TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

P R O C E S S O T C – 04.319/11
Administração DIRETA MUNICIPAL. PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPOROROCA. Prestação de contas anual, exercício 2010. Emissão de Parecer favorável às contas do período do Sr. Celso de Morais Andrade Neto e regularidade com ressalvas das despesas realizadas. Emissão de PARECER CONTRÁRIO À APROVAÇÃO da prestação das contas, de responsabilidade do Sr. Erilson Cláudio Rodrigues e julgamento pela irregularidade das despesas realizadas. Declaração parcial ao atendimento às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal de ambos os gestores. Aplicação de multa ao Sr. Erilson Claúdio Rodrigues. Determinações e recomendações. RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO. Conhecimento dos Recursos. Não provimento aos recursos do Sr. Celso de Morais Andrade Neto e do Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, mantendo-se inalterados os termos da decisão recorrida.

A C Ó R D Ã O APL – TC -00178/13
1. RELATÓRIO
1.01. Este Tribunal, na sessão de 13 de junho de 2012, examinou o PROCESSO TC-04.319/11 correspondente à PRESTAÇÃO DE CONTAS ANUAL do PREFEITO MUNICIPAL DE ITAPOROROCA, relativa ao exercício de 2010, sob as responsabilidades dos Prefeitos Senhores CELSO DE MORAIS ANDRADE NETO (período de 01.01 07.04.2012) e ERILSON CLAÚDIO RODRIGUES (período 08.04 a 31.12.2012 e, por meio do Parecer PPL-TC00104/2012 e do Acórdão APL TC 00419/2012 decidiu: 1.01.1. Emitir e encaminhar ao julgamento da CÂMARA DE VEREADORES DO MUNICÍPIO DE ITAPOROROCA, PARECER CONTRÁRIO À APROVAÇÃO da prestação de contas anual, de responsabilidade do Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, referente ao período de 08.04 a 31.12.2010. Emitir e encaminhar ao julgamento da CÂMARA DE VEREADORES DO MUNICÍPIO DE ITAPOROROCA, PARECER FAVORÁVEL À APROVAÇÃO da prestação de contas anual de responsabilidade do Sr. Celso de Morais Andrade Neto, concernente ao período de 01.01a 07.04.2010. Julgar irregulares as despesas realizadas no exercício de 2010, relativas ao período de 08.04 a 31.12.2010.

1.01.2.

1.01.3.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1.01.4. Julgar regulares com ressalvas as despesas realizadas no período de 01.01 a 07.04.2012. Declarar que os chefes do Poder Executivo, Srs. Celso de Morais Andrade Neto e Erilson Cláudio Rodrigues, do Município de ITAPOROROCA, no exercício de 2010, atenderam parcialmente às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal. Aplicar multa ao Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, no valor de R$ 3.000,00 (três mil reais), com base nos art. 56, II da LOTCE/PB, dada a transgressão a normas constitucionais e legais, assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para recolhimento voluntário, sob pena de cobrança executiva. Determinar o prazo de 90 (noventa) dias ao atual Prefeito Municipal, para fins de adotar as providências necessárias ao restabelecimento da legalidade, desligando do serviço público municipal os contratados temporariamente, relacionados pela Auditoria em seu relatório, bem como para promover a adequação do quadro de pessoal da Prefeitura nos moldes constitucionalmente estabelecidos. Comunicar à Delegacia da Receita Previdenciária acerca da omissão constatada nos presentes autos relativa ao pagamento parcial de contribuição previdenciária. Recomendar a atual gestão no sentido de incrementar os controles no trato da coisa pública em geral, conferindo estrita observância aos princípios constitucionais norteadores da Administração Pública, às Leis 4320/64, 8666/93, 101/2000, bem como à necessidade de manter a contabilidade municipal em consonância com as normas pertinentes.

1.01.5.

1.01.6.

1.01.7.

1.01.8.

1.01.9.

1.01.10. Determinar à Auditoria para que proceda à análise dos gastos de pessoal no exercício de 2011, a fim de verificar se houve redução, nos termos da Resolução Normativa TC 12/2009. 1.02. As decisões foram publicadas no Diário Eletrônico do TCE/PB de 20.06.2012 e em 05.07.2012, o Sr. Celso de Morais Andrade Neto e em 06.07.2012 o Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, interpuseram RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO, a fim de obter reformulação da decisão deste Tribunal, tendo a Auditoria, após análise da documentação apresentada, entendido que estão comprovadas iniciativas do gestor na busca da regularização dos débitos previdenciários da edilidade, quer por intermédio de ações judiciais ou de recursos administrativos junto à Receita Federal do Brasil. Quanto às demais falhas, o órgão de instrução entendeu permanecerem inalteradas, quais sejam: 1.02.1. Gastos com pessoal, correspondendo a 67,20% da RCL, em relação ao limite (60%) estabelecido no art. 19 da LRF.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1.02.2. Gastos com pessoal, correspondendo a 64,62% da RCL, em relação ao limite (54%) estabelecido no art. 20 da LRF e não indicação de medidas em virtude da ultrapassagem de que trata o art. 55 da LRF. Não realização de licitação no montante de R$ 265.753,41, o equivalente a 1,44% da despesa orçamentária realizada. Déficit na execução orçamentária equivalente a 12,35% da receita orçamentária arrecadada. Déficit financeiro referente ao exercício ora analisado, no valor de R$ 2.239.706,44. Divergência da dívida consolidada no anexo do RGF e no anexo 16 da Prestação de Contas. Despesas elevadas com bandas e shows artísticos em relação ao exercício anterior. Contratação elevada de pessoal por excepcional interesse público e não encaminhamento dos respectivos contratos ao Tribunal de Contas.

