You are on page 1of 15

1

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIO DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO – NPGE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO “LATO-SENSO” EM ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE PÚBLICA E DA FAMÍLIA

O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL COMO ELEMENTO MEDIADOR DA SAÚDE

ARACAJU/2011

como requisito para obtenção do titulo de Especialista em Gestão da Saúde Coletiva e da Família. Coordenadora.: Cristina Reiss ARACAJU/2011 .2 ANDRÉA DE BARROS CARVALHO O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL COMO ELEMENTO MEDIADOR DA SAÚDE Artigo Científico apresentado ao Núcleo de Pós Graduação e Extensão da Faculdade de Administração e Negócio de Sergipe – FANESE.

.........................3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO..............5 3 SERVIÇO SOCIAL NA SAÚDE: perspectivas e saberes............................5 2 PROJETO ÉTICO POLÍTICO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL NA SAÚDE . 14 REFERÊNCIAS ................................................................................................................................................................................15 ................................................................. 9 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................

O método utilizado foi o dialético. which encourages private interests. engloba vários acontecimentos que contribuem para o surgimento da profissão. In this context. Nesse contexto o Serviço Social apresenta um campo vasto e diversificado de atuação profissional no Brasil. Serviço Social. descartando possibilidades que fogem dessa perspectiva.4 RESUMO O Serviço Social surge como reflexo de uma sociedade marcada por grandes conflitos e disparidades sociais característicos de um processo de industrialização fomentado pelo sistema capitalista. Saúde ABSTRACT Social work emerged as a reflection of a society marked by major conflicts and social inequalities characteristic of a process of industrialization fostered by the capitalist system. na oportunidade traz uma análise da categoria dentro da política de saúde.político. que busca analisar o projeto ético político na atuação profissional. This study is the work of completing the course held in Our Lady of Lourdes Maternity and aimed to: analyze the new attitudes required of professional social work is and how they respond to restructuring of production in the world without losing sight of the principles the ethical-political project. Services. com limites e possibilidades diante das exigências do mundo capitalista. KEYWORDS: Political Ethics Project. discarding possibilities that are beyond this perspective. with limits and possibilities from the demands of the capitalist world. Thus in this work highlight the historical context that includes several events that contribute to the emergence of the profession. Dessa forma destacamos nesse trabalho o contexto histórico que. Atuação profissional. Professional performance. passing through the process of renewal as to the theoretical and methodological practices that the project seeks to analyze ethical policy in professional activities. perpassando pelo processo de renovação quanto às práticas teórico-metodológicas. the Social Services has a vast and diverse range of professional activities in Brazil. on the occasion offers an analysis of category within health policy. PALAVRAS-CHAVE: Projeto Ético Político. The dialectical method was used because it penetrates the world of phenomena by their reciprocal action of the contradiction inherent in the phenomenon and the dialectic of change that occurs in nature and society. Health . considering the need of conceptual reformulation with respect to the intervention of professional class that. pois penetra o mundo dos fenômenos através de sua ação recíproca da contradição inerente ao fenômeno e da mudança dialética que ocorre na natureza e na sociedade. considerando a necessidade de reformulação conceitual no que tange à intervenção da classe profissional que. Esse estudo é fruto do trabalho de conclusão de curso realizado na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e teve como objetivo: analisar as novas posturas exigidas dos profissionais de Serviço Social e como os mesmos vem respondendo às reestruturações do mundo da produção sem perder de vista os princípios do projeto ético. o qual preconiza os interesses privados.

