You are on page 1of 24

D I S C I P L I N A

Pré-Cálculo

Polinômios e equações algébricas
Autores
Rubens Leão de Andrade Ronaldo Freire de Lima

aula

06

Governo Federal
Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância – SEED Ronaldo Motta

Revisoras de Língua Portuguesa Janaina Tomaz Capistrano Sandra Cristinne Xavier da Câmara Ilustradora Carolina Costa Editoração de Imagens Adauto Harley Carolina Costa Diagramadores Bruno de Souza Melo Adaptação para Módulo Matemático Thaisa Maria Simplício Lemos Pedro Gustavo Dias Diógenes Imagens Utilizadas Banco de Imagens Sedis (Secretaria de Educação a Distância) - UFRN Fotografias - Adauto Harley MasterClips IMSI MasterClips Collection, 1895 Francisco Blvd, East, San Rafael, CA 94901,USA. MasterFile – www.masterfile.com MorgueFile – www.morguefile.com Pixel Perfect Digital – www.pixelperfectdigital.com FreeImages – www.freeimages.co.uk FreeFoto.com – www.freefoto.com Free Pictures Photos – www.free-pictures-photos.com BigFoto – www.bigfoto.com FreeStockPhotos.com – www.freestockphotos.com OneOddDude.net – www.oneodddude.net Stock.XCHG - www.sxc.hu
Divisão de Serviços Técnicos Catalogação da publicação na Fonte. UFRN/Biblioteca Central “Zila Mamede”

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Reitor José Ivonildo do Rêgo Vice-Reitor Nilsen Carvalho Fernandes de Oliveira Filho Secretária de Educação a Distância Vera Lúcia do Amaral

Secretaria de Educação a Distância- SEDIS
Coordenadora da Produção dos Materiais Célia Maria de Araújo Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Projeto Gráfico Ivana Lima Revisores de Estrutura e Linguagem Eugenio Tavares Borges Marcos Aurélio Felipe Revisora das Normas da ABNT Verônica Pinheiro da Silva

Andrade, Rubens L. de. Pré-cálculo / Rubens L. de Andrade, Ronaldo F. de Lima. – 248 p. ISBN 85-7273-295-0

Natal, RN : EDUFRN Editora da UFRN, 2006.

Conteúdo: Introdução à linguagem matemática - Os números naturais e os números intereiros. - Frações e números decimais - os números racionais - Os números reais - Polinômios e equações algébricas - Inequações algébricas e intervalos - Funções I - Funções II - Funções polinomiais - Funções afins - funções quadráticas - As funções exponencial e logarítmica - Funções trigonométricas - Funções trigonométricas inversas. 1. Número real. 2. Equação. 3. Função. I. Lima, Ronaldo F. de. II. Título. CDD 512.81 RN/UF/BCZM 2006/ 29 CDU 517.13

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

as chamadas expressões algébricas. pura ou aplicada. em certos casos. Aplicar os teoremas do resto e de D’alembert nos contextos apropriados. juntamente com suas operações de adição. O conhecimento dessa teoria será fundamental para o estudo das funções reais. multiplicação e divisão. Introduziremos os tipos mais simples dessas expressões. então. Quando as expressões envolvidas são polinômios. Efetuar operações com polinômios e resolver equações polinomiais de graus 1 e 2.Apresentação esta aula. N Objetivos 1 2 3 Introduzir os conceitos de expressão algébrica. denominados polinômios. retomaremos o conceito de variável e estudaremos as sentenças matemáticas que o envolvem. polinômio e equação polinomial. examinaremos dois teoremas (o do resto e o de D’alembert) que nos permitirão verificar. Discutiremos. se um polinômio é ou não divisível por outro. denominadas equações. Por fim. Muitos problemas e conceitos da Matemática. as equações são ditas polinomiais. Aula 06 Pré-Cálculo 1 . técnicas de resolução de equações polinomiais de primeiro e segundo graus e as aplicaremos para obter um critério de existência de retângulos com área e perímetro pré-fixados. traduzem-se por meio de igualdades entre expressões algébricas. sem efetuar a divisão.

