You are on page 1of 1

Resenha do Filme Desmundo – Brasil 1570

O filme baseado no romance de Ana Miranda, é ambientado em 1570, época em que os portugueses enviavam órfãs ao Brasil para que casassem com os colonizadores. A tentativa era minimizar o nascimento dos filhos com as índias e que os portugueses tivessem casamentos brancos e cristãos. Essas órfãs viviam em conventos e muitas delas desejavam ser religiosas. Oribela, uma dessas jovens, é obrigada a casar com Francisco de Albuquerque. O filme mostra, como o da preocupação de Portugal e da igreja católica com a formação étnica da colônia, com isso trazia-se para o Brasil jovens portuguesas, judias, pobres e órfãs de variadas idades, as quais eram criadas e educadas por freiras e consequentemente eram completamente despreparadas para o casamento. Dessa forma a igreja e Portugal intermediavam e controlavam os casamentos entre pessoas de sangue brancos com a finalidade de cortar o nascimento de mestiços, na tentativa de manter uma pureza de sangue, com isso aumentava a possibilidade do Estado manter a ordem pois a população colonial não ficaria comprometida pelo incremento de bastardos e mestiços e a igreja não perderia sua batalha na formação de famílias católicas. Neste momento histórico os negros eram considerados como coisas, os índios eram sub-humanos ou seja, como selvagens a serem domisticados ; e as mulheres, eram apenas objetos com a finalidade de servir aos seu maridos, em todos os sentidos. Não haviam leis, quem determinava suas próprias regras eram os senhores que tinham posses, os que montavam vilarejos. E a Igreja Católica pouco podia interfirir nas decisões de cada vila ou senhor. A igreja mandou que trouxessem órfãs portuguesas para que casassem com bandeirantes. E tais mulheres não escolhiam com quem desejassem se casar; e o casamento da época era viver conforme o querer do homem. A jovem Oribela de Covilhã é obrigada a casar com Francisco de Alburqueque, um homem rude, típico da sociedade portuguesa daquela época, e assim foi se formando a sociedade do Brasil. E com casamento a angustia, o isolamento, o medo do desconhecido, os hábitos rudes do marido e da sogra começam a consumi-la a ponto de que a moça desejava fugir para sua terra natal. Em sua primeira tentativa ela é localizada pelo marido e depois levada para casa, ele o acorrentou e agrediu para ensina-la, ela então fingi aceitar a situação até ser libertada e foge novamente, mas desta vez ela procura por Ximeno, um cristão-novo que era pescador e mascate, pessoa a qual ela admira. Ele dá abrigo para ela e acabam se envolvendo e planejam fugir juntos. Mas seu marido Francisco, observou que havia afeição da esposa por Ximeno e vigiou a casa do mascate e supreendeu durante a fuga. Eles então duelaram e Francisco acaba matando Ximeno. O final do filme mostra Oribela dando a luz e depois andando de carruagem, agora conformada com sua condição de esposa, mas não é um final feliz.