5 1 INTRODUÇÃO A atuação do Serviço Social vem sendo construída desde sua origem com base nas relações oriundas da sociedade estimulada e nutrida pelos diversos contextos históricos. Por conta disso. políticos que a permeia. sendo impossível pensar no fazer profissional distanciado desta realidade. questiona-se de que forma será possível exercer uma atuação propositiva no intuito de estabelecer novas formas de intervenção calcada no instrumental teórico-metodológico que lhe é direcionada. enquanto componente destas. o Serviço Social. Nessa perspectiva analisa-se também a identidade profissional.. Iamamoto (2007) reflete acerca do tema que. tem limitado a sua atuação na operacionalização dos serviços. Dentre os processos de trabalho essa análise foi realizada por meio de questionário com assistentes sociais da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes. à prática profissional. na consciência de seus agentes. da temporalidade dessas práticas. à medida que novas situações históricas se apresentam. impostos pelos espaços e instituições em que atua. à população. As constantes redefinições conformam mais uma "passagem de prática" do que uma prática cristalizada. 2 PROJETO ÉTICO POLÍTICO E ATUAÇÃO PROFISSIONAL NA SAÚDE Pensar o projeto profissional supõe articular uma dupla dimensão: de um lado. Esta crise não é mais do que uma expressão. as . sociais. A relevância desta pesquisa foi pautada na prática exercida por Assistentes Sociais nesta unidade de saúde. em vários momentos. o que muitas vezes é vivida pela categoria como "crise profissional". A esse respeito. a consciência de classe da categoria e como se articula a prática do Serviço Social no contexto contemporâneo. da necessidade de redefinições. No processo de financeirização do capital em que prioriza-se as exigências dos organismos multilaterais. é obrigada a se redefinir. não reproduzindo meramente os mesmos papeis do Serviço Social tradicional. perdendo com isso a oportunidade de aprofundar sua prática de cunho transformadora. Dilemas que acompanham no decorrer de sua existência e que permanece até os dias atuais.

que. Estes choques são frutos da ofensiva do capital. éticopolíticas e técnicas de agentes profissionais a esse contexto. as quais traduzem como esses limites e possibilidades são analisados. mas também o aumento do desemprego. formulam requisitos (técnicos. O sistema presente. elegem valores que a legitimam socialmente. porque os projetos profissionais se organizam em torno de um conjunto de A partir da mundialização do capital que se desenvolve a chamada reestruturação produtiva. o qual produziu e reproduz alterações significativas e densas na sociedade e em países capitalistas nos últimos trinta anos.. e.. construídos pela respectiva categoria: “[. com impactos significativos no mundo do trabalho e na subjetividade da classe trabalhadora. delimitam e priorizam seus objetivos e funções.. Sob a ótica de Netto (1999). fazendo com que estes estejam postos a enfrentar várias situações e demandas. de outro. em resumo." Com base nessa assertiva percebemos a prescrição de normas para o comportamento dos profissionais e sua relação com os usuários dos seus serviços.]. as respostas sócio-históricas. públicas e privadas. seus limites e possibilidades. os projetos profissionais. nos processos de produção..6 condições macro societárias. com outras profissões e com as organizações e instituições. institucionais e práticos) para o seu exercício [. Guerra (2007) vai argumentar com precisão sobre tais desafios e o que significa para a profissão ser orientada por um projeto profissional crítico. É nesse cenário que discorremos a atuação dos assistentes sociais à luz de um projeto profissional que promova uma ação coerente com a perspectiva de transformação societária. a precarização das relações de trabalho e de condições de vida . desenvolvem alterações nos métodos de trabalho e na precarização da classe trabalhadora. vem trazendo em larga escala o avanço da tecnologia. apropriados e projetados pelos assistentes sociais. 1 . que estabelecem o terreno sócio-histórico em que se exerce a profissão. diz: Significa uma possibilidade (o que não quer dizer efetividade) de os profissionais tomarem consciência dos fundamentos (objetivos e subjetivos) sobre os quais a prática profissional se desenvolve.] apresentam a auto-imagem da profissão. Nota-se que a conjuntura atual e o mundo do trabalho 1 apresentam desafios extremamente complexos exigindo cada vez mais da atuação dos Assistentes Sociais.