2 (a + b)2 − bc3 . que envolvem variáveis e operações entre si. no caso da terceira expressão. Nesse caso. 5 em que as variáveis são elementos de algum conjunto numérico. são ditas algébricas. suponhamos que num determinado contexto. uma vez que a fração 1/a não está definida para a = 0 . seja qual for o conjunto numérico considerado. podemos dizer isso através da sentença: se x é um número real. 4 + π. utilizam-se variáveis quando se deseja escrever sentenças cujo significado seja de caráter global. 2 + π. “considere a expressão” x+π. a 2xy 3 − √ 2x3 y . em contraste com aquelas representadas em (1). Por exemplo. não admitem uma representação como em (1). ao invés de escrevermos “considere as somas” 1 + π. quando falamos sobre alguma propriedade P comum a todos os números reais. Como outro exemplo. desejemos considerar as somas de cada número natural com π . vimos que. a letra x é uma variável. deve-se excluir o zero. como no caso das duas últimas. podemos escrever. x ∈ N. 1 √ 3 − a2 . (1) (2) Expressões como (2). chamadas de numéricas. x ∈ R. Isso evidencia a necessidade do uso de variáveis na liguagem matemática. Nesse caso. x2 − 7x + 2 . mas sim um número real qualquer. Observe ainda que expressões algébricas podem ter mais de uma variável. pois ela não está representando nenhum número real em particular.Expressões algébricas Em nossa primeira aula. 3 + π. devido ao fato de não ser possível listar todos os números reais. então x tem a propriedade P . como x + π. Note que. Outros exemplos de expressões algébricas são 3x − 4 . Note que certas expressões algébricas. ··· . 2 Aula 06 Pré-Cálculo . na linguagem matemática.

(ii) (a − b)2 = a2 − 2ab + b2 . basta observarmos que a − b = a + (−b) . respectivamente. o que prova (iii) . (iii) (a + b)(a − b) = a2 − b2 . a1 . (3) Aula 06 Pré-Cálculo 3 . Desenvolvendo-se essas expressões com base nas propriedades aritméticas das operações envolvidas. quadrado da diferença e produto da soma pela diferença. (a + b)(a − b) = (a + b)a − (a + b)b = a2 + ba − (ab + b2 ) = a2 + ba − ab − b2 = a2 − b2 . Por fim. Quanto à (ii). conhecidas como produtos notáveis. se ela se escreve como a0 + a1 x + a2 x2 + a3 x3 + · · · + an xn . b ∈ R . a. de quadrado da soma . São elas: (i) (a + b)2 = a2 + 2ab + b2 . Desse fato e da igualdade (i). Para verificarmos (i) . (a − b)2 e (a + b)(a − b) . segue-se que (a − b)2 = (a + (−b))2 = a2 + 2a(−b) + (−b)2 = a2 − 2ab + b2 . · · · an ∈ R. obtemos igualdades entre expressões algébricas que surgem naturalmente em muitas situações matemáticas. Polinômios Definição 1 – Uma expressão algébrica (de variável x ∈ R ) é dita polinomial. fazemos (a + b)2 = (a + b)(a + b) = (a + b)a + (a + b)b = a2 + ba + ab + b2 = a2 + 2ab + b2 . com a0 . são chamadas.As expressões algébricas (a + b)2 .

a2 = 2 e a3 = −9 . an de um polinômio são nulos. Por exemplo. pode-se facilmente obter outros a partir deles. Se. além disso. devemos sempre observar as propriedades fundamentais da Aritmética. Se an = 0 . enquanto 58x2 − π é um polinômio de grau 2 e coeficientes a0 = −π. ∀x ∈ R . Por exemplo. ele é dito identicamente nulo. an . pois 58x2 − π = 58x2 + 0x − π . e o grau de (2x + 3)(x2 − x + 1) = 2x3 + x2 − x + 3 é 3 . e a2 = 58 . dados os polinômios 2x + 3 temos que (2x + 3)+(x2 − x + 1) = 2x +3+ x2 − x +1 = x2 +(2x − x)+(3+1) = x2 + x +4. que é a soma dos graus dos polinômios multiplicados. Se os coeficientes a1 . Dados dois polinômios quaisquer. a1 = 0 a1 = −1.A expressão (3) é também chamada de polinômio de coeficientes a1 . Note que o grau do polinômio identicamente nulo não está definido e que o grau de qualquer outro polinômio constante é igual a zero. 1 − x + 2x2 − 9x3 é um polinômio de grau 3 e coeficientes a0 = 1. Para tanto. enquanto (2x+3)(x2−x+1) = 2x(x2−x+1)+3(x2−x+1) = 2x3−2x2+2x+3x2−3x+3 = 2x3+x2−x+3. 4 Aula 06 Pré-Cálculo . adicionando-os ou multiplicando-os. a0 = 0 . este é dito constante. o grau de x2 − x + 1 é 2 . · · · . Observemos que o grau de 2x + 3 é 1 . · · · . isto é: e x2 − x + 1 . Não é difícil ver que isso acontece em geral. este é dito de grau n .

