Fiscal. instalação do liceu, destino a darao seu mobiliario etc., Ponta Delgada. Pag. 61. CriarVid. EI. Mad. 11-255. do um posto fiscal nesta freguesia. Palacio de S. Lourenso. Pag. 98
Ponta do Prrgo. Pag. 15. E' de-

Siio Vicente. Pag 25, 43 e 72. Criando uma repartição adniiiiistra40 41, 43 48, 55 e 69. Criacão deç- tiva e um partido medico etc. te concelho partido médico. círculo escolar, criação da vila etc. Secretaria do governo civil.Sua reorga~i~ação. Ribeira da Janela.Pag. 34. ConSelos P o s t o i ~ Pag. 63, 64 e 68. . cessão das águas da ribeira desse nome. Autorisando uma emissão de selos postais destinada á criação diitii no porto do Funchal. museu de historia riatiirai. Pag. 28 e 20. Selvagens. Pag. S4. Regime de reserva de caça nestas ilhas a favor Sanat&tios, Pag. 28 e 32. Içen- dos respectivos proprietario~. çãodedireitos e indenisação Com. Vid. El. Mad. 11-570 e ,<elvagens por Alberto Artur Ssrmelito. panhia dos Sanatorios. Vid. El, Mad. 11-412. Seminario da Incrrrnagáo. Pag. Sanatòrio Colonial. Pag. 43. E' 29 38, 47, 48, 66 e 8;- Ceclencia d o co- convento para a C O ~ S ~ ~ UCIO~ SeÇ O criado na Madeira um minario diocesano, cedencia deste à lonial. Junta Geral, anulacão desta ceden Santini. Pag. 13, 27 e 29. Criação duma escola nesta freguêsia. Serra de Agun. Pag. 93. Serviços SantaCruz. Pag 8, 25-27, 43, de matrizes nesta fregiiesia* 54, 75, 85, 87 e 02. Aprovando o Servi~os ~ecuarioo* Paga 68. quadro do pessoal da Misericbrdia e classificando os paços do concelho como monumento nacional etc. Scrviçor de maude. Pag. 65.

t a orgão dos revoltosos, de que se piíblicararn vinte e cinco níimeros no ntês de abril e principio de maio de 1931; Boletim Oficial (do governo revoltoso), tendo apenas saido quatro numeros; A Revolrrpelo José na Ilha da A Mornaça. A ReLavrador; e volta nos Açores e Madeíta em 1931 por Ferro Alves; e Infantaria 13 no Movimento Politico da Mndeira de 4 de Abril de 1931 (Palavras dum por Antonio Fernandes Varão, 19'2.
Ribeira Brava, Pag. 18, 28, 33,

Santa Luzia. Pdg, 58 c 76. Cedencia do passhl destri frrgiiesi:i.

Santada Serra. rao, 71 ]-)clstr, Telefonico,
S3o Psdrn. Pag. i?. Aiituri~aiido a Coiifraria do S:tntissiIiiosacraa aceitar legado*

S l o Roque do Fai.1. 71. E' anexada h freguesia i10 Faia1

Serviços Iiidraulicoí Pag. 7 e Tribunais do Trabal!ro. Pag, 89 60. Diversas providências àcêrca e 06. Sei1 estabelecimento no Fiinchal. destes serviços.
Servisoa hidro?r&ficor. Pag. gS Trigo. Pag. 29-41, 43, 44, 51, 54, Levaritaiiiento hidrográfico dasilhas 57, 72, 77, 91 e 92. Sua importaçâo, deste arquipélago. pagamento de direitos, rateio pelas fabricas etc. Setviçou , hidt a-electricoa e hidro igricolni. Pag. 98. Mandando Turiamo Vide deTu. proceder a diversos estudos. Y iom o.

xando a5 lotações do respectivoposto.

Serviços telegráficos c radiotelugtàficos. Pag. 17 30 e 55. Fi-

Vaginhsi. Pag. 96. Sua exporta-

cão.
Vigario Capitular. Pag 8. Insinuação régia ao cabido do Furichal para a ilomeação do Vigario Capitular.

Sinistrados. Pag 66 Socorro aos sinistrados do temporal de 1926.
Surprise. Pag. 5 1. Vid. Mangin.

Vimes. Pag. 48. Sua exportação. Tabaco. Pag. 1, 4. 5 17-19, 33, 40, e 49. Livre ciiltura e fabrico de pag. 31 3 4 , 39, , 44, tabaco e i r i ~ ~ o s tsobre o 51, 66, 67, 75, 8, e to importzdo d o estrangeiro. produ- 91. 58, 59, 62, 63,comercio d e viRegulalido o Vid. E1 Alad. 11 496. nlios, suz exportação, processos de Teatro. Pag, 2 e 8 Concessâo fabrico e Outras medidas* . Vid. El. Mad. 11-552 e seg. e Vido terreno para a sua cotistruç5o e r,.hos da ,vodelrn pelo conde de isenção de direitf s,,para os materiais Canavial. e:np,regados nessa constr~içio. Vld. El. Mad. 11-500 e ss. Vinhos de Pasto. Pag. 34, 58, 32, 60, 74, b5, 59 e 75. Sua importaçfio e fabrico. Pag 69-76, 81 53, 84, 80, 88, 94 e 93. Diversas medidas àcêrca da criação e fui:ciorianiento dos respectivos Viveiro de plantas. Pag. 3. Sua serviços, rede' telefónica subterranea criaqão. etc. Vid. El. Mad. 11-560. Vid. El. inad. 11-510. Votega. Pag. 79. Esse vaso de Tribunal Adminirtrativc. Pag. guerra aturida-se nos mares do Por20. to Santo.
'

.. -

INDICE REMISSIVO ANOTADO
-

-

-----

115

Zargo. Pag. 50. Concederido 0 Zona Franca. I'ag. 41. 4utari. bronze pura a sua estatua a erigir sando a criação duma zona lrniica no porto c10 Fti:iclial. iio Furichal. Vid. El. Mad. 11-566 e ss .

Advertencia - Ern601-a por* motivo estranho a vo~ztade do autor deste livro, deu-se um lapso digno de nota no Sumario da Legislação, gue se eslendr das a inus I B zoo, incluindo-se ~iêleos ,-esutnos de varios LPfrnos legisl~tivos, ue náo di ~ i a n irespsi to exclusiv~nzen~e a?-quipélago da ao fMadeit-a c que porlnnto náo deveriam a l i 3 g u r a r . Essa a?-cunsiancia /o?-nou mais longo O referrdo Sumário, mas n i o o yre judicou na sua pat-ie esseizcial, porqzdanlo o largo desen volvime?rto que se tnzprimiu ao indice remissivo e anotado corrigiu vatztajosumeiite os irrco?ivetzientes d'iqnèle lapso.

Indice Geral
I-Administração
A-Sob o governo dos donatários.. B-As Alçadas
C - Juizes de Fóra e Corregedores

da Justiça:
1

............ .....................
....

Xi
XXI

. ...

...

................... E-As Comarcas.. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ............... F-Outros Tribunais ...
D- Julgados Judiciais

XXIV

XXVI
XL

1 - Madeirenses cultores das sciencias J urídicar; 1
A-No Magistério Universitário B-No Exercicio do Fôro

Sumario da Legislação

.................

................
................

...............

XLVI I LVIII
1
101

Índice remissivo anotado

Erratas

Pag. XXXIII, lin. 5, em vez de cornarcas de Lisboa, Braga -, leia-se. comarcas de Coimbra, Braga.
Pag. XLVII, lin. 7 em vez de aproveitara um-leia-se: aproveitar ,
-

a um.

Related Interests

]Ia da Ribeira Brava, e recorridos urn antigo niinistro da 6 de Maio--Decreto, consideFazenda e W. Hintoii 8r Sons. rando com existencia legal iio Fun27' de Janeiro--Decreto, regu- chal, o depcísito de carvão da A1aiiicnt:iiido tis atribuiçoes dos pre- gência Deiitsches Hohleti Dcpot, de s ideii tes das coniissões execiitivas Hamburgo. das juntas gerai.; de distritos e câ15 Maio-Decreto, iiiaras inunicipais do Coi~tiiientee zarido deiiliportacão de trigoairtoria exótiilhas. co no Distrito do Fuiiclial. 9 de Abril-Decreto, deterini27 de iiando que iião teiilia execução o rindo para Maio-Decreto, tr~nsfeo respectivo de didisposto iio parágrafo 6 d o art.O 87 reito o julganiento das jiriz~travenCO I da lei n . O 88 àcêrca da percei~ta- ções e trarisgressões de posturas d o gein que os distritos do Furiclial, Coricelho da Calheta, Distrito d o Angr: e Ponta Delgada, têni de Fuiiclial. entregar ao Estado, coino compensação pela cobrança das distribiii28 de Maio-Decreto, aprovanções. d o o regulalilento dos serviços d e 9 de Abril-Decreto, autorizan- polícia rural e florestal no Arquido a iinportação de niais 1.000.000 pélago da Madeira. de quilogramas de trigo exótico 10 de Julho--Lei, permitindo para consumo 110 Distríto c10 Fun- às câmaras inuiiicipais das ilhas adjacentes, lançar t ~ i r iimposto sôchal. 9 de Abril-Portaria, fixando bre o tabaco importado do estrano subsídio de marcha dos funcio- jeiro oii de proúuçâo iiisuiar, seniiários da Direcção Geral de Agri- do o produto dêste iiiiposto, no cultura ein serviço rio Distrito do arquipél igo da Madeira, destinado a obras a cargo da Junta AutónoFunchâI. ma das Obras do Pôrto d o Funchal. 20 de Abril-Lei, mantendo às autoridades jurídicas *Levadas na 10 de Julho-Lei, autorizando Madeira, os direitos adquiridos s6- o govêrno a permitir nas ilhas dos bre determinadas Lias de nascen- Açores e Madeira, a caça aos coetes existeiites em prfdioç aiheios. lhos e outros roedores, durante o defèso, 6 de Maio Lei, autorizarido a tempo de fogo. sem o einprêgo de Câmara do Funchal a aplicar à armas construçáo duma cadeia comarcã o 16 de Julho-Decreto, autoriprpduto da venda de prédios pró- zando as Juiita.; Gernis dos distripnos. to do Continente e illias adjacentes, 6 de Maio-Lei, desagregando a votar em sessão extraordinária as as freguesias da Ribeira Brava, Ta- suas percentagens adicionais sôbre b h , Serra d1A'giia e Campanário, as coiitribuições gerais do Estado, respectivamente dos concelhos da relativas a 1914

21 cit) Julho-Lei, reorg~nizando o serviço (lc pilotagerii das barris e portos d o Contiiiente e ilhas adjacentes. 22 de Jlilho-Decreto, fixando o disi pira eleiqão da Câmara Miliiicipal da Rib\:ira Brava, Distrito do Fiiiiclial, e do respectivo procurddor à Junta Geral. 24 de Julho-Lei, antorizaiido o Govêrno â adjudicar por coiicurso a coiistrução e exploração dunia zona f r ~ n c a Ilha da Madeira. na 5 de Agosto-Decreto, adiando plra o dia 16 de Agosto, ;i eleição cla Criinira ERuiiicipal tia Ribeira nrava e do cornpeteiite procurador A Ju1it.i Oeral, Distrito do Fuiichal, 6 de Agosto-Portaria, estabeleceiido as perceiitagetis do rateio do trigo na Ilha da Madeira no ano cercalifero 1014-1915 20 de Agosto-Decreto, aprovarido park ser posto proviscirian~ciite e:~ec~içào, regulariieiito eiii o geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e ilhas adjacentes. 21 de Agosto-Decreto, autorizando a importação livre de trigo exótico para consumo público no Distrito do Funchal.

adjacentes, colónias portugue;zs e Brasil. 30 de Outubro-Decreto, criando na Cidade d o Funchal, tini Corisclho Regional, coni excliisiva cotiipetêiicia sôbre os negócios das associaqões de socorros rníituos. 9 de Novembro-Portaria, dando:iiiova redacção ao art. 48 do regiilariiento de produção c do coriiércio do vinho da Madeira.

I de Outulrro-Decreto, proí4 bilido a re-exportzçáo do Coiitinente, ilhas sdjacentes e províncias ultrariidrinas, para o estr~iijeiro, de zrroz, açucar, bacalliau, ceredis, leguines e rnedicanlentos. 27 de Outubro-Decreto, autotorizancio o governo a abrir concurso, segundo determiiiadas bases, para adjudicação d o serviço de carreiras de navegação p-ira as ilh ~s

2 de Janeiro-Decreto, negando proviineiito no recurso n.O 13.991 do Supreirio Tribuiial Acliniriistrativo, recorrente Tibúrcio Eduardo Heiiriques, recorrido o Conselho da Direcção Geral das Coiitribuições e Itripostos. 2 de Janeiro-Decreto, riegaiido provimento no recurso n . O 13992 do Sup: I'rib: Adm:, recorrente Fraiicisco E d ~ i ~ r d o Barros de Henriques, recorrido o Coriselho da Direcção Geral das Contribuições e Iiilpostos. 9 de Fevereiro-Lei, suspendendo no Pai40 d o Fiinchal a cobrança de Imposto de Farolage111 12 de Fevereiro-Decreto, rnailtendo a isenção de direitos de carga concedida às en~barcaçõeseritradas rio Pdrto d o Fiinchal. 23 de Fevereiro-Portaria, isentando de fraitquia postal a correspondência expedida para o Continente e ilhas adjacentes e colonias portuguesas pelos oficiais, praças de pré e iiidividuos da classe civil que constituani 3s expediçõrs lililitares às proviricias de Angola e Moçnmbique.

24 de Fevereiro-Decreto, determinando que na proibição relztiva h exportação e reexportação de pneumáticos e outros pertences de veículos automoveis, não seja abrangida a exportação e reexportacão que do Coiitinente ou ilhas adjacerites se destinar às províncias ultramarinas ou vice-versa. 27 de Fevereiro-Decreto, tornando extensivas aos nxvios de guerra nacionais, por ocãsião da sua ciitrada nos portos das colónias, as forma1i:lades fiscais em vigor, para os mesmos navios nos portos do Loiitiiiente e das ilhas adjacentes. 2 de Março-Portaria, isentando de franquia postal a correspoiidência expedida para o Continente, ilhas adjacentes e colónias portuguesas, pelos oficiais, praças de pré e individuos da classe civil que constituani as expedições militares A províncias de Angola e Moçams biqiie.
10 de Março-Decreto, determinando que para os alunos já matriculados no Liceu do Funchal à data do decreto de 11 de Setembro de 1014, seja estabelecido um período transitório de conformidade com a legislação anterior ao referido decreto.

13 de Março-Portaria, mandando que os goveriiadores civis dos distritos do Coiitiiieiite e ilhas adjacentes cumpram e façam curnprir as disposições vigeiites s6bre processos para requisição de fundos, modo de prestar as contas e pagamentos das despesas da polícia preveiitiva. 30 de Março-Decreto,
permi-

tindo a importação tempordria na Alfândega d o Funchal de fios e tecidos destiiiados a vestuário para os. feridos da actual guerra europela. 31 de Março-Decreto, coiicedendo provimento no recurso n . O 15.058 d o Supremo Tribunal Administrativo recorrente a C. E. da Câmara Alluiiicipal da Ponta d o Sol, Distrito d o Funchal. 7 de Abril-Decreto, declarando de utilidade piíblica e urgente a expropriação dum terreno na Cidade do Funchal, para construção da carreira de tiro. 16 de Abril-Portaria, mandando considerar oficiais as correspondencias, por intermédio d o correio, entre o Juiz sindicante da unta Agrícola d o Funchal e as di erentes repartições, autoridades e funcionários. 22 de Abril-Decreto, substituindo a Junta Agrícola da Madeira por uma comissão com as atribuições da mesriia Junta e da sua comissão executiva. 2 de unho-Decreto, autorizando a {unta do Crédito piiolico a pagar no Continente e Ilhas adjacentes os cupi3es da divida externa portuguesa que lhe forem apresentados para esse fim, quer vencidos, quer por antecipação, e sempre a o câmbio do dia e isentos de qualquer imposto. 9 de Junho-Decreto, providenciando, no sentido de debelar a crise cerealifera na Ilha da Madeira. 19 de Junho - Decreto, n.O 1.526, que substituiu por uma comissão a Junta Agrícola da Madei-

r'

ra, e ordena a reintegração da refe- tes: João Pestana dos Santos e uorida Junta. tros, recorridos a Câmara hlunicipal tlo 23 de Jrrnho-Portaria, man- da Silva.Porto Saiito e João Viceiite dando qiie o pagamerito dos emolumeiltos e sê10 proporcional dos 30 de Agosto-Decreto, niitoriprocessos de arreniatação de foros zando a importaqào tle 9:000.000 e beiis nacionais oii de corporaç3~; de qiiilograiiias :e trigo cx6t ico admiiiistrativaç, no Coritirieiite e no para coiisiiriio piiblico do Fuilcli 1 Fiiiiclial, s:j i feito por rneio de es- e fixariclo eni $01 por q~iilograr~la, O tampilhas colocadas e iiiiitilizadas direito (10 trigo a iiiiportxr, em virem guias para èsçe fim pasadas. tude do preceitii.tcio iio artigo I 9 de Julho l)ecreto, rejeitando d&te diplonia. o recurso N . O 13.058 do Siip. Trib. 13 de Setenzbro--?ecreto, coilAd., recorrerite a Juri~a Geral d o ce.ieiido o ~~rovirneiito recurso iio Distrito do Funchal, recorrida a N.O 15.206 do Siip. Trib. Ad., reCâmara Municipal do Funciial. corrente Alexandre d t Cuiilia Teles, 14 de Julho-Decreto, rejeitan- tritorecorrida a Junta Geri1 do Disdo Funclinl. do o recurso N . O 13.817 do Sup. Trib. Ad., recorrente o adtninistra1 de Setembro-Decreto, coii5 dor de Saiita Cruz, rworrida a vocaiido os colégios cleitordi; pnra Câmara hiunicipal do mesmo Con- o preeiichimeiito de 3 vagas de secelho. nadores lios distritos de (=oitiibra, 15 de Julho-.Decreto, negaiido Fiiiichal e Pont:i Delgada. o provimento no recurso N.0 11.750 20 de Setemúro-Lei, coiicedo Sup. Trib. Ad., recorrente a (3- dendo à Câmara Mtinicipal da Rimara Municipal de S. Viceiite (Ma- beira Brava, Distrito cio Funchal, deira) e o Dr. hlaii~iclBrazão Ma- delcrmiriados terrenos e edificios chado Júnior, rxorrido o govêrno para a construcão dos p ~ ç o s do civil do Funchal. Concelho e de repsrticries públicas. 23 de Julho-Decreto, revogan28 de Setembro-Decreto, consdo o decreto de 18 de Janeiro de tituiiido um novo circulo escolar 1911 que concedeu à Câmara Mu- com sede lia Vila d a Ribeira Brava. nicipal do Funchal o edifício d o su9 de Outubro-Portaria, autoprimido convento das Mèrces, concedendo-o ao Instituto de Benefi- rizando a Companhia de Seguros cência Auxilio Maternal do Fun- Garantia Funchalense a explorar os ramos de seguros postais e o de chal. 3 de Julho-Lei, isentando de risco de guerra iio ramo maritimo. 1 23 de Outubro-Lei, criaiido o direitos o milho em trânsito, cuja importação na Ilha da Madeira foi Sinatorio Colonial da Madeira. autorisada pelo decreto N.O 1.628. 27 de Novernbro-Portaria, a12 de Agosto-Decreto, dene- provando o regularneiito cla Jiiritd das gando o provimento iio recurso N . O A~tó~ioiiia Obras do Porto do 15.127 do Sup. Trib. Ad., recorren- F uiichal.

2 de Dexenibro-Decreto, promulgando várias providências com o fim de assegurar mais eficazmente a aplicação do alcool, saído das fábricas tnatriculadas no Funchal, com destino, à beneficiaqão e preporação de Viiihos. 15 de Dczeinbro-Portaria, aprovaiido a tabela desigiiativa de adubos agrícolas que podem ser importados de países estrangeiros e fabricados, preparados e vendidos no Continente e ilhas adjacciites.

27 de Janeiro-Portar; i , dclermin indo que sejatn entregues isentas cle franquia as correjpondências expedidas por iiiterniédio do correio para o Coiitinente e illias adjacentes, pelos oficiais, praqss e indivíduos d a classe civil que constitueni o corpo expedicioiiário à Fraiiça.

6 de Março-Decreto, requisitando para serviço do Estado 4 navios crlemães surtos no Fuiichal. 13 de Março-Decreto, maiidatido proceder 20 arrolamento do viiiho e azeite existentes no Continente e ilhas. 5 de Abril-Lei, perniitiiido que parte do trigo que o Govêriio está aulorizlndo a importar possa ser despachado com destino à, Ilha da Madeira. 17 de junho-Lei, aumeiitando com um maquinista e dois fogueiros, o quadro do pessoal rn.irítitiio da AlMr~dega do Fuiichd, sendo igilal número de empregados clas mesmas cate orins dirninuido no quadro da ~ J k i i d e ~ a Lisboa. de 23 de Julho--Decreto, declaraitdo livre a ex ortação do carvão tle pedri para rgditecimento de vapores nacionais ou estraiijeiros, nas ilhas adjacentes. 29 de Setembro-Decreto, aiitorizaiido a importação d e 10.000.000 de quilogramas de trigo exótico no Distrito do Funchal.

I I de Maio-Portaria, autorizaiido o Asilo de Meiidicidade do Fuiichal a veiider uma propriedade rústica e uns foros. 23 de Maio-Decreto, fixando os portos, taxas e sobretaxas a que ficatn sujeitas temporàriameiite as eiico!iienclas postais permutadas eiitre o Co~itiiieiite ilhas adjacene tes e entre estas. 1 dc Agosto--Lei, perr?iitiiido olide e conio as comissões vetiatórias o autorizem, e desde 15 de Julho, a caça às rolas e abetardas em todos os distritos do Contiiierite e ilhas adjacentes. 24 de Agosto-Decreto, estabelecendo o regime a que devern subordinar-se as transações sobre cereais e outro; géneros de primeira riecessidade produzido; na ilhas adjaceiites. 29 de Agosto-Portaria, esclareceiido algumits duvidas suspeitas hccrca da lei, i1.O 754, qiie permitiu a caç t Zis rolas e abetardas em todo o pbís e ilhas adjecentes. 4 de Setembro-Decreto, elevaiido a 60 dias, etnquanto subsistir 3 escassez e irregularidade de coriiunicaç6es para as ilhas adjaceiites, o prazo fixdcio no decreto de 30 de Setembro de 1912 para a entrega

dc;s re iierimeiitos dos escriturários das a$iii~!egas, solicitando adiiiissão ao cxri:lie para segiiridos aspiraiite; d o quadro geral aduaneiro. 5 de Sctcrnbro-Lei, autorizarid o o Gov.:riio a conceder o direito ao exciiisivo da iiistalaçào iio Contineiitc ou rias illias adj~ceiites, de iiovos processos industriais qiie iiáo sejam cxecutaclos no país.
22 dc Setembro-Decreto, desigriaiido os dias para as eleiç6es das câmaras iiiunicipais, juntas gerais d o distrito e juntas de freguesia no Coiitiiicnte e ilhas adjacentes. 13 de Novembro - Decreto, prorrogaiiclo o prazo fixado iio decreto 32M para termo do curso legal lio Coiitinente e iliias adjxcentes, das mordas de prata de Luís I. 14 de Nov~mbro--Decreto, criando uma Escola Elenieiitar de Pilotagem aiiexa à capitziiia do Porto d o Fuiichal. 16 de ivovembro-Decreto, facilitaiiuo o tratanieiito sai~itário das embarcaçõtli, portuguesas que entrarem iio; portos d o Coiitineiite e ilhas adjarerites, durarite o estado de guerra. 30 de Novernblo - Decreto, aprovnncio i org~iiiizaçãogeral dos serviços dos .departamerilos maritiirios, capi:-iiiias dos portos e respectivas d clegações d o Contineiite e ilhas ad! icentes.

Continerite, illias adjacentes e arquipélago de Cabo Verde. 27 de Dcncrnbi o--Decreto, e jtabcleceiido n forma de eleiqão dos reitores ?os liceus do Coiitiiientc c iliias íidj~ceiites. 28 de Dezembro-T lecreto, su*;pendendo até iilterior resolução a execiicão d o decreio n." 2640, que aprovou a orgariização geral do,; departanientos nlarítitnos, capit<i riias dos portos e respel:tiv:is dclcgações do Contiiieilte e ilhas adj Lcentes.
20 de Janeiro-Decreto, cri<iiid o i i a i Majoria Geral da Armada, 1111ia secção especial denoitiinarla Comando Ceiltral íle Defesa Rbrítima, que terá a seu cargo a direcção e fisca1izi;ão de todos os serviços de defe;n marítiiii~. iio Contineiite, ilhas i.;ljaceiitçs e drquipelago de Cabo Verde. I de Março-Decreto, dissolveiido a Juiita Agrícola Ya illadeirii, restabelecendo a Direcqiio da.; Obras Píiblic l.s d o Funchal. 33 de Março--D:creFo, cletermiiiaiido que o-,portes dc correspoiidêiicias origiiiárias do Coiitinenlc e ilhai e dostiiiadas a qiillq .icr cl9,s províiicias uitrarnariiiiç portiigutguesas sejnni igualados aos que se per cobrem pelas coi~respon(1êiicias niutadas iio Contiiiente z eiitre êstc e as ilhls adj:~cectes. 6 de Abril-Decreto, deteri~iiiiaildo que os goveriiadores civis d o Coiiliiieiiie e ilhas adjacentes pos saiil, por alvará, alterar a actiial Jivisão eleitoral lios coriceliios do respectivo distrito e críar novas as-

L0 de ~Iezeu~bro-Decreto, criando 1i.i Majoria Geiieral da Ariiiada util i ~ecçãoe ;pecial denoiiiiiiada Coniaiiclo Ceiitral de Defesa Marírirna, que terá a seu cargo a dirwçao e iiscalizciçao de todos os serviços de defesa maritima, no

sembleas eleitorais ou seccões de ineiem ein cada uma das fregueiias voto de harrnoiiia cqin o, reqiiiiitos do Coiitiriciite e ilha; adjncerites, pirn isso fix itlos iio ;irt.O 47 da lei comissõe ciicarregadas de organiri." 3 e e ~ t a b ~ l c co fori~iato 1 ts z:ir o rcr:eiiseaiiiento de todos os e c inlistas ])Ara a elt.ição que se realiza iiidivíduo; que iião trahallien~, vestigaiiclo ris c.iii;as que justilitio dia 28 dc Abril. qlieni a .,i13 i;ituayão. 8 dc ADI il---Decreto, Loriiniido :iplic.;ivcl i orgaiiiza<iio I~iiicioiia21 dc Scfc.rrzbro- De(-reto, inc.1110 c f i ;calização tl,tr; i laixn, do subsi!!iii ,(lu a coinissão adniiiiistraCréclito Agricolx hliítiio e d 1s siias tiva ericar;egada de dcsetnpeiihar as Fetleraqões que se iiistitiiirelii lias funçoes qiie à extiiita Junta Agricoillias adjacentes. Ia da Madeira foram coiiferid is pela I I dc Abril-Decreto, isciit ,iido lei e reg~ilaineiitosem vigor. de dircilos e clas reipcctivas sobre19 dc Outnbro-Jjecreto, fixaii1isab; os maiitiriieiito; p.irn coiisii- do o abono da ajucla de custo diámo iio ;i110 mar foriiecitlos A y iiais- ria aos ciiefes clas divisões léciiicas qiicr ii .vios ctc guerra r)c.iLeilceiitcs direcções d o hlinistéa iiaç(>:i ~lincl~is eiitr.irciii iios das diferci~les que rio da porlos cio Coiitiiieiite e ilhas adj i- iiiarcha Agricultiira e o subsídio de dos fiiiicionários cclites tluraiite o estado de guerra. tes d o iiicsmo IVlinístério,depciideriein servi27 de Abril-Decreto, torii,iii- ço lia Ilhs da Madeira. do aplicavel i s ilhas adjdceiltc; o 22 de Outubro-Decreto, criaiidisposto iio art.O 4 do decreto 4037 iricunibida de àcèrca da proc1ani::ção do Preiideii- do uiiia coiiiissãocoordenar todas coligír, e:;amiriar e as te da Républica. ilifor:iiações relativas aos bens e iii14 de Mnio-i>ecreto, cleterrni- terèsses privados dos portugueses iiando que as fábricas de distilação existeiites eni território ininiigo ou rla Illix da Madeira fiquem obriga- por èle ocupado, e aos d o iiiimigo das a dar por concluido o fabrico lios territorios do Continente, ilhas de agiiard~rite,iio ario sacariiio, lo- adjacentes e colónias. go que terminem a laboraç50 da 23 Outubro-Decreto, caiia qde exista dentro da.; Iiiesmss bindo de exportação d e sabão proia para fábricas e proibe o trâiisito da caiia o estraii jeiro, tornando dependente sacarina dos concelhos fabrís para qualquer dos concelhos d o Pôrta de autorização da Direcção Geral do Coiiiércio Externo a sua saída do Moiiíz, S. Vicente e Saiitaiia. pira o ultramar e ilhas adjacentes. 8 de Junho-Decreto, criando 26 Outirbro-Decreto, manna Escola Industrial, iio Funchal a tendo de iiúmero actual clas comaro X1 disuipliiia, lii-igua iiiglèsa, proposta pelo vogal da Juiita Geral, cas de l.a, 2.a e 3.a classe e iiicumSr. Cl:.los Bettencourt da Camara. biiido o Conselho Superior de Magistratura Judicial de propor a clasI 1 de Jrrnho--Decreto, deteriiii- sificação que tiver por iliais justa em iiaiido que os governadores civis e relação a todas as coniarcas do admiiiistradores do concelho no- Contiiiente e ilhas adjaceiites.

