You are on page 1of 2

Curitiba, 18 de Março de 2013

Senhor(a) Conselheiro(a),

Considerando a decisão acerca do processo disciplinar movido pelo Conselho Regional de Biblioteconomia – 7º Região contra o bibliotecário Francisco de Paula Araújo, que resultou em pena de advertência reservada obtida por decisão unânime do Conselho de Ética da referida instituição, e considerando a eminência do pedido de recurso ante o Conselho Federal de Biblioteconomia, venho ao Sr. indicar que sou contra a decisão do CRB-7 e a favor da anulação da punição. Acredito que Francisco de Paula Araújo não faltou com ética perante a mim, seu colega de profissão, e a charge que motivou a acusação de denegrir e injuriar o CRB-7 reflete apenas o desconforto coletivo da classe profissional em relação à cobrança da anuidade por parte dos conselhos regionais de biblioteconomia. Se faltou bom senso ou bom humor ao CRB-7 na recepção da charge, sobrou arbitrariedade e censura, desperdiçando um oportuno momento de se dirigir à classe e discutir abertamente a questão, ao optar pela desproporcionalidade de forças na condução do processo disciplinar. A maioria dos bibliotecários desconhece o real papel dos CRBs, ao mesmo tempo que não se sente representada pelos conselhos. Algumas gestões pecam pela transparência contábil, bem como na metodologia para o cálculo do valor cobrado pelas anuidades. Isso vem sendo recorrente e exaustivamente discutido entre os profissionais. Acreditamos que os CRBs devam zelar pelos princípios da fiscalização do exercício da profissão do bibliotecário mas se faz necessário reconhecer que o CRB-7 levou adiante um processo eivado de problemas. Dentre eles: 1) A competência para apreciação de tal processo não é do Conselho, uma vez que a atividade de Francisco de Paula Araújo como editor da Revista Biblioo não se confunde com a prática do bibliotecário; 2) A determinação do direito de resposta cabe à justiça comum, sendo o pedido pleiteado na esfera cível;

Francisco de Paula Araújo abriu mão de um direito enquanto réu. o do sigilo do julgamento. Agradeço ___________________________________ Pietro Santiago CRB9 007/12 . processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição” (art. peço encarecidamente que avalie o caso de Francisco e vote a favor da anulação da punição imposta pelo CRB-7. artigos 138. muito embora seja sempre necessária a analise do caso concreto para averiguar quando este ocorreu. a criação. 4) As Resoluções do CFB não são claras sobre injúria e difamação nos termos da legislação biblioteconômica. a expressão e a informação. Estimando a sua posição de representante. O conselho atua em nome da classe e nós somos a classe. Na legislação comum esses são conceitos bastante claros (Código Penal. quando a constituição diz que “a manifestação do pen samento. 220).3) Afirmar que existiu da parte de Francisco de Paula Araújo um excesso ao direito de opinar vai contra seus direitos constitucionalmente assegurados. sob qualquer forma. 139 e 140). 5) Por ocasião da seção plenária de julgamento. Esse direito foi negado pelo Conselho de Ética com a justificativa da preservação individual.