a) (2x3 − 4x − 1) + (x + √ 3)(x − √ 3) b) (x − π )2 + (x + π )2 − 2x(x2 + x − 1) No item (a). Aula 06 Pré-Cálculo 5 . em cada item. vista na seção anterior. − (2x3 + 2x2 − 2x) = Observemos que o polinômio obtido no item (b) tem o fator 2 em cada uma de suas parcelas. indiquemos polinômios de variável x por p(x) . na primeira igualdade.. A fim de simplificar os enunciados. q (x) etc. o que nos permite escrevê-lo na forma −2x3 + 2x + 2π 2 = 2(−x3 + x + π 2 ) . obtemos (x − π )2 + (x + π )2 − 2x(x2 + x − 1) = x2 − 2πx + π 2 + x2 + 2πx + π 2 − = 2x2 + 2π 2 − 2x3 − 2x2 + 2x = = −2x3 + 2x + 2π 2 . temos (2x3 − 4x − 1) + (x + √ 3)(x − √ √ 3) = (2x3 − 4x − 1) + (x2 − ( 3)2 ) = = 2x3 + x2 − 4x − 4 .o produto de dois polinômios de graus respectivamente iguais a m e n é um polinômio de grau m + n . Fazendo-se o mesmo no item (b). A esse processo chamamos colocar em evidência o fator comum. Exemplo 1 Efetue. = (2x3 − 4x − 1) + (x2 − 3) = Note que. quando não houver necessidade de especificar a variável. ou simplesmente por p . q . isto é. usando-se os produtos notáveis do quadrado da soma e da diferença. usamos a identidade (a + b)(a − b) = a2 − b2 . Passemos agora à divisão de polinômios. as operações indicadas.

que generaliza aquele usado na divisão de números naturais. p é divisível por d se. se a > b . tais que a = qb + r . Relembremos que. x3 − x2 + x − 1 é divisível por x − 1. Trata-se do algoritmo de divisão de Euclides. tais que p(x) = q (x)d(x) + r(x) . Sabemos que o polinômio q (x) terá grau 5 − 3 = 2 e. dados a. existem (únicos) q ∈ N e r ∈ N ∪ {0} . é tal que x3 − x2 + x − 1 = (x2 + 1)(x − 1) . então.3 + 1 e 1 < 3. prova-se que se p e d são polinômios de graus respectivamente iguais a m e n . neste caso. de grau menor que n . o grau de p é igual à soma dos graus de q e de d . existem (únicos) polinômios q . Por exemplo. Os números q e r são ditos. e r . a 6 Aula 06 Pré-Cálculo . de grau m − n . se existe um polinômio q (x) tal que p(x) = q (x)d(x) . e somente se. ambos. denominados quociente e resto da divisão de p por d . pois 19 = 6. Analogamente. pois o polinômio x2 + 1 . b ∈ N . Dessa forma. respectivamente. Os polinômios q e r são. um termo do tipo = 0 . o quociente e o resto da divisão de 19 por 3 são q = 6 e r = 1 . portanto. o resto r é o polinômio identicamente nulo. iguais a 1 . Como os coeficientes de x5 em p e o de x3 em q são. Nosso objetivo agora é desenvolver um método que nos permita dizer se um dado polinômio é ou não divisível por outro. igualmente. devemos ter a = 1 . o quociente e o resto da divisão de a por b . Note que.Definição 2 – Dizemos que um polinômio p(x) é divisível por d(x) . Por exemplo. ax2 . r < b . com m > n . Quando r = 0 . Verifiquemos o caso particular dos polinômios p(x) = x5 − 2x2 + x − 1 e d(x) = x3 − x2 + 2x + 1 . diz-se que a é divisível por b .

