You are on page 1of 4

A Lenda de Maytreia

Jorge Guimarães
Presidente da Sociedade de Estudos Teosóficos – SETE Presidente da Fraternidade Filosófica Potencialista

Os iniciados sabem que Maytreia é um termo, que significa aquele que dominou as Três Mayas, ou as Três Ilusões, ou os Três Mundos, o Mundo Físico, o Mundo Psíquico e o Mundo Espiritual. Significando o mesmo que Trimegistos, ou Três Vezes Mestre. Assim o termo também tem o mesmo significado de Cristo, Messias ou Buda, significando ungido, ou iluminado, desperto. Maytreia refere-se portanto a uma condição que pode ser atingida por qualquer ser humano que logre o desenvolvimento de sua consciência até atingir tal estado e somente diz respeito a um indivíduo no sentido que este tenha realizado isso. Segundo nosso entendimento o prof. H.J.S. quando faz uso do termo o faz nesse sentido. Ele calculou que em torno de 100 anos após o ápice de seu trabalho filosófico-iniciático, a humanidade desenvolveria estado de consciência para que alguns seres fossem capazes de compreender a Obra e que provavelmente surgiria um ser que alcançando a condição de penetrar na Maya Física, Psíquica e Espiritual, acrescentaria algo ao trabalho que ele desenvolveu, fazendo novas revelações, levando a Obra um passo adiante e contribuindo para o avanço do estado de consciência da humanidade. Ou seja, nessa fase da humanidade a avatarização, fenômeno que caracteriza o despertar de aspectos espirituais da Tríade Superior, seria mais comum e dentre os seres humanos que atingissem tal condição, que formariam a humanidade avatárica, composta por seres que alcançarem o estado de consciência Bimânico (Dois manas, Mental Concreto e Abstrato) e Athabimânicos (Mental e Intuitivo), haveria algum representante legítimo desses estados de consciência, que voltando-se para a Sabedoria Iniciática das Idades, faria novas revelações (re-velar, velar de novo) apresentando a mesma verdade arquetípica, sob novos véus adequados ao novo estado de consciência da humanidade. Esse seria o sentido da alegoria de Maytreia. Porém hoje em dia, alguns espertalhões, lançam mão de tal alegoria e se auto intitulam Maytreia, Avatar, etc. Assim o sagrado vai sendo profanado e o espiritual vai sendo conspurcado, num jogo de interesse, onde se vê de tudo, auto- idolátria, interesses políticos e manipulação 1

religiosa. Só eu já conheço dez supostos Maytreias, cada um se julgando mais iluminado que o outro. Alguns se auto-idolatram, fazendo menção a sua genealogia supostamente sagrada, esquecendo que tais ancestrais, foram contemporâneos do prof. que jamais fez deles nenhuma menção. Se tais atitudes mistificadoras, forem levadas adiante, daqui há algum tempo, o termo Maytreia, passará a significar luta de egos, fogueira de vaidades, orgulho, prepotência, auto-glorificação e manipulação política e religiosa. Tudo isso, nos lembra a série de livro Duna, de Frank Herbert, onde existe uma profecia, implantada intencionalmente na psique da população, que fala de um Messias, um iluminado, um líder político e religioso que guiaria o povo para a libertação. O personagem principal do livro se apodera de tal lenda e a utiliza para fins políticos e conquistando o poder governa sob uma base político- religiosa, como se fosse um Deus. O argumento do livro, é muito semelhante ao que se tenta fazer hoje com a lenda de Maytreia. Alguns inclusive planejam utilizá-la como golpe publicitário a fim de fortalecer o turismo esotérico em certas localidades. Que coisa horrível, realmente repulsiva. Contemplar esse espetáculo de má fé, nos força a vir a público desmistificar a lenda de Maytreia. Diferentemente de mistificadores, despudorados que se apoderam da lenda, só vendo nela um golpe de marketing para se auto-promover ou fortalecer o turismo esotérico, místico na sua região geográfica, os verdadeiros Discípulos do Mestre, que compreendem sua maneira de pensar e de agir, entendendo o seu profundo comprometimento com o combate do fanatismo e da superstição, sentem-se constrangidos com tais atitudes. No mesmo sentido de que Joshua Bem Pandira, o Jesus bíblico, afirmou; "- Minha mãe e meus irmãos são os que fazem a Obra de meu Pai", como Discípulos do Mestre, afirmamos que Maytreia não existe, é apenas uma lenda iniciática, que como a lenda maçônica de Hiram Habif, diz respeito a trajetória do ser humano, a tua e a minha caminhada evolutiva. Essa lenda deveria servir para orientar o discípulo em sua trajetória na Senda Iniciática. Considerem isso e imaginem o absurdo de alguém afirmando; - eu sou Hiram Habif. Realmente o prof. estava certo, nos dias em que vivemos surgiria uma humanidade capaz de penetrar nos seus ensinamentos e compreender mesmo que parcialmente o sentido de sua Obra, uma humanidade que poderia gerar indivíduos capazes de acrescentar as suas revelações e estimular as pessoas a darem passos seguros no caminho de sua própria iluminação. Mas o que vemos? Fanatisadores, utilizando o mito do messias, galvanizando consciências e capturando as mentes ingênuas, que espalhando superstições, deturpam sem o menor pudor os ensinamentos do Mestre. Verdadeiros magos negros, a serviço da ignorância, do fanatismo e da superstição.

