You are on page 1of 8

Laboratório de Circuitos Elétricos I

Profª. Dra. Valquíria Gusmão Macedo

Experiência 12: Fontes Controladas
1 – Objetivos:
• • • Identificar o tipo de fonte controlada ; Determinar corrente e tensão de um resistor atuante no circuito; Observar mudanças no circuito quando o resistor é modificado;

2 – Equipamentos e componentes.
• • • • • 1 Multímetro Digital ; 1 Proto Board ; Fonte de tensão DC (0 a 30V) ; 1 CI 741 ; Resistores : R1 = 1kΩ R2 = 10kΩ R3 = 10kΩ R4 = 5,6kΩ R5 = 4,7kΩ R6 = 3,9kΩ R7 = 3,9kΩ

3 – Informação Teórica.
Como já sabemos, o resistor é um elemento fundamental em qualquer circuito eletroeletrônico. E nesta experiência utilizaremos dois novos componentes, que em conjunto com os resistores formarão circuitos importantes na prática. O primeiro componente é o Amplificador Operacional 741 também conhecido como Amp.Op. Este CI pode trabalhar com sinais DC ou AC; para esta experiência, apenas sinais DC serão utilizados. O Amp. Op. é um CI com oito pinos, sendo que para o presente momento, os pinos “1”, “5” e “8” não serão citados, pois, no Laboratório de Eletrônica Analógica I as funções desses pinos serão exploradas com aprofundamento. Simbolicamente o Amp.Op é mostrado a seguir:
7 3 2 + − 4

741

6

Onde os números significam a pinagem do CI com as seguintes funções: “2”: Entrada inversora – quando se aplica um sinal nesta entrada, o Amp.Op. inverte a polaridade desse sinal. 66

Experiência 12: Fontes Controladas

Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior

é mostrada na Fig. cuja saída Vd é controlada por uma tensão de entrada (controle) Vc.000. A tensão de saída é considerada dependente da tensão de entrada (vezes um fator de escala k). a outra a entrada não-inversora. + + − Vd − Fig.  Fonte de Tensão Controlada a Tensão. Depois de ter sido discutida a pinagem de conexão.Vc Vd tensão controlada k ganho da fonte Vc tensão de controle Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 67 . vamos agora entender uma aplicação tecnológica do Amp. “4”: Entrada de Alimentação DC negativa – é aqui que entramos com a alimentação negativa da fonte de tensão DC. Op. Op. Este tipo de circuito pode ser construído utilizando-se um Amp. “6”: Saída do Amplificador Operacional – é neste pino do CI que coletamos o sinal de saída. 1 : Fonte de tensão controlada a tensão. o Amp. Valquíria Gusmão Macedo “3”: Entrada não-inversora – quando se aplica um sinal nesta entrada. Uma tensão de entrada pode ser utilizada para controlar uma tensão ou corrente de saída. Dra. 2.Op. Estes circuitos são úteis em vários dispositivos de instrumentação.Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª. em conjunto com resistores.. 1. conserva a polaridade desse sinal. Uma configuração de cada tipo de fonte é fornecida a seguir. “A”: Ganho em malha aberta – é o ganho que o fabricante nos oferece. “7”: Entrada de Alimentação DC positiva – é aqui que entramos com a alimentação positiva da fonte de tensão DC. Uma configuração ideal de uma fonte controlada. como mostra a Fig. ou uma corrente de entrada pode ser usada para controlar uma tensão ou corrente de saída. Vd = k . As duas versões do circuito são mostradas . uma usando a entrada inversora. • Fontes Controladas. Geralmente está em torno de 100. Amplificadores Operacionais podem ser empregados para formar vários tipos de fontes controladas.

Vc Enquanto que a da Fig. a tensão de saída é Vd = − ( Rd / Rc ).Vc Figura 3 : Fonte de corrente controlada a tensão. Dra. 4. 2a. 2b resulta em Vd = ( 1+ Rd / Rc ). Id Id = g . O circuito na prática pode ser construído.Vc  Fonte de Corrente Controlada a Tensão. com a corrente de saída através do resistor de carga RL controlada pela tensão de entrada Vc. Uma configuração ideal do circuito que gera uma corrente de saída controlada por uma tensão de entrada é apresentada na Fig. Vc = k . Vc = k . A corrente de saída depende da tensão de entrada. (b) Para a conexão da Fig. como na Fig. Id corrente controlada g ganho da fonte Vc tensão de controle Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 68 . 3. Valquíria Gusmão Macedo Rd Rd Rc − Rc − + Vc Vd Vc + Vd R (a) Figura 2 : Fonte de tensão controlada a tensão na prática.Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª.