31 de Oufiibro-Decreio, abririd o uni crédito de 655.277368 ])ara pagamento dos vencimentos e gratificaqões do pesso.il docelite, adiiliiiistrativo e iiieiior dos eitaheleciiiientos liceais d o Contineiite e ilhas ;idjaceiites. 31 de Outubro-Decreio, tititorizaiido a C. M. do Fiiriclial a ticspender a quaiitia de 50.000800 eiii iiecessiirias desiiifecqões e outras iiiediclas higi6iiicas que liie sejaiii iiidicados pela Jiiiita Distrital tlc Higiene e pelas autoritladcs sdiiitárias. 28 de Novembro-llccreto, equiparaiido os subsídios dc residência dos oficiais das classes auxiliares em seíviço nos depart.iiiieiitos, capitanias e delegação niaritiiiia d o Continente e ilhas adjacentes, aos oficiais de niariiiha eni serviço activo. 29 de Dczetnbro-Decreto, aprovando a iiov:i classific @o das comarcas do Contiiiente e ilhas adjacentes, de liarinonia coiii o dis. posto no decreto nO 4020.

25 de Fevereiro-Decreto, dissolvendo a coiiiissão adiiiiriistrativa, iioiiieadii pelo decreto r1.O 4830, para deseinperiliar as fiirições que coinpeti.iiri à Ju1it.i Agrícola tia Madeira, e eiicarregd outra tlc gerir o fuiido constituído pelo iriiposto de fdbrii.ação de agu;irdeiitc no Distrito do Fiiiichal. 11 dc Abril-1 lecreto, fixando o dia para ;i rcaliza~iío(Ic eleiqfies de Scn;iclorc;, Deput'tdos, Jiintas Clerais, Cririiaras Mu~iicipaise Juiitas de Freguesia, no Contiiiente e illias adjaceiites. 2 de Maio-Decreto, autorizaiid o a C. A. da C. hl. F. a levantar d o furido especial de einpréstiriio para o saiieainento da cidade, a quaiitia indispensavel para o pagaMadeira Electric i tiiento da dívida ? Lighting C.O, pela iluiiiiriação da cidade. 10 de Maio-Decreto, estabelecendo o horario de trabalhadores e empregados do E.itado, das corporações adiiii~iistrntivas e (10 comércio e indíistria, iio Continente e ilhas adjacentes.
10 de Maio-Decreto, aprovand o a organização geral dos serviços dos departamentos rnarítinios, capie tanias de ~iortos respectivas deIegações cio Continelite e ilhas adjacentes. 10 de Maio-Decreto, aprovando o regulaiiiento d o serviço de faróis do Continente e ilhas adjacentes e as respectivas iiistriições anexas. 27 de Maio-Plecreto, coiisideraiido sem efeito o tlccreto de 24 de Maio de 1013, que fez a cedência à J. G. d o Distrito do Furichal,

3 de Janeiro-Decreto, determinando que a todo o pessoal da armada que serviu lia extinta Divisão Naval de Defesa e Instrução, Coinando Central de Defesa Marítima, serviços de vigilância e defesa da cdsta de Portugal e ilhas adjacentes e eni Cabo Verde, e na coniissão de aprovisioriameiito de tropas, seja concedida uma medalha comeriiorativa. 7 de Janeiro-Decreto, indicanas designações que passaiil a ter os liceus do Continerite e ilhas adjacentes.

(10 Edifício do extiiitq seminário e :;CUS anexos. 31 de Maio-Decreto, alterando portes e taxas da.; (liversas clasies de corres;,o~ideiicia postal i ;>~i-iiiiitlr deiitro cte cad-, colbiiia, o i i tlc iinii colóiiia para o l i t r ~ e , eiitrc as colónias c i iiietrtipole c. illias ac1j;iceiites. 31 de Maio -Decreto, perniitiii(10etii 1019 aoi culti~~adores cade ri,i cl i freguesia (10 l'aizl, Ilha da Madeira, disi'ilar de conta pról1ri.i a cd11a que iião possa ser adqiiirida pelas ftíbricas de agiisrdeiite da niesiiia freguesia e proíbe o tr3iisito dc cifl~a sacariiiii de cju.ilqtier polito da II!ix tla Madeira pira a freglicsiri (10 F:iicil. 12 de Junho-Decreto, regularizando, a sitiiação dos fiiiicionários que serviaiii lia antiga Juiita Agricola da Madeira. 12 de Junho-Decreto, proibiiido ciii 1919 no Distrito d o Funchal o fabrico de iiielado ou mel de engeii tio.
8 de julho-Lei, deterininando que a fregiiesia de Nossa Senhora do Monte, CoricelIio tio Funchal, p.~ssc a coiistitiiir tinia asse~iiblea eleitoral, com osta com os eleitores da niesma gegiiesi.i. 12 de Agosto-Decreto, cedeiido defi~iitivameiite J. G. Distrito I? do Funchal, o edifício do extiiito seniinário da iiiesnia cidade. 20 de Agosto-Decr~to, regularido a cobrança do direito d e carga liquidado aos iiavios vindos aos portos do Contiiiciite e ilhas adjacentes. 25 de Agosto-Decreto, crian-

do, com destiiio á Câm ira Municipal d o PGrlo Santo, i i i r i iiiiposto sobre a cal preparada, iinportacla pela f1lfândeg.1 d o Fiiiic!~ rl. 4 de Scfcnzbo-Deci.\,to, traiisferiiido a sccle d o círciilo escolar da Ribeira Rrdvd para n cid:.ide do Fiirichal. 12 dc Novcrnbro-9ecrd0, deterininarido que a esport8is:áo devergs ein bruto da Ilha (1i Madeira para o estrdiijeiro e beiii assiin a respectiva rcc:<portação I 10s portos do Contiiieiite para qiialquer destino fiquerii dcpcndeiites de liceiiqa especial do Ministério tlo Coriiércio e coniiiiiicaçõcs e siijeitas ao pagarnento da sobretaxa dc $20 por cada quilogratiia, aléip clos direilos jb estabelecidos na l~gislaçáoeizi vigor. 27 de Novembro---Dccrcto, rnodificando os portes e préiiiios das correspondencias permutad.is entre o Coritiiioiite e as illias adj.iceiitcs e possessões ultrailiarinas porliigiiesas . 27 de Novembro --Portariai, alterando os preços rnáxirnos estabel lecidos para a riiaiiteiga naciori~t ou importada, vendida iio Colititieiite, e fixando o preço miniriio por que deverá ser paga, sos fabricantes, a mariteira que for requisitada para corisunio lias ilhas (10s Açores e da Madeira.

20 de Janciro--Lei, dispeiisarido nos distritos adininislrativos das illias acijacentes, a reg~ilainentação da lei, n . O 234, que autoriza as respectivas câinaras niiiiiicipais a laiiçar uni iinposto de $50 por qui-

lograma sobre o tabaco iinportndo tabelecida pelo art.0 n.O 6521, que do c ,tr;trigeiro ou prodii:lido lias rcglilarizou o reziinc sncariilo na mesrnls ilhas. ilhx da Madeira. 2 dt) Mnrp--Decreto, 111 i~irtaii7 de Jrrnho-Portaria, mandxntlo proci.der :i11 1;)20 rio rcc?ii.iel- (10 iiianif,?si na IJirecçrio Geral d o ir i!ienio grrdl r l s !,oi~ktlaçàu Ou!i- c :omércio Agricola, tod is as quwido iiiiente e illia; adjlceiitrs. t idades da rnaiiteig* exportada das dos 18 de Março-Portaril, autori- i l h ~ s Açores e d~ Madeira. zaiido a Misericórdia do Furichal a 1 de Julho-Decreto, regulaiido allquirir tima por;ão di. terreiio e o sorteia de vogais efectivos e supequeii.ts casa; 1)róxirnis do s ~ uplentes dos Tribunais Arbitriis de hospital. 13resid6iicia ~ocial, cuji 6.a e 7.a 9 de Jbril-Decreto, regulando Circuiiscrição em Asigrn do Heroiso coiisumo do açucir das colóiii-ts mo e Funchal. c da Ilha da íi'ladeira. 6 de Agosto-Decreto, orgàni14 de 14bril-Dt.c;et~l, co.iceden- zaiido os servicos da secretaria d o tio o beiiefício rio tra!aiiieiito esta- Governo Civil do Futichal. belecido no 4rt.O 4 d i l e i i1.O 146, 21 de Agosto-Decreto, orgaà cascadura nacio,i.ii ou nícionalias zada que tenha s:rv;do ao acondi- iiizando em tocl.4~ capitanias de cioiiaiii~iitode UVL;,mosto, viiihos distritos do Coiitiiientc e ilhas adjiou s r ~ derivaclos, exportado; para centes, juiitas médicas c delegddos s as proviiinias ultr~mariiias portu- da junta de Sariid ide Escolar. guesas, q~iaiidoreg;esse ao Coiiti22 de Agosto ---Decreto,fixdiinente ou illi .s adjaceiite;, uma vez do o prizo para despaclio de géiieque seji arm ida sob fiscalizição e ro; al;meiiticios desigi1a:ius iio artia su-, idzillificação se po-- COIISI- go 7.0 do decreto n.* 6456, que deguir plenarnoiitz. rem entrada nas alfândegas do Con27 de Abril-Pecreto, permitin- tinente e i l h ~ s adjiceiites e nos d o aos culiivddores de cai13 sdcarr- entrepostos do Parto de Lisboa. na d~ freguesia d o Fa.al, da Ilh t da 3 de, Setembro-Decrzto, autoMadeira, a destilar por coilli pró- rizando o Banco d i .Madeira, do pria, a quantidide de ciiict e.ice- Funclial, a emitir guias-ouro. dente à que pelo respzctivo riteio 2 de Novembro-Decreto, procornpzte adquirir no fabrico de videnciirido para que se coiicluim ,ig,~ardente uessa fr-gu:;.a, a j operaçaes de lançamento, das 14 de Maio-Decreto, regiilaildo contribuiçõe; d o Est~do,as qulis o processo das fó1h.i~do ve.icilnzn- t?!n de ser adicioiiad is as percento dos juizes e delegldo; clcti Pro- tagens do imposto especidl muriicicuradores da Repúblici d ts comar- pat, com ciplicação ao pagmiento c3s do; 12çores e Madeira. dss despesa; com o; vetiçiineiltos e 5 de junho-Decreto, iiicluiiido gratificafão, cio essoal do ensino a freguesia do Porto do Moiiiz, na primário lios digrentei concelhos zona norte da Ilha c ! ~ !\tadeira, e5- d o Continciite e ilhas adjiceiites, a
,j

fim de que nos prazos le ais se proceda a cobrança das referidas contribuições. 9 de Dezembro-Lei, regulaiitlo a veiida, rias cidades do Coritinente e ilhas adjacentes, de artefactos de ouro e de prata, reltjgios de algibeira, pulseiras e siiiiilares.

4 de Fevereiro-Lei, aiitorizaiido o govêrno, a coiiceder o bronze necessário para o rnonumeiito que a Juiita Geral do Distrito do Funchal pretende erigir iiuiiia das praças publicas daquelc?cidade, zni tiomenageiii ao glorioso iiavegador loão Goiicalves Zarco. 4 de Março-Lei, concedendo aos iiiilitares que prestarim serviço durante o estado de guerra na defesa do Cainpo Entricheirado de Lisboa L cidades do Funchal e Ponta Delgada, idênticas vaiitagens ás que forain coiiccdidas pelo decreto i1.O 5799, ao pesso.il da armada, encarregado da defesa iii~ritirna,designando a legenda da ~iiedalhacoinemorativa das campaiilias do exército português, a que se refere o decreto n 5086. * O . 31 de Março-Publicação, tornando piiblicas as tabelas de portes de correspondêricia postais a expedir do Contiiieiite e ilhas adjacentes desde 1 de Abril para os colónias portuguesas e países estranjeiros, excepto Espanha. 28 de Abril-Decreto, prescrevendo as petialidades a aplicar aos contraventores do estabelecido na Portaria de 12 de Dez. 1012, que detern~iiiouo assinala~ileiitodas arniações de atum lias costas de Por-

tugal e ilhas adjacentes, quer de dia, quer de noite. 4 de Maio-Decreto, reforçando a dotação destinada ern 1920-1021 às levadas da Ilha da Madeira. 4 de Maio- Decreto, regulamentando as condiçaes de trabalho das fábricas de distilação de aguardeiite iio Distrito do Funchal. 24 de junho Portaria, indicando a constituição do tribunal de arbitramento de valores para os casos em ue, quando haja contestação de v8orcs para base de importação de mercadorias tributaveis a d valorem, nas alfândegas insulanas, o respectivo director seja parte no processo. 9 de Julho-Edita1 d o Comissariado Geral dos abastecimentos, determinando que o comérciode nianteiga de produção nacional, tanto das ilhas adjacentes como d o Continelite, seja livre para os irnportadores que a solicitem. 23 de Agosto-Decreto, cedendo 2 Junta Ger;tl do Distrito do i Fuiichal, o edifício deriominado das Irmãzinhas dos Pobres. 6 de Setembro-Decreto, determinando que as mercadorias procedentes ou originhrias da Noruega paguem nas alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, ciiico vezes os direitos e sobretaxas de importação que lhes coiiipetirem, e que os navios da mesma nacionalidade paguem eni quintuplo as taxds do iiiiposto de coniércio maritinio quando entrem nos portos port ugueses. 10 de Setembro-Portaria, modificando o artigo do regulamento sobre a circulação de automoveis,

de 27 de Maio de 1911, na parte relativa às comissões técnicas das circunscrições Açores e Madeira para inspecção e exânic de automoveis e condutores. 27 de Sefernbro-Portaria, niaiidando corisirlerar pelo miiiistério do Comércio e Coniuiiicaçõ~s, com as classificações, categori~s,horários e dotação do pessoal coiistarites da respectiv~ lista, as ei:ações centrais telegráficas, radiotelegráf icas, etc, compreeiididos na mcsina lista, do Coiitiiietite e ilhos adjacentes.
12 de Outubro-Decreto, publicando as tabelas de portes de correspondèiicias postais a expedir do Continerite e ilhas adjaceiites, desde 1 de Novembro, pdrà as COlónias portuguesas e paises estrangeíros, excepto Espanha.

16 de Novembro - Decreto, transferindo unia verba de um para outro artigo do cap. 15.O da proposta orçamental de 1021 - 1922 [ara pagamento de salários aos traalhadores adventícios das alfâiidegas de Lisboa, Pôrto e Furichal admitidos extraordinàriameiite.
17 de Novembro-Decreto, fixando os direitos de importação a pagar por determinadas mercadorias e artigos que rio prazo de cinco anos, a partir -de 1 de Janeiro de 1922, forem importados pelas alfândegas do Coiitiriente e ilhas adjaceiites. 24 de Novembro-Decreto, determinando que os direitos de importação sejam pagos em ouro na sua totalidade no Continente e ilhas adjacentes, à paridade de 4$50 por caiia- libra esterlina, exceptu-

arido as mercadorias iio mesmo decreto merícionadas. 30 de Novembro-rlecrcto, coticedendo nas alfândegas das illiaj adj .tentes, arniazeii ibcni às iiiercadorias iiacionais ou iiacioiializliclas de procedência coiitiiieiital ou irisiilar, coni excepção das ii~encioiiada; nos !].Oe 1.O, 4.0 e 3.O do art.O 377.O do decreto 1i.O 4560 de 8 Jiilho cle 1018. 33 de Novembro-Decreto, regulameritaiido o coniércio dos trigos produzidos na Ilhi da Madeira e iios Açores. 7 de Dezembro-Decreto, abrindo um crédito especial de 12.000$00 para paglirneilto da despesa coiii a recepçào do general fraiicê Maiigiii e sua comitiva, na missão i~icumbida de trasladar do Fuiichal para França os restos mortais dos tripulantes da Surprise. 21 de Dezembro-Decreto, autorizando tio Distrito do Funchal, a importação de 8.000.001) quilogramas de trigo exótico, selido o rateio de $001 por quilogi-ama, para o ano cerealifero 1021-1922.
24 de Janciro-Decreto, fixandu o aumeiito nieiisal de ajuda de custo de vida pard os faroleiros e mecâriicos faroleiros do Contirle~ile e ilhas adjacente;. 25 de Janeiro-Portaria, autorizaiido a Coniissão Adrniiiístrntiva do Asilo de Mendicidade do Funchal a veiider unia propriedade rustica e urbarix que possui iio sítio do Pilar, freguesia de S. Martinho. 1 de Fevereiro - Docu~nent~, em que os Governbs Portuguê

Franc$s acordaiii àcêrca da impor- da referida Estacão ilgrícola, h qual tação eiii Fr:nça de iim conlingerite fica, tambeii~, provisoriairieiite sumelisal de 5.009 hectolitros dr vi- bordinado o serviço da policia riiral nhos d o Parto e dx Madeira, achr- e florestal. do válido por 6 meses. 21 de Abril-Decreto, fixando 4 de Feveiro--Decreto, prorro- o dia 4 de Julilio de 1022 para regando até 31 de Alarço de 1922, petiç2o da eleição de Seiiadores nas comarcal; d ~ Ilhas das Flores e pelo Dis-rito do Fuiichal, na Ass de S. Viceiite, !lha da htzdeira, o semb1e;i. prili!:íri i (Ie Câinarn de prazo a quc se refere o artigo 58 Lobos, sòii~eiit? ai-a os candidntos d o Código do Processo Cori~ercixl, César 13rocol)io tle Freitas, Vasco contando-se a partir daqiiel i d ita Crispiriialio Urt Silva e Ma~iuelde todos -o; demais prazos reldt ivo; ao S U LI~ RSIZAO. S recense?~eritoe eleiqão de jurados 24 de i13ril - l'ort iria, autoriCotnerciaIs. z ~ r i d oa Coinp;iiiliia clc Seguros 17 de Fcverciro-Decref o, divi- *G lraiitia F~iiiclialeiise~ coiii sede dindo o Coiitiiiriite e illias adjaceii- iio F:iiichal, a reforiiiar os seus estes em quatro circuiiscrições para a tatiitos. execiiçâo do inquérito sdbre o esta5 dc Mnio--Portaria, mai~dando, coildição e iiecessidades da ind o que os juizes de direito e deledi1stri.i. da pesca. 9 de Março-Decreto, cedeiido gados do Procurador da Repiiblica lias cciii~arcasdo Coiltiiieiite e ilhas à Caixa Geral de Depósitos o titu- adjacente;, iio niês tle Outubro de lo definitivo para iiistalação durna cada alio, enviem tiirectameiite ao Filial lia Cidade d o Furichal, a ald Conselho Superior judiciário, iiioriental do edifício d o aiitigo Paço Episcopal da mesma cidade, me- forn~açõe;sôbre a compêtencia proEissio~ial e idoiieidüde diante a iiiiportâiicia ou iiideiiiza- oficiais de Justiça, seus moral dos subordiriação total de 12.000$00. dos. 22 de Março-Decreto, autori16 de Aiaio-Portaria, autorizando a firma bancaria Teixeira, Machado 8r C.0, do Funchal, a emi- zando a Confraria d o Saiitis~inio Sacrarneiito da freguesia de S. Detir guias-ouro. dro, da Cidade d o Funchal, a aceiI de Abril-Decreto, exting~iin- tar o legado de met-:ide duns ped o o lugdr de guarda-mor chefe da quenos tratos de terreiio, situados Estação de Saude d o Firnchal, que a S. João cla 'Ribeira, da mesma ficou vago por óbito de João de freguejix, que lhe foi deíxaclo em Freitas da Silva. testaineiito por Aiitoiiio da Silva 3 de Abril-Decreto,. cleterriii- Santos. 3 do Jullzo-Decreto, autorinando que a eitação Agricola da (4 Região da Aladeira seja imediata- zando 'i firiiia baiicàris Rodrigues mente subordiiiada à Direcçâo Ge- Irn~ãos 8r C:.", d o Fuiichal, a enliral dos Servicos Agrícolas. O nies- tir guias ouro iios terinos do demo decreto regula o fuiicionaniento creto n.0 4.133, de 18-4-1918.

6 de Oufu bro--Decreto, reguO de Julho - I?ecreto, dando unia iiova composição ao quadro laiido a me lho ri^ de veiicirnenlos a (ia. 2." Rep~rtiçãoda Direcqão Cre- conceder aos f u iicioilários das alrxl clos Serviços adii~iiiistrativos d o fâiiciegas do Coiitiiieiite e ilhas Exército, e deteri~iiiisnclo que xs adjaceiites e a demais pessoil :io aifâiiclegas. delegaqões da referida Repartição serviço das rcferid~s eni cada unia d ~ cidades do Funs 7 de Oufrrbro-Decreto, rectificftal, Aiigra c Poiit I Delgada voldecreto tcni a ter a coiiipo:;ição e i'uiiçoej cando o de 1922. supra, de 6 de deterininadas iio artigo 172.O e seus Outubro paragrafos c i i organiz.,cão c10 exer10 dc Orrtzlbro--Lei, redilziiicito rnetropolitctilo de 23-5-911. do de 4.500$00 a verba (!e 22.000$ 22 de Jlillro-- Decrelo, deternii- inscrita iio czp. O, arLO76.0 da tdriando que 8s mercadorias coiis1:iii- bela orçdt~ieiital cio Miiiisrériu de tes tla tabela ariexa a sste decreto I. P. autorizada pdra o ano ecoiiófiquem sujeitltç, na exportaqão o ~ i mico de 192?-023, com aplicação re-exportaçiio (le Port~ig.11, Madrirír ao pagdniento cle reiidas e111 dívida e A~ores, pari o estraiigeiro, :io pelo Liceti Central de Jaiiiie Moniz, yagariieiito ciar sobre t ~ x a s cspeci- no . Fli!!clial, e inscreveildo rio c tp. r\is lia niesilia Íabeld indicadas e 32.O, art. 96, da tabela de despesa y tie scjdi~lcobr~das iiidepeiideiite- extraordiiiária do Miiiistério para o niente das que nesta &ta vigoram citado ano ecoiiótnico a verba de 4 de Agosto-Lci, coiicedeiido 17.500$00 p ira pngainciito da ce2 viuv,i e filhos do rriadeirense Dr. ciêiicia do corpo do edifício do aiiAntoiiio Aiirélio tia Costa Ferreira, tigo Paqo Episcopal do Fui.ich,--1,a ex-director til Casa Pia de Lisboa, fiiii de se iiistalar defiiiitivanieiite o com sobi-evivèiicici de uni para oii- referido liceu e para custearnento tro, a peiisão anual de 3.600$00, de diferentes obras de apropriaçâo de paga eni d~iocléciniose autorizaii- do iliesrno edifício e aquisi~ão c10 o gclvêriio a fazcr ri traiislada- iiiaterial didáctico. $30 para a melrópole e por conta 20 de Outubro-Portaria, autodo Estado, do cadavcr do malogra- rizaiido a Saiita Casa da Misericórdo madeireiise. dia do Futichal a veiicler virite obri24 de Agosto-Decreto, cedeii- gações da Compaiihia Geral do do defiiiitivamei~te, ao coiiselho Crédiro Predial Portuguss e apliadniiiiistrativo do Liceu de Jaime car o produto de verida h conipra Aloiiiz, da Ciddde d o Fiiiichal, para de iiiscrições de asseiitamento da iiislalrrção do mesiiio estabelecimeii- d ívicia pública portuguesa. t6 de eiisino, o ediiício do aiitigo 24 de 0ut:lbro --Portaria, perPaço Episco~~al. mitindo que o transporte de pas2 i dc Setcrnbro-Decreto, cle- sageiros e ttiercddorias coni destirio C sigri iiiclo os c ias para as cleições às ilhas adjaceiites seja feito por 1 das câmaras niuiiicipirs, jui-it,is gc- iiavios cstraiigciros até deterriiiiiarais clc ciistrilo e jiiilt,iç de fregue- çâo eiil coiitrário, e inseririílo vàsia 110 Coiitiiieiite e lias illias acljri- rias outras providcricias respeitaiites entes. ao niesnio assunto.

29 de Novembro-Decreto, inserii~do composição e distribuição a do pessoal d-i guarda fiscal nos batalhões e comp :iihizs rias ilhas, cuja tabela IV sc refere à Companhia i1.O 1, no Funchal com 1 subalteriio, 1 prinieiro sargento, 2 seguiidos snrgentos, 2 priineiros cabos, 3 segiiiidos cabos, 45 soldados, 1 soldsdo moiitado; lia secção Machico: 1 priiileiro cabo, 2 seguiidos cabos, 6 soldados; e na secção do Porto S~iiio:1 primeiro cabo e 6 soldados. 2 9 de Novembro - Portuia, cedendo, a titulo precário e grdtuito, para o exercício do culto católico píiblico à confraria da Ordem Terceira de S. Francisco de Assis, da freguesia de Câmara de Lobos, concelho da mesma deiiominação Distrito do Fuiichal, a capela do Espirito Santo, da referida freguesia, coiistruida pelo descobridor da 1lh.i da i,!a&ira, João Gonsalves Zarco, em 1430. 2 9 de Noventbro-Rectificação ao decreto n.O 8409, que regula a nielhoria dos venciiilentos aos f u ncionários e demais pessoal das alfândegas d o Continente e illias adjacentes 16 de Dezembro---Decreto, autorizando, sob determinadas condições, a Câmara Municipal do Concelho de Saiita Cruz, Distrito do Funchal, a demolir a cosiiiha do edifício da residência paroquial da freguesia de Gaula, do mesmo Concelho.
,

Coricelho da Calheta e comarca da Ponta do Sol, Distrito do Fuiichal. 8 de Janeiro-Decreto, cedendo a Juuta Escolar do Coiicelho do Fuiichal, o terreiio do aiitigo passal d o pároco da freguesia de Saiita Luzia, no mejmo Coiicelho. 13 de Janeiro-Lei, declaraiido livre a importação de farinhas e trigos iio Distrito do Funchal e proíbindo a exportaçào e reexportação de farinha e reexportação de trigos do iiiesmo distrito. 2 6 de Janeiro-Portaria, deterniiiiarido qiie qualquer resolução toniada pelo goverriador civil de qualquer distrito do Coiitiiiente e ilhas adjacentes sobre a aplicação de penas disciplinares, coiisignadas no decreto de 4 de Outubro de 1860, aos actores. empresarios e directores de teatros e mais espectaculos públicos que contr~vieremas disposiçõss legais, tenha execução devidamente comuiiicada, eni todos os distritos da metrópole. 3 de Fevereiro-Decreto, coiicedendo a todos os cidadãos que tomaram parte nas operações de defesa da costa de Po~tugal ilhas e adjacentes em Cabo Verde uma medalha comemorat iva com a legenda *Cabo Verde 1917-1918.. 19 de Fevereiro-Decreto, modificando as cotas valorizaveis e percentagens fixadas iias tabelas anexas ao decreto 8409 e no art.O 2 do mesmo decreto, que regula a rnelhoria de vencimentos a conceder aos funcionários das alfandegas do Continente e ilhss adjacentes e ao demais 8 de Janeiro-Decreto, criando degas. pessoal das referidas alfânum lugar de notário coni sede na 22 de Fevereiro-Decreto, de!freguesia da Fajã da Ovelha; do

terminando que com residêiicia oficial em Angra d o Heroismo e junto d o Comando Militar dos Açores haja uni tenente-coroneI ou niajor do serviço de admiiiistraçio militar, o qual terá a seu cargo nâo só as inspec~ões administrativas às unidades aquarteladas nos Açores, como também às que teiihnin a sua sede na Ilha da Madeira. 27 de Fevereiro-Lei, criando o adicional de 2 por cento sobre todos os impostos cobrados pela Alfândega do Funchal, destinado ao Hospital da Saiita (àsa d n Misericórdia do Funchal. 2 de Março-Decreto, toriiando extensivas às filiaís eni Lisboa d o Banco da Madeira, do Fiirichal, a permissão para emitir guias-ouro. 27 de Março-Decreto, determinando que as pautas de importação e as respectivas instruções preliminares, anexas a êste decreto, entrem em vigor no Contiiiente e ilhas adjacentes, no dia 20 de Abril de 1923. 31 de Março-Portaria, deterniinando que a faculdade concedida pela portaria 3452, ao governador civil de Lisboa, como inspector geral dos teatros, dentro do seu distrito, seja também dada a todos os demais goveriiadores civis do Continente e ilhas, em referência aos trabalhadores d e teatro, quaiido como tal emigrem. 3 de Abril-Decreto, coiisiderando de 3 classe os concellios da O . Ponta do Sol e Ribeira Brava, no Distrito do Funchal. 12 de Abril-Edital, inserindo várias disposições relativas h exportação de manteiga do Distrito d o Funchal.

19 de Abril-Decreto, determinando que em todas as capitais de distrito, alem de caniarote e frisa, destinada à autoridade que preside ao espectáculo, sej:i pelas respectivas eiiiprêsas destinado outro cariiarote ou frisa ao governador civil. 27 de Abril-Del,reto, autorizaiido que a Filial do Banco Colonial Português a abrir na Cidade do Funch~il possa einitir guiasouro. 2 de Maio-Decreto, fixando o dia 17 de Junho de 1923 para a realização da eleição da Câmara Muiiicipal do Concelho de Macliico, Distrito do Funchal, que Iiavia sido aiiulada. 12 de Maio-Lei autorizaiido o Govêrno a modificar as tabelas 1i.O 8 e 0 à lei n.0 1039, de 28 de Agosto de 1925, elevaudo a 1$25 o quantitativo da4abela n.0 8 igualando a gratificação de serviço do Parto e Serra do Pilar à de Lisboa e reduzindo a $03 a actual diferença entre as mesmas gratificações eni Lisboa e ~ioutras localidades do Continente e illias adjaceiites, da tabela nO 9 . . 14 de Maio-Decreto, fixando o dia 24 d e Junho de 1923 para a realização das eleições de vereadores da Cimara Mutiicipal da Ponta d o Sol e d e procuradores à Juiita Geral do Distrito do Furichal, no niesnio concelho. 28 de Maio-Decreto, regulando os vencimentos liquidos mensais dos faroleiros e niecânicos faroleiros CIO Conti~ientee ilhas tes

.