Aula 06 Pré-Cálculo 7 . fazendo-se r1 (x) = p(x) − x2 d(x) . Vemos que o quociente dessa nova divisão será um polinômio de grau 4 − 3 = 1 . repetimos o processo substituindo-se p por r1 na divisão por d . Agora. (5) e (6). obtemos x2 d(x) = x5 − x4 + 2x3 + x2 . Além disso. (6) o que nos dá r3 (x) = −x3 − 5x2 − 1 + (x3 − x2 + 2x + 1) = −6x2 + 2x . para dividirmos um polinômio p de grau m . na divisão do polinômio p(x) d(x) = x3 − x2 + 2x + 1 . pelas identidades (4). (4) tem-se r1 (x) = x5 − 2x2 + x − 1 − (x5 − x4 + 2x3 + x2 ) = x4 − 2x3 − 3x2 + x − 1 . temos p(x) = x2 d(x) + r1 (x) = x2 d(x) + xd(x) + r2 (x) = = (x2 + x − 1)d(x) + r3 (x) . Agora. p(x) = am xm + am−1 xm−1 + · · · + a1 x + a0 . Considerando-se finalmente a divisão de r2 por d . Segue-se que. Fazemos. então. logo terá um termo igual a x . vemos claramente que o quociente deve ser −1 e o resto r3 (x) = r2 (x) + d(x) . Por meio deste exemplo vemos que. o quociente e o resto são q (x) = x2 + x − 1 = = x2 d(x) + xd(x) − 3d(x) + r3 (x) = (5) x5 − 2x2 + x − 1 por e r(x) = r3 (x) = −6x2 + 2x . o que nos dá r2 (x) = x4 − 2x3 − 3x2 + x − 1 − x(x3 − x2 + 2x + 1) = −x3 − 5x2 − 1 . que é 3 . Logo. r2 (x) = r1 (x) − xd(x) . basta vermos que o grau de r3 é 2 e que este é menor que o de d .Multiplicando-se então x2 por d(x).

Aplicando-se o algoritmo de Euclides. até obtermos um polinômio rk (x) (que será então o resto r ). fazemos r1 (x) = p(x) − q1 (x)d(x) e. r1 (x) = p(x) − 2x2 d(x) = (2x3 − x2 − x − 10) − 2x2 (x − 2) = 3x2 − x − 10 . q3 . qk e obtemos então o quociente da divisão. usando o algoritmo de Euclides. Daí temos r2 (x) = r1 (x) − 3xd(x) = 3x2 − x − 10 − 3x(x − 2) = 5x − 10. 3. 2x3 = 2x2 . Agora. n obtendo q1 (x) = a bn x 2. Concluímos então que 2x3 − x2 − x − 10 é divisível por x − 2 e que o quociente dessa divisão é o polinômio q (x) = q1 (x) + q2 (x) + q3 (x) = 2x2 + 3x + 5 . am xm . indica-se a divisão do polinômio p(x) pelo polinômio q (x) por p(x) · q (x) Exemplo 2 Verifique que o polinômio p(x) = 2x3 − x2 − x − 10 é divisível por d(x) = x − 2 . procedemos do seguinte modo: 1. isto é. e assim sucessivamente. n−1 . pelo de maior grau de d . Em geral. q3 (x) = 5x/x = 5 . · · · . igualmente. o que nos dá r3 (x) = (5x − 10) − 5(x − 2) = 0 . que tenha grau menor que o de d . dividimos o termo de maior grau de p . 4. q2 . dividimos o termo de maior grau de r1 pelo de maior grau de d para obter q2 . x 8 Aula 06 Pré-Cálculo . repetimos esse processo com o polinômio r2 (x) = r1 (x) − q2 (x)d(x) . somamos os polinômios q1 . temos que q1 (x) = Logo. isto é. q (x) = q1 (x) + q2 (x) + q3 (x) + · · · + qk (x) . d(x) = bn xn + bn−1 xn−1 + · · · + b1 x + b0 . Finalmente.por outro de grau n < m. ou que seja identicamente nulo. bn xn . q2 (x) = 3x2 /x = 3x .

