PAULA MELO

INTERSETORIALIDADE E A REDE ADOLESCENTE – INTERAÇÕES PELA VIDA EM SÃO JOÃO DA BOA VISTA

TERESINA / 2013

o aparato estatal encontra-se enraigado por estruturas assinaladas pela fragmentação. . sem que sejam consideradas outras necessidades.Hoje um dos grandes desafios do governo é conseguir a integração entre as políticas públicas. poderes e vontades diversas se apresentam como uma nova forma de trabalhar e de construir políticas públicas. excessiva burocratização. pois esta será decisiva na efetivação dos direitos sociais. entre outros. portanto de saberes. segundo Inojosa.183) Para que os direitos sociais sejam plenamente garantidos é preciso que as políticas públicas sejam amplas e atendam a população de forma integral. Os direitos sociais contêm a ―[. porque ocasiona promove ações isoladas não contemplando a totalidade da realidade social que é tão complexa e não pode ser vista por apenas uma perspectiva. No Brasil. O problema já não era mais loca expandiu-se por toda região. isto é. Estas políticas devem possibilitar o enfrentamento de problemas e devem produzir efeitos mais significativos para as pessoas. Torna-se impossível garantir direitos. Esses empecilhos se configuram no cotidiano institucional dos serviços públicos. que deverá criar um sistema institucional capaz de dar conta dessas demandas‖. paralelismo de ações. endogenia de departamentos. (COUTO. com supremacia da responsabilidade de cobertura do Estado. Em São João da Boa Vista buscou-se as articulações entre sujeitos e setores sociais diversos e. Porém. Foi diante da necessidade de mudança de paradigmas que São João da Boa Vista deu um passo de fundamental importância na inserção de intersetorialidade em sua forma de efetivar as políticas públicas. em sua totalidade. O segmento escolhido para aplicar essa concepção foi o público adolescente devido a percepção do aumento do número de deste segmento envolvido com drogas.. Segundo Couto.] idéia de que as dificuldades enfrentadas pelos homens serão assumidas coletivamente pela sociedade. o que se percebe é que as políticas públicas e dos serviços públicos se configuram de forma setorizada e fragmentada.. 2004. Este modelo setorizado é ineficaz. desarticulando dessa forma o atendimento às demandas da população. p.

A intersetorialidade vai muito mais além de um único setor social: é a ―articulação de saberes e experiências no planejamento. foi realizado outro evento. buscando superar a fragmentação das políticas. para que o trabalho não corresse o risco de descontinuidade:   a implementação da rede intermunicipal. entidades da sociedade civil e lideranças da comunidade de cada município. prefeitos. para enfrentar problemas diversos e dar uma resposta a uma necessidade ou situação. de lançamento oficial da Rede Adolescente. Isso passa pelas relações homem/natureza e homem/homem que determinam a construção social da cidade. num total de 263 pessoas. para garantir um acesso igual dos desiguais.‖ (Inojosa. executar e controlar a prestação de serviços. Isso significa alterar toda forma de articulação dos diversos segmentos da organização governamental e de seus interesses. Um breve resumo do que aconteceu em São João da Boa Vista Com o objetivo de fortalecer a rede intermunicipal e intersetorial do Projeto Adolescente e garantir os apoios políticos necessários ao seu desenvolvimento. superando a exclusão social. secretários e demais autoridades dos municípios da região. realização e avaliação de ações para alcançar efeito sinérgico em situações complexas visando o desenvolvimento social. . É uma nova lógica para a gestão da cidade. no dia 4 de maio de 1998. constituintes das redes municipais do Projeto Adolescente. 2001) Pode-se concluir que a intersetorialidade compõe uma compreensão que deve informar uma nova maneira de planejar. conselhos. o dirigente da DIR. técnicos da DIR e profissionais de saúde. A análise da situação mostrou que havia duas tarefas que dependiam do empenho da equipe da DIR. ao considerar o cidadão na sua totalidade. de educação e de promoção social das prefeituras. É uma estratégia democratizadora. e o apoio às redes municipais. onde se compartilham saberes e poderes diversos. Desse evento participaram especialistas internacionais e nacionais. E isso foi o que ocorreu em São João da Boa Vista com a rede de A Rede Adolescente – Interações pela Vida.

será a de acompanhar as reuniões municipais e apoiar os trabalhos. era possível identificar três grupos.Quanto às redes municipais. naquele momento: a. e c. como Santo Antônio de Posse. nestes casos. subsidiando e orientando os participantes). b. . acompanhará as reuniões das respectivas redes e oferecerá o apoio que lhe seja expressamente requerido). municípios que estão com dificuldades de organizar a sua rede e querem suporte da DIR (a posição da DIR. municípios que já constituíram suas redes e estão desenvolvendo o trabalho (a DIR. municípios que não constituíram suas redes. nem pretendem construí-la a curto prazo (a posição da DIR. nesses casos. nestes casos. será a de aguardar a disposição municipal de implementar a rede).

BIBLIOGRAFIA Inojosa. São Paulo.fundap. Prates. intersetorialidade e rede como estratégias de gestão da cidade. Fundap. Rose M.sp. .gov. Sinergia em políticas e serviços públicos: desenvolvimento social com intersetorialidade. 1997 Link acessado http://www.htm : acesso dias 07 e 08 de Abril de 2013. São Paulo. Fundap. ——— & Inojosa. Junqueira. Rose M. 2001. Descentralização. nov.br/publicacoes/TextosTecnicos/textec6. São Paulo. 1:57-72. Desenvolvimento social e intersetorialidade: a cidade solidária. 1999. Revista FEA-PUC-SP. Luciano A.