2 de Junho-Decreto,

dia 15 de Julho de 1023, para a repetição das eleições de vereadores da Câmara Municipal da Poi~tad e Sol e tle procuradores a Junta Ger11 d o Distrito do Fiiiichil, no mestiro conceli~oe aiiiilaiido o decreio 1i.O 8820, que fixava outro dia para a realizaçao das meiicioiiadas eleiçi3es. 5 dl! Junho-Decreto autorizando a coiistituir-se definitivamente o Banco Português do Continente e ilh~is, coiii séde ein Lisboa. 5 de Junho-Decreto, aprovando o regulamanto d o Pôrto artificial d o Funchal. 26 fie julho-Despacho ministerial, tornando extensiva aos cantoiieiros das levadas da Madeira, a i~iellioria vencimentos coiicedida de aos caiitoneiros dos serviços hidrárrlicos. 25 de Agosfo-Decreto, determi~iaiido que o concurso para provitiieiito de aspirantes existentes no quadro da Direcção Geral das Contribuições e Iinpostos se efectue perante as Direcções de Finanças dos distritos cie Lisboa, Coinibra, Porto, Funcilal !e Poiita Delgada no dia que fôr fixado pela D. Ci. das Contribuições e Impostos.
25 de Setembro-Decreto, extingui~idodiversas sub-regiões agrícolas, incluindo a do Funchal, e promulgando várias disposições relativas aos serviços agronóinicos. 29 de Setembro-Decret o, deteriniiiaiiclo que nas comarcas de Coímbra, Eraga e Funchal, os serviços referentes aos actos do registo coiiiercial sejai~i de;anexados das secretarias dos respectivos tribunais d o comércio.

29 de Setembro -- Publicação, rectificaiido o decreto 1i.O 0143 que deterniiiia qiie lias coiriarcas de Coímbra, Rrag,i e Func-hal, os serviços dos actos dt regisio coiiiercial sejam desaiiexados tlas secretarias dos respeciivos tribui~di-; de comércio. 4 de Outnbro-Lei, declarando que a elegibilidade a que se rei'cre o art.O 6 da lei eleitoral ]ião diz respeito a f uncioiiàrios que exerçam cargos cuja acção se esteridx a todo o território da Repúblicx ou simplesmeiite da ~i~etrópole ilhas adjae ceiltes. 18 de Outubro-Decreto, dctermiiiando que possaili ser requisitados ein comissão, para o Miilistério das fiiianças e para a Direcção gerdl de Coiitribuição e Iinpostos, os fuiicionários civis e militares, julgados suficientetnelite idóneos, dos diversos miiiistérios, que desejem prestar serviço, nesta i?. G. e nas Repartições que dela dependeni no Contiiiente e ilhas adjacentes. 3 de Novenlb~w---Decreto, iiiseriiido a tdbeía dos vencimentos nieIhorados líquidos do pessoal dos governos civis do Loiitinente e ilhas adjacentes. 6 de Novembro-Decreto, fixand o as datas do pagamento cla indemnização pecuniária e do coiiiêço e conclusão das obras de coristrução dos edifícios das escolas primárias do eilsino geral da freguesia de Saiita Luzid, Coiicelho d o Fuiichal, no terreno cedido pelo decreto 8370 à Junta Escolar d o referido concelho. 13 nove ri^ bro-Decreto, esclarecendo dúvidas sobre ii apliciqão do deteriiiiri-,do no art.0 4 do decreto

8868, que regulou os vencimentos líquidos merisais dos faroleiros e mecânicos faroleiros do Continente e ilhas adjacentes. 13 de Novembro-Decreto, fixando o irliposto a pagar pelos trigos e fariiihas exóticos importados na Ilha da Madeira.
15 de Novembro-Decreto, elevando ao triplo as taxas do imposto do comércio marítinio para os navios de nacionalidade f rancêsa que entrarem nos portos do Continente e ilhas adjacentes e determinando que as mercadorias procedentes ou originárias de Frdnça paguem nas alfândegas do Contiiiente e ilhas adjacentes o triplo das taxas da pauta maxima que actuamente Ihes competem. 26 de Novembro-Decreto, determinando que fique revogado e serii nenhum efeito o decreto n O 9236 que fixava o imposto a pagar pelos trigos e farinhas exóticos importados na Ilha da Madeira. 30 de Novembro-Decreto, determinando que a regència da disciplina de principias de física e quírnica e noções de técnologia da Escola Augusto de Aguiar, do Funchal, continue a ser confiada a um professor privativo, que fará parte do corpo docente. 5 de Dezembro-Rectificação ao 1i.O 55 do art.O 5703 (Orgaiiização geral dos serviços dos departanientos marítimos, capitanias dos portos e respectivas delegações d o Continente e ilhas adjacentes). 6 de Dezembro-Portaria, tornando, a título provisório, extensiva à coniissão técnica de inspecção e exames de automoveis e condu-

tores da circunstrição da Madeira o paragrafo úníco do Art.0 12 do regulamento sobre a circulação dos autornoveis, aprovado por decreto de 27 de Maio de 1911. 10 de Dezembro-Decreto, reduzindo o quadro do pessoal da secção hidráulica do Funchal. 10 de Dezembro-Nova Publicação, rectificada do decreto 0283, que reduz o quadro pessoal da secção hidráulica do Funchal. 11 de Dezembro-Dois decretos n . O S 9287 e 9288, autorizando respectivameute o Banco da Madeira, com séde no Funchal e o Banco Coniercial de Lisboa, com séde em Lisboa, a modificar os seus estatutos. 11 de Dezembro-Decreto, inserindo várias disposições sôbre eniissão de guias-ouro para pagamento dos direitos aduaneiros em ouro e sôbre a exportação e re-exportação de mercadorias produzidas em Portugal continental, Açores, Madeira e nas Colónias.
7 de Janeiro-Decreto, extinguindo, com o arecer favoravel da Procuradoria &era1 da Republica, todos as auditorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes e o Supremo Tribunal Administrativo. 7 Janeiro-Nova publicação d o decreto n.0 9340, que extingue as auditorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes e o Supremo Tribunal Administrativo. 8 de Janeiro-Decreto, suprimindo os cargos de administrador do coiicelho no Continente e ilhas

adjacentes, e determinando a forma de prover êsses lugares. 8 de Jaueiro-Decreto, extinguindo 50 coinarcas do Continente e ilhas adjacentes. 15deJaneiro-Decreto, promulgando as iiistruções para execução do decreto 5402, que regulou as indústrias de fabricação de açucar e alcool de cana sacarina no arquipélago da Madeira. 23 de Janeiro-Portaria, fixando as lotaçaes dos postos radiotelegráficos de Faro, Parto e Funchal. 7 de Fevereiro-Decreto, discrirninaildo os lugares de guardas que ficam extintos em váríos liceus do Continente e ilhas. 22 de Fevereiro-Rectificação 9310 ao artigo 4.O do decreto noO que extingue as auditorias adrniiiistrativas do Continente e ilhas adgaceiites. 8 de Março-Decreto, anulando os decretos n.OS 8370 e 9218 emque cedia à Junta escolar do Concelho do Funchal, terreno do passa1 do paroco da freguesia de Santa Luzia* 10 de Março-Lei, criaiido sôbre todos os impostos niunicipais cobrados dela Alfândega do Fuiichal o adicional de 5*/,, destinado â reorganização de incêndios. 27 de Março-Decreto, proibindo, provisòriamente, a entrada na região vinícola da Madeira aos vinhos de pasto do Continente com graduação superior a 1 2 O ceritesimalS. 27 de Março-Decreto, determinando a forma do rateio do alcool para tratamento dos vinhos da Madeira pelas fabricas que a êle têm

direito no ano matricular de 1924. 10 de Abril-Portaria, homologando a fusão de duas associaç6es de socorros mútuos com sede no Fuiichal. 14 de Abril-Lei, fixando em 60:003 decalitros, anualmente, a quantia de aguardente que em conjunto podem produzir as fábricas existentes no Distrito d o Funchal. 16 de Abril Decreto, rnadificando as taxas da retribuição dos servi.;os extraordinários que forem prest.idos pelo pessoal do quadro interno aduaneiro em serviço ria Alfândega do Funchal. 19 do Abril-Decreto, modificando as taxas da retribuição dos serviços extraordinários que forem prestados pelo pessoal do quadro interno aduaneiro em serviço ria Alfândega do Funchal. 19 de Abril-Decreto, elevando ao dobro, na parte aplicavel à Alfândega do Funchal, as baixas do tráfego constantes da tabela que faz parte do decreto n.O 9483. 30 de Abril-Portaria, modificando a equivalência d o fraaco-ouro para a fixação das taxas a aplicar aos livros nacionais impressos em português, procedentesdo Continente ou ilhas adjacentes, com destino a proviiicias ultrarnarínas portuguesas e expedidos por paquetes portugueses. 2 de Maio-Decreto, fixando as taxas postais a aplicar aos livros e fascículos de obras literárias ou científicas, impressos em língua portuguesa e editados em Portugal, permutados no Continente e ilhas adjacentes por intermédio do correio.

7 de Maio-Decreto, determinando que careçam de prévia confirmação do Govèrno, para que posssiii ter execução, os coi:tratos de artistas de nacioiialiclade estrangeira para qualquer género de espectáculo público a exibir rio Coiitiriente e ilhas adjacentes.
11 de Junho-Decreto, deterniinando qiie a entrada de vinhos de pasto de qualquer procedêiicid na região vinícola da Madeira sórnerite seja permitida quando engarrafados e destinadas ao consunio local. 1 4 de Junho-Decreto, declarand o nulas e sem efeito a cedência dos terrenos e edifícios do suprimido Convento de Sta. Clara do Funchal feitas à Câmara Muriicipal, à Associação Auxilio Maternal e à Misericórdia da mesma cidade.

19 de Junho-Decreto, proibiiido a expartação do casulo do Continente para o estrangeiro, ilhas adjacentes e colónias. 19 de Junho-Decreto, permitindo no Distrito do Funchal a exportação de farinhas produzidas pelas fábricas de trigo exótico. 26 de J u n h o - h e t o , esclzretendo as dispmi@es da lei n.0 1368. aue remodelou o repime tributi;io; na parte e'n quese trata da contribuição industrial devida pelas sociedades ou emprêsas que, tendo a sua sede no Continente 011 ilhas, exerceu a sua actividade nas colónias portuguesas. 27 de Junho-Decreto, prolbilid o a saida do Continente e ilhas adjacentes de tôda a moéda nnciona1 e estrangeira. 27 da Lunho-Publicação, recti-

ficando o decreto n 9870, que . O proíbe a saída do Coiitineiite e ilhas adjacentes de toda a moeda nacioiial e estrangeira (iiletálica e em riotas). 1 de Jzrlho--Decreto, iilaiiteii<!o eni pleiio vigor o art. 20 e seus paragrafos do decretn ri.* 5403, que regula o exercício das iridústrias de fabricação de açucar e de alcool de caiia sacarina do arq~iipélncro da Madeira. 3 de Julho-Decreto, pertnitii~do a itnportação, inediarite fiança idoiiea, de materiais metálicos destii~ados à moiitagern de embarcações de tráfego local dos portos do Coiitinente e ilhas adjacentes, liquidaiido-se os respectivos direitos depois de concluídos 4 de lulho-Decreto, alterando as multai impostas pelo regulameto aprovado pelo decreto n.O 7502, sôbre a fiscalização das fábricas de aguardente da Ilha da Macieira. 7 de Julho-Nova publicação, rectificando o arLO4 do decreto i1.O 9900 que regula a situação dos magistrados judiciais e do Ministério Piiblico, a aue se referem os artigos 2 e 3.; do decreto n 9340, . O . O que extinguiu as auditorias do C0ntinelite e ilhas= 26 de Julho-[)eclaraFão de qiie a doutrina d o despacho de 2l de Janeiro de a que a de'la'a~ão de 25 de Jiiiilio de é aplicavel às juntas gerais dos distritos de regime ' autoliórnico de Ponta Delgada, Angra e Funchal. 3l Julho-Portaria n.O 4153, pernlitlsdo a eiitrada região vin icola da Madeira. e conseaiieritemente o respectivo'despachÔ, tanto
'

do vinho que se encontra alfandegado no Funchal como de 150 pipas da Adega Regional de Torres Vedras aue deverão ser ainda despachadas. 4 de Agosto-Lei, autorizaiido as juntas gerais dos distritos do Continente e ilhas adjacentes a cobrar, durante o número de anos que f6r julgado necessário, uril inlposto adicional à contribuição industrial paga para o Estado pelos contribuintes dêsses distritos. 28 de Agosto-Decreto, determinando que todos os navios que entrem em qualquer dos portos do Continente e dos arquipélagos da Madeira e Açores com excepção dos de Ponta Delgada e Hortx, paguem umi taxa de navegação. 29 de Agosto-Portaria, proibindo a entrada no Arquipélago da Madeira, de aguardente e alcool simples procedente de território português ou do estrangeiro. 29 de Agosto-Decreto, revogando o decreto n.O 9283 que constitui o quadro do pessoal da secção dos serviços hidráulicos d o Distrito do Funchal. 3 de Setembro Lei, autorizando a Junta Autónoma das Obras do P8rto d o Funchal a contratar a construção dum parto artificial naquela cidade. 8 de Setembro-Portaria, tornando extensiva às bebidas alcoólicas, não especificadas, a proibição de entrada no Arquipélago da Madeira. 10 de Setembro-Portaria, aumentando de duas telefonistas o niímero de telefonistas da estação do Funchal.

15 de Setembro-Décreto, determinando que a fiscalização das fábricas de aquardeiite na Madeira, fique provisorianiente a cdrgo da Direcção da Alfândega do Funch~l. 25 de Setembro-Decreto determinando que os exames autorizados nos ternios artigos 200.O e 201.0 do regulamento aprovado pelo decreto n.O 7558, possam realizar-se nos liceus do Funchal ou Ponta Delgada, quaiido os requerentes residam na Madeira ou Açores. 9 de Outubro-Decreto, determinando que as disposições do decreto n.0 10.046 não sejim aplicaveis aos navios que entram nos portos da Ilhz da Madeira, que continuarão a reger-se pela legisllição anterior no que diz respeito às taxas de navegação. 8 de Novembro--Decreto, estabelecendo as normas a seguir para determinação de capacidade de laboração das fábricas de destilação na Madeira. 17 de Dezembro-Portaria, revogando pelo que respeita às bebidas alcoolicas estrangeiras, não especificadas, a portaria n.a 4.102, que torna extensiva às bebidas alcoolicas não especificadas a proibição de entrada no Arquipélago da Madeira, consignada na portaria n 4180 . O

7 de Fevereiro-Decreto, modificando os artigos 1 1 , ~ e 93 do 91 regulamento geral das capitanias, serviço e policia dos portos d o Continente e ilhas adjacentes, de 1 de Dezembro de 1022. 18 de Fevereiro Rectificação h

-

portaria n.O 4350 que revoga a portaria n.O 4192, sobre a eiitrada de bebidas alcoólicas não especificadas, no Arquipélago da Aladeira, na parte ainda não revogada pe1.i porraria 1i.O 4.315. 4 de Março-Portaria, estabelecendo quais as eiitidades oficiais que de\.em passar os certificados referidos iio art.O 18 do decreto 1i.O 10.340, corno delegados do Laboratório de Patologia Vegetal de Viríssimo de Almeida, para as iniportações ue se façdm pelas alfândegas da Ilha da Madeira e Arquipklago dos Açores. 24 de Março-Decreto, revogarido o n.O 2 da portaria 11.0 3.332, que permitia o transporte de merdorias com destiiio à Ilha da Madeira, à navegação estranjeira. 18 de Maio-Portaria, criando iim posto fiscal na freguesia de Ponta Delgada, Concelho S. Vicente, Distrito d o Fuiichal. 23 de Maio-Portaria, promulgando várias disposições relativas à eiitrada de aguardente, alcool e bebidas alcoólicas, não especificadas, 110 Arquipélago da Madeira. 25 de Maio-Circular aos reitores dos liceus d o Contineiite e ilhas, declarando terem sido, por despacho ministerial de 22 de Ma10 de 1925 feitas várias determiiiações sôbre admisão a provas de alunos a exame. 9 de Junho-Decreto, regularneritarido a lei, 1i.O 1770, que estabelece o regime da indústria d o fabrico de fósforos no Continente e ilhas adjacentes. 9 de Junho-Decreto, determinando que as professores provisó-

rios dos liceus d o Contii~ente e ilhas, que por qualquer motivo sejam exo~ierados náo possairi ser admitidos a liovo coiicurso seiião passados dois anos, pelo meiios, da data d i publicaqâo do respecti\*o diploma de esoiieração. 24 de Jnnfzo-Decreto, iiitroduziiido várias alteraçíjes ii;i pauta dos direitos da importação e sujeitando os assíicares, importados no Arquipélago da Madeira aos direitos estabelecidos para o Contineiite pelo presente decreto. 26 de Junho-Rectificação d o decreto n.O 10.864, que introduz várias alterações na pauta dos direitos de iriiportação e sujeitos os assúcares importados rio arqiiipélago da Madeira aos direitos estabelecidos piira o Continente, pelo mesmo decreto. 30 de Julho-Decreto, abrindo urii crédito de 7.200.000$, a inscrever ila despesa extraordinária da proposta orçamental do Miiiistério para 1023-1926, em iiovo capitulo e artigo, sob a rubrica de: despesas inerentes à aquisição, importacão e veiida d e fósforos no Contitinente e ilhas*, devendo igual iniportância ser descrita lia- receita extraordinária. 11 de Setembro-Decreto, convertendo em escola industrial e comercial, a Escola Industrial de António Augusto de Aguiar, d a Cidade do Fnnchal. 22 de Setembro-Decreto, designando dia pzra as eleições gerais de deputados no Continente e ilhas adjacentes, para os de Senadores dos distritos que foram opor-. tuiiaiiieiite sorteados e para os das juntas gerais de distrito, câmaras

municipais e juiitas de fregijesia. 19 dc Seti mbro-Decreto, aprovando o regul~inentogeral do serviqo de pilotagem das barras c portos d o Contiriente e i l h a adjacerite;. 30 de S Lfcrnbrc;- Rectificacão da data do decreto 1i.O 11.103. 2 de Outubro-Decreto, fixa];do os cursos <i professar na Escol.4 Iiiduslrial e Comercial de Antóiiio Augiisto de Aguiar, do Fuiichal. 10 de Outubro-Decreto, fixdndo o preço legdl de venda ao pablico, lias ilhas adjacentes, de cada caixiiiha de fósforos belgas.

c i d caiy<i!iha quareiit~ fósforo; ~ de de procliição iiacioiial. 8 d~ Dezembro-Decreto, deiermiriando qiie poisaiii ser recoiihecidos lia região viiiícola da Madeira quaisquer tipos de vinhos espumosos, e perrnitiiido a esportação dêstes ~itilios pelo Porto do Fuiichal desde que às garrafa5 seja aposta nos rótulos a desigriâção de: aViilho esy unioso*. 16 de Dezenzbr o--Decreto, determiriâiido que a i iiiassas aliinentícias que do Arqnipttlago da Madeira seguiram sobre regime de cabotagem para o Coiitiiieiite ou Arquipélxgo dos Açdres fiquem ali sujeitas à taxa consigiiada ila 29 de Outubro-Decreto, de- pauta ri?íiiirna de iinportação para terniinando que todas as mercado- esse; productos. rias originários dos portos tlds ilhas adjaceiites e que teiihani de ser transportadas para os d o Contiiien9 de Março-Circular aos reitote ou qiie tenham de ser, tiestes, res dos liceus do Continente e ilhas baldeadas por S? destinarem a por- àcêrca d o intervalo entre o 3 . O e 4.O tos estranjeiros, so posslm ser transportadas em navios riacioiiais. tempo de aulas, para refeição dos alunos. Fixa, também, este decreto, a taxa 10 de Março-Decreto, promulde cais para os produtos da agricultura das ilhas adjacentes que forem u~iiido as instruções para a execucarregados em navios de nacionali- Eão do regulameiito constante d o decreto 11.300 (coiidições em que dade eslranjeira. poderão ser concedidas as licenças 19 de Novembro-Decreto, re- para sair d o Continente, ilhas adjavo,qsndo o decreto nO 9340, que centes e colónias para o estranjeiro, . extinguiu o Supremo Tribunal a individuos sujeitos ao serviço rniAdmiiiistrativo e todas L s auditorias litar ou aos que, por dêle haverem te administrativas do Contii~en e sido isentos, tetiliam obrigações triilliaj adjacentes. Reduz, tambéni, butárias a cumpri r e regularização êste decreto, o liúmero das audito- da situação militar dos maricebos rias administrativas. residentes no estranjeiro). 10 de Março-Nova publicação, 7 de Dezembro-Uecreto, fi. xando, dum modo geral, em mais rectificada, do decreto nO 11.496 $05 sôbre o preço de veiida iio que promulga as instruções para a Conti~iente, preço legal de venda execução do regulairiento constaiite o ao pfilico nas ilhas adjacentes, de do decreta na011.300, sobre licen-

2 de Julho-Decreto~ organizando a Junta Autónon~adasObras d o Porto d o Fullchal, criada pela lei n-" 897 de J,q[ho-Estatistica comparativa dos rendimentos cobrados em várias circunscrições aduaneiras, incluíndo o Funchal. 12 de Julho-Acordão do S. T. Administrativo, em que é recorrente Egídio Torcato Rodrigues e recor. 27 de Maio-Decreto, reduzin- rido o auditor administrativo d o d o ?+ categoria de nacional o Liceu Funchal.

ças para a saída do Contiiierite, ilhas adjacentes e colóriias, para o estranjeiro, a individuos sujeitos ao serviço militar oii aos que, por dele haverem sido isentos, tenham obrigações tributárias a cumprir e regu1arização das situação militar dos niaricebos residentes i10 estranjeiro. 16 de Abril-Decreto. n.O 11.584, mandando proceder ao arrolamento de gados das diferentes espécies nos distritos administrativos d o Funchal, Ponta Delgada, Aliora d o Heroismo e Horta. 17 de Abril-Rectificação ao decreto supra i1.O 11.584, de 16 Abril. 22 de Abril-Decreto, determinando que seja feita uma emissão especial de selos da Madeira para a criação dum museu público de História Natural no Arquipélago da Madeira. 28 de Abril-Portaria, amplialid o as disposiç6es da portaria nO . 3.093,sÔbreotransportedernobilia d o pessoal transferido para serviço em terra quer no Continente, quer nas ilhas adjacentes. 19 de Abril-Decreto, autorizalld o aos exportadores inscritos no registo, a que se refere o art.O 27.O d o regulameiito da produção dos vinhos da Madeira, a do alcool suplementar necessário para poder ser elevada a graduação aiCdliCa dos mesmos vinhos destinados ?+ exportação até 21 graus centessimais. 25 de Maio-Portaria, fixando as taxas e as cores dos selos postais Para deira e Açores. no COtitinentei Ma-

Central de Jaime Monís, no Funchal.
28

DE MAIO

ECLOSÃO DA IIEYULIIÇÀO NACIIONAIi
à substituiçâo do vo al Sr. Dr. josé

29 de Junho-Despacho

re13tivo

Pinheiro Mourisca IjUnior, da comissão nomeada para proceder a U l l l illqUerit0 à Junta Authnoma das Obras 40 F~~nchal* 30 de Junho-Decreto~ determinando a forma do laiiçaiiiento da taxa compkmefltar da contribuiÇ ~ Oindustrial nos distritos autóno"0s de Angra, Funchal e Pciiita Delgada, aos estabelecimentos cuja sede não esteja situada em qualquer dos referidos distritos.
*d~Ju~ho-AcordãodoSu~reTribunal Administrativo Acerca recurso 18.1591 em que é recorrente o Ministério Público e recorridos: a Junta Geral do Distrito d o Fuilchal e josé Rufiliofiolisalves.
rio0

13 de Julho-Decreto, dissolvendo todos os corpos admiiiistrativos do Continente da Reptiblica e ilh:is adjacentes. 20 de Julho-Decreto, deteriiiinando, que o engenheiro chefe da 7.a circii tiscrição iridtistrial exerça as fuiições de presideiite da cornissão técnica da fiscalizãção do regime sacarino da Madeira. 27 de Julho-Portaria, deterniiiiando que a comissão nomeada para inquerir dos actos e contratos relativos à J. A. O. Parto do Funchal, circunscreva o seu trabalho ao exâme dos actos e coiitratos relativos à concessão do exclusivo das obras e exploraqão do referido pôrto, substituindo um. membro da referida comissão. 27 dc Jrflho-Estatistica comparativa dos rendimentos cobrados em virias circunscrições aduaneiras, incluindo a do Funchal. 2 de A osto Decreto, fixando o dia 6 de 8utubro de 1926 para o primeiro dia de afixação obrigatória do sêloespecialda Madeira, criad o pelo decreto n . O 11.603, em substitulção do dia 1 de Agosto citado iio artigo 1.0 do mesmo decreto. 3 de Agosto-Despacho, concedendo licença ao oficial d o registo civil de Machico, Sr. Jiilio Ferreira Cabral, da Ilha da Madeira. 19 de Agosto-Portaria, fixando as taxas a aplicar às conversações telefónicas entre Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Ponta d o Sol e Calheta, dá Ilhada Madeira.

4 de Setembro-Decreto, pondo em vigor o decreto 9340, extinguin-

do as audítorias administrativas do Continente e ilhas adjacentes. 9 de Seternbro-Decretos 12286 e 12287, periilitiiido a irriportação do regime drnwback, de tecidos de sêda e de liriho importaclos iia Aifândega do Funchal coni destino a serem exportados depois de bordados, na Ilha da Madeira. I 1 de Setembro-Decreto n . O 12305, autorizando a ~xportação para a Madeira e ilhas dos Açores, dos sub-produtos do trigo provenientes do regime estabelecido pelo decreto i1.O 11432. 2 0 de Setembro-Decreto, aumentando a verba orçamental para despesas de representação do governador civil do Funchal. 8 de Outubro-Decreto, criando no Coiitiilente eilhas adjacentes uma taxa dc soberania colonial. 8 de Outubro-Portaria, adiando nara 25 de Outubro de 1926 a data de abertura dos liceus no Coiitinente e ilhas. 12 de Outubro-Decreto, determinando que, para cumprimento do O . disposto no 5 1 do art.O 6 do deO . creto n 11852, seja cobrado nas Alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, um imposto de 112 por cento sôbre o valor, calculado nos termos d o art.0 3 dos preliminares da pauta dos combustiveis sólidos ou liquidos, importados para consumo e isentando do iniposto os referidos combustiveis quando a sua entrada seja livre de direitos de importação. 12 de Outubro-Portaria, prorrogando até 20 de Outubro de 1926, o prazo paraa matrícula dos aluiios nos liceus d o Continente e ilhas.

12 de 'Outubro-Decreto, isentaiido tle direitos o iiiiterial de iiicêiidios, de coiiclução de feridos c doentes c -le liiiipeza e regas,iriiportado pelas ciiii,iras iiiiiiiicipais d o Contiiientc c iliins, e de direito; de iiiiportaçào e d o iiiiposto siipleiiieiitar de lu/,, criado pela lei li.<' 1368, o iiiaterial de iric21idios e coiiduçao de teridos e doentes, iiiiportado pela associ.ição de bonibtiros vo:uiitarios legalirieiite constituíila. 12 de Outubro-llecreto nao 12477, proiiiulgando a re0rganiz.içã? geral dos Serviços de Saiidc I'ublica, incluindo o Funchal. 12 de Outubro - Rectificaçbes d o decreto supra, r1.O 12477. 15 de Outubro-Portaria, estabelecendo as taxas para conversações telefónicas das cabines públicas de Santa Cruz e Saiitana, no Distrito do Funchal, eiitre si ou com os postos telefónicos da sale d o Furiclial. 18 de Outubro-Portaria, dèteriniiiaiido que rias ilhas adjaceiites a apresentação do bilhete de ídeiitidade nos casos em que é exigido pelo decreto n." 12202, só seja obrigatória a partir d o dia 1 cle Janeiro de 1927. 1 de Novembro -Decreto, aprovando e mandando pôr em vigor a tabela geral das verbas a satisfazer pelos diversos serviços e documentos passados pelas capitaníds dos portos e delegações marítimas d o Coritinente e ilnas adjaceiites.

co, permitindo na Ilha da Madeira, pelo Porto d o Furichal, a iinportação de vinhos tintos do Continente. li3 de Noc)ernbro-Decrelo, deteriiiiiiatido que perteriç~ à Adrninistraqào Geral dos Correios e Telégrafos, a eriii.;são de sêlos e outras foriiiiilas de frdnqiiia destinadas ao Contiiierite e às ilhas adjacente<, a fiscalização dêste serviço e as despesas a Gle inerentes. 22 de Novembro-Decreto, elevdrido OS preços de renda dss àguas das levadas qiie o Estado possui ria ilha da Madeira. 30 de Novembro-Decreto autorizando a Junta Geral do Distrito d o Fuiichal a estabelecer um iriiposto sobre cada lítro de aguardente fabricada rio mesmo distrito e permitindo na Ilha dd Madeira, pelo 13Ôrto do Furiclial, a importação merisal de 23.000 litros de viiiho tiiilo do Continente e proibindo a alcoolização dos vinlios importados OLI a sua lotaçáo com vinlios produzidos ria Ilha da Madeira, beni conio a sua destilação. Proíbe tanibéiii êste decreto o desdobramento; , J' de aicool em aguardente.
V

' .*

:-:
7

I i

i.

I
I .

.

;a*,

fl
f

12 de Novenzbro-Decreto, autoriz~ndo Junta Gtfrdi do Distrito a d o Fuiichal a estabelecer o itiiposto de 2$50 sobre ciid i litro de aguardente destinada ao corisuiiio públi-

11 dc Dezembro-Decreto, niandando proceder a uni arrolameiito d o gado leiteiro iiacional rio Coritinente e ilhas adjacentes. 1 de Dezembro-Decreto, iseii5 taiido de direitos de importação as embarcações, máquinas e aparelhos adquiridos nos termos do arLo 2.O d o decreto n.O 11.054, para serviço das alfâiidegas d o Continente e ilhas adjacentes, ficando as mesmas isentas de emolumentos consulares. 23 de Dezembro-Decreto, autorizando o presidelite da comissão

'

. -.