1.02.3. 1.02.4. 1.02.5. 1.02.6. 1.02.7. 1.02.8. 1.03.

Chamado a se pronunciar sobre o assunto, a Procuradora do Ministério Público junto ao Tribunal, SHEYLA BARRETO BRAGA DE QUEIROZ, opinou: 1.03.1. Em preliminar, pelo CONHECIMENTO do Recurso de Reconsideração, do Sr. Celso de Morais Andrade Neto, Prefeito de Itapororoca no período de 01/01/2010 a 07/04/2010, em face do Acórdão APL TC 00419/2012 e do Parecer Prévio PPL TC 00104/2012 e, no mérito, pelo seu PROVIMENTO, a fim de dar pela regularidade das contas do gestor e pela declaração de atendimento integral aos preceitos fiscais da Constituição da República e da Lei de Responsabilidade Fiscal. Pelo NÃO CONHECIMENTO e, ultrapassada esta preliminar, no mérito, pelo seu NÃO PROVIMENTO, quanto ao Recurso de Reconsideração, interposto pelo Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, em face do Acórdão APL TC 00419/2012 e do Parecer Prévio PPL TC 00104/2012, emitidos nos autos respectivos da Prestação de Contas Anuais do exercício financeiro de 2010.

1.03.2.

1.04.

O Processo foi incluído na pauta desta sessão, com notificação dos interessados.

2. VOTO DO RELATOR
No tocante ao recurso de Reconsideração do Sr. Celso de Morais Andrade Neto, o Relator vota pelo seu conhecimento, dada sua tempestividade e legitimidade, e, no mérito, pelo seu não provimento, porquanto os argumentos trazidos aos autos não foram suficientes para sanar a irregularidade quanto à ultrapassagem do limite em 1,56% dos gastos com pessoal relativo ao artigo 20, inciso III, alínea “b” da Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF, apontado no relatório inicial da Auditoria (fls. 149).

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO Quanto ao recurso interposto pelo Sr. Erilson Cláudio Rodrigues, os argumentos acerca do recolhimento a menor das obrigações patronais são insuficientes para sanar a irregularidade, visto que, a até a presente data, em consulta ao site da Receita Federal, não ser possível obtenção da Certidão Negativa de Débito do Município de Itapororoca, em razão da existência de pendências. Desta forma, e, considerando que as demais irregularidades não foram elididas, o Relator vota pelo conhecimento do Recurso de Reconsideração e, no mérito, pelo seu não provimento, à falta de respaldo legal e factual, permanecendo inalterados os termos do Parecer PPL-TC-00104/2012 e do Acórdão APL TC 00419/2012.

3. DECISÃO DO TRIBUNAL PLENO

Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO TC04.319/11, os MEMBROS do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA (TCE-PB), à unanimidade, na sessão realizada nesta data, ACORDAM em: I. Tomar conhecimento do Recurso de Reconsideração interposto pelo Sr. Celso de Maria Andrade Neto, e, no mérito, pelo seu não provimento, à falta de respaldo legal e factual, permanecendo inalterados os termos Parecer PPLTC-00104/2012 e do Acórdão APL TC 00419/2012. II. Tomar conhecimento do Recurso de Reconsideração interposto pelo Sr. Erilson Cláudio Rodrigues e, no mérito, pelo seu não provimento, à falta de respaldo legal e factual, permanecendo inalterados os termos do Parecer PPL-TC00104/2012 e do Acórdão APL TC 00419/2012.
Publique-se, intime-se, registre-se e cumpra-se. Sala das Sessões do TCE/PB - Plenário Ministro João Agripino. João Pessoa, 10 de abril de 2013. _________________________________________________ Conselheiro Fábio Túlio Filgueira Nogueira - Presidente

________________________________________________ Conselheiro Nominando Diniz – Relator

________________________________________________ Isabella Barbosa Marinho Falcão Procuradora Geral do Ministério Público junto ao Tribunal

Em 10 de Abril de 2013

Cons. Fábio Túlio Filgueiras Nogueira PRESIDENTE

Cons. Antônio Nominando Diniz Filho RELATOR

Marcílio Toscano Franca Filho PROCURADOR(A) GERAL EM EXERCÍCIO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful