You are on page 1of 9

UNIESP UNIÃO DAS INSTITUIÇÕES DO ESTADO DE SÃO PAULO

ESTRUTURA DO BALANÇO - IFRS

Ciências Contábeis – 6º Semestre

Santo André 2012

Tais alterações societárias aconteceram por meio da implementação das leis 11.638/07 e 11. .RESUMO Este trabalho visa examinar e explanar as principais alterações societárias ocorridas nas normas de contabilidade brasileiras em relação à estruturação do Balanço Patrimonial. sendo esta última fruto da conversão da medida provisória 449/08. Além disso. Os resultados obtidos mostram que aconteceram mudanças significativas na estruturação da demonstração financeira em estudo. identificou-se que a mudança na estruturação das demonstrações financeiras é um fator importante para a evolução contábil e para o alcance da internacionalização das normas contábeis no Brasil. e possuem o intuito de uniformizar as normas contábeis brasileiras para uma maior proximidade com as Normas Internacionais de Contabilidade.941/09.

638. informações inerentes à posição financeira de uma entidade. Nessas perspectivas. subsidiariamente. que se refiram ao aumento da evidenciação das empresas. Porém. a lei n° 11. 449/08.O Brasil é um dos países que buscam a convergência das normas de contabilidade nacionais com as normas internacionais de contabilidade. A IASB (International Accounting Standards Board) é uma organização que guia países que pretendem adotar normas de contabilidade semelhantes. conversão da M. Posteriormente.941/09. Devido à relevância do . certas normas definidas por essa lei impediam que o país se adequasse mais rapidamente e com maior eficiência às normas internacionais. a evidenciação das empresas. a lei n° 11. o artigo tem como objetivo identificar as mudanças ocorridas na estruturação de uma demonstração financeira: o Balanço Patrimonial.638/07 e n° 11. pois possibilita a obtenção de clareza em relação à situação econômica das mesmas.404. A justificativa do artigo consiste na escolha de uma teoria relacionada a uma ferramenta utilizada pelas empresas na área contábil. várias alterações vêm acontecendo na contabilidade societária brasileira por meio da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). ocorrida com a implementação das leis n° 11. que foi aprovada em 2007. A metodologia utilizada consiste na execução de uma pesquisa bibliográfica. financeira e. aumentando assim. física. Em 1976 foi implementada a Lei n° 6. pois ela publica e atualiza as Normas Internacionais de Contabilidade (IFRS / IAS).Introdução A evidenciação das demonstrações financeiras tem papel fundamental para o bom funcionamento das empresas. todas as alterações ocorridas quanto à estruturação das demonstrações financeiras visa atender da melhor forma possível o objetivo citado. fato que deu início à maior normatização contábil no Brasil.404/76. do CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis) e outros órgãos reguladores. Com isso.941/09. foi aprovada para algumas adequações em relação à normas previstas na lei aprovada em 2007. uma vez que em conformidade com as normas internacionais. para um embasamento teórico adequado. Dessa forma.P. alterou artigos previstos na lei n° 6. de produtividade e social. IFRS. e analisar os efeitos dessa nova estruturação. A partir desse propósito. aos usuários internos e externos à entidade objeto da Contabilidade” . afim de que o artigo contenha os tópicos necessários para o estudo desse tema e. visando uma maior uniformização da normatização contábil. O principal objetivo da Contabilidade é “o de fornecer informação estruturada de natureza econômica. principalmente. o Balanço Patrimonial é a demonstração que proporciona aos usuários externos.

vários países buscam a convergência das normas nacionais de contabilidade com as normas ditadas pela IASB (International Accounting Standards Board). A harmonização das normas contábeis nos diversos países facilita as interações no mercado mundial. pode-se destacar a contabilização e evidenciação nas demonstrações financeiras. assim como a respeito de todas as outras alterações contábeis.x).638/07 e n° 11.Balanço Patrimonial no ambiente contábil brasileiro. Em um de seus pronunciamentos. Nessas perspectivas. a Comissão de Valores Imobiliários e o Banco Central do Brasil já emitiram . Com esse propósito. Dessa forma. Uniformização de informações contábeis A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é um dos órgãos reguladores da Contabilidade brasileira. dos quais. a classificação de suas contas possui extrema importância para comparar patrimônios de diferentes empresas.941/09 surgiram para que o Brasil pudesse promover a internacionalização das normas contábeis. as leis n° 11. Tais informações possuem grande importância para decisões de investidores e para a gestão de administradores. se torna cada vez mais preciso que as empresas estabeleçam uma linguagem única de mercado para facilitar os acordos de negócios.941/09). normalizar e fiscalizar seu funcionamento. Internacionalização das normas contábeis no Brasil No cenário globalizado. Segundo Braga e Almeida (2009. assim como para analisar um mesmo patrimônio em mais de um exercício. vêm sendo realizados de forma sistemática por pesquisadores brasileiros a fim de alcançar a atualização das normas contábeis. p.638/07 e n° 11. o estudo sobre as mudanças relativas às demonstrações financeiras adquire importância na medida em que elas constituem uma fonte de informações contábeis. para evitar que haja gastos excessivos com equipes treinadas para atuarem em países específicos. uma vez que a globalização exige cada vez mais a redução de barreiras comerciais e o aumento de comunicação entre os países. a CVM reconheceu que existem diversos pontos de divergência entre as normas brasileiras e as internacionais. estudos a respeito das novas regras vigentes para a estruturação do Balanço Patrimonial. de acordo com as novas leis societárias (Lei n° 11. Assim. Tal procedimento é adotado devido à urgência de adoção dos novos procedimentos contábeis. que possui poder para disciplinar. as mudanças apresentadas nesse artigo em relação à estruturação do balanço patrimonial fazem parte da busca pelas melhorias na normatização contábil brasileira. Dessa forma.

No lado direito do Balanço Patrimonial são constituídos o passivo e o patrimônio líquido. Por sua vez. o balanço patrimonial é constituído por ativo. os critérios de classificação das contas do Ativo permaneceram os mesmos. passivo e patrimônio líquido. Assim. pois tal nomenclatura deixou de existir na nova estrutura do balanço patrimonial. podendo ser considerado como a capacidade que a empresa possui de gerar benefícios futuros. que era um grupo de contas independente. Dessa forma.638/07 e. seu posterior aperfeiçoamento com a lei n° 11. passou a constituir o ativo não-circulante.638/07 e n° 11. em determinada data. ativo imobilizado e ativo diferido. . O passivo é constituição das exigibilidades da empresa. o Ativo era dividido em ativo circulante.941/09 se referem à apresentação dos três grupos de contas apresentados.404/76. o Ativo passou a ser dividido em ativo circulante e ativo não-circulante. as quais deixaram de constituir o ativo permanente. Dessa forma. ou exercidos com essa finalidade. ou seja. o qual é composto por ativo realizável a longo prazo. da situação financeira e patrimonial de uma entidade. são os valores que a empresa tem a obrigação de pagar a terceiros no momento da avaliação. O ativo realizável a longo prazo.941/09. ficou determinado que faz parte dessa conta os direitos que tenham por objeto bens corpóreos destinados à manutenção das atividades da companhia e da empresa. imobilizado e intangível. e representa os recursos dos proprietários investidos no empreendimento e os lucros gerados pela empresa e não distribuídos. consiste na demonstração. o patrimônio líquido é a diferença entre o ativo e o passivo de uma empresa. Além disso. imobilizado e intangível. inclusive os decorrentes de operações que transfiram à companhia os benefícios. ativo realizável a longo prazo e ativo permanente. Essa redação proposta pela lei n° 11. exceto na conta ativo imobilizado. Com a implementação da lei n° 11. pois os bens não eram obrigatoriamente corpóreos e. o qual era subdividido em investimentos. O ativo é o conjunto de bens e direitos de propriedade da empresa. riscos e controle desses bens. todos os elementos do Ativo são representados no lado esquerdo do Balanço Patrimonial.comunicados estabelecendo o ano de 2010 como a época prevista para o processo de convergência das normas contábeis emanadas do IASB. Nessas perspectivas. investimentos. objeto de estudo deste artigo. Com as novas leis vigentes.638/07 substituiu algumas disposições previstas na lei 6. as alterações societárias condicionadas pelas leis n° 11. Mudanças no Ativo De acordo com legislações anteriores. o ativo-não circulante é composto também pelas contas investimentos. Balanço Patrimonial O balanço Patrimonial.

havia a inclusão dos direitos de propriedade industrial ou comercial no lugar da inclusão dos direitos decorrentes de operações que transfiram à companhia as consequências citadas anteriormente. que faria parte dessa conta os direitos que tenham por objeto bens incorpóreos destinados à manutenção da companhia ou exercidos com essa finalidade.638/07). e quaisquer valores mobiliários não classificados como investimentos. a lei implementada em 2007 alterou a disposição que determinava que os direitos e títulos de créditos. Mudanças no Passivo De acordo com a Lei n° 6. segundo a Lei n° 11. houve a criação de novos critérios de avaliação do ativo através da lei n° 11. ajustado ao valor provável de realização. uma vez que essa conta foi retirada do balanço patrimonial. atualizado conforme disposições legais ou contratuais.941/09 quanto à essa classificação. seriam excluídos os já prescritos e feitas as provisões adequadas para ajustá-lo ao valor provável de realização.638/07.. Assim. Na conta intangível determina-se.941/09.638. passivo exigível a longo prazo e resultados de exercícios futuros. ocorreram algumas alterações com as leis n° 11. quando se tratar de aplicações destinadas à negociação ou disponíveis para venda (redação dada pela lei n° 11. Primeiramente. e em direitos e títulos de créditos. inclusive os juros pagos ou creditados aos acionistas durante o período que antecedia o início das operações sociais. de 2007.638/07 e n° 11. Os critérios de classificação do ativo diferido foram revogados pela lei n° 11. sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante. se este for menor. para registro de correção monetária. inclusive derivativos. 183 da legislação. pelo custo de aquisição ou pelo valor do mercado. Algumas mudanças ocorreram com a Lei 11. e os elementos do ativo decorrentes de operações de longo prazo serão ajustados a valor presente. classificados no ativo circulante ou no realizável a longo prazo pelo valor justo. e o passivo passou a ser dividido em . variação cambial ou juros acrescidos. De acordo com a análise desse art. inclusive o fundo de comércio adquirido.941/09. quando este for inferior.404/76 as contas do passivo eram classificadas em passivo circulante. ficou determinado que os direitos classificados no intangível serão avaliados pelo custo incorrido na aquisição deduzido do saldo da respectiva conta de amortização. Tal disposição considerava que pertencia ao ativo diferido as aplicações de recursos em despesas que contribuía para formação do resultado de mais de um exercício social. Dessa forma. até o limite do valor do mercado. Os critérios de avaliação do Ativo são representados no Art. no caso das demais aplicações e os direitos e títulos de crédito (redação dada pela lei n° 11. passou a vigorar que as aplicações em instrumentos financeiros. Além disso.941/09) ou pelo valor de custo de aquisição ou valor de emissão. e seria admitido o aumento do custo de aquisição.