O conjunto-solução de uma equação é o conjunto formado por suas raízes (podendo ser vazio). a1 . 2 7 − 3x + x2 = 0 . e an = 0 .Equações polinomiais Definição 3 – Chama-se equação polinomial de grau n ∈ N e variável x toda equação do tipo a0 + a1 x + a2 x2 + a3 x3 + · · · + an xn = 0 . ao substituirmos x por x0 . mais de uma. · · · an ∈ R . Por exemplo. que é x0 = −b/a . a = 0 .3 + 12 = 9 − 21 + 12 = −12 + 12 = 0 . ax + b = 0 . ou nenhuma raiz real. (7) Note que equações como √ x + x − 1 = 0. Aula 06 Pré-Cálculo 9 . 5 x5 − 3x4 − √ 2x + 8 = 0 . no qual toda equação polinomial admite raízes. x0 = 3 é raiz da equação x2 − 7x + 12 = 0 . o dos números complexos C (que não será tratado aqui). isto é. Um número real x0 é dito raiz da equação polinomial (7). No caso de uma equação polinomial de grau 1 . pois 32 − 7. se nela. com a0 . Uma equação polinomial pode ter uma. e resolvê-la significa determinar o seu conjunto-solução. 1 + x2 − 1 = 0 x ou 2x − 4 = 0 não são polinomiais. obtivermos uma igualdade verdadeira. vimos em aulas anteriores que ela possui sempre uma única raiz. se n 3 a0 + a1 x0 + a2 x2 0 + a3 x0 + · · · + an x0 = 0 . Convém observar que há um conjunto numérico que contém R . Alguns exemplos dessas equações são 1 + 3x = 0 .

x = 0 ou x − conjunto-solução é √ S = {0. ∀c ∈ R . e somente se. o que nos dá x = 1/2 ou x = 3 . c = 0 . b ∈ R . Consideremos agora as equações polinomiais de grau 2 . o conjunto-solução de (8) é vazio. Um número real x é raiz da equação do item (a) se.Relembremos que. Quanto à equação do item (b) . dado um número real a ≥ 0 . ab = 0 ⇔ a = 0 ou b = 0 . Vejamos inicialmente que. Dados a. a equação x2 = a (8) √ √ tem {− a. 5} . podemos resolver certas equações dadas por produtos de polinômios. se a < 0 . (i) a = b ⇔ a + c = b + c . Observemos agora que. obtemos x(x − √ 5) = 0 . Note que. para resolvê-la. x é raiz dessa equação se. √ 5 = 0 . ∀c ∈ R . colocando-se o fator comum x em evidência. 2x − 1 = 0 ou x − 3 = 0 . Exemplo 3 Resolver as equações: (a) (2x − 1)(x − 3) = 0. a} como conjunto-solução. dados números reais a e b . e somente se. seu conjunto-solução é S=  1 . (ii) a = b ⇔ ac = bc . conforme o exemplo 3. Logo. √ (b) x2 − 5x = 0 . fizemos uso das seguintes propriedades da relação de igualdade.3 2  . Segue-se que seu Assim. 10 Aula 06 Pré-Cálculo . Com base nesses fatos.