P >

::dministrativa (Ia Jiiiita Aiitóiionia tio Fiirichal a iiiaii(lar reparar os estr..igos caiisailos iio iiic~lhe pordo to (li: abrigo da 130iitiiilia c seus cais.
7 dc Junciro-Decreto, ahriiiílo credito a fiin de socorrer os siiiiçtractos (10 teiiipor.il ocorrido em Dczenibro dc 1926. 16 dc fi vereiro --Decreto, estahelccciitlo o regime (le iinportayão dos tccitlos de linho iia 111i,i da Macieira e fixaii(10 os (lireitos qiic aqueles tecidos, as respectivas obras c os bordados coin fles f ibricxclos, pagniri rio Contineiite c !io Arqiiipélago (la ivladcira. 17 de Fevereiro - necreto, abrindo um crédito para despesas tlc represeiitação do Croveriiador Civil do Distrito d o Funchal. 4 de Março-Decreto, regu1:iiltln a rissistência rnédica e protecção .ios etriigrantes portugueses que, em portos iiacioliais, incluindo o Funcliiil, eilibarquern para o estranjeiro. 4 de Março-Decreto, deterininaiido que eni diversas coniircas, incliiindo a d o Funcl-ial, as percentagens a qtie se refere o art.O 3 d o decreto n." 12.581, sejam de 5 por cento iios processos e incidentes orfai~ológicose de 10 por cento nos deniais processos e papeis avulsos ou de rasa. 16 de Abril-Decreto, fixando os direitos para os tecidos de liiiho adamascado, não especificados, crús e branqiieados, quando Forem importacios na Ilha da Madeira ou iio Arqiiil~élagodo Açores. 25 de Abril-Decreto, declaraniiiii

iiulo e seni efeito o decreto nO . 6020 yiie cedeii ciefiiiitivariieiite à Jiiiita Geral do Distrito d o Fiiiichal, o edifício do cxtiiito seiiiiiihrio daquela cidade e sciis aiiexos sejam entregues i corporaçáo diocesana do Funchal.
(lei

2 7 de Maio-Ilecreto, determin~nclo que os conservaciores privativos do registo prctlial d o Distrito do Fuiichal e de outros distritos, çej.liiri, durante os seiis iiiipedinieiitos siibstitiií(los pclos conservadores do rcgi.;tc) civil tiri respectiva coiiiarci rios Tribunais d o Contencioso Fiscal de I.= Iiistiiicia, junto das alfândegas dos respectivos distritos. 17 de Jirnho-Decreto, fixando os inipostos a que ficaiii sujeitas toda a cal preparatia c tôtla a pedra calcárea exportada d o Coiicelho do Porto Santo, Distrito d o Fiirichal. 29 de Junho-Decreto, prescrevendo a organização das diferentes arnias e serviços d o exército, incliiíndo o coiiiaildo da Madeira, dentro da doutrina gera1das bases de reorganização do exército, constantes d o decreto 11.0 11.856, de Julho de 1926, substituindo para o efeito o decreto n.O 12.161 de 21 de Agosto de 1926, cujas prescrições sôbre as armas e serviços aperfeiçoa, deseiivolvetido e corrigindo. 23 de Julho-Decreto, determinando a forma como devem ser feitos os manifestos a que se refere o artigo 21.O do decreto 2 18,de 8 de Novembro de 1913, que regulanieiits a produção e coniércio d o vinho da Madeira, promulgando outras disposições tendentes a sustentar o crédito e garantir a geiiuinidade d o mesmo vinho.

16 de Agosto-Decreto, redu- iioma das Obras do Parto d o Fiiiiziiitlo as taxas a aplicar aos passa- clial negociou, iião está nos ternios jeiros qire destinando-se ao PÔrto qiie a lei 1i.O 1657 pr~ceitii~i autoe das Canirias preteiidrini deseiiibar- rizaiido a referida Jiiiita a negociar cxr no I'brto d o Fuiiciial. corii a Funiasil Coiiil~aiipI,iiiiitetl, 25 dc Agosto-Decreto, pro- de Loiitlres, uni contrato plra ;i tiiuigaiido dis osições rclati\.as aos coiistruçào do PÔrto do F~i:icli;il. geprocessos de {brico dos ~inlios 19 dc Setcrnbro--l)ecreto, (ienerosos da Ilha da Aladeira. terixiiiiaiido que diiraiitLso prxzo de 25 de Agosto-Decreio, deter- uin ;LHO figo6 aiitoriza(1a i restitoio ericerranieiito das fábri- ção, por eiicoutro, aos iiidus:ri ii de bordados da Illia (I? Madeira, da de aguardente da zoila sul Ilha da Madeira e q u e sejarll des- clifereiiqa entre os direitos de iinn,oiita~los e todos os ~ ~ o r t a ç ã o fixadoi i10 decreto 12.048 e OS estabelecidos iio e modific:4ii- quanto aos tecidos decreto 13.1 44, de liiilio qiii' do, tanlbéni, o de prodilq.o ii~iportarai:i pela Alfâiidega d o Fuiido açhcar, alcool e agiiar<ieilte chal, coiii expressa declaraçáo de se Arqiiipélago da Madeira. destiii irei11 a drnwback, t.iriqiiarito 25 de Agosto-Decreto, dando vigorou o deceto 12.287 liova redaçãõao artaO das irlstrii22 - 2 2 dc SLt i.rrr bro--Porlíiria, ções para a execução do regulameiito constante d o decreto n.O giilaiido a forina dc coi1stitiiic;ão 3M1, niandados por execu- dds coinissões adniiiiistrativas dc pelo decreto .4,,6 concessão varias alfândegas, iiicliiiiido ;i (10 de licencas oara saída do Conti- Fu"chal* riente, iihas 'e colónias para o es24 de Setembro-Decreto, rctraiijeiro). vogando no art.0 O do decreto re, de A ~ ~ exoile- gurameiitar ~ r1.O 218, a disposiçiio ~ ~ ~ ~ rando entre outros, o cidadão José relativa à eleição do presirleiite cla Vicelite de F~~~~~~ (niadeirense) de comissão de viticult i ~ cla ~ região r da Madeira e nomeando pnra exerministro do interior. cer êsse cargo o director d.i Estaqáo 2 de Setembro-Decreto, escia- Agrária d o Punchal, suspeiide~clo recendo o disposto na alínea c d o provisòriameiite a disposição da 1.0 e no art.0 5 do decreto alíllea a do artigo n 1.' do dfXret0 O . 13.990. aue determina a forma co- 13-390mo de;ei ser feitos os manifestos 26 de Outubro-Decreto, autoa que se refere o art.o 21 do decreiiiaiiclar to 218, que regulamelita a produ- torizando o Secção Hidráiilica do abrir pela Govêriio, a e colnércio do vinho da ,iaFuiiclial da Administ raçzo Geral deira. dos serviços Iiiclráulicos concurso 17 de Seteinbro-Decreto, ariu- de provas práticas para o preeiicliilando a portaria de 27 de Novern- rnento de tres vagas existeiites iio . bro de 1925, por se reconhecer que quatlro dos escritiiririos de 2O a entidade com quem a Junta Autó- classe.

~

~

8 de Dezembro-Decreto, transferindo, dentro c10 cap.O 4 d o orçarneiito do hlinistério, uma quantia destinada ao pagariieiito da diferença do subsidio coricetiido à Emprêsa Fiinchalense de Cabotagem. 9 de Dezembro-Decreto, regulando a montage~iidos serviços de fiscalização a cargo da Estação Agrária da Madeira, e a que se refere o art.O 6 do decreto 14.167, 15 de Dezembro-Decreto, aprovando a nova tabela de tarifas de carga e descarga no caes do Pôrto de abrigo da f'oiitiiilia, rio Furichal. 16 de Dezembro-Decreto, proibindo a exportação d o Arquipélago d o Açores para o Loiitineiite e Arquipélago da Madeira, da fibra de madeira destinada ao acondicionamento de frutas. 26 de Dezelrtbro-Decreto, declarando de iitilidade pública e urgente a expropriacáo, pelo Govêrno Português, de tiriias propriedades sitas na freguesia e concelho da Ponta do Sol, Distrito do Fuiichal, pertencentes à firma A. Giorgi 8r Cea,com todos os direitos que Ihes são inerentes. 27 de Dezembro-Decreto, obrigando todos os detentores d e aguardente produzida na Ilha da Madeira a manifestar na Estação Agrária d a niesma ilha, durante o mês de Janeiro de 1928, as quantidades que tiverem em existê~icia. 31 de Dezembro-Decreto, extinguiiido as adininistrações do concelho d o Contiiiente e ilhas adjacentes. 31 de Dezembro - Nova publica3 de Dezembro-Decreto, determinando que seja feita uma emissão ção, rectificada, d o decreto 14812, que extingue as administrações de especial de selos da Madeira.

12 de Novembro-Decreto, promulgando várias disposições relativas ao pessoal em serviço na Intendência da Pecuária do Funchal e no pôsto zootécnico a estabelecr na Ilha da Madeira. 23 de Novembro-Decreto, determinando que a restituição estabelecida pela lei de 23 de Abril de 1880 com as modificações constaiites das de 2 de Maio de 1885 e 21 de Maio de 1896 e d o decreto 252 1 , de 20 de Julho de 1916, seja toriiada exteiisiva a todas as imposiçóes, com excepção do imposto do sêlo, tráfego e emolunientos, cobrados nos bilhetes de despacho de iniportação de carvão de pedra que fdr fornecido para consuino de vapores nacionais e estranjeiros que se abssteçam nos portos do Continente da Repiiblica e ilhas adjacentes. 28 de Novembro-Decreto, aumentando a percentagem do adicional criado pelo artgo 1.O da lei 1404 sobre todos os impostos cobrados pela Alfândega d o Funchal, que continuará a pôr à ordem da Adrninistração da Santa Casa da Misericórdia desta cidade, a importância da receita arrecadada d o mesmo adicional. 28 de Novembro-Decreto, determinando que o disposto na alíO . nea a d o n 2 do art.O 64 das instruções preliminares das pautas, não seja aplicável aos funcionários civis e militares que, em comissão de serviço público, hajam permanecido fora do Continente oii ilhas adjacentes por espaço de tempo superior a iim ano.

concelho d o Continente e ilhas ad- e do Lugar de Baixo, no Concelho da Ponta d o Sol. jaceri tes. 16 de Março-Portaria n 5252, O . elevando o nttmero de telefonistas do quadro da Estação telefónica do 17 de Janeiro --Rectificação ao Funchal. decreto n 14.812, que extingue as O . 22 de Março-Portaria n 5284, O . administrações de concelho no Con- fazendo um aditamento à classificatinente e ilhas adjacentes. ção geral de mercadorias eni vigor 24 de Janeiro-Decreto, apro- relativo ao t rarisporte de madeiras vando os quadros do pessoal d o provenientes das ilhas adjacentes e Hospital da Santa Casa da Miseri- de ultramar. córdia do Funchal. 26 de Março - Decreto, n.0 8 de Fevereiro-Decreto, 1r.O 15.270, elevarido à cate oria de vila 1 5.028, estabelecetido as condições a povoação da Ribeira brava, conem qiie será concedido o despacho celho do niesmo nome, Distrito do d o material cénico e de trabalho ar- Funchal. tístico que trouxerem as companhias 29 de Março-Decreto, 15.402, e artistas que vierem exercer o seu cedendo à Irmandade da Santa Camester no Coiitiiiente e ilhas. sa da Misericórdia do Funchal o I 1 de Fevereiro--Rectificação edifício denominado Sanatório dos . O ao decreto supra, n 15.028. Marmeleiros, situado na freguesia 16 de Fevereiro-Decreto nO do Morite, Ilha da Madeira. . 15.035, determinando que em cada 31 n O . um dos distritos administrativos d o 15.300, de Março - Decreto para crédito Funclial, além de outros, continuem fazer faceabrindo um por força do ao encargo, existindo juntas gerais de distrito, no art.O n 28 do decreto . O regidas pelas disposições dêste de- disposto relativo ao pessoal e servi15.035, creto. ços da pnlicia cívica dos distritos 16 de Fevereiro-Nova publica- de Ponta Delgada, Angra e Função rectificada, ao decreto supra, chal. n.O 15.035. 4 de Maio-Decreto, n.0 15429, 17 de Fevereiro - Decreto, n . O determinando que as atribuiç6es 15.039, promulgando várias dispo- conferidas à Junta Geral do Distrisições atinentes a evitar demora no to do Funchal, pelo decreto 14.168, pagamento dos vencimentos dos passeni à estação Agrária da Ilha funcionários do Estado em serviço da Madeira, com excepção daquelas nos distritos dos Açores e ~ a d e i r a l a que se refere o artigo 8.0 do 14 de Março - Decreto n.0 mesmo decreto alterando várias disposiqões d o 15.174, aprovando o regulamento gime Sacarinodecreto, 14.168 (Rena Madeira). para a administração, venda e coriservação dos prédios do Estado ria 9 de Maio-Rectificações, ao deregião da Lombada dos Esmeraldas creto supra n.0 15.429, por faltar a

assinatura do Ministro das FiiianÇas23 de Maio --Decreto lia0 15501, estdbelecendo 0s vencimentos a abonar aos militares c0111 reiidêiicia fixada nas ilhas adjaceiites ou nas ~0lániaspor niotivo~políticos.

6 de Junho-Decreto 15 553, dando nova redacção ao parágrafo único do arLo 139 do regulameiito geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e illias adj iceiites aprovado pelo decreto 11.111. 26 de Junho-Decreto 15.637, abrindo uin crédito a inscrever sob a rubrica: * A 1 Junta Geral do Distrito do Funchal,, no c a ~ .5 . O : ~ .Subsídios e compensaç6esw, art.O 27.0 *Subsídios variáveis, do orçamento do Ministério para 19271928. 29 de Junho-Decreto 15.638, promulgando várias disposições relativas ao desembaraço dos navíos mercantes estranjeiros que toquem em qualquer porto do Continente e ilhas adjacentes. 30 de Junho-Decreto 15.890, abrindo um crédito especial de 800 000$00 a reforçar a verba de 2.401.65)4$00 inscrita no cap.0 5.0 do orçamento do Ministério das Finanças para o ano económico de 1927-1928 sob a epígrdfe: a A junta Autonóma das Obras do Parto do Funchal. 31 de julho-Decreto 15.805, ampliado a descentralização da administração nas ilhas adjacentes, e mandando vender as levadas da Madeira. 31 de filho-Decreto 15.814,

-

mandando que seja cobrada uma taxa especial denoniinada de salvuçdo nacional, sobre o .içiicar, g,isolina e 0s bleos niiiier;ii leves que foreni irtiportadoç do países eçtrailjeiros ou colóilias portuguesas pelas alfândegas do Contiileiitee illias adjacelltes. 31 de julho-Nova publicação, rectificada, do decreto 15814. 7 de Agosto-Decreto, 15826, mandarido que os réus incursos lias disposições dos artos 13, 44 e 5 uiiico, 101 e 103 do decreto 13740, qiie forem residentes ou tivereiii residèiicia acidental rias ilhas adjacentes, sejam ali julgados lios tribunais colectivos criminais. 10 de Agosto-Decreto, 15831, estabelecendo o iiovo reginic do açucar, do alcool e da ag~iardciitc na Madeira. 13 de Agosto-Decreto 15838, determinando que os tletèiitores de aguardente no Distrito do Funchal, sejam obrigados a i~ianifestá-lii à direcção da respectiva alfândega. 21 de Agosto-Decreto 15877, nomeando uma comissão de engenheiros para, em especial, estudar a forma conveniente de melhorar as condi;ões do Pôrto do Funchal, examinar o estado e valor das obras ali realizadas e verificar das vantagens d o estabelecimento de um pôrto na costa norte da Ilha da Madeira para serviço de passageiros, e ainda para estudar das nossibilidades t&ni~as económicâs dos proe blemas relativos ? irrigação e utilii dade da energia hidro-eléctrica, além de outros assuntos que lhe venham a ser atribuídos. 24 de Agosto-Decreto; 15893,

simplificando o serviço de cobrança c10 iiiiposto de pescado iins :ilfâridegas do Coritinerite e ilhas adjacentes. 24 de Agosto-Decreto 15914, fixando o preço d o trigo iiacional a vigorar tlurarite o próximo alio cerealífero eiii todo o Coiitinente e i liias, fazerido \.Arias rnocfificações ao actual regiriie cei.ealifero da Madeira e proibindo a exportação de trigos e sêtlieas dos Açores e Madeira para o Continerite. 31) de Agosto-l'ortaria 5580, fixando as taxas a aplicar às conversaçõcs origiiiíiria.; (10 pôsto telefónico píiblico dc Saiito Aritónio da Serra, Co~icelho de Saiita Cruz, Ilha da Madeira. I 1 de Seteri~hro--Decreto 15944, fixando as prol>iiiasa cobrar pela frequência dos licèiis do Cotitinente e ilhas. 12de Setctnbro-Decreto 15944, substituíndo o 5 3.0 do artigo 5.O d o decreto 19831, que estabelece o novo regirne do açúcar,. do alcool e da aguarderite na Madeira. 12 de Setembro-Documentos sôbre um Acôrdo entre o govêrno Português e o Govêriio Britânico, no sentido de ser concedido a Portugal o tratamento de nação mais favorecida às mercadorias produzidas ou manufacturadas no Canadá, sob coiidição que nesta colóiiia tenham igual tratamento as mercadorias produzidas ou rnaiiufacturadas em Portugal, incluindo nesta desigiiação as ilhas dos Açores, Madeie Porto Santo
21 de Setembro- Decreto 15971, fixando o niíiiiero de turmas e a lotação de alunos para os liceus do

Continente e ilhas, e bem assim os quadros dos professores efectivos dos referidos liceus e os do ~x~essoal de secretaria. 29 de Setembro Portaria 5604, dotarido o quadro da secretaria da Câmara Municipal do Concelho de Machico, coni mais uma secqão destinada exclusivamente a assuiitos que eram versados na extinta adniinistração do concelho. 20 de Outubro-Decreto 16059, determinando que nos projectos de estradas a construir na Ilha da Madeira se possa adoptar o limite niáxi~iio de Om,12 por metro, nas inclinaçaes e o limite máxiliio de 12 metros para os raios das curvas de coiicordância. 29 de Outubro-Decreto 16083, proii~ulgandonovas disposições sdbre o regime d o açúcar, cio alcool e da aguardente na Madeira, revogando os decretos n.OS 14167,14168, 15429, 15831 e 15044. 29 de Outubro-Decreto 16084, regulanlei,tarido o novo reginie do açucar, do alcool e da aguardente na Madeira, promulgado pelo decreto 16083. 22 de Novembro - Decreto 16159, aprovando o contrato de adjudicação da venda de aguardente na ilha da Madeira, 6 de Dezembro-Decreto 16195, cedendo à Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia do Funchal, os edifícios do Estado, em ruilias, conhecidos por Casa Amélia e Casa das Maquinas, na freguesia do Monte, Ilha da Madeira, 14 de Dezembro - D e c r e t o 16232, determinando que os exames de guias-intérpretes, intérpretes e

guias possam realizar-se em todas as capitiis de distrito do Continente e ilhas adjacelites. 27 de Dezembro - D e c r e t o 16207, alterando os preços indicados na alínea a) do art.O 8.O tio coritrato realizado entre o Estado e a Coliipanhia da Agu.irderite da . O Madeira, aprovado pelo Decreto n 16159. 28 de Dezembro - D e c r e t o 16305, estabelecendo o novo reginie de importa ao para os fios etecidos destinados L itidustria de bordados ! no arquipélago da Madeira e Açores e revognndo o decreto 13144.

15 de Janeiro - Decreto 16368, determinando que a Junta doCrédito Público proceda B eriiissão das obrigaçaes representativas d o capital de 9.9510U0900 para satisfação das indemnizações devidas pelo ericerrameiito das fiibricas de aguardente da Madeira. 28 de Janeiro-Decreto 16433, determinando que a orgaiiização de turistas no Continente e ilhas adjacentes s6 seja permitida às sociedades, emprêsas ou agências registadas no Tribunal do Comércio e que tenham alvará de licençd, para tal fim passado pelo respectivo Governador Civil. 28 de Fevereiro-Decreto n . O 16548, considerando livre o comércio de trigos e farinhas no arquipélago da Madeira, nas condiçaes estabelecidas no presente diploma. 15 de Março-Decreto 16606, isentando de direitos nos arquipélagos da Madeira e Açores, certos

fios e tecidos destinados à iridústria de bordados, 21 de Março-Decreto 16646, fixando o prazo diirante o qual os iiidividuos nãofdbricarites de aguardente que preteiidarii fabricar niel de cana da Madeira, deveiii apresentar os seli.; requerinleritos pard o fabrico dêste produto. 8 de Abril-Decreto 16713, autorizando a Câniara Muiiicipal do Funchal a vender 2 iiioinhos em ruinas e utii terreno circutiij:~cente que possui no sitio da Funcloa, São Roque, Ilha da Madeira. 10 de Abril-Decreto 16703, fixando os vencimentos do pessoal servindo nos postos radiotelegráficos da Horta e do Funchal e na estação metereológica de rnarinlia do Atlântico. 12 de Abril Portaria 6078, dotando coni uma secção a Câiriara Mlinicipal de S. Vicente, distrito do Funchal, ria qual serão tratados todos os assuntos que à extiiita Administração pertenciam. 27 de Abril - Portaria 6122, aprovando o regulamento geral do trabalho pelo qual deverão reger-se os serviços da Junta Autónoma das Obras do Pôrto do Funchal. 15 de Maio-Portaria 6143, fi' xando as taxas para coriversações nos postos telefónicos úblicos d o Paul do Mar e Fajã da 8veiha. Concelho da Calheta. 17 de Maio - Decreto 16843, aprovando o regulamento para os serviços de fiscalização prapria da Companhia da Aguardente da Madeira. 22 de Maio -Decreto 19869,

promulgando várias disposições relativas ao ensino liceal noi distritos de Angra, Ponta gelgada e Funchal27 de Maio-Decreto 16904, reforçaiido com aquantia de 12.602$64 a verba de 200.(0O$0O1 inscrita sob a rubrica * A Junta Geral do Distríto do Funchal, no cap. 5 . O , arLo 27.O, do orçamento do Ministério das Finanças para 1927-1928. 27 de Maio -Decreto 19641, reforçando verbas orçaliieritais destinadas à fiscalização do alcool eda aguardente da Madeira. 27 de Maio-llecreto 16905, concedendo subsídios a diversas Jiintas Gerais, incltiindo a do Funclial, Madeira, em hariiionia com o disposto no decreto 15805. 31 de Maio- Decreto 16924, permitindo à Companhia da Aguardente da Madeira ter um armazem especial onde dê entrada, mediarite fiscalização da Alfândega, a aguardente destinada a ser beiieficiada para exportação ou venda para consumo, como agtiardei~te velha tipo rum ou de bebidas similares, 3 de junho-portaria 6189, fixando as taxas para conversaçãodo posto telefónico do Estreito de Câmara de Lobos. 3 \de Junho-Rectificação à portaria 6180, supra, de 31 de mio. 12 de Junho - Rectificação ao decreto 16842, que aprova o regularnentu do fabrico da aguardente na Madeira. 14 de Junho -Decreto 16956, concedendo um subsidio anual de 1.000.000$00 à Junta Autónoma do Distrito do Funchal e autqlizando

a Câmara Munícipal do Funchal a realizar um empréstimo. 17 de Julho-Portaria 6290, fixando as taxas a aplicar às conversaçi3es nos póstos telefónicos pCiblicos do Faial, S. Jorge e Arco de S. Jorge, Concelho de SantAna, Distrito do Funchal. 19 de Junho - Decreto 16991, pronlulgando várias disposições a observar s6bre o regime sacarino no arquipélago da Madeira, desde o ano industrial 1930-1931. 1 de Agosto-Portaria 6299, designando os ofícíos dos Juizes de Direito da Coiiiarca do Ftiiichal, que ficam extiiitos. 8 de Agosto -Decreto 17240, determinando que ao pessoal dos postos radiotelegráficos e radiogoniometros que se estão montando o11 vlerem a montar nas ilhas dos arquipéla os dos Açores e Madeira, seja aplicfvel o disposto no decreto 16703.

22 de Agosto -Decreto 17258, romulgando várias disposições silI r e o fabrico e consumo de cerveja no Continente e nas ilhas adjacentes.

30 de Agosto -Decreto 17281, cedendo h Câmara Munici a1 do Concelho da Ponta do Sol, gistrito do Funchal, a antiga capela das Almas, contígua h igreja paroquial da freguesia da Ponta do Sol. 13 de Setembro-Decreto 17334, considerando iiicluídos na rubrica do art.0 36.0 da tabela anexa ao decreto 9483, que remodela a tabela para cobrança das taxas de tráfego nas Alfâiidegas, os servips prestados em dias Úteis depois das horas

5 de Dezembro-Decreto n O . 17700, concedendo : Junta Geral i do distrito do Fuiichal para a construção da estrada entre a Víla da Ribeira Brava e a da Ponta do Sol, a área necessária dos terrenos da Lombada da Poiita do Sol. 5 de Dezetr~úro Decreto n . O 17711, autorizando a permuta de iiriia parte do terreno anexo à propriedade d o Estado, do terreno denoniinado Sanatorios dos Marmeleiros do Funchal, por igual área de terreno de unia propriedadeparticular confinante, e ceílendo à Misericórdia d o Fiinchal, para os fins consigiiados tio decreto 11 . 15402, o terreno que o Estado adquire por efeito desta permuta. 19 de Dezembro-Decreto 1i.O 17790, regulando o exercicio do corilércio de veridas de géiieros e ob17 de Novernhro-Decreto nO jectos a bordo dos navios surtos . 17656, dcfiiiindo a capacidade pro- nos portos do Continente da Repúdutora de cada fábrica de açúcar e blica e ilhas adjacentes. alcool na Madeira. 25 de Novetnbro-Decreto nO . 3 de Fevereiro-Decreto 17912, 17664, mandando cessar as autorizações dadas, quer para a emissão promulgando várias disposições s6de sêlos comemorativos, especiais e bre fabrico e consumo de aguarde assistència, quer para a aplicz- dente na Ilha da Madeira. ção dos exístentes nas correspon4 de Fevereiro-Portaria 6682, dências e sua venda nas estações determinando que a fiscalização da postais do Continente e ilhas adja- indústria d c jogos de fortuna ou centes,e determinando que a Admi- azar seja exercida em' Êada uma das nistração Geral dos Correios e Telé- duas actuais zonas permanentes,~&grafos concorra anualmente com a toril e Madeira, por um fiscal perverba de 27.000$00 para a conclu- manente assistido por outro temposão do monumerito ao Marquês de rário. Pombal. 12 de Fevereiro-Portaria 6671, 3 de Dezembro- Nova publica- determinando a entrega de vários ção, rectificada, do decreto 17656, bens às corporações encarregadas que define a capacidade produtora do culto católico na freguesia do de cada fábrica de açúcar e alcool Monte, concelho e distrito d o Funna Madeira. chal.

de expediente normal e regulaa distribuição das taxas a que se refere o mencionado artigo, cobradas na Alfândega do Fuiichal. 25 de Setembro-Decreto 17371 proibindo o uso da fisga nas águas marítimas interiores do Continente e ilhas adjacentes. 14 de Novelnbro-Portaria nO . 6170, deterininando qiie a lotaqão clas cnrihoiieiras tipo Beira, eni estado tle coinpleto ariiianiento e eiii serviço tias ilhas adjaceiites ou rias coloiiias, seja a qiie está estabelecida pela portaria 1i.O 4230, cotii exclusão do oficial da adininistração riiilitar e coni a alteração estabelecida pela portaria 1i.O 5280, devendo o coniando das referidas canhoneiras ser exercido por prinieiros tenentes.
8

aprovado pelo Decreto 16159, a aguardente velha, tipo rum, ou de bebidas similares, vendidas aos retalhistas pela Coiiipariliia da Aguardente da Madeira, depois de devidatnente beneficiada ou quaiido pelos retalhistas seja revendida a particu24 de Fevereiro-- Declaração de lares etn auai~tidadesuperior 5 lia ter o avisto* do Coiiselho Superior tros. de Finançds a portaria 6682, de 4 14 de Maio1 - Decreto 18320 de Fevereiro, ii~sertado Diário do Govêrno n.0 43 de 18 de Fevereiro elevarido de 5 litros a 20 litros de de 1930, que detertnina sobre a fis- aguardeiite o liniite a que se refere calização da indústria de jogos d e o art.O 4 do Decreto 16083,9ue . O azar no Estoril e Madeira. promulga várias disposições sobre 28 de Fevereiro-Deereto 18041, o regime de açúcar, do alcool e da proibindo na Ilha da Madeira a im- sguardente na Madeira. portação de vinhos de pasto coniuns 16 de Maio -Decreto 13338, engarrafados, só podendo iinportar- mandaiido proceder no ano de 1930 tar-se os vinhos de pasto regionais ao recenseamento geral da populaquando a sua remessa seja acompa- ção do Continente a Ilhas adjacennhada decertificado de origem. Ele- tes. va &te decreto a 30.000 litros a importação pelo Parto do Funchal, 21 de Maio-Rectificaçao 2 tade vinho tinto de pasto, permitida bela anexa d o Dccreto 18338, que pelos art.OS 2.O e 3.0 do Decreto n . O manda proceder, no ano de 1030, 12782. ao recenseamento gera: da população do Continente e Ilhas adjacenI de Março- Decreto 18022, tes. estabelecendo os subsidíos de alimentação para os oficiais, praças e 5 de Junho-Declaração de tecivis com residência fixada nas ilhas rem sido assinadas portarias que adjacentes e colónias por motivos mandam entregar vários bens As políticos. corporaçbes encarregadas d o culto 6 de Março-Portarias 6739 e catolico em várias freguesias, i~iclu6740, criando e mandando abrir à irido a de Santo António, Concellio exploração os postos telefónicos pú- do Funchal. blicos de Boaventura, Concelho de 7 de Junho-Idêntica declaração S. Vicente e de Cani~o, Concelho em relação à freguesia da Sé, Conde Santa Cruz, Distrito do Funchal, celho do Funchal, e à capela e resie fixam as taxas das respectivlq dência episcopal de Nossa Senhora conversações. da Penha, cotn horta, jardim e mi2 de Abril - Decreto 18155, rante. 13 de Junho- Portaria 6847, isentando das guias de trânsito, a que se referem os artigos 44.- do syprjmindo o lugar de oficial de diliDecreto ,16083 e 16,O do contrato genaas ac quarto ofício do Juizo

15 de Fevereiro-Decreto 17968, considerando centrais vários liceus, entre os quais o de Jaime Moriis, do Funchal, e fíxando tambéni as zonas pedagógicas para os referidos liceus.

culto católico, ern várias freguesias, iiicluirido a de Santa Luzía, Coiicelho e Distrito do Funclial, com sua igreja paroquia:, deperidèiicias e objectos de culto, a residência paroquial e respectívo quintal.
22 dc Janeiro-Decreto 10273, cleclarando livre a iniportação de trigo iio Distrito do Furichal. 24 de Janeiro-Decreto 10268, aprovando o regiilamento que estabelece as condições em que deve ser feita a administração e venda das propriedades do Estado, sitas nos Concelhos de Ponta do Sol e h n c h a l (Madeira). 24deJaneiro-Nova publicação rectificada, do decreto 19268, que estabelece as condições em que deve ser feita a administração e venda de propriedades, do Estado, sitas nos Concelhos de Ponta do Sol e Funchal (Madeira). 26 de janciro-Decreto 19277, determinando que os aspirantes de finanças, colocados nas ilhas adjacentes, candidatos aos concursos para o provímento de lugares de secretario~ de finanças de 3.a classe e oficiais do quadro da Direcção Geral das Contribuições e Impostos, possam prestar as provas dos referidos concursos nos Distritos de Ponta Delgada e Funchal. 30 de Janeiro-Decreto 10306, mandando que fiquem sujeitos ao pagamento das niesmas imposições marítimas e portuárias, nos portos do Continente e Ilhas adjacentes, os navios de comércio nacionais e estrangeiros. 6 de Fevereiro-Decroto I9315,

instituindo o cargo de delegado especiaI do Govêriio nas ilhas adjacentes. 6 de Fevereiro--Decreto 19316, iiomeando o coroiiel Feliciatio Antóriio cla Silva Lial, delegado espécial do Govêrrio rias Ilhas adjaceiites. 9 de Fevereir o-Decreto 19339, suspenderido a execução do Decreto 19273, que declara livre 3 importação de trigo no Distrito do Fuiichal. 11 de Fevereiro-Decreto 193831 determiriando que sejam de caracter permanenteas disposiç6esdo Decreto 18704, que regula o pagamento de vencimentos dos professores agregados ou efectivos dos liceus do Contiiiente, nomeados efectivos para os liceus de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 14 de Fever.eiro-Decreto r1.O 19357, mantendo às levadas da Ilha da Madeira os direitos por elas adquiridos à data da publicação do Código Civil, e ressalvados no arLo 1 da lei de 30 de Abril de 1014, O . sobre as águas de que se abastecem, provenientes de nascentes em prédios alheios. 20 de Fevereiro-Decreto n.0 19363, mandando abonar a ajuda de custo a que se refere o Decreto 9799, acrescida de 50 por cento, aos oficiais e sargentos e seus equiparados que fazem parte dos contíngentes do batalhão de rnetralhadoras n 5 e do batalhão de metraO . . lhadoras nO 1 que vão reforçar a guarnição militar da Ilha da idadeira, e bem assim o subsídio diario de $50 aos cabos, soldados e seus equiparados e 1$00 aos que tivereni encargos de familia.