O circuito na prática pode ser construído. Dra. Valquíria Gusmão Macedo RL Id − Rc Vc + Figura 4 : Fonte de corrente controlada a tensão na prática. A configuração ideal de uma fonte de tensão controlada por uma corrente de entrada é mostrada na Fig. A corrente através do resistor de carga RL pode ser determinada da seguinte forma Id = Vc / Rc = g .Ic Vd tensão controlada r ganho da fonte Ic tensão de controle RL − Ic + Vd Figura 6 : Fonte de tensão controlada a corrente na prática Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 69 . 5. como mostrado na Fig. + + − Vd − Figura 5 : Fonte de tensão controlada a corrente.Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª. 6. Vd = r .Vc  Fonte de Tensão Controlada a Corrente. A tensão de saída depende da corrente de entrada.

Na prática. Ic Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 70 . R2 I Ic RL R1 − + Id Ic Figura 8 : Fonte de corrente controlada a corrente na prática A corrente de controle Ic resulta na corrente controlada Id da seguinte forma Id = Ic + I = Ic+ Ic . Neste tipo de circuito a corrente de saída depende da corrente de entrada.Ic Figura 7 : Fonte de corrente controlada a corrente. este circuito é construído como mostra a Fig. RL = r .Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª. 7. Ic = h . 8. portanto. Uma configuração ideal do circuito que gera uma corrente de saída dependente de uma corrente de entrada é mostrada na Fig. (R1 / R2) = (1 + R1 / R2) . Ic  Fonte de Corrente Controlada a Corrente. Vd = − Ic . Dra. Id Id = h . Valquíria Gusmão Macedo A tensão de saída será.

Calcule e meça os novos valores de k e anote nessa tabela.1 – Monte o circuito abaixo.2 – Ajuste a fonte de tensão para 1V e conecte ao circuito.Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª. R2 +15V A 1V R1 B 2 3 − + 7 741 4 −15V 6 C R3 4. Valquíria Gusmão Macedo 4 – Prática. 4. Resistor Fator k da fonte Calculado Medido Medido Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 71 . Dra. Medido VA VB VAB VBA Tabela 1 4.3 – Meça as tensões pedidas na tabela 1.4 – Anote na tabela 2 o tipo de fonte controlada e calcule/meça o fator k da fonte (ver teoria). Calculado Fator k da fonte Tipo de fonte controlada: Tabela 2 4.5 – Substitua o resistor R2 pelos indicados na Tabela 3. 4.

2V Ic I Ic Id 4. Valquíria Gusmão Macedo R4 R5 R9 Tabela 3 4. Calculado Fator h da fonte Tipo de fonte controlada: Tabela 5 4. R6 I Ic R3 +15V 7 2 6 − 741 + 4 3 Medido −15V Id R5 1. Fator k da fonte Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior Medido 72 .Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª.9 – Substitua o resistor R5 pelos indicados na Tabela 6.6 – Monte o circuito abaixo. Dra. Tabela 4 4. Calcule e meça os novos valores de h e anote nessa tabela.7 – Meça as correntes pedidas na tabela 4.8 – Anote na tabela 5 o tipo de fonte controlada e calcule/meça o fator h da fonte (ver teoria).

Experiência 12: Fontes Controladas Elaboração: Pedro Paulo dos Reis Junior 73 .2 – Determine a corrente que passa pelo resistor de 4kΩ na fonte controlada abaixo : 4kΩ 2kΩ − 8V + 2kΩ 5. 5. Dra.5 V. RL Rc − Vc + 5.Laboratório de Circuitos Elétricos I Profª. Vc = 1.1 – Determine a corrente que passa pelo resistor RL na fonte controlada abaixo : Dados: RL = 10kΩ . usando transformações de fonte até chegar em uma única malha. Valquíria Gusmão Macedo Resistor R4 R2 R7 Calculado Medido Tabela 6 5 – Questões.3 – Encontre a corrente i no circuito abaixo.