a. 2  k x+ 2 2 Por exemplo. e fazendo-se uso da técnica de completar quadrados. Aula 06 Pré-Cálculo 11 . 2 2  2 k − . b ∈ R . pois 2 2 k x + kx = x + 2 x + 2 o que nos dá x + kx = 2  2  2 k k − . para completarmos o quadrado de x2 + 3x . b) x2 − 7x + 12 = 0 . também conhecida como equação quadrática. fazemos x + 3x = 2  3 x+ 2 2  2   3 2 9 3 − = x+ − · 2 2 4 Já no caso da expressão x2 − 7x . e escrevê-las na forma (x + b)2 − b2 . b.A partir desses fatos. temos x2 − 7x = x2 + (−7)x =  x− 7 2 2 −  −7 2 2 =  x− 7 2 2 − 49 · 4 Exemplo 4 Resolver as equações: a) x2 + 3x + 2 = 0. basta fazermos b = 2 k . k ∈ R . c ∈ R . Tal técnica consiste em considerar-se expressões do tipo x2 + kx . pode-se resolver uma equação polinomial do segundo grau ax2 + bx + c = 0 . Para isso. a = 0 .

transformando-as assim numa equação do tipo (8). seu conjunto-solução é S = {−1. 12 Aula 06 Pré-Cálculo . usando-se a identidade x + 3x = 2  3 x+ 2 2 − 9 4 obtida anteriormente. obtemos as raízes da equação original. Procedendo-se analogamente. Temos x − 7x +12 = 0 ⇔ 2  7 x− 2 2 49 − +12 = 0 ⇔ 4  7 x− 2 2 1 − =0⇔ 4  7 x− 2 2 = 1 · 4 Segue-se que 7 x− = 2  1 1 = 4 2 ou  7 1 1 x− =− =− · 2 4 2 Sendo assim. caso existam. que são 1 3 1 3 x1 = − = −1 e x2 = − − = −2 . −2} . procedemos completando o quadrado de suas expressões quadráticas. as raízes procuradas são x1 = 1 7 + =4 2 2 e 1 7 x2 = − + = 3 2 2 e o conjunto-solução da equação é S = {3.Para determinarmos as raízes dessas equações. temos duas possibilidades: 3 x+ = 2  1 1 = 4 2 ou  3 1 1 x+ =− =− · 2 4 2 Resolvendo-se então cada uma dessas equações. tem-se x +3x +2 = 0 ⇔ 2  3 x+ 2 2 9 − +2 = 0 ⇔ 4  3 x+ 2 2 1 − =0 ⇔ 4  3 x+ 2 2 = 1 · 4 Daí. 2 2 2 2 Logo. resolve-se a equação dada em (b) . 4} . No caso do item (a).

Para resolvê-la. b. e. que é S=  √ √  9 − 41 9 + 41 .Antes de passarmos ao caso geral. obtemos facilmente o seu conjunto-solução. 10x −9x+1 = 0 ⇔ 10 2  9 x− 20 2 −  41 400  =0 ⇔  9 x− 20 2   41 − =0 400 Segue-se que nossa equação inicial é equivalente a  9 x− 20 2 = 41 · 400 Daí. = a x+ + (10) 2a 4a2 (9) Aula 06 Pré-Cálculo 13 . então.     2  2 b/a b c c b/a ax2 + bx + c = a x2 + x + = = a x+ − + a a 2 2 a    b 2 4ac − b2 .     2  2 9 1 9 / 10 9 / 10 1 10x2 − 9x + 1 = 10 x2 − x + = = 10 x − − + 10 10 2 2 10    9 2 81 1 = 10 x − − + = 20 400 10     9 2 41 − . em seguida. 20 20 Vejamos agora como esse procedimento conduz à conhecida fórmula de Báscara. . a = 0 . a equação 10x2 − 9x + 1 = 0 . procedemos como nos casos anteriores. consideremos. 10 no caso. como último exemplo. então. Temos. c ∈ R . = 10 x − 20 400 Assim. da qual se obtém o conjunto-solução de uma equação do segundo grau ax2 + bx + c = 0 . Começamos completando o quadrado da expressão quadrática. a. Teremos. colocamos em evidência o coeficiente de x2 .

as raízes de (9) são ∆ b − = x1 = 2a 2a √ √ ∆−b 2a ou √ b ∆ x+ =− · 2a 2a e √ ∆ b − ∆−b x2 = − − = · 2a 2a 2a √ Costuma-se escrever essas igualdades como √ −b ± ∆ x= . Exemplo 5 Resolver a equação 2x2 − x − 1 = 0 . o que nos dá ∆ = b2 − 4ac = (−1)2 − 4. se ∆ = 0 . dessa fórmula (e de sua dedução). b = −1 e c = −1 . 4a2 Supondo-se. se ∆ > 0 . 2a que é a celebrada fórmula de Báscara. Comparando-se a equação dada com (9). segue-se que a equação (9): tem duas raízes distintas. neste caso. tem duas raízes iguais. a Dividindo-se ambos os membros dessa igualdade por a e adicionando-se concluímos que x ∈ R é raiz de (9) se.Segue-se que a equação (9) é equivalente a  b x+ 2a 2 4ac − b2 + 4a2  = 0.(−1) = 1 + 8 = 9 .  x+ b 2a 2 = b2 − 4ac · 4a2 b2 − 4ac . se ∆ < 0 . (x1 = x2 ) . temos a = 2 . (x1 = x2 ) . 14 Aula 06 Pré-Cálculo .2. Note que. e somente se. tem-se √ b ∆ = x+ 2a 2a Logo. então ∆ = b2 − 4ac ≥ 0 . não tem raízes (reais).

o outro certamente é S − x . sua soma é S e seu produto é P . S = x1 + x2 = e e √ √ −b − ∆ x2 = · 2a ∆−b− 2a √ ∆ b a −b + =− √ √ √ −b + ∆ −b − ∆ (−b)2 − ( ∆)2 b2 − ∆ c P = x1 x2 = · = = = · 2 2 2a 2a 4a 4a a Observemos então que a equação (9) é equivalente a x2 − Sx + P = 0 . a a Assim. Podemos dizer então que: dois números reais são raízes da equação x2 − Sx + P = 0 . o que nos dá x2 − Sx + P = 0 . devemos ter x(S − x) = P . se um deles é x .1 .2 √ 9 1 =− 2 e −(−1) + x2 = 2. se. temos que. se x1 e x2 são soluções dessa equação. se dois números reais são tais que sua soma é S . as raízes dessa equação são −(−1) − x1 = 2. 2 Deduziremos agora as relações existentes entre a soma e o produto das raízes de uma equação quadrática e seus coeficientes e as usaremos para demonstrar um resultado de existência em geometria. pela fórmula de Báscara. e seu produto é P . Reciprocamente. e somente se. Aula 06 Pré-Cálculo 15 . (11) pois ax2 + bx + c = 0 ⇔ c b x2 + x + = 0 .Então. Logo. Sendo o produto destes igual a P . seu conjunto-solução é S=   1 − .2 √ 9 = 1. sua soma é S e seu produto é P . Como sabemos. as raízes da equação quadrática (9) são √ −b + ∆ x1 = 2a Logo.

esses reais existem se. por x − a . por um polinômio da forma x − a . então. o que é equivalente a ∆ = b2 − 4ac = S 2 − 4P ≥ 0 . e somente se. Temos p(x) = q (x)(x − a) + r(x) .Daí. Note que. na proposição . Por sua vez. a ∈ R . sendo o grau de x − a igual a 1 . o retângulo procurado existe se. se os lados de um retângulo têm medidas a e b . de grau maior que 1. conhecido como teorema do resto. isto é. temos p(a) = q (a)(a − a) + r(a) = r . existe um retângulo cujo perímetro é 2S e cuja área é P se. de grau maior que 1. o retângulo é um quadrado. se. ocorre a igualdade S 2 = 4P se. e somente se. Note que. Proposição 1 – Dados dois números reais positivos S e P . então. é igual a p(a) . a = b . Indicando-se por p(a) o valor do polinômio p(x) quando x = a . e somente se. r(x) = r é um polinômio constante. o seguinte resultado. a equação x2 − Sx + P = 0 admite raízes. Demonstração – Com efeito. Teorema 1 O resto da divisão de um polinômio p(x) . existem números reais positivos a e b tais que a + b = S e ab = P . 16 Aula 06 Pré-Cálculo . e somente se. Fica provado. Assim. e somente se. seu perímetro é 2a + 2b e sua área é ab . S 2 ≥ 4P . segue-se a proposição geométrica seguinte. Vejamos agora uma forma bastante simples de se obter o resto r(x) da divisão de um polinômio p(x) .