28de Fevereiro Decreto 19441, uniformizando as condições de cobrança dosimpostos municipais, dos impostos especiais e dos direitos aduaneiros que nas ilhas adjncentes incidem sobre tabacos. 28 de Frverciro-Nova publicação rectificada, do Decreto 19441, que uiiiforniiza as condições de cobrança dos inlposioç municipais, dos impostos especiais e dos direitos aduaneiros que nas ilhas adjacerites iticidem sobre tabacos.

l9 de Março-Decreto 19486, garantindo no ano industrial 10301031 a compra da cana da Madeira aos r e s p ~ i v o s produtores, nas respdivas condic6es õestabeleádaspeIas leis em vigor, com as mo<lificações feitas por êste decreto.
l9 de ublica~ãol rectificada, do Decreto r9486 sdbre a 'Ornpra da cana da Ivíadeira* 21 de Março-Decreto 19490, criando um novÓ tipo de crédito, Ó extracto da factura, obrigatóriamente emítido, sempre que o preço não seja representado por letras, nas vendas a prazo entre comerciantes domiciliados no Continente e Ilhas. 23 de Março-Decreto 19497, fixando num ano o prazo máximo dentro do qual todos os estabelecimentos de lacticinios do Distrito do Funchal se devem encontrar montados nas condições prescritas pelo artigo 7.0 do Decreto 16130. 27 de Março-Decreto 19538, modificando as fórmulas mandadas adoptar pelo Decreto 17656 para a determinação da capacidade produtora das fAbricas de açúcar e alcool da Madeira. 6 de Abril-Decreto 19559, con-

fiando, até nova resolução do Govêrno, as fuiições de delegado especial do Govêriio nas ilhasadjacentes a um coronel de infantaria, e declarando o estado de sitio no arquipélago da Madeira. coni suspensão total de garantias individuais. 7 de Abrfl-Decreto 195671 demitindo dos postos e lugares que ocupam 110 exército e na marinha OU iiidividuos que se tiverem, tiverem sido OU vierenl a ser investidos no exercício de funç6ea militares ou civis na Ilha da Madeira, seni 110meação d o Govêrno da República. 7 de Abril-Decreto guiando as ajudas de custo1 subsídios e outros vencimentos suplementares as tropas expedicionárias que vão operar no Arquipélago da Madeira. -7 de Abril-Decreto 19569, encerrando a toda a navegasão e mércio os portos do Arquipélagoda Madeira. 11 de Abril-Decreto 7073, determinando que os livros, revistas e jornais com destino A ilhas ads jacentes e colónias ou delas entre si ou para a metrópole, possam ser transportados em navios estrangeiros. 14 de Abril-Decreto 19585, mandando inscrever como despesa extraordinária no orçamento do Ministério do Interior. decretado para o corrente ano económico a quantio 10.000.000$00, onde constitui. O rá o cap. 9 com a designação de a Despesas extraordinárias resultantes da situação anormal dos distritos do Funchal, Angra e Ponta Delgada, derivada dos acontecimentos revolucionários acorridos no mês de Abril de 1931,.

distritos de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 15 de Maio-Decreto 19746, determinando que os distritos de recrutamento e reserva 11.0 13 e n.0 4 passem a designar-se provisòriamente distritos de recrutamento e reserva do Funchal e Ponta Delga29 de Abril - Decreto 19662, da. reduzindo de 50 por cento o im16 10, posto de caniionetes criado pelo ar- dando de Maio-Portaria71 dosmarinatigo 121.O do Decreto n.0 18406, de- vios da abater ao efectivoo contramarinha de gu-lrra vido pelo transporte colectivo de torpedeiro Vouga, por este navio se pessoas, bagagens ou mercadorias haver afundado em 1 de Maio cornos veíciilos autonióveis einprega- rente dos nas carreiras das arquipélagos nientoeni virtude do seu abarloacom o paquete Pedro Godos Açores e Madeira. mes, durante as operações militares I de Maios-Decreto 19677,isen- na Ilha da Madeira. ando de fran uia a correspondên20 de Maio-Decreto 19758, ficia postal que?& expedida de boro prazo para as Juntas Gedo dos navios em operações para o xandoCamâras Municipais do ConContinente e ilhas adjacentes, por rais e todos os compo~ieiites forçasem tinente e ilhas adjacentes ent iareni das operações contra os revoltosos da à Direcção Geral de Contabilidade Pública os elementos necessários Ilha da Madeira. para a organização dos mapas sin2 de Maio-Mecreto 19692, re- téticos que devem figurar no Orçavogando o art.O 2.0 do Decreto mento Geral do Estado. 19559, que declara o estado de sí29 de Maio-Decreto 19785, retio no Arquipélago da Madeira, vogando os Decretos 19315 e 19316 com a suspensão total de garantias (criação do cargo de delegado espeindividuais. cial do Govêrno nos Açores e Ma8 de Maio-Decreto 19717, con- deira) e restabelece os decretos firmando as requisicóes de quais- 18355 e 18356 (existência dum dequer barcos mercantes, nacionais legado especial do Govêrno nos ou de emprêsas estrangeiras, fazen- Açores e nomeação do coronel Fed o serviço nos portos do Conti- liciano António da Silva Leal para nente e ilhas adjacentes, para utili- êsse cargo)-e revogando o art.O 1 . O zação do serviço do Estado, que os do Decreto 19559 (nomeação d o comobilizará. ronel Fernando Augusto Borges 9 de Maio-Decreto 19722, re- Junior para delegado especial d o forçando a verba inserta no orça- Govêrno nas ilhas adjacentes. 30 de Maio Portari a 7120, indimento por decreto 19585, com destino a despesas extraordinárias re- cando como deve ser organizado o sultantes da situação anormal dos cadastro dos eleitores das Juntas de
r

28 de Abri2 - Decreio 19657, dissolvendo os regimentos de infantaria n.OS 4, 13 e 22, com sedes respectivameute eni Ponta Delgada, Funchal t Angra do Heroísmo, e as batarias de defesa móvel da costa nO 1 e 2, com sede respectiva. mente em Angra e Funchal.

freguesia no Distrito do Funchal. imposições marítimas e portuárias. 30 de Maio -Decreto 19861, 10 de Julho-Rectificações ao instituíndo o corpo de delegados Decreto 10980, que regulamenta a especial d o Govêrno rio arqiiipélsgo execução do Decreto 19306, sobre da Madeira s partir de 10 do cor- o pagarnenlo de imposições maritirente, an qual, na área d o respecti- mas e portuárias, no Continente e vo arquipélago, são conferidas as ilhas adjacentes. atribuições mencionadas no Decre23 de Junho-Nova pu blicacão, to 15118. rectificada, do § 5.9 do artigo 14 1 de Junho-Decreto 10810, al- do regulamento aprovado pelo Deteraiitlo a orgaiiização militar das creto 19989, para execiição do Deilhas adjacentes, creto 19306, sôbre o pagamenio de I 1 de Junho-Decreto 19894, re- itnposições tiiarítiinas eportuárias no gulando u abono do subsidio men- Continente e Ilhas adjacentes. sal de alinientação aos fuiicio~iários 27 de Julho-Nova publicação, civis e iililitares, com residêticia tias reciificada, do artigo 4.O do Decreilhas adjacentes ou colónias por to 20028, que cria delegações da motivos políticos ou de ordem pú- Inspecção Técnica das Iiitlítstrias e blica. Cotnércio Agrícolas nas ilhas adja17 de -It~nho Decreto 10897, centes. criando u n i novo regime para deter: 5 de Setembro-Decreto 20283, rniiiados tecidos de algodão e sêda, íiiportados no arquipelago da Ma- autorizando que as e~iibarcações coni ou sei11 motor etn serviço de deira coni destino aos bordados. de fiscalização aduaneira no Conti18 de Junho-Decreto 19902,es- nente e ilhas adjacentes possarii ter tabeleceiido uni novo regiiiie para o a bordo, para uso das suas tripulamilho iniportado no Arquipélzgo da ções, as armas e muiiições que foMadeira. rem necessárias. 24 de Junho-Decreto 19937, 14 de Setembro-Decreto20317, organizando duas batarias destina- fixando os portes e taxas dos cornadas ao tiro de asalvass, uma em respondCncias portuguesas para o Ponta Delgada e oiltra no Funchal. Continente, arquipélagos dos Açores e da Madeira e uaisquer coló30 de Junho-Decreto 20026, nias portuguesas diqerentes das de criando dele aç6es da Inspecçao Técnica das fndustrias e Comércio 16 deSeteurbro-Decreto 20316, Agrícolas nas ilhas adjacentes. I de juU20-Decreto 19989, re- determinando que a liquidação da Casa Heiirique Figuerra da Silva, gulamentando a do De- do Fnnchal, seja feita no prazo de creto 19306, que determiriou que Os dois anos, a contar da data da posnavios de comércio nzcionaii e es- se da comissáo liquidatária. trangeiros fiquem, nos portos do Continente e ilhas adjacentes, su8 de Outubro- Decreto 20368, jeitos ao pagamento das mesmas concedendo moratória pelo prazo de

seis meses a todos os débitos e responsabilidades do Baiico Sardinha, da Madeira, em relação' a iridividuos ou sociedades de nacionalidade portuguesa e exigíveís em território iiacional. 10 de Outubro-Decreto 20373, tornando extensivas as disposiç6es do decreto 20149, na parte aplicável aos navios que tenham recebido carga nos portos do Continente e ilhas adjacentes até o dia 10 de Julho inclusive. 22 de Outubro-Portaria 7209, dotando o quadro da secretaria da Câmara Municipal do Concelho do Porto Monis, com uma secção, na qual serão tratados todos os assuntos que pertenciam à extiiita Administração do Concelho. 30 de Outubro-Decreto 20449, determinando uma nova organização militar nas ilhas dos Açores e Madeira. 17 de Novembro - Decreto n . O 20542, regulando o provimento das Alfândegas do Continente e ilhas adjacentes. 25 de Novembro-Decreto n.O 20597, aprovando para os liceus do Continente e iliias adjacentes a folha de informações para efeitos do registo biográfico. I 1 de Dezembro - Decreto n.0 20644, revogando o Decreto 19569, que encerra a t8da a navegação e comércio os portos do arquipélago da Madeira. 16 de Dezembro-Portarias n S O . 7254, 7255 e 7256, criando e mandando abrir B exploração os postos telefónicos pftblicos de Tabíia, Concelho da Ribeira; Brava; sitio da Igreja e S João de Latrão, Con.

celho de Santa Cruz, Distrito d o Funchal, 30 de Dezembro-Decreto n . O 20690, regulando as condições de funcionamento do Arquivo Distrital do Funchal.

I I de Janeiro-Decreto 20736, autorizando a casa bancária H. Figueira da Silva, do Funchal, a concorrer por intermédio da sua comissão liquidatária, às arremataçõesjudiciais, em execuções promovidas ainda que por terceiros, contra devedores da casa. 16 de Janeiro-Decret o 20785, autorizando a cedência, a tituloprecário, à Comissão Administrativada Câmara Municipal de Machico, Distrito do Funchal, de uma parcela de terreno perteiicente B Fazenda Nacional, destinada à construção de um edifício escolar na freguesia de Agua de Pena. 23 de Janeiro - No Didrio do Govêrno, desta data, vem inserto o Ilecreto 20806 de 15 de Novembro de 1931, que extingue o cargo de delegado especial do Govèrno no arqui élago da Madeira, instituido pelo gecreto 10861. 28 de Janeiro-Decreto 20829, reforçando a verba orçamental de%tinada a despesas de exercidos findos, afim de satisfazer B Gimara Municipal d o Funchal a quantia quk lhe pertence receber como percentagem nas receitas do jogo cobradas no ano econ6mico de 19281929. I de Fevereiro-Decreto 20846, mandando inscrever uma verba no orçamento d o Ministério das Finan-

tCncia do Ministro do Comércio, Indústria e Agricultura a concessão ou negação dos alvarás de licença dos estabelecimentos situados nos arquipélagos dos Açores e Madeira e abrangidos pela tabela anexa ao regulamento das indústrias insalubres, incomodas, perigosas ou tóxicas.
27 de Agosto-Decreto 21675, determinando que seja fixada por despacho ministerial a importância a abonar como gratificação ao pessoa1 da Alfhdega do Funchal e da guarda fiscal encarregada da fiscalização do alcool e aguarderite na Madeira. 3 de Setembro-Decreto 21637, dando nova redacçao ao 5 3O d o . artigo 1 do Decreto 20449, que determina uma nova organização militar nas ilhas dos Açores e Madeira. 12 de Setembro-Decreto21726, cedendo ghtuitamente à Câmara Municipal da Ponta d o Sol uma pe uena nascente de água potavel e l metros quadrados de terreno, % a fim de serem construidos tres fontenários nos sitios d o Salão e da Pereirinha, na Lombada dos Esmeraldos, freguesia da Ponta do Sol, Distrito do Funchal. 19 de Setembro-Decteto21674, permitindo em casos excepcionais ou quando destinador; ao Jardim Zoolagice a importação de papagaios e outros psitacideos no Continente e ilhas adjacentes. 19 dd Setdttlbto-Decreto21711, determinando que 09 serviços de lkenceamento das instalações eléctricas nos distritos de Ponta Delgaa, Angra e Funchal, dependentes da DirecfOo drn Stzrviçwr Eiktricos

dos Servida Adrninistração'~era1 ços Hidrbulicos e Eléctricos, transitetn para as respectivas Juntas Gerais aiitóiionias, que os integrarão nas suas Direcções de Obras Públicas e Serviços Hidráulicos e Indust riais. aprovando os quadros e vencirnentos do pessoal de várias Misericórdias illcluindo a do Fullchal. 6 de Outubro--Decreto 21703, prorrogando até 2 de Janeiro de 1933 o prazo fixado pelo artigo 1.O do Decreto 20368, que concede moratória a todos os débitos e resnonçabilidades do Ranco Sardinha Eorn sede na Cidade d o Funchal. 24 de Oufubro-Decreto 21761' permitilido o regresso às fábricas de tabaco existentes nos arquipélagos dos Açores e Madeira, de qualquer porçâo de tabaco que deles tenha saído para exposição ? venda i tanto na ilha, onde essas fábricas funcionam, como nas outras ilhas dos referidos arquipélagos, quando êste, sem estar deteriorado, careça no entanto de ser beneficiado.

25 de 0;tubro-~ecreto 21770, autorizando a Misericórdia do Funchal a veiider à Junta Geral do Distrito, a sua antiga propriedade situada na Avenida Dr. Manuel Arriaga, da mesma cidade, e a aplicar o produto da venda nas obras complementares do novo hospital e no pavilhão destinado a tuberculoses, 29 de Outubro-Decreto 21804, determinando que a concessão d o exclusívo do jogo de fortuna ou de azar na zona permanente da Ilha da Madeira, durante o periodo que decorre entre 1 de Dezembro de

1932 e 30 de Junho de 1933, se- Agua de Pena, Distrito do Funchal. ja feito em concurso público.

1 de Novembro-Decreto21821, considerando em regime de reserva de caça, a favor dos respectivos prOpriet~rios, Ilhas Desedas e as lhas selva do Distrito adminisenias trativo do Funchal, 10 de Novembro-Portatias n.Os 7462 a,7466, mandando abrir à exl0raçã0 0s postos telefhnicos pfiglicos do Jardim do Mar, Concelho da Calheta; Agua de I'ena e CarilConcelho de Machico; Cruzinhas e S* Roque, Concelho de Santana, do Distrito do Funchal, e fixando as taxas das respectivas conversa*. S

1983

6 de Dezembro -Decreto 21945, inscrevendo uma verba no orçamento do Ministério para Ocorrer a desesas com <Portes de correio e tek r a f o w da fiscallza~ãodo a d a r e do tabaco n . arquipélagos dos Açores e Madeira. 7 de Dezembro-Decreto 2 1949, autorizando 0 Ministro a adjudicar a indivíduos ou empresa a contes: são do exciusivo do j8go de azar na zona da Ilha da Madeira durante 0 ~ e r i o d o decorre entre 1 de que r k ~ a n b r o 1932 e 30 de Junho de de 1933. 7 de Dezembro -Decreto 21950, estabelecendo a forma de colectar as pessoas singulares OU colectivas que no Continente Ou ilhas adjatentes importem aeos, petróleos, gasolinas e seus derivados. 29 de Dezembro-Portarias n.OS 7495 a 7499, mandando abrir Il. exloraçilo os ostos telefónicos píiglicos de S. koque do Paial e Cruzinhas, Jardim do Mar, Caniça1 e

de Janeiro-Decreto 22056t do 'Or~~~~~~g~~~~~ de até rente ano os prazos das moratórias coricedidas pelos decretos 20368 e 21462 ao Banco Sardinha e Banco da Madeira, ambos com sede no' i%nchal1 de Janeiro-Decreto 22142 9 determinando que a Administraqão Geral dos Correios e Telégrafos fixe, semestralmeute, dentro de cada ano económico, as franquias decorrespondência a expedir do Continente e ilhas adjacentes para os países estrangeiros, com excepção da Espanha30 de janeiro-portarias n.OS 7521 e 7523, mandando abrir à exploração os postos telefónicos p6blicos de Achadas da Cruz, Ribeira da Janela e Santa Maria Madalena Concelho do Porto do Monís, e fixando as respectivas taxas* g de Fevereiro-Decreto 22176, revogando o disposto na parte final do artigo 1.0 do Decreto 0610, que detemina seja aposta a sobrecarga de 20 por cento nas estampilhas empregadas na selagem dos envolt6rios de tabaco estrangeiro despachado nas ilhas adjacentes* 16 de Fevereiro-Decreto22204, definindo quaiç 0s vencimentos a que têm direito 0s comandantes distritais de policia dos distritos de Angra, Ponta Delgada e Funchal. 21 de Março- D eclaração de ter sido, com a aprovação ministerial, fixada em 6$40 a equivalência do franco-ouro, a partir do dia 1 de Junho próximo futuro, para as fran-

quias da correspondência a expedir do Continente e ilhasadjacentes para os países estrangeiros, com excepção de Espanha. 22 de Março-Portaria 7550, esclarecendo que as licenças graciosas respeitantes aos funcionários ou empregados, civis e mililares, ao serviço das colónias, naturais do Continente e ilhas adjacentes e aos referidos no arti o 82.O do Decreto 12209, de 27 de i g o s t o de 1926, só podem ser gozados no Continente ou nas ditas ilhas.
28 de Marco-Decreto 22383, fixando o quadro e vencinienlos do pessoal docente, da secretaria e menor, do Liceu Jaime Monis, do Funchal. 31 de Março-Decreto 22373, prorrogando o prazo das nioratorias concedidas pelo Decreto 20368 e 21462 aos Bancos Sardinha e da Madeira, aníbos com sede no Funchal.
13 de Junho - Decreto-Lei 22667, abrindo um crédito para satisfazer no Banco de Portugal a despesa que realizou com a aquisição da Quinta do Pavão, no Funchal. 21 de Junho - Decreto-Lei n.0 22710, re ulando a venda no Disn trito de W ra, d o tabaco manipulado nas fábricas existentes nos distritos de Ponta Delgada e Funchal e a venda nestes distritos, d o do tabaco fabricado em Angra. 17 de Julho - Decreto-Lei 11.0 22836, determinando que passem a ser atribuição exclusiva do presidente os poderes coriferidos h comissão liquidatária da casa comercial Henrique Figueira da Silva,

com sede no Funchal, pelo Decreto 19212, 20316 e 20736. 21 de Julho-Circular aos reitores dos liceus do Continente eilhas, esclarecendo algumas disposições sobre reciirsos liceais. 24 de Jrrlho - Decreto-Leí n.O 22858, aprovarido os quadros e respectivos vencimentos do pessoal da Santa Casa da Misericórdia da Vila de Santa Cruz, Ilha da Madeira. 23 de Agosto--Portaria 7663, aprovando o programa do concurso para admissão de aspirantes das alfândegas do Continente e iihas. 12 de Seternbro - Decreto-Lei 23026, autorizando a construção de um estabelecimento de crédito, coni sede na Cidade do Funchal, denominado Banco da Madeira, pela fusão do Banco da Madeira, do Banco Sardinha e da casa bancária Rodrigues, Irmãos & Caa. 14 de Outubro-Decreto-Lei n.O 23134, autorizando a Direcção Geral das Alfândegas a admitir como assalariado, à medida que forem necessários para serviços de fiscalização das alfândegas do Continente e ilhas adjacentes, trinta motoristas maritimos, e regulando a sua admissão. 17 de Outubro-Decreto 23142, promulgando o regulamento para o tráfego de passageiros entre a Ilha da Madeira e Porto Santo. 18 de Outubro-Decreto-Lei nO . 23145, determiiiando que a Junta Geral do Distrito do Funchal satisfaça à corporação diocesana do culto católico da mesma cidade as rendas do edificio do antigo seminário e seus anexos pelo tempo ern que aquela corporacão, depois de yubli-

.

cado o Decreto 13514, os manteve e da Pontinha para os armazens da na sua posse. Alfândega do Funchal e d o alcool 7710, das fábrlcas matriculadas para o arcriando e mandando abrir à exnlo- maze"' do ração o pbsto telefónico públic8 do Curral das Freiras, Distrito do Funchal, e fixando as .taxas das respec12 dc jone iro-Decreto 23455, tivas conversações. introduzindovárias alteracoes no de18 de Novembro- Decreto-Lei creto 20317, que fixa o's portes e 23234, dispensaiido o voto afirma- taxas das correspondências a eXpetivo da assembleia geral do Banco dir das colónias portuguesas Para 0 da Madeira para aemissao das obri- Continerlte e arquipélagos dos A V ações a ue se refere O artigo 6 do res e da Madeira e quaisquer co16nias portuguesas diferentes das de %meto 2%26. origem e para países estrangeíroç. 20 de Novctnbro-Decreto n . O 6 de Fevereiro -- Decreto-Lei 23238, autorizando o exercício da indíistria bancária ao Banco da Ma- 23552, restabelecendo a Junta Autódeira ao Banco Sardinha e da casa noma das Obras do P6rto d o Funchal, bandria Rodrigues 8r C.a. 24 de Fevereiro - Decreto-Lei 27 de Novembro-Decreto n.0 23256, declarando sem efeito o De- 23595, determinando que aoTribuna1 creto 8052, em virtude do qual foi do Funchal seja dada im ediatamencedida â Caixa Geral de De ósitos, te a constituição prevista pelo De para instalação de uma sua [lia1 na creto-Lei 23053, ficando as despeCidade do Funchal, a ala oriental sas a cargo da respectiva Junta Oedo antigo paço episcopal daquela ral do Distrito. cidade, e cede-a definitivamente à 24 de Fevereiro-Portaria 7781, comissão administrativa da Junta declarando que William Ertward Geral d o Distrito do Funchal, para Clode, casado, médico, residente no ampliação dos serviços escolares do Funchal, é, para todos os efeitos Liceu Jaime Monis. legais, cidadão português origind30 de Novembro-Decreto n . O rio, por força do disposto no artigo 23278, determinando que as tabelas 18.0 e 3 2.0 d o Código Civil Portude fretes publicadas em anexo ao guês. Decreto 23142, para serem adopta9 de Março-Decreto-Lei, disdas pela navegação entre Funchal e solvendo a corporação de policiade Porto Santo, possam ser diminuídas segurança pública do Funchal. pela Capitania do Porto do Fun16 de Março-Decreto-Lei n,O chal quando as circunstâncias do 23673, tornando extensiva a isentráfego assim aconselhem. ção de sisa concedida pelo Decreto 12 de Dezembro-Decreto-Lei 20736 à dação de bens em paga23343, regulando o fornecimentode mento de dívidas à casa bancária transportes destinados à condução H. Figueira da Sliva, da Cidade d o de carga do recinto do Cabrestante F unchal.

de

17 de Março-Circular aos professores de ensino primário, secundario e téciiico elementar e niédio do Continente e ilhas Acêrca de correspondência inter-escolar. 4 de Maio-Decreto 23821, determinando que as provas escritas dos concursos de aspirantes estagiários da I>irecção Geral das Cofitribuições e Impostos, para os candidatos residentes nas ilhas adjacentes, sejam prestadas nas sedes dos respectivos distritos. 7 de Maio -Decreto-Lei 23827, autorizando as câmaras municipais d o Distrito de Angra a lançar um imposto camarário de 5$00 por cada quilograma de tabaco manipulado nas fábricas existentes nos distritos administrativos de Ponta Delgada e do Funchal, de quais uermarcas expostas veiida em Angra cio Heroismo.

14 de Maio-Decreto-Lei 23847, modificando o regime de açúcar, alcool e aguardente na Ilha da Madeira. 25 de Maio-Decreto-Lei 23010, promulgando diversas disposições acerca dos vinhos da Madeira.

29 de Maio-Decreto-Lei 23024, promulgando o regulameuto para a apanha e explorlção de plantas marinhas nas costas, praias e margens do Continente e ilhas adjacentes. 12 deJunho-Decreto-Lei 23998, fixando em 7900 por litro o preço da aguardente actualmente existente nos depbsitos de destilarias da Ilha da Madeira. 28 de Junho Decreto-Lei 27074, autarizando a 2.a Repartição da Direcção Cieral da Coiitabilidade Pú-

blica a mandar satisfazer as importancias da reparação de um cofre antigo existente na tesouraria do Concelho de Santa Cruz e daconstrução de uma peanha para uiii cofre novo da mesma tesouraria. 29 deJunho Decreto-Lei 241 19, reforçarido as dotações',orçamentais atribuidas i10 corrente ano económico a diversas Juntas Autónomas de portos, incluindo a do Funchal. 14 de julho-Declaração relativa à alteração da equivalência do franco-ouro a partir de 1 de Agosto próximo futuro e ais consequetites modificações na tabela dos portes e taxas paraas corres ondências exr pedidas do ~ontinenfe e ilhas adjacentes para os países estrangeiros, excepto Espanha. 7 de Agosto-Decreto-Lei n . O 24313, permitindo excepcionalmente, quando o respectivo Ministro o auterize a montagem nas ilhas adjacentes de novas fábricas para o exercicio da industria de conservas de espécies ictiológicas expressamente determinadas. 9 de Agosto-Decreto-Lei 24328 autorizando a Administração Geral dos Servíços Hidráulicos e Eléctricos e a Junta Autónoma das Obras do Pôrto d o Funchal, conjuntamente a celebrar com a Sociedade de Empreitadas e Trabalhos Hidráulicos, Limitada, o contrato para a execução da empreitada das obras de melhoramentos do Pbrto d o Funci-tal (molhe da Pontinha). 18 de Agosto-Decreto-Lei d.O 24380, anulando a nota I à tabela aiiexa ao Decreto 12822, que a rova e manda 6r em vigor a tagela geral dai verpas a satisfazer pelos diversos serviços e docunientos pas-

sados pelas capitanias dos portos e delegações marítimas do Continente e ilhas adjacentes. 20 de Agosto-Decreto 24389, exonerando o dr. Leovigíldo Quiemado Frarico de Sousa, Ministro da Agricultura, da gerència dos negócios do Miriistirio do Comércio e Indústria, para a qual havía sido nomeado durante a ausência, nas ilhas dos Açores e Madeira, do titular da respectiva pasta, engenheiro Sebastiâo Garcia Rarnires. 21 de Agosto-Portaria 7874, mandando publicar nos Boletins Oficiais de todas as colónias as regras de balizagem já adoptadas no Continente e ilhas adjdcentes, aprovados pela portaria 4244, 28 de Setembro - Decreto-Lei 24513, determinando que não seja aplicável aos arquipélagos dos Açores e Madeira o Decreto-Lei 24462, que eleva a taxa de salvação nacional para a gasolina.

des d o Estado sitas nos coricelhos de Ponta do Sol e Funchal. 22 de Outubro - Decreto-Lei 24584, determinando que fiquem a cdrgo d o Estado as despesas com a aliriientação e hospedagem das praças da guarda Fiscal que tenham de deslocar-se para localidade diferente da d o seu aquartelamento no desempenho de serviços inerentes à fiscalização do regirne sacarino na Madeira. 24 de Outubro - Decreto-Leis 24605, autorizando a Junta Gera 1 do Distrito do Funchal a vender, independentemente de hasta pública, à Junta Autónoma d o Porto do Funchal, dois armazens e terrenos anexos situados na estrada da Pontinha,. para armazenagem d o material destinado às obras a seu cargo.
2 de hovembro-Portaria 7914, fixando a dotação da rêde telefónica do Funchal em umlchefe e catorzo telefonistas.