reservas de capital. Com a redação da lei n° 11. adicionando que as obrigações. criada a partir da Medida Provisória n° 449. enquanto não computadas no resultado do exercício em obediência ao regime de competência. Mudanças no Patrimônio Líquido Com a implementação da lei n° 11. reservas de capital. com base na competência conferida pelo § 3º do art. A lei n° 11. o patrimônio líquido era divido em capital social.941/09 inseriu ainda outras modificações na estruturação do Balanço Patrimonial.passivo circulante e passivo não-circulante. 177. Os critérios de avaliação do Passivo também sofreram mudanças com a lei 11. Art. nos casos previstos em Lei. em decorrência da sua avaliação a valor justo. Síntese das alterações societárias na estruturação do balanço patrimonial . de acordo com a lei proposta em 1976. Desse modo. 184-A que estabelece o seguinte critério de avaliação: A comissão de Valores Mobiliários estabelecerá. o novo § 3° traz disposições a respeito da classificação dos ajustes de avaliação patrimonial.941/09. o § 3° que trata da classificação de reservas de reavaliação foi revogada. normas especiais da avaliação e contabilização aplicáveis à aquisição de controle.638/07 consistem na revogação de disposições previstas no § 1°. e assim. reservas de reavaliação. Assim. Assim. foi criado o art.638/07 o patrimônio líquido não sofreu alterações quanto à classificação de seus elementos. ou em normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários. As alterações relativas à estruturação do Balanço Patrimonial com a implementação da lei n° 11. o passivo exigível a longo prazo foi substituído pelo passivo não-circulante e o resultado de exercícios futuros foi revogado. as contas que registrarem os prêmios recebidos na emissão de debêntures e as doações e subvenções para investimento não serão mais classificadas como reservas de capital. encargos e riscos classificados no passivo não-circulante serão ajustados ao seu valor presente. sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante.941/09. ações em tesouraria e prejuízos acumulados. foi vedada a disposição que relatava que as obrigações sujeitas a correção monetária seriam atualizadas até a data do balanço. ajustes de avaliação patrimonial. participações societárias ou segmentos de negócios.638/07 incluída pela lei n° 11. algumas modificações a esse respeito foram incluídas pela lei n° 11. Assim. Com sua implementação. reservas de lucros.404/76. o patrimônio líquido passou a ser dividido em capital social. Porém. reservas de lucros e lucros ou prejuízos acumulados.941/09. Além disso. ficou instituído que serão classificadas como ajustes de avaliação patrimonial. Desse modo. 182 da lei n° 6. as contrapartidas de aumentos ou diminuições de valor atribuídos a elementos do ativo e do passivo.

941/09. Quadro 1: Balanço Patrimonial .A seguir são apresentados dois quadros comparativos. Quadro 2: Balanço Patrimonial .638/07. O primeiro demonstra as alterações ocorridas a partir da implementação da lei n° 11.comparação entre Lei n° 6.941/09.404/76 e Lei n° 11. Por sua vez. o segundo quadro apresenta as mudanças decorridas com a lei n° 11. .comparação entre Lei n° 11.638/07 e Lei n° 11.638/07.

é mostrada uma síntese dos efeitos das mudanças societárias implementadas na lei n° 6. Pode-se concluir que o Balanço Patrimonial passou por várias alterações. Dessa forma.A análise dos quadros apresentados possibilita a identificação das alterações referentes à estruturação do Balanço Patrimonial. que são consideradas melhorias no que diz respeito à busca da convergência da normatização contábil brasileira com as normas internacionais de contabilidade. Dessa forma.404/76. a lei das sociedades anônimas. também pode-se destacar a importância das alterações ocorridas no balanço patrimonial pelo aumento da divulgação das informações das empresas. .