cujos conteúdos objetivam a crítica da sociedade capitalista. um espaço democrático. Buscando a compreensão de sua prática no contexto destas relações. Assim. princípios e diretrizes éticas e políticas. observamos o próprio processo de construção do conhecimento necessário para uma atuação contínua sobre as expressões capitalistas no cotidiano e na relação das classes sociais. em que percebemos uma mudança um tanto radical entre Estado e sociedade civil. posturas e modos de operar construídos e legitimados pela categoria profissional. aberto. entende-se que o projeto ético-político pressupõe.( Guerra . permitindo-lhes saber o momento de avançar e o momento de recuar. de orientações sobre o perfil de profissional que se deseja formar e de diretrizes para tal. Sob a luz da fala de Guerra (2007).O Sistema Único de Saúde prevê mudanças significativas nas relações de poder político e na distribuição de . Nesse entendimento. o pluralismo de idéias no seu interior. observamos então que essas modificações vem sendo estudadas e reorganizadas a partir da década de 1970 com a expansão do sistema capitalista. Compõem-se de orientações sobre as bases normativas e valorativas pelas quais a profissão se relaciona internamente e com a sociedade. ou seja. 2007. um conjunto de referências metodológicas para a intervenção. em si mesmo. acompanhadas ainda de uma reorganização no que diz respeito à gestão e às formas de trabalho. no sentido de propor novas perspectivas e direcionamentos à profissão.7 conhecimentos teóricos e de saberes interventivos. restringindo-se apenas a ações de manutenção da ordem social. Esta constatação indica a coexistência de diferentes concepções do pensamento crítico. de valores. tornando-se seletivas e inoperantes para uma mudança significativa na vida social. No âmbito da saúde sabe-se que a concepção ampliada do sistema de saúde favoreceu à sua institucionalização de forma descentralizada. No que se refere às políticas públicas. Tais mudanças citadas podem ser exemplificadas com o avanço da ciência e da tecnologia de ponta. p 8). com incentivo a uma administração democrática e com a participação da sociedade organizada. em construção e em permanente busca intelectual. observa-se um sucateamento destas em que o Estado minimiza sua atuação.

pelas entidades que determinam uma esfera para ação profissional. tolhendo os avanços no sentido de viabilizar um modo mais humano de organizar o acesso à cidadania. se no espaço de intervenção há possibilidades de criar. movendo-se contra os projetos civilizados e inclusivos de sociedade construídos até então. É inegável o avanço intelectual nesse momento ao profissional. cabendo aos gestores setoriais papel fundamental na concretização dos princípios e diretrizes da reforma sanitária brasileira. Nesse sentido. as características das práticas profissionais confrontam-se nos espaços profissionais. pelas políticas sociais operadas. a uma real ofensiva deste sistema que estabelece um Estado mínimo. pela problemática social que emerge das relações conflitantes entre capital e trabalho. de um modo geral articula-se com a implantação ideológica do projeto neoliberal no país. acesso democrático às informações e estimulo a participação cidadã. dos componentes particulares da área profissional que representam.8 responsabilidades entre o Estado e a sociedade. e por fim. atendimento humanizado. esse conjunto de ações e sujeitos que determinam a posição técnica do profissional. baseado no pressuposto de que todo trabalho profissional requer uma direção política. dando suporte. Ao analisar a atuação do Serviço Social na instituição de saúde. consciente de seu papel. o assistente social assume desta forma os pré-requisitos que o torna intervencionista. a interdisciplinaridade. articulando ensinopesquisa-prática. O trabalho do Serviço Social inserido no setor de saúde. se havia planejamento de atuação da equipe de saúde junto à coordenação de Serviço Social. ética e teórica. estratégias de interação da instituição de saúde com a comunidade. busca da democratização do acesso às unidades e aos serviços de saúde. O que se espera do Assistente Social contemporâneo e o que se define no Projeto da Reforma Sanitária corresponde a construção de um modelo de gestão. pelos usuários atendidos. na contemporaneidade. mediador. tornou-se importante atentar para diversas situações tais como: se havia prática cotidiana em articulação com as demandas. ênfase nas abordagens grupais. recriar e inovar . e entre os distintos níveis de governo nacional estadual e municipal. que seriam compostos pelos serviços prestados.