2

Realmente nem mesmo o Avatar é perfeito, pois ao encarnar no mundo humano sofre a interferência do mesmo, assim o prof. foi muito infeliz em lançar mão dessa lenda. Talvez não imaginasse a que nível moral desceriam as pessoas em nossa época. Do modo que está sendo manipulada a lenda de Maytreia ela é fatal para o sistema geográfico Sul Mineiro. Isso, me lembra uma palestra que assisti do prof. Vidal, onde perguntaram a ele sob o guru da moda, na época, perguntaram a ele o que ele achava desse novo "mestre da humanidade", o prof. Vidal, afirmou que esses supostos mestres, agem como o Leão caçando, ele ruge e incute medo no coração de suas vítimas, fazendo com que corram desesperadamente, hora para lá, hora para cá, até que caírem em suas garras. Independente do Avatar, de Maytreia, ou de Cristo convido você a abandonar todas essas ilusões e fantasias e caminhar com suas próprias pernas, com seus próprios esforços rumo a tua própria realização. Nada melhor do que você atingir a realização, para coroar de mais glórias os esforços de nosso Mestre. Não me dirijo aos impúberes psíquicos, que acreditam em ilusões messiânicas e como crianças correm para um lado e para o outro em busca de suas fantasias infantis de salvação, sem transformação. Estes não estão acostumados a avaliarem a coerência do raciocínio, são incapazes de perceber por si mesmos e só dão ouvido se você se auto-intitular algum ser sobrenatural. Dirijo este convite aos seres maduros, aos livres pensadores, que desprovidos de ilusões messiânicas realizam os esforços necessários, com disciplina, paciência e perseverança a fim de alcançar sua própria iluminação. Resumindo do ponto de vista messiânico; MAYTREIA NÃO EXISTE! Maytreia dorme em germe no teu interior e devemos realizar o Avatara, ou invés de ficar esperando o Avatara, a vinda do messias, ou ficar correndo para os pés do primeiro que assim se auto-intitular. Desperte o Cristo que dorme dentro de você. Isso é o que sempre ensinamos a nossos alunos, desde a fundação de nosso trabalho. Por isso quando acabar o "Circo de Maytreia" e quando a poeira das mistificações baixar e não ficar pedra sobre pedra, pois não ficará pedra sobre pedra, de capelas, templos, santuários, cidades, ou regiões, que obstaculizem a marcha da consciência humana, nós poderemos olhar nos olhos de nossos alunos com dignidade em nosso semblante, pois não tomamos parte neste espetáculo de mau gosto, neste crime de lesa a humanidade e portanto não teremos que ficar dando desculpas ou justificativas, continuaremos caminhando...

3

Para reflexão "Se no teu caminho encontrar um Deva, mate-o e continue caminhando, Se encontrares um Buda, mate-o e continue caminhando, Se encontrares um Deus, mate-o e continue caminhando, continue caminhando..." Sidarta Gautama – O sábio do clã Sakiamuni. "É pelo fruto que reconhecereis a árvore" Joshua Bem Pandira "Apesar das luzes da casa estarem acesas, o cego permanece na escuridão". KulanarvaTantra

4