17 de Outubro - Decreto-Leí 24556, determinando, a partir do dia 2 de Janeiro de 1935, o resgate, ao par, de todos os títulos representativos da dívida especial da Madeira, do juro de 6,5 por cento, e do dia 1 de Março de 1036 a amortização, ao par, de todos os titulos representativos, do em restimo Portos, 1930, do juro de 613/4 por cento. 18 de Outubro-Decreto 24566, tornando aplicável durante um ano a redução a metade da sisa a pagar sbbre as transmiss6es de imobiliários por título oneroso relativas às propriedades a que respeita, estabelecida#noartigo 18.O do regulamento aprovado pelo Decreto 19268 (administração e venda das proprieda-

9 de Novembro - Decreto-Lei 21640, criando um curso de serralheiro mecânico na Escola I~idustrial e Comercial de António Augusto de Aguiar, do Funchal. 7 de Dezembro-Decreto 24749, aprovando, de harmonia com o artigo 438 d o Código Administrativo de 1896, o quadro do pessoal da Associa;ão Protectora de Estudantes Pobres do Funchal, e beni assim os respectivos vencimentos anuais. 10 de Dezembro - Decreto-Lei 24763, abrindo um crédito destinado ao pagamento de salários a dois trabalhadores, um para o serviço de conservação e limpeza das Quintas Vigia, Pavão e Bianchi e outro para

a Quinta SantAria e terreiios adjaceiites, situados iio Fiiiichal. 12 de Dezcmbr o-- ;:ecreto-Lei 24760, aiitorizando o Aliiiistro do Iriterior a adjii(lic.ir, até 30 de Jiiiilio de 1935, a corices.;áo tlo esclusivo do jogo cle azar na zoiia da 111ia da Madeira (Fiiiicliai).

9 de Janeiro-Decreto-Lti 11.0 24872, estabelecendo que a jiirisdição do Tribunal do Trnbalho do Fuiiclial, abr~iigeos restaiites distritos iiisulares ernquanto iião estivereiii constituídos iieles tribuiiais do trabalho, e indicaiido, tdmbérn, oiide deveni ser pdgds as taxas, pe:centageris, preparos c triiiltas do iiiesmo Tribiirial. 9 de Janeiro Portari i 7972, determinando que seja pago iio prazo e de '30 dias no Coiitiiie~itc de60 lias illias o imposto a que se refere o artigo 164 da tabela geral do iniposto tlo sèlo, aprovada pelo 1)ecreto 21916, devido por filiicioiiários do Mitiislério por traiisferêiicia ou perniuta qiie Iiouvereiii rcquerido. 9 de Janeiro-Decreio-Lei 1i.O 24883, regulaiido os concursos para lugares de auxiliares, fíeis cte balaiiça e fieis de armazém dos quadros do tráfego das alfândegas do Continente e ilhas adjacentes. 9 de Janeiro - Portaria 7973, aprovando o programa dos concursos para lugares de auxiliares, fièis de Ualdnça e fiéis de armazém dos quatlros do tráfego das alfâiidegas do Continelite e iIhas adjace11te.i. I0 de Janeiro Decreto-Lei 1i.O 2,1031, aprovaiido e maiidaiido pôr

eni execução o regulamento geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Continente e ilhas adjaceiites. 15 de Janeiro-Rectificação ao Decreto-Lei 24931, que aprova e iiiaiida pôr erii execução o regularnerito geral do serviço de pilotagem das barras e portos do Contiiieiite e ilhas adjacentes. 2 de Fevereiro-Decreto 24995, daiido iiova redxcção ao artigo 15 do Decreto 20317, para o efeito de as correspondêiicras expedidas da colónia de Moçambique pela via do Cabo de Boa Esperança e da colóiiía de Macau pela via Sibéria e Rrindisi, para o Continente, colónias portuguesas e ilhas adjacentes, ficarem pagaiido as mesmas taxas expedidas que as corres~~ondêiicias dessas colóriias para países estrangeiros. 25 de Fever eiro-Decreto25074, ai'riiido uni crédito a fim de se entregar i Junta de Crédito Público a iniportâiicia correspuiideiite ao resgate de títulos da divida iiiteriia aniortizável de6,5 por ceiilo de 1028 (dívida especial da Madeira). 4 de Março - Decreto 25095, aprovando o quadro clíiiico e dos eiiipregados d o Hospital da Misericórdia d o Funchal, bem como os respectivos veiicimentos. 23 de Abril-Decreto-Lei 25281, reduzindo a metade o imposto de comércio marítimo que onera as mercadorias em trânsito prwedentes de deterniiiiado país, seus territórios ou colóiiias, com destino ao rnzsnio país, seus territórios e coloiiias, e iseiita de imposto de passagens e de con~érciomarítimo, pelo seu eiiibarque e desembarque, querii

tome parte em excursões por via 5 de unho - Decreto 25461, marítima iniciadas nos portos do criaiido a elegaçâo da Junta NaCoiitiiiente e das illias adjacentes e cioiial de Exportação de Friitas da terminadas nos niesrilos portos. Ilha da Madeira. 16 de Maio-Decreto 25342, fi6 de Junho-Decreto-Lei 25460, xaiidovárias taxns das corresporidên- deterininarido qiie a receita provecias a expedir das colóiiias portu- niente do registo de matrícula oiigiiesas para o Contiiiciite, arquipé- cial de qiialqiier curso ou graii d e e lagos dos A~ores Madeira e quais- ensino, com exclusão do priineiro, quer colhias portuguesas diferen- paga por meio de estainpilhas fistes clas de origem. cais nos distritos autórionios tle Ponta Delgada, Angra e Filnchal, 18 de Maio-Decreto-Lei 25370, passe a ser cobrada por iiieio de reforçaiido a dota ão prevista no guia, devendo o produto das coorçaiiiento para a junta Autónoma branças ser entregue oportunaiiieriíl.is Obras tlo Parto do Funclial. te às respectivas Juntas Gerais.

h

29 de Maio - Decreto-Lei 11.0 25418, isciitando de autorização prévia da Iiispecção do Comércio Bancario a iriiportação de riiercadorias aleniãs eiii Portugdl e ilhas adjaceiites emquanto vigorar o acardo referente ao pagamento das dívidas comerciais entre Portu~al a Ale- e manha. 31 de Maio Decreto-Lei 25437, prorroyaiido para o corrente ano induçtri,&l regime trailçitório estao belecido para o de 1934-35 pelo artigo 16 do Decreto-Lei 23847, que niodifica o regiine do açúcar, alcool e aguardente na Ilha da Madeira e regulando a substituição ou reriovação dos canaviais actualmente existentes. 5 de Junho - Decreto 25462, abrindo um crédito para remunerações a três professores dos liceus dos distritos autónomos das ilhas adjacentes. 5 de junho - Decreto 25463, criando, com sede no Furichal, o Grémio dos Exportadores de Frutas e Produtos Hortíeolas da Ilha da Madeíra.

25 de Junho-Decreto-Lei n.O 25534, autorizaiido o Govêriio a orgariizar e enviar ao Arquipélago da Madeira uma niissão técnica a firn de proceder ao estudo d o problema da rede de estradas dêsse distrito irisiilar. 29 de Junho-Decreto-Lei n . O 25557, autorizando O híinistro do Interior a adjudicar em concurso público a ConcessPo do exclusivo do jogo de fortuna OU azar na ZOna da Ilha da Afiadeira (Fuilchal), desde 1 de Agosto do correiite ano atk 31 de Março de 1936, a cidadão ~ ~ r t ~ OU ~ ê s que satisfaP g ein~rêsa as condições da legislação em vigor. 1 de Julho-Rectificação ao Decreto-Lei 25557, que autoriza o Ministro do Interior a adjudicar em concurso público a concessão do exclusivo do jogo de fortuna ou azar na zona da Ilha da Madeira (Funchal). 2 de Julho-Portaria 8150, siniplificaiido a carta de saúde adoptada nos portos do Continente e ilhas adjacentes.

10 de Julho Decreto-Lei n.0 25508, determinando que a farinha de maridioca, também designada por farinha de pau oit de Agiia, iião possa ser levantada das alfândegas do Continente e das ilhas serii ser desnaturada. 20 de Julho - Decreto-Lei n.O 23613, criarido, com sede iio Furiclial o Gréinio dos indiistriais de Bordados da Madeira. 19 de Agosto -Decreto-1-eí 1i.O 25768, determinando que o produto das inultas aplicadas por transgressões do Código da Estrada e mais le islação s6bre trânsito a cargo das yuntas Gerais de Ponta Delgada, Angra e Funchal, constituam receita das mesmas Juntas. 5 de Setembro-Decreto 25820, aprovando os quadros e vencinientos da Associação das Enfermeiras da Casa de Saúde Camâra Pestana, freguesia de S. Goriçalo, Coricelho do Funchal. 1 de ~utribro-Decreto 25880, autorizando o Ministro do liiterior a adjudicar em concurso público a concessão do exclusívo do jogo de fortuiia ou azar na zona da Ilha da Madeira (Funchal) desde a assinatura do respectivocontrato até 31 de Março de 1937, a cidadão português ou emprêsa ue satisfaça as condi~ õ e s legijacão em vigor. da 1 de hovembro-Declaração de terem sido, por despacho ministerial, fixadas as taxas a cobrar, na exportação, pelo Grémio dos Exortadores de Frutas e Produtos ortícolas da Ilha da Madeira. 13 de Novembro - Decreto n.O 26045, regulando a fiscalização da exportação dos vinhos regionais, com excepção dos do POrto e da

-

7 de Janeiro - Rectificaçào ao Decreto 1i.O 35342, qiie fixd virias taxas d i s correspoiidCncias a expcdir das zolórii,is port~igtiesaspara o Lontiiierite, arquipélagos dos Açores e Madeira e quaisquer colóriias difereiites das de orígeni.
11 de Janeiro - Portari.t 8337, fixarido as taxas sobre o valor dos bordados exportado? e sobre a iiiiportância das veiidas no mercado local que constituem receita do Grémio dos Iridustrias de Bordados da Ivladeira. 28 de Janeiro - Decreto 26277, abrindo um crédito destinado ao pagamento de salários a dois trabalhadores c111serviço nas quintas Viia, Pavão, Riarichi e Saiitana dos ariatorios da Madeira. 12 de Fevereiro - Decreto-Lei 26350, modifícaiido as condições de venda das propriedades riísticas e urbanas na posse do Estado, situadas na Lombada dos F:snieraldos e Lugar de Baixo, do Coiicelho da Ponta do Sol (Madeira). 7 de Março - Rectificação d o Decreto-Lei 26350, que modifica as condições de verida das propriedades riísticas e urbanas na posse do Estado situadas na Lonibada dos Esmeraldos e Lugar de Baixo, d o Concelho de Ponta do Sol. 9 de Março - Cecreto 26407, aprovando o quadro clínico e dos empregados do Hospital da Misericórdia do Funchal, e bem assim os respectivos vencimentos anuais. 17 cic Março-Decreto-Lei 1i.O 36424, determinando que os trigos iiecesskrios para o abastecimento do

h

Madeira.

arquipélago da Madeira só podem satisfazer as despêsas efectuadas, e ser importados do Continente oii airida não pagas, pela coniissão técdas colóriias portuguesas de Africa, nica noiileada para proceder ao esregula a sua importação, o fabrico tudo cia rêde de estradas iio Arquidas farinhas e o fabrico e venda do pélago da Madeira. pão. 5 de Maio--Decreto 26571, pro24 de Março - Portaria 8032, niulgaiido o regillairierito das verifidesignando a constituiçáo heráldica cações das friitas e produtos hortídas armas, bandeiras e selo da Câ- colas de exportacão a realizar pelos mara Municipal do Funchal (Ma- servíços esecutivos da delegaqâo da deira). Junta Nacional de exportação de 1 de Abril- Decreto-Lei 26488, Frutas da Ilha da Madeira. autorizando a Juilta Gerd do Dis14 de Maio-Despacho rninistetrito Administrativo do Funchal a ria1 de concoi-dância coni o parecer subsidiar as Câmaras Municipais da Procuradoria Geral da Hepiiblica dos Concelhos do Funchal e Cârna- sôbre as díividas suscitatlas pelo ra de Lobos, a fim de que estas, reitor do Líceii Jaime Monís, do em comparticipação com o Estado, Furichal, Acerca do provirneiito de construam moradias para as classes lugares da secretaria e de contíriiios menos favorecidas. do mesmo liceu. 4 de A-bril-Decreto 26499, clas20 de Maio-Decreto-Lei 26613, sificando de monumento r~acional, determinaiido que os aspirantes e o edíficio que serviu de Paços do escriturários das alfândegas d o ConConcelho na vila de Santa Cruz, da tinente e ilhas adjacentes iiotiieados Ilha da Madeira. depois da publicação dêste Decre16 de Abril-Decreto-Lei 26521, to-Lei só possam ser transferidos, emitindo aos tesoureiros das al- a seu pedido, quando contem, pelo ândegas d o Continente e ilhas ad- menos, dois anos de serviço efectijacentes o poder propor, para seus vo na Direcção Geral das Alfiridefiéis, funcionários dos quadros das gas ou na alfândega oiide se enconalfâiidegas, qualquer que seja o trem colocados. tempo de serviço que esses funcio20 de Maio-Decreto-Lei n . O nários contem. 26616, autorizando a Administração 17 de Abril-Decreto-Lei 26527. Geral dos Correios e Telégrafos a esclarecendo que determinadas re- arrendar um prédio para instalação ceitas pertencem 9s Juntas Gerais dos serviços dos correios, telégrafos dos distritos autónomos insulares. e telefo~iesda Cidade do Furichal. 25 de Maio-Aviso, procedendo 17 de Abril-Rectificação ao Decreto-Lei 26424, que deterniiiia sÔ- autorização de S. Exea o Ministro bre o abastecimento de trigos lia das Obras Públicas e Conlunicaçóes, Madeira, e regula o fabrico de fari- fíxarido eni 3$50 a taxa dos avisos de recepçâo das correspoiidêiicias nhas e venda de pão. expedidas do Continente e ilhasadI de Maio - Decreto-Lei 26565, jacentes para os países estrangeiros autorizando o Govêrno a mandar (exceptuando Espariha) quando pe-

P

+

didos posteriormente ao depósito das corresporidências a que se refirani. 4 dç Junho-Decreto-Lei 26555, criando a Jurita Nacional dos Lacticínios da Airideira (J. N. i.. M.), corri sede ria Cidade do Fiinclial. 15 de Junho- - Decreto-1-ei 26685, abriiido uni crkdito para paganieiito dos trabalhos de classificação, niedição e avaliação dos terrelios do Estado situados na Lornbadados 1:smeraldos e Lugar de Raixo do Concelho da Ponta do Sol (Ilha da Madeira). 28 de Agosto - Decreto 26952, determiiiarido que todos os produtos resiiltantes da fariiiaçáo do trigo qiie do arquipéligo da Madeira seguirem, para o Coritinente ou pqra os Açores fiquem sujeitos, quando despachados para consumo, à taxa consignada na pauta minima de importação que Ihes f6r aplicavel. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.0 26980, classificando como estância de turismo o arquipélago da Madeira e cria ria Cidade do Funchal com jurísdição em todo o arquipélago uma comissão de iniciativa que se denominará: Delegaçáo de Turismo da Madeira. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.0 26983, determinando que seja feita à Junta Geral Autónoma do Distrito do Funchal, para a construção d o novo liceu a cedêricia gratuita do eciificio e terrenos ocupados pelo hospital militar naquela cidade, e autoriza a expropriação dos outros terrenos adjacentes até complement0 da área i;rdispensavel a ô referido estabelecimento de ensino. 5 de Setembro-Decreto-Lei n.O

26984, determinando que a regalia diini aiitoniovel de 2." categoríacoricedido ao goverria(ior civil d o Piiriclial se cfcctive poriiieio durii aborio nicrisal para desl~csascoiii autoniovel ern serviço oii representação oficial. 5 de Setembro Decreto-Lei r1.O 26085, deterrniitarido que .a Jurita Autótioiria dds Obras do PGrto do Fiiiiclial, criada pela lei 11.0 89,l)assa a desígriar-se Junta Autdnomn dos Portos do Arquipklago dn Mndeira, e regiilandu as suas atribiiiç6es. 7 de Outubro - Decreto 27070, abrindo iim crédito para refdrço tia dotação coiisignada a direitos alfaridegarios, liceiiças, taxas de embarqiie e quaisquer outras imposições legais a pagar ao Estado e aos corpos administrativos pelo transporte de material movimentadopara transformação, repnração, distribuir ou depósito entre o Contineiite e as ilhas ou vice-versa. 10 de Outubro-Decreto 27078, autorizando o Banco da Madeira a contratar com a Caixa Geral deDepaitos, Crédito e Previdencia, a abertura de um crédito que poderá ser concedfdo em forma de conta cwrente, pela importância precisa ao resgdte da totalidade das obrigaç6es que o mesmo Banco foí autorizado a emitir. 23 de Novembro- Decreto n.» 27234, fixando o rendiniento tributdvel das pessoas siiigulares ou colectivas que iio Continente ou ilhas adjaceiites importarem oleos, petróleos, gasolinas e seus derivados. 23 de Novembro -- Parecer da Procuracloria Geral da República, hoiriologado por despaclio miltiste-

rial, no sentido de que só o Ministério tem competência para a coiicessão de carreiras de camioiiagern na Ilha da Madeira. 31 de Dezembro--Decreto n O . 27430, abriritio uni crédito de Esc. 100.000$00, destinado ao pagamerito de iiitlemnização a Jose Artur Dâmaso, rios termos do acórdão do S T A. de 13 de Março de 1036. ..
13 de Março - Decreto-Lei n.O 27566, substituindo o iiavio hiclrográfico Cinco de Outubro, julgado incapaz do serviço da armada, pelo aviso de 2.' classe Carvalho Araújo, que passará a denomínar-se iiavio hidrográfíco Carvalho Araú Q nos serviços da Missão Hidrográ!ica das ilhas adjacentes. 3 de Abrl-Decreto-Lei 27625, isentando de direitos de importação os materiais móveis e utensílios iiecessários à instalação e primeiro guarnecimento do Hotel Nova Avenida, da Cidade do Funchal. 22 de Abril-Decreto 27660, autorizando a Administração Geral dos Correios e Telégrafos acelebrar contratos dos projectos de construção das rêdes telefónicas subterrâneas de várias cidades, incluíndo a do Funchal. 1 de Maio - Decreto 27699, 5 autorizando a 2.a Repartição da Direcção Geral da Contabilidade Píiblica a mandar satisfazer a importância da limpeza no lustre do gabinete da direcção da Alfândega do . Funchal. 18 de Maio-Decreto 37707, autorizando o pagamento das importâncias respeitantes,. respectivarnen-

te a despesas efectuadas no mês de Dezembro de 1936 com os cadastrados e vadios presos à ordem do Comando Geral da Policia de Segurança Píiblica e as des esas feitas pelo Govèr,io Civil do biotrito do Fiinclial nos mêses de Julho e Agosto c!e 1936 por motivo dos motins popularej havídos na Ilha da filadeira. 7 de Julho-Decreto-Lei 27826, permitindo no ano industrial 1937l(J38, a importação tio Continente, nos termos do Decreto 23847, do açíicar da cana que exceder o consumo da Madeira, até ao limite máximo de 400 to~ieladas. 13 de Julho-Decreto-Lei 27853, isentando de direito de importacão e de todas as iniposições de caracter local, no arquipélago da Madeira, vários artigos destinados h industria de bordados. 14 de Julho-Portaria 8748, regulaiido o manifesto de semetiteiras, plaiitaçaes e colheitas nas ilhas adjacentes. 31 de Julho-Decreto-Lei 2791 1 estabelecendo certos preceitos do sentido de tornar mais eficiente a fiscalização do regime sacanno no arquipélago da Madeira, reduzi~ido ao mínimo as possibilidades de fraudes. 31 de Julho-Decreto-Lei 27912, introduzindo várias alterações no regime sacarino da Madeira. 5 de Agosto-Decreto 27928, regulamentando o imposto de carceragem nas cadeias civis do Contíne~ite ilhas. e 13 de Seteínbro-Decreto 28028; abrindo um crédito a fim de ser inscrito no orçamento sob a rubrica

*Restituiçdo d Junfa Authnoma dos Portos do Arquípelugo da MnI 1 dc Junriro --- Hcctificriqão a o dtJiru, du importância de v~nd(rde C-unrbiuiscntregucs nos rofrt s do I)iacrt.to-Lei 27012, qiic iiitrotliiz vário rcgi~rie s.icariiio Il'rsonro corrto reccifn do Estcfdo~. ri:i.; :iltc.raqõt~s (Ia Nat1eir;t. 15 de Outnbro-De-;p:iciio iiii18 dtl I31i)crciro-í')ccrclo 2847S, iiisteri.il pelo qiial fica clt~terniiiiatlo cri,iii(lo o serviço tie prtasviçoi rio yii:. 0s peqiieiios for?.atos t l v eiii- wrviqo teicfOiiico iiaciorial, iiitlicanbalagens para figos e aiiiGiitlo.i.;, e sobretaxas ibiitrr ate ao liriiite riiáxiirio tle 15 qiiilo- (10 as taxas as illias ridj icciites. o grariias, j strt ridardizados e 1tlg:ll- (:oritiiieritc c á iiieiitr aiitorizados, destinatlos .ias 1 0 de Fcverciro - Decreto-Lei iiiercatlos das ilhas adjacciites, Afri- 28485, iriorlificn!ido a classificaçào ca e Aniérica do Siil, po,iciii ser clas coiiiiinicaçUes j~íiblicaspor \.ia agrupadas em taras clc protecção tcrri>stretio Distrito do Fiiiich:il. (caixas, sacos, fardos), sem deternii1.9 de Fcvcruiro - Decreto-Lei iiação do peso liqiiicio pira estas. 18486, estabelecendo as caracteristiO'de Novembro-Dccrvto-l.ei 1i.O c.is ti~iiicasa adoptar nas estratlas 28145, autorizando a Jiirita Autó- nacioiinis da Ilha da Madeira. rioiiia dos Portos doArqiiipéiago d:i I de Abril-l>ort,iriri 8%3, perMadeira a pagar à Conipaiihia dks rriitiiido a aposiqão, nau corresponObras do Pôrto do Furichai unia dêiicins postais, das virihetas eniitiiiideninização pela rescisão do con- clas pela Delegação d o Turismo da tr2to celebrado para a construção Madeira. das obras do seu porto e concessão 14 de Abrd-Decreto-Lei 28591, (10 exclusivo da sua exploração. fixando certas disposições legais pah' de Novembro -- Decreta-Lei rLia construção e reparação das es28146, autorizando a Juiita .r\utóno- tradas n~uriicipais e dos carriinlios ma dos Portos d o Arquipélago d a vicinais da Ilha da Madeira. Madeira a contrair na Caixa Geral 14 de Abril-Decreto-Lei 28592, de Depósitos, Crédito e Previdêii- aprovando o plano de traballios pacía, um etnpréstimo, a fim de ser ra a execução da rède complemena1Jicado na realização de diversos tar das estradas da Ilha da Madeira. iiielhorametitos d o Porto do Fuiiehal 25 de Abril-Portaria 8987, dee rio pagamento da indemnização à Fumasil Campany e à Companhia signando a constituição heráldica das ariiias, bandeira e sê10 da Câdas Obras do Pôrto do Funchal. mara Municipal d o Concellio d o Pôrto Monís (Madeira). 2 4 de Novembro-Decreto-Lei 17 de Maio-Decreto-Lei 28655, 28235, dividindo em seis prestações anuais o adicional sobre as contri- autorizando a Junta Geral Antóriobuições e impostos mandados co- ma d o í?istrito d o Furichal a ceder brar no Concelho da Ribeira Brava gratuitamente à Associação Protecpor motivo dos motins havidos ria tora dos Pobres d o Funchal o préIlha da Madeira eni Agosto de 1036. dio urbario oride eni tenipos esteve

instalado o frigorífico da extinta Junta Agrícola da Madeira, para iiele ser feita a distribiiição da sopa diária aos pobres d o Funchal. 26 de Maio-Decreto-Lei 28714, ailtorizaiido a Admiiiistr.~çâo Geral dos Correios, Telégrafos e Telefoiies e o Ranco de Portugdl a efectuarem entre si a troca de duas parcelas de prédios contíguos que possueiii lia Cidade do Fu~ichal. 2 6 de Maio -- Tlespacho do SubSecretário do Estádo das Finanças pelo qual se determina que o produto das multas aplicadas pelos tribuiiais do trabalho lios distritos de Ponta Delgada, Aiigra e Fuiichal, pe.rteriçam as respectivas juntas gerais. 9 de Junho-Decreto 28753, fixando a sobretaxa para a eiitrega de um telegrama iiiterriacioiial coiii proprio pago destinado a qualquer estação do Contiiiente, ou dos Açores OU da Madeira. 13 de Junho - Decreto 28760, autorizando a 2.' Repartição da Direcqão Geral da Contabilidade Púbilca a satisfazer a importâiicia ue despesas com telefones efectuadas nos meses de Setembro a Dezembro de 1035 pelo serviço de fiscalização do alcool e aguardente da Ilha da Madeira. 10 de Agosto-Despachos ministeriais pelos quais é autorizado o acoiidicioiiamento de miolode ainêiidoa em caixas forradas com folha de Flandres quando os lotes se distinem à Colômbia e toriiando extensivo aos mercados do norte da Eudos pequenos ropa o agrupame~ito formatos de embalagem para figos e amêndoas destinadas aos mercados das ilhas adjacentes, Africa e

Aniénca do Sul 'eni taras de protecção, seni limitação do pêso liquido para estas. 2 4 de Agosto-Despaclio riiiriisterial, declaraiido terem sido substituidos os dois tipos de caixas adoptadas para o acoiidicionariiento de vagiiiha da Illia ds Madeira, por um tipo único. 2 2 de Setembro - Decreto-Lei 20014, estabelecendo que só não estão sujeitas ao raleio do leite e das natas atribuido por Decreto 1i.O 26655 à Jurita Naciorial dos Lacticiiiios da Madeira as cooporativas agrícolas ço~istituídaselil harmonia cotn a legislação ein vigor sôbre associaçõos agrícolas.

31 de Outubro-Decreto-Lei n . O 29096, iseiitaiido de direitos de importação os iriateriais, inóveis e utensilios iiecessários i s obras de ampliaçãoe guarneeiiileiito do Reid's Palace Hotel , da Cidade do Funchal. 24 de Novembro - Decreto-Lei 20182, prorrogando por iin-i ano u prazo a que se refere o art.O 53 do Decreto-Lei 26654 (nomeação da Direcção da Junta Nacíorial dos Lacticinios da Madeira). 6 de Dezembro -Decreto 29219, autorizando o Ministro a alterar em determinadas bases o contrato elaborado em 1893 entre o Govêriio Português e a companhia inglesa de cabos submarinos Telegraph Construction and Mairiteiiance Company, devendo ficar estabelecido uni serviço telegráfico, a taxas reduzidas, no triângulo Contiiieiite-Açores-Madeira. 8 de Dezembro - Decreto-Lei 20236, regulaiido os direitos sobre

- A -

MADEIRA NA -

LEOISLAÇA~ r PORTUO~~FSA 97
---e-

as iariniias exÓ:icas importadas no Arquipélago da Aladeira.
8 de Dezembro - Decreto-Lei 29455, prorroqarido o prazo a que 24.3 r , defiriiiido a acção e compe- se refere a a1irie.i c do artigo a d o têricia discipliiiar d o Grérriio dos Decreto-Lei 23936 (isetição de con-

18 de F e ~ ~ r e i r o Decreto-Lei --

Inci ,<tri~is Bordados da Aiadeira tribuição iridiii;it~iLil3 Rancu d:i Alade :1 i na parte eni qite se refere aos seus deira). agieiniados que exerçdni aquela indfi-;.ria e comércio fora da área do 9 dc hinrço---Decreto 20177, rernesi;io Grémio. duzindo de 500 os direitos da batata de serrielite it1iportad:i iio Ar8 de Dezembro Decreto-Lei quipélago da ijkxieird e proíbea en29349, modificatido a atribuiçao de trada no Coritinerite e rio Arquivotos sos sócios d o Grémio dos In- pélago dos Açores da batata de sedustriais de Bordados da Aladeira. mente procedeiite dlqiitrle arquipk8 de Dezembro - Decreto-Lei lago. 2924 1, determir1ar;do que os borda28 de Abril - Decreto 29559, dos da Aladeira so poisam ser ven- trarisferindo várias verbas d o orçadido;, expe~stosà veriíla ou condu- nieiito para reflirço da dotaçãc.) coiizidos para venda rio Arquipélago signada a grdtific~ç6es ao pessoal em terra ou mzr, desde que tenham da fiscalizaqão do alcool eda agtiaraposto irm sê10 de garatitia. dente da Madeira. 8 de Dezembro-Poriana O 18. 1 16 de Maio-Aviso designando a forma como passa a ser repartido o produto das taxas se toriia piiblico ter sido co5r:-idas s6bre o valor dos borda- $02 a taxa a cobrar pelo Grémio dos-que constitiiem receita do G. I. dos Exportadores de Frutas e Produtos Hortícolas da Ilha da h!adeiB. \i.+ Madeira. ra, por cada quilogrania de banana 22 de Dezembro-Decreto-Lei exportada para Inglaterra. . O 29263, subistituindo o Decreto n 30 de Maio-Decreto-Lei 29642, 29219, que estabelece uin serviço telegráfico, a taras reduzidas, no prorrogando até 30 de Setembro d o .corrente alio o prazo a que se rtfetnangulo Continente-Açores-Mare o artigo 2 d o Decreto-Lei 28863; deira. tornando essa prorrogaqão extensi31 de Dezembro - Decreto-Lei va a todas as concessões de carrei2933g, estabelecendo que as autori- ras regulares d o Continerite e illias zações gerais d e importação a que cujo prazo d e validade termine ense refere a Lei 1947, poderão, quan- tre I de Janeiro do corrente ano e d o se refiram a alcatraes, breus, as- aquela data. faltos, ou gases derivados d o peI de junho-Portaria 922:), ex tróleo, ou sejam passados a favor d e entidades que:exerçam a sua ac- tinguindo a 5.a secção da secretatividade nas ilhas adjacentes, ser da- ria judicial da I .a vard da Comarca das para quantidades a fixar em de- d o Funchal e determinalido que a antiga 4.' secção passe a denornibito.