mas sempre resguardando os pressupostos ético-políticos e teórico-metodológicos que norteiam Serviço Social. mas também por burocracias apresentadas no sentido de colher dados num determinado espaço de tempo. visando questões como: atuação profissional. com flexibilidade intelectual no encaminhamento de diferentes situações e capacidade de análise para decodificar a realidade social. É plausível nesta fase de compreensão dos dados e resultados. caracterizou-se num momento impar para construção do trabalho. Tais características e procedimentos demarcam a ação profissional e se concretizam como objeto de reflexão para um novo fazer profissional. 3 SERVIÇO SOCIAL NA SAÚDE: perspectivas e saberes O questionário aplicado. e a consciência de classe da categoria foram estudadas com base postulada no Código de Ética que rege o Assistente Social. Foi visível em muitos momentos episódios que seqüenciaram fatos que por vezes . manifestar as intercorrências observadas na construção desse trabalho.9 estratégias para dar respaldo às reais necessidades da população. uma vez que o questionário apresentado aos profissionais atuantes daquele espaço sócio-ocupacional somou como instrumento de captação de informações para melhor compreensão e análise crítica do contexto. Questões como a identidade profissional. inovando e adquirindo posturas que articulem as necessidades impostas pelas novas demandas. Pensar no Serviço Social é pensar nos elementos fundamentais para a dinâmica da profissão. perspectivas e propostas de intervenção enquanto assistente social inserido naquele campo. dotados de conhecimentos especializados e atualizados. indagando se de fato a sua atuação condiz com o que delibera o projeto profissional. uma vez que a contemporaneidade exige cada vez mais profissionais qualificados. É relevante pautar que se fez necessário no momento da aplicação do questionário um olhar mais atento e crítico no sentido de perceber os abonos e insucessos. Em função disso é preciso ter uma dimensão interventiva e operativa da profissão. às assistentes sociais da instituição. não só por exemplificar alguns impasses observados para ter acesso à fala das profissionais.

onde discorremos com fidelidade a fala das profissionais. é preponderante descrever os obstáculos pré-estabelecidos no ato do questionário. dificuldades em obter as informações mensuravelmente importantes para a construção da análise. na ocasião. enquanto pressupostamente constante pesquisador. trabalhavam oito assistentes sociais em escala de plantão. Administração e Planejamento em Projetos Sociais 2 Não respondeu contratada 1 ANO E CINCO MESES 03 Não respondeu Não respondeu Saúde Pública e da Família Não respondeu Não respondeu concursada 5 anos 04 Não respondeu Não respondeu Não possui Não respondeu Não respondeu contratada 1 ano Observou-se que ao assistente social. INSTITUIÇÃO PROFISSIONAL TEMPO DE FORMAÇÃO PÚBLICA OU PRIVADA POSSUE ESPECIALIZAÇÃO? QUAL ÁREA? TRABALHA EM QUANTAS INSTITUIÇÕES QUANTO TEMPO NO MERCADO DE TRABALHO VINCULO EMPREGATÍCIO QUANTO TEMPO TRABALHA NA INSTITUIÇÃO 01 7 anos Pública Saúde Coletiva e Gestão em Saúde(em andamento) 2 6 anos contratada 1 ANO E CINCO MESES 02 Não respondeu Pública Saúde Pública. Nesse sentido. uma vez que não se pode aplicá-los da maneira esperada e abranger a totalidade pretendida. Na instituição investigada. dentre estas.10 validaram. composição e construção de novas propostas para essa profissão e para a sociedade de um modo geral. Foi notória a presença de uma relutância no preenchimento das questões. apenas quatro contribuíram para análise da pesquisa. o que nos faz refletir no real comprometimento como um dos fatores que se faz presente nas atribuições do Serviço Social. cabe o papel de operacionalizar mediações . Forma esta diagnosticada como elementar no alicerçamento.