Corolário 1 – Um polinômio p(x) . Segue-se que o conjunto-solução da equação dada é S = {1. obtém-se q (x) = x2 − 3x + 2 . de grau maior que 1. Porém. e somente se. Assim. se existirem. uma vez que p2 (1) = 1 − 1 + √ √ 2 − 1 = 2 − 1 = 0 . Aplicando-se o algoritmo de Euclides à divisão de p(x) por x − 3 . a é raiz de p(x) . serão as da equação q (x) = 0 . Exemplo 6 Resolver a equação x3 − 6x2 + 11x − 6 = 0 . podem ser facilmente obtidas através da fórmula de Báscara. as outras raízes. 2. que são x1 = 1 e x2 = 2 . p(x) = q (x)(x − 3) . devemos resolver a equação x2 − 3x + 2 = 0 . segue-se o corolário abaixo. ou aplicando-se a técnica de completar quadrados. 1 17 Assim. 2 2 √ Já o polinômio p2 (x) = x4 − x3 + 2x2 − 1 não o é. é divisível por x − a se. 3} . Logo. pois 2 2 1 17 p1 (1) = 5 − 4 + 8 − − = 0. Então. o polinômio p1 (x) = 5x7 − 4x5 + 8x3 − x − é divisível por x − 1 . Dessa forma. Aula 06 Pré-Cálculo 17 . temos que p(x) = x3 − 6x2 +11x − 6 é divisível por x − 3 . sabendo-se que x = 3 é uma de suas raízes. suas raízes.Do teorema do resto. conhecido como teorema de D’alembert. Do teorema de D’alembert. a nossa equação é equivalente a q (x)(x − 3) = 0 .

Resolva as seguintes equações: (a) (5x − 4)(3x − 8) = 0 (c) 4x2 − 4x + 1 = 0 (e) x3 − 2x2 + x = 0 1 +x=3 (g ) x (b) 3x2 − πx = 0 (d) x2 − 2x − 3 = 0 (f ) 2x2 − x + 1 = 0 x+1 x− 3 (h) x − 2 = x− 4 5 6 7 8 Existe um retângulo de área 9/16 cujo perímetro seja π ? Em caso afirmativo. quais são as suas dimensões? Prove que. Simplifique a expressão a seguir efetuando as operações indicadas. 18 Aula 06 Pré-Cálculo . sem utilizar o algoritmo de Euclides. Determine o resto da divisão do polinômio p(x) = x4 − 2x3 + x2 − 5x + 2 por x − 2 . Resolva a equação 2x3 − 5x2 − x + 6 = 0 . (x2 + 1)(x2 − 1) + (x + 1)(x − 1)2 x−1 Determine o quociente e o resto da divisão do polinômio 2 2 3 3 2 p(x) = 3x5 − 3 x +x− 2 5 por d(x) = x − 2x + 4 x − 1 .Atividade 1 1 2 3 4 Verifique que quaisquer que sejam os números reais a e b tem-se (a + b)3 = a3 + 3a2 b + 3ab2 + b3 . aquele que tem área máxima é um quadrado. dentre todos os retângulos que têm perímetro a . dado um número real a > 0 . sabendo-se que uma de suas raízes é x = −1 .

v. em livros ou na Internet. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Matemática. escreva um texto incluindo a demonstração dessa fórmula.Resumo Nesta aula. Referências CARVALHO. Herbert. Auto-avaliação Faça uma pesquisa. O que é matemática?: uma abordagem elementar de métodos e conceitos. sobre a fórmula de Cardano para a resolução de equações polinomiais de grau 3.ed. Paulo César et al. Richard. polinômios e equações polinomiais. Em seguida. 1. ROBBINS. Além disso. Aula 06 Pré-Cálculo 19 . estudamos expressões algébricas. 2000. Vimos como efetuar operações com polinômios e resolver equações polinomiais de graus 1 e 2. COURANT. 2. 2001. vimos os teoremas do resto e de D’alembert e usamos a teoria estudada para estabelecer um critério de existência de retângulos com área e perímetro pré-fixados. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna. A matemática do ensino médio.

Anotações 20 Aula 06 Pré-Cálculo .