-

,

:::;1 :

A MADEIRA NA LEGISLA(;A RTUOUESAO F)
nar-se 3.a, conservando as outras as mesmas denomineções. 5 de junho-Decreto-Lei 2 1657, considerando Lot ria Nacional Portuguesa a lotaria da Misericórdia de Lisboa, única aiitorizada no Continente, ilhas adjacentes e co16nias africanas. 15 de Junho -Decreto 29688. autorizando a Junta Autónoma dos portos do arquipélago da Madeiraa celebrar contrato para a construção, fornecimento e montagem tle dois guindastes eléctricos de pórtico inteiro e 280 metros de via completa para rolamento dos mesmos, destinados à citada J. A.
22 de Junho - Portaria 9249, aprovai~do regulamento do servio ço de abastecimento de águas à Cidade do Fitnchal, 29718, autorizando o Crovêrno a enviar à Ilha da Madeira uma mis-

26 de Junho - Decreto-Lei

n.O

são técnica para proceder ao reconhecimento das possibilidades tècnicas e econhniicas da ilha nos aspectos hidro-eléctrico e hidro-agricola em conjunto.
6 de Julho-Despacho do SubSecretário de Estado de Corporzções e Previdência Social, publícando a tabela dos salários e preços míni-mos aprovados, para o pessoal da industria de bordados nos Açores e Madeira. 13 de Julho-Decreto-Lei nO . 29742, concedendo à Junta Geral Autónoma d o Funchal um subsídlo destinado obras de reparação e de adaptação d o Palácio de S. Lourenço, e concedendoigualmente outro subsídio à Misericórdia d o Funchal destinado às obras de amplia-

@o i10 seu ho;pitnl e riludaiiça das sal is de nperl~3es. 14 rie Julho - Decreto-Lei n . O 29750, minciando proceder iio .,no de 1440 ao 8.0 recenseatneiito geral da popula~ão,não só i10 Contiilente e nas ilhas adjacentes, liias também no Império Coloiiial e para além dele, em todos os iiúcleos importantes de portugueses iio estrangeiro. 15 de Julho - 3ecreto-Lei i1.O 29733, determinando que as iiiercadorias do Protectorado da Rcériiia e Morávia, importados a partir de 15 de Julho de 1939, em Portiigal e ilhas adjacentes. oii destiiiadas às colónias, mas pagáveis em Portugal ou ilhas adj~cerites, sejam pagas nos prazos coiitratuais, exclusivamente por entrega cio seu contra valor em escudos da metrópole no Banco de Portitgal, quer direcmente, quer por intermédio de um Banco oii banqueiro. 18 de J~rlho- Decreto-Lei 20761, permitindo no ano industrial 10391940, a importação iio Coritiiiente, nos termos do Decreto-Lei 23847, do açúcar de cana Que exceder o consumo da Madeira, *até ao limite máximo de 400 toneladas. 19 de Julho- 7ecreto-Lei 29762, tornando aplicavel aos arquipéla Os dos Açores e Madeira o Decreto-h 22827, que estabelece o condicionamento d o irabalho de estrangeiros no território continental. 20 de Julho - Decreto 20767, abrindo um crédito para refôrço da dotação ,consignada no orçamento do Ministério o levantamento hidrográfico das ilhas da Madeira, Porto Santo, Selvagens e Desertas, e do Arquipélago dos Açores.

24 de Julho - Decreto-Lei 1i.O 2'4'777, dando nova redacção ao 5 úiiico do 2rt.O 84 do Decreto-Leí 256 13, que cria, rio Funchal, o Gréniio d o i Industriais de Bordados d a Madeira.
2 5 de Julho - Decreto 2Y780, coordenarido e uniforniizarido algumas disposições sobre tasas telegráficas e altera alguns artigos do regitlameiito telegráfico iiacional, incliiiiido Açores e Madeira.

27 de Julfzo-Portaria 0274, estili uiiido o pôsto fiscal da Praça de S. bedro, secção fiscal do Furichal, da companhia n 1 d a Criiarda Fis. O cal, e habilita à cobraiiç~ do niesmo imposto d o pescado o posto fiscal dv Cais da Alfâiidega, da referida secção fiscal. 2 de Agosto - Decreto 29801, estabeleceiido novas iioriilas reguladoras da instalação, classificação e exploração das esti ções telégrafopostais do Coiitinente e ilhas adjacentes. 1 de Agosto-Decreto-Lei 1. 7 10 29833, prorrogaiido o prazo estabelecido no art.O 3.0 do Decreto-Lei 27853, que isenta de direitos de importação e de todas as imposições de caracter local, no Arquipélago da Madeira, vários artigos destinados à indústria dos bordados. 25 de Setembro - Decreto-Lei 29040, integrando no quadro geral da polícia de segurança p~lblica,os policias de S. P. de vários distritos autónomos incluindo o do Funchal. 27 de Outubro - Despachos d o Sub-SecretArio de Estado das Corporaç6es e Previdência Social pelos quais se determina que fiquemobrigados ao pagamento das cotas a

que por disposições estatutárias estejaiii sujeitos os sócios dos Siiidicatos 'Jacionais dos Empregados de Escritdrio dos Serviços de Navegação, todos os ~~~~~~egados de escriiório que trabalhem ou veiiham a trabalhar lias companhias oii agências de iiavegação em Portugal; {os Einpregados de Escritório do 31strito do Pôrto todos os enipregados de escritorio que trabalheili oii veriham a trabalhar no serviço de einpresas comerciais e iiidustriais, e dos Farmacêuticos, todos os f ~rmacêuticos que exerçam a sua actividade profíssional no Coiitineiite e ilhas. 30 de Outubro-Despacho do Sub-Secretário de Estado das Corporações e Previdêllcia Social, pelo qual se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a que por disposição estatutária estejam sujeitos os sócíos do Sindicato Nacioiial dos Profissiotiais de Cinema todos os profissioliais qiie trabalheni ou venhani a trabalhar nos serviços das empresas prodiitoras, distribuidoras e exibidores de filmes estabelecidos rio Continerite e ilhas adjacentes. 8 de Novenzbro-Despachos do Sub-Secretário de Estado das Corporações ,e Previdência Social pelos quais se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a que, por dispoçiçbes estatutárias estejam sujeitos os sócios de vários silidicatos incluindo o dos Empregados do Comércio do 9istrito do Funchal, e todos os empregados do comercio que trabalhem ou venham a trabalhar rio Distrito do Fuxhal, 23 de Novembro -Decreto-Lei 30078, exceptuando da selagem a qiie se referem os artigos 1.O e 2.0

do Decreto-Lei 2426'2, os titulos estrangeiros possuidos por estrangeiros não domiciliados no Continente e ilhas adjacentes, quando tais titu10s constituíreni objecto de simples depósito em Portugal e aqui não sejam transacionados. 23 de Novembro - Despachos do Sub-Secretário de Estado de Corporações e Previdêncía Social pelos uais se determina que fiqueni 08rigados ao pagamento das cotas a que por disposições estatutárias, estejam sujeitos os sociosdos Sindicatos Nacionais dos Empregados e Operários da Indústria de Panificação do Distrito de Castelo Branco e dos Odontologistas Portugueses, respectivamente todos os empregados e operários da índústria de panificação que trabalhem na área abrangida pelo mesmo Sindicato a todos os odontologistas que exerçam a actividade profissional tio Continente e ilhas adjacentes. 24 de Novembro-Decreto-Lei 80090, prorrogando por um ano os prazos a que se referem o artigo 6 . O do Decreto 29070 e o arto, único do Decreto 29182 (nomeação da J. N . des Lacticinios da Madeira). 25 de Setembro-Despacho do $b-Secretário de Estado das Corporaçbes e Previdência Social pelo qual se determina que fiquem obrigados ao pagamento das cotas a

que, por disposição estatutária, estejam sujeitos os sócios do Siiidicato Nacional dos Trabalhadores de Armazens de Vinhos e Oficios Correlativos do Distrito do Fuiichal todos os trabalhadores de armazéns de vinhos e ofícios correlativos que trabalhem ou veiiharn a trabalhar na área abrangida pelo inesrno Sindicato. 14 de Dezembro - Decreto-Lei 30132, coiicedeiido à Ju~ita Geral Autónoma do Funchal uin subsidio extraordinário destinado às obras de reparação e adaptação do Palácio de S. Lourenço, e abrindo um crédito para as referidas obras.

20 de Dezembro - Decreto n O . 30167, abrindo um crédito para reforço de várias verbas iiiscritas no orçamento do Ministério destinados aos serviços de segurança pública de vários distritos íncluíndo o do Funchal. 22 de Dezembro - Decreto-Lei 30214, aprovando o Estatuto dos distritos autóiiomos e a lei orgânica cios serviços das Juntas Gerais dos distritos autónomos, das ilhas adjacentes. 28 de Dezembro - Decreto n . O 30223, abrindo um crédito destinado a despesas com a polícia de segurança piblica dos distritos autónomos das ilhas adjacentes.

Indice remissivo e anotado da legislaçlio

Abaatacimento de A'guaa. Pag. 24, 25, 28, 31, e 98. A Camara do Funchai é autorisada a contrair um emprestimo para abastecimento de aguas pótaveis e canalização de esgotos, etc. Vid. Snneamento da cidade do Funchal. pelo engenheiro Adriano Trigo, estudo inserto na Revista de Obras Públicas e Minas* do ano de 1899; Saneamento da Cidade do Funchol, projecto de esgotos pelo mesmo Funchal , 1900; e Elucidario Madeirense 1-1.

Adminiatraçlo Judicial. Pag. I, 2, 4, 6, 8 e 19. Vid. El. Mad. 1-15 e 11-22 e 24 e A Madeira .na Legislaçdo Pottrrguesa.

Agricnltnra. Pag. 3, 8, 14, 46 e 47. Diversas medidas de protecção à agricultura madeirense. Vid. J u n t a Agricola
A m a de Pena. Pag. 81. Construç&odum edifício escoIar.

A luirdente. Pag. 34 -37,44, 46, Achadas da Cirr. Psg. 22.- É 48-50, 58 64, 65, 67-75 82, 83 86, desanexada esta freguesia. Vii. Porto Monis e El. Mad. 87, 90, 96 e 97. Fabrico de aguardente, seu consumo. expropriaçlo 1- 13 e 11-317. das respectivas fabricas etc. Vid. bçocar.Pag. 10, 15, 17, 19, 22, 1-2r. Açucar, Alcool e El. Ma& 31, 49, 58, 61, 67, 70, 71 74, 75 76. 78,87,90 91 e 08. Fabrico, fiscalisaAgoa., Pag. 2, 5. 6 e 21. ção e exportação do açucar madciVid. Levada.. rense etc. Vid. Alcool, Agu rdente, RegiAlcool. Pag 31, 38, 44, 58, 70, me Sacarino e Ef. Mad. 1 13.
9

.

AsiociaçHo de Socorros Mu82 e 87. Seu fabrico, fiscalisação, tuos 4 de Setembro de 1862. Pag, consumo etc. Vid. Aguardente. El. Mad, 1-30 30. Aprovação de novos estatutos. Vid E l . Mad 1-85. Alfandega. Pag. 1-8, 12, 19, 33, 44 58 73, 83 e 94. Amsociações de Socorros M a Vid. El. Mad. 1-32 e os opúscu- tuos. Pag. 30, 41 e 58. los ali citados. Assuntos Militares.. Pag 1, 3, Alienados. Pag. 24. 5, 7, 13, 14, 17, 35, 53 77, 81-83.
'Alrvilo de 1842. Pag. 6. Providencias adoptadas.

~

~ Pag 57, t

~

Auxilio Maternal Pag. 43. Ê concedido o txtinto convento das Arco de SaOJ p r p Pago 1. E Mercês para a sua inotalafão. 7 extinta esta paroquia e anexada a Vid ~ 1 Mnd. 1-95 . de São Jorge. Vi d El. Mad. 1-72. Arquivo Històrico Distrital.

Vid. El. Mad. 1-50.

Pag. 81. Condições do seu funcioBanco Figueira. Pag. 80 81, namento. 81 e 86. Diversas niedidac, estabelecendo-se a forma de liquidar os IieArma. do Munfcipio do Fun- gocios da massa falida de Heiirique chal. Pag. 92 e 95. Fixa-se a cons- Figueira da Silva. tituição herdldica das armas, bandeira e selo da Ciimara do Funchal. Banco dr. Madeira. Pag. 49, 55, Vid. El. Mcd. 1-77. t 7.82, 84-86, Y 3 e 97. Concedem-se certas faculdades para uma mais Asiles. Pa 4, 9, 10, 14. 44 e 51. proveitosa gerencia desta casa bancaria. Vid. El. dad. 1-79.

.

88. Aquisição dum prédio e nomeação de pessoal. Bsnco Rodrigues B Irmla.. Vid. El. Mad. 1-84. Pag. 52. Autorisado a emitir guiasouro. AmaociaçPo Protectora dos Pobres. Pag 24, 31 e 95. Aquisi~ãoe Banco Teixeira, Machado & alienaçiio rie bens. Ca. Pag. 52. O mesmo que o anteVid. El. Mad. 1-85. rior

Banco Sardinha. Pag 80 e 85. As~ociaçIo Protectora dos Estndantea Pobres. Pag, 24, 31 e O mesmo que o anterior.

.

INDICE REMISSIVO

ANOTADO

103

B a k o s Económicas. Pag.' 92. Caça. Pag. 39, 40 e 84. Concede as Câtilaras Municipais d o Furichal e Cainara de Lobos certas Cacongo. Paga E 10~vadoJ.J. 18. ' facílidades para a construção de ca- Roiz Leitão pela ocupação do terrisas baratas destinadas às classes torio de Cacongo em Africa. menos favorecidas Cadeia do Funchal. Pag. 3, 34 e Barbosa du Bocage. Pag. 28 40. A Câiriara 4Iunicipal do FuiiíJosé Vicente). Ao Museu N:icional chtl é zutoricada a construir uma de Zoologia de Lisboa é dado o no- cadeia cornarcã. me deste ilustre madeirense. Vid El. Mnd. 1-161. Vid. EI. Mad. 1.109. Caixa Economicr Pag. 36 Batata. (Seiliilha Pag. 77. Re- Aprovação dos estatutos da Caixa duzindo o imposto alfandegario pe- Econoniica Madeit ense la sua importação. Caixa Geral doa Depositoa. Pag. 52. Cedencia Bebidna alcoolicau. Pag. 60 e do antigo Paç:, dumas deperidencias Episcopal para a ins61. Sua importação. talação d~ Agencia da Caixa Geral.

.

.

Beni N'cíonai'* 2p 4, e Calhota: Pag. 17, 20 t? 24. Alito7. Sua venda e outras disposições. risan<lo a Miiericórdia a alienar os seus bens, desariexação B-ordadoa. Pag. 64. 66, 67, 72 algtimas freguesias do concelho, 76, 80, 91, 94, 07 e 99. Provitle11- nomeações de empregados etc. cias beneficiantlo a industria cios cem a redução do imposCiniichi, Pag- 4 0 s habitante to que recai sobre Os te- pedem a desanexação desta freguecidos destinados a esta industria e sia do CaniFo. outras medidas. Vid. El. Mad. 1-142 Camara Municipal doFunchal. pag. 13 16, 23,26 27 31,34,40, 4g, BOHcam* Pag- 1°* Estabelecimeno 47.58 e '72 Autorisando.a a contrair to de farmacias na Madeira. alguns empréstimos, concedendo isenção de direitos para o material Cabo Telegráfico- Pag, 17, 24, destinado 31 luz electrica, conctrução 38 e r)õ. duma cadeia etc. Vid. El. Mad. 1-158, Cnmara Pestana (Dr. Luis da). Pag. 24 e 26. Pensão à mãi e filho, eiii iioineiiage tn à inemoria desteilustrc madeirense. Vid EI. 112ad. 1-1'32 r: SS. Cabotagem. (Serviço de) Pag. 68.

Cireunseriçiio Industrial Pag. Caminho de Ferro Americana. Pag. 21, 23 e 26. Concedendo faci- 64. Iídades para a sua exploração. Vid. E l . Mad. 1.178. Colegíadas. Pag. 7. Vid. E1 Mad. 1-254. Caminho de Ferro do Monte Pag. 23. Colera Pag. 34. A epidemia em Vid. Et. Mad. 1.198.

Cana Sacarina- Pago 3. 9, 10 e demia Cdlerica na Madeira, pelo 19. Diversas medidas ácêrCi3 do fa- dr. Carlos de França, 191f brico do açucar. alcool e aguardente. Colonia*(Contrato de)- O antigo Vid. R.p$re Saciríno. El. Mad. e conhecido Contrcito de Colonia, 1-201 e ss. que reguia as relações entre os proprietarios das terras e os parceiros Canarias 67* agricolas que as cultivam, isto é, entre os .senhorios- e ecolonos* Capitania do Porto do Fanchal. ou ecaseiros,, não é ordenado por Pag. 17 qualquer lei positiva existente na nossa legislação, mas apenas por Carreira de Tiro. Pag. 42 Auto- um direito consuetudinário, que risando a expropriação de terrenos se vem mantendo intacto através de muitas gerações, ao meiios nas para a w a i~istalação. Vid. E l . Mad 1-225. suas caracteristicas futidamentais. Pelos tribunais teem trans tado inúCaiti Hidrogrinsa. pag g meros litipios iicêrca deste assuns Levantamento da carta hidrogrhfica to, que tanto interessa à economia do nosso arquipélago, e por dos mares da Madeira. Vid. Anais do Club Militar Na- isso deixaremos aqui indicados as vai, de Janeiro a Fevereiro de 1940. principais escritos que dele se ocuparam estatido ainda por elaboque o Csrviim de Pedra. Pag. 39 e 44. ra' Um estudo Declarando livre a exportac.o do abranja em todos 0s seus múltipu10s aspectos, segundo nos inforcarvao de pedra. rnam alguns distintos advogados, Vid. EI Mtzd 1 230 Ei-10s: Observacões sobre o contrato de colonii na Madeira, por Cjrc~lação monetiria* Paga 2. 6 , José Pereira Sanclies e Castro juiz 16, 2 e 22. de direito cla comarca ocidental do Vid- Moeda e Ela Mad- 11-148 Funchal, 1850 de ,2 pag.. a que o anotador das Saudades da Terra Ci..culo Escol*r d a Ribeira Bra- chama c mais aiitorizado escrito sova. Pag. 43 e 48. Sua criação e ex- bre o assunto; O contrato de cole tinqao. nia por João de Sant'Ana e Vas-

1916. Vjd. E1 Mad. 1-254 e ss. e Epl-

INDICE REMISSIVO ANOTADO - - --.

-

-

--

- ..

105

..

i

Confraria do Carmo. Pap. 23.

Autorisação para realisar certos rtieIhorameiitos Ira respectivci igreja.
Confraria de AI. S. das Vitoriai. Pag. 26, Aprovandc os setis eçtat:itos.

Comarca do Funchal. Pag. e 93.

73

Comercio. Pag. 5 e 6. Providen- Autorisação para coriitrair urn em* cias para acudir à decadencia do prestirno. coxilercio. Coneruas a o clero. Pag. 12-1 4 Comissão Diocesana do Culto. IJag. 15 e $5. Eiitrega d e alguiis Cooperativa de Construçào bens a essa Co~nisâo. Predial. Pdg. 38. Resolução d u m recurso. Comissão Venatoria. Pag. 39. Conaervatbrin d o registo comercial. Sua criação rio Furiclial. ComissPo d e Vinicultura. Pag Pag. 56. 67. Convento da Incarnàção. Pag. Vid. El. Mad 1-202.

Confraria do Santiraimo Sacramento (São Pedro). Pag. 26.

+

concelos, 18%; O Contrato de Colonia na Ilha d a hladrira, por João Agostinho Perry cla Cailiara Lomelino, Funchal. lSS9, de 40 pag.; Projecto de lei rcgl! lamentar do contrato de colonia ou pcrrceria ngrlcola na ilha da Madeira, por J. It.Trindade e Vasconcelos e Jobé A~itóriio de Almada, F u ~ ~ c h a1867, d e 40 pag.;Obseri~al, ções sobre a situação econoniica d a Ilha da Madeira, por António Correia Heredia Lisboa, 18S8, de 96 pag; A questdo da propriedade n a Madeira. Discurso pronunciado na carnara dos depntcdos por Manuel José Vieira Funchal, 1888, de 20 pag.; A imprensa e os tres projectos sobre colonia, venda de aguas do estado e nufononzicr da Jilntn Agricola . Furichal, 1916, de 107 pag.; O contrato de colonia na Maderra, por Pedro Pita, Lisboa. 1920, de 84 pag. Tambern se ocuparam desta importante materia as anotações das Saudades da Terra e os tres \rolurnes da Epoca Administrativa.

Companhia d e Aguardente. Pag. 27, 72, 73 e 75.
Companhia d e Seguro. Aíliança Madeirense. Pag 30, 31, 33 e 38.

Companhia d e Seguros Gsrantia Funchnlenre. Pag. 31, 43 e 52.
Comunicatõea entre a Madeira e Porto Santo Pag. 8 21, 85 e 80. Comunicaçães maritimrs c o m

...

Lisboa. Pãg 2. 7. 10-16, 18, 1 r 2 ' . 23, 32, 35, 36, 4 1 e 97. Subsidios e privilrgios concedidos a companhias de navegação para facilitar as comunicações maritimas entre a Ma. deira e a metrópole. , Vid. El. Mad. 1-263.

=5*Fe<c :
=+

-

* _+

_= a
-

-.
%*

i

22'29 e 85. E' cedido para a insta- Pagamento duma indenisação.

Iaçiio das oficinas de São José
Delegação de Turismo. Pag. 93.

Vid. Seminario da IncarnaçZo . Sua criação na .Madeira.
Convento das Mercê*. Pag. 34 Delegados do Governo Central. e 43. E' concedido à Camara do Pag. 77-82. Funchal para a construção da cadeia comarcã, sendo depois revogaDesemprego, Pag. 82. da essa concessão. Deserta.. (Ilhas). Pag. 84. E' reConvento de Santa Clara. Pag. servado aos seus proprietarios o di22, 26,39 e 59. O antigo convento reito de caça nessas ilhas. é cedido a diversas associaçlles e entidades oficiais. Distrito Autonomo. Pag. 100. Aprovando o estatuto do distrito Corporacões do Culto. Pag. 75 autonomo d r ~ Funchal. 76, e 85, Ordenando que lhes sejam entregues diversos bens e obDívida da Madeira. Pag. 88 e jectos destinados ao culto catolico. 89. Pagamento das dividas feitas Vid. C O ~ ~ S S Culto. do ~ O com a sufocaçào revolta da MaCorreio. (Serviços do). Pag. 4, 17, deira no ano de 1931. 20 e 92. Vid. El. Mad. 1.285. Vid Revoluç~o Madeira. na Emígração. Pag. 2, 9 e 10. Diversas medidas para a sua repressão. Vid. El. Mad. 1-345. Crim cerealifara. Pag. 42. Diversas medidas para a debelar. Emprenadoa do Comercio. Pag. Crisa Economica. Pag. 6 e 22. 9 e 100. Estão sujeitos a o pagamenAdoptam-se algumas providencias. to das cotas como membros dos sindicatos. Corta Ferreira. r Dr, A~itóriío Esco'in Industrial. Pag. 20, 46, Aurelio da). Pag. 6B. Pensão A viuva e filho deste distinto ,madeiret~- 57, 61, 62 e 81. Sua criação e aumerlto do numero de aulas e oficise. nas. Vid. EI. Mad. 1-290. Vid. El. Mad. 1351.

Um recurso judicial.

Cosoart Gordon & Ca. Pag. 40.

Damaso. (Josb Artur). Pag. 94.

Escola Medica. P u ~ 8, 11, 14, . 15, 18 e 33. Diversas providencias

Acerca desta Escola e sua extinção. 17. Não dependem das Juntas d e Paroquias. Vid. El. Mad. 1-354.
Eicola de Pilotagem. Pag: 45. Faial. Pag. 48 e 49. Fabrico de Sua criação junto cla capitania do aguardente nesta freguesia. Porto do Funchal. Fajã da Oveiha. Pag. 34. CriaEspirito Santo. (Capela do) Pag. ção dum lugar de notario. 54. Cedencia desta antiga capela, na freguesia .$de Camara de Lobos, a Faría e Soosa. (Padre João Vicen . uma irmandade. te de) Pag. 37. Por motivos politiEt. Mad. 1-363. ticos, é-lhe imposta a proibição de residir na Madeira durante um ano. Estação Agraria. Pag. 62 e 69. Funcionamento desta estação. Farinhas. Pag. 54, 57, 59 e 95. Regulando a sua importação. Vid. A gricnltora, JuntaAgricuIa e El. Mad. 11-25. Florestas. Pag. 21,37 e 40. Estação de Saude. Pag. 9 e 16. Fomento Industrial e Agricolr, Vid. Guarda-mor de Sauda. Pag. 27. Freguesias. Vid. Paroquias. Estado de Sitio. Pag 78. Declarando a Madeira em estado de sitio. Freitas. (Padre Carloç de) Pzg. na Vid. Wevoluç~o Madeira. 38. Por motivos politicos, foi proibido de residir pelo ternpo de seis Estradas. Pag. 12, 19, 20, 36, méses, na ilha do Porto Santo, onde 71, 74, 90, 92 e 95. Diversas mcdi- era paroco. das àcêrca da sua construção, coFrutas. Pag. 38, 96 e 97. Protemissão especial de estudos etc. ção iexportaçâo de frutas. Estreito de Camara de Lobo., Gados. Pag. 39. Regulando a Pag. 15 e 73. Posto te1efón;co e pastagem de gados. construção do cemiterio. .Exercito. Vid. Assuntos Militares.

37 e 72. Sua expropriação.

Fabricas de Aguardente. Pag ,

Fabricam Paroquiais. Pag. 15 e sentação.

Oovetnadares Civisda Distrjto. Pag. 1, 9, 10, 17, 64. 66 e 93. Seus vencimentos e verbas de repre-

Governo Civil. Pag. 3, 4, 16,

19 e 49.

Hotel Nova Avenída. Pag. 94. Isenção de direitos sobre os materiais destinados h sua construção.

Grande Guerra. Pag. 44. Na!luminação Pública. Pag. 22 e vios apreendidos no porto do Fun23. Aprovação do contrato para a chal. ilumiriação do Funchal e isenção de Gremio de Exportadores de direitos. Vid El. Mad. 1-492. Frutaa. Pag. 90, 91, 92, 97 e 99. Criando esse gremio e regulando o seu funcionamento. Imposto de Farolagem. Pag. 41. Vicl. Frutas. Sua extinção. Gremio dor Induirtriafs de BorImportos Municipais. Pag. 5e7. dados. Pag. 91, 97 e 99. Os cobrados na Alfandega do FunVid. Bordados. chal devem ser distribuidos por to-

das as camâras do distrito.

99. A sua organisação na Madeira.

Guarda. Fiacal. Pag. 28, 54,61 e

Incendios. (Serviço de). Pag. 58. Criando um imposto cobrado nt GPrda-nór de saudo. Paga 19 e Alfandega do Furichal destinado ao 52. Seu vencin~e e sua extilição. serviço de i~cendios* rito Inetrução Pública. Pag. 1, 3, 9, 10, 1 1, 13 18,25, 26 e 34. Criação

Hereus.

Hereus. Pag. 10. Associação de de varias escolas e outras providen-

Vid . Levadas.

cias. Vid. El. Mad. 1-357, 509 e 520.

Hinton & C.g. Um recurso judiIrmãeinhas doa Pobres. Pag. 50. cial. Cedencia à Junta Geral d o edificio Via. Regime Sacarino. que pertencia a essas religiosas. Vid. El. Mad. Hospício da Princesa D. Maria Amalia. Pag. 9. E' autorisada a

sua criação. Viti. El. Mnd. 1-484.
Hospital.

Isenção temporaria de direitos alfandegarios. Pag. 6, 8, 10, 24 e 27. Jôgo. Pag. 7, 75,51,83, 84, 89-91. Perrnititido o jogo c!e azar e regulando a sua fiscalisação.

Vid. filisericor-dias

.

Honpital Militar. Pag. 93. E' ccdido para a edificação do liceu. Juizes de Paz. Pag. 6. Criação de Vid. El. Mad. 1-488. Julgados depaz e seu funcinomento.

Junta Agricola. Pag. 36, 37. 40, 42, 45-48, 68 e 69. Sua criaçHo, funcionimento, sindícância, extinçáo etc. Vid E i t a ~ s o Ar ia e E[- Mad* Agr 11-23.