11 (entrevistas. psicológicos. seja devido à limitação de uma consciência sanitária. é possível afirmar que a efetivação desses serviços realiza-se de forma conflituosa no processo de trabalho em saúde. moradia. a compreensão da saúde não limitada aos aspectos biológicos da doença. atentando para o fato de que o trabalho do assistente social na saúde deve ter como norte o projeto ético. escuta. 2003). despadronização do sistema de informação. onde este necessariamente possa estar articulado ao projeto da reforma sanitária (Matos. desarticulação entre os setores. e da concepção ampliada de saúde no interior da equipe interprofissional. as quais contribuem para a efetivação da condição de cidadania dos usuários. facilitando o acesso e informação da população sobre seus direitos. também os aspectos sociais. contatos institucionais. proteção e recuperação da saúde em diferentes níveis. grupos. articulações com entidades populares). Assim. culturais. o qual considera como elementos determinantes do processo saúde-doença as condições de alimentação. formular estratégias que busquem reforçar ou criar experiências nos serviços de saúde que efetivem o direito social. visitas domiciliares. compreende-se que cabe ao Serviço Social. Logo. transporte. lazer. renda. o conhecimento deve estar sempre atrelado ao profissional de Serviço Social. pesquisas. Isso aliado às deficiências observadas pelos serviços públicos oferecidos. acolhimento. repercutindo de forma direta no perfil do profissional que deve ser compatível com a nova realidade. pois as mudanças na sociedade estão levando as organizações formais a se reestruturarem. consubstanciada na desorganização do seu processo de trabalho. encaminhamentos. Conforme as coletas de dados. não só no sentido de realizar os devidos encaminhamentos aos recursos institucionais disponíveis. ou seja.político profissional. mas também de refletir junto aos pacientes e seus familiares sobre as formas de promoção. mas considerando-se. Entende-se que o profissional de Serviço Social possui um papel relevante no sentido de contribuir para a concretização do conceito-ampliado de saúde. as complexidades de uma nova sociedade requer um profissional para lidar com as .

(Coutinho. não apenas no Serviço Social. uma concepção de que fazer Serviço Social é exercer apenas o conjunto de ações que historicamente lhe é dirigido na divisão do trabalho coletivo em saúde. e diferença” é a compreensão do significado e é elemento constitutivo para uma prática interdisciplinar. trabalha com o objetivo de articular os conhecimentos em favor de uma proposta em comum. em que vários profissionais dispõem de um mesmo espaço de trabalho. diversidade. Em contrapartida. foi identificada uma atuação na equipe multidisciplinar. desempenham suas práticas de forma isolada. De acordo com os dados colhidos no questionário. onde cada um com suas respectivas peculiaridades e especialidades. não compartilhando nem agregando seus anseios e dificuldades a fim de implementar novos valores. não atingindo dessa forma o objetivo real desse espaço. Existe uma dificuldade clara na instituição no sentido de perceber nos diversos setores e. a interdisciplinaridade como proposta alternativa surge para reconhecer e reafirmar a falência do modelo de organização de profissionais isolados. logo. Coutinho (1995) argumenta que “O entendimento da necessidade do respeito do pluralismo. sem que para isso os mesmos tenham que efetivar suas ações com o foco direcionado ao objetivo comum das demais. assim como num real plano de ação que reforce as atribuições de cada setor. sem projetar estratégias com interesses em comum. Desse modo o profissional recupera. Estes. 1995) A equipe interdisciplinar caracteriza-se por visar um trabalho interativo entre profissionais de várias áreas.12 mais variadas demandas. Já na equipe multidisciplinar o que observamos é um modelo de atuação em que ocorre pura e simplesmente a ocupação de um só espaço por profissionais de diversas áreas. a delimitação de responsabilidades. Isso é fator negativo pois acaba por distanciar as relações profissionais na perspectiva de agirem em torno de um objetivo comum. buscando com isso um projeto de ações em conjunto. por vezes impensadamente. O que vem contradizer com o projeto profissional comprometido com . contudo.

o que reflete em uma equipe que desempenha ações profissionais comprometidas com a eficiência na resolutividade das demandas apresentadas. A esse respeito. permitindo dessa forma. sobre a importância em estar articulando a teoria e a prática no campo ocupacional. por estar articulando de maneira significativa suas ações e atribuições dando condições de espaço para os usuários. Em relação às funções e atribuições do Assistente Social. O Serviço Social é de suma importância nesse campo ocupacional. na perspectiva da competência profissional. já que as mesmas são fatores interdependentes. vale ressaltar a importância da utilização desse procedimento interdisciplinar como instrumento eficaz e necessário no desenvolvimento de práticas inovadoras e dinâmicas. como também conhecimento de alguns aspectos clínicos e epidemiológicos. Isso reafirma a urgência em adaptar as equipes profissionais a este novo modelo.13 a transformação social. um campo ocupacional muito significativo para a categoria que vem desempenhando um papel importante frente às problemáticas vivenciadas no dia-a-dia das instituições privadas e públicas de saúde. superando sempre seus valores enquanto profissionais. a dimensão e alcance de sua intervenção no sentido de tornar satisfatórios os serviços aos usuários. com base nos princípios fundamentais norteadores do Código de ética da profissão que reflete sobre o compromisso com a qualidade dos serviços prestados a população e com o aprimoramento intelectual. . Sem a teoria apreendida não seria possível usar de estratégias da atuação própria do Serviço Social. vale ressaltar que o mercado de trabalho exige saberes específicos expressos no domínio do conhecimento da política de saúde. Nesse sentido. entre eles a área de saúde. abstraindo assim toda a potencialidade. De acordo com a coleta de dados proporcionada pelas profissionais observamos que durante muitas décadas a profissão alcançou vários campos de atuação. enfatizando a relevância no sucesso das ações. É que nos faz refletir enquanto sujeitos pesquisadores.

não é de responsabilidade exclusiva do profissional. quanto da sociedade. com a finalidade de identificar temas que precisam ser impulsionados no processo de trabalho. este como parte do processo de ensino e aprendizagem profissional. É importante destacar o quanto a conjutura atual atrelada ao Estado capitalista tem afetado de forma siginificativa a atuação da categoria e. a responsabilidade de uma atuação que responda às exigências da contemporaneidade. a finalidade desse trabalho não foi apenas discorrer os porquês de uma não atuação congruente com o Projeto Ético Político em alinhamento com o Código de Ética da profissão. assim como preconiza a Organização Mundial da Saúde. a intencionalidade pela busca de uma equipe interdisciplinar não deve perder o foco. Levando em consideração o processo de aprendizagem tanto do indivíduo que a realiza.14 4 CONSIDERAÇÕES FINAIS Para discutir a atuação do profissional em Serviço Social. mas das condições de trabalho postas a este e se há aplicabilidade da sua autonomia na resolutividade das questões apresentadas. Ao se tornar uma pesquisa de conclusão de curso. nesse ensejo. mas analisar a atuação dessa categoria. fez-se necessário um estudo cauteloso e crítico com o propósito de construir um conhecimento alicerçado na experiência vivenciada no período de estágio. Diante do fator exposto existe a necessidade de uma política de pesquisa para a área. fornecendo a busca pertinente de informações sobre o assunto fomentado. essencial para favorecer o bem estar físico. vários são os fatores que não contribuem para uma atuação coerente com o que preconiza o Projeto Profissional. nos presenteia por oportunizar análises particulares com os principais atores envolvidos neste processo. O reflexo dessa junção será um trabalho competente e comprometido. Ao analisar os dados. é possível discorrer com uma maior exatidão sobre os fatos observados através das respostas das assistentes sociais que. uma política de fomento e investigação sobre os eixos do projeto acadêmico desta formação. mental e social dos indivíduos. . baseando-se na pesquisa qualitativa que. isso somará na qualificação dos serviços oferecidos como promoverá maior articulação entre as instituições que de modo positivo contribui no sucesso das ações desenvolvidas. Haja vista que. espaço em que esta se desenvolve.

Marilda Vilela. Ditadura e Serviço Social. O Projeto profissional Crítico: estratégia de enfrentamento das condições contemporâneas da prática profissional. COUTINHO. In: Revista Physis n. Rio de Janeiro: Relume/Dumará e IMS-UERJ. 1995. Ensino em Serviço Social: pluralismop e formação profissional.8.15 REFERÊNCIAS ABEPSS/CEDEPSS. Cortez. 2003. São Paulo: Cortez.1. O debate do serviço Social na saúde na década de 90: sua transição democrática” – anos 80. Revista Serviço Social & Sociedade nº 91 – Ano XXVIII. jul. NETTO. Ed. Recife.5-17. Yolanda. Murílio Castro. José Paulo. São Paulo: Cortez. GUERRA.n. In: Cadernos ABESS. IAMAMOTO. c. nº4. 2007. 1996. 1999 . São Paulo: Cortez.setembro 2007. p. MATOS. Renovação e conservadorismo no Serviço Social. “Pluralismo: dimensões teóricas e políticas”. Proposta básica para o projeto de formação profissional: novos subsídios para o debate.