Dicionário Corogrdfico da Madeira, pelo Padre Fernando A. Silva, 1934. ~an a . tinção. t da ~ u e n d a ~ a gI.. Sua a-

67, 70, 73, 82,86-88, 90,93, 95 e 93. didas referentes ao funcionamento Criação da Junta, sua organisação, construção do porto de abrigo, con- desta corporação administrativa. trato com a Fumasil e indenisação Junta doa Lacticinios. Pag. 93. a esta com ~nhia, diversas medidas gcêrca do Puncionamento da inesrna Sua criaqáo. Vid. Lacticinios. Junta, etc. Vid. Porto do Funchal e os seLaboratorio Qaimico-Agricolr guintes op~sculos:Breves consideraçdes sobre os melhoramentos de Pag. 34. A sua criaçso na Estacão que carece o porto do Funchal pe- Agrária. lo engenheiro Adnano Trigo, 1912; Lacticinios. Pag. 78, S2, % e Lei Organrca d a Junto, 1014; Memoria descrifr'va e justificativa das 100. Algumas providências Acêrm obras projectada3 pelo enge- desta industria nheiro Furtado de Mendonça, 1915; Lei Organica e Regulamento da Vid. Junta dos Lacticinios. [unta Autonoma, 1Y 17: Novo Projeeio das obras do portu artificial Pag. 11, 15, 20 25, do Funchal por Francisco Antonio 34 e 35. OrganisaCão do seu quaObras do do dro de empregados, instala<ãu dum Funchol,publi=do pela Companhia hospital de isolamento etc. das Obras do Porto 1926; Obras do Vido Porto do Funchal, pareceride tres professores da universidade, 1926; b v a d a ~ P ~ L 5. 7-10. 18-231 * 4. A Questao do Porto do Funchal, reprrsrntaqáo ao governo, 1927; 27-30. 50* 56, 65 77 7Y e Documentos relativos d quesfdodo g8* Diversas medidas acCrca da porto do Funchal, 928; consinisua construção e distribuição das ç ~ do prolongamento do cais da a g ~ a s regadio, o projecto da sua o de Entrada da Cidade, pelo engenhei- venda,etc* Vid. El. Mad. 1-53e 9s. e 0 9 brr0 Rodrip.o Anibnío Machado Guique ali marães, 1933; protecçd0 do que- nais e diversos opii~c~los brn-mdr da Pontinha, pelo iiiesmo, veern 1031; Os kortos ~ a r i t i m u s de Liceu. Pag. 10-13 25, 26, 42, 53, Portugal e Ilhas Adjacentes, vol. 5.O, por Adolfo Loureiro, 1910, e 63,73, 85, 86,91 e 93 Vhriasprovi-

Junta Aotbnoma dar Obras do Junta Geral. Pag. 26-31, 36, 37, Porto. Pag. 39. 40, 43, 60, 63-65, 50, 63 65, 70. 73 e 85. Varias me-

...

dencias àcêrca da sua organisação e fiincionamento, cedencia do Paço Episcopal para 9 sua instalação, cedeiicia do Hospital Militar para a construção do novo edificio etc. Vid. El. Mad. 11.64 e SS., OS diversos relatórios dos reitores Marceliano Ribeiro de Mendon~a,dr. Nuno Silvest:e Teixeira e d r . Ange. Silva e o opúsculo Anos de Vida Escolarv do dr. Basto Machado.
Lombada dos Esmcraldos. Pag.

as despesas com a sua recepção. Vid. El. Mad. 11-107.
~ ~ camara ~ Pestana, i Paga 29 e 91. Aprovaxdo o quadro do seu pessoal. Vid. ~ 1 Mad. 11.10s e ss. . ~

Manteiga* Rg* 48, 491 55 e 82* Instru~ões Acerca da suaexportaçáo. Vid. Lacticinios e El. Mad -11,,, -113.

..

Medidas SanitArias. Pag. 47.

68,69, 76, 77 88, 91 e 93. E X ~ G priação feita pelo estado, sua ade 12t 13, ministracão nelainsneccão de f nan- 48 e 72* sua ças diçthal; vendi das terras aos Milho. Pag. 38,.42 e 80. Regiriie agricul~ores delas etc. Vjd. El. Mad. 11-71 e o opúsculo da sua importação Vtd El. Mad. 11-136. A Lom badu dt s Esrnernldos pelo Padre Fertiando Augusto da Silva. Misericòtdiar. Pag. 15-20, 22 Loureiro (Adolfo) Pag. 23. Este 23, 29.31, 36, 37, 40 55 68-7i,74, engenheiro veiu A Madeira estudar 76, S3, 85, 91 e 98. Autorisação pao regimen hidraulico e outros assun- ra alienar alguiis bens e virias metos, dos quais se acupa no livro didas de protecçiI(>,cedencia do Sa*Breves Noticia5 sobre os arquipéla- natorio dos Marriieleiros, veiida do gos da Madeira. Açores, Cabo Ver- an igo edificio do Hospital à Junta Geral, subsidio para o alacgamenta de e Canarias.. do actual eaiiicio da Misericórdia ra do Funchal e concedendo isencão de direitos para o material jm. Vid. El. hfad. 11-138 e ss., os opúsculos ali citados e os relatorios portado etc. Vid. Camara do Funchal. e Ef, das Mesas Gereiites nos ultimas Mad. 1-492 e ss. anos.

2, 71 16@ 20-22* Machieo. Pag. 7, 12, 19, 27. 55. 7i e .gl. ~i~~~~~~ medidas acerca Mandando cunhar moeda com a legenda Fecunia Mad~irensis. deste oncelho. Vid. El. Mad. 11-248 e uivloedas... e Medalhas. por Alberto Artur SarMsngin. Pag. 51. Autorisando niento.
6j

Monte. Pag. 15, 71 e 74. Entrega e 100. ConcedirVos stibsidios à Junde alguns bens existentts nesta fre- ta Geral para realisar varios meIhoguesia h corporacão dioceshna d o rzrnentos no Palacio deS. 1.ourenço. Vid. Et. Mad. 1 260. 1 culto.

Paròqtiins. Pag. 7. Criação de Monte Pio Madeirenme. Pag. 32. Autorisado a comprar um edificio algumas freguesias. para a sua instalsçáo. Vid. El. Mad. 11.164. Pamtsgena. Pag 39. Coricessão de licenças para a pastagem de ga Motins Popularem. Pag. 94 e 95. do suino e caprino. Vid. Gados. Pagamento das despezas que esses motins provocaram. PecuBria. Pag. 68, Disposições Museu de Sciencias Naturais. hnêrca dos serviços de pecuiiria. Pag. 63 e 63. Emissão dum selo postal para a criacão duni museu Peaca. Pag. 32. Inquérito sobre de nistoria natural. esta industria. Vid. El. Mad. 11-181 e ss. Pessoal maritimo da ASQandega. Pag. 44. Vid. Alfandegas. Naturalizmção. Pag. 86. Polícia. Pzg. 16, 28 37, 84 F6, Navios apreendidos. Pag. 44. 99 e 100. Fixando os venciinentos Navios alemães apreendidos rio por- da corpctraçâo da policia etc. to do Funchal. Vid. El. Mad 11-299. Vld. El. Mad. 11-470. Policia de EmigraqBo. P H ~ . 7, 36 e 37. Crízção e organisação dos serviços da policia repressiva de Obras Publicam. Pag. 5. emigraçso. Obras do Porto. Vid. Junta Autònoma daaObtas Policia Rural e Fzoreatal. P3g. 27 e 40. Aprovando r.s regulamendo Parto. tos dest 2s serviços.

PaçoEpircopal.Pag 38,39 52'53, Porto d a Cruz. Pag, 31. Posto e 66. Cedencia deste edificio para a Fiscal. instalação do liceu, destino a darao seu mobiliario etc., Ponta Delgada. Pag. 61. CriarVid. EI. Mad. 11-255. do um posto fiscal nesta freguesia. Palacio de S. Lourenso. Pag. 98
Ponta do Prrgo. Pag. 15. E' de-

Siio Vicente. Pag 25, 43 e 72. Criando uma repartição adniiiiistra40 41, 43 48, 55 e 69. Criacão deç- tiva e um partido medico etc. te concelho partido médico. círculo escolar, criação da vila etc. Secretaria do governo civil.Sua reorga~i~ação. Ribeira da Janela.Pag. 34. ConSelos P o s t o i ~ Pag. 63, 64 e 68. . cessão das águas da ribeira desse nome. Autorisando uma emissão de selos postais destinada á criação diitii no porto do Funchal. museu de historia riatiirai. Pag. 28 e 20. Selvagens. Pag. S4. Regime de reserva de caça nestas ilhas a favor Sanat&tios, Pag. 28 e 32. Içen- dos respectivos proprietario~. çãodedireitos e indenisação Com. Vid. El. Mad. 11-570 e ,<elvagens por Alberto Artur Ssrmelito. panhia dos Sanatorios. Vid. El, Mad. 11-412. Seminario da Incrrrnagáo. Pag. Sanatòrio Colonial. Pag. 43. E' 29 38, 47, 48, 66 e 8;- Ceclencia d o co- convento para a C O ~ S ~ ~ UCIO~ SeÇ O criado na Madeira um minario diocesano, cedencia deste à lonial. Junta Geral, anulacão desta ceden Santini. Pag. 13, 27 e 29. Criação duma escola nesta freguêsia. Serra de Agun. Pag. 93. Serviços SantaCruz. Pag 8, 25-27, 43, de matrizes nesta fregiiesia* 54, 75, 85, 87 e 02. Aprovando o Servi~os ~ecuarioo* Paga 68. quadro do pessoal da Misericbrdia e classificando os paços do concelho como monumento nacional etc. Scrviçor de maude. Pag. 65.

t a orgão dos revoltosos, de que se piíblicararn vinte e cinco níimeros no ntês de abril e principio de maio de 1931; Boletim Oficial (do governo revoltoso), tendo apenas saido quatro numeros; A Revolrrpelo José na Ilha da A Mornaça. A ReLavrador; e volta nos Açores e Madeíta em 1931 por Ferro Alves; e Infantaria 13 no Movimento Politico da Mndeira de 4 de Abril de 1931 (Palavras dum por Antonio Fernandes Varão, 19'2.
Ribeira Brava, Pag. 18, 28, 33,

Santa Luzia. Pdg, 58 c 76. Cedencia do passhl destri frrgiiesi:i.

Santada Serra. rao, 71 ]-)clstr, Telefonico,
S3o Psdrn. Pag. i?. Aiituri~aiido a Coiifraria do S:tntissiIiiosacraa aceitar legado*

S l o Roque do Fai.1. 71. E' anexada h freguesia i10 Faia1

Serviços Iiidraulicoí Pag. 7 e Tribunais do Trabal!ro. Pag, 89 60. Diversas providências àcêrca e 06. Sei1 estabelecimento no Fiinchal. destes serviços.
Servisoa hidro?r&ficor. Pag. gS Trigo. Pag. 29-41, 43, 44, 51, 54, Levaritaiiiento hidrográfico dasilhas 57, 72, 77, 91 e 92. Sua importaçâo, deste arquipélago. pagamento de direitos, rateio pelas fabricas etc. Setviçou , hidt a-electricoa e hidro igricolni. Pag. 98. Mandando Turiamo Vide deTu. proceder a diversos estudos. Y iom o.

xando a5 lotações do respectivoposto.

Serviços telegráficos c radiotelugtàficos. Pag. 17 30 e 55. Fi-

Vaginhsi. Pag. 96. Sua exporta-

cão.
Vigario Capitular. Pag 8. Insinuação régia ao cabido do Furichal para a ilomeação do Vigario Capitular.

Sinistrados. Pag 66 Socorro aos sinistrados do temporal de 1926.
Surprise. Pag. 5 1. Vid. Mangin.

Vimes. Pag. 48. Sua exportação. Tabaco. Pag. 1, 4. 5 17-19, 33, 40, e 49. Livre ciiltura e fabrico de pag. 31 3 4 , 39, , 44, tabaco e i r i ~ ~ o s tsobre o 51, 66, 67, 75, 8, e to importzdo d o estrangeiro. produ- 91. 58, 59, 62, 63,comercio d e viRegulalido o Vid. E1 Alad. 11 496. nlios, suz exportação, processos de Teatro. Pag, 2 e 8 Concessâo fabrico e Outras medidas* . Vid. El. Mad. 11-552 e seg. e Vido terreno para a sua cotistruç5o e r,.hos da ,vodelrn pelo conde de isenção de direitf s,,para os materiais Canavial. e:np,regados nessa constr~içio. Vld. El. Mad. 11-500 e ss. Vinhos de Pasto. Pag. 34, 58, 32, 60, 74, b5, 59 e 75. Sua importaçfio e fabrico. Pag 69-76, 81 53, 84, 80, 88, 94 e 93. Diversas medidas àcêrca da criação e fui:ciorianiento dos respectivos Viveiro de plantas. Pag. 3. Sua serviços, rede' telefónica subterranea criaqão. etc. Vid. El. Mad. 11-560. Vid. El. inad. 11-510. Votega. Pag. 79. Esse vaso de Tribunal Adminirtrativc. Pag. guerra aturida-se nos mares do Por20. to Santo.
'

.. -

INDICE REMISSIVO ANOTADO
-

-

-----

115

Zargo. Pag. 50. Concederido 0 Zona Franca. I'ag. 41. 4utari. bronze pura a sua estatua a erigir sando a criação duma zona lrniica no porto c10 Fti:iclial. iio Furichal. Vid. El. Mad. 11-566 e ss .

Advertencia - Ern601-a por* motivo estranho a vo~ztade do autor deste livro, deu-se um lapso digno de nota no Sumario da Legislação, gue se eslendr das a inus I B zoo, incluindo-se ~iêleos ,-esutnos de varios LPfrnos legisl~tivos, ue náo di ~ i a n irespsi to exclusiv~nzen~e a?-quipélago da ao fMadeit-a c que porlnnto náo deveriam a l i 3 g u r a r . Essa a?-cunsiancia /o?-nou mais longo O referrdo Sumário, mas n i o o yre judicou na sua pat-ie esseizcial, porqzdanlo o largo desen volvime?rto que se tnzprimiu ao indice remissivo e anotado corrigiu vatztajosumeiite os irrco?ivetzientes d'iqnèle lapso.

Indice Geral
I-Administração
A-Sob o governo dos donatários.. B-As Alçadas
C - Juizes de Fóra e Corregedores

da Justiça:
1

............ .....................
....

Xi
XXI

. ...

...

................... E-As Comarcas.. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ............... F-Outros Tribunais ...
D- Julgados Judiciais

XXIV

XXVI
XL

1 - Madeirenses cultores das sciencias J urídicar; 1
A-No Magistério Universitário B-No Exercicio do Fôro

Sumario da Legislação

.................

................
................

...............

XLVI I LVIII
1
101

Índice remissivo anotado

Erratas

Pag. XXXIII, lin. 5, em vez de cornarcas de Lisboa, Braga -, leia-se. comarcas de Coimbra, Braga.
Pag. XLVII, lin. 7 em vez de aproveitara um-leia-se: aproveitar ,
-

a um.

","doc_promotions_enabled":false,"static_promo_banner_cta_url":""},"eligible_for_exclusive_trial_roadblock":false,"eligible_for_seo_roadblock":false,"exclusive_free_trial_roadblock_props_path":"/doc-page/exclusive-free-trial-props/13587703","flashes":[],"footer_props":{"urls":{"about":"/about","press":"/press","blog":"http://literally.scribd.com/","careers":"/careers","contact":"/contact","plans_landing":"/subscribe","referrals":"/referrals?source=footer","giftcards":"/giftcards","faq":"/faq","accessibility":"/accessibility-policy","faq_paths":{"accounts":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246346","announcements":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246066","copyright":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246086","downloading":"https://support.scribd.com/hc/articles/210135046","publishing":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246366","reading":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246406","selling":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246326","store":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246306","status":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/360001202872","terms":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246126","writing":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246366","adchoices":"https://support.scribd.com/hc/articles/210129366","paid_features":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246306","failed_uploads":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210134586-Troubleshooting-uploads-and-conversions","copyright_infringement":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210128946-DMCA-copyright-infringement-takedown-notification-policy","end_user_license":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210129486","terms_of_use":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210129326-General-Terms-of-Use"},"publishers":"/publishers","static_terms":"/terms","static_privacy":"/privacy","copyright":"/copyright","ios_app":"https://itunes.apple.com/us/app/scribd-worlds-largest-online/id542557212?mt=8&uo=4&at=11lGEE","android_app":"https://play.google.com/store/apps/details?id=com.scribd.app.reader0&hl=en","books":"/books","sitemap":"/directory"}},"global_nav_props":{"header_props":{"logo_src":"/images/landing/home2_landing/scribd_logo_horiz_small.svg","root_url":"https://www.scribd.com/","search_term":"","small_logo_src":"/images/logos/scribd_s_logo.png","uploads_url":"/upload-document","search_props":{"redirect_to_app":true,"search_url":"/search","query":"","search_page":false}},"user_menu_props":null,"sidebar_props":{"urls":{"bestsellers":"https://www.scribd.com/bestsellers","home":"https://www.scribd.com/","saved":"/saved","subscribe":"/archive/pmp_checkout?doc=13587703&metadata=%7B%22context%22%3A%22pmp%22%2C%22action%22%3A%22start_trial%22%2C%22logged_in%22%3Afalse%2C%22platform%22%3A%22web%22%7D","top_charts":"/bestsellers","upload":"https://www.scribd.com/upload-document"},"categories":{"book":{"icon":"icon-ic_book","icon_filled":"icon-ic_book_fill","url":"https://www.scribd.com/books","name":"Books","type":"book"},"news":{"icon":"icon-ic_articles","icon_filled":"icon-ic_articles_fill","url":"https://www.scribd.com/news","name":"News","type":"news"},"audiobook":{"icon":"icon-ic_audiobook","icon_filled":"icon-ic_audiobook_fill","url":"https://www.scribd.com/audiobooks","name":"Audiobooks","type":"audiobook"},"magazine":{"icon":"icon-ic_magazine","icon_filled":"icon-ic_magazine_fill","url":"https://www.scribd.com/magazines","name":"Magazines","type":"magazine"},"document":{"icon":"icon-ic_document","icon_filled":"icon-ic_document_fill","url":"https://www.scribd.com/docs","name":"Documents","type":"document"},"sheet_music":{"icon":"icon-ic_songbook","icon_filled":"icon-ic_songbook_fill","url":"https://www.scribd.com/sheetmusic","name":"Sheet Music","type":"sheet_music"}},"categories_array":["mixed","book","audiobook","magazine","news","document","sheet_music"],"selected_content_type":"mixed","username":"","search_overlay_props":{"search_input_props":{"focused":false,"keep_suggestions_on_blur":false}}}},"recommenders":{"related_titles_recommender":{"ids":[110805175,116919483,15845086,15866452,342688624,25860516,134071962,343170666,15467004,13601082,337467997,246996739,45799907,50553326,125696925,340674275,15275965,384778491,104877789,303665782,234374397,20373964,228297464,108575803,200571102,266068735,81167495,207584433,70079347,295168702,343170670,343170691,343170661,343170647,343170666,343170679,343170659,343170673,343170686,343170660,343170674,343170612,343170690,343170625,343170636,343170578,343170559,343170590,343170576,343170588,343170557,343170597,343170582,343170556,343170596,343170594,343170587,343170561,343170558,343170598],"title_link":null,"title":null,"track_opts":{"compilation_id":"xI7q0llQeZAT4mukBgFglDLnGrc=","module_id":"6ipd04rtlv4HX+HnavLUKXbvgrU=","widget_name":"right sidebar","track_id":"flattened_recommender"}},"footer_recommenders":{"recommenders":[{"ids":[110805175,116919483,15845086,15866452,342688624,25860516,134071962,343170666,15467004,13601082,337467997,246996739,45799907,50553326,125696925,340674275,15275965,384778491,104877789,303665782,234374397,20373964,228297464,108575803,200571102,266068735,81167495,207584433,70079347,295168702],"title_link":null,"title":"Documents Similar To 1941-fasilva-legislação","track_opts":{"compilation_id":"xI7q0llQeZAT4mukBgFglDLnGrc=","module_id":"taMNkkoWdslgf5L7RLpCUO8vP+s=","widget_name":"document_carousel"}},{"ids":[343170670,343170691,343170661,343170647,343170666,343170679,343170659,343170673,343170686,343170660,343170674,343170612,343170690,343170625,343170636,343170578,343170559,343170590,343170576,343170588,343170557,343170597,343170582,343170556,343170596,343170594,343170587,343170561,343170558,343170598],"title_link":null,"title":"More From Alberto Vieira","track_opts":{"compilation_id":"xI7q0llQeZAT4mukBgFglDLnGrc=","module_id":"+4EqSE5GkFQ9MzKLOaBUweXgDBc=","widget_name":"document_carousel"}}]},"seo_new_docs_recommenders":{"recommenders":[]},"documents":{"13601082":{"type":"document","id":13601082,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/13601082/108x144/1f5a0ca309/1515635633?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/13601082/216x288/8c21563e72/1515635633?v=1","title":"1988-madeiradescobrimentos","short_title":"1988-madeiradescobrimentos","author":"Alberto Vieira","tracking":{"object_type":"document","object_id":13601082,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"h2nhLJUder5BKiUZX9YcjEW6XV4="},"url":"https://www.scribd.com/document/13601082/1988-madeiradescobrimentos"},"15275965":{"type":"document","id":15275965,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/15275965/108x144/c63782a2fb/1359747753?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/15275965/216x288/5251b86f8c/1359747753?v=1","title":"pag","short_title":"pag","author":"Jornal As Noticias","tracking":{"object_type":"document","object_id":15275965,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"+j+ZfNTgWhqu8f2R2ub7dbB0sQw="},"url":"https://www.scribd.com/document/15275965/pag"},"15467004":{"type":"document","id":15467004,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/15467004/108x144/b1f2fed8e3/1373097161?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/15467004/216x288/07948cd67a/1373097161?v=1","title":"pag","short_title":"pag","author":"Jornal As Noticias","tracking":{"object_type":"document","object_id":15467004,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"kEnuAViCsOoOuagmCJX89uDeSik="},"url":"https://www.scribd.com/document/15467004/pag"},"15845086":{"type":"document","id":15845086,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/15845086/108x144/938120d7e3/1399793856?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/15845086/216x288/7cd6dc9dbb/1399793856?v=1","title":"2006-quotidiano1834-1945","short_title":"2006-quotidiano1834-1945","author":"Alberto Vieira","tracking":{"object_type":"document","object_id":15845086,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"9qjJTVB0lUz/LpcDCB6+utWPNPQ="},"url":"https://www.scribd.com/document/15845086/2006-quotidiano1834-1945"},"15866452":{"type":"document","id":15866452,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/15866452/108x144/6001710157/1372184884?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/15866452/216x288/bc2e8ad4b7/1372184884?v=1","title":"rotasugar","short_title":"rotasugar","author":"Alberto Vieira","tracking":{"object_type":"document","object_id":15866452,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"BkZewmLM4dYfIR1OF6BBnhzXuNE="},"url":"https://www.scribd.com/document/15866452/rotasugar"},"20373964":{"type":"document","id":20373964,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/20373964/108x144/1d2bfb80db/1319114102?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/20373964/216x288/0900f5b0da/1319114102?v=1","title":"Codigo Judiciario Do Estado Do Para","short_title":"Codigo Judiciario Do Estado Do Para","author":"Roberto_Sidiclay","tracking":{"object_type":"document","object_id":20373964,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"zXF+kKhnM4oDrI49T0RidzmSH9s="},"url":"https://www.scribd.com/document/20373964/Codigo-Judiciario-Do-Estado-Do-Para"},"25860516":{"type":"document","id":25860516,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/25860516/108x144/f0970c6878/1264510771?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/25860516/216x288/0176b78631/1264510771?v=1","title":"Madeira Emigrante 24 Janeiro 2010","short_title":"Madeira Emigrante 24 Janeiro 2010","author":"PAG","tracking":{"object_type":"document","object_id":25860516,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"CY23tFHpwRUCs8KLzUaPcilHm38="},"url":"https://www.scribd.com/document/25860516/Madeira-Emigrante-24-Janeiro-2010"},"45799907":{"type":"document","id":45799907,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/45799907/108x144/ef337b80b0/1374338763?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/45799907/216x288/3c809729c1/1374338763?v=1","title":"1998-avieira-publicoprivado-II","short_title":"1998-avieira-publicoprivado-II","author":"Alberto Vieira","tracking":{"object_type":"document","object_id":45799907,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"eLQAlde9+dbNYFYKoQeDxXagOc4="},"url":"https://www.scribd.com/document/45799907/1998-avieira-publicoprivado-II"},"50553326":{"type":"document","id":50553326,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/50553326/108x144/897ceb061a/1299872531?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/50553326/216x288/ef489ab252/1299872531?v=1","title":"Jornal Litoral Alentejano 2011 Março","short_title":"Jornal Litoral Alentejano 2011 Março","author":"odemira","tracking":{"object_type":"document","object_id":50553326,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"WWiG+jeYSE+bQNXbuvXfe8FVHkg="},"url":"https://www.scribd.com/document/50553326/Jornal-Litoral-Alentejano-2011-Marco"},"70079347":{"type":"document","id":70079347,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/70079347/108x144/580d9e0513/1319458229?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/70079347/216x288/7e839bc804/1319458229?v=1","title":"Madeira Emigrante ","short_title":"Madeira Emigrante ","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":70079347,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"5YB/k8w9SWX3ZOv7u0n8Jgz+Mp4="},"url":"https://www.scribd.com/document/70079347/Madeira-Emigrante"},"81167495":{"type":"document","id":81167495,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/81167495/108x144/ff9d2ab857/1357388602?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/81167495/216x288/021383f820/1357388602?v=1","title":"Madeira Emigrante nº 27","short_title":"Madeira Emigrante nº 27","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":81167495,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"moo9mXkSlKb/4YRTGsiriffnIdY="},"url":"https://www.scribd.com/document/81167495/Madeira-Emigrante-nº-27"},"104877789":{"type":"document","id":104877789,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/104877789/108x144/05fc496194/1413369522?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/104877789/216x288/1388812dc6/1413369522?v=1","title":"SP TJ Escrevente Ed 1657","short_title":"SP TJ Escrevente Ed 1657","author":"dtmatias","tracking":{"object_type":"document","object_id":104877789,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"To3A+H+I7B1KlnjBvkwGQ1HZl0g="},"url":"https://www.scribd.com/document/104877789/SP-TJ-Escrevente-Ed-1657"},"108575803":{"type":"document","id":108575803,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/108575803/108x144/47119b3450/1349104551?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/108575803/216x288/d422a70d7c/1349104551?v=1","title":"EDITAL_ESCREVENTE","short_title":"EDITAL_ESCREVENTE","author":"Edinaldo Santos de Almeida","tracking":{"object_type":"document","object_id":108575803,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"9ePvHicPNHkxpdG4QItnejDhRpI="},"url":"https://www.scribd.com/document/108575803/EDITAL-ESCREVENTE"},"110805175":{"type":"document","id":110805175,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/110805175/108x144/d29dff78c8/1350934478?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/110805175/216x288/c56623098c/1350934478?v=1","title":" COMUNIDADES EDIÇÃO Nº14","short_title":" COMUNIDADES EDIÇÃO Nº14","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":110805175,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"C2tCy4tqZmX9lLksWKj8PKXaIlk="},"url":"https://www.scribd.com/document/110805175/COMUNIDADES-EDICAO-Nº14"},"116919483":{"type":"document","id":116919483,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/116919483/108x144/4b2160a222/1379441167?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/116919483/216x288/1bc16ad8bd/1379441167?v=1","title":"Boletim Comunidades Madeirenses N:22","short_title":"Boletim Comunidades Madeirenses N:22","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":116919483,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"40/OU6aClDkmW2d4PkhIEK7mpuk="},"url":"https://www.scribd.com/document/116919483/Boletim-Comunidades-Madeirenses-N-22"},"125696925":{"type":"document","id":125696925,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/125696925/108x144/54b44f6a97/1376230651?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/125696925/216x288/062acf7254/1376230651?v=1","title":"Boletim Comunidades Madeirenses N:31","short_title":"Boletim Comunidades Madeirenses N:31","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":125696925,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"1T0psssqTeBGNPWfImKSHt7Yj2s="},"url":"https://www.scribd.com/document/125696925/Boletim-Comunidades-Madeirenses-N-31"},"134071962":{"type":"document","id":134071962,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/134071962/108x144/d968aceaf0/1401512288?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/134071962/216x288/52e7813739/1401512288?v=1","title":"IISerie-061-2013-03-27","short_title":"IISerie-061-2013-03-27","author":"Ana Freitas","tracking":{"object_type":"document","object_id":134071962,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"hdnFJ4x+PfGy04uwFVeh5nIiUmw="},"url":"https://www.scribd.com/document/134071962/IISerie-061-2013-03-27"},"200571102":{"type":"document","id":200571102,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/200571102/108x144/a8d1933660/1424459387?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/200571102/216x288/731f7c95df/1424459387?v=1","title":"Boletim das Comunidades Madeirenses N:77","short_title":"Boletim das Comunidades Madeirenses N:77","author":"gsypassociation","tracking":{"object_type":"document","object_id":200571102,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"DKsLMu1vyCiTxr+tymMksjSua30="},"url":"https://www.scribd.com/doc/200571102/Boletim-das-Comunidades-Madeirenses-N-77"},"207584433":{"type":"document","id":207584433,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/207584433/108x144/885ad75f72/1392662706?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/207584433/216x288/d83273c91c/1392662706?v=1","title":"Jn Hoje 17-02-2014 e Outros","short_title":"Jn Hoje 17-02-2014 e Outros","author":"bano1501","tracking":{"object_type":"document","object_id":207584433,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"kDRK4hSLVKJnfBnzvXTvgJhcLo8="},"url":"https://www.scribd.com/document/207584433/Jn-Hoje-17-02-2014-e-Outros"},"228297464":{"type":"document","id":228297464,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/228297464/108x144/36b28e9468/1445900229?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/228297464/216x288/8a50b38bc9/1445900229?v=1","title":"ServletArquivo Execução Cheque Local de Pagamento","short_title":"ServletArquivo Execução Cheque Local de Pagamento","author":"Tommyvicensi","tracking":{"object_type":"document","object_id":228297464,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"WI0VYDeVxhzI2gBLIuQ3nFzxiNg="},"url":"https://www.scribd.com/document/228297464/ServletArquivo-Execucao-Cheque-Local-de-Pagamento"},"234374397":{"type":"document","id":234374397,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/234374397/108x144/f8caf6e0cf/1406201661?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/234374397/216x288/90a1b939ed/1406201661?v=1","title":"Alternativa, nr. 22, julho 2014","short_title":"Alternativa, nr. 22, julho 2014","author":"CDS/PP Madeira","tracking":{"object_type":"document","object_id":234374397,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"l7CN0oUmOLjmtbabJ+QJIp17JWM="},"url":"https://www.scribd.com/document/234374397/Alternativa-nr-22-julho-2014"},"246996739":{"type":"document","id":246996739,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/246996739/108x144/fda3fb25e8/1416325864?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/246996739/216x288/0771e34f7b/1416325864?v=1","title":"Historia Madeira Sintese","short_title":"Historia Madeira Sintese","author":"Alberto Vieira","tracking":{"object_type":"document","object_id":246996739,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"Ie4xmJCH1ERt+42TZC2MMQWF57o